Trabalho de historia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Trabalho de historia

on

  • 6,263 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,263
Views on SlideShare
6,263
Embed Views
0

Actions

Likes
3
Downloads
55
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trabalho de historia Trabalho de historia Document Transcript

  • HebreusOBJETIVO:este módulo apresentará uma visão sobre o mundo dos hebreus outambém chamados , israelitas. Descendentes do patriarca Abraão, tiveram umavida de muitas peregrinações. Como era seu modo de vida, política, religião esociedade e que contribuições deixaram para as próximas civilizações.Hebreus(israelitas)Qual a origem e significado do termo “hebreu”? Esse nome vem da raiz ‘a-vár’, que significa “passar, transitar, atravessar,cruzar”. Esse nome denota viadantes, aqueles que ‘passam adiante’. Isto porqueos israelitas por um tempo realmente levaram uma vida nômade. Os hebreus tiveram uma história de migração, lutas, fugas e cativeiros, masprocuravam e conseguiram preservar sua cultura.A civilização hebraica, formada por pastores nômades viviam na cidade de Ur,na Mesopotâmia. Conduzidos por Abraão, partiram de Ur e se estabeleceram naPalestina. No meio do seu território havia o rio Jordão, que fazia da região aárea mais fértil e favorável para a agricultura. Eles chegaram a Palestina porvolta de 2.000 a. C., esse território era conhecido como terra de Canaã. Você encontrará um registro completo sobre a vida dos hebreus na Bíblia. Láestão registrados toda sua peregrinação, sua moral, costumes, leis e históriareligiosa. Eles deixaram como herança o monoteísmo,a crença em um únicoDeus verdadeiro. Podemos dividir a história dos hebreus em 3 etapas: governo dos patriarcas,governo dos juízes e governo dos reis.Então, vamos começar??!!GOVERNO OU ERA DOS PATRIARCASOs hebreus eram dirigidos por patriarcas, estes eram líderes políticos, que eramencarados como o “pai” da comunidade.
  • O primeiro grande líder, ou patriarca hebreu foi Abraão, segundo o antigotestamento. Abraão era mesopotâmico, originário de Ur, da Caldéia.Abraão conduziu os hebreus de Ur, rumo a Palestina( terra prometida).Chegaram por volta de 2000 a. C., viveram na Palestina por quase três séculos.Durante esse tempo, Abraão fundou uma cultura religiosa monoteísta. Elessaíram de Ur em direção a terra Prometida confiando na promessa de seu únicoDeus Jeová de levá-los a uma terra que mana ‘leite e mel’. Depois de Abraão, a liderança foi passando de pai para filho. De Abraão foi paraIsaque e depois para Jacó. Este último, teve um destaque interessante, poisJacó teve seu nome mudado para Israel e teve doze filhos, que deram origem asdoze tribos de Israel. Mas tiveram tempos complicados. Os hebreus tiveram conflitos com vizinhos euma terrível seca que assolou a Palestina, obrigando-os a emigrar para o Egito,onde permaneceram por mais de 400 anos. Eram perseguidos e escravizadospelos faraós. Somente a idéia de libertação consolou um povo abatido e escravizado. Essaidéia veio por meio de Moisés. Os hebreus liderados por ele , fugiram do Egito.Essa fuga é conhecida como “Êxodo”. Podemos ver no êxodo, do relato bíblicoalgumas particularidades, como a ocasião em que o Deus dos hebreus , Jeová,abriu o mar Vermelho. Eles fugiram do Egito, perambularam 40 anos no desertoe por fim retornaram à palestina. Durante a perambulação , Moisés não chegou a entrar na Palestina, por issoquem os conduziu até lá foi Josué, sucessor de Moisés. Mas para reapossarema Palestina, os hebreus tiveram que travar intensas lutas com os cananeus eposteriormente com os filisteus, povos que ocuparam a região. Foram quase 2séculos de lutas e nesse período os hebreus foram governados pelos juízes.E assim passamos para a segunda era hebraica.GOVERNO OU ERA DOS JUÍZES Antes quem julgava os hebreus era o patriarca. Agora havia líderes militares,indicados das doze tribos que julgavam tudo. Esse período se estendeu por uns300 anos, entre a conquista da Palestina ( chamada também de Canaã) até oinício da monarquia. Entre esses chefes estavam: Gideão, Jefté, Samuel e Sansão, conhecido porsua monstruosa força.
