Relatório de Divulgação de Resultados 4T12
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Relatório de Divulgação de Resultados 4T12

on

  • 339 views

 

Statistics

Views

Total Views
339
Views on SlideShare
339
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Relatório de Divulgação de Resultados 4T12 Relatório de Divulgação de Resultados 4T12 Document Transcript

    • Resultados 4T12 25/02/2013 Crescimento de 2,6% da Carteira de Crédito Expandida no trimestre e 21,1% no ano Manutenção da qualidade de crédito: 99% dos novos créditos classificados AA a B Joint Venture com empresa do grupo Ceagro Agrícola Ltda e Aquisição da Voga Empreendimentos e Participações Ltda constituem importantes passos para a criação de diferenciais de mercado Destaques  Carteira de Crédito Expandida somou R$3,1 bilhões, com crescimento de 2,6% no trimestre e 21,1% na comparação anual.  Ao final de 2012 o segmento Corporate corresponde por 59,3% da Carteira de Crédito Expandida, resultado da tática de crescermos com ativos deIDVL4: R$7,85 por ação maior qualidade com prazos mais curtos. Ressaltamos que, com umCotação de fechamento: 25/02/2013 ambiente macroeconômico mais favorável em 2013, retomaremos o foco nas operações no Middle Market, procurando buscar o equilíbrioAções em circulação: 62.371.178 estratégico de 50% Corporate e 50% Middle Market.Valor Mercado: R$489,6 milhões  Os créditos classificados entre AA e B mantêm proporção elevada naPreço/Valor Patrimonial: 0,83 Carteira de Crédito Expandida, passando de 78,4% em setembro de 2012 para 79,1% em dezembro de 2012. Destacamos que 99,2% dos créditos Teleconferências / Webcasts desembolsados no trimestre estavam classificados entre os ratings AA e B. 26/02/2013  O percentual de operações vencidas há +60 dias foi de 1,5% ao final do 4T12, com significativa redução de 1,5 p.p. no trimestre e 3,5 p.p. no ano. Em Português O índice de cobertura foi de 3,7% em dezembro de 2012 (4,1% em 11h00 (Brasília) / 8h00 (US EST) setembro de 2012 e 6,3% em dezembro de 2011). Número: +55 11 4688-6361 Código: BI&P  As Receitas de Prestação de Serviços, que incluem fees de estruturação, cresceram 32,3% em 2012, totalizando R$26,4 milhões. Em Inglês 12h00 (Brasília) / 9h00 (US EST)  Lucro Líquido foi de R$3,6 milhões no trimestre (+15,8% em relação ao Conexões 3T12) e de R$14,2 milhões em 2012. Brasil: +55 11 4688-6361  Mantendo o foco em criar estruturas que gerem diferenciais EUA: +1 786 924-6977 competitivos, realizamos, em dezembro de 2012, uma parceria com a Código: BI&P Lifegrain Holding de Participações Ltda, empresa do grupo Ceagro Agrícola Ltda, através da criação da joint venture C&BI Agro Partners, com o intuito de fomentar a originação de títulos agrícolas. Em fevereiro de 2013, assinamos Promessa de Compra e Venda da Voga Empreendimentos e Website: www.bip.b.br/ri Participações Ltda, empresa de assessoria financeira e estratégica, em linha com a estratégia de incrementarmos nossa receita de fees e alavancarmos as operações de banco de investimento em nossa crescente base de clientes, principalmente fusões e aquisições e mercado de renda fixa. 1/18
    • SumárioComentários da Administração .................................................................................................................. 3Cenário Macroeconômico ........................................................................................................................... 4Principais Indicadores ................................................................................................................................. 5Desempenho Operacional .......................................................................................................................... 6Carteira de Crédito...................................................................................................................................... 9Captação ................................................................................................................................................... 12Caixa Livre ................................................................................................................................................. 13Adequação de Capital ............................................................................................................................... 13Classificação de Risco - Ratings ................................................................................................................ 13Mercado de Capitais ................................................................................................................................. 14Balanço Patrimonial .................................................................................................................................. 16Demonstração de Resultados .................................................................................................................. 18 2/18
    • Comentários da Administração2012 foi um ano desafiador para a economia brasileira, em que o crescimento do PIB foi inferior que 1%, muito abaixo doesperado. A expectativa, porém, é que em 2013 a economia brasileira ganhe tração com todos os impulsos dados pelogoverno, e esperamos crescimento em torno de 2,5-3%.Nossa Carteira de Crédito Expandida alcançou R$3,1 bilhões em 2012 e foi liderado por operações realizadas comempresas do segmento Corporate (com faturamento anual entre R$400 milhões e R$2 bilhões), pois, tendo em vista oambiente de incertezas da economia, mantivemos a tática de focar em ativos com melhor qualidade creditícia e prazosmais curtos, apesar dos menores spreads gerados por este segmento. Tal posicionamento resultou na alocação de 59,3%da carteira no segmento Corporate e 39,1% em Middle. Ressaltamos que, com um ambiente macroeconômico maisfavorável em 2013, retomaremos o foco nas operações com clientes do segmento Middle Market, procurando buscar oequilíbrio estratégico de 50% Corporate e 50% Middle Market.O principal reflexo da melhora da qualidade de nosso portfólio foi a queda nos índices de inadimplência: o índice deoperações com atraso superiores há 60 dias caiu 1,5 p.p. no trimestre e 3,5 p.p. em relação a 2011 (3,0% em setembro de2012 e 5,0% em dezembro de 2011).Alinhada ao incremento da carteira de crédito, nossa capacidade de captar recursos continua