Coesão

60,263 views

Published on

0 Comments
19 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
60,263
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
56
Actions
Shares
0
Downloads
1,114
Comments
0
Likes
19
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Coesão

  1. 1. Por que escrever com coesão?
  2. 2. COESÃO TEXTUAL “Diz respeito a todos os processos de sequencialização que asseguram (ou tornam recuperável) uma ligação linguística significativa entre os elementos que ocorrem na superfície textual.” Beaugrande & Dressler (1981)
  3. 3. COESÃO TEXTUAL A palavra texto vem do vocábulo latino textus, intimamente relacionado a noção de tecido e tessitura.
  4. 4. • COESÃO É O FENÔMENO DE CONEXÃO ENTRE AS PARTES DO TE TEXTO, ENCADEANDO-AS SINTÁTICA E SEMANTICAMENTE.
  5. 5. • SEM COESÃO O TEXTO PARECE FORMADO POR FRASES DESCONECTADAS, QUE NÃO SE RELACIONAM UMAS DAS OUTRAS.
  6. 6. QUAIS SÃO ESSES MECANISMOS?
  7. 7. MECANISMOS DE COESÃO REFERENCIAL
  8. 8. MECANISMOS DE COESÃO  REFERÊNCIA: A referência, na verdade, são itens que não podem ser interpretados semanticamente por si próprios, mas remetem a um outro objeto responsável pela sua interpretação. Ao primeiro objeto se chama Pressuponentes e ao segundo Pressupostos.
  9. 9. TIPOS DE COESÃO • Coesão referencial:Esse tipo de coesão ocorre quando os elementos coesivos ou conectivos retomam ou anunciam palavras, frases e sequências que exprimem fatos ou conceitos.
  10. 10. MECANISMOS DE COESÃO Referência Situacional Textual Exórica Endofórica Anáfora Catáfora
  11. 11.  Referência exofórica:  Ex:  “Você não se arrependerá de ter lido esse anúncio.”
  12. 12. MECANISMOS DE COESÃO REFERENCIAL • Referência Endofórica: • ANÁFORA – ocorre quando um termo já dito (referente) é recuperado por meio de um item coesivo depois. “Ronaldo anunciou a saida dos campos, num clima de grande emoção. Ele ainda afirmou que continuará no meio futebolístico. ” • CATÁFORA – é quando o termo pressuposto (referente) aparece após o termo coesivo. “Tendo grande aceitação por parte dos corintianos, ele não poderia anunciar sua aposentadoria em clima mais emocionante. Ronaldo realmente se identificou com a Gaviões da Fiel”
  13. 13. MECANISMOS DE COESÃO A Referência ainda pode ser classificada em:  PESSOAL: feita por meio de pronomes pessoais e possessivos. Ex: Claudio e Cleverson fizeram ótimas provas. Eles estudaram bastante.  DEMONSTRATIVA: feita por meio de pronomes demonstrativos e advérbios indicativos de lugar. Ex: Realizara todos os seus sonhos, menos este: o de ser juíza.  COMPARATIVA: feita por via indireta através de identidades e similaridades. Ex: O exercício que o professor passou é igual ao de ontem.
  14. 14. SUBSTITUIÇÃO (NOMINAL, VERBAL, FRASA L).
  15. 15. MECANISMOS DE COESÃO  SUBSTITUIÇÃO (nominal, verbal, frasal): Consiste na colocação de um item em lugar de outro elemento do texto ou da oração inteira. Ex: Pedro comprou um carro novo e José também. O professor acha que os alunos não estão preparados, mas eu não penso assim. O Padre ajoelhou-se. Todos fizeram o mesmo. Minha prima comprou um Gurgel. Eu também estou querendo um.
  16. 16. MECANISMOS DE COESÃO  ELIPSE: é a omissão de uma expressão recuperável pelo contexto. Ex: José Wilson foi ao bar, onde [ ] encontrou muitos amigos.
