Comercio ext1bim 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Comercio ext1bim 2013

on

  • 594 views

 

Statistics

Views

Total Views
594
Views on SlideShare
505
Embed Views
89

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 89

http://www.idesp.pa.gov.br 63
http://tapereba 26

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Comercio ext1bim 2013 Document Transcript

  • 1. 4 COMÉRCIO EXTERIOR 1 BIMESTRE DE 2013 O
  • 2. 5 Governo do Estado do Pará Simão Robison Oliveira Jatene Governador Helenilson Cunha Pontes Vice-Governador do Estado do Pará / Secretário Especial De Estado De Gestão – Seges Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Maria Adelina Guglioti Braglia Presidente Cassiano Figueiredo Ribeiro Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural Sérgio Castro Gomes Diretor de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação Andrea dos Santos Coelho Diretora de Pesquisas e Estudos Ambientais Gracyette Raimunda Aguiar Ferreira da Silva Diretora de Planejamento, Administração e Finanças
  • 3. 6 Expediente Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural: Cassiano Figueiredo Ribeiro Coordenadoria Técnica de Estudos e Pesquisas Socioeconômica e Análise Conjuntural Celeste Ferreira Lourenço Coordenação de Núcleo de Análise Conjuntural: Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes Elaboração Técnica: Edson da Silva e Silva Revisão Técnica: David Correia Silva Jorge Eduardo Macedo Simões Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes Comissão Editorial Andréa Pinheiro Andréa Coelho Anna Márcia Muniz Cassiano Ribeiro Glauber Ribeiro Lucia Andrade Sérgio Fernandes Sergio Gomes Normalização: Glauber da Silva Ribeiro Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP Rua Municipalidade 1461. Bairro do Umarizal CEP: 66.050-350 – Belém/Pará Tel: (91) 3321-0600 / Fax: (91) 3321-0610 E-mail: comunicação@idesp.pa.gov.br Disponível em: http://www.idesp.pa.gov.br BOLETIM DO COMÉRCIO EXTERIOR, 2013. Belém: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará, 2013. Bimestral 25 p. (Boletim do Comércio Exterior, 1) 1. Balança Comercial. 2. Exportação. 3. Pará (Estado). Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115 1. Mercado de trabalho. 2. Trabalho formal. 3. Pará (Estado). Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115
  • 4. 7 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.................................................................................................................8 1 NOTA METODOLÓGICA ................................................................................................9 2 COMÉRCIO EXTERIOR................................................................................................10 2.1 Análise da Balança Comercial paraense no 1º bimestre de 2013.....................................10 2.2 Saldo Comercial ...............................................................................................................11 2.3 Exportação........................................................................................................................11 2.4 Países de Destino das Exportações...................................................................................13 2.5 Importação........................................................................................................................14 2.6 Países de Origem das Importações ...................................................................................16 2.7 Municípios Paraenses .......................................................................................................17 REFERÊNCIAS ..................................................................................................................20 PAINEL DE INDICADORES.............................................................................................21 Painel 1- Pauta de Exportação do estado do Pará no 1º bimestre de 2013.............................21 Painel 2- Pauta de Importação do estado do Pará no 1º bimestre de 2013.............................22 Painel 3 – Exportação, Importação e Saldo, mensal e bimestral. Comparativo de 2013 com 2012. ...............................................................................................................................23 Painel 4 – Setores exportadores paraenses no primeiro bimestre de 2013, comparação com 2012. ...............................................................................................................................24 Painel 5 – Setores exportadores paraenses no primeiro bimestre de 2013, comparação com 2012. ...............................................................................................................................25 Painel 6 – Municípios paraenses na Balança Comercial do estado no 1º de 2013.................26
  • 5. 8 APRESENTAÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP divulga informações sobre o comércio exterior, publicando uma série bimestral de indicadores e análises desse setor, cujo objetivo é constituir um instrumento valioso de entendimento sobre a dinâmica externa da economia estadual. Nesta edição as análises disponibilizadas são referentes ao primeiro bimestre de 2013. Para tanto, as informações disponibilizadas neste documento retratam e avaliam o movimento da balança comercial do Estado com as demais nações do mundo, englobando as compras e vendas efetuadas externamente, possibilitando a análise do comportamento do intercâmbio comercial paraense. Assim, este Boletim dispõe de informações pertinentes à economia do estado no tangente ao comércio exterior, permitindo assim, entender a dinâmica dessa variável sob a ótica dos, entre outras coisas, potenciais econômicos existentes no Pará. As relações estabelecidas entre o Estado e o resto do mundo, de demanda e oferta de produtos, demonstram a importância do comércio exterior no desenvolvimento econômico paraense.
  • 6. 9 1 NOTA METODOLÓGICA As informações sobre o Comércio Exterior contidas neste documento fazem parte de um conjunto de recursos utilizados que levam em consideração basicamente duas fontes de dados: O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e o Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior via Internet (ALICEWEB), mantido pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX). A utilização destes instrumentos permite uma elaboração técnica e analítica dos principais indicadores do Comércio Exterior brasileiro, subsidiando assim a construção da leitura conjuntural da economia do país. Desse modo, no que compete ao Núcleo de Análise Conjuntural do Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (NAC- IDESP), a percepção das variáveis econômicas que constitui o Comércio Exterior do Estado do Pará é devidamente incorporada na análise sistemática da conjuntura econômica do estado. A análise conjuntural da economia paraense, tendo como foco o Comércio Exterior, se dá com a inserção das variáveis: Exportação, Importação e Saldo Comercial. Na análise das Exportações são considerados os valores em US$ FOB dos produtos vendidos para o exterior, assim como os principais países de destinos das exportações, além dos principais produtos destinados à exportação. A análise das Importações segue a mesma dinâmica analítica das exportações, ou seja, consideram-se os valores dos produtos importados em US$ FOB pelo estado, assim como os principais países de origem das importações e os principais produtos. Para o Saldo Comercial é analisado o valor em US$ FOB da diferença entre o valor das Exportações e o valor das Importações. Esse resultado é importante para avaliar a relação comercial do estado com os países parceiros no comércio internacional. A dinâmica de análise destes resultados se dá comparando o período atual com o período imediatamente anterior ou até mesmo dentro de uma série de períodos cabe também nessa dinâmica a análise do acumulado dos períodos, em termos absolutos e relativos.