  • GOVERNO OU ERA DOS REIS( MONARQUIA) Os filisteus ainda representavam muita ameaça aos hebreus, visto que lutavampelo completo controle do território da Palestina. Isso fez com que os hebreusinstituíssem a monarquia, para poder assim centralizar o poder e ter mais forçapara enfrentar os adversários. O primeiro rei hebreu foi:Saul, da tribo de Benjamim. Ele , porém não tevesucesso em enfrentar os inimigos e , em batalha ao ver que não conseguiriaderrotar seus adversários, ele e seu escudeiro se suicidam. Já no século XI a. C.,Davi , sucessor de Saul, conseguiu mostrar eficiência noscombates militares. Venceu os inimigos, tornou a nação hebraica forte eestabilizada. Tinham um exército brilhante e Jerusalém se tornou a capital. Daviconseguiu o grande feito de expandir os domínios do reino. Seu filho , Salomão, o sucedeu em 966 a. C., este ficou conhecido na históriapela imensa fortuna e sabedoria que adquiriu. Se tornou rei muito jovem,segundo a Bíblia, sua primeira esposa foi a filha de faraó, mas depois delachegou a ter 700 esposas e 300 concubinas. Ampliou a participação nocomércio, construiu várias obras públicas, como o famoso templo de Jerusalém,dedicado a Jeová. Os exageros iam da economia à cultura. Mas haviam altos impostos e os camponeses trabalhavam muito nasconstruções. Isso gerou descontentamento geral que piorou com a morte deSalomão. O resultado foi que com o filho de Salomão, o reino acabou sedividindo. Criando o reino de Israel e o reino de Judá. Com as capitais emSamaria e Jerusalém , respectivamente. O reino , com isso o reino ficou vulnerável e logo foi levado ao cativeiro pelosbabilônios. Estes saquearam o templo em Jerusalém e destruíram tudo. Ocativeiro iniciou-se em 587 a. C. e durou até 538 a.C.. depois houve o retorno aPalestina e o início da reconstrução das muralhas da cidade , do templo e daprópria cidade. Mais tarde, foram conquistados novamente pelos greco-macedônios e pelosromanos. Em 70 d.C. Tito, general romano, destruiu Jerusalém e os hebreusabandonaram a Palestina. Esse abandono é chamado de Diáspora.Somente em 1948 foi fundado novamente o Estado de Israel, junto com
  • conflitos com árabes e de outras nacionalidades. Mas somente nos anos 90 , foique surgiram acordos, mas não com paz completa.SOCIEDADE HEBRAICAA maioria eram camponeses, pastores e escravos. Pagavam altos impostos ouentão serviam em vários trabalhos como o serviço militar. Acima dessa classetem os burocratas e comerciantes. No topo estavam os grandes fazendeiros,sacerdotes, funcionários públicos e a família real.Como mostra a pirâmide abaixo:ECONOMIA Na maior parte do tempo a economia era baseada na agricultura e na criaçãode ovelhas e cabras. Somente a partir do reinado de Salomão é que os hebreusdesenvolveram mais o comércio. Daí começaram a buscar o individualismo, olucro. Infelizmente isso resultou na desigualdade social.CULTURA Os hititas, habitantes da Ásia, os ensinavam a usar o ferro. Os araneus da Síria,os influenciaram na língua e na escrita, usando o aramaico. Mas a religião era a base da cultura. O monoteísmo – crença em um só deus-acabou, fundando o cristianismo e o islamismo. Os hebreus tinham Jeová ouIavé, como único Deus. Acreditavam que Jeová enviaria o messias e quelibertaria o povo. Comemoravam a Páscoa, que na verdade representava asaída dos hebreus do Egito( êxodo) além do pentecostes, que era oderramamento do Espírito Santo sobre os cristãos. Guardavam também osábado, resguardando-se de qualquer atividade.Na literatura, destaca-se a Bíblia que é dividida por eles em:livros históricos: que descrevem a própria história deles, desde Josué até aconquista e dominação Persa. São estes os livros de: Josué,Juízes, Samuel.Livros proféticos: são livros proféticos de acontecimentos futuros. Entre elesestão os livros de : Isaías, Daniel, Ezequiel e Amós.Livros didáticos: são os que ensinam princípios religiosos, morais e sociais.Entre eles tem-se os livros de :Jó, Salmos, Provérbios e o cântico de Salomão
