Newsletter Pecuária Produtiva Jacarezinho: confira a entrevista com Elio Micheloni Jr. sobre o mercado de reposição
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Newsletter Pecuária Produtiva Jacarezinho: confira a entrevista com Elio Micheloni Jr. sobre o mercado de reposição

on

  • 547 views

 

Statistics

Views

Total Views
547
Views on SlideShare
542
Embed Views
5

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 5

http://www.beefpoint.com.br 5

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Newsletter Pecuária Produtiva Jacarezinho: confira a entrevista com Elio Micheloni Jr. sobre o mercado de reposição Newsletter Pecuária Produtiva Jacarezinho: confira a entrevista com Elio Micheloni Jr. sobre o mercado de reposição Document Transcript

    • Nº 07 • Ano II • maio 2010 www.agrojacarezinho.com.br entrevista Mercado de reposição permanecerá em alta, afirma analista O analista de mercado Elio Micheloni verá enfraquecimento no preço do be- Jr. projeta que até o final de 2010 as co- zerro. Não acredito nesta possibilidade. tações do boi gordo terão bons índices e destaca que o mercado de reposição per- 6 – O abate de vacas foi maciço até manecerá em alta pelo fato da oferta ser pouco tempo, porém, houve reten- pequena. ção nesse sentido.Qual a razão? Em entrevista à ‘Pecuária Produtiva’, O abate teve seu ápice até 2006, de lá Micheloni comentou que este ano está para cá aumentou a retenção, a prova se mostrando promissor para os investi- disto é que o preço da vaca que chegou a mentos no mercado, porém, há fatores 25% abaixo do valor da arroba boi, hoje que influenciam nesse processo, como a está em 5% abaixo. recuperação da economia mundial, que A razão da retenção é financeira, pro- pode causar oscilações em valores. duzir um bezerro de R$ 700,00 e uma be- Confira entrevista na íntegra. zerra de R$ 500,00, é rentável. E, o produtor tem qu ter receita, se 1 – O ano de 2010 está sendo pro- não, volta a abater suas vacas e o ciclo missor para o mercado do boi gordo? volta a acontecer. Quais são as perspectivas? Se considerarmos o primeiro trimestre 7 – Como está a relação de troca do ano, podemos afirmar que “foi” pro- Elio Micheloni Jr. entre boi gordo, boi magro e be- missor, visto que a alta da arroba se deu zerro? Quais as expectativas para ao redor de 11%, recuperando boa parte como safra. E o motivo desta inversão este ano? da baixa do final de 2009. está diretamente ligado ao confinamen- A relação está apertada para o inver- Ou seja, o início está bom, mas ainda to quando ocorre a concentração de ven- nista/confinador, pelos motivos acima, é só o começo, temos muitos fatores que da no segundo semestre, o que conhece- pouca oferta. agirão neste mercado como, a econo- mos por entressafra, passou a ser “safra Este ano ainda será apertada, com o mia mundial que, recuperando-se, dará de confinados”, isto explica os preços gado magro com bom preço. maior condição de consumo desta proteí- mais altos no primeiro semestre. Para 2011 haverá aumento de oferta na, além do clima, moedas, produção dos mas, como temos uma demanda crescen- países competidores e, principalmente o 4 – Qual será o comportamento do te, de carne e, um abate “mais precoce”, tamanho da oferta brasileira. mercado de setembro a novembro? a recomposição será mais demorada. Pode-se acreditar na arroba a R$ 85 2 – Qual a estimativa para a ocor- e até R$ 90? 8 – Como está a disponibilidade de rência do pico da arroba do boi gor- Se considerarmos que o o preço do boi gado nos estados, de maneira geral? do neste ano? para outubro 2010 já atingiu R$89,00, e O interessante nesta pergunta é que, Considerando-se os últimos três anos, este era o objetivo do pecuarista, então a no estado de SP, praticamente não há quando observamos mudança no ciclo atitude era de vender o mercado futuro. mais bois de safra, o boi de pasto. SP está pecuário, os preços máximos atingidos se Agora, olhar para o fim do ano e afir- virando um estado confinador, por várias deram em plena safra de pasto, ou seja, mar o nível do mercado, é muito difícil. razões. no primeiro semestre. Isto em decorrên- O que podemos afirmar é que, os funda- A produção volta-se aos estados do cia do fato de que o confinamento, que mentos são muito positivos para este ano. centro-oeste e norte onde o custo para cresceu muito em volume, está “ante- produzir é mais baixo. cipando uma era” no abate, tirando os 5 – Apesar de o mercado estar bois que estariam prontos até março, seguindo em um ciclo alto, já vem 9 - Em relação à indústria, como sendo abatidos 5 meses antes. mostrando vestígios do início da será o comportamento desse setor e o baixa. Porém, o mercado de reposi- que os pecuaristas podem esperar? 3 - Nos últimos três anos, isso ção continua em alta. A que se deve Entramos num ano com a economia tem acontecido de forma invertida, esse fator? mais sólida e otimista. A indústria, em dando-se nos meses de junho e ju- Efetivamente estamos recompondo grande parte, considerando os pequenos lho, quando,normalmente, seria em o rebanho, a oferta é pequena, por isto e médios frigoríficos, seguem sem linhas outubro. Qual o motivo dessa inver- nota-se o preço do bezerro firme e em de financiamento, ou seja, a sua opera- são? Pode estar ligada à escassez de alta, a recomposição do estoque de todas ção está dando resultado, e isto é um ex- ofertas? as categorias é demorada. celente ponto de solidez. Alguns grupos Sim, está ligada à escassez de oferta Estamos entrando no período de des- voltam a operar ou devem ser incorpora- do boi de pasto, aquilo que conhecemos mama, será interessante observar se ha- dos. O setor está bem melhor.