  • 7. 10 2 COMÉRCIO EXTERIOR 2.1 Análise da Balança Comercial paraense no 1º bimestre de 2013 A Balança Comercial brasileira no primeiro bimestre de 2013 registrou saldo negativo de US$ 5,314 bilhões, após um fechamento das exportações de US$ 31,516 bilhões contra US$ 36,830 bilhões das importações. Esse déficit é resultado do aumento de 9,06% das importações e da queda de 7,76% das exportações. Entre os produtos que mais contribuíram para o aumento das importações está o “óleos brutos de petróleo” que teve sua demanda elevada em 26,50%, algo em torno de US$ 500 milhões a mais que o mesmo período do ano passado. A relevância desse aumento nas importações brasileiras é dada pelo fato de o “óleos brutos de petróleo” ter sido o produto mais vendido no primeiro bimestre de 2012 pelo Brasil, alcançando US$ 3,236 bilhões, sendo que para este ano de 2013 teve uma redução de 53,47%, ou US$ 1,730 bilhão a menos que o mesmo período de 2012, invertendo-se assim a situação e o Brasil passou a demandar mais esse produto. Além disso, outros produtos, derivados também do petróleo, tiveram elevação, foi o caso do óleo diesel (83,74%), gasolina (91,19%) e o gás natural em estado gasoso (59,85%), juntos, compuseram os principais produtos da pauta de importação brasileira. Já o estado do Pará apresentou crescimento no saldo comercial de 14,80%, US$ 275,844 milhões a mais que o primeiro bimestre de 2012, saindo de US$ 1,864 bilhão para US$ 2,140 bilhões em 2013. Esse resultado foi reflexo do aumento de 8,90% das exportações e da redução de 34,42% das importações. Entre os produtos exportados o destaque é dado para o minério de ferro e a alumina calcinada que tiveram suas vendas elevadas em 17,06% e 9,54%, respectivamente. Já com relação aos produtos importados a atenção se voltou para o hidróxido de sódio e o coque de petróleo calcinado com baixa nas importações de 6,09% e 17,45%, seqüencialmente, sendo esses os dois produtos mais importados pelo estado. TABELA 1 – Balança Comercial Brasil e Pará no primeiro bimestre de 2013 (valores em US$ FOB). Comércio Exterior Brasil Pará 2012 2013 Var.(%) 2012 2013 Var.(%) Importação 33.769.484.774 36.830.509.983 9,06 249.514.147 163.619.861 -34,42 Exportação 34.169.017.442 31.516.192.530 -7,76 2.113.765.482 2.303.715.671 8,99 Saldo 399.532.668 -5.314.317.453 -1.430,13 1.864.251.335 2.140.095.810 14,80 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará - IDESP
  • 8. 11 2.2 Saldo Comercial O saldo comercial paraense no primeiro bimestre de 2013 foi o maior já registrado, US$ 2,140 bilhões, 14,80% a mais que o mesmo período do ano anterior. Esse resultado foi possível graças ao bom desempenho das exportações, obtendo o segundo maior valor exportado pelo estado. A baixa nas importações também contribuiu para o saldo elevado, já que foi a menor dos últimos cinco anos. O gráfico seguinte mostra a evolução do saldo comercial paraense nos últimos dez anos, sendo possível observar a trajetória de crescimento desse indicador interrompida por uma quebra estrutural em 2009, ano seguinte à crise econômica mundial condicionada pelo abalo sofrido no sistema financeiro americano. GRÁFICO 1 – Evolução do Saldo Comercial paraense do primeiro bimestre nos últimos dez anos (valores em mil US$ FOB). Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP. 2.3 Exportação A pauta de exportação paraense alcançou um valor US$ 2,303 bilhões no primeiro bimestre de 2013, 8,99% a mais que o mesmo período de 2012. Essa variação positiva foi puxada pelo aumento nas vendas do minério de ferro, da alumina calcinada e do minério de cobre, com respectivamente 17,06%, 9,54% e 23,13%, os três produtos mais exportados no bimestre. A participação deles nas exportações do Estado correspondeu a 74,65%, somente o minério de ferro foi responsável por 59,53% do valor exportado. Já entre os produtos que apresentaram queda nas exportações o destaque é dado ao “alumínio não ligado em forma bruta” e ao “ferro fundido bruto não ligado” que obtiveram redução de 18,53% e 46,22%, seqüencialmente. A baixa na venda desses produtos afeta um
