Entenda porque seu aplicativo de Android não deve ser igual ao de iPhone

  • 10,913 views
Uploaded on

Usuários de Android interagem com seu smartphone de outra forma. Ok, é parecido, mas não é nem de longe igual. …

Usuários de Android interagem com seu smartphone de outra forma. Ok, é parecido, mas não é nem de longe igual.

Com 66% de mercado no Brasil e crescendo a cada mês, o Android possui um Design de Interação consistente e que é usado por Facebook, Evernote, Dropbox, Whatsapp e pelos apps mais bem avaliados na PlayStore.

Na hora de planejar seu app, tome corretamente a decisão que pode levá-lo à boa aceitação, ou ao fracasso total! Por que não aderir e oferecer ao seu usuário a melhor experiência?

More in: Design
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito boa iniciativa Henrique. Servirá para apresentar pra muito cliente usuário de iPhone.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito bacana a apresentação Henrique ;-)
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • A apresentação é bacana, mas apesar de defender o desenvolvimento para as outras plataformas, esqueceu de aprofundar no Windows Phone e citar o BlackBerry10. Outro dado importante, e sei porque pesquisei a respeito, é que o desenvolvimento em iOS é cogitado em primeiro lugar não pelo número de usuários, que é menor que o de Android, mas por que usuários de iOS estão mais dispostos a pagar por um app ou jogo que um usuário de Android, então dependendo do modelo de negócio adotado, compensa financeiramente começar pelo iPhone e construir a marca, aumentar seu valor e expandir. Agora compartilho com você a opinião de que tentar copiar visual e funcionalidades de apps de iOS para Android é uma coisa extremamente ruim. Mas sobre a splash screen, muitos apps ainda usam, e novamente, dependendo do intuito do app é válido desde que não atrapalhe a experiência final do usuário.

    http://blog.flurry.com/bid/99013/The-History-of-App-Pricing-And-Why-Most-Apps-Are-Free
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito Bom....
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Parabéns pelo material.. vou citar você em uma apresentação aqui :)
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
10,913
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9

