Mercado trabalhonovembro2011

227 views
186 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
227
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mercado trabalhonovembro2011

  1. 1. Pará gera mais de 56 mil empregos formais entre janeiro e novembro deste ano.O Mercado de Trabalho Formal do Estado do Pará em Novembro de 2011. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados(CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o saldo de emprego comcarteira assinada no mês de novembro de 2011 foi de 42.735 novos postos de trabalhoem todo Brasil, elevando o estoque de emprego 0,11%. O resultado deste mês indicauma desaceleração na criação de postos de trabalho em relação aos mais de 209 milempregos formais gerados no mês imediatamente anterior. Contudo, no acumulado doano, foram criados 2.320.753 novos empregos em todo o país, sendo este o segundomelhor resultado de toda série histórica do CAGED para o período (desde 2003). Nosúltimos doze meses, a geração de empregos celetistas foi da ordem de 1.900.571 postospara o Brasil. GRÁFICO 1. SALDO DE EMPREGOS FORMAIS. BRASIL, REGIÃO NORTE E PARÁ – NOVEMBRO DE 2011. 2.500.000 2.320.753 2.000.000 1.900.571 Saldo de emprego 1.500.000 1.000.000 500.000 147.622 128.128 42.735 4.870 4.226 56.962 52.237 0 Brasil Região Norte Pará Nov./2011 No ano Últimos 12 mesesFonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP. Os saldos de empregos da Região Norte e do estado do Pará também sofreramretração comparativamente ao mês anterior, apesar de apresentarem expansão acima davariação de emprego no país. Acompanhando o comportamento do mercado de trabalho1
  2. 2. brasileiro, a geração de postos de trabalho na Região Norte foi de 4.870, enquanto que,no Estado, o saldo foi de 4.226, com seus respectivos crescimentos de 0,30% e 0,62%. Com este resultado, o Pará alcançou o melhor desempenho de toda a sériehistórica do CAGED para o período de novembro desde 2003, apresentando o melhorresultado no saldo de emprego para toda Região Norte pelo quinto mês consecutivo. Nos onze meses do ano, a variação de emprego no mercado de trabalho paraensefoi de 8,89% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada em dezembrode 2010, o equivalente a 56.962 novos empregos para o Estado. Este resultado reservouao Pará, mais uma vez, a primeira colocação na escala de geração de emprego formal noNorte do país (ver Gráfico 2). Os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia,Roraima, Pará e Tocantins somaram juntos, no ano, o saldo de 147.622, registrandocrescimento de 9,51% do emprego formal em toda Região Norte. No acumulado dosúltimos doze meses, o Pará volta a ser destaque na região, assinalando saldo de 52.237postos de trabalho e expansão 8,09%. O Gráfico 2, a seguir, apresenta o saldo de empregos de todos os estados daRegião Norte, no mês de novembro, no acumulado do ano (janeiro a novembro de2011) e nos últimos doze meses (dezembro de 2010 a novembro de 2011). GRÁFICO 2. SALDO DE EMPREGOS FORMAIS NO MÊS, NO ANO E NOS ÚLTIMOS 12 MESES. 7.861 Tocantins 10.302 169 2.433 Roraima 2.621 451 11.861 Rondônia 15.052 -1.511 52.237 Pará 56.962 4.226 42.959 Amazonas 50.336 1.303 6.679 Amapá 7.130 496 4.098 Acre 5.219 -264 128.128 REGIÃO NORTE 147.622 4.870 Dez/2010 - Nov/2011 Jan/2011-Nov/2011 Nov/2011Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP. 2
  3. 3. O Comportamento do emprego segundo Setores de AtividadeEconômica Conforme a Tabela 1, que traz dados da geração de emprego por setor deatividade econômica no Estado, verificou-se que, à exceção da Indústria deTransformação, da Agropecuária e da Extrativa Mineral, que eliminaram,respectivamente, 233, 159 e 53 postos de trabalho, todos os demais setoresapresentaram saldos positivos. Deste modo, os destaques de novembro quanto àcontribuição para saldo de emprego foram: Comércio, com a criação de 2.140 novosempregos e crescimento de 1,20%; o setor de Serviços, com a geração de 1.402 postosde trabalho; e o setor da Construção Civil, com saldo de 886 empregos formais. Nasequência, aparecem os setores de Serviços Industriais de Utilidade Pública, cujo saldode 230 empregos rendeu crescimento de 2,61% frente ao mês anterior, e daAdministração Pública, com a criação de apenas 13 postos de trabalho, o que equivale àexpansão 0,05% no mês.Tabela 1. Comportamento do emprego no Pará por setor de atividade econômica – Novembro de 2011. Total de Total de Variação do Setores de Atividade Saldo Admissões Desligamentos Emprego (%)Extrativa Mineral 198 251 -53 -0,33Indústria de Transformação 3.276 3.509 -233 -0,25Serviços Indust. De Util. Pública 377 147 230 2,61Construção Civil 6.441 5.555 886 1,13Comércio 8.243 6.103 2.140 1,20Serviços 7.617 6.215 1.402 0,62Administração Pública 33 20 13 0,05Agropecuária 2.357 2.516 -159 -0,31Total 28.542 24.316 4.226 0,62Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise Conjuntural – IDESP  Comércio: apresentou o melhor saldo dentre os setores no mês, puxado pelo“Comércio Varejista”, com 1.994 empregos, e com a contribuição de 146 postosgerados no “Comércio Atacadista”.  