Your SlideShare is downloading. ×
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

HISTORIA GERAL DA AFRICA UNESCO 1

2,250

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,250
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Comitê Científico Internacional da UNESCO para Redação da História Geral da ÁfricaHISTÓRIA GERALDA ÁFRICA I •Metodologiae pré-história da ÁfricaEDITOR J. KI-ZERBOUNESCO Representação no BRASILMinistério da Educação do BRASILUniversidade Federal de São Carlos
  • 2. Comitê Científico Internacional da UNESCO para Redação da História Geral da ÁfricaHISTÓRIA GERAL DA ÁFRICA • IMetodologia e pré‑história da África
  • 3. Coleção História Geral da África da UNESCOVolume I Metodologia e pré-história da África (Editor J. Ki-Zerbo)Volume II África antiga (Editor G. Mokhtar)Volume III África do século VII ao XI (Editor M. El Fasi) (Editor Assistente I. Hrbek)Volume IV África do século XII ao XVI (Editor D. T. Niane)Volume V África do século XVI ao XVIII (Editor B. A. Ogot)Volume VI África do século XIX à década de 1880 (Editor J. F. A. Ajayi)Volume VII África sob dominação colonial, 1880-1935 (Editor A. A. Boahen)Volume VIII África desde 1935 (Editor A. A. Mazrui) (Editor Assistente C. Wondji)Os autores são responsáveis pela escolha e apresentação dos fatos contidos neste livro,bem como pelas opiniões nele expressas, que não são necessariamente as da UNESCO,nem comprometem a Organização. As indicações de nomes e apresentação domaterial ao longo deste livro não implicam a manifestação de qualquer opinião por parteda UNESCO a respeito da condição jurídica de qualquer país, território, cidade, regiãoou de suas autoridades, tampouco da delimitação de suas fronteiras ou limites.
  • 4. Comitê Científico Internacional da UNESCO para Redação da História Geral da ÁfricaHISTÓRIA GERALDA ÁFRICA • IMetodologia epré‑históriada ÁfricaEDITOR JOSEPH KI‑ZERBO Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura
  • 5. Esta versão em português é fruto de uma parceria entre a Representação da UNESCO no Brasil, aSecretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação doBrasil (Secad/MEC) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).Título original: General History of Africa, I: Methodology and African Prehistory. Paris: UNESCO;Berkley, CA: University of California Press; London: Heinemann Educational Publishers Ltd., 1981.(Primeira edição publicada em inglês).© UNESCO 2010 (versão em português com revisão ortográfica e revisão técnica)Coordenação geral da edição e atualização: Valter Roberto SilvérioPreparação de texto: Eduardo Roque dos Reis FalcãoRevisão técnica: Kabengele MunangaRevisão e atualização ortográfica: Cibele Elisa Viegas AldrovandiProjeto gráfico e diagramação: Marcia Marques / Casa de Ideias; Edson Fogaça e Paulo Selveira /UNESCO no Brasil História geral da África, I: Metodologia e pré-história da África / editado por Joseph Ki-Zerbo. – 2.ed. rev. – Brasília : UNESCO, 2010. 992 p. ISBN: 978-85-7652-123-5 1. História 2. Pré‑história 3. Historiografia 4. Métodos históricos 5. Tradição oral 6. História africana 7. Culturas africanas 8. Arqueologia 9. Línguas africanas 10. Artes africanas 11. Norte da África 12. Leste da África 13. Oeste da África 14. Sul da África 15. África Central 16. África I. Ki-Zerbo, Joseph II. UNESCO III. Brasil. Ministério da Educação IV. Universidade Federal de São CarlosOrganização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)Representação no BrasilSAUS, Quadra 5, Bloco H, Lote 6, Ed. CNPq/IBICT/UNESCO, 9º andar70070-912 – Brasília – DF – BrasilTel.: (55 61) 2106-3500Fax: (55 61) 3322-4261Site: www.unesco.org/brasiliaE-mail: grupoeditorial@unesco.org.brMinistério da Educação (MEC)Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC)Esplanada dos Ministérios, Bl. L, 2º andar70047-900 – Brasília – DF – BrasilTel.: (55 61) 2022-9217Fax: (55 61) 2022-9020Site: http://portal.mec.gov.br/index.htmlUniversidade Federal de São Carlos (UFSCar)Rodovia Washington Luis, Km 233 – SP 310Bairro Monjolinho13565-905 – São Carlos – SP – BrasilTel.: (55 16) 3351-8111 (PABX)Fax: (55 16) 3361-2081Site: http://www2.ufscar.br/home/index.phpImpresso no Brasil