  17. 17. MECANISMOS DE COESÃO REFERENCIAL • ELIPSE – se dá quando algum elemento do texto é retirado, evitando a repetição. “É preciso viver, [é preciso] não apenas existir.” (Plutarco) • REITERAÇÃO – é decorrente da repetição do mesmo item lexical e de outros procedimentos já mencionados acima como o emprego de sinônimos, hiperônimos etc. "Questionar não é duvidar, questionar é querer saber mais!" "Coragem é resistir ao medo. Coragem não é a ausência do medo."
  18. 18. CONJUNÇÃO (ADITIVA, ADVERSATIVA , CAUSAL, TEMPORAL, C ONTINUATIVA)
  19. 19. MECANISMOS DE COESÃO  CONJUNÇÃO ( aditiva, adversativa, causal, temporal, continuativa): Permite estabelecer relações significativas específicas entre orações ou elementos do texto. Tais relações são feitas através de conectores e partículas de ligação como entretanto, após, mas, depois, assim, etc. Ex: Uma grande paz seguiu-se ao violento tumulto. Após o violento tumulto houve uma grande paz. Houve um violento tumulto: depois ou logo após seguiu-se uma grande paz.
  20. 20. MECANISMOS DE COESÃO  Coesão Lexical: É obtida por meio de dois Mecanismos; - Reiteração: se faz com a repetição do mesmo item lexical ou através de sinônimos, nomes genéricos. Ex: O professor viajou para o exterior. O professor levou consigo a sua família. (Mesmo item lexical) Ex: Uma menininha me pediu dinheiro. A garota parecia desesperada. (Sinônimo) - Colocação: consiste no uso de termos pertencentes a um mesmo campo significativo. Ex: Houve um grande acidente na estrada. Dezenas de ambulâncias transportaram os feridos para os hospitais da cidade mais próxima.
  21. 21. COESÃO LEXICAL  Obtida por meio de dois mecanismos: reiteração e colocação  A reiteração se faz por repetição do mesmo item lexical ou através de sinônimos, hiperônimos, nomes genéricos.
  22. 22. COESÃO LEXICAL REITERAÇÃO  Exemplos:  O presidente viajou para o exterior. O presidente levou consigo uma grande comitiva. (Mesmo item lexical)  Uma menininha correu ao meu encontro. A garota parecia assustada. (Sinônimo)  O avião ia levantar voo. O aparelho fazia um ruído ensurdecedor. (Hiperônimo: aparelho designa o gênero de que avião é espécie).
  23. 23. COESÃO LEXICAL REITERAÇÃO  Exemplos  Todos ouviram um rumor de asas. Olharam para o alto e viram a coisa se aproximando. (Nome genérico: coisa, pessoa, fato, acontecimento etc.)
  24. 24. COESÃO LEXICAL COLOCAÇÃO  Consiste no uso de termos pertencentes a um mesmo campo significativo:  Exemplo:  Houve um grande acidente na estrada. Dezenas de ambulâncias transportaram os feridos para os hospitais da cidade mais próxima.
  25. 25. TIPOS DE COESÃO  Coesão Referencial • A superfície do texto pode ser chamada de Forma Referencial ou Remissiva; • O universo textual também é chamado de Elemento de Referência ou Referente Textual;
  26. 26. TIPOS DE COESÃO  Coesão Referencial A remissão pode ser feita através de Anáfora (para trás) ou Catáfora ( para frente); Ex1: Luanne subiu as escadas da FAN correndo.Lá em cima ela esbarrou-se com Aline. (anáfora) Ex2: Ela era muito divertida, a nossa prof. Livia! (catáfora)
  27. 27. TIPOS DE COESÃO  FORMAS REMISSIVAS NÃO REFERENCIAIS • não fornecem ao leitor/ouvinte quaisquer instruções de sentido, mas apenas instruções de conexão (por exemplo, concordância de gênero e número) • podem ser presas ou livres.
  28. 28. TIPOS DE COESÃO
  29. 29. TIPOS DE COESÃO  Vêm relacionadas a um nome com o qual concordam em gênero e/ou número, antecedendo-o e aos possíveis modificadores de nome dentro do grupo nominal.
