Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Países emergentes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Países emergentes

  • 7,352 views
Published

Slide sobre os países emergentes destacando e enfocando suas economias!

Slide sobre os países emergentes destacando e enfocando suas economias!

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
7,352
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
182
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PAÍSESEMERGENTES E.E.F.M. PROF.ª CATARINA TAVARES
  • 2. EQUIPE:
  • 3. MAPA DE ALGUNSPAISES EMERGENTES
  • 4. INTRODUÇÃO• País em desenvolvimento ou país emergente são termos geralmente usados para descrever um país que possui um padrão de vida entre baixo e médio, uma base industrial em desenvolvimento e um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) variando entre médio e elevado. A classificação de países é difícil, visto que não existe uma única definição internacionalmente reconhecida de país desenvolvido e os níveis de desenvolvimento, econômico e social, podem variar muito dentro do grupo dos países em desenvolvimento, sendo que alguns desses países possuem alto padrão de vida médio.
  • 5. (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul.)
  • 6. BRASIL
  • 7. ECONOMIA• O Brasil é a maior economia da América Latina (e a segunda da América, atrás apenas dos Estados Unidos), a sexta maior economia do mundo a taxas de mercado de câmbio e a sétima maior em paridade do poder de compra (PPC), de acordo com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial. O seu PIB (PPC) per capita é de US$ 12.181,341, colocando o Brasil na posição 75ª posição de acordo com dados do Banco Mundial. O país tem grandes e desenvolvidos setores agrícola, minerador, manufatureiro e de serviços, bem como um grande mercado de trabalho. As exportações brasileiras estão crescendo, criando uma nova geração de magnatas. Os principais produtos de exportação incluem aeronaves, equipamentos elétricos, automóveis, álcool, têxtil, calçados, minério de ferro, aço, café, suco de laranja, soja e carne enlatada. O país tem vindo a expandir a sua presença nos mercados financeiros internacionais e mercados de commodities e faz parte de um grupo de quatro economias emergentes chamadas de países BRICS.
  • 8. • A economia brasileira é diversa, abrangendo a agricultura, a indústria e uma multiplicidade de serviços. Atualmente o país tem conseguido impor sua liderança global graças ao desenvolvimento de sua economia. A força econômica que o país tem demonstrado, deve- se, em parte, ao boom mundial nos preços de commodities e de mercadorias para exportação, como a carne bovina e a soja. As perspectivas da economia brasileira têm melhorado ainda mais graças a descobertas de enormes jazidas de petróleo e gás natural na bacia de Santos. Potência mundial na agricultura e em recursos naturais, o Brasil desencadeou sua maior explosão de prosperidade econômica das últimas em três décadas.
  • 9. PAISAGENS, TURÍSTICAS DO BRASIL
  • 10. TURISMO• O turismo é uma atividade econômica importante em várias regiões do país. Com cinco milhões de visitantes estrangeiros em 2008, o Brasil é o principal destino do mercado turístico internacional na América do Sul, e ocupa o segundo lugar na América Latina em termos de fluxo de turistas internacionais.• Os gastos dos turistas estrangeiros em visita ao Brasil alcançaram 5,8 bilhões de dólares em 2008, 16,8% a mais do que em 2007. O país abarcou 3,4% do fluxo turístico internacional no continente americano em 2008. Em 2005, o turismo contribuiu com 3,2% das receitas nacionais advindas da exportação de bens e serviços, responsável pela criação de 7% dos empregos diretos e indiretos na economia brasileira. Em 2006, estima-se que 1,87 milhão de pessoas foram empregadas no setor, com 768 mil empregos formais (41%) e 1,1 milhão de ocupações informais (59%).
  • 11. RÚSSIA Rússia, oficialmente Federação Russa ou Federação da Rússia, é um país localizado no norte da Eurásia (Europa e Ásia em conjunto). Com 17.075.400 quilômetros quadrados, a Rússia é o país com maior área do planeta, cobrindo mais de um nono da área terrestre.A Rússia também é o nono país mais populoso, com 142 milhões de habitantes.