  • também chamado de Cântico dos cânticos.Os hebreus nos influenciam muito em sentido religioso e literário, mas foramvagarosos no desenvolvimento científico. Na arquitetura destaca-se o Temploem Jerusalém, dedicado a Jeová, construído por Salomão.ATENÇÃO OUTRA PARTE DO TRABALHO, VEJA OQUE VOCÊ CONCEGUERETIRAR UM POUCO DE CADA TEXTO.O que sabemos sobre o povo Hebreu deve-se sobretudo às informações daBíblia, principalmente do Antigo testamento; mas pesquisas arqueológicas eobras de historiadores judeus muito têm esclarecido os estudos sobre osHebreus.Segundo o livro Gênesis do Antigo testamento, Taré, juntamente com suafamília, abandonou a cidade de Ur, na Mesopotâmia, e desceu em direção aosul, pelas margens do Eufrates. Taré era membro de uma tribo semita, grupoétnico descendente de Sem (filho do lendário Noé, do Dilúvio). Hoje, os semitascompreendem dois importantes povos: os Hebreus (judeus) e os árabes. Com amorte de Taré, a liderança dessa tribo nômade ficou com Abraão, que, segundoa tradição, recebeu inspirações divinas para ir com seu povo até Canaã (regiãoda Palestina), a Terra prometida.O povo Hebreu, também conhecido por judeus ou israelitas, é o povo daAntigüidade que possui o maior e mais fiel número de registros históricos, sendoa Bíblia Sagrada sua fonte de informações mais precisa, e auxiliadora noencontro de vários achados arqueológicos. O princípio deste povo esta em Sem,pai dos povos Semitas. Conforme a Bíblia, Sem teve por filhos: Elam, origemdos islamitas, Assur, origem dos assírios, Arfaxade, origem dos caldeus, Lude eArã. Arfaxade gerou a Heber, origem da nomenclatura "hebreu" e também seufundador, da descendência de Heber veio Tera, pai de Abraão, que nasceu nacidade de Ur dos caldeus.Inicialmente os hebreus viviam na Mesopotâmia. Abraão, porém, recebeu umchamado de Deus e partiu com sua esposa, Sara e seus servos, Ló, sobrinho deAbraão incorporou-se a sua tribo.Abraão chegou a região da Palestina, terra de ocupação Cananéia, por volta de2000 a.C., nesta região viveram como semi-nômades. Esta região, porém, foiassolada por grande fome. Abraão, rico e próspero pastor, tomou sua tribo eretirou-se para o Egito, onde permaneceram por um breve período. Ao sair doEgito, Ló e Abraão separaram-se. Ló instalou-se na região de pastagens do rioJordão, mais tarde fixou-se na região de Sodoma. Abraão mudou-se para
  • Canaã, nesta ocasião recebeu uma revelação de Deus: "Ergue os olhos e olhadesde onde estás para o norte, para o sul, para o oriente e para o ocidente,porque toda essa terra que vês, eu ta darei, a ti e à tua descendência, parasempre." (Gênesis 13.14-15)Abraão mudou-se para a região de Hebrom, onde levantou um altar a Deus.Quedorlaomer, rei do Elam, formou acordo com Anrafael (nome que identificaHamurabi), rei de Sinear (região que posteriormente veio a ser conhecida comoBabilônia), Arioque, rei de Elasar e Tibal, rei de Goim, e subjugou os cananeuspor doze anos. Quedorlaomer conquistou os Refains, os Zuzins e os Emins.Derrotou também os Amalequitas e os Amorreus.Os reis Bera de Sodoma, Birsa de Gomorra, Sinabe de Admá, Semeber deZeboim e o rei de Zoar, colocaram-se contra Quedorlaomer e seu aliados. O reido Elam os venceu na batalha do vale de Sidim, os reis vencidos fugiram paraas montanhas, os vencedores tomaram em cativeiros os povos vencidos elevaram as riquezas destes, Ló, sobrinho de Abraão, foi levado juntamente emcativeiro.Abraão, já muito próspero, comandou 318 guerreiros de sua tribo, venceuQuedorlaomer e resgatou os despojos de guerra e os cativos, incluindo seusobrinho Ló.Abraão não possuía descendente, Sara , estéril, deu a Abraão sua escravaegípcia, Agar, para que com esta Abraão viesse a ter descendentes. Desteajuntamento nasceu Ismael.Abraão, já com idade bastante avançada, gera com sua esposa Sara, conformepromessa de Deus, um filho ao qual chama de Isaac. Isaac casa-se comRebeca, sobrinha de Sara, e tem dois filhos, os gêmeos Esaú e Jacó, esteúltimo tem mudado seu nome para Israel, nome ao qual seus descendentes atéo dia de hoje são conhecidos.Entre 1700 e 1500 a.C., mais povos penetraram na região adaptando-se àscondições sócio-econômicas locais. A ocupação da região pelos hebreus foisistematizada por Jacó, que depois veio a se chamar Israel. O povo hebreu,ainda segundo a tradição, descende desses patriarcas.O Egito e o ÊxodoO Egito oferecia melhores condições de sobrevivência que a Palestina. Para lárumou Jacó (Israel), com parte da população dos hebreus. No Egito, os hebreuspermaneceram longos anos, trabalhando para o faraó. Não era escravos, pois
