Your SlideShare is downloading. ×
A civilização romana (continuação)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

A civilização romana (continuação)

2,827
views

Published on

Published in: Technology, Business

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,827
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Economia
    • Com o Império quase todo conquistado, os Romanos viveram um período de grande prosperidade e desenvolvimento económico;
    • O desenvolvimento das vias de comunicação terrestre e o domínio do Mediterrâneo, permitem as viagens de mercadores e mercadorias, a qualquer ponto do Império.
  • 2. Assim, podemos afirmar que: Economia Romana urbana comercial A actividade principal era o comércio monetária Era nas cidades que se realizavam as trocas comerciais O intenso volume de trocas exigia uma grande circulação de moeda
  • 3. Questões
    • Refere os factores que possibilitaram o desenvolvimento da economia romana;
    • Indica as razões para dizermos que a economia romana era urbana, comercial e monetária
  • 4. Sociedade
    • A sociedade romana era fortemente hierarquizada e estratificada;
    • A sua posição social era determinada por dois factores:
      • Origem familiar;
      • Riqueza;
    • Assim, a mobilidade era possível , conforme o enriquecimento ou empobrecimento de um indivíduo.
  • 5. Ordem Senatorial Cavaleiros Ordem Equestre Senadores Cidadãos/Plebeus Libertos Escravos
  • 6. Imperador – poder e funções
    • Augustus – divino, sagrado, intocável;
    • Pontifex Maximus – chefe supremo religioso;
    • Tribunicia Potestas – direito de veto das decisões do senado;
    • Imperatur – comando supremo do exército;
    • Nomeava os governadores das províncias ;
    • Cunhava moeda;
    • Controlava a administração Pública.
  • 7. Órgãos consultivos
    • Senado:
      • constituído por antigos magistrados;
      • Detêm o poder consultivo (emite pareceres sobre os assuntos de Estado);
    Uma sessão no senado Aspecto actual do senado Romano
  • 8.
    • Magistrados:
      • Cônsules, pretores e questores;
      • Desempenham cargos públicos (no exército, na justiça, nos impostos)
  • 9.
    • Comícios:
      • constituído por patrícios e plebeus;
      • Eram convocados pelo Imperador;
      • Têm poder consultivo (apenas quando lhes é pedida a opinião);
  • 10. Estrato Inferior
    • Cidadãos : eram os camponeses, comerciantes, artesãos e pequenos proprietários.
    • Libertos : indivíduos que tinham chegado ao Império escravos, mas tinham sido libertados. Os seus filhos eram considerados cidadãos.
  • 11.
    • Escravos : grupo mais numeroso, mas sem direitos. Eram soldados derrotados ou pessoas com dívidas. Considerados animais/objectos, realizavam as tarefas mais pesadas. Assim, a sociedade romana era esclavagista.
  • 12. O legado da Civilização Romana
    • Os Romanos distinguiram-se em diversas áreas, como por exemplo a literatura e o direito;
    • Na literatura: poetas como Virgílio, Horácio e Ovídio e obras como a Eneida;
    Horácio
  • 13.
    • O direito foi uma das principais heranças dos Romanos.
      • Direito privado: regula as relações entre os cidadãos;
      • Direito público: leis que regem o funcionamento do Estado.
    • O sistema jurídico português e de muitos países europeus, foi inspirado, no sistema de leis do Império Romano.
  • 14. Arte
    • Também nesta área, a civilização romana se distinguiu;
    • Assim, temos exemplos na arquitectura e urbanismo, na escultura e na pintura.
    Coliseu Roma
  • 15. Arquitectura
    • A arquitectura romana sofre influência dos gregos, mas com algumas inovações;
    • Assim, as principais características são a funcionalidade, a monumentalidade, a solidez e a durabilidade.
    • Na sua construção, eram utilizados os arcos de volta perfeita, abóbadas de berço e cúpulas.
  • 16. Arco volta perfeita Abóbada de berço Cúpula (Interior Panteão Agripa em Roma)
  • 17. Escultura