Serviços: as maiores contribuições originaram-se dos subsetores “Comércioe Administração de Imóveis e Serviços Técnico-profissionais” (498 postos),“Serviço de Alojamento, Alimentação, Reparo e Manutenção” (483 postos), “ServiçosMédicos e Odontológicos (197 postos) e “Transportes e Comunicações” (187 postos).3
  4. 4.  Construção Civil: devido à ampliação de obras privadas e públicas noPará, o setor da Construção Civil segue aquecido, o que explica a manutenção dobom desempenho registrado neste mês de novembro, com saldo de 886 novosempregos.  Serviços Industriais de Utilidade Pública: o saldo de 230 postos de trabalhono mês resultou da admissão de 377 pessoas, contra o desligamento de 147trabalhadores.  Administração Pública: este setor registrou um saldo de 13 postos, decorrenteda admissão de 33 pessoas contra o desligamento de 20 funcionários.  Indústria de Transformação: o setor apresentou o pior desempenho no mês,com saldo negativo de 233 postos, impulsionado pelos subsetores “Indústria de Madeirae Mobiliários” (perda de 202 postos), “Indústria de Produtos Minerais Não Metálicos”(com saldo negativo de 159 postos), “Indústria Têxtil, Vestuário” (com a eliminação de64 postos), “Indústria Química, Produtos Farmacêuticos e Veterinários” (com a perdade 27 postos).  Agropecuária: com a eliminação de 159 empregos formais, este setor foi o queregistrou o segundo pior saldo em novembro de 2011.  Extrativa Mineral: neste mês, este setor obteve o terceiro pior desempenho nacriação de postos de trabalho com carteira assinada, apresentando saldo negativo de 53empregos formais.Comportamento do emprego na RMB e municípios no mês denovembro. A Região Metropolitana de Belém (RMB) alcançou, no mês de novembro, ageração de 2.202 novos empregos celetistas, o equivalente a 52% do total gerado emtodo o estado do Pará. Este resultado foi recorde em toda série histórica do CAGEDpara o período desde 2003. Os setores de atividade com maior destaque foramComércio, com 1.161 postos e Serviços, com 981 novos empregos. 4
  5. 5. Tabela 2. Comportamento do emprego na RMB e demais municípios – Novembro de 2011. Demais Setores de Atividade Econômica RMB Estado do Pará MunicípiosExtrativa Mineral 3 -56 -53Indústria de Transformação -117 -116 -233Serv. Industriais de Utilidade Pública 178 52 230Construção Civil 57 829 886Comércio 1.161 979 2.140Serviços 981 421 1.402Administração Pública -2 15 13Agropecuária -59 -100 -159Total 2.202 2.024 4.226Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise Conjuntural – IDESP. Quando se analisa o comportamento do emprego em nível municipal, verifica-seque, no ranking dos dez municípios paraenses com população de 30 mil habitantes oumais com maior saldo de emprego no mês de novembro, Belém registra a primeiraposição ao gerar 1.465 postos de trabalho, majoritariamente no setor Comércio (972postos), seguido por Serviços com 636 postos de trabalho e pelo setor Serviço Industrialde Utilidade Pública, que também se destacou ao gerar saldo positivo de 179 postos detrabalho. Quanto aos demais setores, a Indústria de Transformação foi a que menos sedestacou, apresentando saldo negativo de 203 postos, seguido da Agropecuária (-75postos), Construção Civil (-46 postos) e Administração Pública (-2). O município de Altamira ocupa a segunda posição com 1.024 postos,impulsionada pelo setor da Construção Civil (810 postos), que embora tenha sofridoperdas de postos expressivas em relação ao mês anterior, continua apresentandodestaque, o que se deve, em grande medida, às obras de implantação da Usina de BeloMonte. Outro setor com saldo positivo de postos de trabalho foi o Comércio, com 78postos, seguido da Indústria de Transformação, que apresentou saldo positivo de 77postos de trabalho. Ananindeua, localizada na RMB, ocupou o terceiro lugar com geração positivade 633 postos de trabalho. Serviços foi o setor de destaque no mês, gerando saldopositivo de 326 postos, seguido pelo Comércio (159 postos) e pela Construção Civil(101 postos de trabalho). Parauapebas vem em quarto lugar no ranking. Embora tenha apresentado perdasde postos de trabalho em relação ao mês anterior, destacou-se com saldo de empregosde 324 postos puxados pelos setores Construção Civil (203 postos), Comércio (1935
