Relatório de Divulgação de Resultados 3T11

347 views

Published on

Published in: Investor Relations
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
347
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relatório de Divulgação de Resultados 3T11

  1. 1. Resultados 3T11 Resultados começam a refletir os efeitos da Nova EstratégiaSão Paulo, 07 de novembro de 2011 – O Banco Indusval S.A., instituição financeira com focona concessão de crédito corporativo, com mais de 40 anos de atuação no mercado brasileiro, comações negociadas na BM&FBOVESPA (IDVL3 e IDVL4), anuncia seus resultados do terceirotrimestre (3T11). Destaques do Período IDVL4: R$ 7,39 por ação Nos 6 primeiros meses após o anuncio das novas parcerias e da Fechamento: 07/11/2011 capitalização, foram fincados os pilares do novo BI&P: Ações em circulação: 63.358.840 Valor mercado: R$ 468,2 MM - Nova Visão e reforço no time de gestão; - Novos Planos Estratégicos, Metas e Valores em execução; Teleconferências/ Webcasts: - Acompanhamento disciplinado do desenvolvimento das novas 08/11/2011 estratégias, com foco em resultados e geração de carteira de crédito de melhor qualidade; Em Português - Constante upgrade da equipe, sem impactar a nossa estrutura 10h00 (Brasília) / 7h00 (US EST) de custos; Número: +55 11 4688-6361 Código: Banco Indusval - Redução dos custos de captação em Reais, apesar da crise externa; Em Inglês - Ainda somos um dos mais bem capitalizados bancos do 12h00 (Brasília) / 9h00 (US EST) sistema financeiro brasileiro, com Basiléia de 21%; Conexões Brasil:+55 11 4688-6361 - Tangibilizando este novo ciclo de transformação, mudamos a EUA:+1 786 924-6977 sede da Companhia para a região da Faria Lima. Código: Banco Indusval Crescimento da Carteira de Crédito de 6,6% no trimestre e 27% em 12 meses, com qualidade e margem dentro do novo modelo de negócios, Reunião Anual com Analistas e Investidores – APIMEC com nosso novo time posicionado e menor apetite da concorrência mais alavancada. 24/11/2011 – 8h30 Hotel Renaissance Operações com clientes Corporate em setembro já respondem por Sala Labrador Alameda Santos, 2233 - Jardins 21% da Carteira de Crédito (16% no 2T11). São Paulo - SP Apesar do incremento de 45% no Lucro Líquido no trimestre, bem Website: como da ligeira evolução na margem líquida, no Índice de Eficiência e www.indusval.com.br/ri nos Retornos, é nossa avaliação que temos muito a evoluir para chegarmos a patamares de qualidade e rentabilidade compatíveis com nosso potencial, objetivo que pretendemos alcançar no decorrer dos próximos trimestres. 1/20
  2. 2. SumárioComentários da Administração ......................................................................... 3Principais Indicadores ..................................................................................... 5Desempenho Operacional ................................................................................ 6Carteira de Crédito ......................................................................................... 9Captação ..................................................................................................... 13Liquidez ...................................................................................................... 14Adequação de Capital ................................................................................... 14Classificação de Riscos - Ratings .................................................................... 14Mercado de Capitais...................................................................................... 15BALANÇO PATRIMONIAL ................................................................................ 16DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS ................................................................ 18 2/20
  3. 3. Comentários da AdministraçãoAo encerrarmos o terceiro trimestre de 2011, completamos também seis meses do anúncio dasnovas parcerias e do aumento de capital do BI&P - Banco Indusval & Partners, período em quelançamos os pilares de mais uma grande transformação do banco em seus 44 anos de história.Vale registrar que estamos bastante satisfeitos com o estágio que nos encontramos, posto queconstruímos uma base sólida para crescermos com rentabilidade. Lançada a nova Visão,estruturada a nova liderança do BI&P, definidos os Planos Estratégicos de cada área, as Metas e osnossos Valores – a máquina começou a girar e já, neste terceiro trimestre, começamos a sentir osganhos de crescimento e lucratividade – que estamos divulgando neste relatório:• Com o incessante trabalho de todo o Banco, conseguimos crescer a carteira em 6,6% (29% anualizado), com ativos de maior qualidade e rentabilidade, apesar da saída de créditos que consideramos de maior risco.• Desenvolvemos e implantamos 15 novos produtos financeiros no Banco, ampliando a qualidade dos serviços que prestamos à nossa clientela.• Acessamos e fechamos operações com empresas de maior porte, re-posicionando o BI&P em mercados com melhores condições de risco, mantendo as margens considerando as menores provisões requeridas e a capacidade de venda de mais serviços à nova base de clientes.• Contamos com uma tesouraria ativa em todos os mercados, locais e internacionais, viabilizando a precificação de produtos financeiros aos nossos clientes.• Contamos com um custo de captação doméstica ligeiramente menor do que aquele praticado no início do ano, com uma ampliação significativa de novos investidores, apesar do impacto da crise global em nossos mercados.• Somos um dos poucos bancos de médio porte com mais de 70 bancos estrangeiros em nosso portfólio de credores internacionais.• Em outubro, inauguramos nossos novos escritórios na região da Faria Lima em São Paulo. Este é um importante marco neste processo de transformação e tem o objetivo de nos aproximarmos ainda mais de nossos clientes e de nossos parceiros de mercado.