  • 9. 12 segmento da pauta de exportação do estado ligado à indústria, isso porque incorpora em seu processo produtivo uma primeira etapa de beneficiamento. Nesse aspecto, a relevância diz respeito a pouca agregação de valor dos produtos paraenses, comprometendo assim, a pauta de exportação toda vez que há uma queda na venda de produtos industrializados. Por outro lado, um produto que chamou a atenção foi o minério de manganês que registrou aumento de 237,81%, saindo de US$ 13,034 milhões em 2012 para US$ 44,031 milhões em 2013. Esse produto é um dos principais insumos para a indústria de aço e o bom desempenho dele nas exportações sinaliza um aquecimento também em outras indústrias, como é o caso da mineração de ferro. TABELA 2 – Pauta de exportação paraense no primeiro bimestre de 2013. Pauta de exportação paraense 2013 2012 Var. US$ FOB US$ FOB (%) Total das exportações 2.303.715.671 2.113.765.482 8,99 Principais produtos exportados 2.263.152.576 2.029.022.931 11,54 1º Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados 1.371.322.463 1.171.463.550 17,06 2º Alumina calcinada 195.891.977 178.835.338 9,54 3º Outros minérios de cobre e seus concentrados 152.610.370 123.940.560 23,13 4º Alumínio não ligado em forma bruta 129.646.682 159.132.340 -18,53 5º Outros animais vivos da espécie bovina 102.535.482 79.267.546 29,35 6º Ferro fundido bruto não ligado com peso<=0,5% 48.487.817 90.153.325 -46,22 7º Outros minérios de manganês 44.031.766 13.034.361 237,81 8º Caulim 43.039.761 40.896.284 5,24 9º Carnes desossadas de bovino congeladas 30.496.940 21.163.421 44,10 10º Outras madeiras perf. etc., não coníferas 26.581.813 43.264.762 -38,56 11º Bauxita não calcinada (minério de alimínio) 26.418.978 25.301.807 4,42 12º Pimenta "piper", seca 24.771.118 19.082.181 29,81 13º Outros silícios 21.598.220 19.740.220 9,41 14º Outros couros bovinos, inclusive búfalos 11.902.706 3.688.160 222,73 15º Óleos de dendê em bruto 7.816.791 684.758 1041,54 16º Ouro em barras, fios perfis de sec. Maciça 6.711.329 10.134.907 -33,78 17º Madeira de ipê, serrada/cortada em folhas, etc. 5.331.913 4.096.262 30,17 18º Milho em grão, exceto para semeadura 4.812.921 --- --- 19º Pasta quim. Madeira de n/conífera a soda/sulfato 4.575.303 18.641.041 -75,46 20º Outras madeiras serradas/cortadas em folhas 4.568.226 6.502.108 -29,74 21º Demais produtos 40.563.095 84.742.551 -52,13 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP. A pauta de exportação paraense é fortemente representada por bens intermediários que chegou a 96,74% do total exportado no primeiro bimestre de 2013, em especial os insumos
  • 10. 13 industriais que sozinhos responderam por 92,26%. Com relação ao mesmo período do ano passado esse segmento variou positivamente em 8,46%, sendo que o setor que mais cresceu foi o de alimentos e bebidas com 19,19%, mesmo tendo 4,50% de participação nas exportações do Estado. Aos bens de consumo couberam 3,05% de participação e uma variação de 33,25%, puxado pelos consumos não duráveis, que cresceram 33,43%, já que os produtos de consumo duráveis apresentaram queda de 77,92%. 2.4 Países de Destino das Exportações. A dinâmica das exportações no primeiro bimestre de 2013 também pode ser conferida através dos países demandadores dos produtos paraenses, isso devido à relação comercial estabelecida entre o Pará e o resto do mundo. Nesse sentido, a China continua sendo o país detentor do maior valor exportado pelo Estado, US$ 790,593 milhões, desse total 96,06% ou US$ 759,484 milhões corresponde a minério de ferro. Assim, o país chinês firmou-se, mais uma vez, como o maior comprador da commodity paraense, algo em torno de 55,40% de todas as exportações de minério de ferro. A participação da China na pauta de exportação do Pará aumentou de 32,21% para 34,32%, assim como se elevou também o valor importado pelo país asiático em 16,11%. Japão, Alemanha e Estados Unidos seguem na lista de países que mais compraram do Estado, com respectivamente 8,45%, 7,42% e 5,33% de participação. Entre esses, somente a Alemanha teve variação positiva, elevando em 45,34% o valor demandado do Pará em produtos. Por outro lado, Japão e Estados Unidos reduziram em 4,72% e 25,42%. O destaque aos países importadores é dado à Noruega que aumentou seu valor demandado do Estado em 107,02%, sendo a alumina calcinada a responsável por essa elevação, já que subiu 97%. Isso devido a grande participação que esse produto tem na demanda do país norueguês, representativa em 95,16% do valor importado do Pará. Quarenta e três por cento de toda a alumina calcinada produzida no estado foi para a Noruega no primeiro bimestre de 2013.
