0
OFICINA DE FORMAÇÃO – Maio e Junho de 2009 Da INFORMAÇÃO ao SABER
1ª sessão  EDUCAR NUMA SOCIEDADE EM MUDANÇA <ul><ul><li>Vivemos numa sociedade diferente daquela em que nascemos. </li></u...
UM NOVO PARADIGMA <ul><li>Como reagiram as sociedades a estas mudanças? </li></ul><ul><li>Reformas educativas muito semelh...
Novembro 2007
Visão construtivista da educação <ul><li>O  significado global  que sintetiza este novo paradigma é: </li></ul><ul><li>A c...
A nossa Lei de Bases... <ul><li>“ A sociedade do conhecimento (…) reclama especiais competências para a utilização da info...
Conclusões <ul><li>O conhecimento é entendido como um processo global. </li></ul><ul><li>É dada relevância ao  saber ser  ...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Currículo= soma de conhecimentos e ...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Currículo fixo, para cumprir à risc...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Materiais utilizados: </li></ul><ul...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Aprendizagem baseada na repetição <...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O professor transmite informação </...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O professor tem um papel directivo,...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Avaliação através de testes </li></...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O conhecimento é visto como estável...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Os alunos trabalham sobretudo indiv...
Aula tradicional  vs  aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Ponto de partida igual para todos <...
Dois estilos de ensino Comunicação num só sentido “ O sábio no palco” (“Sage on the stage”) Comunicação interactiva “ O gu...
Literacia da Informação <ul><li>Definições </li></ul>Novembro 2007
Definições <ul><li>“ Um estudante letrado em informação é um leitor ávido, um pensador crítico, um pensador criativo, um a...
Definições <ul><li>“ ...capacidade de reconhecer uma necessidade [de informação] e depois de aceder, encontrar, avaliar, u...
Definições <ul><li>“ o conhecimento e as competências indispensáveis para identificar correctamente a informação necessári...
Definições “ ...a capacidade das pessoas de: - reconhecer as suas necessidades de informação; - localizar e avaliar a qual...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Educar Sociedade Em Mudanca

1,507

Published on

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • too bad the presentation is in Spanish, how do I translate it?
    http://www.gardeningmania.net
    http://www.gardeningmania.net/category/vegetables/
    http://www.gardeningmania.net/category/seeds/
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,507
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Educar Sociedade Em Mudanca"

