• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados
 

Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados

on

  • 3,344 views

Apresentação do artigo Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados. A apresentação traz uma rápida reflexão teórica sobre o uso dos aplicativos móveis ...

Apresentação do artigo Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados. A apresentação traz uma rápida reflexão teórica sobre o uso dos aplicativos móveis em estratégias de mobile marketing e suas possibilidades para além da função de mídia. Esta apresentação foi feita por Ian Castro no GT de Publicidade e Tendências do I PRÓ-PESQ PP – Encontro Nacional de Pesquisadores em Publicidade e Propaganda da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, no dia 27 de Agosto de 2010.

Statistics

Views

Total Views
3,344
Views on SlideShare
2,996
Embed Views
348

Actions

Likes
6
Downloads
127
Comments
0

6 Embeds 348

http://www.intermidias.com.br 302
http://pontocomteudo.com 38
http://www.linkedin.com 4
http://static.slidesharecdn.com 2
url_unknown 1
http://paper.li 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados Branded Apps: Uma introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis patrocinados Presentation Transcript

    • Branded Apps: Uma Introdução sobre Publicidade em Aplicativos Móveis Patrocinados Ian Castro de Souza http://www.intermidias.com.br http://www.designtuts.com.br/wp-content/imagens/Tutoriais/illustrator/28_01_2010_Iphone/menu_iphone.png
    • Vive-se atualmente a “era das conexões” (WEINBERGER, 2003). http://www.rs.gov.br/arquivos/img_noticias/CEEE_LT230_POA_Norte_FCV_75%5B1%5D.jpg
    • Vive-se atualmente a era marcada pela difusão global da internet e pelo “desenvolvimento da computação sem fio, pervasiva e ubíqua, a partir da popularização dos telefones celulares, das redes de acesso à internet sem fio” (LEMOS, pg. 1, 2004). http://www.rs.gov.br/arquivos/img_noticias/CEEE_LT230_POA_Norte_FCV_75%5B1%5D.jpg
    • Os celulares não podem mais ser considerados versões móveis dos telefones. http://img231.imageshack.us/f/pict1210ht8.jpg/
    • Os celulares podem ser qualquer coisa: um livro. http://www.3ones.com/wordpress/wp-content/uploads/2010/04/IMG_0041.png
    • Os celulares podem ser qualquer coisa: um rádio. http://4.bp.blogspot.com/_RLuOb0Nw5Hs/Sw1Ovzm9dYI/AAAAAAAABF4/mWod7RDmLH0/s1600/radio2.jpg
    • Os celulares podem ser qualquer coisa: uma TV. http://celularcomtvdigital.files.wordpress.com/2009/08/ctv75_frente-sti-2009-celular-com-tv.jpg
    • Os celulares podem ser tudo que você quiser. http://www.richard-seaman.com/Wallpaper/USA/Seasons/ChicagoGayParade.jpg
    • Os celulares são o maior exemplo da convergência midiática. http://blogs.estadao.com.br/link/files/2009/06/f305_front_40angle_mystic_black.jpg
    • Os celulares são o maior exemplo da convergência digital. http://blogs.estadao.com.br/link/files/2009/06/f305_front_40angle_mystic_black.jpg
    • É por isso que “telefone celular” não é mais um termo apropriado. http://images.quebarato.com.br/photos/big/C/3/30D1C3_1.jpg
    • É por isso que “Dispositivos Híbridos Móveis de Conexão Multirrede ” (LEMOS, 2007) é um termo mais preciso. http://newsroom.cisco.com/dlls/2009/ekits/Smartphone_3G.jpg
    • Hoje temos muita informação. http://www.juntadeandalucia.es/cultura/cdaea/imagenes/qsBibliotecaG.jpg
    • Hoje temos muita informação. Mais do que podemos lidar. http://www.juntadeandalucia.es/cultura/cdaea/imagenes/qsBibliotecaG.jpg
    • Hoje temos muita informação. Mais do que podemos selecionar. http://www.juntadeandalucia.es/cultura/cdaea/imagenes/qsBibliotecaG.jpg
    • Hoje temos muita informação. Mais do que podemos consumir. http://www.juntadeandalucia.es/cultura/cdaea/imagenes/qsBibliotecaG.jpg
    • O ambiente digital e a velocidade do intercâmbio de informações acentuam ainda mais este problema. http://www.angleton.isd.tenet.edu/secondary/hs/smith/web/My%20Website/Asset/Matrix.jpg