  • 11. 14 TABELA 3 – Principais países de destino das exportações paraenses no primeiro bimestre de 2013. Pauta de Exportação Paraense 2013 2012 Var. US$ FOB Part. (%) US$ FOB Part. (%) (%) Total das exportações 2.303.715.671 100 2.113.765.482 100 8,99 Total dos principais países 1.804.329.381 78,32 1.579.010.491 74,70 14,27 1º China 790.593.108 34,32 680.878.791 32,21 16,11 2º Japão 194.561.687 8,45 204.203.534 9,66 -4,72 3º Alemanha 171.019.014 7,42 117.671.437 5,57 45,34 4º Estados Unidos 122.727.656 5,33 164.555.274 7,78 -25,42 5º Coréia do Sul 113.156.406 4,91 121.214.738 5,73 -6,65 6º Países Baixos (Holanda) 88.774.164 3,85 80.649.025 3,82 10,07 7º Noruega 88.069.556 3,82 42.541.083 2,01 107,02 8º Venezuela 83.831.805 3,64 69.685.784 3,3 20,3 9º França 83.617.101 3,63 55.640.732 2,63 50,28 10º Itália 67.978.884 2,95 41.970.093 1,99 61,97 11º Demais países 499.386.290 21,68 534.754.991 25,30 61,97 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP. 2.5 Importação Com relação às importações, no primeiro bimestre desse ano, foram demandados pelo Pará US$ 163,619 milhões em produtos estrangeiros. Esse valor foi menor 34,42% que no mesmo período do ano passado, quando as demandas do estado chegaram a US$ 249,514 milhões. Um dos produtos responsáveis pela queda das importações foi o hidróxido de sódio, importante insumo da indústria de alumínio, que sofreu redução de 6,09%, saindo de US$ 42,204 milhões em 2012 para US$ 39,632 em 2013. Outro importante, insumo produtivo que contribuiu para a diminuição das importações paraense foi o coque de petróleo calcinado, esse produto é bastante utilizado na siderurgia como insumo energético. Sua redução foi de 17,45% neste ano na comparação com o ano anterior. Por outro lado, entre os produtos que se destacaram com aumento, o fosfato de cálcio teve uma elevação de 227,58%, essa variação representou um acréscimo de US$ 3,790 milhões no valor importado do produto. O fosfato de cálcio serve de insumo na produção de fertilizantes agrícola.
  • 12. 15 TABELA 4 – Pauta de importação paraense no primeiro bimestre de 2013. Pauta de importação paraense 2013 2012 Var. US$ FOB US$ FOB (%) Total dos produtos importados 163.619.861 249.514.147 -34,42 Principais produtos importados 124.502.668 96.333.135 29,24 1º Hidroxido de sodio em sol.aquosa (lixiv.soda) 39.632.117 42.204.217 -6,09 2º Coque de petroleo calcinado 13.629.038 16.509.635 -17,45 3º Outs. pneus radiais, novos,"dumpers", aro>=1448 13.376.973 10.248.825 30,52 4º Hulha betuminosa, nao aglomerada 7.628.461 9.346.356 -18,38 5º Fosfatos de calcio, naturais, nao moidos 5.455.661 1.665.448 227,58 6º Out. trigos e misturas de trigo c/centeio 5.069.732 5.653.959 -10,33 7º Blocos grafite tipos utiliz c/ catodos em cub 4.338.687 --- --- 8º Fluoretos de aluminio 4.063.707 1.643.000 147,33 9º Outs. fio-maquinas de ferro/aco,n/ligado 4.031.862 --- --- 10º Outras construções pre-fabricadas, de ferro 3.687.095 --- --- 11º Outs. pneus novos,p/veics. constr.aro>=1143mm 3.397.665 3.067.120 10,78 12º Outros fio-maquinas de outras ligas de aços 3.210.496 --- --- 13º Outros cloretos de potassio 2.745.978 --- --- 14º Cimentos "portland", comuns 2.692.545 --- --- 15º Breu obtido de alcatroes minerais 2.376.254 3.566.753 -33,38 16º Outs.polimeros acrilicos, em liq.e pastas 2.368.432 1.587.774 49,17 17º Trilhos de aço, de peso linear super.ou igual 2.283.891 --- --- 18º Outras sementes e frutos oleaginosos, para semeaduras 1.588.841 840.048 89,14 19º Perfuratriz rotativa, autopropulsora 1.513.443 --- --- 20º Outs. aparelhos de raios x,p/radiofotografia 1.411.790 --- --- 21º Demais produtos 39.117.193 153.181.012 -74,46 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP. A pauta de importação do estado no primeiro bimestre de 2013 teve 80,23% dos produtos relacionados a bens intermediários (US$ 131,277 milhões) e 13,61% a bens de capital (US$ 22,274 milhões). Esse último é significativo, por se tratar de um bem sem representatividade local. Para os bens de consumo (US$ 2,440 milhões) e os combustíveis e lubrificantes (US$ 7,628 milhões) a participação foi de 1,50% e 4,66%. A representação dos bens intermediários foi fortemente puxada pelos insumos industriais com 64,48% do valor importado pelo Pará ou US$ 105,509 milhões. Em 2012 esse valor foi 14,21% menor. Já os bens de capital tiveram 13,14% do seu total comprometido com produtos de grande valor agregado. Por sua vez, os bens de consumo tiveram nos bens de consumo não duráveis, maior demanda do Estado. Entre essas segmentações, os bens de capital e os combustíveis e lubrificantes fecharam o primeiro bimestre de 2013 com perda de 80,78% e 20,77%, respectivamente, na
