Centros urbanos

21,210 views

Published on

Características principais de um centro urbano. Várias megalópolis exemplificadas nos slides.

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
21,210
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
26
Actions
Shares
0
Downloads
87
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Centros urbanos

  1. 1. Centros Urbanos<br />
  2. 2. A delimitação do centro urbano é a área geográfica compreendida entorno de uma população ou de uma cidade. Para estabelecer a delimitação do Centro Urbano utilizam-se critérios estipulados pela lei. Os mesmos atendem entre outros aspectos, as características da estrutura urbana e morfológica, a sobreposição de usos, a evolução histórica, a continuidade espacial do traçado, a densidade populacional e que seja uma área com limites identificáveis, que sejam eles naturais – como, por exemplo, uma cordilheira -, ou construídos – como, por exemplo, uma muralha.<br />
  3. 3. Antigamente, quando os conceitos de cidade eram bem definidos, as estradas eram destinadas ao trânsito de pessoas e meios de transporte, os edifícios eram destinados as relações sociais e de trabalho. <br />Atualmente, não há essa divisão e o exterior também se encontra ocupado para fins sociais e comerciais. A ocupação de determinados espaços ou linhas privilegiadas no exterior, os recintos, pontos focais etc, são outras tantas formas de apropriação do espaço.<br />Fluxo de pessoas no centro de Nairobi<br />
  4. 4. Na atual situação em que vivemos o padrão tradicional de cidade se perdeu. O centro das cidades está morto, por conta das edificações sempre extremamente próximas, não permitindo o acesso de automóveis e a necessidade de concentrar o comercio e a zona de negócios em uma única zona é cada vez menor, por conta dos meios de comunicação cada vez mais avançados.<br />
  5. 5. Viscosidade<br />Se num mesmo local há dois tipos de ocupações - a estática e a pelo movimento – ocorre a viscosidade: termo que denomina espaços que agrupam as pessoas nas ruas. Exemplo: Lugares abertos para circulação de pessoas, vendedores de flores e jornais nas ruas, toldos sobre as lanchonetes na parte externa.<br />Centro de Lima<br />
  6. 6. Delimitação de espaços<br />Os materiais, a altura das edificações, entre outras características são elementos capazes de delimitar os centros urbanos. Ao chegar na região em que eles se encontram, logo percebemos a passagem de um determinado local para uma região urbana.<br />
  7. 7. Região de La Defense, Paris<br />
  8. 8. Um outro artefato utilizado para delimitação de espaços é o das áreas verdes. Ocorre em Londres com o Cinturão Verde, que foi criado para impedir um crescimento descontrolado de área construída na região, para impedir que as cidades vizinhas invadissem uma á outra e para manter um caráter especial da cidade.<br />
  9. 9.
  10. 10. É importante mesclar os centros urbanas com áreas verdes por uma questão da qualidade que isso propõe à vida das pessoas que ali convivem. <br />Central Park, NY<br />
  11. 11. A qualidade da arquitetura nos centros urbanos tem sido constantemente esquecida. É como ver sempre as mesmas características repedidas nas edificações. As grandes fachadas de vidro são um exemplo, elas padronizam o local, porém fazem com que o mesmo perca a sua vitalidade. <br />Faria Lima, São Paulo<br />
  12. 12. Focalização<br />Uma tática muito utilizada em grandes centros é a de por um foco de luz apenas no centro dos edifícios, obrigando o observador a desviar o olhar para cima, valorizando então sua “grandeza”. Essa tática é utilizada também para evitar que ocorra a truncagem – quando o observador se depara com um edifício muito alto e olha para o seu primeiro plano e já sobe com o olhar para os pavimentos mais altos, desprezando os pavimentos intermediários.<br />
  13. 13. Os edifícios dos centros urbanos muitas vezes nos remetem a verdadeiras obras de arte constituindo o espaço. Com várias nuances, formas, estilos. Causando um grande contraste na paisagem urbana, que por sua vez chamam a atenção de quem passa pelo local.<br />
  14. 14. CCTV Tower - China<br />
  15. 15. Torre Agbar - Barcelona<br />Swiss Re - Londres<br />
  16. 16. HearstTower – Nova York<br />
  17. 17. Turning Torso - Suécia<br />
  18. 18. Saliências ou Reentrâncias<br />Nenhum centro urbano possui todas suas edificações na testada das vias. Eles oscilam por conta dos recuos e de seus formatos trazendo ao observador essas saliências à sua visão. <br />Acidentes<br />São detalhes nas edificações que buscam prender a atenção do observador fugindo da monotonia. Por meio de diferentes elementos que criam uma silhueta, cores vivas, etc, a disposição destes acidentes podem dar sentido a determinadas formas em determinados locais. <br />
  19. 19. A distorção da escala muitas vezes provocam uma sensação de violência, agressão ao observar um edifício que se destaca dos demais dentro de um certo urbano.<br />ShinjukuScape<br />
  20. 20. A publicidade é uma questão que gera diversas opiniões quando se trata de arquitetura. Ela pode “estragar” a arquitetura de um centro urbano, como pode fazer parte da sua composição, como é o caso da Times Square, em Nova York.<br />
  21. 21. Área central de Shanghai, China<br />
  22. 22. Muitas vezes os meios de transportes marcam a paisagem dos centros urbanos se tornando referência mundial dos locais.<br />
  23. 23. Flutuação<br />A racionalização dos espaços urbanos não é a mais correta quando tudo está centralizado nas ruas ou numa grelha ortogonal. Uma cidade típica é na verdade uma seqüência de espaços criados pelos próprios edifícios. A flutuação nada mais é do que o conjunto desses espaços vazios, espaços estreitos, edifícios etc. <br />
  24. 24. Distinção dos espaços urbanos<br />San Martin Plaza, Lima<br />

×