Resumo de animais peçonhentos

9,717 views
9,267 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,717
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
100
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo de animais peçonhentos

  1. 1. Acidentes com animais Peçonhentos OfidismoA maioria das serpentes tem hábitos noturnos e terrícola . Alimenta-se , de roedores(ratos,preás, etc.),que geralmente se reproduzem em locais próximos a residência devidoa disponibilidade de alimentos e lixos.A gravidade depende da quantidade de venenoinoculado,região atingida e espécie envolvida.Os animais peçonhentos possuem aparelho inoculador diferente dos animais venenosasque produzem seu veneno, mas não possuem aparelho inoculador, provocandoenvenenamento por contato, compreensão ou ingestão.Envenenamento por OfídicosSão provocados por picadas de serpentes venenosa.Algumas características para diferenciar os animais peçonhentos dos não peçonhentos .Animais peçonhentos:- dentes maxilar superior têm duas presas.- Presença de fosseta loreal, órgão sensorial;- presença de guizo ou chocalho no final da cauda;-cabeça achatada e triangular;- agressiva , se perseguida , ataca;Animais não peçonhentos:- cabeça estreita e arredondada;- dentes pequenos;- cauda longa e fina;- não possui fosseta loreal;- menos agressiva , se perseguida , fogeCada gênero possui uma ação própria quanto ao veneno.Os gêneros mais comuns são:
  2. 2. Bothrops - acidentes botrópico- representado pela jararaca. Possui fosseta loreal, viveem locais úmidos, muito agressiva. Picada dolorosa, região avermelhada, com edema ediminuição do volume urinário.Crotálus -acidentes crotálico – representado pela cascavel. Possui fosseta loreal e temum chocalho no final da cauda .Vive em locais secos.A picada é dolorosa , sem sinaisda picada no local , dor persistente , visão turva , paralisia dos músculos atingidos e dopescoço e volume urinário normal.Micrurus (Elapidal) – acidentes elapídico- representado pelas corais ,muito venenosas.As corais verdadeiras são raras no Brasil.São serpentes peçonhentas que não possuemfosseta loreal nem aparelho inoculador , que é uma exceção ao grupo . O veneno éinoculado através dos pequenos dentes fixos.A sua picada é menos dolorosa ,sem sinalde picada no local e no local fica adormecido .Laquético – representados pelas as surucucu , surucutinga e surucucu-pico-de-jaca , sãoas que apresentam maior tamanho,são encontradas nas florestas litorâneas do Rio deJaneiro e em todo vale amazônico.No local da picada inchaço e vermelhidão , dorpersistente.Soros específicos para tratamento de picadas de cobrasA identificação é feita através do animal ou sintomas apresentados.Com isso otratamento é feito com soros específicos que neutralizam a ação do veneno. Tipos de sorosSoro antibotrópico – neutraliza o veneno de serpentes do gênero Bothrops.Soro anticrotálico - neutraliza o veneno de serpentes do gênero Crotalus.Soro antilaquésico - neutraliza o veneno de serpentes do tipo surucucu.Soro antielapídico - neutraliza o veneno de serpentes do tipo corais.Soro antiofídico - neutraliza o veneno de serpentes do gênero Bothrops e Crotalus.Éusado quando não se conhece o tipo de serpente que picou.Não possui efeito nenhumsobre as picadas de corais. AraneísmoCONCEITO: Envenenamento causado pela inoculação de toxinas através do aparelhoinoculador (quelíceras) de aranhas.