• Como resultado, os clientes e o mercado já nos percebem como uma nova força no mercado financeiro, conseguindo atrair excelentes clientes e profissionais.Neste terceiro trimestre, mesmo com a saída de créditos que consideramos de maior risco,elevamos a carteira de crédito expandida, considerando as fianças, avais e cartas de créditoemitidas e os títulos agrícolas (CPRs) e Notas Promissórias, a R$ 2,25 bilhões. As operações comclientes “Corporate” elevaram sua participação na carteira de crédito para 21% ante 16% notrimestre anterior, com a consolidação da equipe comercial “Corporate” que conta atualmente comum time de 18 superintendentes e gerentes bem qualificados (ante apenas quatro em março de2011). Também reposicionamos as equipes de “Middle Market”, com a substituição de 27 gerentesda área comercial (40% da equipe) por profissionais preparados para a oferta de múltiplos produtos,portanto, mantendo o número de profissionais dessa equipe.As operações vencidas há mais de 60 dias, derivadas primordialmente de operações realizadas emanos anteriores, foram reduzidas a R$ 131,8 milhões e estão cobertas pelas provisões para créditosde liquidação duvidosa no valor de R$ 169,5 milhões, proporcionando um índice de cobertura de129%.O volume de captações elevou-se em 8,6% no trimestre, atingindo R$ 2,4 bilhões em setembro,com ligeira melhora nos custos, apesar da deterioração do cenário macro-econômico, em função do 3/20
  4. 4. ajuste no mix de captações e da ampliação da base de investidores, privilegiando modalidades commenor custo como LCAs e CDBs em detrimento de DPGEs, por exemplo. Tal elevação acompanha ocrescimento da carteira de crédito, mantendo uma liquidez adequada ao atual cenáriomacroeconômico, com um caixa livre de R$ 914,1 milhões. Desta forma, podemos utilizar o espaçode alavancagem proporcionado por nosso Índice de Basileia de 21,1%, com novos créditos demelhor qualidade, sem grandes pressões de captação imediata.Importante ressaltar a constante preocupação da gestão com a estrutura de custos do Banco: Asdespesas operacionais líquidas, mesmo com as novas contratações e a reestruturação de nossasatividades, permanecem praticamente no mesmo patamar dos trimestres anteriores, com ocrescimento das receitas de prestações de serviços e outras receitas operacionais, especialmentevindas das atividades da Serglobal Cereais. A combinação do equilíbrio nas despesas operacionaislíquidas e do melhor resultado de intermediação produziu uma ligeira melhora em nossa eficiência.Apesar destas conquistas, estamos no começo de um processo de transformação e há ainda umbom caminho a percorrer para atingirmos os objetivos determinados pelo atual time de gestão. Acarteira gerada no decorrer do terceiro trimestre irá revelar seu impacto ainda nos próximostrimestres, tanto em termos de receita de juros, como em melhor qualidade de crédito resultandoem menor necessidade de provisionamento. Novas operações estruturadas e a ampliação da gamade serviços, com a consequente geração de fees, também ainda não impactaram de formasignificativa a nossa receita, posto que necessitam de um prazo de maturação um pouco mais longo.Nossos novos gerentes comerciais apenas começaram a desenvolver os novos clientes, o que requeralgum tempo até atingirem a eficiência desejada tanto em receita quanto em incremento no númerode clientes ativos.Nesse sentido, seguimos trabalhando em ritmo acelerado com o objetivo de melhorar nosso índicede eficiência, nossas margens e a rentabilidade que consideramos muito aquém de nosso potencial.Buscamos EXCELÊNCIA e INOVAÇÃO em todas as nossas áreas, em um processo contínuo demelhoria. Nosso objetivo, a médio e longo prazos, consiste em transformarmos o BI&P emuma referência do setor em termos de crescimento e rentabilidade sustentáveis, comclaras vantagens competitivas e “franquias” nos nossos mercados alvo. Resultado de Intermediação Margem Financeira Líquida Financeira antes de PDD Ajustada (NIMa) 45,0 37,4 6,3% R$ Milhões 5,2% 2T11 3T11 2T11 3T11 Índice de Eficiência Recorrente Lucro Líquido 75,8% 71,2% R$ Milhões 5,1 7,3 2T11 3T11 2T11 3T11 4/20
  5. 5. Principais IndicadoresAs informações financeiras e operacionais a seguir são apresentadas com base em números consolidados, em BRGAAP, emmilhões de reais, exceto quando evidenciado em outra unidade.Resultados 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 9M11 9M10 9M11/9M10Resultado Int. Financeira antes PDD 45,0 37,4 20,4% 49,0 -8,1% 121,3 142,6 -15,0% 1Despesas de PDD (13,8) (1,5) 801,2% (11,4) 21,0% (117,0) (35,5) 229,5%Resultado Intermediação Financeira 31,3 35,9 -12,8% 37,6 -17,0% 4,3 107,1 -96,0%Despesas Operacionais Líquidas (26,8) (25,9) 3,4% (25,1) 6,7% (77,4) (71,2) 8,7%Resultado Operacional Recorrente 4,5 10,0 -55,0% 12,6 -64,2% (77,0) 35,5 -317,0%Despesas Operacionais não Recorrentes - (1,2) n.m. - n.m. (3,9) (0,4) n.m.Resultado Operacional 4,5 8,8 -48,9% 12,6 -64,2% (77,0) 35,5 -317,0%Lucro (Prejuízo) Líquido 7,3 5,1 45,3% 7,5 -2,2% (42,1) 23,1 -282,0%Dados de Balanço 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10Carteira de Crédito 2.095,0 2.003,2 4,6% 1.707,3 22,7% Carteira de Crédito Expandida 2 2.248,2 2.108,7 6,6% 1.769,1 27,1%Disponibilidades e Apl. Fin. de Liquidez 407,5 566,4 -28,1% 54,0 654,0%Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos 1.755,4 1.764,3 -0,5% 1.404,5 25,0% TVM excl. Títulos Agrícolas e NPs3 1.705,1 1.727,3 -1,3% 1.404,5 21,4%Ativos Totais 4.458,7 4.432,8 0,6% 3.230,2 38,0%Depósitos Totais 1.734,3 1.661,2 4,4% 1.471,2 17,9%Captações no Mercado Aberto 1.204,0 1.361,3 -11,6% 739,0 62,9%Empréstimos no Exterior 491,2 414,4 18,5% 323,5 51,9%Repasses Locais 194,8 154,0 26,5% 108,0 80,4%Patrimônio Líquido 577,5 566,5 1,9% 432,4 33,6%Desempenho 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 9M11 9M10 9M11/9M10Caixa Livre 914,1 923,3 -1,0% 679,7 34,5%NPL 60 dias/ Carteira de Crédito 6,3% 6,8% -0,5 p.p. 3,7% 2,6 p.p.NPL 90 dias/ Carteira de Crédito 4,1% 6,3% -2,2 p.p. 2,5% 1,5 p.p. 4Índice da Basiléia 21,1% 21,6% -0,5 p.p. 19,9% 1,2 p.p.Retorno Patrimônio Líquido Médio 5,2% 3,6% 1,6 p.p. 7,2% -1,9 p.p. -11,0% 7,2% -18,2 p.p.Margem Financeira Líquida (NIM) 4,6% 3,7% 0,9 p.p. 6,8% -2,2 p.p. 4,2% 6,8% -2,6 p.p.Margem Fin. Líq. Ajustada (NIMa) 6,3% 5,1% 1,2 p.p. 8,2% -1,9 p.p. 5,7% 8,4% -2,7 p.p. 5Índice de Eficiência 71,2% 78,5% -7,4 p.p. 60,0% 11,2 p.p. 78,6% 57,7% 20,9 p.p.