Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias

on

  • 286 views

Este trabalho apresenta a abordagem de desenvolvimento urbano de baixo impacto para o planejamento e manejo de águas, com enfoque especial às águas pluviais, além de avaliar perspectivas quanto à ...

Este trabalho apresenta a abordagem de desenvolvimento urbano de baixo impacto para o planejamento e manejo de águas, com enfoque especial às águas pluviais, além de avaliar perspectivas quanto à sustentabilidade.

Statistics

Views

Total Views
286
Views on SlideShare
286
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias Presentation Transcript

  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias Verdes para a Sustentabilidade das Águas Urbanas Eliézer Cláudio Ribeiro Silva Igor Itaci Stelmastchuk da Silva RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos Volume 17 n.2 - Abr/Jun 2012, 9-18 Christopher Freire Souza; Marcus Aurélio Soares Cruz; Carlos Eduardo Morelli Tucci Instituto de Pesquisas Hidráulicas — UFRGS
  • Tópicos • Introdução • Objetivo • Evolução de Sistemas de Drenagem de Águas Pluviais • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto (LID) • Considerações Finais
  • Introdução • Evolução no Tratamento das Águas Urbanas – Início do século XX • Evacuação dos efluentes o mais rápido possível – Final da década de 60 • Impactos negativos evidentes • Investimentos em tratamentos de esgoto – Final dos anos 90 • Reconhecimento da importância do solo e vegetação • Sistemas Naturais de Drenagem (infiltração, evapotranspiração, contato da água com bactérias e plantas)
  • Introdução • Sistemas Naturais de Drenagem Mais Avançados – Abordagem Americana LID (Low Impact Development) – Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto. Adotado no Brasil – Abordagem Australiana WSUD (Water Sensitive Urban Design) – Abordagem Britânica SuDS (Sustainable Drainage Systems) – Sistemas de Drenagem Sustentáveis
  • Introdução • Cenário Brasileiro – Crescimento urbano com impermeabilização massiva de áreas e canalizações artificiais (galerias) – Baixa eficiência dos sistemas hídricos – Baixo grau de reaproveitamento de água
  • Objetivo Este trabalho apresenta a abordagem de desenvolvimento urbano de baixo impacto para o planejamento e manejo de águas, com enfoque especial às águas pluviais, além de avaliar perspectivas quanto à sustentabilidade.
  • Evolução de Sistemas de Drenagem de Águas Pluviais • Idade Antiga – Conceito “tout à la rue” • Século XVIII – Conceito higienista de drenagem – “tout à l’égout” • Fim do Século XIX – Separação de esgotos pluviais dos cloacais. • Década de 70 – Best Management Practices (BMPs) – Manejo de Águas Pluviais • Década de 90 – LID
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Dispositivos de controle de águas pluviais – Preparo de Solo
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Biorretenção
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Telhados Verdes
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Pavimentos Permeáveis
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Coletores de água de chuva
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Fundações Verdes
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Seleção de Espécies Vegetais
  • Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto • Seleção de Dispositivos
  • Considerações Finais • Extrema necessidade de sanar problemas atuais de tratamento, suprimento e deposição adequada de água em meio urbano • Estimular reformas para aplicação do LID • Drenar apenas efluentes de qualidade assimilável para áreas vegetadas