  • podiam viver juntos, criar seus filhos e preservar sua língua e seus costumes.Além disso, alguns ocupavam importantes posições no governo.A permanência dos hebreus no Egito coincidiu com o período de invasão dosHicsos. Após a expulsão destes sob a liderança de Moisés, os hebreus iniciarama sua "retirada" em direção à palestina (1270 a 1220 a.C.) Esse foi o lendárioÊxodo. A partir daí, guiados pelas iluminações e visões de Moisés, os hebreuspassaram a adorar um só deus, Jeová (ou Iavé), dando os primeiros passos emdireção ao monoteísmo.Organização SocialApós a morte de Moisés, os hebreus chegaram à palestina e, sob a liderança deJosué, conquistaram parte de Canaã. Nessa época, o povo hebreu estavadividido em 12 tribos ("os doze filhos de Israel"). Viviam em clãs compostospelos patriarcas, seus filhos, mulheres e trabalhadores não livres. O poder e oprestígio desses clãs eram personificados pelo patriarca, e os laços entre essesclãs eram muito frágeis.Essa divisão em tribos dificultava a melhor condução das lutas contra os antigoshabitantes da região, que resistiam à penetração dos israelitas. Com a invasãodos filisteus, a situação tornou-se ainda mais difícil.PolíticaSurgiram então, chefes de sensíveis qualidades militares que ficaramconhecidos como juizes: Otoniel, Débora, Gedeão, Sansão e Samuel. Essesjuizes, além de combater os filisteus, tiveram que lutar contra os amoritas, povosque se estabeleceram na Transjordânia.O governo dos juizes evoluiu e impulsionou os hebreus a se organizarem numsistema de governo monárquico.Os Reis HebreusSamuel centralizou politicamente esse povo já unificado religiosamente pelomonoteísmo. Saul (a partir de 1010 a.C.) foi o primeiro rei de Israel.Como a unção de Davi (1006 a 966 a.C.) como rei dos hebreus, iniciou-se umafase marcada pelo expansionismo militar e pela prosperidade, Durante essereinado, foi escolhida Jerusalém para capital do Estado, o que simbolizou aunificação das tribos localizadas no norte e no sul da palestina.Salomão (906 a 926 a.C.), filho de Davi, desenvolveu o comércio, aumentado ainfluência do reinado sem recorrer à guerra. Construiu o templo de Iavé (Jeová).
  • No entanto, o fausto e a riqueza que marcaram seu governo exigiam o constanteaumento de impostos, que empobreciam mais e mais o trabalhador, criando umclima de insatisfação no povo hebreu.O Cisma Político-ReligiosoOs Reinos de Israel e JudáCom a morte de Salomão, houve a divisão religiosa e política das tribos e o fimda monarquia unificada.Ao norte foi formado o reino de Israel, composto de 10 tribos que, após disputasinternas, chegaram a um acordo em 878 a.C., com a escolha de Omri para rei.Apesar de a veneração a Iavé persistir, foi introduzido o culto a vários deuses.O culto e o fausto da corte pesavam sobre os camponeses, que pagavamimpostos sempre maiores. Nesse momento. O movimento profético ganhouforça. O profeta Elias, por exemplo, defendia as aspirações do campesinatopobre e liderava a oposição à dinastia dos omridas.Em 842 a.C., Jehu, com o apoio da população oprimida, deu um golpe deEstado e foi ungido rei por Elias. Após um período de confusão, foi novamenterestabelecida a ordem, mas em 723-722 a.C. o rei assírio Sargão II invadiuIsrael e destruiu a capital Samaria. Concretizavam-se assim as profecias deAmós: Israel seria destruída por um invasor. Israel tornou-se província assíria egrande parte de seus habitantes foi transportada para a Mesopotâmia.O reino de Judá, composto de duas tribos e com capital em Jerusalém,permaneceu fiel ao monoteísmo. Em meados do século VII a.C. , o rei Ezequias(725 a 697 a.C.) aliou-se ao Egito tentando evitar a invasão assíria; mesmoassim, grande parte do território de Judá foi tomada pelos assírios.Josias (639 a 609 a.C.) conseguiu recuperar parte da independência do reino deJudá. Mas essa região passou então a ser uma área de disputa entre o impériobabilônico e o egípcio. Nabucodonosor II, rei da babilônia, invadiu o reino deJudá e destruiu Jerusalém e o templo, transferindo o rei e os mais ilustreshabitantes da regiãopara a Babilônia. Este episódio é chamado de cativeirobabilônico pela Bíblia, pois ali os hebreus permaneceram durante cerca de 50anos.Decadência e dispersãoQuando o Império babilônico foi vencido por Ciro, rei dos persas, os hebreusforam libertados e voltaram à região da antiga Jerusalém. Ali ergueram
  • novamente o templo. Paulatinamente, foram eliminadas as diferenciações entreos filhos de Israel e os de Juda, que ficaram genericamente conhecidos comojudeus.A partir de então os judeus foram dominados por vários povos em expansão.Mas o domínio efetivo da região deu-se em 63 a.C., quando a Palestina foiincorporada a uma potência que dominava quase todo o mundo da época: oimpério romano. De início, não houve interferência nas crenças religiosas dosjudeus. Mas no ano 70 da nossa era, com a divinização do imperador romano ea recusa dos judeus em reconhecê-lo como tal, foi ordenada a destruição deJerusalém. Seu povo dispersou-se pelo mundo. A esse fenômeno deu-se onome de