  30. 30. TIPOS DE COESÃO Coesão Sequencial O que é coesão sequencial? Estabelece relações semânticas e/ou programáticas possibilitando o encadeamento, interdependência, entre os elementos do texto, fazendo-o progredir. Para Fiorin (1997) “é a ligação, a relação, a conexão entre as palavras, expressões ou frases do texto.”
  31. 31. TIPOS DE COESÃO  Coesão Sequencial Os Conectores contribuem para estabelecer relações lógicas entre as idéias do texto elementos de natureza gramatical (pronomes, conjunções, preposições, categorias verbais), léxica (sinônimos, antônimos, repetições), e mecanismos sintáticos (subordinação, coordenação, ordem dos vocábulos e orações).
  32. 32. TIPOS DE COESÃO  Coesão Sequencial Vejamos alguns exemplos do uso de conectores: 1. “Luisa Lima de Castro obteve êxito na prova do Enem porque se dedicou ao estudo.” 2. “Estudar exige boa vontade e dedicação, mas o esforço vale à pena.” Os conectores porque e mas estão fazendo ligações entre as orações. O conector porque, no exemplo 1, liga a oração “Luisa Lima de Castro obteve êxito na prova do Enem” à oração subsequente “se dedicou ao estudo”.
  33. 33. TIPOS DE COESÃO  Coesão Sequencial A Coesão Sequencial divide-se em recorrência ou progressão. Recorrência (sequenciação parafrásica): procedimentos recorrentes, reiteração de termos, estruturas sintáticas e conectivos.  De termos: E o trem corria, corria, corria...  De estruturas: Nosso céu tem mais estrelas Nossas várzeas têm mais flores Nossos bosques têm mais vida Nossas vidas mais amores.  De conteúdos semânticos: Ele vai ficar fora algum tempo, isto é, uns quatro meses.  De recursos fonológicos: O poeta é um fingidor Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente.
  34. 34. TIPOS DE COESÃO  Coesão Sequencial Progressão (sequenciação frásica): Progressão com sucessivos encadeamentos que garantem a continuidade de sentido do texto, sem rodeios ou retornos. Ela se faz compreender através de procedimentos de manutenção temática e de progressão temática (tema e rema). – Manutenção temática: uso de termos do mesmo campo semântico. O desabamento provocou sérios acidentes. Diversas ambulâncias transportaram as vítimas para o hospital da cidade mais próxima. – Encadeamento por justaposição; conexão; relação: Muitos anos depois, eles se encontraram. O torcedor gritou tanto que ficou rouco. João é, sem dúvida, o melhor candidato. Além disso, revela conhecer os problemas do povo.
  35. 35. CONCLUSÃO A conexão entre os enunciados são feitas, sobretudo, por certa categoria de palavras que são chamadas de conectivos ou elos de coesão. Mas, é preciso saber que recursos de coesão deve-se usar para expressar no texto a direção discursiva-argumentativa que o locutor quer imprimir no texto ou que direção ele pretenda dar á sua locução (discursos oral ou escrito). Ao escrever, devemos ter cuidado para que os enunciados estejam bem conectados entre si e que escolhamos conectivos para unir nossas idéias e fiar o nosso tecido textual, levando em consideração, nossa intenção discursiva.
  36. 36. CONCLUSÃO A conexão entre os enunciados são feitas, sobretudo, por certa categoria de palavras que são chamadas de conectivos ou elos de coesão. Mas, é preciso saber que recursos de coesão deve-se usar para expressar no texto a direção discursiva-argumentativa que o locutor quer imprimir no texto ou que direção ele pretenda dar á sua locução (discursos oral ou escrito). Ao escrever, devemos ter cuidado para que os enunciados estejam bem conectados entre si e que escolhamos conectivos para unir nossas idéias e fiar o nosso tecido textual, levando em consideração, nossa intenção discursiva.

×