Your SlideShare is downloading. ×
0
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 5

322

Published on

Evento organizado pelo IEA polo Ribeirão Preto. …

Evento organizado pelo IEA polo Ribeirão Preto.

Tema: I Workshop em pressão intracraniana

Palestra de Brenno Cabella e Alexandre Martinez

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
322
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. MÉTODOS ESTATÍSTICOS MULTIVARIADOS PARA ANÁLISE DA FUNÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA. Alexandre Souto Martinez* Brenno CaetanoTroca Cabella I WORKSHOP EM PRESSÃO INTRACRANIANA Ribeirão Preto, 07 de outubro de 2011 Departamento de Física Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo * INCT – SistemasComplexos
  • 2. Tensão (mV) Obtenção da PIC
  • 3. Tensão (mV) Pressão (mmHg) Obtenção da PIC
  • 4. Tensão (mV) Pressão (mmHg) Obtenção da PIC
  • 5. Séries temporais relacionadas (STR) Série temporal alvo (STA)
  • 6. Séries temporais relacionadas (STR) - Pressão sanguínea arterial (PSA) -Velocidade do fluxo sanguíneo cerebral (VFSC) Ultrassom doppler transcraniano Aparelhos tonométricos Série temporal alvo (STA) - Pressão intra-craniana (PIC)
  • 7. Base de dados Medidas simultâneas: PSA,VFSC e PIC (446 amostras) Modelo
  • 8. Base de dados Medidas simultâneas: PSA,VFSC e PIC (446 amostras) Modelo
  • 9. Base de dados Medidas simultâneas: PSA,VFSC e PIC (446 amostras) Modelo
  • 10. Base de dados Medidas simultâneas: PSA,VFSC e PIC (446 amostras) Modelo
  • 11. Resultados
  • 12. Resultados
  • 13. Novo dado de entrada: Taxa de batimento cardíaco instantânea (BCI)
  • 14. Novo dado de entrada: Taxa de batimento cardíaco instantânea (BCI)
  • 15. Estudo mais detalhado da capacidade de ajuste de dados (fitting). - Gráfico da medida de dissimilaridade para cada combinação entrada-saída.
  • 16. -Teste de Friedman:Verifica se as diferenças das medidas de dissimilaridades obtidas a partir de diferentes dados de entrada são estatisticamente significativas. Resultado: significativo (p<0.001)
  • 17. -Teste de Friedman:Verifica se as diferenças das medidas de dissimilaridades obtidas a partir de diferentes dados de entrada são estatisticamente significativas. Resultado: significativo (p<0.001) -Generalidade do método; O modelo obtido a partir de um paciente pode descrever a dinâmica de outro paciente?
  • 18. -Teste de Friedman:Verifica se as diferenças das medidas de dissimilaridades obtidas a partir de diferentes dados de entrada são estatisticamente significativas. Resultado: significativo (p<0.001) -Generalidade do método; O modelo obtido a partir de um paciente pode descrever a dinâmica de outro paciente? Uso do próprio banco de dados e aplica os modelos obtidos para diferentes pacientes.
  • 19. -Melhor performance possível. Verifica o melhor resultado dentre todos os testes.
  • 20. -Acurácia geral. Média entre todos os casos.
  • 21. Proposta: Utilizar os dados da PICMI como entrada do modelo.
  • 22. Séries temporais relacionadas (STR) Série temporal alvo (STA)
  • 23. Séries temporais relacionadas (STR) Série temporal alvo (STA)
  • 24. -Ruído branco, obtido a partir de um experimento com baixa relação sinal-ruído.
  • 25. Problema: Determinação dos coeficientes:
  • 26. Para determinar os coeficientes, compara-se os sinais modelados com os medidos, através da função de dissimilaridade:
  • 27. Para determinar os coeficientes, compara-se os sinais modelados com os medidos, através da função de dissimilaridade: Quando tem valor mínimo. Portanto temos um problema de otimização com muitos mínimos.
  • 28. Para determinar os coeficientes, compara-se os sinais modelados com os medidos, através da função de dissimilaridade: Quando tem valor mínimo. Portanto temos um problema de otimização com muitos mínimos. Solução: Otimização Estocástica
  • 29. Otimização estocástica -Algoritmo genético
  • 30. -Recozimento simulado (simulated annealing) + funções de penalidade e de regularização que dependem do problema. Em suma: tem-se um belo problema inverso! Otimização estocástica
  • 31. -Introduzir “feedback” (retro alimentação) Proposta:
  • 32. -Introduzir “feedback” (retro alimentação) Proposta:
  • 33. Obrigado

×