Diáspora.Religião e CulturaA história do povo hebreu não pode ser dissociada da história de sua religião. Háuma ligação tão íntima que se torna difícil falar separadamente de uma delas.Nem sempre os hebreus foram monoteístas. No início de sua história, Iavé(Jeová) era um deus entre muitos. Mas, com o desenvolvimento histórico, Iavéfoi-se sobrepondo às outras deidades. Os hebreus foram um dos primeirospovos a sistematizar o monoteísmo.Iavé exigia homenagens e oferendas exclusivas em sua honra, em troca, seria oTodo-Poderoso protetor do povo hebreu.A primeira codificação do iaveísmo foi feita por Moisés (Decálogo ou Dezmandamentos). Os profetas desempenharam importante papel na religiãojudaica: reformadores religiosos, pobres, mantiveram o povo de Israel fiel aoculto de Jeová. Os profetas mais importantes foram Elias, Oséias e Amós, noreino de Israel; Isaías e jeremias, no reino de Judá.Depois dos séculos III e II a.C. começou a expectativa da vinda de um profeta domesmo porte de Moisés. Ele deveria ser um ungido e tornar-se o Messias, isto é,aquele em que o povo acreditava que o salvaria. Estava nascendo omessianismo, que resultou no cristianismo, uma vertente do judaísmo, que seespalhou por grande parte do globo terrestre.A produção cultural hebraica está ligada com sua vida religiosa. Salomãoescreveu mais de 3000 provérbios, mais de um milhar de cânticos e emitiuopiniões sobre Botânicas e Zoologia. O legado cultural hebreu foi importantepara a formação de vários traços da cultura ocidental.Abraão e a Origem do Conflito
  • Abraão é chamado de pai de todos os que crêem. Mas apenas através deIsaque, Jacó e de seus descendentes é que Deus prometeu cumprir a suaintenção de estabelecer o Reino de Deus na terra e oferecer salvação àhumanidade. A seguir, veremos como os erros de Abraão geraram um grandeconflito que chega até nossos dias no Oriente Médio. Abraão também éconsiderado o pai dos árabes.Abraão é o homem com quem esse conflito árabe/judeu começou. Ele foi umapessoa singular porque recebeu uma promessa muito especial de Deus, oCriador.No capítulo 11 de Gênesis lemos a respeito da tentativa malograda de conseguiruma unidade mundial através da Torre de Babel, que supostamente deveriaatingir os céus. Em Gênesis 12 lemos, então: "Ora, disse o SENHOR a Abrão:Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que temostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei onome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei osque te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra" (vv. 1-3).Não se trata de uma bênção pronunciada por um sacerdote, um profeta oualgum grande dignitário. Esta bênção foi confirmada pela promessa quádrupladada a Abraão por ninguém menos do que o próprio Criador do céu e da terra, oDeus eterno que sempre foi, e que é, e sempre será!Esse homem, Abraão, foi instruído por Deus a deixar tudo para trás e fazer umajornada à Terra Santa. Ele teve de deixar seu país, sua parentela, até mesmo acasa de seu pai, e viajar para um lugar que lhe era desconhecido. E essehomem confiou no Deus vivo que lhe havia falado e partiu.Uma das características singulares de Abraão foi que ele obedeceu naquilo quefoi instruído a fazer. Ele creu em Deus e imediatamente agiu. Por esse motivo,lemos no Novo Testamento: "...para vir [Abraão] a ser o pai de todos os quecrêem..." (Romanos 4.11).Abraão era um admirável e fiel servo do Senhor. Ele creu em Deus mais do queem qualquer outra coisa. Todavia, em algumas ocasiões, Abraão permitiu que asua carne corresse em paralelo à sua vida de fé.Por isso o conflito que vemos hoje no Oriente Médio pode ser remontado àsorigens desse grande patriarca do povo de Israel e dos árabes.Abraão e os ÁrabesA paciência de Sarah, esposa de Abraão, esgotou-se primeiro: "Disse Sarah a
  • Abrão: Eis que o SENHOR me tem impedido de dar à luz filhos; toma, pois, aminha serva, e assim me edificarei com filhos por meio dela. E Abrão anuiu aoconselho de Sarah" (Gênesis 16.2).Abraão, que tinha 86 anos de idade, teve um momento de fraqueza. Ele seesqueceu de Deus e logicamente chegou ao ponto onde também deve terpensado: "Nós temos de fazer alguma coisa!"Pode bem ser que ele tenha concordado com Sarah, julgado ser essa a soluçãodo Senhor, e deste modo seguido o conselho de sua esposa."Ele a possuiu, e ela concebeu. Vendo ela que havia concebido, foi sua senhorapor ela desprezada" (v. 4).Obviamente, esse não era o caminho que Deus planejara para dar umadescendência numerosa a Abraão. Imediatamente começaram os problemas.Sarah, a