Índice de Eficiência Recorrente 71,2% 75,8% -4,6 p.p. 60,0% 11,2 p.p. 73,0% 58,2% 14,7 p.p.Outras Informações 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10Clientes Ativos - Pessoa Jurídica 863 881 -2,0% 703 22,8%Número de Funcionários 385 376 2,4% 354 8,8%Detalhes nas respectivas seções deste relatório1 inclui provisões complementares2 inclui fianças, avais, L/Cs, NPs e títulos agrícolas3 exclui Títulos Agrícolas e NPs4 capitalização em março 20115 inclui despesas não-recorrentesO BI&P - Banco Indusval & Partners é um banco comercial listado no nível 1 de governança corporativa daBM&FBOVESPA, com 44 anos de experiência no mercado financeiro, que concentra seus negócios em produtos decrédito, em moeda nacional e estrangeira, para o segmento de empresas. O Banco conta com 11 agênciasestrategicamente localizadas nas regiões de maior representatividade na economia brasileira, incluindo uma agênciano exterior, além da Corretora de Valores, que atua na intermediação de operações na Bolsa de Valores, Mercadoriase Futuros (BM&FBOVESPA) e da Serglobal Cereais, adquirida em abril de 2011, geradora de títulos agrícolas. 5/20
  6. 6. Desempenho OperacionalRentabilidadeIntermediação Financeira 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 9M11 9M10 9M11/9M10Receitas Intermediação Financeira 212,6 126,5 68,1% 112,3 89,3% 455,8 338,3 34,8%Operações de Crédito 76,4 62,1 23,0% 72,0 6,1% 202,8 198,8 2,0% Empréstimos e Títulos Descontados 66,1 57,5 15,1% 63,1 4,8% 183,9 175,0 5,1% Financiamentos 8,9 3,4 164,6% 7,9 13,3% 15,9 18,7 -15,2% Outros 1,3 1,2 8,4% 1,1 27,8% 3,0 5,0 -40,1%Títulos e Valores Mobiliários 95,8 64,6 48,3% 45,1 112,4% 200,5 88,7 126,1%Instrumentos Fin. Derivativos (28,8) (7,8) 268,5% (11,3) 154,6% (31,9) (2,1) 1415,0%Operações de Câmbio 69,2 7,6 804,9% 6,6 956,3% 84,5 53,0 59,6%Despesas Intermediação Financeira 181,4 90,7 100,1% 74,7 142,8% 451,5 231,2 95,3%Captação no Mercado 88,0 85,0 3,5% 55,2 59,3% 244,9 140,0 75,0% Depósitos a Prazo 51,1 51,5 -0,8% 37,9 34,9% 148,9 101,6 46,7% Operações Compromissadas 34,4 30,4 13,2% 15,8 117,3% 87,1 34,7 150,8% Depósitos Interfinanceiros 2,5 3,1 -20,5% 1,5 61,4% 8,9 3,7 140,6%Empréstimos, Cessão e Repasses 79,7 4,2 n.m. 8,1 n.m. 89,7 55,7 61,0% Empréstimos no Exterior 76,9 2,2 n.m. 1,6 n.m. 82,7 44,7 85,1% Empréstimos e Repasses no país 2,8 2,0 38,8% 6,5 -57,5% 7,0 11,1 -36,7%Provisão Créditos Liquidação Duvidosa 13,8 1,5 801,2% 11,4 21,0% 117,0 35,5 229,5%Resultado Intermediação Financeira 31,3 35,9 12,8% 37,6 -17,0% 4,3 107,1 -96,0%O Resultado de Intermediação, detalhado nas notas explicativas 15.a e 15.b às demonstraçõesfinanceiras trimestrais, antes das despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa, somouR$ 45,0 milhões no trimestre com crescimento de 21% em relação aos R$ 37,4 milhões do 2T11.Esse resultado já reflete os primeiros efeitos da nova estratégia de negócios. Após a absorção dedespesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa de R$ 13,8 milhões no trimestre, oresultado apresentado no trimestre foi de R$ 31,3 milhões.Durante o trimestre, os montantes das receitas e das despesas de intermediação financeira refletemainda as significativas variações no câmbio e na curva de juros. A depreciação do Real ante o dólaramericano foi de 18,78% no 3T11, aumentando as receitas e despesas contabilizadas em Realrelacionadas a ativos e passivos em moeda estrangeira. No mesmo período, apesar da taxa básicade juros ter iniciado o trimestre a 12,25%, encerrando-o a 12,00%, a reação do mercado aos sinaisemitidos pelo BACEN e a decisão do COPOM de reduzi-la em 0,5 p.p. na reunião de 31.08.2011, fezcom que a curva de juros para um ano sofresse uma queda de 12,65% ao final de junho para10,38% no encerramento de setembro. Além dos efeitos desses movimentos sobre as receitas deTítulos e Valores Mobiliários e de Operações de Câmbio e sobre as Despesas de Empréstimos noexterior, tais variações tem contrapartida nos resultados de instrumentos financeiros derivativos.O resultado de instrumentos financeiros derivativos engloba os resultados de operações de swap,termo, futuros e opções utilizadas para hedge de exposição cambial e de taxas de juros paraempréstimos no exterior, não relacionados à carteira de Trade Finance; hedge de preços de caféderivados das operações de CPR e de indexadores de Títulos Públicos Federais mantidos na carteirade Títulos e Valores Mobiliários; e, os resultados da carteira direcional da tesouraria.Portanto, o resultado de instrumentos financeiros derivativos abarca a contrapartida do aumento dereceitas com TVM, especialmente com despesas de futuros de DI e hedge de café; a contrapartidado aumento de despesas de empréstimos no exterior (non-trade) com receitas de hedge de câmbio;e, os resultados da carteira direcional da tesouraria. 6/20
  7. 7. Nossa tesouraria tem assumido posições com um limite de exposição máximo conservador (VaR) de0,7% do Patrimônio de Referência ajustado e utiliza estratégias em bolsa, juros e moedas. Notrimestre, a carteira direcional produziu um resultado positivo, com VaR de 0,2% em 30.09.2011,devido à bem sucedida estratégia em moeda e juros, compensando despesas na estratégia de bolsa.Nos nove meses encerrados em 30 de setembro de 2011, o resultado de intermediação financeiraacumulado, antes das despesas de provisão para devedores duvidosos no montante de R$ 117,0milhões, foi de R$ 121,3 milhões. As despesas de PDD acumuladas derivam especialmente dasprovisões antecipadas no primeiro semestre com despesas de R$ 103 milhões naquele período.Portanto, até setembro, o resultado de intermediação financeira após despesas de provisão paradevedores duvidosos foi de R$ 4,3 milhões.Margem Financeira LíquidaMargem Financeira Líquida 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 9M11 9M10 9M11/9M10A. Resultado Int. Financeira antes PDD 45,0 37,4 20,4% 49,0 -8,1% 121,3 142,6 -15,0%B. Ativos Remuneráveis