  • 13. 16 comparação com igual bimestre do ano anterior. Já tanto os bens intermediários quanto os bens de consumo variaram positivamente em 7,62% e 22,51%, seqüencialmente. 2.6 Países de Origem das Importações A análise da Balança Comercial do estado permite também interpretar os resultados das importações levando em consideração os países de origem dos produtos importados. Nesse aspecto, a relação comercial estabelecida entre o Pará e o resto do mundo, no primeiro bimestre de 2013, demonstra uma grande dependência do estado de produtos oriundos dos Estados Unidos, que respondeu por 43,80% das importações paraenses ou US$ 71,661 milhões. No entanto, esse valor foi menor em 52,63% que o do mesmo período do ano anterior quando o valor demandado do país Norte Americano alcançou US$ 151,261 milhões. Além da variação ser menor a participação dos Estados Unidos na pauta de importação do estado apresentou-se também em queda, sendo 60,62% em 2012 passando a 43,80% em 2013. Por outro lado, a China, segunda maior fornecedora de produtos estrangeiros para o Pará, elevou tanto sua participação, que saiu de 3,33% em 2012 passando a 11,5% em 2013, quanto o volume ofertado, que variou em 126,52%. O dado relevante quanto a isso, diz respeito à participação do país Asiático, no primeiro bimestre do ano, que em 2012 foi o quarto no ranking de países fornecedores de produtos ao Estado, chegando em 2013 como o segundo. Outros países também tiveram boas relações comerciais com o Pará variando positivamente seus produtos ofertados, foi o caso da Argentina, Japão e Israel com respectivamente 32%, 190,28% e 245,05%, juntos foram responsáveis por 25% das importações paraenses. TABELA 5 – Principais países de origem das importações paraenses no primeiro bimestre de 2013. Pauta de Importação Paraense 2013 2012 Var. US$ FOB Part. (%) US$ FOB Part. (%) (%) Total das importações 163.619.861 100 249.514.147 100 -34,42 Total dos principais países 140.735.436 86,01 204.538.062 81,97 -31,19 1º Estados unidos 71.661.505 43,8 151.261.979 60,62 -52,62 2º China 18.817.565 11,5 8.307.159 3,33 126,52 3º Argentina 10.146.876 6,20 7.687.168 3,08 32,00 4º Japão 9.679.211 5,92 3.333.246 1,34 190,38 5º Colômbia 8.485.550 5,19 9.669.965 3,88 -12,25 6º Israel 5.746.637 3,51 1.665.448 0,67 245,05 7º Chile 5.466.003 3,34 6.449.805 2,58 -15,25
  • 14. 17 8º Reino unido 3.914.849 2,39 5.698.423 2,28 -31,3 9º Espanha 3.865.224 2,36 10.464.869 4,19 -63,06 10º Peru 2.952.016 1,80 --- --- --- 11º Demais países 22.884.425 13,99 44.976.085 18,0 -49,12 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP. 2.7 Municípios Paraenses Dos cinquenta e dois municípios que se apresentaram na Balança Comercial do Estado, dez deles concentraram 95% do saldo, entre eles o de maior representatividade foi o município de Parauapebas com 65% (US$ 1,396 bilhão) de participação. Barcarena, Marabá e Canaã dos Carajás vêm logo em seguida com respectivamente 12,91% (US$ 275,654 milhões), 6% (US$ 128,131 milhões) e 3,19% (US$ 68,043). Juntos esses quatro municípios responderam por 87,45% de participação do saldo comercial paraense. Entre os municípios que apresentaram os piores saldos, Paragominas (US$ -907,134 mil), Curionópoles (US$ - 424,855) e Altamira (US$ -325,417 milhões), lideram a lista. Com relação à pauta de exportação, Parauapebas (US$ 1,415 bilhão), Barcarena (US$ 362,770 milhões), Marabá (US$ 139,231) e Canaã dos Carajás (US$ 82,352 milhões) obtiveram proporção, na participação, praticamente igual ao do saldo: 61,55%, 15,78%, 6,05% e 3,58%, respectivamente. Respondendo juntos por 86,65% do total das exportações paraenses. Já em se tratando da pauta de importação, os municípios que lideraram o ranking foram: Barcarena (US$ 87,115 milhões), Parauapebas (US$ 19,311 milhões), Belém (US$ 16,909 milhões) e Canaã dos Carajás (US$ 14,308 milhões) com 53,24%, 11,80%, 10,33% e 8,75%, seqüencialmente (ver Tabela 6).
  • 15. 18 TABELA 6 – Município paraense com maior participação no saldo da Balança Comercial no primeiro bimestre de 2013. Balança Comercial do Pará Exportação Importação Saldo Part. (%) US$ FOB US$ FOB US$ FOB no Saldo Ord. Total do Estado 2.299.465.168 163.619.861 2.135.845.307 100 Saldo Total dos Principais Municípios 2.201.003.848 151.577.191 2.049.426.657 95,95 1º Parauapebas 1.415.313.860 19.311.636 1.396.002.224 65,36 2º Barcarena 362.770.576 87.115.791 275.654.785 12,91 3º Marabá 139.231.870 11.100.774 128.131.096 6,00 4º Canaã dos Carajás 82.352.249 14.308.641 68.043.608 3,19 5º Ananindeua 44.310.600 1.078.174 43.232.426 2,02 6º Moju 34.999.213 0 34.999.213 1,64 7º Abaetetuba 29.724.616 0 29.724.616 1,39 8º Oriximiná 26.757.558 1.112.566 25.644.992 1,20 9º Belém 41.948.401 16.909.075 25.039.326 1,17 10º Castanhal 23.594.905 640.534 22.954.371 1,07 11º Demais municípios 98.461.320 12.042.670 86.418.650 4,05 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.  Parauapebas: Foi responsável por toda exportação de minério de ferro do Estado, tendo nesse produto, 97% de participação nas exportações do município. Outro importante produto que compôs a pauta de exportação de Parauapebas foi o minério de manganês (3%). Já na pauta de importação foram destaques os produtos como peças e acessórios de equipamentos de transportes como pneus e equipamentos de terraplanagem, além de bens de capital (perfuratriz rotativa autopropulsara e cilindros hidráulicos).  Barcarena: Os produtos exportados do município foram a alumina calcinada com 54%, alumínio não ligado em forma bruta com 35,74% e o caulim com 10,26% de participação cada. Entre os produtos importados, o hidróxido de sódio e o coque de petróleo calcinado lideraram, respectivamente com 43,33% e 15,64% de participação, a demanda do município.  Marabá: Os produtos mais exportados do município foram o minério de cobre, o ferro fundido bruto não ligado e carnes desossadas de bovinos, a participação deles na pauta exportadora foi de 50,36%, 34,83% e 13,32%, seqüencialmente. Por outro lado, as importações foram lideradas por fios de máquinas de ferro ou aço não ligado (36,32%), ligas de aço (28,92%) e pneus radiais novos (12,17%).