  • 12. ECONOMIA• A Rússia tem uma economia de mercado com enormes recursos naturais, particularmente petróleo e gás natural. Tem a 12ª maior economia do mundo por PIB nominal e a 6ª maior por paridade do poder de compra (PPC). Desde a virada do século XXI, o maior consumo interno e a maior estabilidade política têm impulsionado o crescimento econômico na Rússia. O país encerrou 2008 como sendo seu nono ano consecutivo de crescimento, com média de 7% ao ano. O crescimento foi impulsionado principalmente pelos serviços não comercializáveis e de bens para o mercado interno, ao contrário dos lucros gerados pelo petróleo, extração mineral e exportação. O salário médio na Rússia foi de US$ 640 por mês no início de 2008, acima dos 80 dólares registrados em 2000. Aproximadamente 13,7% dos russos viviam abaixo da linha da pobreza nacional em 2010, número significativamente menor dos 40% de 1998, o pior número do pós-colapso soviético. A taxa de desemprego na Rússia foi de 6% em 2007, abaixo dos cerca de 12,4% em 1999. A classe média cresceu de apenas 8 milhões de pessoas em 2000 para 55 milhões em 2006.
  • 13. • Petróleo, gás natural, metais e madeira respondem por mais de 80% das exportações russas no estrangeiro. Desde 2003, porém, as exportações de recursos naturais começaram a diminuir em importância econômica, com o considerável fortalecimento do mercado interno. Apesar dos preços elevados, energia, petróleo e gás só contribuem com 5,7% do PIB da Rússia e o governo prevê que este número cairá para 3,7% em 2011. O Fundo de Estabilização da Rússia ajudou o país a sair da crise financeira global em um estado muito melhor do que muitos especialistas esperavam. Entretanto, o desenvolvimento econômico russo tem sido geograficamente desigual, com a região de Moscou contribuindo com uma parte muito importante do PIB do país. Outro problema é a modernização de sua infraestrutura e o envelhecimento populacional; o governo disse que serão investidos US$ 1 trilhão no desenvolvimento da infraestrutura até 2020.
  • 14. ÍNDIAA Índia, oficialmente República da Índia, é um país da Ásia Meridional. É o sétimo maior país em área geográfica, o segundo país mais populoso e a democracia mais populosa do mundo.
  • 15. ECONOMIA• A Índia, com um produto interno bruto nominal estimado em US$1,6 trilhão, ocupa o 11ª lugar na lista de maiores economias do mundo por PIB nominal, enquanto sua paridade de poder de compra calculada em 2011 em US$4,4 trilhões, é a terceira maior do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. Contudo, ainda é um país muito pobre, com renda per capita nominal de US$ 1.530 e renda per capita PPC de US$3.705.
  • 16. • Durante as últimas décadas a economia indiana tem tido uma taxa de crescimento anual do produto interno bruto ao redor de 5,8%, convertendo-se em uma das economias de mais rápido crescimento no mundo. A Índia conta com a maior força de trabalho do mundo, com mais de 513,6 milhões de pessoas. Em termos de produção, o setor agrícola representa 28% do PIB; o setor de serviço, 54% e a indústria, 18%, respectivamente. Em 2006, o comércio indiano havia alcançado uma proporção relativamente moderada de 24% do PIB, crescendo a taxa de 6% desde 1985. O comércio da Índia representa um pouco mais de 1% do comércio mundial.
  • 17. • Apesar de seu notável crescimento econômico nas últimas décadas, todavia a Índia conteve a maior concentração de pessoas pobres do mundo e tem uma alta taxa de subnutrição em crianças menores de três anos (46% em 2007). A porcentagem de pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza segundo o Banco Mundial, vivendo com menos de um dólar por dia (PPA, em termos nominais Rp. 21,6 ao dia nas zonas urbanas e Rp. 14,3 nas zonas rurais) diminuiu de 60% em 1981 para 42% em 2005. Apesar de nas últimas décadas a Índia ter evitado a carestia, a metade das crianças têm um peso inferior à média mundial, uma das taxas mais altas do mundo e quase o dobro da taxa da África Subsaariana.• Apesar de nos últimos decênios a economia indiana ter aumentado de forma constante, este crescimento tem ocorrido de maneira desigual, em especial quando se compara à qualidade de vida nos diferentes grupos sociais, econômicos, em diversas regiões geográficas, zonas rurais e urbanas. O Banco Mundial afirma que as prioridades mais importantes para o governo indiano deveriam ser a reforma do setor público, a construção de infraestruturas básicas, o desenvolvimento agrícola e rural sustentável, a eliminação das normas de trabalho, a reforma nos estados mais atrasados e luta contra a AIDS.