Médios 3.971,7 4.084,3 -2,8% 2.966,4 33,9% 3.879,7 2.813,6 37,9% 1 Ajuste Ativos Médios sem Remuneração (1.058,9) (1.161,4) -8,8% (580,8) 82,3% (1.044,7) (518,4) 101,5%B.a Ativos Remuneráveis Médios Ajustados 2.912,8 2.923,0 -0,3% 2.385,6 22,1% 2.835,0 2.295,2 23,5%Margem Financeira Líquida (NIM) (A/B) 4,6% 3,7% 0,9 p.p. 6,8% -2,2 p.p. 4,2% 10,4% -6,2 p.p.Margem Fin. Líq. Ajustada (NIMa) (A/Ba) 6,3% 5,2% 1,1 p.p. 8,5% -2,1 p.p. 5,7% 8,4% -2,7 p.p.1 Operações compromissadas com volume, prazos e taxas equivalentes no ativo e passivoA margem financeira líquida ajustada (NIMa) elevou-se em 1,1 ponto percentual em relação aotrimestre anterior, sinalizando que a estratégia implementada naquele trimestre, começa a produzirefeitos positivos sobre o resultado da intermediação financeira, mesmo mantendo uma políticaconservadora de liquidez e um nível de inadimplência ainda a ser reduzido nos próximos trimestres.EficiênciaÍndice de Eficiência 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 9M11 9M10 9M11/9M10 Despesas de Pessoal 17,8 15,7 12,9% 14,0 26,6% 47,4 40,8 16,3% Contribuições e Participações 1,7 1,0 67,0% 2,6 -34,5% 4,9 7,0 -30,3% Despesas Administrativas 12,7 11,7 8,8% 9,9 28,6% 35,2 27,7 27,0% Despesas Tributárias 3,6 2,9 24,4% 5,3 -31,5% 10,1 11,1 -8,7% Outras Despesas Operacionais 4,1 1,9 120,3% 0,1 3890,3% 6,9 3,2 114,9%A1- Desp.Operacionais Recorrentes 39,9 33,2 20,2% 31,9 25,0% 104,5 89,8 16,4% 1 Despesas de Pessoal - 0,7 n.m. - n.m. 2,9 - n.m. 2 Despesas Administrativas - 0,5 n.m. - n.m. 1,0 0,4 136,5%A2- Desp. Op. Não Recorrentes - 1,2 n.m. - n.m. 3,9 0,4 820,4%A- Total Despesas Operacionais 39,9 34,4 16,0% 31,9 25,0% 108,4 90,2 20,2% Resultado Interm. Financeira (ex PDD) 45,0 37,4 20,4% 49,0 -8,1% 121,3 142,6 -15,0% Receita de Prestação de Serviços 5,5 4,1 32,9% 3,2 68,8% 13,0 8,7 49,6% Rendas e Tarifas Bancárias 0,2 0,2 -17,9% 0,3 -27,6% 0,7 0,7 -6,0% Outras Receitas Operacionais 5,4 2,1 162,4% 0,7 657,6% 8,3 2,2 282,9%B- Total Receitas Operacionais 56,1 43,8 28,0% 53,2 5,3% 143,2 154,2 -7,1%Índice de Eficiência Recorrente (A1/B) 71,2% 75,8% -4,6 p.p. 60,0% 11,2 p.p. 73,0% 58,2% 14,7 p.p.Índice de Eficiência (A/B) 71,2% 78,5% -7,4 p.p. 60,0% 11,2 p.p. 75,7% 58,5% 17,2 p.p.1 encargos e indenizações de funcionários desligados, eventos e contratações2 desp. consultoria estratégica, advogados e auditoriasAs despesas operacionais líquidas, mesmo com as novas contratações e a reestruturação de nossasatividades, permanecem no mesmo patamar dos trimestres anteriores. Contribuíram para essa 7/20
  8. 8. manutenção (i) o incremento das receitas de prestações de serviços, especialmente relacionadas àcorretagem de operações em bolsas; e, (ii) as outras receitas operacionais, especialmenterelacionadas às vendas de produtos agrícolas pela Serglobal Cereais. O equilíbrio das despesasoperacionais líquidas, combinado ao melhor resultado de intermediação, produziu uma melhora de7,4 pontos percentuais em nossa eficiência (4,6% quando ajustado por eventos não recorrentes). Oprocesso de desenvolvimento da nova estrutura de negócios prevê uma melhora gradual do índicede eficiência retornando a patamares compatíveis com nossa atividade.Lucro LíquidoContribuíram para a formação do lucro líquido de R$ 7,3 milhões no trimestre, além da melhora naeficiência, o resultado não operacional líquido de impostos de R$ 0,9 milhão, derivado da venda deimóveis e bens não de uso; e as movimentações no ativo fiscal diferido derivadas basicamente dasadições temporárias às provisões constituídas.O conjunto das operações do BI&P nos nove meses do exercício apresenta um resultado líquidonegativo de R$ 42,1 milhões, compensando grande parte das despesas de provisão para créditos deliquidação duvidosa de R$ 116,9 milhões acumuladas no período. 8/20
  9. 9. Carteira de CréditoCarteira de Crédito ExpandidaA Carteira de Crédito Expandida totalizou R$ 2,25 bilhões em 30.09.2011 com elevação de 6,6% emrelação ao trimestre anterior e 27% em relação a setembro de 2010. Essa carteira, além dasoperações de crédito e financiamento desembolsadas em Reais e das operações de Trade Finance,compreende: (i) os avais, fianças e cartas de crédito emitidas, (ii) os títulos agrícolas gerados pelaabsorção das atividades da Serglobal Cereais; e, (iii) as notas promissórias emitidas por clientes,produto este implementado no 3T11. Carteira de Crédito por Produto 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 Operações de crédito 1.717,3 1.622,9 5,8% 1.401,4 22,5% Empréstimos e Títulos Descontados 1.399,1 1.326,2 5,5% 1.227,6 14,0% Operações de Aquisição de Recebíveis 58,7 84,1 -30,2% - n.m. BNDES/Finame 181,4 142,9 27,0% 91,1 99,1% CDC Veículos 2,5 3,6 -30,5% 7,8 -67,7% Financiamentos em Moeda Estrangeira 71,8 53,8 33,3% 42,1 70,6% Outros Financiamentos 0,4 7,3 -94,5% 17,3 -97,7% Cessões de Crédito com Coobrigação 3,4 4,9 -31,4% 15,5 -78,2% Adiantamento de Contratos de Câmbio 361,4 371,5 -2,7% 297,7 21,4% Outros Créditos 16,4 8,8 85,6% 8,2 99,7% CARTEIRA DE CRÉDITO 2.095,0 2.003,2 4,6% 1.707,3 22,7% Garantias Emitidas (Avais, Fianças e L/Cs) 102,8 68,5 50,1% 61,8 66,5% Créditos Classificados em TVM 50,3 37,0 36,2% - n.m. Notas Promissórias 10,0 - n.m. - n.m. Títulos Agrícolas (CPRs) 40,3 37,0 9,1% - n.m. CARTEIRA CRÉDITO EXPANDIDA 2.248,2 2.108,7 6,6% 1.769,1 27,1%Os títulos agrícolas (CPRs) e notas promissórias (NPs) emitidas por clientes, apesar derepresentarem exposição de crédito, estão classificados no balanço patrimonial, de acordo com aregulamentação do Banco Central do Brasil, na rubrica Títulos e Valores Mobiliários, em razão desuas características de negociabilidade.As garantias emitidas -fianças, avais e cartas de crédito de importação- somaram R$ 102,8 milhõese representam 4,5% da carteira expandida e os títulos agrícolas e notas promissórias classificados“para negociação” em TVM, representaram 2,2%.As operações de crédito respondem por 76% da carteira expandida dos quais 62% em operações deempréstimos e desconto de títulos. Adicionalmente, compõem esse grupo os repasses doBNDES/FINAME com elevação de 27% e 99%, respectivamente nos períodos de comparação; asoperações de aquisição de recebíveis de clientes, agora destacadas das operações de empréstimo edescontos; as operações de financiamento em moeda estrangeira unicamente destinadas aofinanciamento de importação; o saldo remanescente da carteira de CDC Veículos e a parceladestacada das operações de CDC veículos cedidas para outras instituições financeiras comcoobrigação do Banco.Os adiantamentos aos contratos de câmbio para financiamento à exportação são outra modalidaderelevante respondendo por 16% da carteira expandida. 9/20