legítima esposa, passou a ser desprezada aos olhos de sua servaHagar, que deu a Abraão um filho, o seu primogênito, chamado Ismael.Se Abraão e Sarah reconheceram que aquilo que fizeram estava errado, não háevidência disso nas Escrituras.Treze anos mais tarde, entretanto, Deus falou a Abrão, agora com 99 anos deidade, repetindo novamente a promessa que Ele lhe fizera anos atrás.Mas então Deus mudou o nome de Abrão para Abraão. Abrão significa "pai dasalturas" ou "pai exaltado", e Abraão significa "pai de multidão".Depois de receber outras instruções, Abraão aparentemente começou a pensarque Deus estava confirmando Ismael como Sua semente escolhida. Ele orou:"...Tomara que viva Ismael diante de ti!" (Gênesis 17.18).Mas Deus rapidamente o corrigiu: "De fato, Sarah, tua mulher, te dará um filho, elhe chamarás Isaque; estabelecerei com ele a minha aliança. Aliança perpétuapara a sua descendência" (v. 19).Apesar disso, Deus afirmou muito especificamente que havia ouvido as oraçõesde Abraão a favor de Ismael: "Quanto a Ismael, eu te ouvi: abençoá-lo-ei, fá-lo-eifecundo e o multiplicarei extraordinariamente; gerará doze príncipes, e dele fareiuma grande nação" (v. 20). Mas o Senhor enfatizou que Ismael não era oportador da aliança, mas sim Isaque: "A minha aliança, porém, estabelecê-la-eicom Isaque, o qual Sarah te dará à luz, neste mesmo tempo, daqui a um ano" (v.21).A escolha de Isaque, entretanto, não diminuiu a tremenda bênção sobre Ismael.
  • Ismael deveria ser abençoado, ser frutífero, multiplicar-se, não apenas demaneira normal, mas "extraordinariamente". Ele seria pai de 12 príncipes e nãose tornaria apenas uma nação, mas "uma grande nação".O cumprimento dessa profecia encontra-se em Gênesis 25. Lemos nagenealogia de Ismael que dele realmente descenderam 12 príncipes.Ismael, portanto, não deve ser menosprezado ou rejeitado, pois Deus deu a elee a seus descendentes grandiosas bênçãos e as promessas que acabamos decitar.Entretanto, os descendentes de Ismael tornaram-se inimigos ferrenhos de Israel,descendentes de Isaque (veja Salmo 83). E permanecem assim até o dia dehoje.Outros Descendentes de AbraãoSarah, a amada esposa de Abraão, deu à luz ao filho da promessa com 90 anosde idade e acabou morrendo aos 127 anos. Após Abraão ter enviado o seu servopara procurar uma esposa para Isaque, o que, incidentalmente, fornece-nos umquadro profético da Noiva de Cristo, achou obviamente que o seu chamadoestava completado, que o seu ministério estava concluído.Depois que Isaque se casou com Rebeca, Gênesis 25 diz: "Desposou Abraãooutra mulher; chamava-se Quetura. Ela lhe deu à luz a Zinrã, Jocsã, Medã,Midiã, Isbaque e Suá. Jocsã gerou a Seba e a Dedã; os filhos de Dedã foram:Assurim, Letusim e Leumim. Os filhos de Midiã foram: Efá, Efer, Enoque, Abida eElda. Todos estes foram filhos de Quetura. Abraão deu tudo o que possuía aIsaque. Porém, aos filhos das concubinas que tinha, deu ele presentes e, aindaem vida, os separou de seu filho Isaque, enviando-os para a terra oriental" (vv.1-6). Abraão, já em idade avançada, criou outra família!Pesquisando sobre a genealogia dessa família, descobrimos que os filhos deAbraão com Quetura também se tornaram inimigos ferrenhos de Israel. Portanto,vemos claramente que os árabes em geral, que reivindicam ter Abraão comopai, certamente pertencem à mesma família e estão ligados a Israel.Nesse contexto, é extremamente interessante observar o que mostrou umapesquisa recente:Estudo de DNA comprova que judeus e árabes são parentes próximos, como diza Bíblia(...) Com uma nova técnica baseada no estudo da descendência masculina,
  • biólogos concluíram que as várias populações judaicas não apenas sãoparentes próximas umas das outras, mas também de palestinos, libaneses esírios. A descoberta significa que todos são originários de uma mesmacomunidade ancestral, que viveu no Oriente Médio há 4000 anos. Em termosgenéticos significa parentesco bem próximo, maior que o existente entre osjudeus e a maioria das outras populações. Quatro milênios representam apenas200 gerações, tempo muito curto para mudanças genéticas significativas.Impressiona como o resultado da pesquisa é coerente com a versão expressada Bíblia de que os árabes e judeus descendem de um ancestral comum, opatriarca Abraão.OUTRO TEXTO CADA UM TEM UM POUCO DO OUTRO.História GeralOs HebreusOs hebreus eram um povo de origem semita (os semitas compreendem doisimportantes povos: os hebreus e os árabes), que se distinguiram de outrospovos da antigüidade por sua crença religiosa. O termo