Mercado trabalhodezembro2011

261 views
207 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
261
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mercado trabalhodezembro2011

  1. 1. Pará fecha 2011 com a melhor geração de postos de trabalho da Região Norte.O Mercado de Trabalho Formal do Estado do Pará em Dezembro de 2011. Conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados(CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no mês de dezembro de 2011,o nível de emprego com carteira assinada apresentou declínio de 1,08% frente aoestoque do mês anterior, o que corresponde, em termos absolutos, a perda de 408.172postos de trabalho em todo Brasil (ver Gráfico 1). O resultado de dezembro, que indicauma desaceleração na criação de postos de trabalho em relação aos mais de 42 milempregos formais gerados no mês imediatamente anterior, deve-se à sazonalidadecomum a época, caracterizada por mudanças climáticas, entressafra agrícola, término doperíodo escolar e esgotamento da bolha de consumo das festas de final do ano. Apesar do saldo negativo registrado em dezembro, no ano, foram gerados1.944.560 novos empregos celetistas no mercado de trabalho formal brasileiro, cujodesempenho corresponde ao segundo melhor resultado de toda série histórica doCAGED desde 2003. GRÁFICO 1. SALDO DE EMPREGOS FORMAIS. BRASIL, REGIÃO NORTE E PARÁ – DEZEMBRO DE 2011. 1.944.560 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 131.429 51.493 0 -20.025 -7.114 -500.000 -408.172 Brasil Região Norte Pará Dez./2011 2011Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP. O comportamento do emprego formal na Região Norte e no estado do Parátambém apontou queda comparativamente ao estoque de emprego do mês de novembro(ver Gráfico 1), com perdas de 20.025 e 7.114 empregos celetistas e, equivalendo adeclínios de 1,21% e 1,04%, respectivamente. É importante frisar que todos os estados1
  2. 2. nortistas tiveram saldo negativo no mês devido à sazonalidade negativa de dezembroque perpassa por todos os setores e subsetores da atividade econômica. Contudo, isso não impediu que o Estado fechasse o ano com a melhor geraçãode postos de trabalho de toda Região Norte. Em 2011, a variação de emprego nomercado de trabalho paraense foi de 8,04% em relação ao estoque de assalariados comcarteira assinada em dezembro de 2010, o equivalente a 51.493 novos empregos para oEstado. O Pará lidera a geração de emprego formal na região com a contratação de39,2% de todos os trabalhadores que ingressaram no mercado de trabalho formal daregião neste ano (131.429 postos de trabalho). O Gráfico 2 apresenta o saldo de empregos de todos os estados da Região Norte,no mês de dezembro, no acumulado do ano (janeiro a dezembro de 2011) e nos últimosdoze meses (janeiro de 2011 a dezembro de 2011). GRÁFICO 2. SALDO DE EMPREGOS FORMAIS NO MÊS E NO ANO 131.429 45.186 51.493 11.781 4.688 7.256 8.419 2.606 -3.483 -795 -6.147 -240 -7.114 -59 -2.187 -20.025 REGIÃO Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins NORTE Ano de 2011 DEZ./2011Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP.O Comportamento do emprego segundo Setores de Atividade Econômica Conforme a Tabela 1 (abaixo), que traz dados da movimentação dos empregospor setor de atividade econômica no Estado, verificou-se que, à exceção da ExtrativaMineral e dos Serviços Industriais de Utilidade Pública que geraram, respectivamente,58 e 83 postos de trabalho, todos os demais setores apresentaram saldos negativos.Deste modo, os destaques de dezembro quanto à eliminação de empregos formaisforam: Construção Civil, com -2.327 empregos formais e declínio de 2,94%; Indústriade Transformação, com perda de 2.080 novos empregos e queda de 2,26%; Comércio,com -1.054 postos e variação negativa de 0,59%; Serviços, com -1.051 empregos e2
