Your SlideShare is downloading. ×
Slide 8   Guerra De Canudos Tiago F,Jaciara Antero 3 N2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Slide 8 Guerra De Canudos Tiago F,Jaciara Antero 3 N2

4,740

Published on

Published in: Education, Spiritual
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,740
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
75
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.
      • A situação do Nordeste brasileiro, no final do século XIX, era muito precária. Fome, seca, miséria, violência e abandono politico afetavam os nordestinos, principalmente a população mais carente. Toda essa situação, em conjunto com o fanatismo religioso, desencadeou um grave problema social.
  • 2.
      • Em novembro de 1896, no sertão da Bahia, foi iniciado este conflito civil. Esta durou por quase um ano, até 05 de outubro de 1897, e, devido à força adquirida, o governo da Bahia pediu o apoio da República para conter este movimento formado por fanáticos, jagunços e sertanejos sem emprego.
  • 3.
      • O beato Conselheiro, homem que passou a ser conhecido logo depois da Proclamação da República , era quem liderava este movimento. Ele acreditava que havia sido enviado por Deus para acabar com as diferenças sociais e também com os pecados republicanos, entre estes, estavam o casamento civil e a cobrança de impostos.
  • 4.
      • Com estas idéias em mente, ele conseguiu reunir um grande número de adeptos que acreditavam que seu líder realmente poderia libertá-los da situação de extrema pobreza na qual se encontravam.
  • 5.
      • A população de canudos plantava e criava seus próprios alimentos vendendo alguns dos seus para obterem o que os que não eram produzidos em seu arraial.
      • Se protegiam formando grupos armados, tendo como comandante Pajeú.
      • A comunidade de Canudos era auto-gestora.
  • 6.
      • Canudos crescia e se expandia, mas a Igreja Católica ia perdendo adeptos e os latifundiários mão-de-obra.
      • Intelectuais da época influenciados por uma visão elitista, condenavam em artigos enviados para os jornais o “fanatismo” e a degenerescência dos habitantes do arraial.

×