  10. 10. Carteira de CréditoA carteira de crédito “clássica”, ou seja, sem considerar os off-balance sheet items e os créditosclassificados em TVM na categoria “para negociação”, totalizou R$ 2,1 milhões com crescimento de4,6% no trimestre. Desse montante, 79% das operações foram realizadas em Reais. Os demais21% foram operações em moeda estrangeira para o financiamento ao comércio exterior – tradefinance (financiamento à importação, classificadas como financiamentos em moeda estrangeira narubrica Operações de Crédito e financiamentos à exportação classificados como Adiantamento aContratos de Câmbio). Carteira de Crédito por Moeda 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 Carteira em Reais 1.661,9 1.577,9 5,3% 1.367,5 21,5% Carteira em Moeda Estrangeira 433,1 425,4 1,8% 339,8 27,5% TOTAL 2.095,0 2.003,2 4,6% 1.707,3 22,7%A carteira de Trade Finance (ACC/ACE/FINIMP/PPE) totalizou US$ 255,7 milhões (US$ 272,6 milhõesquando computadas as cartas de crédito de importação) com ligeira redução de 3% no trimestre, ecrescimento de 39% na comparação com setembro de 2010. Apesar de nossas linhas com bancoscorrespondentes estarem mantidas, as linhas externas apresentaram uma significativa elevação decustos e contração de liquidez com o agravamento da crise na zona do Euro.Conforme demonstrado a seguir, o segmento de empresas de médio porte - Middle Market(faturamento anual entre R$ 40 milhões e R$ 400 milhões) representa 76% da Carteira de Crédito epraticamente manteve o mesmo saldo de junho. O segmento Corporate (faturamento anual superiora R$ 400 milhões) elevou sua participação para 21%, ante 16% no trimestre anterior, comcrescimento de 35% no trimestre, revelando o alinhamento da estratégia. Carteira de Crédito por Segmento 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 Empresas Médias - Middle Market 1.592,8 1.604,4 -0,7% 1.524,2 4,5% Em Reais 1.317,2 1.278,4 3,0% 1.240,8 6,2% Empréstimos e Títulos Descontados 1.161,5 1.144,0 1,5% 1.150,6 1,0% Aquisição de Recebíveis de Clientes 8,5 - n.m. - n.m. Financiamentos 0,4 0,5 -12,2% 1,4 -70,6% BNDES / FINAME 146,8 134,0 9,5% 88,9 65,2% Em Moeda Estrangeira 275,7 326,0 -15,4% 283,4 -2,7% Grandes Empresas - Corporate 436,2 322,2 35,4% 110,0 n.m. Em Reais 278,7 222,9 25,0% 53,6 n.m. Empréstimos e Títulos Descontados 193,8 129,9 49,2% 51,4 n.m. Aquisição de Recebíveis de Clientes 50,3 84,1 -40,2% - n.m. BNDES / FINAME 34,6 8,9 290,6% 2,2 n.m. Em Moeda Estrangeira 157,5 99,4 58,5% 56,4 n.m. Outros 66,0 76,6 -13,8% 73,1 -9,7% CDC Veículos 5,9 8,5 -31,0% 18,9 -68,9% Empréstimos e Financiamentos Adquiridos 43,7 59,2 -26,2% 46,0 -4,8% Financiamento de Bens Não de Uso 16,4 8,8 85,6% 8,2 99,7% CARTEIRA DE CRÉDITO 2.095,0 2.003,2 4,6% 1.707,3 22,7% 10/20
  11. 11. Detalhamento da Carteira de CréditoEste detalhamento não considera as garantias emitidas e créditos classificados como títulos e valores mobiliários“para negociação” que compõem a carteira de crédito expandida, compreende apenas as operações de créditodesembolsadas em Reais e as operações de Trade Finance, totalizando R$ 2,1 bilhões: Por Atividade Econômica Por Segmento Comércio Outros 12% Intermediário s 3% financeiro s 3% Outros Corporate Serviços 21% 23% Middle Indústria Market 56% Pessoas 76% Físicas 6% Por Produto Por Concentração em Clientes Trade Finance Demais 10 maiores 21% 22% 19% BNDES / Empréstimos FINAME e Títulos 9% Descontados Aquisição 66% Recebíveis 3% 61 - 160 11 - 60 Outros 27% 32% 1% Por Vencimento Por Garantia TVM 91 a 180 181 a 360 2% Aval NP 22% 15% Veículos 30% 3% Imóveis 8% Penhor Alienação +360 6% Até 90 dias Penhor Recebíveis dias 30% Monitorado 44% 33% 7% Setor Econômico % Agropecuário 17,8% Alimentos e bebidas 15,8% Construção 14,3% Automotivo 5,0% Instituições financeiras 4,9% Transporte e logística 3,9% Têxtil, confecção e couro 3,7% Química e farmacêutica 3,5% Geração e Distribuição de Energia 3,3% Educação 3,2% Derivados petróleo e biocombustíveis 2,9% Metalurgia 2,8% Papel e celulose 2,6% Serviços financeiros 2,0% Pessoa física 1,9% Publicidade e Editoração 1,8% Comércio - atacado e varejo 1,5% Outros setores(*) 9,3% TOTAL 100,0% (*) Outros Setores: Participação individual inferior a 1,5% 11/20
  12. 12. Qualidade da Carteira de Crédito Classificação de Risco AA A B C D E F G H Prov / Comp. TOTAL Cred % % Provisão Requerida 0% 0,5% 1% 3% 10% 30% 50% 70% 100% Saldo da Carteira Crédito 72,8 692,2 622,0 434,2 78,3 74,7 20,2 7,5 93,0 - 2.095,03T11 8,1% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 3,5 6,2 13,0 7,8 22,4 10,1 5,2 93,0 8,2 169,5 Saldo da Carteira Crédito 84,1 630,5 564,5 442,3 78,3 87,7 23,6 4,5 87,8 - 2.003,22T11 9,8% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 3,2 5,6 13,3 7,8 26,3 11,8 3,2 87,8 37,7 196,6 Saldo da Carteira Crédito 0,0 584,9 460,6 408,5 116,3 75,9 20,1 5,0 36,0 - 1.707,33T10 6,6% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 2,9 4,6 12,3 11,6 22,8 10,0 3,5 36,0 8,5 112,2O saldo equivalente a 87% do total de operações na carteira de crédito em 30.09.2011 estavaclassificado nas faixas de risco de AA a C. As operações classificadas entre D e H, no montante deR$ 273,7 milhões, 13% dessa carteira, compreendem os créditos renegociados com clientes nomontante de R$ 248,1 milhões, com classificação mantida entre D-H mesmo que em curso normal.Este é o caso de R$ 141,9 milhões, equivalentes a 52% das operações classificadas nessa faixa derisco, que estão em curso normal de pagamentos. Os demais 48%, estão abaixo