  6. 6. postos) e Extrativa Mineral (66 postos). O setor Serviços, por sua vez, apresentou saldonegativo expressivo, eliminando, no total, 135 postos de trabalho. O município de Moju apresentou saldo positivo de 274 novos postos, tendocomo destaque o setor Serviços com 131 novos postos, seguido pela Construção Civil,com 79 postos, e o setor Agropecuário, com saldo positivo de 58 novos postos detrabalho. Barcarena também se destaca entre os dez municípios com maior saldo, gerando190 novos postos de trabalho, sendo 127 no setor da Industria de Transformação, 30 nosetor Serviços e 16 no Comércio. Castanhal apresentou saldo positivo de 168 postos, assim distribuídos entresetores: Comércio com saldo positivo de 121 postos, seguido pelo setor Agropecuáriocom 40 postos e Indústria de Transformação com 11 postos. A Construção Civilapresentou saldo negativo de 10 postos de trabalho. Na seqüência, o município de Abaetetuba apresentou saldo de 150 novosempregos, sendo que o setor Serviços foi o que mais contribuiu para este resultado, coma geração de 64 postos de trabalho, seguido do setor Agropecuário e Comércio com 44 e24 novos postos respectivamente. Em Oriximiná, o saldo de 129 empregos formais foi assim distribuído: Serviçocom 71 novos postos, Indústria de Transformação com 52 postos de trabalho,Construção Civil com 9 postos e Comércio com 8 novos postos. Finalmente, na décima posição no ranking, o município de Juruti gerou saldode 71 postos de trabalho neste mês, puxado pelos setores de Serviços (40 postos) e daConstrução Civil (33 postos). O setor Comércio apresentou saldo negativo de 2 postos equanto aos demais setores o saldo no emprego foi nulo. 6
  7. 7. GRÁFICO 3 - RANKING DO SALDO DE EMPREGO NOS MUNICÍPIOS PARAENSES - NOVEMBRO DE 2011. Belem 1.465 Altamira 1.024 Ananindeua 633 Parauapebas 324 Moju 274 Barcarena 190 Castanhal 168 Abaetetuba 150 Oriximiná 129 Juruti 71 Breu Branco -32 Jacundá -33 Acará -38 Tailândia -39 Redenção -59 S. Araguaia -72 C. Araguaia -74 Uruará -91 Itaituba -126 Marabá -211 -500 0 500 1.000 1.500 2.000Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP No outro extremo, entre os municípios que registraram os piores saldos no mês,encontra-se Marabá com saldo negativo de 211 postos, resultado atribuído estandodistribuídos entre os setores da Construção Civil, Extrativa Mineral e Indústria deTransformação as quais eliminaram 272, 90 e 50 postos de trabalho respectivamente. Odesligamento superior às admissões no setor mineral não é frequente no referidomunicípio, causando certa surpresa devido à ocorrência em novembro. Quanto ao município de Itaituba, o saldo negativo de 126 empregos formais sedeu, especialmente, pela eliminação de postos de trabalho registrada no setor daConstrução Civil (-103 empregos). Uruará também figura, neste mês, entre os dez municípios com os piores saldos,assinalando encerramento de 91 postos, em função da eliminação de 74 postos detrabalho no emprego formal no setor da Indústria de Transformação. Quanto ao município de Conceição do Araguaia a eliminação de 74 postos detrabalho foi quase que totalmente ocorrida no setor da Indústria de Transformação, poiso mesmo foi o responsável pela eliminação de 73 postos de trabalho. O município deSantana do Araguaia também fechou o mês com saldo negativo, eliminando 72 postos,7
  8. 8. em função de um maior número de desligamentos frente às admissões em dois setores:Indústria de Transformação (saldo de -36 postos) e Agropecuária (-33 postos). Em Redenção, o saldo negativo de 59 postos é explicado pelo fraco desempenhodo setor da Construção Civil que eliminou 57 postos de trabalho. O município de Tailândia, por sua vez, no geral teve saldo negativo de 39,postos de trabalho devido, fundamentalmente, ao saldo negativo de 28 postos detrabalho no setor da Agropecuária. Em Acará o saldo negativo de 38 postos de trabalhoresultou da influência do setor Serviços, responsável pela eliminação de 35 postos. Por fim, Jacundá e Breu Branco, aparecem como últimos entre os dezmunicípios com saldos negativos de 33 e 32 postos de trabalho respectivamente. Nomunicípio de Jacundá, a Indústria de Transformação foi a responsável pelo desempenhonegativo no mês, pois eliminou 36 postos de trabalho. Já em Breu Branco, foi o setorAgropecuário que se destacou em termos de saldo negativo, pois eliminou 21 postos detrabalho. 8

×