  3. 3. AGENTES CAUSAIS: As aranhas peçonhentas que tem maior interesse médico noBrasil são as dos gêneros Loxosceles (aranha-marrom), Phoneutria (aranha Armadeira)e Latrodectus (viúva-negra). O gênero Loxosceles pode ser encontrado em todo o país, principalmente na região Sul. Tem como nome popular Aranha-marrom, que mede de 3 a 4 cm de comprimento. Uma das características para reconhecê-la é seu tipo de teia que é irregular de aspecto parecido com algodão. Essa espécie abriga-se principalmente em ambientes com pouca iluminação e movimentação como frestas de árvores, paredes, rodapés; embaixo de móveis, etc.  Manifestações Clinicas:  Locais - a picada é pouco dolorosa, às vezes pode não ser sentida; após algumas horas, tornam-se evidentes dor e edema na região da picada. O gênero Phoneutria tem maior incidência no Sul e Sudeste. Com o nome popular de Aranha Armadeira, com um comprimento de até 4,0 cm. Diferente da Aranha-marrom, a Armadeira não faz teia, e uma característica igual entre essas duas espécies é a atividade caçadora noturna. Durante o dia abriga-se em lugares escuros e úmidos: troncos, folhas das bananeiras; nas casas: em sapatos, atrás de móveis, etc.  Manifestações Clínicas:  Locais – no começo é o sintoma mais intenso, podendo ser bem maior nas primeiras horas.  Sistêmicas – associado ao quadro local, os pacientes podem apresentar taquicardia, hipertensão arterial, vômitos. Crianças podem apresentar manifestações graves, como choque e edema pulmonar agudo que podem eventualmente levar a morte. As espécies do gênero Latrodectus são encontradas principalmente no litoral da região Nordeste. Conhecida como Viúva-negra ou Flamenguinha, medindo de 4 a 5 cm de comprimento. Constrói teias irregulares entre vegetações arbustivas e gramíneas. Esconde-se, dentro de construções, em ambientes que tenham sombra, etc.  Manifestações clínicas:
  4. 4.  Locais – geralmente o quadro se inicia com dor no local da picada, essa dor tem pequena intensidade, depois evolui com sensação de queimação.  Sistêmicas – Apresentam com maior frequência alterações motoras, como dor irradiada e contrações espasmódicas dos membros inferiores. Outras manifestações, menos frequentes, incluem taquicardia, hipertensão arterial, náuseas, vômitos, entre outras.TRATAMENTO –O tratamento depende do gênero da aranha e da classificação do acidente(leve, moderado, grave), o paciente pode ser tratado da seguinte forma: Loxosceles: CLASSIFICAÇÃO TRATAMENTO Leve Analgésicos Moderado Soro antiaracnídeo (SAA) ou antiloxoscélico (SALox) Grave Soro antiaracnídeo (SAA) ou antiloxoscélico (SALox) Foneutrismo: CLASSIFICAÇÃO TRATAMENTO Leve Analgésicos Moderado Soro antiaracnídeo (SAA) Grave Soro antiaracnídeo (SAA) Latrodectus: CLASSIFICAÇÃO TRATAMENTO Leve Analgésicos Moderado Soro antiaracnídeo (SAA)
  5. 5. Grave Soro antiaracnídeo (SAA) Acidentes por LepdópterosA importância das lagartas de mariposas (lepidópteros) em saúde pública se deve aosefeitos causados pelo contato das cerdas de algumas espécies que contêm toxinas.Somente a fase larval (lagartas) desses animais é capaz de produzir efeitos sobre oorganismo; as demais (pupa, ovo e mariposa) são inofensivas, exceto as mariposasfêmeas adultas do gênero Hylesia (Saturniidae), as quais apresentam cerdas noabdômen que, em contato com a pele, podem causar dermatite papulopruriginosa. NoBrasil, as espécies de lagartas que mais causam acidentes pertencem às famíliasMegalopygidae (megalopigídeos) e Saturniidae (saturnídeos). Destaca-se entre ossaturnídeos o gênero Lonomia, único responsável por envenenamento sistêmico,diferentemente das demais lagartas que causam apenas quadro local benigno.1. O que é?A lagarta (taturana, marandová, mandorová, mondrová, ruga, oruga) é uma das fases dociclo biológico de um lepidóptero (mariposas e borboletas). Embora sejam encontradasvárias espécies na natureza, as lagartas do gênero Lonomia são as que têm maiorrelevância para a saúde pública, pois podem ocasionar acidentes graves, e mesmomortes, pela inoculação do veneno no organismo, através do contato das cerdasurticantes com a pele.3. Quais os agentes envolvidos?Os megalopigídeos (lagartas “cabeludas”) são geralmente solitárias e não-agressivas, de1 