O que é e o que muda com a
          Web 2.0?
Entenda o que é a Web 2.0

O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a
segunda geração da World Wide Web
--tendência que ...
A idéia é que o ambiente on-line se torne mais
dinâmico e que os usuários colaborem para a
organização de conteúdo.

 Muit...
Polêmicas à parte, o número de sites e serviços
que exploram esta tendência vem crescendo e
ganhando cada vez mais adeptos...
Confira um glossário da Web
      2.0 elaborado pela Folha de S.Paulo

•   AdSense: Um plano de publicidade do Google que ...
•   RSS: Abreviação de quot;really simple syndicationquot; [distribuição
    realmente simples], é uma maneira de distribu...
O que muda com a Web 2.0
Esse comentário resume tudo:

quot;Web 2.0 não é uma inovação, é uma mudança de
paradigma da web centrada no EGO, para a w...
Portanto, independente das tecnologias envolvidas (que
são várias, não necessariamente novas), o essencial é
que o usuário...
São pessoas acostumadas a contar seu dia a dia e
emitir suas opiniões em blogs, postar fotos de viagens
no Flickr, resolve...
Esses também são os profissionais que estão nas
empresas, a cada dia em maior quantidade. Os mais
novos são de uma geração...
1) É preciso fornecer infra-estrutura tecnológica interna para
possilitar as várias formas de interação que existem na int...
O Que é E O Que Muda Com Web 2.0
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O Que é E O Que Muda Com Web 2.0

1,001 views
881 views

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,001
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Que é E O Que Muda Com Web 2.0

  1. 1. O que é e o que muda com a Web 2.0?
  2. 2. Entenda o que é a Web 2.0 O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web --tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais como por exemplo a enciclopédia Wikipedia, cujas informações são disponibilizadas e editadas pelos próprios internautas.
  3. 3. A idéia é que o ambiente on-line se torne mais dinâmico e que os usuários colaborem para a organização de conteúdo. Muitos consideram toda a divulgação em torno da Web 2.0 um golpe de marketing. Como o universo digital sempre apresentou interatividade, o reforço desta característica seria um movimento natural e, por isso, não daria à tendência o título de quot;a segunda geraçãoquot;.
  4. 4. Polêmicas à parte, o número de sites e serviços que exploram esta tendência vem crescendo e ganhando cada vez mais adeptos, assim como também entra nesta definição a oferta de diversos serviços on-line, todos interligados, como oferecido pelo Windows Live
  5. 5. Confira um glossário da Web 2.0 elaborado pela Folha de S.Paulo • AdSense: Um plano de publicidade do Google que ajuda criadores de sites, entre os quais blogs, a ganhar dinheiro com seu trabalho. • Ajax: Um pacote amplo de tecnologias usado a fim de criar aplicativos interativos para a web. • Blogs: De baixo custo para publicação na web disponível para milhões de usuários, os blogs estão entre as primeiras ferramentas de Web 2.0 a serem usadas amplamente • Mash-ups: Serviços criados pela combinação de dois diferentes aplicativos para a internet.
  6. 6. • RSS: Abreviação de quot;really simple syndicationquot; [distribuição realmente simples], é uma maneira de distribuir informação por meio da internet que se tornou uma poderosa combinação de tecnologias quot;pullquot; --com as quais o usuário da web solicita as informações que deseja-- e tecnologias quot;pushquot; --com as quais informações são enviadas a um usuário automaticamente. • Tagging [rotulação]: Uma versão Web 2.0 das listas de sites preferidos, oferecendo aos usuários uma maneira de vincular palavras-chaves a palavras ou imagens que consideram interessantes na internet, ajudando a categorizá-las e a facilitar sua obtenção por outros usuários. • Wikis: Páginas comunitárias na internet que podem ser alteradas por todos os usuários que têm direitos de acesso. http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u20173.shtml
  7. 7. O que muda com a Web 2.0
  8. 8. Esse comentário resume tudo: quot;Web 2.0 não é uma inovação, é uma mudança de paradigma da web centrada no EGO, para a web centrada no usuário, uma evolução natural que começou quando “descobriram” que o elemento mais importante da internet não era quem criava os sites e sim o usuário que o visitava. A mudança passou da simples apresentação de conteúdo para a interação básica e hoje a interação das multidões, o já previsto conceito de inteligência coletiva previsto por Pierre Levy. A evolução é muito rápida, basta um piscar de olhos para perder uma fração do processo e ter a nítida sensação de que houve uma revolução.quot; (João Carlos Caribé)
  9. 9. Portanto, independente das tecnologias envolvidas (que são várias, não necessariamente novas), o essencial é que o usuário passa de um mero leitor passivo, para alguém com voz ativa, que produz e consome informações de uma forma fácil, colaborativa e alucinante. Diferentemente do desenvolvimento de software de código aberto, no mundo da Web 2.0 praticamente não é preciso conhecimento técnico (Já experimentou criar um blog no blogger.com? Você não leva mais que 3 minutos!!).
  10. 10. São pessoas acostumadas a contar seu dia a dia e emitir suas opiniões em blogs, postar fotos de viagens no Flickr, resolver problemas usando fóruns de discussão, publicar seus vídeos no YouTube, criar comunidades e se relacionar através do Orkut, bater papo no Msn ou Skype, editar documentos em conjunto usando Wiki ou Google Docs, divulgar suas músicas no MySpace, trocar arquivos usando e-Mule ou BitTorrent, permanecer 100% do tempo conectado usando seus celulares, enviando mensagens enquanto assistem aula. Esses são apenas alguns poucos exemplos do que está acontecendo nesse mundo de total interconectividade.
  11. 11. Esses também são os profissionais que estão nas empresas, a cada dia em maior quantidade. Os mais novos são de uma geração que praticamente nasceu nessa realidade e não percebe o mundo de outra forma. Dentre os mais experientes, alguns conseguem se atualizar. Outros vão ficando pra trás.... De um jeito ou outro, são eles que trabalham na sua empresa, cujo principal meio de comunicação ainda é o correio eletrônico. E o chefe fica em sua mesa, distribuindo ordens por escrito, ou então convocando reuniões longas e que não levam a lugar algum. E quando ele sai de férias, manda um e-mail para a equipe: quot;Fulano de tal estará me substituindo e monitorando minha caixa de correioquot;. Fala sério!!! Como se administrar fosse limitado a isso....
  12. 12. 1) É preciso fornecer infra-estrutura tecnológica interna para possilitar as várias formas de interação que existem na internet Se você não fizer isso, os funcionários o farão. E sem você saber. Não duvide que existem hoje, quot;clandestinosquot; instalados em num servidor arranjado e colocado num canto qualquer, pelo menos um servidor Wiki ou um fórum de discussão. 2) É fundamental capacitar as lideranças para quot;falar essa linguagemquot;, conhecer essas ferramentas e propiciar as novas formas de colaboração da Web 2.0. Existem CEOs fazendo isso em grandes empresas, publicando em blogs suas decisões, transformando a gestão em algo mais moderno e transparente. Mas isso precisa chegar na gerência média, aquela que quot;fica perto do piãoquot;. Já li uma vez que os funcionários comumente não demitem- se quot;da empresaquot;, e sim do seu chefe imediato.

×