  • 16. 19  Canaã dos Carajás: O minério de cobre foi o único produto exportado pelo município no primeiro bimestre de 2013. Já com relação às importações, produtos como construções pré-fabricadas de ferro ou aço, pneus radiais novos aro ≥ 1448 e trilhos de aço ≥ 44,5kg/m foram os mais demandados pelo município, com respectivamente 25,77%, 17,49% e 15,96%.  Ananindeua: A maior parte das exportações do município foi de animais vivos da espécie bovina (79,69%). Madeiras perfiladas (13,50%) e madeiras serradas ou cortadas (1,39%) também compuseram a pauta de exportação. Na pauta de importação os principais produtos demandados foram os polieterpóliois em formas primárias (17,48%) e a mistura de isômeros de disocianatos de tolueno (16,37%).  Moju: O bom saldo comercial não sofreu com as importações, já que o município só contabilizou exportação e, nesse segmento o produto que mais se destacou foram os animais vivos da espécie bovina com 99% do valor exportado.  Abaetetuba: Os animais vivos da espécie bovina responderam por 99% de toda exportação do município e como não foi registrada entrada de produtos estrangeiros se traduziu integralmente em saldo.  Oriximiná: A bauxita não calcinada (minério de alumínio) e a castanha do Pará foram os únicos registros de exportação do município, com 98,73% e 1,27% de participação, respectivamente. Já em se tratando de importação as partes de motores diesel e as palhetas de turbinas a vapor foram os produtos mais demandados.  Belém: Os principais produtos exportados pela capital paraense foram madeiras perfiladas, óleos de dendê em bruto e consumo de bordo (combustíveis e lubrificantes), juntos, participaram de 51,31% do valor exportado. Nas importações, o trigo e o fosfato de cálcio puxaram a demanda do município, com 29,98% e 17,46% de participação, respectivamente.  Castanhal: O produto mais exportado foi a pimenta “piper” seca que respondeu por 87,50% do valor transacionado na pauta exportadora do município. Por outro lado, a pauta de importação teve nas máquinas e aparelhos para trabalhos de borrachas e plásticos 34,80% de participação, além dos moldes para borrachas e plásticos com 22,57%.
  • 17. 20 REFERÊNCIAS BRASIL, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior – MDIC. Balança Comercial. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna>. Acesso em 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Balança Comercial. Disponível em: < http://aliceweb2.mdic.gov.br>. Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Exportação brasileira: Pará, principais países e blocos econômicos de destino. 2013. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br>. Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Exportação brasileira: Pará, totais por fator agregado. 2013. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br>. Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Exportação brasileira: Pará, principais produtos importados. 2013. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br>. Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Exportações. Disponível em: < http://aliceweb2.mdic.gov.br> Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Importações. Disponível em: < http://aliceweb2.mdic.gov.br> Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Importação brasileira: Pará, principais países e blocos econômicos de destino. 2013. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br>. Acesso em: 05 abr. 2013. ______, Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira por Municípios: exportação, importação e saldo, jan-fev 2013. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/sistema/balanca/>. Acesso em: 10 abr. 2013.
  • 18. 21 PAINEL DE INDICADORES Painel 1- Pauta de Exportação do estado do Pará no 1º bimestre de 2013. Pauta de exportação paraense 2013 Part. 2012 Part. Var. US$ FOB (%) US$ FOB (%) (%) Total dos produtos exportados 2.303.715.671 100 2.113.765.482 100 8,99 Principais produtos exportados 2.263.152.576 98,24 2.029.022.931 95,99 11,54 1º Minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados 1.371.322.463 59,53 1.171.463.550 55,42 17,06 2º Alumina calcinada 195.891.977 8,50 178.835.338 8,46 9,54 3º Outros minérios de cobre e seus concentrados 152.610.370 6,62 123.940.560 5,86 23,13 4º Alumínio não ligado em forma bruta 129.646.682 5,63 159.132.340 7,53 -18,53 5º Outros animais vivos da espécie bovina 102.535.482 4,45 79.267.546 3,75 29,35 6º Ferro fundido bruto não ligado com peso<=0,5% 48.487.817 2,10 90.153.325 4,27 -46,22 7º Outros minérios de manganês 44.031.766 1,91 13.034.361 0,62 237,81 8º Caulim 43.039.761 1,87 40.896.284 1,93 5,24 9º Carnes