detalhadoscompondo as operações inadimplentes.Inadimplência por > 60 dias > 90 dias 3T11 2T11segmento 3T11 2T11 3T11 2T11 Carteira Crédito NPL %T NPL %T NPL %T NPL %TMiddle Market 1.592,8 1.604,4 130,0 8,2% 134,1 8,4% 83,5 5,2% 123,7 7,7%Corporate 436,2 322,2 - - - - - - - -Outros 66,0 76,6 1,8 2,8% 2,9 3,7% 1,5 2,3% 2,5 3,2%TOTAL 2.095,0 2.003,2 131,9 6,3% 137,0 6,8% 85,0 4,1% 126,2 6,3%Prov. Dev.Duvidosos (PDD) 169,5 196,6PDD/ NPL - 128,6% 143,5% 199,32% 155,8%PDD/ Carteira de Crédito 8,1% 9,8% - - - -Observa-se na tabela acima que o índice de inadimplência para créditos com atrasos superiores há60 dias apresentou uma redução de 0,5 pontos percentuais em relação a junho, ficando em 6,3%especialmente influenciado pelas operações realizadas em anos anteriores com clientes do middlemarket. A redução mais significativa ocorreu nos atrasos superiores há 90 dias, que passaram de6,3% para 4,1%, uma queda de 2,2 pontos percentuais no trimestre.As provisões para devedores duvidosos no montante de R$ 169,5 milhões proporcionam umacobertura de 8,1% à carteira de crédito e 129% sobre os créditos vencidos há +60 dias, chegandopraticamente a 2 vezes o volume de créditos vencidos há +90 dias. 12/20
  13. 13. CaptaçãoElevação de 8,6% no saldo de captação elevado a R$ 2,4 bilhões ao final setembro. Apesar dadeterioração do cenário, nosso custo de captação não sofreu impactos tanto pela alteração do mixde produtos de captação com menores custos para o Banco quanto pela menor pressão porcaptações, devido à liquidez mantida já há alguns trimestres. Houve ainda uma evolução no volumede recursos do BNDES para repasses de 26,5% no trimestre.A elevação nos saldos em empréstimos no exterior está relacionada ao comportamento cambial,uma vez que as obrigações relevantes em moeda estrangeira estão combinadas com a carteira deTrade Finance e derivam de linhas com bancos correspondentes. As linhas estão mantidas,entretanto, os recursos disponibilizados por esses bancos apresentaram uma elevação de custos,com o agravamento da crise na zona do Euro.Os recursos captados em Reais respondem por 80% do total de captações, sendo que os Depósitosem Reais representam 72%, conforme abaixo detalhado: Total de Captação 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 Depósitos Totais 1.734,3 1.661,2 4,4% 1.471,2 17,9% Depósitos a Prazo (CDBs) 689,2 665,4 3,6% 753,1 -8,5% Dep. Prazo Garantia Especial (DPGE) 739,0 717,1 3,1% 543,1 36,1% Letras Crédito Agronegócio e Financeiras 170,8 136,6 25,0% 69,6 145,3% Depósitos Interfinanceiros 75,6 77,6 -2,5% 67,7 11,6% Depósitos à Vista e outros 59,7 64,5 -7,5% 37,7 58,4% Repasses no país 194,8 154,0 26,5% 108,0 80,4% Empréstimos no exterior 491,2 414,4 18,5% 323,5 51,9% Linhas de Trade Finance 426,2 357,4 19,3% 286,0 49,0% Outros 65,0 57,0 14,0% 37,5 73,4% TOTAL 2.420,4 2.229,6 8,6% 1.902,7 27,2%Cabe aqui o destaque para o crescimento das captações em LCAs, favorecido pela geração de títulosagrícolas com as atividades da Serglobal que servem de lastro para essas captações, contribuindopara a redução do custo total de funding.O prazo médio dos depósitos ficou em 847 dias da emissão com ligeira redução no prazo médio adecorrer (-50 dias) na comparação com junho último: Tipo de Depósito Prazo médio emissão Prazo médio a decorrer 1 CDB 605 350 Interfinanceiro 280 141 DPGE 1.273 805 Letras Crédito Agronegócio e Financeiras 149 84 Carteira de Depósitos 2 847 520 1 a partir de 30.09.2011 2 média ponderada por volume Depósitos Por Modalidade Por Tipo de Investidor Por Prazo Inst. 180 a Empresas CDB 22% Finan. 360 À Vista 40% 7% 14% CTVM / +360 3% DTVM 90 a 180 dias Interfina 2% 50% 10% nceiro P esso a 4% Física 15% LCA/ LF DPGE Inv. Instit. até 90 Outro s 10% 43% 50% dias à Vista 4% 23% 3% 13/20
  14. 14. Liquidez Caixa Livre 923 914Em 30.09.2011, os recursos em caixa eram deR$2.118,1 milhões que deduzidas as Captações de 680 R$ MilhõesMercado Aberto (R$ 1.204 milhões) compunham umCaixa Livre de R$ 914,1 milhões, equivalente a 53%dos depósitos. 3T10 2T11 3T11Adequação de CapitalO Acordo de Basileia prevê que os bancos mantenham um percentual mínimo de patrimônioponderado pelo risco incorrido em suas operações. Nesse sentido o Banco Central do Brasilregulamenta que os bancos instalados no país obedeçam ao percentual mínimo de 11% calculadoscom base nas regras do Acordo de Basiléia II, o que confere maior segurança ao sistema financeirobrasileiro frente às oscilações nas condições econômicas.As novas regras de adequação de capital em discussão, a serem implementadas, no âmbito do AcordoBasiléia III, deverão elevar o percentual mínimo de exigência para 13%, considerando as parcelas decapital de conservação e capital contracíclico.A tabela a seguir apresenta as posições do BI&P com relação às exigências de capital mínimo previstaspelas normas do Banco Central, evidenciando que, mesmo com a adoção dos parâmetros Basiléia III,permanecemos confortavelmente capitalizados: Índice de Basileia 3T11 2T11 3T11/2T11 3T10 3T11/3T10 Patrimônio referência 577,5 566,5 1,9% 432,4 33,6% PR Nivel I 567,7 566,4 0,2% 428,1 32,6% PR Nível II 9,8 0,2 n.m. 4,3 130,8% Deduções do PR (2,4) - n.m. - n.m. Patrimônio Exigido 299,2 288,0 3,9% 238,6 25,4% Risco de Crédito 269,5 261,6 3,0% 219,2 22,9% Risco de Mercado 20,4 11,3 81,0% 3,5 490,3% Risco Operacional 9,3 15,2 -38,8% 15,9 -41,8% Excesso sobre Patrimônio Exigido 275,9 278,5 -0,9% 193,8 42,4% Índice Basileia 21,1% 21,6% -0,5 p.p. 19,9% 1,2 p.p. 14/20
