Your SlideShare is downloading. ×
0
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Anabela, Dima, Joao B

2,023

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,023
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
145
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Preservar e recuperar o meio ambiente<br />Realizado por:<br />Anabela Águas<br />DmytroBesprozvannyy<br />João Brito<br />12º N1<br />
  • 2. Tratamento de resíduos<br />
  • 3. Tratamento de Resíduos<br />Industriais<br />Substâncias ou objectos dos quais o homem necessita de se livrar, quando estes se tornam desnecessários<br />Sólidos Urbanos <br />Tóxicos e perigosos <br />
  • 4. Industriais<br />Tóxicos e perigosos <br /><ul><li>Indústria extractiva;
  • 5. Indústria transformadora;
  • 6. Centrais produtoras de energia
  • 7. Construção civil
  • 8. Transportes, automóveis
  • 9. Sector agro pecuário.</li></ul>Contêm substâncias causadoras de graves alterações nos ecossistemas e na saúde pública, como.<br /><ul><li>Resíduos industriais tóxicos,
  • 10. Materiais radioactivos
  • 11. Resíduos hospitalares;
  • 12. pilhas, tintas, películas fotográficas…</li></ul>Sólidos Urbanos <br />
  • 13. Resíduos sólidos urbanos (RSU) <br />Tratamento de Resíduos<br />Como também engloba ainda os resíduos com origem nos sector dos serviços ou de estabelecimentos comerciais<br />Refere-se não só à mistura de materiais e objectos que têm providencia doméstica<br />
  • 14. Lixeiras<br />Vazadouros<br />OU<br />Todo o lixo produzido lançado em terrenos baldios, originando amontoados a céu aberto<br />Problemas causados<br /><ul><li>Problemas estéticos
  • 15. Problemas graves para a saúde pública</li></li></ul><li>Processos de tratamento<br />Incineração<br />Reciclagem<br />Aterros sanitários<br />Compostagem<br />ETAR’s<br />
  • 16. Aterro sanitário<br />Instalação que tem por objectivo a deposição dos resíduos acima ou abaixo da superfície natural<br />Difere do que acontece numa lixeira, pois:<br />A colocação dos resíduos nesses locais é feita de uma forma controlada e existe uma monitorização permanente do local<br />
  • 17. Como funciona um aterro sanitário?<br />Os aterros sanitários devem ser construídos em locais com características geológicas adequadas<br />São revestidos com materiais impermeáveis como argila ou plástico, que previnem a infiltração no solo de substancias lixiviadas<br />As substancias lixiviadas são recolhidas e enviadas para uma estação de tratamento e os gases produzidos pelas bactérias decompositoras podem ser utilizados na obtenção de energia<br />Quando o aterro está cheio é selado.<br />
  • 18. Vantagens<br />*Rápida construção<br />*Manutenção pouco dispendiosa<br />*Grande capacidade<br />*Quando cheios, pode dar-se outra ocupação ao terreno<br />Desvantagens<br />*Requer grandes áreas de implantação <br />*Lixiviação de substâncias perigosas (com consequente poluição de águas subterrâneas)<br />*Maus odores <br />*Proliferação de animais indesejáveis, tais como ratazanas e moscas<br />
  • 19. Consiste na queima de resíduos que por outros processos de tratamentos iam poluir solos e águas.<br />Incineração<br />Processo de tratamento de RSU, que por via de combustão são reduzidos a cinzas e gases.<br />
  • 20. Desvantagens<br />Vantagens<br /><ul><li>Redução do volume de lixo</li></ul>Custos elevados<br />Poluição atmosférica<br /><ul><li>Reduzida área para implementação</li></ul>Produção de resíduos muito tóxicos<br /><ul><li>Menor poluição dos aquíferos.</li></ul>Incentivo à produção de mais resíduos.<br />
  • 21. Compostagem<br />Processo de tratamento de compostos orgânicos dos RSU que pode ser considerado uma adaptação industrial de uma prática agrícola utilizada há muito tempo pelo homem<br />Durante este processo realiza-se a decomposição da matéria orgânica, em condições de aerobiose , ocorrendo a produção do composto<br />
  • 22. Vantagens…<br />Não são necessárias grandes áreas para tratamento de resíduos<br />Permite a decomposição de materiais rejeitados durante o processo de compostagem em aterros muito menos agressivos em termos de impacte ambiental<br />Através da compostagem pode valorizar-se os resíduos num composto orgânico, rico em húmus, com grande utilidade no melhoramento do solo e das culturas<br />
  • 23. A união Europeia tem regras para a reciclagem de vários materiais, tais como papel/cartão, vidro, plástico, madeira, aço e alumínio, mas também pilhas, óleos usados, etc..<br />Reciclagem <br />Consiste na recolha e no reprocessamento de um curso.<br />A separação começa em casa…<br />Os materiais separados devem ser colocados em ecopontos , deforma a serem facilmente recolhidos, tratados e enviados para locais que os utilizem no fabrico de novos objectos.<br />
  • 24. Ecoponto<br />
  • 25. Regra dos 3 R’s<br />Reduzir<br />Reciclar<br /><ul><li>Produzir novos produtos, através de matérias primas
  • 26. Reduzir o nº de embalagens;