  1. 1. OFICINA DE FORMAÇÃO – Maio e Junho de 2009 Da INFORMAÇÃO ao SABER
  2. 2. 1ª sessão EDUCAR NUMA SOCIEDADE EM MUDANÇA <ul><ul><li>Vivemos numa sociedade diferente daquela em que nascemos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalhamos num escola diferente daquela que frequentámos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparamos alunos para viver num mundo em mudança. </li></ul></ul>As tecnologias da informação e das comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadem as nossas casas, locais de trabalho e de lazer. Oferecem instrumentos úteis... (Livro verde para a sociedade da informação em Portugal)
  3. 3. UM NOVO PARADIGMA <ul><li>Como reagiram as sociedades a estas mudanças? </li></ul><ul><li>Reformas educativas muito semelhantes: mesmos objectivos, metodologias... </li></ul><ul><li>este assumir de um discurso educativo cujo conteúdo assenta nos mesmos propósitos, em função dos quais se propõem as mesmas metodologias e estratégias de intervenção – implica a emergência de um novo paradigma educacional. </li></ul>
  4. 4. Novembro 2007
  5. 5. Visão construtivista da educação <ul><li>O significado global que sintetiza este novo paradigma é: </li></ul><ul><li>A crença na pessoa em si , na sua capacidade para equilibrar desenvolvimento e qualidade de vida, valores económicos e valores sociais. </li></ul><ul><li>O subjectivismo no campo da reflexão e do conhecimento </li></ul><ul><li>O construtivismo no campo da educação e da acção social. </li></ul>
  6. 6. A nossa Lei de Bases... <ul><li>“ A sociedade do conhecimento (…) reclama especiais competências para a utilização da informação e, porque é flexível , exige capacidade de adaptação , porque assenta na inovação , exige capacidade para enfrentar o desconhecido e para acomodar o recém conhecido , porque é heterogénea , exige a capacidade de tolerância e interpretação autónoma do diverso , porque é interactiva , exige capacidade para desenvolver interligações ” (cap.3) </li></ul><ul><li>“ (…) exige realmente competências e aptidões cada vez mais vastas e profundas, que se suportem na conjugação de conhecimentos específicos , mais rapidamente ultrapassáveis , com as formações mais alargadas e perenes .” (cap. 3) </li></ul><ul><li>“ O ensino básico (…). Tem por objectivo fundamental assegurar uma formação de base comum a todos, constituída pelos saberes e competências estruturantes ligadas ao ser, ao saber, ao pensar, ao fazer e ao aprender a viver juntos (…).” (cap. 8) </li></ul><ul><li>“ Estatui-se um direito e um dever de educação, traduzidos numa efectiva acção formativa ao longo da vida e assentes em referências de valores e competências .” (cap. 11) </li></ul>
  7. 7. Conclusões <ul><li>O conhecimento é entendido como um processo global. </li></ul><ul><li>É dada relevância ao saber ser e à formação da pessoa como ser aberto à experiência, à adaptação a novas situações e à autoformação. </li></ul><ul><li>  É feita a promoção das competências ligadas à comunicação. </li></ul><ul><li>  É claramente assumido o carácter relacional e subjectivo do conhecimento.   </li></ul><ul><li>Paradigma: humanista </li></ul><ul><li>Modelo de Educação: construtivista </li></ul>
  8. 8. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Currículo= soma de conhecimentos e competências básicas </li></ul><ul><li>Currículo= conhecimentos e competências básicas ao serviço de grandes áreas e conceitos </li></ul>
  9. 9. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Currículo fixo, para cumprir à risca </li></ul><ul><li>Currículo que tem em conta as questões e interesses dos alunos </li></ul>
  10. 10. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Materiais utilizados: </li></ul><ul><li>essencialmente manuais e cadernos </li></ul><ul><li>Materiais utilizados: </li></ul><ul><li>recursos variados, materiais manipuláveis... </li></ul>
  11. 11. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Aprendizagem baseada na repetição </li></ul><ul><li>Aprendizagem interactiva </li></ul>
  12. 12. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O professor transmite informação </li></ul><ul><li>Os alunos recebem informação </li></ul><ul><li>O professor ajuda o aluno a construir a sua aprendizagem </li></ul><ul><li>O professor recorre ao diálogo </li></ul>
  13. 13. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O professor tem um papel directivo, baseado na autoridade </li></ul><ul><li>O professor tem um papel interactivo, baseado na negociação </li></ul>
  14. 14. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Avaliação através de testes </li></ul><ul><li>Avaliação do produto </li></ul><ul><li>A avaliação baseia-se na observação do processo, nos trabalhos dos alunos e nos testes </li></ul><ul><li>O processo é tão importante como o produto </li></ul>
  15. 15. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>O conhecimento é visto como estável e definitivo </li></ul><ul><li>O conhecimento é visto como dinâmico, em constante evolução </li></ul>
  16. 16. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Os alunos trabalham sobretudo individualmente </li></ul><ul><li>Os alunos trabalham sobretudo em grupo </li></ul>
  17. 17. Aula tradicional vs aula construtivista Aula tradicional Aula construtivista <ul><li>Ponto de partida igual para todos </li></ul><ul><li>Parte-se daquilo que o aluno já sabe </li></ul>
  18. 18. Dois estilos de ensino Comunicação num só sentido “ O sábio no palco” (“Sage on the stage”) Comunicação interactiva “ O guia lado a lado” (“Guide on the side”) Ruth Small (2005)
  19. 19. Literacia da Informação <ul><li>Definições </li></ul>Novembro 2007
  20. 20. Definições <ul><li>“ Um estudante letrado em informação é um leitor ávido, um pensador crítico, um pensador criativo, um aluno interessado, um investigador organizado, um comunicador eficaz, um utilizador responsável da informação e um utilizador competente dos instrumentos tecnológicos.” </li></ul><ul><li>Loertscher (1996) </li></ul>
  21. 21. Definições <ul><li>“ ...capacidade de reconhecer uma necessidade [de informação] e depois de aceder, encontrar, avaliar, utilizar e comunicar a informação”. </li></ul><ul><li>Taylor (2006) </li></ul>
  22. 22. Definições <ul><li>“ o conhecimento e as competências indispensáveis para identificar correctamente a informação necessária para realizar uma tarefa específica ou para resolver um problema, para procurer, organizar e reorganizar eficazmente a informação, interpretá-la e analisá-la depois de a encontrar e recuperar (por exemplo, descarregando-a), avaliar a informação quanto à sua correcção e fiabilidade , incluindo o reconhecimento ético das fontes a partir das quais foi obtida, comunicar e apresentar a outros, se necessário, os resultados da análise e intepretação feitas e depois utilizá-a para conseguir acções e resultados.” </li></ul><ul><li>IFLA (2006) </li></ul>
  23. 23. Definições “ ...a capacidade das pessoas de: - reconhecer as suas necessidades de informação; - localizar e avaliar a qualidade da informação; - armazenar e recuperar a informação; - utilizar a informação de modo eficaz e ético, e - aplicar a informação na criação e comunicação do conhecimento.” UNESCO, Towards Information Literacy Indicators (2008)
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×