    • projeção Produção de alimentos deve aumentar 70% até 2050, projeta FAO A Organização emergentes que es- das Nações Unidas tão se capitalizando, para Agricultura e têm recursos para Alimentação (FAO) gastar”, explica o projeta para 2050 supervisor de Ven- uma população de das da Agropecuária 9,1 bilhões de ha- Jacarezinho, Daniel bitantes, número Carvalho. que demandará Segundo ele, para um investimento os produtores esta- de 83 bilhões de rem preparados para dólares/ano em ali- as estimativas des- mentos para aten- ta projeção da FAO, der esse volume. não há fórmula para Isso representa um aumento de 70% na mais 2,3 bilhões. Inicialmente, devem garantir o crescimento, mas, caminhos produção mundial de alimentos. ser 20 bilhões de dólares por ano des- a serem seguidos. Na atividade pecuá- O desafio não é apenas aumentar a tinados à produção agrícola, 13 bilhões ria, por exemplo, destaca a melhoria futura produção global, mas, onde ela é para a criação de animais e 50 bilhões da produtividade com investimentos mais necessária. Mudanças climáticas e de dólares em serviços correlatos, como em tecnologia, boas práticas de mane- o êxodo para a cidade devem contribuir armazenamento e processamento. jo, conquistar certificações sob chance- para a falta de alimentos nos próximos Dos 83 bilhões de dólares anuais a la internacional e aumento na taxa de anos, segundo relatório da FAO. serem investidos, 29 bilhões devem se desfrute. “Não é preciso derrubar mais Para isso, deve-se duplicar a produção concentrar nos dois países mais popu- árvores para aumentar as áreas de pas- agrícola nos países em desenvolvimento losos do mundo, China e Índia, objeti- tagens, mas sim, otimizar a produtivida- nos próximos 41 anos, período em que vando o aumento da segurança alimen- de por hectare já utilizado e aumentar a população mundial deve crescer em tar e redução da pobreza. “São países os confinamentos, finaliza. artigo Desafios futuros da gestão A agropecuária forma a favorecer a relação custo/bene- cadeias produtivas do agronegócio, so- nacional supera os fício e permanecer competitivo. O agro- bretudo para aquele inserido “dentro revezes e recupera negócio passa a ser encarado como um da porteira”. a aceleração de seu sistema de elos, abrangendo itens como - Vender bem, buscando a utilização crescimento. pesquisa, insumos, tecnologia de produ- de mecanismos de comercialização que As perspectivas ção, transporte, processamento, distribui- possibilitem vender primeiro e produzir para o setor melho- ção e preço. depois, como, por exemplo, a Cédula de raram consideravel- - Modelo de gestão – Tem a finalidade Produto Rural – CPR e por que não Mer- mente, entretanto, de auxiliar o gestor nas suas atividades do cado de Futuros e Opções. mais do que épocas dia-a-dia e nos momentos onde é neces- Este é um cenário ditado pela com- passadas, é preciso que agropecuaristas sária uma ou várias tomadas de decisões petição, onde a força do mercado é o se adaptem às mudanças demandadas focando o gerenciamento mais adequado atual paradigma estabelecido, e no- pelos mercados (interno e externo). dos recursos disponíveis na propriedade vos instrumentos de inteligência de O efeito globalização da economia para alcançar os objetivos traçados. mercado(analise da demanda), gestão derrubou fronteiras e define quase que Prezado empresário rural, conhecen- financeira, gestão de risco, aliadas a constantemente uma nova ordem para do onde sua empresa rural se posiciona Tecnologia da Informação devem ser a gestão dos negócios agropecuários, dentro da cadeia produtiva, possuindo utilizados, pois o agronegócio do futuro impondo uma revisão completa de suas informações corretas onde, estas são ge- e do presente necessitará satisfazer cri- práticas e conceitos. renciadas por um programa de suporte térios de sustentabilidade para ter aces- Entender a empresa rural apenas a decisão, o senhor será capaz de tomar so a mercados, especialmente mercados como um modelo fornecedor de ma- decisões importantes para a viabilização de exportação globalizados com renda téria prima, desconectada dos outros do seu negócio, que estão relacionadas à: e exigências constantes. momentos de transformação, não cabe Quais mercados atender? Como? Quan- Carlos Magno é analista de sistemas, mais. É primordial que o empresário ru- do? Aonde? técnico agropecuário com especialização ral se quiser continuar atuando, deve Lidar profissionalmente com esta en- em Gestão de Cadeias Produtivas e dire- aprender a visão sistêmica de produção tidade chamada mercado é uma neces- tor técnico da Seiva Brasilis, Empresa de e comercialização, buscar eficácia, de sidade imperiosa para todos os elos das Gestão em Negócios Agropecuários.