  • 18. CHINARepública Popular da China (RPC)também simplesmente conhecida como China, é o maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, com mais de 1,3 bilhão de habitantes, aproximadamente um sétimo da população da Terra. Com aproximadamente 9,6 milhões de quilômetros quadrados, a República Popular da China é o terceiro ou quarto maior país do mundo em área total.
  • 19. ECONOMIA• A economia da República Popular da China é a segunda maior do mundo. Seu produto interno bruto (PIB nominal) é estimado em US$ 7,3 trilhões (dados de 2011), enquanto seu poder de compra foi calculado em pouco mais de US$ 11,3 trilhões. A renda per capita do país está em 5.185 dólares por pessoa (nominal) e 8.395 dólares por pessoa (PPP) em 2011, de acordo com o Fundo Monetário Internacional. A China é a nação com o maior crescimento econômico dos últimos 25 anos, com a média do crescimento do PIB em 10% por ano. A renda per capita da China cresceu 8% ao ano nos últimos 30 anos.• Este robusto crescimento econômico, combinado com excelentes fatores internos como estabilidade política, grandes reservas em moeda estrangeira (a maior do mundo, com US$ 818,9 bilhões), mercado interno com grande potencial de crescimento, faz com que a China seja atualmente um dos melhores locais do mundo para investimentos estrangeiros, com uma avaliação de risco, índice considerado excelente.
  • 20. • A China é o quarto país mais visitado do mundo, com 50,9 milhões de visitantes internacionais em 2009. Atualmente a China é a segunda potência comercial do mundo, atrás dos EUA e a frente do Japão. Suas reservas internacionais de moedas estrangeiras atingiram US$ 2,4 trilhões, os maiores do mundo. A China possui cerca de US$ 1,6 trilhão de títulos financeiros dos EUA. A China detém US$ 801,5 bilhões em títulos do Tesouro dos EUA, tornando-se o maior credor estrangeiro da dívida pública dos EUA. O investimento da China no mercado internacional está crescendo rapidamente. Em 2008 era o sexto maior investidor no mercado internacional.
  • 21. • Apesar do progresso significativo dos últimos anos, existem grandes obstáculos para o crescimento chinês a longo prazo. A significativa piora da distribuição de renda é apenas um dos fatores negativos para o desenvolvimento social. Outro grande problema é o direito previdenciário que, com a política do filho único e aumento da expectativa de vida, apresenta desequilíbrios no fluxo de caixa, sendo cada vez menor a relação entre trabalhadores contribuintes por aposentado. Cerca de 21% da população tem 14 anos ou menos de idade e 8% tem mais de 65 anos. Outro aspecto é a diferença de desenvolvimento econômico entre as áreas costeiras (urbanas), nordeste e leste da China e o seu interior, principalmente no sul e oeste, ainda predominantemente agrário e de baixa renda, exacerbada com a liberação do mercado, pois os investidores preferem investir em áreas com melhor infraestrutura e trabalhadores mais qualificados.
  • 22. ÁFRICA DO SUL A África do Sul, é um país localizado no extremo sul da África. A República da África do Sul é muito conhecida por suas belezas naturais, com desertos, montanhas e planícies. Além desses, sua diversidade culturale religiosa sobressaem aos olhos do mundo, diante de tantas belezas.
  • 23. ECONOMIA• Pela classificação da ONU a África do Sul é um país de renda média, com uma oferta abundante de recursos, com bem desenvolvidos setores financeiro, jurídico, de comunicações, energia e transportes, uma bolsa de valores que está entre as vinte melhores do mundo, e uma moderna infraestrutura de apoio a uma distribuição eficiente das mercadorias a grandes centros urbanos em toda a região. A África do Sul ocupa 32ª posição no mundo em termos de PIB (PPC), de acordo com dados de 2009. A sua integração na economia é muito forte e constitui uma base essencial para o seu desenvolvimento.