    • O ambiente digital e a velocidade do intercâmbio de informações acentuam ainda mais a “Economia da Atenção” (DAVENPORT; BECK, 2001). http://www.angleton.isd.tenet.edu/secondary/hs/smith/web/My%20Website/Asset/Matrix.jpg
    • Neste cenário as mensagens publicitárias são apenas mais informação http://www.resourceactionprograms.org/blog/wp-content/uploads/2009/04/postits.jpg
    • Neste cenário as mensagens publicitárias são apenas mais informação a ser filtrada. http://www.resourceactionprograms.org/blog/wp-content/uploads/2009/04/postits.jpg
    • Neste cenário as mensagens publicitárias são apenas mais informação a ser ignorada. http://www.resourceactionprograms.org/blog/wp-content/uploads/2009/04/postits.jpg
    • Neste cenário as mensagens publicitárias são apenas mais informação a ser ignorada. Hoje, o maior desafio da publicidade não é encontrar o espaço mais adequado para anunciar. http://i185.photobucket.com/albums/x126/ScotRanger/NewYork-TimesSquare2-1.jpg
    • Neste cenário as mensagens publicitárias são apenas mais informação a ser ignorada. Hoje, o maior desafio da publicidade é encontrar o timming mais adequado para anunciar. http://maribraga.files.wordpress.com/2009/09/relogio.jpg
    • O mobile marketing entra aqui. http://downloads.open4group.com/wallpapers/boxe-e-celular-d6379.jpg
    • O mobile marketing é definido como a utilização do “ambiente móvel” como canal de comunicação entre uma marca e um público-alvo (MICHAEL; SALTER, 2006). http://downloads.open4group.com/wallpapers/boxe-e-celular-d6379.jpg
    • O Mobile Marketing permite explorar o idle time do público-alvo. http://downloads.open4group.com/wallpapers/celular-de-pele-de-cobra-8c7ec.jpg
    • O idle time é o tempo ocioso http://downloads.open4group.com/wallpapers/celular-de-pele-de-cobra-8c7ec.jpg
    • O idle time é o tempo ocioso que não sabemos que temos. http://downloads.open4group.com/wallpapers/celular-de-pele-de-cobra-8c7ec.jpg
    • O idle time é o tempo ocioso que não sabemos que temos. Momentos de transição entre atividades, espalhados entre várias situações do cotidiano. http://downloads.open4group.com/wallpapers/celular-de-pele-de-cobra-8c7ec.jpg
    • Quer um exemplo? http://www.corpchem.com/images/question_mark.jpg
    • Quer um exemplo? #1 Uma fila. http://farm4.static.flickr.com/3064/3068778897_cba5741995_b.jpg
    • Quer um exemplo? #2 Uma sala de espera. http://img138.imageshack.us/f/gvacdsc02349nm8.jpg/
    • Quer um exemplo? #3 Um engarrafamento. http://jeitobaiano.files.wordpress.com/2009/07/engarrafamento-paralela-120709tt0011.jpg
    • Situações com as quais você não conta. http://sweet.ua.pt/~isca5643/images/DSCF0987.JPG
    • Situações nas quais você está sozinho. http://sweet.ua.pt/~isca5643/images/DSCF0987.JPG
    • Situações nas quais você está sozinho. A questão é justamente esta: nunca estamos sozinhos. http://oglobo.globo.com/blogs/arquivos_upload/2008/05/62_2553-PARADA2.JPG
    • Situações nas quais você está sozinho. A questão é justamente esta: sempre temos nossos celulares. http://www.es.gov.br/site/arquivos/imagens/2009/12/celulares151209.JPG
    • Assim, o interesse das marcas pelo mobile enquanto canal estratégico de comunicação cresceu. http://www.adrants.com/images/hardees_parisian_pickup.jpg
    • E o que é possível fazer no ambiente móvel? http://www.adrants.com/images/hardees_parisian_pickup.jpg
    • E o que é possível fazer no ambiente móvel? Segundo a Mobile Marketing Association (2009), podemos fazer... http://www.adrants.com/images/hardees_parisian_pickup.jpg
    • Publicidade móvel Callback Cupons de desconto Text2Screen Localização Link para navegação WAP Mensagens promocionais Interação a partir de TV Prestação de serviços Sorteios e Concursos Conteúdo patrocinado Internet para o celular Ações de CRM Marketing Viral Click-to-Call http://www.littleredbook.cn/wp-content/uploads/2009/06/china-mobile2.jpg
    • As possibilidades são muitas. http://www.escolasaopaulo.org/atividades/possibilidades-da-pintura-na-arte-contemporanea/image