  • 6. SUMÁRIO V SUMÁRIOApresentação ...................................................................................VIINota dos Tradutores .......................................................................... IXCronologia ....................................................................................... XILista de Figuras ............................................................................. XIIIPrefácio ..........................................................................................XXIApresentação do Projeto ..............................................................XXVIIIntrodução Geral ......................................................................... XXXICapítulo 1 A evolução da historiografia da África.................................... 1Capítulo 2 Lugar da história na sociedade africana ................................ 23Capítulo 3 Tendências recentes das pesquisas históricas africanas e contribuição à história em geral .......................................... 37Capítulo 4 Fontes e técnicas específicas da história da África Panorama Geral ................................................................... 59Capítulo 5 As fontes escritas anteriores ao século XV ........................... 77Capítulo 6 As fontes escritas a partir do século XV ............................ 105Capítulo 7 A tradição oral e sua metodologia ..................................... 139Capítulo 8 A tradição viva ................................................................... 167Capítulo 9 A Arqueologia da África e suas técnicas. Processos de datação ............................................................................... 213
  • 7. VI Metodologia e pré-história da ÁfricaCapítulo 10 Parte I: História e linguística ............................................ 247 Parte II: Teorias relativas às “raças” e história da África.... 283Capítulo 11 Migrações e diferenciações étnicas e linguísticas .............. 295Capítulo 12 Parte I: Classificação das línguas da África....................... 317 Parte II: Mapa linguístico da África ................................. 337Capítulo 13 Geografia histórica: aspectos físicos .................................. 345Capítulo 14 Geografia histórica: aspectos econômicos ......................... 367Capítulo 15 Os métodos interdisciplinares utilizados nesta obra ......... 387Capítulo 16 Parte I: Quadro cronológico das fases pluviais e glaciais da África ........................................................................... 401 Parte II: Quadro cronológico das fases pluviais e glaciais da África ........................................................................... 417Capítulo 17 Parte I: A hominização: problemas gerais ......................... 447 Parte II: A hominização: problemas gerais ....................... 471Capítulo 18 Os homens fósseis africanos ............................................. 491Capítulo 19 A Pré-História da África oriental .................................... 511Capítulo 20 Pré-História da África austral ........................................... 551Capítulo 21 Parte I: Pré-História da África central.............................. 591 Parte II: Pré- História da África central .......................... 615Capítulo 22 Pré-História da África do norte........................................ 637Capítulo 23 Pré-História do Saara ....................................................... 657Capítulo 24 Pré-História da África ocidental ....................................... 685Capítulo 25 Pré-História do vale do Nilo ............................................ 715Capítulo 26 A arte pré-histórica africana ............................................. 743Capítulo 27 Origens, desenvolvimento e expansão das técnicas agrícolas............................................................................. 781Capítulo 28 Descoberta e difusão dos metais e desenvolvimento dos sistemas sociais até o século V antes da Era Cristã .......... 803Conclusão Da natureza bruta à humanidade liberada ......................... 833Membros do Comitê Científico Internacional para a Redação deuma História Geral da África ............................................................853Dados Biográficos dos Autores do Volume I ......................................855Abreviações e Listas de Periódicos ....................................................859Referências Bibliográficas ................................................................865Índice Remissivo..............................................................................927