  • 27. Usar sacos várias vezes.</li></ul>Reutilizar<br /><ul><li>Usar o mesmo produto mais do que uma vez, com diferentes finalidades</li></li></ul><li>Reduz a quantidade de resíduos sólidos<br />Reduz o consumo energético<br />Poupar energia<br />Reduzir a poluição atmosférica.<br />Reciclagem<br />Reduz o gasto de combustíveis.<br />Reduzir o aquecimento global;<br />Reduz a poluição da água<br />Reduz o gasto de minerais<br />Reduz as chuvas ácidas;<br />Reduz a poluição do ar em zonas urbanas.<br />Reduz a destruição de habitat<br />Protege a biodiversidade<br />
  • 28. Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR)<br />É possível retirar alguns poluentes às águas residuais, industriais ou domésticas, através de uma série de tratamentos, que visam melhorar a qualidade dos efluentes antes deles serem lançados no meio ambiente<br />Tratamento terciário ou avançado<br />Tratamento primário<br />Tratamento secundário<br />
  • 29. Tratamento <br />Primário<br />Tratamento Terciário<br />Tratamento Secundário<br />Processo biológico, no qual bactérias aeróbias removem até 90% da matéria orgânica oxidável.<br />É constituído por uma série de processos físico-químicos que têm como fim a remoção de poluentes específicos que permanecem na água após os tratamentos primário e secundário.<br />Processo mecânico, durante o qual se filtram sólidos de grandes dimensões.<br />Remove cerca de 60% da matéria sólida em suspensão e 30%dos resíduos orgânicos.<br />Neste processo as ETAR usam tanques de percolação e tanques de lamas activadas.<br />É pouco usado por ser muito dispendioso.<br />
  • 30. Crescimento populacional<br />
  • 31. Crescimento populacional<br />Mudança positiva do número de indivíduos de uma determinada populaçãonum certo espaço de tempo.<br />A população mundial em 1950 era de 2,5 biliões de pessoas. Em 2000 já havia mais de 6 biliões de humanos no planeta.<br />
  • 32. Demografia<br />Uma ciência que tem como objecto de estudo a dinâmica das populações humanas<br />Taxa de natalidade<br />Taxa de mortalidade<br />Demografia<br />Fluxos migratórios<br />
  • 33. Taxa de natalidade <br />Número de crianças que nascem com vida anualmente por cada mil habitantes, numa determinada área<br />Actualmente, o que se verifica é uma queda global dos índices de natalidade. <br />Os factores de crescimento de uma população são a natalidade, a imigração e as migrações internas<br />
  • 34. Padrão de crescimento em Portugal<br />
  • 35. Explosão demográfica<br />Aumentoelevado e repentinoda população de sereshumanos. <br />É associado<br />Avançostecnológicos<br />
  • 36. Aumento brusco da população <br />Leva<br />Aumento também brusco do território ocupado<br />As explosões demográficas são observadas em duas situações:<br />A introdução de novas tecnologias que reduzam a mortalidade.<br />Em períodos de guerra ou grandes calamidades,regista-se importantes aumentos das taxas de natalidade.<br />
  • 37. Desenvolvimento sustentável<br />
  • 38. Desenvolvimento sustentável<br />Deve garantir a satisfação das necessidades da nossa geração sem comprometer as gerações futuras<br />Crescimento <br />demográfico intenso<br />Sobreutilização<br />de recursos naturais<br />Poluição<br />Problemas<br />Desflorestação<br />Económicos<br />Efeito de estufa<br />Redução de reservas<br />de água potável<br />Sociais<br />Ambientais<br />Redução de biodiversidade<br />Desequilíbrios nos ecossistemas<br />
  • 39. Desenvolvimento sustentável<br />Aspectos a ter em conta<br />Satisfação de necessidades básicas<br />Não comprometer as gerações futuras<br />Participação da população<br />Recurso a energias renováveis<br />Sistema social <br />Preservação de recursos naturais<br />
  • 40. Pegada ecológica<br />Avalia a área de <br />espaço biológico <br />que é necessária <br />para sustentar a vida<br />Põe em evidencia os impactes ecológicos e permite obter decisões que conciliem o desenvolvimento humano com o ambiente<br />
  • 41. Pegada ecológica<br />Consumo <br />de alimentos<br />Fluxo <br />de energia<br />influenciam<br />Disponibilidade <br />de matérias-primas<br />Espaço natural <br />dos organismos<br />Absorção de <br />resíduos pelo meio<br />Aumento demográfico pode levar à <br />insuficiência de espaço natural disponível <br />para nos sustentar no futuro<br />
  • 42. Pegada ecológica<br />Biocapacidade<br />capacidade de <br />produção biológica<br />numdado ano<br />Passivo<br />ecológico<br />Valor positivo – <br />existência de uma<br />sobreutilização de activos biológicos<br />
  • 43. Pegada ecológica<br />Melhorar os sistemas produtivos<br />Mudança dos padrões de consumo de energia, água, minerais<br />Controlo demográfico<br />Protecção, gestão equilibrada e recuperação dos ecossistemas<br />Redução da pegada ecológica<br />Manutenção da biocapacidade<br />Diminuição do passivo ecológico<br />
  • 44. Modelo sustentável<br />Utilização de recursos renováveis<br />Utilização eficiente de recursos não-renováveis<br />Preservação do ambiente<br />Redução de poluição e resíduos<br />Gestão de economia<br />Protecção dos habitats das espécies<br />Desenvolvimento do sistema social<br />
  • 45. Bibliografia<br />Livros<br />*Biodesafios 12, Elsa Ribeiro; João Carlos Silva; Óscar Oliveira, ASA Editora;<br />*Terra, Universo de Vida – Biologia 12ºano, Amparo Dias da Silva; Maria Santos; Almira Fernandes Mesquita; Ludovina Baldeia; José Maio Félix, Porto Editora.<br />Internet<br />*www.cientic.com<br />

×