desossadas de bovino congeladas 30.496.940 1,32 21.163.421 1,00 44,10 10º Outras madeiras perf. etc., não coníferas 26.581.813 1,15 43.264.762 2,05 -38,56 11º Bauxita não calcinada (minério de alumínio) 26.418.978 1,15 25.301.807 1,20 4,42 12º Pimenta "piper", seca 24.771.118 1,08 19.082.181 0,90 29,81 13º Outros silícios 21.598.220 0,94 19.740.220 0,93 9,41 14º Outros couros bovinos, inclusive búfalos 11.902.706 0,52 3.688.160 0,17 222,73 15º Óleos de dendê em bruto 7.816.791 0,34 684.758 0,03 1041,54 16º Ouro em barras, fios perfis de sec. Maciça 6.711.329 0,29 10.134.907 0,48 -33,78 17º Madeira de ipê, serrada/cortada em folhas, etc. 5.331.913 0,23 4.096.262 0,19 30,17 18º Milho em grão, exceto para semeadura 4.812.921 0,21 --- --- --- 19º Pasta quim. Madeira de n/conífera a soda/sulfato 4.575.303 0,20 18.641.041 0,88 -75,46 20º Outras madeiras serradas/cortadas em folhas 4.568.226 0,20 6.502.108 0,31 -29,74 21º Demais produtos 40.563.095 1,76 84.742.551 4,01 -52,13 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  • 19. 22 Painel 2- Pauta de Importação do estado do Pará no 1º bimestre de 2013. Pauta de importação paraense 2013 Part. 2012 Part. Var. US$ FOB (%) US$ FOB (%) (%) Total dos produtos importados 163.619.861 100 249.514.147 100 -34,42 Principais produtos importados 124.502.668 76,09 96.333.135 38,61 29,24 1º Hidróxido de sódio em sol.aquosa (lixiv.soda caustica) 39.632.117 24,22 42.204.217 16,91 -6,09 2º Coque de petróleo calcinado 13.629.038 8,33 16.509.635 6,62 -17,45 3º Outros.pneus radiais,novos,"dumpers",aro>=1448 13.376.973 8,18 10.248.825 4,11 30,52 4º Hulha betuminosa, não aglomerada 7.628.461 4,66 9.346.356 3,75 -18,38 5º Fosfatos de cálcio,naturais,não moídos 5.455.661 3,33 1.665.448 0,67 227,58 6º Outros trigos e misturas de trigo c/centeio,. 5.069.732 3,10 5.653.959 2,27 -10,33 7º Blocos grafite tipos utiliz. c/ catodos em cubo 4.338.687 2,65 --- --- --- 8º Fluoretos de alumínio 4.063.707 2,48 1.643.000 0,66 147,33 9º Outros.fios-máquinas de ferro/aço,n/ligado, 4.031.862 2,46 --- --- --- 10º Outras construções pré-fabricadas,de ferro ou aço 3.687.095 2,25 --- --- --- 11º Outros.pneus novos,p/veículos.constr. aro>=1143mm 3.397.665 2,08 3.067.120 1,23 10,78 12º Outros fios-máquinas de outras ligas de aços 3.210.496 1,96 --- --- --- 13º Outros cloretos de potássio 2.745.978 1,68 --- --- --- 14º Cimentos "portland",comuns 2.692.545 1,65 --- --- --- 15º Breu obtido de alcatrões minerais 2.376.254 1,45 3.566.753 1,43 -33,38 16º Outros.polímeros acrílicos,em liq.e pastas,solução 2.368.432 1,45 1.587.774 0,64 49,17 17º Trilhos de aço,de peso linear super.ou igual 2.283.891 1,40 --- --- --- 18º Outras sementes e frutos oleaginosos, para semeaduras 1.588.841 0,97 840.048 0,34 89,14 19º Perfuratriz rotativa,autopropulsora 1.513.443 0,92 --- --- --- 20º Outros aparelhos de raios x,p/radiofotografia 1.411.790 0,86 --- --- --- 21º Demais produtos 39.117.193 23,91 153.181.012 61,39 -74,46 Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC/Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  • 20. 23 Painel 3 – Exportação, Importação e Saldo, mensal e bimestral. Comparativo de 2013 com 2012. BC Pará Exportação Acl. Bims. Exp. Importação Acl. Bims. Imp. Saldo Sal. Acl.Bims. US$ F.O.B (mil) US$ F.O.B (mil) US$ F.O.B (mil) US$ F.O.B (mil) US$ F.O.B (mil) US$ F.O.B (mil) 2012 Jan/12 985.681 2.113.765 130.128 249.513 855.553 1.864.252 Fev/12 1.128.084 119.385 1.008.699 Mar/12 1.102.755 2.265.884 147.734 271.365 955.021 1.994.519 Abr/12 1.163.129 123.631 1.039.498 Mai/12 1.160.069 2.312.695 126.171 202.199 1.033.898 2.110.496 Jun/12 1.152.626 76.028 1.076.598 Jul/12 1.277.115 2.433.764 112.879 208.900 1.164.236 2.224.864 Ago/12 1.156.649 96.021 1.060.628 Set//12 1.339.851 2.809.372 110.607 221.994 1.229.244 2.587.378 Out/12 1.469.521 111.387 1.358.134 Nov/12 1.408.701 2.859.967 108.201 216.415 1.300.500 2.643.552 Dez/12 1.451.266 108.214 1.343.052 2013 Jan/13 1.242.665 2.303.716 101.761 163.619 1.140.904 2.140.097 Fev/13 1.061.051 61.858 999.193 Mar/13 Abr/13 Mai/13 Jun/13 Jul/13 Ago/13 Set//13 Out/13 Nov/13 Dez/13 Ac&Var Ac. 01a02/12 2.113.765 249.513 1.864.252 Ac. 01a02/13 2.303.716 163.619 2.140.097 Var.% 8,99 -34,42 14,80 Fonte: Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comercio Exterior - MDIC /Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  • 21. 24 Painel 4 – Setores exportadores paraenses no primeiro bimestre de 2013, comparação com 2012. 2013 2012 Var. Pauta de Exportação Paraense US$ FOB US$ FOB (%) 1º bimestre 1º bimestre Total dos Setores exportadores 2.303.715.671 2.113.765.482 8,99 BENS DE CAPITAL 86.893 249.079 -65,11 Bens de capital (exceto equipamentos de transportes uso industriais.) 