  • 8. APRESENTAÇÃO VII APRESENTAÇÃO “Outra exigência imperativa é de que a história (e a cultura) da África devem pelo menos ser vistas de dentro, não sendo medidas por réguas de valores estranhos... Mas essas conexões têm que ser analisadas nos termos de trocas mútuas, e influências multilaterais em que algo seja ouvido da contribuição africana para o desenvolvimento da espécie humana”. J. Ki-Zerbo, História Geral da África, vol. I, p. LII. A Representação da UNESCO no Brasil e o Ministério da Educação têm a satis-fação de disponibilizar em português a Coleção da História Geral da África. Em seusoito volumes, que cobrem desde a pré-história do continente africano até sua históriarecente, a Coleção apresenta um amplo panorama das civilizações africanas. Com suapublicação em língua portuguesa, cumpre-se o objetivo inicial da obra de colaborar parauma nova leitura e melhor compreensão das sociedades e culturas africanas, e demons-trar a importância das contribuições da África para a história do mundo. Cumpre-se,também, o intuito de contribuir para uma disseminação, de forma ampla, e para umavisão equilibrada e objetiva do importante e valioso papel da África para a humanidade,assim como para o estreitamento dos laços históricos existentes entre o Brasil e a África. O acesso aos registros sobre a história e cultura africanas contidos nesta Coleção sereveste de significativa importância. Apesar de passados mais de 26 anos após o lança-mento do seu primeiro volume, ainda hoje sua relevância e singularidade são mundial-mente reconhecidas, especialmente por ser uma história escrita ao longo de trinta anospor mais de 350 especialistas, sob a coordenação de um comitê científico internacionalconstituído por 39 intelectuais, dos quais dois terços africanos. A imensa riqueza cultural, simbólica e tecnológica subtraída da África para o conti-nente americano criou condições para o desenvolvimento de sociedades onde elementoseuropeus, africanos, das populações originárias e, posteriormente, de outras regiões domundo se combinassem de formas distintas e complexas. Apenas recentemente, tem-se considerado o papel civilizatório que os negros vindos da África desempenharamna formação da sociedade brasileira. Essa compreensão, no entanto, ainda está restritaaos altos estudos acadêmicos e são poucas as fontes de acesso público para avaliar estecomplexo processo, considerando inclusive o ponto de vista do continente africano.
  • 9. VIII Metodologia e pré-história da África A publicação da Coleção da História Geral da África em português é também resul-tado do compromisso de ambas as instituições em combater todas as formas de desigual-dades, conforme estabelecido na Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948),especialmente no sentido de contribuir para a prevenção e eliminação de todas as formasde manifestação de discriminação étnica e racial, conforme estabelecido na ConvençãoInternacional sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial de 1965. Para o Brasil, que vem fortalecendo as relações diplomáticas, a cooperação econô-mica e o intercâmbio cultural com aquele continente, essa iniciativa é mais um passoimportante para a consolidação da nova agenda política. A crescente aproximação comos países da África se reflete internamente na crescente valorização do papel do negrona sociedade brasileira e na denúncia das diversas formas de racismo. O enfrentamentoda desigualdade entre brancos e negros no país e a educação para as relações étnicase raciais ganhou maior relevância com a Constituição de 1988. O reconhecimento daprática do racismo como crime é uma das expressões da decisão da sociedade brasileirade superar a herança persistente da escravidão. Recentemente, o sistema educacionalrecebeu a responsabilidade de promover a valorização da contribuição africana quando,por meio da alteração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) ecom a aprovação da Lei 10.639 de 2003, tornou-se obrigatório o ensino da história eda cultura africana e afro-brasileira no currículo da educação básica. Essa Lei é um marco histórico para a educação e a sociedade brasileira por criar, viacurrículo escolar, um espaço de diálogo e de aprendizagem visando estimular o conheci-mento sobre a história e cultura da África e dos africanos, a história e cultura dos negrosno Brasil e as contribuições na formação da sociedade brasileira nas suas diferentesáreas: social, econômica e política. Colabora, nessa direção, para dar acesso a negros enão negros a novas possibilidades educacionais pautadas nas diferenças socioculturaispresentes na formação do país. Mais ainda, contribui para o processo de conhecimento,reconhecimento e valorização da diversidade étnica e racial brasileira. Nessa perspectiva, a UNESCO e o Ministério da Educação acreditam que esta publica-ção estimulará