  15. 15. Classificação de Riscos – Ratings Dados Último Agência Classificação Observação Financeiros Relatório Analisados B+/Positivo/B Escala Global Standard & Poors 28.12.2010 30.09.2010 brBBB+/ Positivo/ brA-3 Escala Nacional Brasil Força Financeira: D- Estável Moodys Ba3/Estável/ Not Prime Escala Global 25.11.2010 30.09.2010 A2.br/ Estável/ BR-2 Escala Nacional Brasil FitchRatings BBB/ Estável/ F3 Escala Nacional Brasil 03.08.2011 31.03.2011 10,06 Índice Riskbank RiskBank 14.10.2011 30.06.2011 Ranking: 58 Baixo risco para curto prazoMercado de CapitaisTotal de açõesO capital social do Banco Indusval S.A. está distribuído em 63.105.693 ações das quais 36.945.649ações ordinárias (IDVL3) e 26.160.044 ações preferenciais (IDVL4), das quais 746.853 açõespreferenciais estão mantidas em tesouraria. Este total de ações reflete o aumento de capital deR$201,0 milhões realizado ao final de março deste exercício e homologado pelo Banco Central doBrasil em 08.09.2011, ensejando a conversão dos recibos de subscrição em ações em 13.09.2011.Programa de Recompra de AçõesEm 19 de outubro último o Conselho de Administração aprovou a instalação do 5º Programa deRecompra de Ações de Própria Emissão para até 1.720.734 ações preferenciais que permanecerá emvigor até 18 de outubro de 2012. A recompra de ações dentro desse programa é intermediada pelaIndusval S.A. CTVM.Ações em Livre Circulação Quantidade de Ações em 30.09.2011 Grupo de Classe Capital Social Administração Tesouraria Circulação Free Float Controle Ordinárias 36.945.649 20.743.333 277.317 0 15.924.999 43,10% Preferências 26.160.044 636.840 60.125 746.853 24.716.226 94,48% TOTAL 63.105.693 21.380.173 337.442 746.853 40.641.225 64,40%Planos de Opção de Compra de AçõesOs seguintes Planos de Opção de Compra de Ações foram aprovados para Diretores e empregadosde nível gerencial da Companhia, assim como pessoas naturais prestadoras de serviços àCompanhia ou à suas controladas: • Plano de Opção de Compra de Ações I aprovado em AGE de 26 de março de 2008. • Plano de Opção de Compra de Ações II aprovado em AGE de 29 de abril de 2011. • Plano de Opção de Compra de Ações III aprovado em AGE de 29 de abril de 2011. 15/20
  16. 16. Os Planos de Opção de Compra de Ações acima mencionados estão arquivados no sistema IPE daComissão de Valores Mobiliários (CVM) e disponíveis para consulta também através do website de RIda Companhia.Abaixo quadro demonstrativo das opções outorgadas pelo Banco Indusval S.A. até 30.09.2011: Quantidade Data da Plano de Prazo de Preço de Não Carência Outorgada Exercida Extinta outorga Opções exercício exercício exercida 22.07.08 I Três anos Cinco anos R$ 10,07 161.896 - - 161.896 10.02.09 I Três anos Cinco anos R$ 5,06 229.067 25.600 10 203.457 22.02.10 I Três anos Cinco anos R$ 8,56 525.585 - 15.263 510.322 06.08.10 I Três anos Cinco anos R$ 7,72 261.960 - 2.524 259.436 09.02.11 I Três anos Cinco anos R$ 8,01 243.241 - - 243.241 Subtotal I - - - 1.421.749 25.600 17.797 1.378.352 01.07.2011 II Três anos Cinco anos R$ 4,60 2.334.925 - - 2.334.925 Subtotal II - - - 2.334.925 - - 2.334.925 TOTAL 3.756.674 25.600 17.797 3.713.277Até 30.09.2011, não houve outorga de opções sob o Plano de Opção de Compra de Ações III.Remuneração ao AcionistaEm 30.09.2011, foram pagos Juros sobre Capital Próprio no montante de R$ 7,8 milhões referentesao 3T11, em antecipação ao dividendo mínimo do exercício de 2011, correspondentes a R$ 0,12508por ação, considerando para esta distribuição o novo número de ações emitidas excluídas aquelasmantidas em tesouraria. O total de juros sobre capital próprio pago antecipadamente no exercícioaté 30.09.2011 foi de R$ 17,3 milhões, representando uma remuneração de R$ 0,36082 por ação,com dividend yield de 4,54%.Desempenho das AçõesAs ações preferenciais do BI&P (IDVL4) encerraram o 3T11 cotadas a R$ 7,10, totalizando um valorde mercado para a companhia de R$ 442,7 milhões, consideradas para o cálculo as ações existentesem 30.09.2011, deduzidas as ações mantidas em tesouraria. O preço das ações IDVL4 apresentouuma queda de 22,23% no 3T11 e 11,25% (5,58% ajustado a proventos) nos 12 meses encerradosem setembro. Nos mesmos períodos, o Ibovespa variou -16,15% e -24,64%, respectivamente. Noencerramento do trimestre, o índice preço/valor patrimonial da ação (P/VPA) era de 0,78. Evolução das ações nos últimos 12 meses 140 130 120 110 100 90 80 70 IBOVESPA IDVL4 60 16/20
  17. 17. Liquidez e Volume de NegociaçãoAs ações preferenciais do BI&P (IDVL4) estiveram presentes em 87,7% dos pregões no 3T11 e94,8% nos últimos 12 meses. O volume negociado no mercado à vista durante o trimestre foi deR$7,8 milhões com um movimento de 1,0 milhão de ações IDVL4 e 685 negócios. Em 12 meses, ovolume financeiro negociado no mercado à vista foi de R$ 90,8 milhões movimentando cerca de10,8 milhões de ações preferenciais em 3.762 negócios.Dispersão da Base Acionária Posição em 30.09.2011 NOME DO ACIONISTA IDVL3 % IDVL4 % TOTAL % GRUPO DE CONTROLE 20.743.333 56,1% 737.326 2,8% 21.480.659 34,0% ADMINISTRAÇÃO 277.317 0,8% 60.125 0,2% 337.442 0,5% TESOURARIA 0 0,0% 746.853 2,9% 746.853 1,2% INVESTIDOR INSTITUCIONAL NACIONAL 1.201.090 3,3% 7.804.029 29,8% 9.005.119 14,3% INVESTIDOR ESTRANGEIRO 4.891.304 13,2% 13.950.244 53,3% 18.841.548 29,9% PESSOA JURÍDICA 0 0,0% 191.110 0,7% 191.110 0,3% PESSOA FÍSICA 9.832.605 26,6% 2.670.357 10,2% 12.502.962 19,8% TOTAL 36.945.649 100% 26.160.044 100% 63.105.693 100% 17/20
  18. 18. BALANÇO PATRIMONIAL Consolidado R$ Milhares Ativo 30/09/2010 30/06/2011 30/09/2011 Circulante 2.683.574 3.748.509 3.732.172 Disponibilidades 9.518 38.482 66.958 Aplicações interfinanceiras de liquidez 44.526 527.902 340.520 Aplicações no mercado aberto 17.500 464.743 266.739 Aplicações em depósitos interfinanceiros 27.026 63.159 73.781 Títulos e valores mobiliários e inst. financeiros derivativos 1.399.765 1.756.439 1.739.124 Carteira própria 532.614 329.087 534.717 Vinculados a compromissos de recompra 726.223 975.515 982.243 Vinculados a prestação de garantia 105.751 205.552 193.645 Vinculados ao Banco Central 208.038 Instrumentos financeiros derivativos 35.177 38.247 28.519 Relações interfinanceiras 3.504 2.864 3.233 Operações de crédito 833.693 929.773 963.659 Operações de crédito - Setor privado 844.624 968.410 988.958 Operações de crédito - Setor público 13.660 - (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (24.591) (38.637) (25.299) Outros créditos 358.454 442.316 560.985 Carteira de câmbio 318.393 395.888 469.671 Rendas a receber 73 32 58 Negociação e intermediação de valores 41.014 54.569 30.258 Diversos 6.065 5.001 69.083 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (7.091) (13.174) (8.085) Outros