a 8 cm de comprimento, possuem “pelos” dorsais longos e sedosos de coloridovariado (castanho, branco, negro, róseo) camuflando as verdadeiras cerdas pontiagudase urticantes. Os saturnídeos (lagartas “espinhudas”) vivem em grupos, possuem cerdasurticantes em forma de espinhos semelhantes a pequenos pinheiros verdes distribuídosno dorso da lagarta, não possuindo pêlos sedosos. A Lonomia geralmente tem coloraçãomarrom esverdeada, com várias formações brancas em forma de “U” ao longo da partesuperior (dorsal) do corpo.4. Quais os sintomas?Normalmente os acidentes com lagartas ocorrem quando o indivíduo toca o animal, aoencostar-se em local onde estas se encontram (em geral tronco de árvores), ou aespreme ao manusear a vegetação. O contato com as cerdas pontiagudas faz com que oveneno contido nos "espinhos" seja injetado na pessoa. A dor na maioria dos casos éviolenta, irradiando-se do local da "queimadura" para outras regiões do corpo. No casoda Lonomia, algumas vezes aparecem complicações, como sangramento na gengiva eaparecimento de sangue na urina.5. Quais os primeiros socorros em caso de acidente?Lavar o local da picada com água fria ou gelada e sabão; não fazer torniquete ougarrote, não furar, não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local daferida e nem aplicar folhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção;não ingerir pinga, querosene, ou fumo; levar o indivíduo imediatamente ao serviço desaúde mais próximo para que possa receber o tratamento em tempo.6. Como tratar?Dependendo da lagarta, os sintomas podem tratados com medidas para alívio da dor,como compressas frias ou geladas; nos casos de suspeita de acidente com Lonomia, o
  6. 6. paciente deve ser levado ao serviço de saúde mais próximo para se avaliar a necessidadede soro.7. Como se prevenir?Ao coletar frutas no pomar, realizar atividades de jardinagem ou em qualquer outra emambientes silvestres, observar bem o local, troncos, folhas, gravetos antes de manuseá-los, fazendo sempre o uso de luvas para evitar o acidente. A incidência maior deacidentes deve-se ao desmatamento, queimadas, extermínio de predadores naturais,loteamentos sem planejamento e sem avaliação do impacto ecológico que isto acarreta,obrigando a procura destas espécies por outros ambientes para sobreviver e onde se dá ocontato com o homem. Acidentes por Escorpionismo1. O que é?O acidente escorpiônico ou escorpionismo é o quadro decorrente da inoculação doveneno, introduzido no organismo pelo aguilhão presente na cauda do escorpião.2. Quais os agentes envolvidos?Os escorpiões ou lacraus pertencem ao filo dos artrópodes e da classe dos aracnídeos.Têm como característica o corpo dividido em duas partes (cefalotórax e abdômen). Nocefalotórax, também chamado de prossoma, estão localizados os 4 pares de pernas e 1par de pinças. Após o último segmento do abdômen fica localizado o órgão inoculadorde veneno denominado télson. São encontrados em praticamente todos os ambientes,porém o crescimento desordenado dos centros urbanos propicia condições cada vezmais favoráveis à instalação e proliferação desses animais junto às habitações, emambientes peri e intradomiciliares. Encontram esconderijos em terrenos baldios, velhasconstruções, sob o entulho, pilhas de madeira, tijolos, caixas de luz etc.3. Quais os sintomas?A picada por escorpião leva a dor no local, de início imediato e intensidade variável,com boa evolução na maioria dos casos, porém crianças podem apresentarmanifestações graves, como náuseas e vômitos, alteração da pressão sanguínea, agitaçãoe falta de ar.4. Quais os primeiros socorros em caso de acidente?Lavar o local da picada com água e sabão; não fazer torniquete ou garrote, não furar,não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local da ferida e nem aplicarfolhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção; não dar à vítima pinga,querosene, ou fumo, como é costume em algumas regiões do país; levar a vítimaimediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamentoem tempo.5. Como tratar?Fazer compressas mornas e analgésicos para alívio da dor até chegar a um serviço desaúde para as medidas necessárias e avaliar a necessidade ou não de soro.6. Como se prevenir?