elevada. O volume total decaptação encerrou o exercício em R$3,0 bilhões com elevação de 2,1% quando comparado a setembro de 2012 e 18,4%quando comparado a dezembro de 2011.Tivemos muitas conquistas ao longo do ano, o que demonstra o compromisso com nossa Visão de longo prazo.Continuamos focados em gerar valor através da ampliação da nossa base de clientes, melhoria de processos e controlesinternos, bem como atração e formação de profissionais que são nosso ativo mais valioso. Citamos alguns destaques: Consolidação da equipe comercial após a renovação do time, solidificação da mesa de derivativos e incremento da receita de serviços de operações estruturadas. Migração para o segmento de listagem Nível 2 de Governança Corporativa; Reafirmação de nossa classificação de risco pelas agências de rating Standard & Poor’s e FitchRatings, mesmo em um cenário adverso para os bancos de pequeno e médio porte. Vale mencionar que a agência de classificação de risco Moody’s também reafirmou nossos ratings em fevereiro de 2013; Contratação da XP Investimentos Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários para exercer a função de agente formador de mercado para nossas ações preferenciais; Criação da joint venture C&BI Agro Partners, resultado da associação entre o BI&P com a Lifegrain Holding de Participações LTDA, empresa do grupo econômico Ceagro Agrícola Ltda. O resultado desta parceria estratégica viabilizará nossa maior participação no mercado agrícola brasileiro através do financiamento a produtores rurais; Aprovação em AGE da conversão da Companhia para Banco Múltiplo, habilitando-nos, após aprovação do Banco Central do Brasil, a operar carteira de investimentos. Dessa forma, poderemos expandir nossas atividades e atuar de forma ativa no mercado de capitais de renda fixa; e Em fevereiro de 2013, assinamos Promessa de Compra e Venda da totalidade do capital da Voga Empreendimentos e Participações Ltda, empresa de assessoria financeira e estratégica com larga experiência na área. Uma vez que a aquisição está sujeita à aprovação do BACEN, concomitantemente, foi assinado um acordo operacional para possibilitar os esforços de originação e execução conjunta a partir dessa data. Essa aquisição possibilitará ao BI&P aumentar seu foco na prestação de serviços de assessoria financeira e estratégica, tais como fusões e aquisições, reestruturações societárias, e operações de funding de longo prazo, bem como ampliar sua capacidade de originação, estruturação e distribuição de produtos de renda fixa, em linha com nossa estratégia de sermos um dos líderes do crescente mercado de títulos corporativos de renda fixa no Brasil.Em 2013 continuaremos o trabalho para solidificar as bases rumo ao alcance de nossa Visão: Ser um banco inovador, comexcelência em crédito corporativo com profundo conhecimento das atividades dos nossos clientes e setores em queatuam, bem como um dos líderes do crescente mercado de títulos corporativos de renda fixa no Brasil. 3/18
    • Cenário MacroeconômicoApesar de todos os incentivos fiscais oferecidos pelo governo, o crescimento econômico, infelizmente, voltou a desapontarno final de 2012. Com o PIB abaixo do esperado no terceiro trimestre e a fraca produção industrial no quarto trimestre ocrescimento econômico brasileiro caminha para níveis abaixo de 1% em 2012. A boa notícia é que os estoques na indústriaestão em queda para níveis próximos da média histórica depois de um longo período de alta. Além disso, a taxa dedesemprego continua em níveis historicamente baixos e os indicadores de inadimplência mostram certo arrefecimento namargem, apesar de ainda elevados. Esses fatores deverão contribuir para um crescimento econômico próximo do potencialem 2013. A dúvida, porém, permanece sobre os planos de investimentos privados em um ambiente ainda de incertezasinternacionais, o que pode inviabilizar uma retomada mais robusta do crescimento no próximo ano.No mercado de câmbio houve uma alta considerável da volatilidade e o Banco Central voltou a intervir nos derivativoscambiais com o intuito de minimizar o impacto de uma cotação mais elevada sobre o planejamento dos agenteseconômicos. O dólar chegou a atingir o patamar de R$2,14 no início de dezembro, mas cedeu para encerrar o trimestre emR$2,04, em uma clara demonstração por parte do governo de que não irá tolerar fortes elevações da cotação.Nos juros, o Comitê de Política Monetária do Banco Central deu seguimento ao seu processo de corte e reduziu a taxabásica de juros (Selic) para 7,25% em outubro, nível mais baixo desde a criação do plano Real, e indicou que manterá a taxanos níveis atuais por um longo período, apesar de uma resistência na queda da taxa de inflação medida tanto pelos dadoscorrentes quanto pelas projeções para 2013.O crédito no sistema financeiro nacional, atualmente em R$2,4 trilhões, cresceu 5,4% no último trimestre, segundo dadosdisponibilizados pelo Banco Central, acumulando uma elevação de 16,2% em 2012, abaixo do ritmo de 2011 de 19%. Arelação crédito/PIB continuou subindo, ultrapassando o nível de 53,4%. A inadimplência das famílias estabilizou-se emníveis elevados de 7,9%, mas as operações vencidas entre 15 a 90 dias apresentaram uma queda considerável para 5,9%após atingirem 6,9% no começo de 2012, indicando melhora para o índice oficial de inadimplência nos próximostrimestres. A inadimplência do crédito à pessoa jurídica continuou mostrando estabilidade ao redor de 4%. Dados Macroeconômicos 4T12 3T12 4T11 2012e 2013e Variação real do PIB (T/T anterior) 0,8% 0,6% 0,1% 0,9% 3,0% Inflação (IPCA - IBGE) - variação trimestral 1,77% 1,07% 1,43% 5,80% 5,97% Inflação (IPCA - IBGE) - variação anual 5,80% 5,28% 6,50% 5,80% 5,97% Variação cambial % (US$/R$) - trimestre 0,64% 0,46% 1,15% 8,94% 5,50% Selic 7,25% 7,50% 11,00% 7,25% 8,50% 4/18
