Tratamento Espiritual

  • 5,636 views
Uploaded on

 

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,636
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
129
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.  
  • 2. Reuniões Especializadas de Tratamento Espiritual
  • 3.
    • Embora os bons espíritos promovam sua ação benfazeja em diversas épocas e lugares, procurando levar o lenitivo a seus irmãos encarnados, e para isso recolham os recursos naturais do grande laboratório vivo da natureza, é no ambiente espiritual de uma casa espírita, onde os trabalhadores se harmonizam pelos seus pensamentos e pelo estudo das leis da vida, que mais recursos podem empregar em benefício dos irmãos sofredores, nos dois planos da vida.
  • 4.
    • No início do movimento espírita, e mesmo na atualidade, em alguns casos, as reuniões de materialização eram realizadas com o objetivo de pesquisar, enquanto outras eram realizadas visando à cura e às cirurgias mediúnicas.
  • 5.
    • Esse tipo de tratamento, em que entidades abnegadas se submetem ao contato direto com fluidos ectoplásmicos oferecidos pelos médiuns, tende a diminuir, em vista de métodos mais sutis de tratamento espiritual.
  • 6.
    • A propósito, se tais intervenções mediúnicas têm produzido, ao longo do tempo, alguns benefícios a um número razoável de pessoas, é claro que esse tipo de cura não se constituí no objetivo real do espiritismo.
  • 7.
    • Quando falamos aos meus irmãos a respeito de tratamento espiritual ou de cura, entendemos com isso a recuperação moral do indivíduo, seu reequilíbrio espiritual. O grande objetivo dos espíritos superiores é a elevação moral do ser humano.
  • 8.
    • As intervenções por meio de uma atuação mais direta no mundo das formas poderão até ocorrer, mas visando abalar as convicções materialistas dos pretensos sábios, despertando-os para a vida espiritual e para as responsabilidades que advêm dessa realidade.
  • 9.
    • Os trabalhos de materialização que, em certo tempo, ocorriam com alguma freqüência foram lentamente diminuídos, devido também à ação irresponsável e mistificadora de muitos médiuns.
  • 10.
    • Utilizando-se de recursos criados por eles mesmos, e desejosos de serem reconhecidos como médiuns de materialização, conseguiram, com sua conduta, macular a imagem do fenômeno mediúnico, que erroneamente é confundido com a própria essência da Doutrina.
  • 11.
    • Igualmente observamos, de forma lamentável, o despreparo de muitos dirigentes espíritas da atualidade, que vivem criando pretensas reuniões de materialização e cura, sob a orientação de pseudomentores, sem, contudo, haver algo de realmente produtivo em suas realizações.
  • 12.
    • Criou-se um misticismo exagerado a respeito do assunto, por falta do método científico de pesquisa.
  • 13.
    • Basta alguém ou algum espírito falar da necessidade de utilizar ectoplasma para determinado trabalho e logo tem início um triste espetáculo teatral, representado por dirigentes e médiuns mal-informados, no constante abrir de boca e na salivação exagerada e forçada, como se tentando convencer alguém de que estão exsudando o ectoplasma do qual os espíritos se utilizarão para o suposto trabalho.
  • 14.
    • Felizmente, o ridículo a que se expõem alguns desses irmãos fica restrito aos limites físicos das casas espíritas onde, em muitos casos, o misticismo substituiu, há muito, as pesquisas científicas sérias e bem orientadas e onde a imaginação e o orgulho, a hipocrisia e a mistificação de pseudoguias substituíram a presença dos verdadeiros mentores e orientadores espirituais, bem como o estudo sério e aprofundado das obras do insigne codificador, Allan Kardec.
  • 15.
    • Quando companheiros necessitados aportam em algumas casas espíritas, muitas vezes precisando de um ombro amigo, de consolo ou de orientação psicológica ou espiritual, são imediatamente conduzidos a tratamentos de desobsessão ou reuniões de cura — quando não são tratados como portadores de mediunidade —, iniciando aí uma longa caminhada espiritual cheia de equívocos, devido ao despreparo, à falta de estudos e à irresponsabilidade de dirigentes e médiuns que se julgam donos da verdade.
  • 16.
    • É necessário kardequisar os arraiais espiritistas, adotando métodos científicos de estudo, observação e pesquisa, abdicando dos achismos e voltando ao uso seguro da razão e do bom senso.
  • 17.
    • As reuniões que muitas vezes visitamos se encontram cheias de elementos humanos que distorceram os princípios espirituais da Revelação espírita.
  • 18.
    • Quantas vezes presenciamos informações desencontradas, mostrando o completo e lamentável desconhecimento das leis dos fluidos, de causa e efeito e dos demais princípios fundamentais da nossa Doutrina, necessitando-se urgentemente retornar ao estudo dos livros básicos da Codificação.
  • 19.
    • Embora as dificuldades que nós, os desencarnados, encontramos, como resultado do despreparo de muitos irmãos, mesmo assim utilizamos os elementos de que dispomos, conforme a urgência do caso o exija, mas esperamos igualmente que os pretensos seguidores da Doutrina consoladora possam iluminar suas consciências com o estudo sério e o preparo moral que os habilitem a trabalhar como auxiliares conscientes e mais eficazes dos espíritos do Senhor.
  • 20.
    • Nas reuniões sérias, realizadas com objetivos elevados e sem mistificação, utilizamos de recursos ectoplásmicos, doados pelos médiuns para as intervenções cirúrgicas realizadas no duplo etérico ou no corpo físico, quando necessárias e quando o passado espiritual dos nossos irmãos assim o permitir, sempre obedecendo à lei cármica.
  • 21.
    • Tais intervenções têm por objetivo proporcionar oportunidade a nossos irmãos, que assim forem beneficiados, de se refazerem moralmente, iluminando-se pelo conhecimento espiritual.
  • 22.
    • Segundo o conceito espiritual, toda criatura que guarde em sua intimidade algum desequilíbrio é por isso mesmo um enfermo da alma.
  • 23.
    • Desse modo, pode-se considerar que todos somos necessitados da terapêutica evangélica para nos reequilibrarmos intimamente.
  • 24.
    • Os tratamentos em nível espiritual que não visem ao restabelecimento íntimo, moral ou espiritual do ser humano colocam-se em posição contrária aos objetivos dos espíritos superiores, dos imortais que orientam os destinos de todos nós.
  • 25.
    • Tentar a promoção de médiuns, dirigentes ou agrupamentos espíritas sob o patrocínio de curas, receituários e cirurgias espirituais foge completamente ao objetivo da doutrina espírita.
  • 26.
    • Embora soe estranho aos ouvidos de meus irmãos, a reunião de tratamento espiritual que mais aconselhamos para qualquer enfermo é a reunião de estudos do Evangelho, ou aquela em que o Evangelho é a temática principal e a Doutrina é estudada com seriedade; na qual o misticismo é abolido e impera o espírito sério, coerente e racional.
  • 27.  
  • 28. Médium Robson Pinheiro Livro: Medicina da Alma Espírito Joseph Gleber