    • As tecnologias são muitas. http://olhardigital.uol.com.br/uploads/acervo_imagens/2009/03/20090323125907.jpg
    • QRCode Bluetooth Marketing In-App Ads Mobile Banners Branded Apps SMS / MMS Mobile Site Realidade aumentada Location Based Services http://img266.imageshack.us/f/antena4.jpg/
    • Fonte: http://www.mobilepedia.com.br/cases/catalogo-interativo-mobile-da-ikea-e-premiado-em-cannes
    • Fonte: http://www.iphoneportugal.com/iad-exemplos/
    • Fonte: http://www.intermidias.com.br/2009/08/crossmedia-versao-2-0/
    • Porém tudo que lhes apresentei foram meios. http://downloads.open4group.com/wallpapers/engrenagens-63406.jpg
    • Porém tudo que lhes apresentei foram ferramentas. http://downloads.open4group.com/wallpapers/engrenagens-63406.jpg
    • Porém tudo que lhes apresentei foram mecanismos. http://downloads.open4group.com/wallpapers/engrenagens-63406.jpg
    • Uma campanha deve ter uma idéia. http://www.favic.com.br/fotos/albdfoto/Pensador/Pensador.jpg
    • Uma campanha deve ter uma estratégia. http://www.externatolusobritanico.pt/images/xadrez.jpg
    • Hoje, já não basta apenas “anunciar”. http://rodrigojimmy.files.wordpress.com/2007/11/outdoor_banheira_dia_do_amante.jpg
    • Hoje, já não basta apenas “anunciar”. É preciso “dar ao cliente experiências únicas ou pelo menos especiais.” (GAMEIRO, 2007, p.8) http://www.myfreewallpapers.net/artistic/pages/escher-in-lego.shtml
    • Hoje, já não basta apenas “anunciar”. É preciso dar ao público-alvo algo que ele precise. http://www.objetosim.com.br/teatro/cena/altas/Inveja%20dos%20anjos%20foto%20Mauro%20Kury.jpg
    • Hoje, já não basta apenas “anunciar”. É preciso dar ao público-alvo algo que melhore e aumente as experiências que ele tem http://100grana.files.wordpress.com/2009/03/cosplay-soldadinho.jpg
    • Hoje, já não basta apenas “anunciar”. É preciso dar ao público-alvo algo que melhore e aumente as experiências que ele tem no seu idle time. http://www.fundasono.org.br/ARQUIVOS/Image/homem%20cochilando.jpg
    • Por isso que destaco os Branded Apps, aplicativos móveis patrocinados. http://www.free-press-release.com/members/members_pic/200906/img/1244658796.jpg
    • Aplicativos móveis são “programas que funcionam em dispositivos móveis e realizam determinadas tarefas para o usuário” (MOBILE MARKETING ASSOCIATION, 2008, p.1) http://www.free-press-release.com/members/members_pic/200906/img/1244658796.jpg
    • Aplicativos móveis são responsáveis pelo acréscimo de funções aos DHMCM que o capacitam a desempenhar um papel tão essencial no aproveitamento do idle time. http://www.free-press-release.com/members/members_pic/200906/img/1244658796.jpg
    • É claramente perceptível que em mídias tradicionais “a tolerância do público às técnicas de intromissão de publicidade vai diminuindo. É por isso que, por outro lado, as técnicas de captação da atenção têm-se apurado cada vez mais ao longo do tempo” (GAMEIRO, 2009, p. 8) http://www.free-press-release.com/members/members_pic/200906/img/1244658796.jpg
    • QUER VER? http://www.mattoldroyd.com/wordpress/wp-content/uploads/2008/10/boy_fear.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: + rápida http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: + funcional http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: + completa http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: + inteligente http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • Branded App para iPhone da Barnes & Nobles Uma prática comum tornada: + publicitária http://www.myservice.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/BN.jpg