  • 24. • O desenvolvimento avançado do país está no entanto concentrado em torno de quatro áreas: Cidade do Cabo, Port Elizabeth, Durban e Pretória/Johannesburg. Fora destes quatro centros econômicos, o desenvolvimento é limitado e a pobreza ainda é prevalente, apesar dos esforços do governo. Por conseguinte, a grande maioria de sul-africanos são pobres.• O desemprego é extremamente elevado e a desigualdade de renda é aproximadamente igual à do Brasil - residindo uma das razões mais salientes no facto de boa parte das empresas importantes serem capital- intensivas, não trabalho intensivas.• Outros problemas são a criminalidade, a corrupção e a epidemia de HIV/AIDS. A África do Sul sofre com carga relativamente pesada regulação global, comparada aos países desenvolvidos. A propriedade e a interferência estatal impõe barreiras à entrada em muitas áreas.
  • 25. • África do Sul é o maior produtor e consumidor de energia no continente africano. A África do Sul é um destino turístico popular, e uma quantidade substancial de receita vem do turismo. Entre as principais atrações são a cultura variada e pitoresca, a reservas de caça e os vinhos locais.• Recentemente a África do Sul foi incluída no grupo de países emergentes com economias promissoras, os BRICS.
  • 26. • No País é forte a desigualdade social e econômica; as cidades sul- africanas Buffalo City, Johannesburgo foram apontadas como as mais desiguais do mundo, segundo relatório da ONU divulgado em 2010.
  • 27. MÉXICO O México não foi significativamente influenciado pela crise sul-americana de 2002 e tem mantido taxas positivas de crescimento após um breve período de estagnação em 2001. Apesar de sua estabilidade macroeconômica sem precedentes, o que reduziu a inflação e as taxas de juro para níveis recorde e aumentou a renda per capita, as disparidades continuam enormes entre a população urbana e a rural, os estados do norte, centro e sul, e entre os ricos e os pobres, embora tenha havido uma crescente classe média desde meados da década de 1990. Alguns dos desafios do governo incluem a atualização da infraestrutura, a modernização do sistema fiscal e das leis trabalhistas, e a redução da desigualdade de renda.BOLSA DE VALORES
  • 28. TURISMO O México é o vigésimo terceiro paísque mais gasta em turismo no mundo e o maior da América Latina. A grande maioria dos turistas que vêmpara o México são dos Estados Unidos e Canadá. Muitos outros visitantes vêm da Europa e da Ásia. Umpequeno número de turistas também vêm de outros países latino- americanos. Em 2008, o Índice de Competitividade em Viagens e Turismo colocou o país em quinto lugar entre as nações latino-americanas e em nono nas Américas.
  • 29. EMIRADOS ARABES UNIDOS Os EAU têm uma economia aberta com um elevado rendimento per capita e um superávit comercial anual considerável. Em 2009, seu PIB, medido pela paridade do poder de compra (PPC) foi de US$ 200.4 bilhões. O PIB per capita do país é atualmente o 14º maior do mundo e o terceiro maior do Oriente Médio, depois do Qatar e Kuwait, medido pelo CIA World Factbook, ou o 17º no mundo, medido pelo Fundo Monetário Internacional.
  • 30. • As exportações de petróleo e gás natural desempenham um papel importante na economia, especialmente em Abu Dhabi. Um boom de construção maciça, uma base industrial em expansão e um próspero setor de serviços estão ajudando os Emirados Árabes Unidos a diversificar sua economia. Em todo o país há atualmente US$ 350 bilhões em valor de projetos de construções ativas. Tais projetos incluem o Burj Khalifa, atualmente o edifício mais alto do mundo, o Aeroporto Internacional Al Maktoum, que, quando concluído, será o aeroporto mais caro já construído, e as três Palm Islands, as maiores ilhas artificiais do mundo. Outros projetos incluem o Dubai Mall, que é o maior shopping do mundo, a Yas Island, e um arquipélago artificial chamado The World, que pretende aumentar ainda mais a crescente indústria do turismo de Dubai. Também no setor de entretenimento está a construção de Dubailand, que deverá ter o dobro do tamanho da Disney World, o Ferrari World Abu Dhabi, e a Cidade dos Esportes de Dubai, que não só irá disponibilizar casas para as equipes esportivas locais, como também poderá fazer parte de uma futura sede olímpica.