    • Principais IndicadoresAs informações financeiras e operacionais a seguir são apresentadas com base em números consolidados, em BRGAAP, em milhões dereais, exceto quando evidenciado em outra unidade.Resultados 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 2012 2011 2012/2011Resultado Int. Financeira antes PDD 48,5 48,4 0,2% 49,3 -1,6% 207,4 170,6 21,6% 1Despesas de PDD (7,9) (11,9) -33,9% (1,1) 584,2% (56,7) (118,1) -52,0%Resultado Intermediação Financeira 40,7 36,5 11,4% 48,2 -15,6% 150,6 52,5 187,0%Despesas Operacionais Líquidas (33,8) (27,0) 25,1% (30,1) 12,6% (118,7) (107,4) 10,5%Resultado Operacional Recorrente 6,9 9,5 -27,8% 18,1 -62,2% 31,9 (55,0) 158,1%Despesas Operacionais não Recorrentes 0,0 0,0 n.m. (0,2) -100,0% (0,3) (4,1) -93,4%Resultado Operacional 6,9 9,5 -27,8% 17,9 -61,7% 31,7 (59,1) 153,6%Lucro (Prejuízo) Líquido 3,6 3,1 15,8% 10,3 -64,9% 14,2 (31,7) 144,8%Dados de Balanço 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Carteira de Crédito 2.624,3 2.548,4 3,0% 2.269,6 15,6% 2 Carteira de Crédito Expandida 3.067,9 2.990,9 2,6% 2.534,4 21,1% 3Disponibilidades e Aplicações Fin. Liquidez 447,8 955,1 -53,1% 351,3 27,5%Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos 731,3 613,1 19,3% 1.443,1 -49,3% 4 TVM e Deriv. (-) Tít. Agrícolas e Privados 445,9 338,1 31,9% 1.318,2 -66,2%Ativos Totais 4.022,0 4.337,1 -7,3% 4.278,3 -6,0%Depósitos Totais 2.274,6 2.194,5 3,7% 1.851,2 22,9% 3Captações no Mercado Aberto 241,9 597,2 -59,5% 867,9 -72,1%Empréstimos no Exterior 388,6 432,0 -10,0% 463,8 -16,2%Repasses Locais 335,5 309,3 8,5% 218,2 53,7%Patrimônio Líquido 587,2 587,6 -0,1% 577,1 1,7%Desempenho 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 2012 2011 2012/2011Caixa Livre 571,1 621,8 -8,2% 762,3 -25,1%NPL 60 dias / Carteira de Crédito 1,5% 3,0% -1,5 p.p. 5,0% -3,5 p.p.NPL 90 dias / Carteira de Crédito 1,2% 1,8% -0,6 p.p. 4,7% -3,5 p.p. 4Índice da Basileia 14,9% 15,8% -0,9 p.p. 18,2% -3,3 p.p.Retorno Patrimônio Líquido Médio 2,5% 2,2% 0,3 p.p. 7,3% -4,9 p.p. 2,4% -6,3% 8,8 p.p.Margem Fin. Líq. Ajustada (NIMa) 5,9% 6,1% -0,3 p.p. 6,7% -0,8 p.p. 6,4% 5,9% 0,4 p.p.Índice de Eficiência 78,4% 69,7% 8,7 p.p. 74,2% 4,2 p.p. 68,7% 74,4% -5,7 p.p.Outras Informações 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Clientes Ativos - Pessoa Jurídica 851 774 9,9% 734 15,9%Número de Funcionários 436 423 3,1% 421 3,6%Detalhes nas respectivas seções deste relatório.1 Inclui provisões complementares.2 Inclui Garantias emitidas (fianças, avais, L/Cs), Títulos de Crédito Privado (NPs e Debêntures) e Títulos Agrícolas (CDCAs, CDA/WAs e CPRs).3 Redução impactada pela diminuição da carteira de títulos vinculados a compromisso de recompra, melhor detalhado na seção Rentabilidade desterelatório.4 Exclui Títulos Agrícolas (CPRs e CDA/WAs) e Títulos de Crédito Privado (NPs e Debêntures) para negociação.O BI&P - Banco Indusval & Partners é um banco comercial listado no Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA,com 45 anos de experiência no mercado financeiro, que concentra seus negócios em produtos de crédito, em moedanacional e estrangeira, para o segmento de empresas. O Banco conta com 11 agências estrategicamente localizadas nasregiões de maior representatividade na economia brasileira, incluindo uma agência nas Ilhas Caiman, além da Corretora deValores, que atua na intermediação de operações na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA) e daSerglobal Cereais, adquirida em abril de 2011, geradora de títulos agrícolas. 5/18
    • Desempenho Operacional Resultado Intermediação Financeira antes de Despesas Lucro Líquido de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 21,6% -1,6% -64,9% 207,4 170,6 14,2 10,3 15,8% 0,2% R$ milhões R$ milhões 5,0 49,3 50,8 59,6 2,4 3,1 3,6 48,4 48,5 4T11 1T12 2T12 3T12 4T12 2011 2012 4T11 1T12 2T12 3T12 4T12 2011 2012 -31,7 Carteira de Crédito Expandida Captação 21,1% 18,4% 2,6% 2,1% 3,0 3,1 2,9 3,0 2,8 2,8 2,7 2,8 2,5 2,5 R$ bilhoes R$ bilhoes 4T11 1T12 2T12 3T12 4T12 4T11 1T12 2T12 3T12 4T12 Empréstimos e Financiamentos em Reais CDB DPGE Trade Finance LCA LF e LCI Garantias Títulos Agrícolas (CPR, CDA/WA e CDCA) Interbancário e Dep. a Vista Repasses no país Títulos de Crédito Privado (NPs e Debêntures) Linhas Trade Finance e Emp. ExteriorRentabilidadeIntermediação Financeira 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 2012 2011 2012/2011Receitas Intermediação Financeira 123,7 131,7 -6,0% 175,8 -29,6% 640,0 631,7 1,3%Operações de Crédito 62,3 62,9 -0,9% 80,7 -22,7% 258,3 283,5 -8,9% Empréstimos e Títulos Descontados 46,9 49,1 -4,6% 63,6 -26,4% 205,3 247,5 -17,1% Financiamentos 7,5 7,9 -4,2% 7,9 -5,3% 29,3 23,8 23,0% Outros 8,0 5,9 34,8% 9,1 -12,6% 23,7 12,1 95,5%Títulos e Valores Mobiliários 28,6 53,4 -46,4% 57,7 -50,4% 265,1 258,2 2,7%Instrumentos Financeiros Derivativos 15,6 4,7 228,8% (6,3) 346,5% 22,1 (38,2) 157,7%Operações de Câmbio 17,2 10,6 61,9% 43,7 -60,6% 94,6 128,3 -26,2%Despesas Intermediação Financeira 75,2 83,3 -9,7% 126,5 -40,6% 432,7 461,1 -6,2%Captação no Mercado 56,4 69,2 -18,5% 79,2 -28,7% 330,3 324,1 1,9% Depósitos a Prazo 40,0 37,3 7,3% 41,7 -4,2% 163,3 180,7 -9,6% Operações Compromissadas 8,4 22,7 -63,1% 30,2 -72,2% 129,7 117,3 10,6% Depósitos Interfinanceiros 1,6 2,4 -33,2% 2,1 -25,6% 10,5 11,0 -4,2% Letras Crédito Agrícola, Imob. e Financeiras 6,5 6,9 -5,2% 5,1 26,7% 26,8 15,1 77,6%Empréstimos, Cessão e Repasses 18,8 14,0 33,6% 47,3 -60,4% 102,4 137,0 -25,3% Empréstimos no Exterior 14,5 8,5 70,2% 44,2 -67,2% 84,7 126,9 -33,2% Empréstimos e Repasses no país 4,3 5,5 -22,8% 3,2 35,6% 17,6 10,1 73,6%Resultado Interm. Financeira antes PDD 48,5 48,4 0,2% 49,3 -1,6% 207,4 170,6 21,6%Provisão Créditos Liquidação Duvidosa (7,9) (11,9) -33,9% (1,1) 584,2% (56,7) (118,1) -52,0%Resultado Intermediação Financeira 40,7 36,5 11,4% 48,2 -15,6% 150,6 52,5 187,0% 6/18
    • No 4T12 o Resultado de Intermediação Financeira antes das despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosatotalizou R$48,5 milhões, praticamente estável na comparação trimestral, e 21,6% inferior na comparação com o 4T11. Noacumulado do ano, apresentou crescimento de 21,6%.As Receitas de Operações de Crédito no 4T12 mantiveram-se no mesmo patamar em relação ao trimestre anterior, apesardas reduções da taxa básica de juros e dos efeitos do cenário externo e interno sobre a economia doméstica. Ocrescimento da carteira de crédito, tanto na comparação trimestral quanto anual, se deu especialmente no segmentoCorporate, em que os créditos tendem a apresentar maior qualidade em contrapartida dos menores spreads praticados,impactando as receitas. Vale ressaltar que houve aumento de 38,5% no trimestre e 99,6% no ano das receitas derecuperações de crédito, totalizando R$7,9 milhões e R$22,8 milhões, respectivamente.O Resultado de Títulos e Valores Mobiliários (TVM) inclui o resultado da carteira direcional da Tesouraria, das operações