o necessário avanço e aprofundamento de estudos, debates e pesquisas sobrea temática, bem como a elaboração de materiais pedagógicos que subsidiem a formaçãoinicial e continuada de professores e o seu trabalho junto aos alunos. Objetivam assim comesta edição em português da História Geral da África contribuir para uma efetiva educaçãodas relações étnicas e raciais no país, conforme orienta as Diretrizes Curriculares Nacionaispara a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Africana aprovada em 2004 pelo Conselho Nacional de Educação.Boa leitura e sejam bem-vindos ao Continente Africano. Vincent Defourny Fernando Haddad Representante da UNESCO no Brasil Ministro de Estado da Educação do Brasil
  • 10. NOTA DOS TRADUTORES IX NOTA DOS TRADUTORES A Conferência de Durban ocorreu em 2001 em um contexto mundial dife-rente daquele que motivou as duas primeiras conferências organizadas pelaONU sobre o tema da discriminação racial e do racismo: em 1978 e 1983 emGenebra, na Suíça, o alvo da condenação era o apartheid. A conferência de Durban em 2001 tratou de um amplo leque de temas, entreos quais vale destacar a avaliação dos avanços na luta contra o racismo, na lutacontra a discriminação racial e as formas correlatas de discriminação; a avaliaçãodos obstáculos que impedem esse avanço em seus diversos contextos; bem comoa sugestão de medidas de combate às expressões de racismo e intolerâncias. Após Durban, no caso brasileiro, um dos aspectos para o equacionamentoda questão social na agenda do governo federal é a implementação de políticaspúblicas para a eliminação das desvantagens raciais, de que o grupo afrodescen-dente padece, e, ao mesmo tempo, a possibilidade de cumprir parte importantedas recomendações da conferência para os Estados Nacionais e organismosinternacionais. No que se refere à educação, o diagnóstico realizado em novembro de 2007,a partir de uma parceria entre a UNESCO do Brasil e a Secretaria de EducaçãoContinuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (SECAD/MEC), constatou que existia um amplo consenso entre os diferentes participan-tes, que concordavam, no tocante a Lei 10.639-2003, em relação ao seu baixograu de institucionalização e sua desigual aplicação no território nacional. Entre
  • 11. X Metodologia e pré-história da Áfricaos fatores assinalados para a explicação da pouca institucionalização da lei estavaa falta de materiais de referência e didáticos voltados à História de África. Por outra parte, no que diz respeito aos manuais e estudos disponíveis sobrea História da África, havia um certo consenso em afirmar que durante muitotempo, e ainda hoje, a maior parte deles apresenta uma imagem racializada eeurocêntrica do continente africano, desfigurando e desumanizando especial-mente sua história, uma história quase inexistente para muitos até a chegadados europeus e do colonialismo no século XIX. Rompendo com essa visão, a História Geral da África publicada pela UNESCOé uma obra coletiva cujo objetivo é a melhor compreensão das sociedades e cul-turas africanas e demonstrar a importância das contribuições da África para ahistória do mundo. Ela nasceu da demanda feita à UNESCO pelas novas naçõesafricanas recém-independentes, que viam a importância de contar com uma his-tória da África que oferecesse uma visão abrangente e completa do continente,para além das leituras e compreensões convencionais. Em 1964, a UNESCOassumiu o compromisso da preparação e publicação da História Geral da África.Uma das suas características mais relevantes é que ela permite compreendera evolução histórica dos povos africanos em sua relação com os outros povos.Contudo, até os dias de hoje, o uso da História Geral da África tem se limitadosobretudo a um grupo restrito de historiadores e especialistas e tem sido menosusada pelos professores/as e estudantes. No caso brasileiro, um dos motivosdesta limitação era a ausência de uma tradução do conjunto dos volumes quecompõem a obra em língua portuguesa. A Universidade Federal de São Carlos, por meio do Núcleo de EstudosAfrobrasileiros (NEAB/UFSCar) e seus parceiros, ao concluir o trabalho detradução e atualização ortográfica do conjunto dos volumes, agradece o apoioda Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD),do Ministério da Educação (MEC) e da UNESCO por terem propiciado ascondições para que um conjunto cada vez maior de brasileiros possa conhecer eter orgulho de compartilhar com outros povos do continente americano o legadodo continente africano para nossa formação social e cultural.