    • Estátuas de grandes dimensões, altos relevos, bustos. São muito realistas, graças aos cuidados que tinham nos traços do corpo, no vestuário e nos penteados.
    Lar romano de bronze
  • 18. Pintura
    • Na pintura, os Romanos utilizaram os frescos (pinturas em paredes ou muros com gesso) na decoração interior das dómus.
    • Utilizam cores vivas, luzes contrastantes e perspectiva (obter a ilusão de profundidade);
    • Os temas são sobretudo religiosos e mitológicos, relacionados com a vida quotidiana, paisagens e animais.
  • 19. Fresco de Pompeia Bodas de Zéfiro e Cloris
  • 20. Urbanismo
    • Os edifícios públicos eram práticos e úteis, sendo colocados ao serviço das cidades;
    • Desta forma, construíram:
      • Sistemas de abastecimento de água (aquedutos);
      • Ruas (largas, geométricas e que conduziam ao centro da cidade);
      • Saneamento;
      • E edifícios (fórum, teatros e recintos desportivos – como o Coliseu).
  • 21.
    • Os edifícios privados (casas) tinham como finalidade a habitação, sendo esteticamente agradáveis.
    • Existem três tipos de casas:
      • Dómus: casas dos grandes senhores, espaçosas, luxuosas. Localizavam-se nos centros urbanos;
      • Villae: casas de campo que pertenciam a proprietários rurais. Símbolo de riqueza.
      • Insulae: prédios com vários andares, em madeira, localizavam-se nos centros urbanos. Eram habitadas por várias famílias, sem condições de habitabilidade.
  • 22. Religião
    • Como os gregos e egípcios, os romanos eram politeístas;
    • Adoptaram os deuses de povos que dominaram (sobretudo dos gregos);
    • Existiam três tipos de culto:
      • O culto familiar, dirigido pelo pater familias ( o pai). Depositavam comida para os deuses em troca de favores. Homenageavam os antepassados;
  • 23.
      • o culto público era prestado nos templos e os sacerdotes, que tinham a capacidade de interpretar as vontades dos deuses, eram os seus organizadores; Os ricos não se dirigiam aos templos, fazendo banquetes nas suas casas;
      • Culto imperial: A partir do momento que se torna Império, o Imperador passou a ser o sacerdote supremo e era ele que dirigia o culto.
  • 24. Cristianismo - origem
    • Surge com Jesus Cristo, apresentado como o Messias ;
    • Este lança novos princípios e valores que deveriam guiar os seres humanos:
      • Igualdade entre os homens;
      • Caridade e fraternidade;
      • Humildade;
      • Condenação da opressão, violência e injustiça.
  • 25. Oposição e crucificação
    • Razões para a oposição e condenação:
      • Mensagem totalmente diferente da difundida pelo Império Romano;
      • Os grupos sociais mais desfavorecidos (escravos, camponeses, pequenos artesãos e comerciantes), aderiram rapidamente, provocando alguma contestação e ameaça contra o Império;
  • 26.
      • Os responsáveis Judeus não o reconheceram como o seu salvador e viram em Jesus Cristo alguém que ameaçava o seu poder.
    • Depois da sua morte, os seus discípulos (apóstolos) continuaram a levar a inovadora mensagem a todo o mundo.
  • 27. Difusão do Cristianismo
    • Várias condições levaram à rápida propagação dos valores defendidos por Jesus Cristo:
      • Duras condições dos escravos e das camadas mais baixas dos cidadãos;
      • As comunidades judaicas espalhadas pelo mundo;
      • Unidade cultural do Império Romano (leis, língua e administração);
      • A boa rede de estradas que permitiu a rápida chegada dos apóstolos;
      • Destruição de Jerusalém.
  • 28. Perseguições
    • A recusa em se submeter ao culto do imperador, provocou repressões nos cristãos;
    • Muitos morreram crucificados, queimados, decapitados ou lançados às feras no circo;
    • Os únicos sítios onde poderiam estar a salvo, eram as catacumbas
  • 29.  
  • 30. Afirmação
    • Em 313, quando número de seguidores era muito elevado, Constantino publica o Édito de Milão, em que dá liberdade de culto aos romanos.
    • Em 391, o Imperador Teodósio proclama o Cristianismo como religião oficial do Império Romano, com o Édito de Salónica.