valores e bens 34.114 50.733 57.693 Bens não de uso próprio 35.013 52.637 50.464 (-) Provisão para desvalorizações (1.908) (3.011) (2.931) Despesas antecipadas 1.009 1.107 986 Outros - - 9.174 Realizável a longo prazo 533.553 631.882 677.768 Títulos e valores mobiliários e inst. financeiros derivativos 4.697 7.827 16.307 Carteira própria 51 Vinculados a prestação de garantias 30 62 - Instrumentos financeiros derivativos 4.667 7.765 16.256 Relações Interfinanceiras 8.557 6.669 6.597 Operações de crédito 447.191 504.965 530.205 Operações de crédito - Setor privado 527.627 649.548 666.201 Operações de crédito - Setor público - (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (80.436) (144.583) (135.996) Outros créditos 72.007 111.350 123.123 Negociação e Intermediação de Valores 162 481 492 Diversos 71.910 111.053 122.755 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (65) (184) (124) Outros valores e bens 1.101 1.071 1.536 Permanente 13.042 52.409 48.782 Investimentos 1.686 26.201 24.440 Participação em Controladas e Coligadas - 24.515 22.754 Outros investimentos 1.686 1.842 1.842 (-) Provisão para Perdas - (156) (156) Imobilizado de uso 11.356 11.045 9.506 Imóveis de uso 2.192 2.192 1.210 Reavaliação de imóveis de uso 3.538 3.538 2.634 Outras imobilizações de uso 12.355 13.452 13.331 (-) Depreciações acumuladas (6.729) (8.137) (7.669) Intangível 15.163 14.836 Ágio na aquisição de Investimentos - 15.491 15.491 (-) Amortização acumulada - (328) (655) TOTAL DO ATIVO 3.230.169 4.432.800 4.458.722 18/20
  19. 19. Consolidado R$ MilharesPassivo 30/09/2010 30/06/2011 30/09/2011Circulante 2.073.562 2.838.089 2.830.039 Depósitos 775.912 658.502 703.357 Depósitos à vista 37.045 64.539 59.691 Depósitos interfinanceiros 67.722 71.395 71.295 Depósitos a prazo 670.508 522.568 572.371 Outros depósitos 637 - Captações no mercado aberto 738.999 1.361.341 1.203.985 Carteira própria 722.696 963.490 977.514 Carteira terceiros 16.303 110.383 Carteira livre movimentação 287.468 226.471 Recursos de Aceites e Emissão de Títulos 69.627 129.271 163.187 Letras de Crédito Agrícola e Letras Financeiras 69.627 129.271 163.187 Relações interfinanceiras 661 1.391 1.040 Recebimentos e pagamentos a liquidar 661 1.391 1.040 Relações interdependências 9.715 8.369 2.331 Recursos em trânsito de terceiros 9.715 8.369 2.331 Obrigações por empréstimos 305.021 368.123 445.332 Empréstimos no exterior 305.021 368.123 445.332 Obrigações por repasses no País 34.599 48.564 62.708 BNDES 10.737 19.123 30.144 FINAME 23.862 29.441 32.564 Outras obrigações 139.028 262.528 248.099 Cobrança e arrecadação de tributos e assemelhados 902 643 613 Carteira de câmbio 32.255 50.488 68.657 Fiscais e previdenciárias 3.226 7.812 8.240 Sociais e estatutárias 2.501 7.528 1.815 Negociação e intermediação de valores 56.587 150.505 128.599 Instrumentos financeiros derivativos 32.667 37.724 30.878 Diversas 7.890 7.828 9.297Exigível a longo prazo 723.485 1.027.567 1.050.722 Depósitos 625.666 866.043 860.159 Depósitos Interfinanceiros 6.159 4.299 Depósitos a prazo 625.666 859.884 855.860 Recursos de Aceite e Emissão de Títulos 7.362 7.619 Letras de Crédito Agrícola e Letras Financeiras 7.362 7.619 Obrigações por empréstimos 18.474 46.306 45.900 Empréstimos no exterior 18.474 46.306 45.900 Obrigações por repasses no País - Instituições Oficiais 73.369 105.410 132.088 Tesouro Nacional 15.032 12.081 11.337 BNDES 18.800 35.662 53.484 FINAME 36.712 56.247 64.506 Outras Instituições 2.825 1.420 2.761 Outras obrigações 5.976 2.446 4.956 Fiscais e previdenciárias 5.794 1.207 3.775 Instrumentos financeiros derivativos 58 Diversas 182 1.181 1.181Resultado Exercícios Futuros 719 605 460Patrimônio líquido 432.403 566.539 577.501 Capital 370.983 572.396 572.396 Reserva de Capital 1.893 3.039 4.285 Reserva de reavaliação 1.945 1.894 1.402 Reservas de lucros 56.150 55.812 55.812 (-) Ações em tesouraria (889) (5.958) (5.958) Ajuste de avaliação patrimonial 2.321 (1.727) 8.444 Lucros/ (Prejuízos) Acumulados (58.917) (58.880) TOTAL DO PASSIVO 3.230.169 4.432.800 4.458.722 19/20
  20. 20. DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOSConsolidado R$ Milhares 3T10 2T11 3T11 9M10 9M11Receitas da intermediação financeira 112.348 126.519 212.636 338.272 455.823 Operações de crédito 71.994 62.078 76.379 198.777 202.769 Resultado de títulos e valores mobiliários 45.106 64.603 95.827 88.653 200.463 Resultado com instrumentos financeiros derivativos (11.305) (7.811) (28.787) (2.108) (31.936) Resultado de Operações de câmbio 6.553 7.649 69.217 52.950 84.527Despesas da intermediação financeira 74.704 90.659 181.383 231.171 451.529 Operações de Captação no mercado 55.214 84.978 87.952 139.965 244.902 Operações de Empréstimos, Cessões e Repasses 8.107 4.152 79.652 55.709 89.670 Provisão para créditos de liquidação duvidosa 11.383 1.529 13.779 35.497 116.957Resultado bruto da intermediação financeira 37.644 35.860 31.253 107.101 4.294Outras receitas (despesas) operacionais (25.086) (27.080) (26.763) (71.619) (81.288) Receitas de prestação de serviços 3.236 4.109 5.461 8.713 13.036 Rendas de tarifas bancárias 272 240 197 717 674 Despesas de pessoal (14.023) (16.419) (17.759) (40.778) (50.317) Outras despesas administrativas (9.861) (12.151) (12.681) (28.141) (36.215) Despesas tributárias (5.317) (2.927) (3.641) (11.085) (10.117) Resultado de Participações em Coligadas (116) 391 275 Outras receitas operacionais 710 2.050 5.379 2.155 8.252 Outras despesas operacionais (103) (1.866) (4.110) (3.200) (6.876)Resultado operacional 12.558 8.780 4.490 35.482 (76.994)Resultado não operacional (9) (1.314) 1.430 (840) (367)Resultado antes da tributação sobre o lucro 12.549 7.466 5.920 34.642 (77.361)Imposto de renda e contribuição social (2.410) (1.381) 3.147 (4.542) 40.160 Imposto de renda 200 614 (1.586) 287 (1.433) Contribuição social 120 371 (954) 172 (860) Ativo fiscal diferido (2.730) (2.366) 5.687 (5.001) 42.453Contribuições e Participações (2.631) (1.032) (1.723) (6.984) (4.866)Lucro líquido do período 7.508 5.053 7.344 23.116 (42.067) 20/20

×