Your SlideShare is downloading. ×
Energia eólica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Energia eólica

17,494

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
17,494
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
485
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A energia eólica é a energia que provém do vento. Na actualidade utiliza-se a energia eólica para mover aerogeradores - grandes turbinas colocadas em lugares de muito vento. Essas turbinas têm a forma de um cata-vento ou um moinho. Esse movimento, através de um gerador, produz energia eléctrica. Precisam agrupar-se em parques eólicos, concentrações de aerogeradores, necessários para que a produção de energia se torne rentável, mas podem ser usados isoladamente, para alimentar localidades remotas e distantes da rede de transmissão. É possível ainda a utilização de aerogeradores de baixa tensão quando se trate de requisitos limitados de energia eléctrica.
  • 2. O fenómeno de formação de ventos resulta da deslocação do ar de zonas de alta pressão para zonas de baixa pressão. O ar em movimento contém energia cinética que pode ser aproveitada para produzir outros tipos de energia, por exemplo: → Ao aproveitarmos a energia eólica através de moinhos de vento para bombagem de água e moagem (técnica utilizada há mais de mil anos); → Ao aproveitarmos a energia eólica através de turbinas de vento para a produção de electricidade (este método só faz sentido em locais que estejam sujeitos a ventos com velocidade média anual superior a 3,6 m/s, persistentes, regulares e com baixa intensidade de turbulência). A disponibilidade desta energia não é constante e varia consoante: a hora do dia, a estação do ano, e outros aspectos climáticos.
  • 3. Podemos ainda referir que as correntes de vento são influenciadas pelas condições geográficas abaixo mencionadas: →As melhores condições são nos litorais e no mar; →Seguem-se como melhores lugares as montanhas; →As planícies possuem os mais baixos níveis de incidência de ventos. O clima é também um factor muito importante para o grau de incidência de ventos, ou seja, na região equatorial húmida o vento é praticamente inexistente, mesmo no litoral ou mar. Em climas quentes ou secos a energia eólica conversível é boa. Em países quentes e ventosos a energia eólica não pode ser aproveitada devido á incidência de ciclones.
  • 4. O aproveitamento da energia eólica em Portugal para a produção de energia eléctrica teve início em 1986 com a construção do primeiro parque eólico de Portugal na Ilha de Porto Santo, Madeira. Em 1996, foi instalado o primeiro parque eólico no continente português. Em 2001, a potência eólica instalada era de 114 MW, distribuída por 16 parques com um total de 173 aerogeradores. Em 2004, já existiam 441 aerogeradores espalhados por 71 parques, que representavam uma potência de 537 MW. Apesar do potencial existente, há uma série de barreiras que têm contribuído para o fraco desenvolvimento da energia eólica em Portugal:  ligação a rede: uma vez que os locais com maior potencial se encontram em locais remotos ou servidos por redes fracas, muitas vezes o escoamento de energia só é conseguido através da construção de novas linhas, o que eleva os custos ou até inviabiliza as operações, sendo também problemática a gestão da atribuição dos pontos de interligação;  impacte ambiental: as principais incidências ambientais são o ruído, o impacto visual e a influência na fauna avícola, no entanto a evolução tecnológica (diminuição dos ruídos, turbinas mais potentes, menor número de unidades a instalar) terá tendência para compatibilizar os dois interesses.
  • 5. Vantagens da utilização da energia eólica Vantagens para a sociedade em geral – É inesgotável; – Não emite gases poluentes nem gera resíduos; – Diminui a emissão de gases com efeito de estufa (GEE). Vantagens para as comunidades onde se inserem os Parques Eólicos – Os parque eólicos são compatíveis com outros usos e utilizações do terreno como a agricultura e a criação de gado; – Criação de emprego; – Geração de investimento em zonas desfavorecidas; – Benefícios financeiros (proprietários e zonas camarárias).
  • 6. Vantagens para o estado Reduz a elevada dependência energética do exterior, nomeadamente a dependência em combustíveis fósseis. Poupança devido à menor aquisição de direitos de emissão de CO2 por cumprir o protocolo de Quioto e directivas comunitárias e menores penalizações por não cumprir; Possível contribuição de cota de GEE para outros sectores da actividade económica; É uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais. Vantagens para os promotores Os aerogeradores não necessitam de abastecimento de combustível e requerem escassa manutenção, uma vez que só se procede à sua revisão em cada seis meses. Excelente rentabilidade do investimento. Em menos de seis meses, o aerogerador recupera a energia gasta com o seu fabrico, instalação e manutenção.
  • 7. Principais Desvantagens da energia eólica: – A intermitência, ou seja, nem sempre o vento sopra quando a electricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração; – Pode ser ultrapassado com as pilhas de combustível (H2) ou com a técnica da bombagem hidroeléctrica. – Provoca um impacto visual considerável, principalmente para os moradores em redor, a instalação dos parques eólicos gera uma grande modificação da paisagem; – Impacto sobre as aves do local: principalmente pelo choque destas nas pás, efeitos desconhecidos sobre a modificação de seus comportamentos habituais de migração; – Impacto sonoro: o som do vento bate nas pás produzindo um ruído constante (43dB(A)). As habitações mais próximas
  • 8. …o aproveitamento da energia eólica surgiu há milhares de anos aquando os descobrimentos. Em Portugal foi o recurso da energia eólica que permitiu os descobrimentos. Durante os séculos XV a XIII as caravelas e as naus portuguesas movidas a vento navegaram pelos oceanos descobrindo e comerciando desde a Europa á Índia, á América e á Ásia. Actualmente a energia do vento é utilizada em embarcações de recreio e de competição, já que a partir do século XIX os grandes veleiros foram substituídos por navios que se movimentavam a vapor. …para produção de energia a partir do vento não existe só um tipo de turbina eólica? Existem então turbinas de eixo vertical (à esquerda) e de eixo horizontal (à direita). As turbinas de eixo horizontal são as mais conhecidas e
  • 9. Bibliografia • www.portal-energia.com/vantagens-desvantagens-da-energia- eolica • energiaeambiente.wordpress.com/.../curiosidade-energia-eolica/ • www.eq.uc.pt/~brunor3/energia/eolica.htm • futuroverde.wordpress.com • ciclovivo.wordpress.com • ruadireita.com • jornal.eco.blog.uol.com.br • cienciasressucat.files.wordpress.com/2009/06/ • inclusaosocial.com • explicatorium.com
  • 10. Este trabalho foi realizado por: André Andrade Inês Esteves Inês Figueira Joana Ramalho

×