deCPR, CDA/WA e Debêntures, com contrapartida nas despesas de captações no mercado. Tal resultado foi impactado não sópela queda da taxa básica de juros no período como também pela redução do saldo médio de títulos vinculados acompromisso de recompra, que passou de R$220,2 milhões no 3T12 para R$37,2 milhões no 4T12, e de R$733,4 milhõesem 2011 para R$407,9 milhões em 2012. A redução do saldo médio de títulos vinculados a compromisso de recompratambém reflete a queda do saldo médio de captação no mercado aberto, que foi de R$874,3 milhões no 3T12 para R$505,2milhões no 4T12, e de R$1.029,2 milhões em 2011 para R$850,6 milhões em 2012. A combinação da queda de volume e detaxa de juros reflete na redução de 63,1% nas despesas de operações compromissadas.O Resultado de Instrumentos Financeiros Derivativos engloba os resultados de operações de swap, termo, futuros e opçõesutilizadas para hedge de exposição cambial e de taxas de juros para captações indexadas a IPCA e IGPM e empréstimos noexterior (non-trade related); hedge de preços de café derivados das operações de CPR e de indexadores de Títulos PúblicosFederais mantidos na carteira de TVM; além da carteira direcional. Portanto, o resultado de instrumentos financeirosderivativos tem contrapartida tanto em receitas quanto em despesas de intermediação financeira derivadas de operaçõesem moeda local e estrangeira, commodities e índices.O Resultado de Operações de Câmbio, bem como as despesas com empréstimos no exterior, foi impactado peladepreciação do real frente ao dólar, tanto no trimestre quanto no comparativo anual.Quanto às Despesas de Depósitos a Prazo, o aumento de 7,3% no trimestre reflete o crescimento do saldo médio de CDBse DPGEs no período, de 7,4%. No acumulado do ano tais despesas apresentaram redução de 9,6%, mesmo com o aumentono volume médio de depósitos a prazo de 13,2% no período, uma vez que houve redução do custo de depósitos comoconsequência não só da queda da taxa básica de juros, mas também do aumento de participação de LCAs e LCIs no mix decaptação.Como reflexo da melhora na qualidade dos créditos de nosso portfólio, a despesa com provisão para devedores duvidososteve significativa queda de 33,9% no trimestre (R$7,9 milhões em dezembro de 2012 e R$11,9 milhões em setembro de2012), e 52,0% no acumulado do ano (R$56,7 milhões em 2012 e R$118,1 milhões em 2011). Tal redução refletiudiretamente no Resultado de Intermediação Financeira que foi de R$40,7 milhões no trimestre, incremento de 11,4% nacomparação com o 3T12, e de R$150,6 milhões, aumento de 187,0% no exercício.Margem Financeira Líquida (NIM)A margem financeira líquida ajustada de 5,9% no 4T12 apresentou uma queda de 0,3 p.p. na comparação com o trimestreanterior. Na comparação dos exercícios houve evolução do índice de 0,5 p.p., passando de 5,9% em 2011 para 6,4% em 2012.Margem Financeira Líquida 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 2012 2011 2012/2011A. Resultado Int. Financeira antes PDD 48,5 48,4 0,2% 49,3 -1,6% 207,4 170,6 21,6%B. Ativos Remuneráveis Médios 3.891,0 4.106,5 -5,2% 4.192,4 -7,2% 4.106,4 3.958,4 3,7% 1 Ajuste Ativos Médios sem Remuneração (505,2) (874,3) -42,2% (1.155,8) -56,3% (851,5) (1.078,4) -21,0%B.a Ativos Remuneráveis Médios Ajustados 3.385,8 3.232,2 4,8% 3.036,6 11,5% 3.254,9 2.879,9 13,0%Margem Financeira Líquida (NIM) (A/B) 5,1% 4,8% 0,3 p.p. 4,8% 0,3 p.p. 5,0% 4,3% 0,7 p.p.Margem Fin. Líq. Ajustada (NIMa) (A/Ba) 5,9% 6,1% -0,3 p.p. 6,7% -0,8 p.p. 6,4% 5,9% 0,4 p.p.1. Operações compromissadas com volume, prazos e taxas equivalentes no ativo e passivo. 7/18
    • EficiênciaÍndice de Eficiência 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 2012 2011 2012/2011Despesas de Pessoal 23,7 21,4 10,5% 21,4 10,9% 89,8 71,7 25,3%Contribuições e Participações 1,8 3,0 -38,4% 3,6 -49,6% 9,2 8,5 8,1%Despesas Administrativas 13,3 13,0 2,2% 14,2 -6,0% 53,1 50,4 5,4%Despesas Tributárias 4,3 2,3 92,1% 3,1 40,7% 12,6 13,2 -4,3%A- Total Despesas Operacionais 43,2 39,7 8,8% 42,3 2,2% 164,8 143,8 14,6%Resultado Interm. Financeira (ex PDD) 48,5 48,4 0,2% 49,3 -1,6% 207,4 170,6 21,6%Receita de Prestação de Serviços 6,7 7,7 -11,9% 6,9 -2,1% 26,4 19,9 32,3%Rendas e Tarifas Bancárias 0,2 0,2 4,3% 0,2 9,0% 0,7 0,9 -14,0%Outras Receitas Operacionais Líquidas * (0,4) 0,7 -157,6% 0,6 -172,8% 5,4 1,9 176,8%B- Total Receitas Operacionais 55,1 57,0 -3,3% 57,0 -3,3% 239,8 193,3 24,1%Índice de Eficiência (A/B) 78,4% 69,7% 8,7 p.p. 74,2% 4,2 p.p. 68,7% 74,4% -5,7 p.p.* Líquidas de outras Despesas Operacionais para eliminar os efeitos do custo de aquisição e receita de vendas de mercadorias da Serglobal Cereais.O índice de eficiência anual foi de 68,7%, apresentando melhora expressiva de 5,7 p.p. No 4T12, dado o significativoaumento nas despesas operacionais, em especial (i) das despesas de pessoal, tendo em vista o impacto do dissídio dacategoria cujo reajuste aprovado foi de 7,5% com efeito a partir de setembro de 2012, e (ii) das despesas tributárias, cujoaumento é resultante principalmente da incidência de impostos decorrentes da conversão de operações realizadas pelamesa de arbitragem, no trimestre, o índice de eficiência apresentou crescimento de 8,7 p.p., encerrando o trimestre em78,4%.Acreditamos ainda haver espaço para melhora de nosso índice de eficiência, em especial com o aumento da nossa carteirade crédito e da participação de receitas de fees, e a otimização das despesas operacionais, refletindo nosso foco nacontinua revisão de processos e busca pela excelência em todas as áreas.Lucro LíquidoO resultado operacional de R$6,9 milhões no trimestre, deduzidos (i) o prejuízo não operacional na venda de imobilizado ebens não de uso, (ii) os impostos e contribuições, e (iii) as participações nos lucros e resultados dos empregados, gerou umlucro líquido de R$3,6 milhões, com alta de 15,8% no trimestre, refletindo, em especial, a significativa redução dasdespesas com provisão para devedores duvidosos. O Lucro Líquido acumulado no exercício de 2012 foi de R$14,2 milhões,ante um prejuízo de R$31,7 milhões no exercício de 2011. 8/18