  • 12. Cronologia XI CRONOLOGIA Na apresentação das datas da pré-história convencionou-se adotar dois tiposde notação, com base nos seguintes critérios: • Tomando como ponto de partida a época atual, isto é, datas B.P. (before present), tendo como referência o ano de +1950; nesse caso, as datas são todas negativas em relação a +1950. • Usando como referencial o início da Era Cristã; nesse caso, as datas são simplesmente precedidas dos sinais - ou +. No que diz respeito aos séculos, as menções “antes de Cristo” e “depois deCristo” são substituídas por “antes da Era Cristã”, “da Era Cristã”. Exemplos: (i) 2300 B.P. = -350 (ii) 2900 a.C. = -2900 1800 d.C. = +1800 (iii) século V a.C. = século V antes da Era Cristã século III d.C. = século III da Era Cristã
  • 13. Lista de Figuras XIII LISTA DE FIGURASFigura 2.1 Estatueta em bronze representando o poder dinástico dos Songhai (Tera Níger). ......................................................................................................... 27Figura 4.1 Baixo-relevo do Museu de Abomey ..................................................................... 71Figura 5.1 Manuscrito árabe (verso) n. 2291, fólio 103 Ibn Battuta (2a parte), referência ao Mali ............................................................................................... 102Figura 6.1 Fac-símile de manuscrito bamum ...................................................................... 106Figura 6.2 Fac-símile do manuscrito vai intitulado “An Early Vai Manuscript” ................. 134Figura 8.1 Músico tukulor tocando o “ardin”....................................................................... 179Figura 8.2 Cantor Mvet ...................................................................................................... 179Figura 8.3 Tocador de Valiha. O instrumento é de madeira com cordas de aço ................. 194Figura 8.4 “Griot hutu” imitando o “mwami” caído ............................................................ 194Figura 9.1 Microfotografia de uma secção da fateixa de cobre pertencente ao barco de Quéops em Gizeh.......................................................................................... 217Figura 9.2 Radiografia frontal do peito da Rainha Nedjemet, da 21a dinastia. Museu do Cairo.................................................................................................. 217Figura 9.3 Bloco de vitrificação mostrando a superfície superior plana, as paredes laterais e uma parte do cadinho ainda aderente ao lado direito .......................... 227Figura 9.4 Base de uma das colunas de arenito do templo de Buhen. Nota-se o esboroamento da camada superficial devido à eflorescência ............................... 227Figura 10.1 Estela do rei serpente ....................................................................................... 271Figura 10.2 Récade representando uma cabaça, símbolo de poder ....................................... 272Figura 10.3 Récade dedicada a Dakodonu ........................................................................... 272Figura 10.4 Leão semeando o terror.................................................................................... 272
  • 14. XIV Metodologia e pré-história da ÁfricaFigura 10.5 Pictogramas egípcios e nsibidi ......................................................................... 273Figura 10.6 Palette de Narmer ............................................................................................. 273Figura 10.7 Amostras de várias escritas africanas antigas.................................................... 274Figura 10.8 Primeira página do principal capítulo do Alcorão em vai ................................ 275Figura 10.9 Sistema gráfico vai ........................................................................................... 276Figura 10.10 Sistema gráfico mum ..................................................................................... 278Figura 10.11 Sistema pictográfico ....................................................................................... 278Figura 10.12 Sistema ideográfico e fonético-silábico .......................................................... 278Figura 11.1 Mulher haratina de Idélès. Argélia................................................................... 302Figura 11.2 Marroquino ...................................................................................................... 302Figura 11.3 Mulher e criança argelinas ............................................................................... 302Figura 11.4 Voltense ............................................................................................................ 304Figura 11.5 Mulher sarakole, Mauritânia, grupo Soninke, da região do rio ........................ 304Figura 11.6 Chefe nômade de Rkiz, Mauritânia ................................................................. 304Figura 11.7 Mulher peul bororo, Tahoura, Níger ................................................................ 306Figura 11.8 Criança tuaregue de Agadès, Níger.................................................................. 