Actions

Shares
Downloads
243
Comments
14
Likes
123

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ENTENDA PORQUE SEU APP DE ANDROID NÃO DEVE SER IGUAL AO DE iPHONE
  • 2. QUEM SOU EU Henrique Perticarati Arquiteto de Informação e Designer de Interface Você pode me encontrar… aqui: hperticarati@gmail.com ou aqui: henrique.perticarati@taqtile.com Esse conteúdo é um oferecimento Taqtile. http://taqtile.com.br
  • 3. NÃO ENTRE EM PÂNICO! 76% dessa apresentação são figuras e gráficos legais!
  • 4. Capítulo 1 “Quem é você?”
  • 5. Imaginemos…
 uma MONTADORA JAPONESA Proposta Novo carro que traz todos os valores da montadora, aliado à autêntica experiência de se dirigir um carro Japonês.
  • 6. APÓS O LANÇAMENTO, SUCESSO RÁPIDO! Moderno, estável, econômico e ecológico. Confortável na cidade, bom desempenho na estrada. Vamos exportar!
  • 7. PARA REPLICAR O SUCESSO NO MUNDO TODO, QUEREMOS A MESMA EXPERIÊNCIA EM TODOS OS LUGARES! “Inclusive, com o volante no lado direito, para ser consistente com o modelo vendido no Japão”.
  • 8. RESULTADO:
 RECEPÇÃO RUIM DE UM PRODUTO BOM Isso parece familiar?
  • 9. Ao prezar pela “consistência” entre produtos, a montadora se esqueceu de algumas regrinhas essenciais…
  • 10. CONTEXTO DE CONHECER O USUÁRIO Quem é? O que pensa? O que sabe? O que espera do produto? Como interage com produtos semelhantes? …
  • 11. ENTENDER O CONTEXTO DE USO Por quê, e em que situações o produto será usado? Como o usuário se comporta nesse momento? …
  • 12. SER FAMILIAR Se adequar ao modelo mental do usuário. Atender suas expectativas. Construir inovações em cima do conhecido.
  • 13. Capítulo 2 “Isso é muito bom. O resto é lixo.”
  • 14. Quando se desenvolve apps para smartphones, é muito comum:
  • 15. 1.Encomendar versões do app somente para iPhone e Android São as plataformas com maior representatividade no mercado.* Por enquanto, apps de Windows Phone e outras plataformas ficam esquecidos. *73,39%, mundialmente - maio de 2014.
 Fonte: http://gs.statcounter.com/
  • 16. 2.Iniciar o desenvolvimento com a versão iPhone Usuários de iPhone costumam retornar mais lucro para o serviço. " Clientes e stakeholders costumam ter iPhones, e querem ver o app funcionando em sua plataforma preferida :) " O desenvolvimento para iPhone é mais rápido (pois é menos fragmentado).
  • 17. 3.Solicitar que o app de Android seja igual ao de iPhone Quem encomenda o projeto não costuma conhecer a fundo o Android, por isso: " Julga-se que a experiência de uso seja pior que a do iPhone. " Não se quer pagar duas vezes pela “Arquitetura e Design do mesmo app”. " Acredita-se que as duas versões do app devam ser “consistentes, para o usuário não se confundir”.
  • 18. Capítulo 3 “Ordem a partir do caos.”
  • 19. PRAZER, ANDROID.
  • 20. Primeiro, alguns números
  • 21. Crescimento do Android na América Latina
  • 22. Fonte: http://gs.statcounter.com/ Android 66,13% iPhone 13,79% Nokia Series 40 7,24% Windows Phone 4,36% Outros 8,17% Mercado de smartphones no Brasil* *Março de 2014
  • 23. Há alguns anos,
 a grande maioria dos smartphones no Brasil são Android. Resumindo… E por isso Usuários de Android já estão habituados aos modelos de interação da plataforma.
  • 24. Ok, nem sempre foi assim…
  • 25. As primeiras versões do Android
 não tinham um padrão forte de Design* *Android 2.3 e anteriores
  • 26. Mas desde Dezembro de 2011
 tudo mudou, com o lançamento do Android 4.
  • 27. Com novos princípios de Design e uma forte documentação, o Android agora oferece aos usuários uma experiência única.
  • 28. Agora os usuários podem desfrutar de modelos de interação consistentes entre todos os aplicativos :)
  • 29. E não foram só os apps da
 Google que aderiram!
  • 30. Twitter
  • 31. Whatsapp
  • 32. Shazam
  • 33. TuneIn Radio
  • 34. Trip Advisor
  • 35. BBC Weather
  • 36. Capítulo 4 “O que há de diferente.”
  • 37. ≆ A experiência de uso em smartphones iPhone e Android é “aproximada, mas não exatamente igual”.
  • 38. Eis o que há de diferente: Alguns recursos do Android são próprios de seu modelo de interação.
  • 39. Navegação O botão voltar (fixo), 
 permite que o usuário cancele qualquer processo ou volte para telas anteriores, semelhante à um navegador de internet. O botão subir (opcional) permite a navegação por níveis hierárquicos do app, semelhante ao Windows Explorer.
  • 40. Escolher um produto a partir de um catálogo Escolher outro a partir da lista de semelhantes… E mais outro… E mais outro. Navegando num mesmo app, o usuário pode visitar diversas seções
  • 41. É possível fazer todo o caminho de volta usando o botão voltar…
  • 42. …ou ir direto para o nível acima,
 usando o botão subir.
