Trairao

340 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
340
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trairao

  1. 1. LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA Disciplina:GEOGRAFIA DOS MUNICIPIOS PARAENSES Professora:Maria do Socorro Barreto REDENÇÃO-PA 29/01/2014 1
  2. 2. TEMA: Região de Integração Tapajós Cidade de Trairão ACADÊMICOS: BETANIA LIMA SOUSA HERIKA GOMES SOUSA DINIZ JAILTON GOMES BIZERRA JOÃO BATISTA LOPES FERREIRA RAIMUNDO BEZERRA REDENÇÃO-PA 29/01/2014 2
  3. 3.  Nas últimas décadas, a degradação do meio ambiente tem se intensificado, em decorrência da má utilização dos recursos naturais. A expansão da pecuária, agricultura, extrativismo mineral e florestal, atividade industrial e ocupação urbana desordenada têm sido os principais responsáveis pelo aumento do desmatamento, queimadas, poluição de rios, perda de biodiversidade e, em conseqüência, queda na qualidade de vida das populações.
  4. 4. • • A Região de Integração Tapajós está localizada na Região Sudoeste do Estado do Pará. É entrecortada pelas rodovias BR-163 (Rodovia Cuiabá – Santarém), BR-230 (Rodovia Transamazônica) e Rio Tapajós. Abrange uma área de 189.592km², o que corresponde a 15,20% do território paraense. O processo de ocupação da área onde está situado o Município de Trairão, teve início em 1972, com a abertura do Ramal Sul da BR-163 (Rodovia SantarémCuiabá). Já em 1974, os primeiros colonos que lá chegaram, reivindicaram ao INCRA, responsável pelo Programa de Colonização na região, uma área para ser o centro de apoio, onde se pudesse instalar escola, igreja, posto de saúde e posto de comercialização dos produtos agrícolas.
  5. 5.   Em 1976, o processo migratório se intensificou (principalmente vindos do nordeste do país) tendo como atrativo a abundância de terras agrícolas. Nessa época, teve início o financiamento bancário para a lavoura de subsistência, acompanhado da assistência técnica promovida pela então ACAR-PA, hoje EMATERPA
  6. 6.  O início da produção de frutos em 1983, em conjunto com a produção de banana, feijão, mandioca, arroz e milho, proporcionara à região um certo progresso. A chegada de colonos vindos do Sul e Sudeste do país em 85, fez com que a pecuária ocupasse maior espaço na economia da região, período também em que começaram a se instalar grandes serrarias, explorando o potencial madereiro da área.
  7. 7.  “Nossa região tem enorme potencial para se desenvolver. Aqui, temos abundancia em minérios, bem como um dos bens mais preciosos do planeta que é a água, além disso, nossas terras são férteis e por conta disso, o mundo está de olho nesta região e o crescimento é inevitável, grandes empreendimentos virão, por isso temos de nos unir e assim lutarmos para que junto venha a infraestrutura e a inclusão social, mas sempre nos preocupando com os impactos sociais e ambientais que todo esse avanço trará”, conclui Danilo Miranda.                                                 
  8. 8. SAÚDE Os índices relacionados à malária são importantes para estimar o risco de sua ocorrência, bem como a vulnerabilidade da população de determinado município.
  9. 9. Assim, indica a longevidade média esperada para um determinado grupo populacional ao nascer. Percebe-se um aumento da esperança de vida ao nascer em todos os municípios da RI Tapajós, entre 1991 e 2000, inclusive o índice estadual e nacional. Esse indicador expressa que houve um aumento da longevidade da população na região em análise.
  10. 10. Com relação aos menores valores observados, verifica-se que, no ano 2000, o município de Trairão foi o que obteve o menor índice de mortalidade infantil.
  11. 11. SANEAMENTO BÁSICO ACESSO AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA Ao avaliar os dados, verificou-se que, na Região de Integração Tapajós, no ano 2000, todos os municípios apresentaram percentual inferior a 25% de domicílios abastecidos pela rede geral de abastecimento de água, correspondendo ao menor índice dentre as regiões de integração.
  12. 12. ACESSO AO SISTEMA DE ESGOTO O baixo percentual de domicílios, com esgotamento sanitário, ligados à rede, apresenta-se comum a todos os municípios da Região de Integração Tapajós. Destaca-se Trairão que não possui nenhum domicílio ligado ao sistema de esgoto.
  13. 13. ACESSO À COLETA DE LIXO Tratamento e destino final do lixo doméstico e do lixo originário da varrição e limpeza de logradouros e vias públicas. Dos demais municípios verificaram-se que todos se apresentaram com percentagem inferior a 50% de domicílios atendidos pelo serviço de coleta de lixo.
  14. 14.  Na realidade os municípios do Estado do Pará que, na prática, estão mais próximos da problemática ambiental, justifica a importância da avaliação da condição do meio ambiente como subsídio à elaboração de políticas públicas, destinadas a mitigar esses problemas, e à tomada de decisão pelos gestores públicos envolvidos. Pois esses indicadores são gerados a partir do acompanhamento de variáveis econômicas, sociais, institucionais e ambientais, da realidade dos municípios, e dão uma idéia das relações sociais no espaço e da forma de apropriação dos recursos naturais e seus reflexos no meio ambiente.
  15. 15.      Andrea dos Santos Coelho ,Camila da Silva Pires , Maicon Silva Farias. INDICADORES DE QUALIDADE AMBIENTAL DOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE INTEGRAÇÃO TAPAJÓS/ Instituto de Desenvolvimento econômico, Social e Ambiental do Pará.- Belém, 2013. 18 p. 1. Qualidade Ambiental 2. Meio Ambiente – Indicadores 3. Região do Tapajós – Pará 4. Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará. I.Titulo. www.Wikipédia.com.br www.google.com.br Postagem por valdinei cordeiro às 04:58 Nenhum comentário: Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut

×