Recursos naturais

21,124 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
21,124
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,585
Actions
Shares
0
Downloads
537
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Recursos naturais

  1. 1. “Os recursos naturais são bens susceptíveis de aproveitamento económico ou de utilização pela Humanidade e que, por princípio, não são produzíveis pela acção humana.A sua importância só recentemente tem vindo a ser assumida, dado o seu papel reciclador, decompositor e de filtro da água e do ar, num quadro em que o seu uso nem sempre tem sido feito de forma sustentável.” In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p1 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 2
  2. 2. “Os recursos naturais são habitualmente considerados, de acordo com três critérios: Conteúdo (geológicos, pedológicos, hídricos, biológicos e climáticos) Disponibilidade (renováveis e não renováveis/finitos ou esgotáveis, consoante possam ser, ou não, regenerados num horizonte temporal economicamente significativo, independentemente de qualquer intervenção humana) Importância estratégica (global, supranacional, nacional, regional e local). In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p2 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 3
  3. 3. Renováveis Não renováveis Hídricos Energia fóssil Biológicos Minérios Energias Energia nuclearalternativas IL 2011 4
  4. 4. Renováveis Não Renováveis IL 2011 5
  5. 5. Não RenováveisOs recursos são classificadoscomo não renováveis quandoa sua exploração ésuperior à sua renovação(que pode ser de muitos milhõesde anos). IL 2011 6
  6. 6. Os recursos minerais são concentrações ou acumulações de minério formadas na crosta terrestre cujas características fazem com que sua extração seja ou venha a ser técnica e economicamente rentável.Os recursos minerais dividem-se em dois grupos: os metálicos (ferro,cobre, estanho, ...) e os não-metálicos (quartzo, calcário, mármore, ...). Fonte wikipédia IL 2011 7
  7. 7. São todos os minerais em que um ou mais elementospodem ser extraídos de forma rentável. A pirite contém, em média, 46% de ferro e 53% de enxofre, além de níquel, cobalto, cobre, zinco, prata, ouro, entre outros. Ex.: Pirite IL 2011 8
  8. 8. Ex.: GalenaMinério de chumbo, utiliza-se por exemplo no fabrico decorantes e cristais. IL 2011 9
  9. 9. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p2disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 10
  10. 10. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p2disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 11
  11. 11. • rochas ornamentais e industriais• águas de nascente e águas mineraisnaturais• fluidos do subsolo de temperaturaelevada (termas) In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p2 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 12
  12. 12. Os solos, como recurso pedológico, têm vindo a ser submetidos adegradação cujas causas estão diagnosticadas:• práticas agrícolas desajustadas, muitas vezes com rotação de culturasdesadequadas e uso excessivo de fertilizantes;• a desflorestação e remoção da vegetação natural;• o uso frequente de maquinaria pesada;• a irrigação, sempre crescente, mas nem sempre bem planeada e que podeoriginar ora excesso de água nos solos ou ao invés promover a sua salinização ealcalinização;• outros usos como o urbano e o industrial. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p4 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 13
  13. 13. ÁGUA SUPERFICIAL AQUÍFEROS recursos hídricos superficiais recursos hídricos subterrâneos“No conjunto, Portugal continental encontra-se numa situação de stresshídrico moderado, mas encerra realidades regionais muito diversas.” In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p4 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 14
  14. 14. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p4disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 15
  15. 15. A floresta, as matas e os perímetros florestais.“Os espaços florestais, para além do valor directo, resultante dosprodutos comercializáveis oriundos da floresta, exercem um papelambiental de grande relevância na fixação do carbono e na melhoria daqualidade do ar em geral. Os espaços florestais asseguram ainda adefesa contra a erosão, contribuem para a correcção dos regimeshídricos e de qualidade da água. Apresentam ainda estreita relação coma biodiversidade e os restantes recursos biológicos. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p4 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 16
  16. 16. In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃOdisponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 17
  17. 17. “A energia é uma componente basilar no funcionamento de qualquer sociedade”“O país tem boas condições para a produção de energia de fontes renováveis.” In: OS RECURSOS NATURAIS EM PORTUGAL: INVENTARIAÇÃO E PROPOSTA DE UM MODELO GEOGRÁFICO DE AVALIAÇÃO , p10 disponível em http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 18
  18. 18. IL 2011 19
  19. 19. IL 2011 20
  20. 20. IL 2011 21
  21. 21. •http://www.apgeo.pt/files/docs/CD_X_Coloquio_Iberico_Geografia/pdfs/089.pdf IL 2011 22
  22. 22. IL 2011 23

×