  3. 3. queda de 0,46%; e, Agropecuária, com -734 postos e declínio de 1,45%. AAdministração Pública registrou saldo negativo de 9 postos, o que equivale à variaçãode -0,03% no mês.Tabela 1. Comportamento do emprego no Pará por setor de atividade econômica – Dezembro de 2011. Total de Total de Variação do Setores de Atividade Saldo Admissões Desligamentos Emprego (%)Extrativa Mineral 245 187 58 0,36Indústria de Transformação 2.299 4.379 -2.080 -2,26Serviços Indust. De Util. Pública 209 126 83 0,92Construção Civil 3.937 6.264 -2.327 -2,94Comércio 7.109 8.163 -1.054 -0,59Serviços 6.820 7.871 -1.051 -0,46Administração Pública 13 22 -9 -0,03Agropecuária 1.881 2.615 -734 -1,45Total 22.513 29.627 -7.114 -1,04Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise Conjuntural – IDESP  Extrativa Mineral: neste mês, este setor obteve desempenho positivo na criaçãode postos de trabalho com carteira assinada, apresentando saldo de 58 empregosformais.  Serviços Industriais de Utilidade Pública: o saldo de 83 postos de trabalho nomês resultou da admissão de 209 pessoas, contra o desligamento de 126 trabalhadores.  Construção Civil: devido à queda no ritmo de construções públicas e privadasno Pará, reflexo da sazonalidade de dezembro, das políticas públicas que impactaram aliberação de crédito para as obras do PAC e de investimentos e finalização de obras deterraplanagem e de construção de rodovias, o setor da Construção Civil assinalousaldo de -2.327 postos de trabalho no mês.  Indústria de Transformação: o setor apresentou o segundo pior desempenhoem dezembro, com saldo negativo de 2.080 postos, impulsionado pelos subsetores“Indústria de Madeira e Mobiliários” (perda de 1.156 postos), “Indústria de ProdutosAlimentícios e Bebidas” (com saldo negativo de 597 postos) e “Indústria Química,Produtos Farmacêuticos e Veterinários” (com -137 postos).  Comércio: apresentou saldo de -1.054 postos, puxado pelo “ComércioVarejista”, com -1.023 empregos, e com a contribuição de -31 postos do “ComércioAtacadista”.3
  4. 4.  Serviços: com saldo negativo de 1.051 postos, as maiores contribuiçõesoriginaram-se dos subsetores “Comércio e Administração de Imóveis e ServiçosTécnico-profissionais” (-549 postos) e Ensino (-526 postos).  Agropecuária: com a eliminação de 734 empregos formais, este setor foi o queregistrou o quinto pior saldo em dezembro de 2011.  Administração Pública: este setor registrou um saldo de -9 postos, decorrenteda admissão de 13 pessoas contra o desligamento de 22 funcionários.Comportamento do emprego na RMB e municípios no mês de dezembro. A Região Metropolitana de Belém (RMB) teve, no mês de dezembro, aeliminação de 1.720 empregos celetistas. Os setores de atividade com maior destaquenegativo foram: Serviços, com -726 postos de trabalho; Construção Civil, com -465postos; Indústria de Transformação, com -310 postos; e, Comércio, com -220 postos.Tabela 2. Comportamento do emprego na RMB e demais municípios – Dezembro de 2011. Demais Estado do Setores de Atividade Econômica RMB Municípios ParáExtrativa Mineral 4 54 58Indústria de Transformação -310 -1.770 -2.080Serv. Industriais de Utilidade Pública -20 103 83Construção Civil -465 -1.862 -2.327Comércio -220 -834 -1.054Serviços -726 -325 -1.051Administração Pública 0 -9 -9Agropecuária 17 -751 -734Total -1.720 -5.394 -7.114Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise Conjuntural – IDESP. Quando se analisa o comportamento do emprego em nível municipal, verifica-seque, no ranking dos dez municípios paraenses com população de 30 mil habitantes oumais com maior saldo de emprego no mês de dezembro, Mojú alcança a primeiraposição ao gerar 249 postos de trabalho, majoritariamente no setor de Serviços (151postos), seguido por Construção Civil (79 postos) e Agropecuária (47 postos). Dom Eliseu, localizado na Região de Paragominas, foi o segundo municípioparaense com melhor saldo de emprego formal em dezembro, com a geração 228 novosempregos, cabendo ao setor Agropecuário o destaque no nível de emprego (211 postos).4