86.893 249.079 -65,11 Equipamentos de transporte de uso industrial ------ ------ ------ BENS INTERMEDIÁRIOS 2.228.775.924 2.054.859.016 8,46 Alimentos e bebidas destinados a indústria 103.326.655 86.690.096 19,19 Insumos industriais 2.125.449.269 1.968.168.818 7,99 Pecas e acessórios de equipamentos de transporte ----- 102 -100,00 Bens diversos ------ ------ ------ BENS DE CONSUMO 70.325.825 52.779.185 33,25 Bens de consumo duráveis 18.993 86.023 -77,92 Bens de consumo não duráveis 70.306.832 52.693.162 33,43 DEMAIS OPERAÇÕES 4.527.029 5.878.202 -22,99 Fonte: Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comercio Exterior - MDIC /Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  • 22. 25 Painel 5 – Setores exportadores paraenses no primeiro bimestre de 2013, comparação com 2012. Pauta de Importação Paraense 2013 2012 Var. US$ FOB US$ FOB (%) 1º bimestre 1º bimestre Total dos Setores importadores 163.619.861 249.514.147 -34,42 BENS DE CAPITAL 22.274.094 115.909.304 -80,78 Bens de capital (exceto equipamentos de transporte uso industriais) 21.505.223 109.031.302 -80,28 Equipamentos de transporte de uso industrial 768.871 6.878.002 -88,82 BENS INTERMEDIÁRIOS 131.277.239 121.984.082 7,62 Alimentos e bebidas destinados a indústria 5.803.468 9.792.467 -40,74 Insumos industriais 105.509.891 92.379.899 14,21 Pecas e acessórios de equipamentos de transporte 19.953.530 19.811.716 0,72 Bens diversos 10.350 --- --- BENS DE CONSUMO 2.440.067 1.991.697 22,51 Bens de consumo duráveis 546.390 224.219 143,69 Bens de consumo não duráveis 1.893.677 1.767.478 7,14 COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES 7.628.461 9.629.064 -20,78 Combustíveis e lubrificantes 7.628.461 9.629.064 -20,78 Fonte: Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comercio Exterior - MDIC /Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  • 23. 26 Painel 6 – Municípios paraenses na Balança Comercial do estado no 1º de 2013. Balança Comercial do Pará Exportação Importação Saldo Part. (%) US$ FOB US$ FOB US$ FOB no Saldo Ord. Saldo Total do Estado 2.299.465.168 163.619.861 2.135.845.307 100 1º Parauapebas 1.415.313.860 19.311.636 1.396.002.224 65,36 2º Barcarena 362.770.576 87.115.791 275.654.785 12,91 3º Marabá 139.231.870 11.100.774 128.131.096 6,00 4º Canaã dos Carajás 82.352.249 14.308.641 68.043.608 3,19 5º Ananindeua 44.310.600 1.078.174 43.232.426 2,02 6º Moju 34.999.213 0 34.999.213 1,64 7º Abaetetuba 29.724.616 0 29.724.616 1,39 8º Oriximiná 26.757.558 1.112.566 25.644.992 1,20 9º Belém 41.948.401 16.909.075 25.039.326 1,17 10º Castanhal 23.594.905 640.534 22.954.371 1,07 11º Breu Branco 21.625.003 0 21.625.003 1,01 12º Xinguara 17.006.889 416.522 16.590.367 0,78 13º Almeirim 10.519.882 2.183.860 8.336.022 0,39 14º Floresta do Araguaia 6.748.577 0 6.748.577 0,32 15º Dom Eliseu 4.556.271 0 4.556.271 0,21 16º Itaituba 3.859.887 3.447 3.856.440 0,18 17º Ourilândia do Norte 4.539.416 971.334 3.568.082 0,17 18º Santarém 3.444.125 702.933 2.741.192 0,13 19º Água Azul do Norte 2.722.872 0 2.722.872 0,13 20º Santana do Araguaia 1.961.262 0 1.961.262 0,09 21º Redenção 1.918.326 0 1.918.326 0,09 22º Bragança 1.548.060 0 1.548.060 0,07 23º Benevides 2.101.650 583.690 1.517.960 0,07 24º Rio Maria 1.495.207 0 1.495.207 0,07 25º Marituba 4.034.158 2.716.410 1.317.748 0,06 26º Tailândia 981.541 156.750 824.791 0,04 27º Óbidos 724.665 0 724.665 0,03 28º Trairão 711.503 0 711.503 0,03 29º Anapu 672.181 0 672.181 0,03 30º Novo Progresso 642.832 0 642.832 0,03 31º Breves 527.110 0 527.110 0,02 32º Medicilândia 500.863 0 500.863 0,02 33º Uruará 446.447 0 446.447 0,02 34º Pacajá 414.658 0 414.658 0,02 35º Conceição do Araguaia 397.801 6.102 391.699 0,02 36º Tucumã 378.993 0 378.993 0,02 37º Anajás 370.573 0 370.573 0,02 38º Santa Isabel do Pará 317.689 0 317.689 0,01 39º São Félix do Xingu 296.842 0 296.842 0,01 40º Santa Bárbara do Pará 231.062 0 231.062 0,01 41º Prainha 172.364 0 172.364 0,01
  • 24. 27 42º Chaves 91.800 0 91.800 0,00 43º Capanema 73.800 0 73.800 0,00 44º Cametá 59.040 15.672 43.368 0,00 45º Abel Figueiredo 41.555 0 41.555 0,00 46º Juruti 0 10.934 -10.934 0,00 47º Vigia 281.132 296.786 -15.654 0,00 48º Ipixuna do Pará 347.715 480.576 -132.861 -0,01 49º Tomé-Açu 1.289.412 1.432.091 -142.679 -0,01 50º Altamira 0 325.417 -325.417 -0,02 51º Curionópolis 0 424.855 -424.855 -0,02 52º Paragominas 408.157 1.315.291 -907134 -0,04 Fonte: Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comercio Exterior - MDIC /Aliceweb. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará – IDESP.