    • Carteira de CréditoCarteira de Crédito ExpandidaAo final de dezembro de 2012 a Carteira de Crédito Expandida totalizou R$3,1 bilhões, com incremento de 2,6% notrimestre e 21,1% quando comparado a dezembro de 2011. Essa carteira é composta por operações de crédito efinanciamento em Reais e pelas operações de Trade Finance, ambas detalhadas na nota explicativa às demonstraçõesfinanceiras 6(a), e também por: (i) garantias emitidas (avais, fianças e cartas de crédito emitidas), (ii) títulos agrícolasgerados pela absorção das atividades da Serglobal Cereais (CPRs e CDA/WAs), classificados em Títulos e Valores Mobiliários(TVM) conforme regulamentação do BACEN; e, da mesma forma, (iii) Títulos de Crédito Privado (notas promissórias edebêntures).Carteira de Crédito Expandida por Grupo de Produtos 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Empréstimos e Financiamentos em Reais 2.080,6 1.974,4 5,4% 1.776,5 17,1%Trade Finance (ACC/ACE/FINIMP) 426,0 463,0 -8,0% 457,6 -6,9%Garantias emitidas (Fianças e L/Cs) 158,2 167,5 -5,6% 139,8 13,1%Títulos Agrícolas (TVM: CPRs, CDA/WAs e Empréstimos: CDCAs) 327,1 306,7 6,6% 129,4 152,9%Títulos de Crédito Privado (TVM: NPs e Debêntures) 40,1 41,1 -2,6% 10,4 283,8%Outros 35,9 38,1 -5,9% 20,6 74,2%TOTAL 3.067,9 2.990,9 2,6% 2.534,4 21,1%As operações de empréstimos e financiamentos em Reais, que incluem empréstimos, títulos descontados, aquisição derecebíveis de clientes e repasses do BNDES, representam 67,8% da Carteira de Crédito Expandida. Nesse grupo, asoperações de empréstimos e de repasse de BNDES destacam-se, com evolução de, respectivamente, 7,6% e 11,4% notrimestre e 11,2% e 62,0% em 12 meses.As operações de Trade Finance respondem por 13,9% da Carteira de Crédito Expandida e compreendem os financiamentosa importação (R$111,9 milhões) e os financiamentos à exportação (ACC/ACE no montante de R$314,1 milhões).As garantias emitidas – fianças, avais e cartas de crédito de importação – representam 5,2% da Carteira de CréditoExpandida, com redução de 5,6% no trimestre e elevação de 13,1% em 12 meses.Os títulos agrícolas e de crédito privado, mesmo representando exposição a crédito, estão classificados no balançopatrimonial de acordo com a regulamentação do Banco Central do Brasil na rubrica Títulos e Valores Mobiliários “paranegociação”, em razão de suas características de negociabilidade. Esses títulos agrícolas e de crédito privado classificadosem TVM representam 9,3% da carteira de crédito expandida, com elevação de 3,8% no trimestre e 128,4% em 12 meses.A Carteira de Crédito Expandida está assim distribuída: Por Atividade Econômica Por Região Por Segmento Interm. Financeiros Centro- Outros 1% Sul Oeste 2% Outros 18% 20% Serviços Middle Indústria 21% Market 47% Nordeste 39% 5% Pessoas Físicas Corporate Norte 59% 6% Sudeste 1% 56% Comércio 25% 9/18
    • Por Setor Econômico Por Produto Agronegócio 22,1% Alimentos e bebidas 14,0% Construção 12,6% Trade Títulos Automotivo Finance Fianças 6,5% Agrícolas Transporte e logística 4,1% 14% e L/Cs 11% Eletroeletrônicos 4,0% 5% Metalurgia 3,9% Química e farmacêutica Debêntures 3,9% Têxtil, confecção e couro 3,2% 1% Papel e celulose 3,2% BNDES Outros Comércio - atacado e varejo 2,5% 11% 1% Educação 2,4% Óleo e biocombustíveis 2,1% Geração e Distribuição de Energia 1,7% Empréstimos Máquinas e Equipamentos 1,6% Serviços financeiros e Descontos 1,5% Publicidade e Editoração 1,2% 57% Extração Mineral 1,1% Instituições financeiras 1,1% Outros setores (% inferior a 1%) 7,2%A atividade com títulos agrícolas, iniciada no primeiro trimestre de 2011, permanece ganhando representatividade naCarteira de Crédito Expandida.Carteira de Títulos Agrícolas 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Em Títulos e Valores Mobiliários 245,3 233,9 4,9% 114,5 114,2% Warrants - CDA/WA 8,0 7,7 2,9% 0,0 n.m. Cédula de Produto Rural - CPR 237,4 226,1 5,0% 114,5 107,3%Em Carteira de Crédito - Empréstimos e títulos descontados 81,8 72,9 12,2% 14,9 450,5% Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA 81,8 72,9 12,2% 14,9 450,5%TOTAL TÍTULOS AGRÍCOLAS 327,1 306,7 6,6% 129,4 152,9%Carteira de CréditoA carteira de crédito “clássica”, que não considera off-balance sheet items (garantias emitidas) e créditos classificados emTVM na categoria “para negociação”, totalizou R$2,6 bilhões, com crescimento de 3,0% no trimestre e 15,6% em 12 meses,dos quais R$2,2 bilhões em operações em Reais e R$426,0 milhões em operações de Trade Finance.Como sinalizado nos trimestres anteriores, nossa carteira no segmento Corporate continuou sua trajetória de crescimento,tendo em vista nossa estratégia de focar o crescimento em ativos de maior qualidade e prazos mais curtos. O segmentoCorporate passou a representar nesse último trimestre 56,4% da carteira (53,9% em setembro de 2012) e o segmentoMiddle Market, 42,0% (44,3% em setembro de 2012). Os demais créditos classificados em Outros, que contemplam o saldoremanescente da certeira de CDC veículos, carteiras adquiridas de outros bancos e financiamento de bens não de uso,representam 1,6% do total do portfólio (1,8% em setembro de 2012).Carteira de Crédito por Segmento 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Empresas Médias - Middle Market 1.101,9 1.127,7 -2,3% 1.571,8 -29,9%Em Reais 882,0 880,2 0,2% 1.292,5 -31,8% Empréstimos e Títulos Descontados 737,4 743,7 -0,8% 1.136,9 -35,1% Financiamentos 0,0 0,0 n.m. 0,4 n.m. BNDES / FINAME 144,7 136,6 5,9% 155,2 -6,8%Em Moeda Estrangeira 219,9 247,5 -11,2% 279,3 -21,3%Grandes Empresas - Corporate 1.479,8 1.373,6 7,7% 641,3 130,8%Em Reais 1.273,7 1.158,2 10,0% 463,0 175,1% Empréstimos e Títulos Descontados 1.083,0 942,2 14,9% 411,2 163,4% BNDES / FINAME 190,7 164,5 16,0% 51,8 268,4% Aquisição de Recebíveis 0,0 51,6 n.m. 0,0 n.m.Em Moeda Estrangeira 206,1 215,5 -4,3% 178,3 15,6%Outros 42,6 47,0 -9,3% 56,5 -24,6%CDC Veículos 0,6 1,1 -48,1% 4,3 -86,9%Empréstimos e Financiamentos Adquiridos 6,7 8,9 -24,1% 35,9 -81,3%Financiamento de Bens Não de Uso 35,3 37,0 -4,6% 16,3 117,0%CARTEIRA DE CRÉDITO 2.624,3 2.548,4 3,0% 2.269,6 15,6% 10/18