306Figura 11.9 Mulher djerma songhay de Balayera, Níger ..................................................... 306Figura 11.10 Pigmeu twa, Ruanda ...................................................................................... 308Figura 11.11 Grupo San...................................................................................................... 308Figura 11.12 Pigmeu do Congo .......................................................................................... 308Figura 11.13 Mulheres zulu ................................................................................................ 311Figura 11.14 Mulher peul ................................................................................................... 313Figura 11.15 Mulher peul das proximidades de Garoua-Boulay, Camarões ....................... 313Figura 11.16 Jovem peul do Mali ........................................................................................ 313Figura 12.1 Mapa diagramático das línguas da África ........................................................ 338Figura 13.1 África física ...................................................................................................... 347Figura 14.1 Os recursos minerais da África ........................................................................ 385Figura 16.1 Gráficos mostrando analogias entre isótopos de oxigênio (ou variações de temperatura) e a intensidade do campo magnético da Terra, em um testemunho de fundo de mar, para os últimos 450000 anos ............................ 418Figura 16.2 Gráficos mostrando analogias entre temperaturas indicadas pela microfauna e a inclinação magnética para os últimos 2 milhões de anos............................ 419Figura 16.3 Mapa das isotermas da água de superfície do oceano Atlântico em fevereiro, 18000 B.P. ........................................................................................................ 426Figura 16.4 e 16.5 Mapa mostrando diferenças na temperatura da água de superfície entre a época atual a 17000 B.P. Figura 16.4: inverno. Figura 16.5: verão. ...... 427Figura 16.6 Evolução relativa da razão pluviosidade/evaporação nos últimos 12000 anos na bacia do Chade (13° – 18° de lat. N.) .......................................................... 433Figura 16.7 Variações dos níveis lacustres nas bacias do Afar ............................................. 434Figura 16.8 Mapa das localidades fossilíferas do Plio-Pleistoceno da África oriental ........ 438
  • 15. Lista de Figuras XVFigura 16.9 Cronologia radiométrica e paleomagnética do Plioceno/Pleistoceno da África oriental, do sudoeste da Europa e do noroeste da América .................. 439Figura 16.10 Cronologia e ritmo da evolução das civilizações durante o Pleistoceno, com relação à evolução dos hominídeos ........................................................ 442Figura 16.11 Tendências gerais do clima global para o último milhão de anos.................. 443Figura 17.1 Reconstituição do meio ambiente do Faium há 40 milhões de anos. Desenhos de Bertoncini-Gaillard sob a direção de Yves Coppens .................. 450Figura 17.2 Depósitos eocênico e oligocênico do Faium, Egito.......................................... 450Figura 17.3 Os dados paleontológicos ................................................................................. 454Figura 17.4 Garganta de Olduvai, Tanzânia ....................................................................... 455Figura 17.5 Crânio de Australopithecus africanus. Da direita para a esquerda, perfil de criança (Taung, Botsuana) e de adulto (Sterkfontein, Transvaal) ..................... 455Figura 17.6 Garganta de Olduvai, Tanzânia ....................................................................... 457Figura 17.7 Sítio do Omo, Etiópia...................................................................................... 457Figura 17.8 Sítio do Omo, Etiópia...................................................................................... 458Figura 17.9 Crânios de Australopithecus boisei, sítio do Omo, Etiópia ................................. 458Figura 17.10 Sítio de Afar, Etiópia ..................................................................................... 459Figura 17.11 Crânio de Cro-Magnoide de Afalu, Argélia.................................................. 459Figura 17.12 Canteiro de escavações em Olduvai ............................................................... 461Figura 17.13 Crânios de Australopithecus robustus, à direita, e Australopithecus gracilis, à esquerda ...................................................................................................... 461Figura 17.14 Homo habilis ................................................................................................... 463Figura 17.15 Os sítios de Siwalik no Norte do Paquistão, expedição D. Pilbeam .............. 465Figura 17.16 Reconstituição do crânio de Ramapithecus ..................................................... 465Figura 17.17 Esqueleto de Oreopithecus bambolii, com 12 milhões de anos, encontrado em Grossetto (Toscana) por Johannes Hürzeler, em 1958 ............................ 