  7. 7. Usar calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem; examinar calçados e roupaspessoais, de cama e banho, antes de usá-las; não acumular lixo orgânico, entulhos emateriais de construção; vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos; manter limpos oslocais próximos das residências, jardins, quintais, paióis e celeiros; combater aproliferação de insetos, principalmente baratas e cupins; preservar predadores naturaiscomo seriemas, corujas, sapos, lagartixas e galinhas; limpar terrenos baldios pelo menosna faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas. ACIDENTES POR HIMENÓPTEROS • Apidae (abelhas e mamangavas), • Vespidae (vespa amarela, vespão e marimbondo ou caba) e, • Formicidae (formigas).Ações do veneno • Peptídeos ativos como melitina e a apamina, aminas como histamina e serotonina entre outras; • A fosfolipase A2, o principal alérgeno, e a melitina representam aproximadamente 75% dos constituintes químicos do veneno-São agentes bloqueadores neuromusculares. Podendo provocar paralisia respiratória, possuem poderosa ação destrutiva sobre membranas biológicas, como por exemplo sobre as hemácias, produzindo hemólise; • A apamina representa cerca de 2% do venenototal e se comporta como neurotoxina de ação motora. • O cardiopeptídeo, não tóxico, tem ação semelhante às drogas ß adrenérgicas e demonstra propriedades antiarrítmicas; • O peptídeo MCD, fator degranulador de mastócitos, é um dos responsáveis pela liberação de histamina e serotonina no organismo dos animais picados.Quadro clínicoAs manifestações clínicas podem ser: 1. alérgicas (mesmo com uma só picada) e,2. tóxicas (múltiplas picadas).Manifestações 1. Locais:
  8. 8. • dor aguda local; • vermelhidão, prurido e edema por várias horas ou dias;2. Regionais: • edema flogístico;3.Sistêmicas: a)Tegumentares: prurido generalizado, eritema, urticária e angioedema.b) Respiratórias: rinite, edema de laringe e árvore respiratória, trazendo comoconseqüência dispnéia, rouquidão,estridor e respiração asmatiforme. Pode haverbronco-espasmo.c) Digestivas: prurido no palato ou na faringe, edema dos lábios, língua, úvula eepiglote, disfagia, náuseas,cólicas abdominais ou pélvicas, vômitos e diarréia.d) Cardiocirculatórias: a hipotensão é o sinal maior, manifestando-se por tontura ouinsuficiência postural até colapso vascular total. Podem ocorrer palpitações e arritmiascardíacas e, quando há lesões preexistentes (arteriosclerose), infartos isquêmicos nocoração ou cérebro.Tratamento • A retirada dos ferrões da pele deverá ser feita por raspagem com lâmina; • Analgésico; • Anti-histaminícos. Acidente por IctismoAcidentes provocados por peixes marinhos ou fluviais
  9. 9. Ações do veneno • Os acidentes acantotóxicos (arraias, por exemplo) são de caráter necrosante e a dor é o sintoma proeminente. • É um veneno termolábil . • Os acidentes sarcotóxicos ocorrem por ingestão de peixes e frutos do mar. Os baiacus (Tetrodontidae) produzem um potente bloqueador neuromuscular que pode conduzir a vítima à paralisia consciente e óbito por falência Respiratória. • Acidentes escombróticos acontecem quando bactérias provocam descarboxilação da histidina na carne de peixes malconservados, produzindo a toxina saurina, capaz de liberar histamina em seres humanos. • Acúmulo de metil-mercúrio em peixes pescados em águas contaminadas podem produzir quadros neurológicos em humanos.Quadro clínico 1. Acantotóxico • Ferimento puntiforme ou lacerante; • Eritema e edema • Linfangite, reação ganglionar, abscedação e necrose dos tecidos no local do ferimento • infeção bacteriana secundária • Manifestações gerais como: fraqueza, sudorese, náuseas, vômitos, vertigens, hipotensão, choque e até óbito. • Complicações são: abscessos, úlceras de difícil cicatrização, infecções bacterianas secundárias, inclusive gangrena gasosa e tétano. Podem provocar amputações de segmentos do corpo.Tratamento • lavar com água ou solução fisiológica; • imergir em água quente(temperatura suportável entre 30 a 45 graus) ou colocar sobre a parte ferida compressamorna durante 30 ou 60 minutos; • deixar dreno e indicar corretamente a profilaxia do tétano, antibióticos e analgésicos.
  10. 10. 2. Sarcotóxico • sensação de formigamento da face, lábios, dedos das mãos e pés; • fraqueza muscular, mialgias, vertigens, insônia, dificuldade de marcha e distúrbios visuais. • Com o agravamento das manifestações nervosas, aparecem convulsões, dispnéia, parada respiratória e morte,que pode ocorrer nas primeiras 24 horas.A sintomatologia gastrintestinal instala-se em seguida ao início das manifestaçõesneurológicas e é caracterizada por náuseas, vômitos, dores abdominais e diarréia.A recuperação clínica do envenenamento por peixes pode se estender de semanas ameses.TratamentoÉ de suporte. Podem ser indicadas, como medidas imediatas, lavagem gástrica e laxante.Insuficiência respiratória e o choque devem ser tratados com medidas convencionais.Nos acidentes escombróticos está indicado o uso de anti-histamínico.

×