    • Por Garantia Por Concentração Por Vencimento Penhor 91 a 180 181 a 360 Alienação 11 - 60 Recebíveis dias dias 10% 31% 25% Imóveis 10 maiores 16% 17% 8% 14% Penhor Monitorado 6% Veículos Acima de 3% Até 90 dias Demais 360 dias Aval NP TVM 61 - 180 38% 27% 29% 47% 1% 28%Qualidade da Carteira de Crédito Classificação de Risco AA A B C D E F G H Prov / Comp. TOTAL % Provisão Requerida 0% 0,5% 1% 3% 10% 30% 50% 70% 100% Cred % Saldo Carteira Crédito 53,4 1.103,2 919,8 344,7 65,0 82,2 27,1 8,5 20,4 - 2.624,34T12 3,7% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 5,5 9,2 10,3 6,5 24,7 13,6 6,0 20,4 0,0 96,1 Saldo Carteira Crédito 158,2 948,3 892,4 349,2 45,8 103,5 12,4 3,9 34,8 - 2.548,43T12 4,1% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 4,7 8,9 10,5 4,6 31,1 6,2 2,7 34,8 0,0 103,5 Saldo Carteira Crédito 48,3 901,5 636,5 450,1 54,1 77,9 14,7 14,0 72,4 - 2.269,64T11 6,3% Prov. Devedores Duvidosos 0,0 4,5 6,4 13,5 5,4 23,4 7,4 9,8 72,4 0,0 142,8O saldo de operações classificadas nas faixas de melhor risco (AA a B) elevou-se a 79,1% do total de operações na carteirade crédito no trimestre (78,4% em setembro de 2012 e 69,9% em dezembro de 2011). Destacamos ainda que mantivemoselevado, em 99,2%, o percentual de créditos concedidos ao longo do 4T12 classificados entre AA e B, o que consolida aevolução da qualidade da carteira de crédito, como demonstrado no gráfico a seguir: 79,1% 4T12 2% 42% 35% 13% 8% 78,4% 3T12 6% 37% 35% 14% 8% 69,9% 4T11 2% 40% 28% 20% 10% AA A B C D-HDo total de R$203,2 milhões classificados entre D e H (R$200,4 milhões em setembro de 2012 e R$233,2 milhões emdezembro de 2011), o montante de R$163,5 milhões compreende operações que estão em curso normal de pagamento,equivalentes a 80% do total (61% em setembro de 2012 e 51% em dezembro de 2011). Os demais 20% correspondem aoperações inadimplentes e estão abaixo detalhados: > 60 dias > 90 dias Inadimplência por segmento 4T12 3T12 4T12 3T12 4T12 3T12 Carteira de Crédito NPL %T NPL %T NPL %T NPL %T Middle Market 1.448,9 1.127,7 37,9 2,6% 76,6 6,8% 30,9 2,1% 44,0 3,9% Corporate 1.132,9 1.373,6 1,5 0,1% - 0,0% - 0,0% - 0,0% Outros 42,6 47,0 0,3 0,6% 1,0 2,2% 0,3 0,6% 0,6 1,3% TOTAL 2.624,3 2.548,4 39,7 1,5% 77,6 3,0% 31,1 1,2% 44,6 1,8% Prov. Dev. Duvidosos (PDD) 96,1 103,5 PDD/ NPL - 242,3% 133,3% 308,6% 231,9% PDD/ Carteira de Crédito 3,7% 4,1% - - - - 11/18
    • O índice de inadimplência para créditos com atrasos superiores há mais de 60 dias (NPL 60 dias) apresentou significativaqueda de 1,5 p.p. em comparação com o trimestre anterior e 3,5 p.p. em 12 meses, refletindo a evolução da qualidade denossa carteira. As operações vencidas há mais de 90 dias (NPL 90 dias) também reduziram-se em 0,6 p.p. no trimestre e 3,5p.p. em 12 meses. O índice de inadimplência potencial (parcelas vencidas entre 15 e 60 dias / carteira de crédito) foi de0,8% em dezembro de 2012, com piora de 0,5 p.p. no trimestre e leve melhora de 0,2 p.p. em relação a dezembro de 2011.Ao longo do exercício, os índices de NPL apresentaram expressiva melhora, resultado (i) da estratégia adotada em 2011 deincrementar a carteira de crédito com operações de melhor qualidade e (ii) da decisão tática, diante das incertezas nocenário macroeconômico, aumentarmos a participação do segmento Corporate na carteira de crédito.Ao longo do trimestre foram baixadas R$15,5 milhões em operações de crédito (R$103,5 milhões em 2012), totalmenteprovisionadas. As provisões para devedores duvidosos, no montante de R$96,1 milhões, proporcionam uma cobertura de242,3% sobre os créditos vencidos há mais de 60 dias e de 308,6% sobre o volume de créditos vencidos há mais de 90 dias.CaptaçãoO volume de captações totalizou R$3,0 bilhões, com elevação de 2,1% no trimestre e 18,4% em 12 meses. O destaque noúltimo ano foi a captação via Letras de Crédito do Agronegócio, +10,9% no trimestre e +72,8% no ano, e Letras de CréditoImobiliário, iniciada no trimestre passado, pois contribuíram para um melhor equilíbrio de nossos custos de captação, alémde promover maior diversificação de produtos a disposição de nossos clientes. No que se refere a representatividade sobreo saldo total de captações, os Depósitos a Prazo via emissão de CDB e DPGE I continuam com a parcela mais significativadas captações, representando 23,6% (22,6% em setembro de 2012 e 29,3% em dezembro de 2011) e 33,6% (34,7% emsetembro de 2012 e 29,5% em dezembro de 2011), respectivamente.As captações em moeda estrangeira são destinadas especialmente às operações de Trade Finance e seus saldos sofreminfluência da variação cambial.Total de Captação 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11Depósitos Totais 2.274,6 2.194,5 3,7% 1.851,2 22,9% Depósitos a Prazo (CDBs) 707,0 664,6 6,4% 743,0 -4,8% Depósito a Prazo com Garantia Especial (DPGE) 1.007,4 1.019,0 -1,1% 748,1 34,7% Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) 364,4 328,8 10,9% 210,9 72,8% Letras Financeiras (LFs) 29,5 36,4 -19,0% 7,4 301,4% Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) 12,1 5,3 130,3% 0,0 n.m. Depósitos Interfinanceiros 98,0 92,1 6,4% 88,5 10,7% Depósitos à Vista e outros 56,1 48,3 16,2% 53,4 5,1%Repasses no país 335,5 309,3 8,5% 218,2 53,7%Empréstimos no exterior 388,6 432,0 -10,0% 463,8 -16,2% Linhas de Trade Finance 337,4 381,1 -11,5% 417,1 -19,1% Outros 51,2 50,8 0,8% 46,7 9,6%TOTAL 2.998,7 2.935,8 2,1% 2.533,2 18,4% Por Modalidade Por Tipo de Investidor Por Prazo DPGE Corretoras 90 a 180 Empresas Outros 34% 3% dias 4% Pessoas 11% até 90 dias 18% À Vista BNDES Físicas 29% 2% 11% 7% Interf. CDB Bancos 180 a 360 3% 24% Bancos Estrangeiros dias Emprest. Nacionais 13% 9% Exterior 7% à vista 2% 2% Trade LCA Finance 12% Investidores 11% Repasse LF e LCI Institucionais +360 dias 11% 1% 44% 42% 12/18
    • O prazo médio dos depósitos ficou em 800 dias da emissão (849 dias em setembro de 2012) e 430 dias a decorrer para seuvencimento (476 dias em setembro de 2012). Prazo Médio em dias 1 Tipo de Depósito de emissão a decorrer CDB 487 294 Interfinanceiro 179 77 DPGE 1.315 683 LCA 129 69 LF 795 567 LCI 165 108 2 Carteira de Depósitos 800 430 1 A partir de 31.12.2012. 2 Média ponderada por volume.Caixa LivreEm 31 de dezembro de 2012, o caixa livre totalizou R$571,1 milhões, o que equivale a 76225,1% dos depósitos totais e 1,0 vez o patrimônio líquido. Para o cálculo consideram-se 622 571 R$ milhõesas disponibilidades, aplicações financeiras de liquidez e títulos e valores mobiliários(TVM), deduzindo-se os títulos de crédito classificados em TVM (CPR, CDA/WA,Debêntures e NP) e as captações no mercado aberto. 