Your SlideShare is downloading. ×
0
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Gleekalização - Hugo Lourenço
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Gleekalização - Hugo Lourenço

100

Published on

Apresentação de projeto

Apresentação de projeto

Published in: Education
2 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
100
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Gama Filho Hugo de Souza LourençoComunicação Social – Publicidade e Propaganda
  • 2. Ainda existe no senso comum a ideia deque todo gay é afeminado, todo gordo éengraçado, toda loira é burra, todo nerdé estranho, toda menina bonita éperfeita e, no entanto, má. Estes tiposde afirmações são muito comuns aindahoje. Esses são estereótipos, definiçõescriadas para definir um grupo depessoas que tem os mesmos gostos oucostumes. A grande fonte de inspiraçãoe proliferação desses estereótiposacaba sendo a mídia; há muito tempopode-se notar que em qualquerprograma ou seriado de TV que trate dealgum ou de alguns grupos há esse tipode concepção.
  • 3. A dinâmica de Glee mostra que são as diferenças que tornam alguémespecial e único e que mesmo pessoas de um mesmo grupo, com osmesmos gostos ou orientação podem ser totalmente diferentes e nãoprecisam seguir o mesmo padrão de forma ou pensamento. O seriadotraz uma espécie de clube dos excluídos, onde qualquer um que não seenquadre nos padrões sociais exigidos pelo ensino médio pode serefugiar e, com isso, cria-se um grupo heterogêneo que possui em comumo amor pela música e as dúvidas e dilemas de qualquer adolescente.
  • 4. A série veio para “acolher” umpúblico que até então não havia sidoatingido diretamente por nenhumoutro produto presente no cenáriomidiático. Grande parte das sériesdirecionadas para o público jovemexistentes trata de um cotidiano emque a maioria do público não seencaixa, como exemplos temosmuitos seriados conhecidos, comoGossip Girl, Rebelde, Zoey 101, TheO.C., entre outros, todos retratandoo mesmo grupo de adolescentesricos, que estudam em um colégiocaro que fica localizado em algumcentro urbano importante. Gleequebra todas essas predefinições.
  • 5. O termo Gleek surgiu para definir quem é fã da série. É uma junção de Glee coma palavra geek, que nada mais é do que uma das variações dos conhecidosnerds. O que surgiu como um pequeno seriado que não pretendia passar daprimeira temporada acabou ganhando proporções tão grandes que se tornou umproduto rentável e explorável e ganhou destaque no canal de TV a cabo FOX. Aparte da receita que provavelmente dê mais certo são as músicas, a linguagemuniversal. No seriado são apresentadas músicas atuais mescladas com antigas,grandes sucessos que são regravados e inseridos na série para complementar anarrativa.
  • 6. Primeiramente, o motivo para a escolha do meu temabaseia-se na paixão pela série e pelo fascínio exercidopelos temas abordados pelos autores, que tratam deassuntos delicados e que muitas vezes são consideradostabus de uma forma simples e que fazem com que otelespectador reflita sobre os problemas e aprenda acompreender e aceitar as diferenças ao invés de despreza-las e trata-las de forma negativa. Tentarei entender osobjetivos que levam os autores a abordarem tais temas e aforma como esses temas impactam a formação dopensamento público além da ligação direta entre o seriadoe a disseminação das visões dos estereótipos que sãotratados de forma tão diferenciado por essa obra televisiva.
  • 7. Meu objetivo central nesse trabalho é analisar as estratégias que oseriado Glee utiliza, através dos estereótipos, para atrair o público epara criar uma identificação imediata com quem acompanha asérie.Pretendo analisar também os seguintes pontos: Como a linguagem do seriado e como a construção de cada personagem pode auxiliar na construção da identidade e na valorização da individualidade junto aos jovens. A forma como o seriado pode ser usado como exemplo e base para a construção do comportamento em sociedade adotado pelos jovens. As temáticas abordadas pela narrativa no contexto apresentado ao decorrer das temporadas da série e a forma como cada tipo de estereótipo usado na série foi construído utilizando os personagens apresentados.
  • 8. • Serão utilizados livros, textos ou artigos que tratem sobre seriados e como o público interage com esse universo televisivo, além de textos, artigos ouA) Pesquisa reportagens que tratem especificamente sobre Glee. Utilizarei também textos que abordem temas relacionados a estereótipos, principalmente de estudiososBibliográfica que tratem diretamente do tema, para poder fazer uma análise e definir uma ligação direta entre meu objeto de estudo e as definições de estereótipo tão utilizadas pelo seriado. • Analisarei as quatro temporadas já lançadas do seriado e como a temática e a história do dia-a-dia dos personagens é desenvolvida,B) Pesquisa assim como cada personagem é retratado, assim como o filme queAudiovisual apresenta a turnê de shows do grupo e os fãs que aparecem durante o filme contando suas experiências e sua ligação com o seriado. • Vários são os sites que comentam sobre Glee. Sites oficiais e também sites criados por fãs, assim como blog’s e redes sociaisC) Pesquisa ligadas ao seriado, uma análise de pequenos casos de devoção dena Internet fãs em redes sociais e como esses fãs se comportam e tratam os fatos relacionados a Glee.
  • 9. Obrigado!Rio de janeiro, 14 de Novembro de 2012 Hugo de Souza Lourenço

×