  • 31. BURJ CALIFA:MAIOR PRÉDIO DO MUNDO
  • 32. • O aumento significativo das importações de bens manufaturados, como máquinas e equipamentos de transporte, representaram juntos 80% do total das importações do país. Outro importante gerador de divisas estrangeiras, a Autoridade de Investimento de Abu Dhabi, que controla os investimentos de Abu Dhabi, o emirado mais rico do país - gerencia cerca de US$ 360,000 milhões em investimentos no exterior e cerca de US$ 900 bilhões em ativos.
  • 33. ARGENTINA A Argentina tem recursos naturais abundantes, um setor agrícola orientado para a exportação e uma base industrial relativamente diversificada. A instabilidade interna e as tendências mundiais, porém, contribuíram para o declínio da Argentina a partir de sua posição de destaque como 10ª nação mais rica per capita do mundo em 1913 para uma economia de renda média-alta a economia argentina criou a maior classe média proporcional da América Latina, mas esse segmento da população tem sofrido com a série de crises econômicas, entre 1981 e 2002, quando entrou em relativo declínio absoluto. A situação socioeconômica tem vindo a melhorar e a economia cresceu cerca de 9% ao ano durante cinco anos consecutivos entre 2003 e 2007 e 7% em 2008. A inflação, no entanto, embora oficialmente pairando em torno de 9% desde 2006, foi estimada em mais de 15%, tornando-se uma questão polêmica novamente. A taxa de pobreza urbana caiu para 18% em meados de 2008, um terço do pico observado em 2002, embora ainda acima do nível anterior a 1976. A distribuição de renda, tendo melhorado desde 2002, é ainda bastante desigual.
  • 34. TURISMONa argentina país que fica ao lado do Brasil natemporada de inverno étudo bem gelado mesmo, sua temperaturas são negativas a neve é um fenômeno raríssimo, com tudo isso ao brasil acabaconcorrendo com lugares internacionais na temporada de inverno
  • 35. A Indonésia é a maioreconomia do Sudeste Asiático e também é membro do G-20. O Produto Interno Bruto se estimaem 444 bilhões de dólares. e em 2008, o PIB nominal per capitaera de 1.950 dólares. O principal setor econômico é o de serviços, representando 45,3% do PIB. É seguido pela indústria e a agricultura . No entanto, a agricultura emprega mais pessoas do que os outrossetores, ocupando 44,3% dos 95 milhões de trabalhadores no país. As principais indústrias são a petrolífera e de gás natural, além da indústria têxtil, de papel e de minerais, enquanto que os principais produtos agrícolas são arroz, milho, mandioca, batata-doce,tabaco, chá, café, especiarias e borracha.
  • 36. TURISMO Bali, o maior destino de turismo da Indonésia, e uma de suas cerca de 14 mil ilhas, integra parte das Pequenas Ilhas de Sonda.
  • 37. TURQUIA A Turquia tem o 15º maior PIB PPC (Paridade do Poder de Compra) do mundo e o 17º o maior PIB nominal. O país é membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e do G20. Durante as primeiras seis décadas da República, entre 1923 e 1983, na economia predominou uma abordagem quase-estatal, com planeamento governamental rigoroso, com limitações sobre a participação do setor privado, comércio externo, fluxo de moeda estrangeira e investimento direto estrangeiro. Em 1983, o primeiro- ministro iniciou uma série de reformas destinadas a abrir a economia, substituindo o sistema estatista isolado por uma economia de mercado.
  • 38. TURISMO A região da Capadócia é um local muito procurado por turista do mundo inteiro, afim de aproveitar belas paisagens em exuberantes passeios de balões. Tal atrativo movimenta a economia do país.