hebreu significa "gentedo outro lado do rio”, isto é, do rio Eufrates.Os hebreus foram um dos povos que mais influenciaram a civilização atual. Suareligião o judaísmo influenciou tanto o cristianismo quanto o islamismo.O conhecimento acerca desse povo, vem principalmente das informações erelatos bíblicos (o Antigo Testamento), das pesquisas arqueológicas e obras dehistoriadores judeus.Em 1947, com a descoberta de pergaminhos em cavernas às margens do MarMorto (os Manuscritos do Mar Morto), foi possível obter mais informações sobreos hebreus. Esses pergaminhos foram deixados por uma comunidade que viveuali por volta do século I a.C.Os PatriarcasOs hebreus eram inicialmente, um pequeno grupo de pastores nômades,
  • organizados em clãs ou tribos, chefiadas por um patriarca. Conduzidos porAbraão, deixaram a cidade de Ur , na Mesopotâmia, e se fixaram na Palestina(Canaã a Terra Prometida), por volta de 2000 a.C.A Palestina era uma pequena faixa de terra, que se estendia pelo vale do rioJordão. Limitava-se ao norte, com a Fenícia, ao sul com as terras de Judá, aleste com o deserto da Arábia e, a oeste com o mar Mediterrâneo.Governados por patriarcas, os hebreus viveram na palestina durante trêsséculos. Os principais patriarcas hebreus, foram Abraão (o primeiro patriarca),Isaac, Jacó (também chamado Israel, daí o nome israelita), Moisés e Josué.Por volta de 1750 a.C. uma terrível seca atingiu a Palestina. Os hebreus foramobrigados a deixar a região e buscar melhores condições de sobrevivência noEgito. Permaneceram no Egito, cerca de 400 anos, até serem perseguidos eescravizados pelos faraós. Liderados então, pelo patriarca Moisés, os hebreusabandonaram o Egito em 1250 a.C., retornando à Palestina. Essa saída emmassa dos hebreus do Egito é conhecida como Êxodo.MoisésDe acordo com a Bíblia, foi durante o êxodo dos hebreus, que Moisés recebeude Deus a tábua dos Dez Mandamentos (Decálogo), quando atravessava odeserto do Sinai. A partir daí, os hebreus passaram a adorar um só deus, Jeová(ou Iahweh), adotando o monoteísmo.MoisésOs Juízes De volta à Palestina, sob a liderança de Josué, os hebreus tiveram de lutarcontra o povo cananeu e , posteriormente, contra os filisteus. Josué (sucessorde Moisés), distribuiu as terras conquistadas entre as doze tribos de Israel.Nesse período os hebreus, passaram a se dedicar à agricultura, a criação deanimais e ao comércio, tornavam-se portanto sedentários.
  • No período de lutas pela conquista da Palestina, que durou quase dois séculos,os hebreus foram governados pelos juízes. Os juízes eram chefes políticos,militares e religiosos. Embora comandassem os hebreus de forma enérgica, nãotinham uma estrutura administrativa permanente. Entre os mais famosos juízesdestaca-se Sansão, que ficou conhecido por sua grande força, conforme relata aBíblia. Outros juízes importantes foram Gedeão e Samuel.Os ReisA seqüência de lutas e problemas sociais criou a necessidade de um comandomilitar único. Os hebreus adotaram então, a monarquia. O objetivo eracentralizar o poder nas mãos de um rei e, assim, ter mais força para enfrentar ospovos inimigos, como os filisteus. O primeiro rei dos hebreus foi Saul (1010 a.C.). Depois veio o rei Davi (1006-966 a.C.), conhecido por ter vencido os filisteus (segundo a Bíblia, ele derrotou ogigante filisteu Golias). Com a conquista de toda a Palestina, a cidade deJerusalém tornou-se a capital política e religiosa dos hebreus. O sucessor de Davi foi seu filho Salomão, que terminou a organização damonarquia hebraica e seu reinado marcou o apogeu do reino hebraico. Duranteo reinado de Salomão (966-926 a.C.), houve um grande desenvolvimentocomercial, foram construídos palácios, fortificações, a construção do Templo deJerusalém, criou um poderoso exército, organizou a administração e o sistemade impostos. Montou uma luxuosa corte, com muitos funcionários e grandesdespesas. Para poder sustentar uma corte tão luxuosa, Salomão obrigava o povo hebreu apagar pesados impostos. O preço dessa exploração foi o surgimento de revoltassociais. Com a morte de Salomão, essas revoltas provocaram a divisão religiosa epolítica das tribos e o fim da monarquia unificada.Formaram-se dois reinos: ao norte, dez tribos formaram o reino de Israel, comcapital em Samaria e, ao sul, as duas tribos restantes formaram o reino de Judá,com capital em Jerusalém. Em 722 a.C., os reinos de Israel foram conquistados pelos assírios,comandados por Sargão II. Grande parte dos hebreus foi escravizada e