    • COMSCORE. The State of Mobile: US Mobile Media Landscape and Trends. 2010. Disponível em: http://www.comscore.com/Press_Events/Presentations_Whitepapers/2009/The_State_ of_Mobile_US_Mobile_Landscape_and_Trends . Acesso em: 20 jun. 2010. DANTAS, E. B. Mídia eletrônica, novas mídias e sustentabilidade. 2004. Disponível em: http://www.bocc.uff.br/pag/dantas-edmundo-midia-electronica-novas-midias- sustentabilidade.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. DAVENPORT, T; BECK, J. A economia da atenção. Rio de Janeiro: Campus, 2001. FERRARIO, C. M; PATRIOTA, K. R. M. P. Tecnologia e convergência: A propaganda nunca mais será a mesma. Trabalho apresentado ao NP de Publicidade e Propaganda do VI Encontro dos Núcleos de Pesquisa da Intercom. 2005. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2006/resumos/R0302-3.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. GAMEIRO, P. A. D. A Publicidade e o Processo de Individualização. 2007. Disponível em: http://www.bocc.uff.br/pag/gameiro-paulo-publicidade-processo-de- individualizacao.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. GERVASTOCK, M. R. BRAND DESIGN E BRAND EXPERIENCE. Trabalho de Iniciação Científica apresentado ao Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.gervastock.com.br/brand_design_experience.pdf. Acesso em 01/06/2010 GÓMEZ, G. O. Comunicação Social e mudança tecnológica: um cenário de múltiplos desordenamentos. In: Sociedade Midiática. Rio de Janeiro: Maud, 2006, p.81-98. http://www.liceofermipd.it/img/BIBLIOTECA%201.jpg
    • CSCAPE. 4º Relatório Anual de Engajamento Digital do Consumidor: Relatório 2010. 2010. Disponível em: http://www.foreplay.com.br/files/Relatorio_%20Engajamento_%20digital%202010_pt.p df . Acesso em: 20 jun. 2010. JOHNSON, S. Cultura da Interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Tradução: Maria Luíza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001. LEMOS, A. Comunicação e práticas sociais no espaço urbano: as características dos Dispositivos Híbridos Móveis de Conexão Multirredes (DHMCM). Revista Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v.4, n.10, p.23-40, jul. 2007. Disponível em: http://www.andrelemos.info/artigos/DHMCM.pdf. Acesso em: 21 set. 2009. LEMOS, A. Cibercultura e Mobilidade: a Era da Conexão. 2004. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/dcart?info=link&codigo=996312&orden=35734. Acesso em: 19 out. 2009. MICHAEL, A.; SALTER, B. Mobile Marketing: Achieving Competitive Advantage Through Wireless Technology. Oxford: Elsevier Ltd, 2006. MOBILE MARKETING ASSOCIATION. Mobile Applications. 2008. Disponível em: http://www.mmaglobal.com/mobileapplications.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. MORGAN STANLEY RESEARCH. The Mobile Internet Report: Ramping Faster than Desktop Internet, the Mobile Internet Will Be Bigger than Most Think. 2009. Disponível em: http://www.morganstanley.com/institutional/techresearch/pdfs/mobile_internet_repor t.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. http://www.liceofermipd.it/img/BIBLIOTECA%201.jpg
    • MYERS, L. Taking your brand mobile. 2010. Disponível em: http://www.adobe.com/devnet/devices/articles/taking_brand_mobile/taking_brand_mo bile.pdf . Acesso em: 20 jun. 2010. PRAESTO CONVERGENCE. Mobile Marketing: Conceitos, Tecnologias e Cases. 2009. Disponível em: http://www.slideshare.net/praesto/mobile-marketing-conceitos- tecnologias-e-cases . Acesso em: 20 jun. 2010. RADFAHRER, L. Mobile. In: Spyer, Juliano. (Org.). Para Entender a Internet: noções práticas e desafios da comunicação em rede. 2009. Disponível para download em: http://educarede.info/livro/Para%20entender%20a%20Internet.pdf . Acesso em 14 mai. 2009. SANTAELLA, L. A estética política das mídias locativas, In: Nómadas, No. 28, p. 128 – 137. Bogotá, Universidad Central-IESCO, 2008b. Disponível em: http://www.ucentral.edu.co/NOMADAS/nunme-ante/26-30/28/12- A%20ESTETICA%20LUCIA.pdf . Acesso em: 25 jun. 2010. WEINBERGER, D. Why Open Spectrum Matters. The end of the broadcast nation. 2003. Disponível em: http://www.evident.com . Acessado em: 3 dez. 2009. http://www.liceofermipd.it/img/BIBLIOTECA%201.jpg
    • Ian Castro de Souza http://www.intermidias.com.br iancsouza@gmail.com twitter.com/iancsouza facebook.com/iancsouza delicious.com/iancsouza slideshare.net/iancsouza linkedin.com/in/iancsouza http://www.designtuts.com.br/wp-content/imagens/Tutoriais/illustrator/28_01_2010_Iphone/menu_iphone.png