465Figura 17.18 Reconstituição do meio ambiente do Homo erectus de Chu-Ku-Tien (ou Sinantropo), China (400 mil anos).......................................................... 466Figura 17.19 Homo erectus de Chu-Ku-Tien (reconstituição) .............................................. 466Figuras 17.20 e 17.21 Detalhe do solo olduvaiense (observam-se vários objetos, entre os quais, poliedros e um grande osso de hipopótamo).......................... 475Figura 17.22 Uma das mais antigas pedras lascadas do mundo .......................................... 479Figura 17.23 Uma das primeiras pedras lascadas do mundo ............................................... 479Figura 18.1 África: alguns dos sítios mais importantes de hominídeos............................... 492Figura 18.2 Crânio de Homo habilis (KNM-ER 1470). Vista lateral. Koobi Fora, Quênia.............................................................................................................. 499Figura 18.3 Crânio de Homo erectus (KNM-ER 3733). Vista lateral. Koobi Fora, Quênia ............................................................................................................. 499Figura 18.4 Crânio de Australopithecus boisei (OH5). Vista lateral. Garganta de Olduvai, Tanzânia ............................................................................................ 503Figura 18.5 Mandíbula de Australopithecus boisei (KNM-ER 729). Vista em face oclusiva. Koobi Fora, Quênia ........................................................................... 503
  • 16. XVI Metodologia e pré-história da ÁfricaFigura 18.6 Crânio de Australopithecus africanus (KNM-ER 1813). Vista lateral. Koobi Fora, Quênia.......................................................................................... 505Figura 18.7 Mandíbula de Australopithecus africanus (KNM-ER 992). Vista em face oclusiva. Koobi Fora, Quênia .................................................................... 505Figura 19.1 A pré-história na África Oriental (1974) ......................................................... 512Figura 19.2 África oriental: principais jazidas da Idade da Pedra (1974) ............................ 523Figura 19.3 Garganta de Olduvai, Tanzânia setentrional .................................................... 530Figura 19.4 Early Stone Age, primeira fase: utensílios olduvaienses típicos (“seixos lascados”). ............................................................................................ 530Figura 19.5 Early Stone Age, segunda fase: instrumentos acheulenses típicos (vista frontal e lateral). 1. picão; 2. machadinha; 3. biface ................................ 533Figura 19.6 Isimila, terras altas da Tanzânia meridional. Vista da ravina erodida mostrando as camadas onde foram encontrados utensílios acheulenses........... 535Figura 19.7 Concentração de bifaces, machadinhas e outros utensílios acheulenses (a pequena colher de pedreiro no centro serve como escala) ............................ 535Figura 19.8 Middle Stone Age e utensílios de transição: o exemplo da direita é uma ponta fina podendo ser encabada, talvez como ponta de lança ........................ 537Figura 19.9 Olorgesailie, no Rift Valley do Quênia. Escavações em um sítio de ocupação acheulense......................................................................................... 537Figura 19.10 Late Stone Age: lâmina com bordo de preensão retocado (à direita); segmento de círculo (no centro); raspador e micrólito (à esquerda), feitos de obsidiana no Rift Valley do Quênia .......................................................... 540Figura 19.11 Apis Rock (Nasera), Tanzânia setentrional. As escavações sob o abrigo, bem visível, à direita revelaram uma sucessão de ocupações humanas da Idade da Pedra Recente ................................................................................. 540Figura 20.1 Localização dos depósitos fauresmithienses e sangoenses na África austral .... 554Figura 20.2 Depósitos de fósseis humanos do Pleistoceno Superior e alguns do Pós-Pleistoceno na África austral .................................................................... 554Figura 20.3 Principais depósitos de fauna e fósseis humanos do fim do Plioceno ao início do Pleistoceno na África austral............................................................. 556Figura 20.4 Localização dos principais depósitos acheulenses na África austral ................. 556Figura 20.5 Acheulense Inferior, Sterkfontein: biface, lasca cuboide e dois núcleos ........... 563Figura 20.6 Utensílios do Acheulense Superior, de Kalambo Falls, datados de mais de 190000 anos B.P. ............................................................................................. 563Figura 20.7 Utensílios provenientes dos depósitos de Howiesonspoort .............................. 563Figura 20.8 Utensílios da Middle Stone Age, provenientes de Witkrans Cave ..................... 572Figura 20.9 Utensílios do Lupembiense Médio, de Kalambo Falls ..................................... 572Figura 20.10 Distribuição de lâminas e fragmentos de lâminas utilizadas, com relação a estruturas de blocos de dolerito, no horizonte primário em Orangia ............ 572Figura 20.11 Civilização sangoense de Zimbabwe, variante do Zambeze .......................... 578Figura 20.12 Indústrias da Middle Stone Age, provenientes de Twin Rivers (Zâmbia), datadas de 32000 a 22000 anos B.P. ............................................................. 578