  5. 5. O município de Altamira ocupa a terceira posição com 99 postos e segueimpulsionada pela Construção Civil (70 postos), que, embora tenha crescido menos emrelação ao mês anterior, continua apresentando destaque, fato relacionado às obras daUsina Hidrelétrica de Belo Monte. Outro setor com saldo positivo de postos de trabalhono município foi Serviços Industriais de Utilidade Pública com 36 postos. Igarapé-Açú, na Região do Guamá, ocupou o quarto lugar com geração de 64postos de trabalho. A Agropecuária foi o único setor a se destacar no mês, gerandosaldo de 59 postos. Na seqüência, o município de Abaetetuba apresentou saldo de 60 novosempregos, sendo que o setor Serviços foi o que mais contribuiu para este resultado, coma geração de 50 postos de trabalho. Almeirim vem em sexto lugar no ranking,destacando-se com saldo de empregos de 44 postos puxado pela Construção Civil,Comércio e Serviços. O município de Marituba apresentou saldo positivo de 41 novos postos, tendocomo destaque a Indústria de Transformação. Óbidos também se destaca entre os dezmunicípios com maior saldo, com 34 novos postos de trabalho, dos quais 31 foramgerados na indústria de Transformação. Oriximiná apresentou saldo positivo de 29 postos, em grande medida gerados nosetor de Serviços (22 postos). Por fim, Acará, que ocupa a décima posição no ranking,registrou saldo de 25 postos de trabalho neste mês, puxado pela Indústria deTransformação.5
  6. 6. GRÁFICO 3 - RANKING DO SALDO DE EMPREGO NOS MUNICÍPIOS PARAENSES - DEZEMBRO DE 2011. Moju 249 Dom Eliseu 228 Altamira 99 Igarapé-Açú 64 Abaetetuba 60 Almerim 44 Marituba 41 Óbidos 34 Oriximiná 29 Acará 25 Santarém -212 Tailândia -240 Itaituba -260 Parauapebas -316 Paragominas -336 Castanhal -417 Ananindeua -421 Xínguara -484 Marabá -734 Belém -1233 -1500 -1000 -500 0 500Fonte: CAGED-MTE.Elaboração: Núcleo de Análise conjuntural – IDESP No outro extremo, entre os municípios que registraram os piores saldos no mês,encontra-se Belém com o elevado saldo de -1.233 postos de trabalho, em função dasperdas verificadas no setor de Serviços (-546 postos), seguida da Construção Civil (-335 postos), Indústria de Transformação (-237 postos) e do Comércio (-116 postos). Marabá, que assinalou saldo negativo de 734 postos, atribui este resultado aossetores da Construção Civil, Indústria de Transformação, Serviços e Comércio, os quaiseliminaram 400, 135, 90 e 56 postos de trabalho, respectivamente. A Extrativa Mineraltambém apresentou saldo negativo (-12 postos). O desligamento superior as admissõesno setor mineral não é freqüente no referido município, fato já ocorrido no mês denovembro. Quanto ao município de Xinguara, o saldo negativo de 484 empregos formais sedeu, especialmente, pela eliminação de postos de trabalho registrada no setor daIndústria de Transformação (-411 empregos). Ananindeua, localizado na RMB, também figura, neste mês, entre os dezmunicípios com os piores saldos, assinalando encerramento de 421 empregos formais,6
  7. 7. em função da eliminação de 182 postos de trabalho no setor de Serviços, 87 noComércio, 78 na Construção Civil e 64 na Indústria de Transformação. Quanto ao município de Castanhal, a eliminação de 417 postos de trabalhodistribui-se entre os seguintes setores: Comércio (-159 postos), Indústria deTransformação (-134 postos), Serviços (-98 postos), Construção Civil (-13 postos),Serviços Industriais de Utilidade Pública (-7 postos) e Agropecuária (-6 postos). O município de Paragominas também fechou o mês com saldo negativo,eliminando 336 postos, em função, principalmente, de um maior número dedesligamentos frente às admissões em três setores: Indústria de Transformação (saldo de-174 postos), Construção Civil (-58 postos) e Agropecuária (-55 postos). Em Parauapebas, o saldo negativo de 316 postos é explicado pelo fracodesempenho do setor da Construção Civil, que eliminou 298 postos de trabalho, e deServiços, que registrou perda de 137 postos. O município de Itaituba, por sua vez, tevesaldo negativo de 260 postos de trabalho, devido, fundamentalmente, ao saldo negativode 177 postos de trabalho no setor da Construção Civil. Em Tailândia, o saldo negativo de 240 postos de trabalho resultou da influênciada Indústria de Transformação, responsável pela eliminação de 207 postos emdezembro. Por fim, Santarém, aparece em último dentre os dez municípios, com saldonegativo de 212 empregos formais. A eliminação de postos de trabalho neste municípiodeve-se à queda na geração de empregos formais no setor de Serviços (-73 postos),Comércio (-48 postos), Indústria de Transformação (-43 postos), Agropecuária (-27postos) e Construção Civil (-21 postos).7

×