4T11 3T12 4T12Adequação de CapitalO Acordo de Basileia prevê que os bancos mantenham um percentual mínimo de patrimônio ponderado pelo risco incorridoem suas operações. Nesse sentido, o Banco Central do Brasil regulamenta que os bancos instalados no país obedeçam aopercentual mínimo de 11%, calculado com base nas regras do Acordo de Basileia II, o que confere maior segurança ao sistemafinanceiro brasileiro frente às oscilações nas condições econômicas.A seguir as posições do BI&P com relação às exigências de capital mínimo previstas pelas normas do Banco Central: Índice de Basileia 4T12 3T12 4T12/3T12 4T11 4T12/4T11 Patrimônio Referência 583,3 585,2 -0,3% 574,7 1,5% PR Nível I 584,3 586,2 -0,3% 569,1 2,7% PR Nível II 1,3 1,4 -0,9% 8,0 -83,3% Deduções do PR (2,3) (2,4) -4,8% (2,4) -4,8% Patrimônio Exigido 430,3 407,0 5,7% 347,5 23,8% Risco de Crédito 372,9 350,7 6,3% 303,9 22,7% Risco de Mercado 38,2 36,6 4,4% 34,3 11,5% Risco Operacional 19,7 19,7 0,0% 9,3 112,1% Excesso sobre Patrimônio Exigido 153,1 178,2 -14,1% 227,3 -32,7% Índice de Basileia 14,9% 15,8% -0,9 p.p. 18,2% -3,3 p.p.Classificação de Risco – Ratings Último Dados Financeiros Agência Classificação Observação Relatório analisados BB/ Estável /B Escala Global Standard & Poor’s 06.08.2012 31.03.2012 brA+/ Estável /brA-1 Escala Nacional Brasil Ba3/ Estável /Not Prime Escala Global Moodys 07.02.2013 30.09.2012 A2.br/ Estável /BR-2 Escala Nacional Brasil FitchRatings BBB/ Estável /F3 Escala Nacional Brasil 12.11.2012 30.09.2012 10,68 Índice Riskbank RiskBank 10.01.2013 30.09.2012 Ranking: 28 Baixo risco curto prazo 13/18
    • Mercado de CapitaisTotal de Ações e Ações em Livre Circulação Quantidade de Ações em 31.12.2012 Grupo deClasse Capital Social Administração Tesouraria Circulação Free Float ControleOrdinárias 36.945.649 20.743.333 277.307 - 15.925.009 43,1%Preferenciais 26.160.044 609.226 60.125 734.515 24.756.178 94,6%TOTAL 63.105.693 21.352.559 337.432 734.515 40.681.187 64,5%Programa de Recompra de AçõesO 5º Programa de Recompra de Ações de Própria Emissão para até 1.720.734 ações preferenciais, aprovado pelo Conselhode Administração em 19 de outubro de 2011, permaneceu em vigor até 18 de outubro de 2012. Não houve compra deações sob este programa.Planos de Opção de Compra de AçõesOs seguintes Planos de Opção de Compra de Ações, aprovados para Diretores e empregados de nível gerencial daCompanhia, assim como pessoas naturais prestadoras de serviços à Companhia ou a suas controladas, apresentam asseguintes posições em 31.12.2012: Quantidade Plano de Data de Prazo de Carência Outorgada Exercida Extinta Não exercida Opções Aprovação Exercício I 26.03.2008 Três anos Cinco anos 2.039.944 37.938 215.967 1.786.039 II 29.04.2011 Três anos Cinco anos 1.840.584 - 294.494 1.546.090 III 29.04.2011 Cinco anos Sete anos 1.850.786 - - 1.850.786 IV 24.04.2012 Até cinco anos Cinco anos 355.840 - 3.511 352.329 6.087.154 37.938 513.972 5.535.244Os Planos de Opção de Compra de Ações acima mencionados estão arquivados no sistema IPE da Comissão de ValoresMobiliários (CVM) e disponíveis para consulta também através do website de RI da Companhia.Remuneração ao AcionistaEm 17 de dezembro de 2012 foram declarados Juros sobre Capital Próprio (JCP) no montante de R$7,5 milhões referentesa 2012, o que correspondeu a R$0,12024 por ação, e foram pagos em 04 de janeiro de 2013. Tais JCP foram pagosantecipadamente para o exercício de 2012 e serão submetidos à ratificação da A.G.O., prevista para abril de 2013.Desempenho das AçõesAs ações preferenciais do BI&P (IDVL4), listadas no Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA, encerraram o4T12 cotadas a R$7,95, totalizando um valor de mercado para a Companhia de R$495,9 milhões, considerando-se para ocálculo as ações existentes em 31.12.2012 deduzidas as ações mantidas em tesouraria. O preço das ações IDVL4apresentou altas de 20,6% (22,4% ajustado a proventos) no 4T12 e 17,8% (19,5% ajustado a proventos) nos 12 mesesencerrados em dezembro de 2012. O Ibovespa, por sua vez, apresentou altas de 3,0% no 4T12 e 7,4% em relação aofechamento do 4T11. No encerramento do trimestre, o índice preço/valor patrimonial da ação (P/VPA) era de 0,84. 14/18
    • Evolução do Preço das Ações nos últimos 12 mesesLiquidez e Volume de NegociaçãoAs ações preferenciais do BI&P (IDVL4) estiveram presentes em 84,7% dos pregões no 4T12 e 92,7% dos 246 pregõesrealizados em 2012. O volume negociado no mercado à vista durante o trimestre foi de R$9,4 milhões, com movimento de1,4 milhões de ações IDVL4 em 361 negócios. Nos 12 meses encerrados em dezembro de 2012, o volume financeironegociado no mercado à vista foi de R$33,7 milhões, movimentando cerca de 4,8 milhões de ações preferenciais em 2.936negócios.Dispersão da Base Acionária Posição em 31.12.2012 Qtd TIPO DE ACIONISTA IDVL3 % IDVL4 % TOTAL % 5 Grupo de Controle 20.743.333 56,15% 609.226 2,33% 21.352.559 33,84% 6 Administração 277.307 0,75% 60.125 0,23% 337.432 0,53% - Tesouraria - 0,00% 734.515,00 2,81% 734.515 1,16% 40 Investidor Institucional Nacional 1.201.090 3,25% 8.425.179 32,21% 9.626.269 15,25% 13 Investidor Estrangeiro 4.891.304 13,24% 13.976.144 53,43% 18.867.448 29,90% 8 Pessoa Jurídica - 0,00% 16.512 0,06% 16.512 0,03% 296 Pessoa Física 9.832.615 26,61% 2.338.343 8,94% 12.170.958 19,29% 368 TOTAL 36.945.649 100,00% 26.160.044 100,00% 63.105.693 100,00% 15/18
    • Balanço Patrimonial Consolidado R$ mil ATIVO 31/12/11 30/09/12 31/12/12 Circulante 3.226.561 3.433.129 3.063.804 Disponibilidades 45.455 6.324 18.250 Aplicações interfinanceiras de liquidez 305.833 941.951 429.535 Aplicações no mercado aberto 229.694 921.810 377.495 Aplicações em depósitos interfinanceiros 76.139 20.141 52.040 Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos 1.111.272 568.460 671.587 Carteira própria 364.656 364.271 473.468 Vinculados a compromissos de recompra 544.740 9.056 26.654 Vinculados a prestação de garantia 184.866 172.429 150.415 Vinculados ao Banco Central - - - Instrumentos financeiros derivativos 17.010 22.704 21.050 Relações interfinanceiras 1.600 2.680 938 Operações de crédito 1.234.820 1.366.002 1.495.533 Operações de crédito - Setor privado 1.255.136 1.384.176 1.515.490 Operações de crédito - Setor público - - - (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (20.316) (18.174) (19.957) Outros créditos 464.465 498.874 390.712 Carteira de câmbio 442.822 415.595 363.445 Rendas a receber 45 52 67 Negociação e intermediação de valores 20.238 21.341 14.356 Diversos 8.200 66.379 17.300 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (6.840) (4.493) (4.456) Outros valores e bens 63.116 48.838 57.249 Outros Valores e Bens 66.049 48.911 59.695 (-) Provisão para desvalorizações (4.748) (2.757) (4.277) Despesas antecipadas 1.815 2.684 1.831 Realizável a longo prazo 999.609 852.124 906.467 Aplicações interfinanceiras de liquidez - 6.824 - Aplicações no mercado aberto - - - Aplicações em depósitos interfinanceiros - 6.824 - Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos 331.872 44.626 59.737 Carteira própria 97.396 41 42 Vinculados a compromisso de recompra 212.240 - - Vinculados a prestação de garantias - - - Instrumentos financeiros derivativos 22.236 44.585 59.695 Relações Interfinanceiras 5.564 4.202 4.083 Operações de crédito 533.949 651.963 693.561 Operações de crédito - Setor privado 649.164 726.648 756.459 Operações de crédito - Setor público - - - (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (115.215) (74.685) (62.898) Outros créditos 127.636 144.171 148.536 Créditos por Avais e Fianças honrados - 778 778 Negociação e Intermediação de Valores 504 518 524 Diversos 127.514 148.986 156.024 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (382) (6.111) (8.790) Outros valores e bens 588 338 550 Permanente 52.107 51.895 51.711 Investimentos 24.528 23.968 24.980 Participações em controladas e coligadas 22.842 22.282 23.294 Outros investimentos 1.842 1.842 1.842 (-) Provisão para perdas (156) (156) (156) Imobilizado de uso 13.071 14.401 13.648 Imóveis de uso 1.210 1.210 1.210 Reavaliação de imóveis de uso 2.634 2.634 2.634 Outras imobilizações de uso 17.333 19.965 19.660 (-) Depreciações acumuladas (8.106) (9.408) (9.856) Intangível 14.508 13.526 13.083 Ágio na aquisição de investimentos 2.391 2.391 2.276 Outros ativos intangíveis 13.100 13.100 13.100 (-) Amortização acumulada (983) (1.965) (2.293) TOTAL DO ATIVO 4.278.277 4.337.148 4.021.982 16/18
    • Consolidado R$ milPASSIVO 31/12/11 30/09/12 31/12/12Circulante 2.665.276 2.496.098 2.123.097 Depósitos 791.158 808.109 839.973 Depósitos à vista 53.435 48.334 56.145 Depósitos interfinanceiros 85.675 91.878 97.867 Depósitos a prazo 652.048 667.897 685.961 Outros depósitos - - - Captações no mercado aberto 867.896 597.214 241.904 Carteira própria 747.830 9.302 26.745 Carteira terceiros - 240.045 106.200 Carteira livre movimentação 120.066 347.867 108.959 Recursos de Aceites e Emissão de Títulos Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito Agrícola (LCA), de Crédito 218.217 341.511 376.325 Financeiras (LF) 218.217 341.511 376.325 Relações interfinanceiras - 185 - Recebimentos e pagamentos a liquidar - 185 - Relações interdependências 24.963 8.312 9.168 Recursos em trânsito de terceiros 24.963 8.312 9.168 Obrigações por empréstimos 417.275 431.964 388.626 Empréstimos no exterior 417.275 431.964 388.626 Obrigações por repasses no País 81.411 128.029 119.575 BNDES 46.221 82.609 77.426 FINAME 35.190 45.420 42.149 Outras obrigações 264.356 180.774 147.526 Cobrança e arrecadação de tributos e assemelhados 244 820 509 Carteira de câmbio 61.744 54.286 46.177 Fiscais e previdenciárias 4.895 2.864 4.682 Sociais e estatutárias 15.038 2.000 10.320 Negociação e intermediação de valores 150.978 95.942 70.082 Instrumentos financeiros derivativos 24.611 13.576 7.604 Diversas 6.846 11.286 8.152Exigível a longo prazo 1.034.363 1.252.501 1.310.648 Depósitos 841.794 1.015.931 1.028.553 Depósitos interfinanceiros 2.804 195 110 Depósitos a prazo 838.990 1.015.736 1.028.443 Recursos de Aceite e Emissão de Títulos Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito Agrícola (LCA), de Crédito - 28.943 29.751 Financeiras (LF) - 28.943 29.751 Obrigações por empréstimos 46.504 - - Empréstimos no exterior 46.504 - - Obrigações por repasses no País - Instituições Oficiais 136.816 181.267 215.876 Tesouro Nacional 10.766 8.733 8.407 BNDES 57.320 85.132 118.477 FINAME 66.785 86.985 88.780 Outras Instituições 1.945 417 212 Outras obrigações 9.249 26.360 36.468 Fiscais e previdenciárias 7.663 22.099 29.598 Instrumentos financeiros derivativos 15 1.203 2.620 Diversas 1.571 3.058 4.250 Resultado Exercícios Futuros 1.503 990 1.036Patrimônio líquido 577.135 587.559 587.201 Capital 572.396 572.396 572.396 Reserva de Capital 5.899 12.331 14.886 Reserva de reavaliação 1.389 1.352 1.340 Reservas de lucros - 7.339 3.512 (-) Ações em tesouraria (5.958) (5.859) (5.859) Ajuste Vlrs a mercado (TVM e Derivativos) 6.642 - - Lucros (Prejuizos) acumulados (3.233) - - Participação de minoritários - - 926TOTAL DO PASSIVO 4.278.277 4.337.148 4.021.982 17/18
    • Demonstração de ResultadosConsolidado R$ mil 4T11 3T12 4T12 2011 2012Receitas da intermediação financeira 175.836 131.684 123.742 631.658 640.033 Operações de crédito 80.692 62.885 62.343 283.461 258.285 Resultado de títulos e valores mobiliários 57.719 53.436 28.626 258.182 265.057 Resultado com instrumentos financeiros derivativos (6.309) 4.730 15.554 (38.246) 22.087 Resultado de operações de câmbio 43.734 10.633 17.219 128.261 94.604Despesas da intermediação financeira 127.652 95.145 83.055 579.181 489.413 Operações de captação no mercado 79.167 69.220 56.444 324.069 330.328 Operações de empréstimos, cessões e repasses 47.337 14.043 18.756 137.007 102.353 Provisão para créditos de liquidação duvidosa 1.148 11.882 7.855 118.105 56.732Resultado bruto da intermediação financeira 48.184 36.539 40.687 52.477 150.620Outras receitas (despesas) operacionais (30.286) (27.046) (33.835) (111.573) (118.958) Receitas de prestação de serviços 6.891 7.656 6.747 19.927 26.357 Rendas de tarifas bancárias 177 185 193 851 732 Despesas de pessoal (21.377) (21.441) (23.700) (71.694) (89.818) Outras despesas administrativas (14.179) (13.042) (13.331) (50.394) (53.118) Despesas tributárias (3.074) (2.252) (4.326) (13.191) (12.625) Resultado de Participações em Coligadas 714 1.138 991 989 4.146 Outras receitas operacionais 9.146 6.053 5.473 17.397 20.236 Outras despesas operacionais (8.584) (5.343) (5.882) (15.458) (14.868)Resultado operacional 17.898 9.493 6.852 (59.096) 31.662Resultado não operacional (2.610) (1.230) (1.616) (2.977) (1.115)Resultado antes da tributação sobre o lucro 15.288 8.263 5.236 (62.073) 30.547Imposto de renda e contribuição social (1.331) (2.160) 220 38.829 (7.136) Imposto de renda 629 (1.970) (4.553) (804) (12.631) Contribuição social 353 (1.170) (2.722) (507) (7.504) Ativo fiscal diferido (2.313) 980 7.495 40.140 12.999Contribuições e Participações (3.635) (2.972) (1.831) (8.501) (9.192)Lucro líquido do período 10.322 3.131 3.625 (31.745) 14.219 18/18