  • 17. Lista de Figuras XVIIFigura 20.13 Indústrias de Pietersburg e Bambata, provenientes da gruta das Lareiras (Cave of Hearths), no Transvaal, e da gruta de Bambata, em Zimbabwe. Instrumentos característicos das regiões de arbustos espinhosos e do bushveld .......................................................................................................... 578Figura 20.14 De 1 a 12, utensílios em sílex e calcedônia, das indústrias wiltonienses da província do Cabo, na África do Sul. De 13 a 20, utensílios das indústrias de Matopan (Wiltoniense de Zimbabwe ), provenientes da caverna de Amadzimba, Matopos Hills, em Zimbabwe ................................................. 580Figura 20.15 Utensílios de madeira provenientes de depósitos do Pleistoceno na África austral ............................................................................................................ 580Figura 20.16 Lasca-enxó em forma de crescente feita de sílex negro, montada por meio de mástique sobre um cabo de chifre de rinoceronte, proveniente de uma caverna da baía de Plettenberg, no leste da província do Cabo ..................... 580Figura 21.1 Variações climáticas e indústrias pré-históricas da bacia do Zaire ................... 592Figura 21.2 Monumento megalítico da região de Buar na República Centro-Africana ..... 603Figura 21.3 Acheulense Superior. República Centro-Africana, rio Ngoere, Alto Sanga..... 603Figura 21.4 Vaso neolítico de fundo plano. República Centro-Africana, Batalimo, Lobaye ............................................................................................................ 610Figura 21.5 Zonas de vegetação da África Central ............................................................. 616Figura 21.6 Mapa da África Central com os nomes dos lugares citados no texto .............. 619Figura 22.1 Evolução da Pebble Culture para as formas do Acheulense ....................... 639Figura 22.2 Biface Acheulense – o mais evoluído da jazida de Ternifine (Argélia ocidental).......................................................................................................... 641Figura 22.3 Machados de riolito do Acheulense encontrados no sítio de Erg Tihodaine. ........................................................................................................ 643Figura 22.4 Ponta do Musteriense, El-Guettar (Tunísia) ................................................... 643Figura 22.5 “Esferoides facetados” de Ain Hanech ............................................................. 643Figura 22.6 Ateriense do Uede Djouf el-Djemel (Argélia oriental) ................................... 647Figura 22.7 Indústria do Capsiense típico........................................................................... 647Figura 22.8 Indústria de armaduras do Capsiense superior ................................................ 647Figura 22.9 Indústria do Capsiense superior ....................................................................... 647Figura 22.10 Neolítico de tradição capsiense do Damous el-Ahmar, Argélia oriental. Mó e moleta. Traços de carvão e ocre. Fragmentos de conchas de Helix ...... 654Figura 22.11 Pequena placa calcária gravada. Capsiense superior do Khanguet el-Mouhaad, Argélia oriental......................................................................... 654Figura 22.12 Ain Hanech, seixos com lascamento unifacial (chopper) ou bifacial (chopping‑tool) ................................................................................................ 655Figura 22.13 Perônio humano em forma de punhal – Capsiense superior – Mechta el-Arbi, Argélia oriental, escavações feitas em 1952 ...................................... 655Figura 23.1 Principais sítios de pinturas e gravuras rupestres saarianas .............................. 661Figura 23.2 Machado plano com entalhes, Gossolorum (Níger). ..................................... 661Figura 23.3 Machadinha de Ti-n-Assako (Mali). ............................................................... 661Figura 23.4 e 23.5 Seixos lascados (Pebble Culture), Aoulef (Saara argeliano) .................... 666
  • 18. XVIII Metodologia e pré-história da ÁfricaFigura 23.6 Biface do Paleolítico Inferior, Tachenghit (Saara argeliano). ........................... 666Figura 23.7 Machadinha do Paleolítico Inferior, Tachenghit (Saara argeliano) .................. 666Figura 23.8 Grande ponta dupla bifacial ateriense, Timimoum (Saara argeliano) .............. 670Figura 23.9 Pontas aterienses, Aoulef (Saara argeliano) ...................................................... 670Figura 23.10 Ponta dupla bifacial ateriense, Adrar Bous V (Níger) .................................... 670Figura 23.11