  • 43. Buscar um filme no Google Visualizá-lo no IMDb Escolher onde quer compartilhar Enviar para um grupo no Whatsapp Um usuário pode começar uma tarefa em um app e concluí-la em outro.
  • 44. Usando o botão voltar, o usuário pode fazer todo o caminho de volta entre apps diferentes, sem problemas.
  • 45. Gaveta de navegação (pode chamar de menu lateral, se quiser ;) Permite a navegação entre diversos níveis superiores do app
  • 46. Barra de Ações (pode chamar de menu superior, se quiser ;) Permite acesso a navegação principal Exibe as ferramentas mais importantes da tela atual
  • 47. Widgets Trazem para a home do smartphone alguns recursos de dentro do app, sem a necessidade de abri-lo.
  • 48. Compartilhamento Compartilhe em qualquer app instalado que permita essa ação. " Seu usuário poderá adicionar seu produto a uma nota no Evernote ou à uma conversa no Messenger. " O Android provê isso automaticamente :)
  • 49. Notificações avançadas A partir de uma notificação, é possível interagir com o app sem abri-lo… …responder mensagens, visualizar imagens recebidas, acompanhar um andamento de download.
  • 50. Completar tarefa usando outro app Abrir um link de mapa no Google Maps ou no Waze? A escolha é do usuário :)
  • 51. Ícones diferenciados possuem silhueta única e volume
  • 52. iPhone Android
  • 53. Splash screen Não se usa splash screen em Android. Ponto.
  • 54. No iPhone, a splash screen é uma imagem estática feita para simular parte da interface do app, enquanto o conteúdo carrega. " Isso diminui o tempo de espera. " Começou a ser usada para aplicação da marca, e então passou a ser usada como banner para publicidade, mesmo que a Apple não recomende*. *https://developer.apple.com/library/ios/documentation/UserExperience/Conceptual/MobileHIG/LaunchImages.html#//apple_ref/doc/uid/TP40006556-CH22-SW1
  • 55. VEJA ESSE (MAU) EXEMPLO Após abrir o app, o usuário vê o logotipo do evento. Dois segundos depois,
 ele vê o logotipo do patrocinador. Mais dois segundos e então o usuário é forçado a criar uma conta.
  • 56. A não ser que muito conteúdo relevante precise ser carregado de uma só vez, vale a pena transformar a sua marca num obstáculo entre o usuário e o conteúdo do app? Até aqui, o usuário viu três telas diferentes, das quais não podia escapar, e ainda não acessou conteúdo algum. VEJA ESSE (MAU) EXEMPLO
  • 57. O melhor hábito é carregar o app por partes: a interface primeiro, o conteúdo depois. ! Isso diminui o tempo de espera :) ! Sua marca pode ser reforçada de outras formas, dentro do app.
  • 58. Capítulo 6 “Saber se adaptar.”
  • 59. O Evernote contempla a maior parte dos recursos apresentados aqui.
  • 60. 10'' 4''7'' Responsivo O mesmo app suporta smartphones e tablets.
  • 61. 1. Ícone apropriado 2. Funções e ícone adaptados nas notificações. 3. Widgets
  • 62. No iPhone, segue os padrões do iPhone. No Android, segue os padrões do Android :)
  • 63. E ele não está sozinho! 
 Para criar uma experiência familiar e agradável,
 é importante integrar o app com a plataforma, e a marca não pode ficar no caminho. Seja flexível!
  • 64. É o que diz o Skype…
  • 65. … o Dropbox…
  • 66. … o Foursquare…
  • 67. … e todos os outros apps citados nessa apresentação.
  • 68. Capítulo 7 “Quase acabando…”
  • 69. 1. Mão de obra adicional e resultados não satisfatórios. 2. Manutenção mais difícil. 3. Afeta a estrutura de navegação do app. 4. App instável, pesado e propenso a bugs. Tentar imitar o visual do iPhone no Android Consequências: 5. Economia em Arquitetura e Design.
 Gastos com desenvolvimento.
  • 70. “O Hitler dos apps de celular” “Pior app da História” “Totalmente lixo” HRS Hotel Search
  • 71. Mas para tudo há solução! Após redesign (e re-lançamento)…
  • 72. Conclusão 1. Adaptar o app ao contexto do usuário, e não o contrário. 2. Saber usar ao máximo os recursos oferecidos pela plataforma.
 Seu usuário espera isso. 3. A integração do app com a plataforma é mais importante do que a “consistência” entre apps de diferentes plataformas.
  • 73. Os recursos mostrados aqui estão disponíveis em Android 4 e versões mais atuais. No entanto, existem bibliotecas de compatibilidade para versões anteriores. Para designers Android Design Guidelines http://developer.android.com/design/index.html Device Art Generator http://developer.android.com/distribute/promote/device-art.html Android Asset Studio (desenvolvido por terceiros) http://android-ui-utils.googlecode.com/hg/asset-studio/dist/index.html Para desenvolvedores Creating a Navigation Drawer http://developer.android.com/training/ implementing-navigation/nav-drawer.html Actionbar Sherlock (desenvolvido por terceiros) http://actionbarsherlock.com/