  • espalhada pelo Império Assírio. Em 587 a.C., o reino de Judá foi conquistado pelos babilônios, comandados porNabucodonosor. Os babilônios destruíram Jerusalém e aprisionaram os hebreus,levando-os para a Babilônia. Esse episódio ficou conhecido como o Cativeiro daBabilônia. Os hebreus permaneceram presos até 538 a.C., quando o rei persa Ciro IIconquistou a Babilônia, e puderam então à Palestina, que se tornara provínciado Império Persa e reconstruíram então o templo de Jerusalém.A partir dessa época, os hebreus não mais conseguiram conquistar a autonomiapolítica da Palestina, que se tornou sucessivamente província dos impériospersa, macedônio e romano. Durante o domínio romano na Palestina, o nacionalismo dos hebreus fortaleceu-se, levando-os a se revoltar contra Roma. No ano 70 da nossa era, o imperadorromano Tito, sufocou uma rebelião hebraica e destruiu o segundo templo deJerusalém. Os hebreus, então, dispersaram-se por várias regiões do mundo.Esse episódio ficou conhecido como Diáspora (Dispersão). No ano de 136, sofreram a Segunda Diáspora, no reinado de Adriano(imperador romano), os judeus foram definitivamente expulsos da Palestina.Dispersos pelo mundo, o povo israelita, organizou-se em pequenascomunidades. Unidos, preservaram os elementos básicos de sua cultura, comoa linguagem, a religião e alguns objetivos comuns, entre eles voltar um dia àPalestina. Assim, os hebreus se mantiveram como nação, embora nãoconstituíssem um Estado. Somente em 1948, os judeus puderam se reunir num Estado independente,com a determinação da ONU (Organização das Nações Unidas), que criou oEstado de Israel. Decisão que criou sérios problemas na região do OrienteMédio, pois com a saída dos judeus da Palestina, no século I, outros povos,principalmente de origem árabe ocuparam e fixaram-se na região. A oposiçãodos árabes à existência do Estado de Israel, tem resultado em continuadosconflitos na região.Economia e SociedadeA vida socioeconômica dos hebreus pode ser dividida em duas fases: a nômade
  • e a sedentária.A princípio, os hebreus eram pastores nômades (não tinham habitação fixa),que se dedicavam à criação de ovelhas e cabras. Os bens pertenciam a todosdo clã. Mais tarde, já fixados na Palestina, foram deixando os antigos costumes dascomunidades nômades. Desenvolveram a agricultura e o comércio, tornaram-sesedentários. Nos primeiros tempos a propriedade da terra era coletiva, depois foi surgindo apropriedade privada da terra e dos demais bens. Surgiram as diferentes classessociais e a exploração de uma classe pela outra. A conseqüência dessasmudanças foi que grandes proprietários e comerciantes exibiam luxo e riqueza,enquanto os camponeses pobres e os escravos viviam na miséria.CulturaA religião é uma das principais bases da cultura hebraica e representa aprincipal contribuição cultural dos hebreus ao mundo ocidental.A religião hebraica possui dois traços característicos: o monoteísmo e a idéiamessiânica. A maioria dos povos da antigüidade era politeísta (acreditavam naexistência de vários deuses), enquanto os hebreus adotaram o monoteísmo,acreditavam em um único Deus, criador do universo.A idéia messiânica foi divulgada pelos profetas. Acreditavam na vinda de ummessias, um enviado de Deus para conduzir os homens à salvação eterna. Paraos cristãos esse messias é Jesus Cristo, o que os judeus não aceitam. Assim,continuam aguardando a vinda do messias.A doutrina fundamental da religião hebraica (o Judaísmo) encontra-se noPentateuco, contido no Velho Testamento da Bíblia. O Pentateuco é compostopelo: Gênesis, Êxodo, Deuteronômio, Números e Levítico. Os hebreus chamamesse livro de Torá.A religião hebraica prescreve uma conduta moral orientada pela justiça, acaridade e o amor ao próximo. Entre as principais festas judaicas, destacam-se:a Páscoa, que comemora a saída dos hebreus do Egito em busca da TerraPrometida; o Pentecostes, que recorda a entrega dos Dez Mandamentos aMoisés; o Tabernáculo, que relembra a longa permanência dos hebreus no
  • deserto, durante o Êxodo. Na literatura, o melhor exemplo são os livros bíblicos do Velho Testamento,dentre os quais destacam-se os Salmos, o Cântico dos Cânticos, o Livro de Jó eos Provérbios.A Bíblia é um conjunto de livros escritos por vários autores ao longo de váriosséculos.29/05/05CURIODIDADESOs hebreus foram o único povo monoteísta da antiguidade por muito tempo.No fim da Invasão Romana, o último local de resistência dos hebreus foi no fortede Masada, mas os romanos venceram. 900 hebreus suicidaram-se antes daderrota, para evitar que fossem mortos pelos romanos ou escravizados.