Nocoes-Basicas-Agricultura

  • 3,161 views
Uploaded on

Noções Básicas de Agricultura

Noções Básicas de Agricultura

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,161
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
85
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Ensinando por Preceito eExemplo Noções Básicas de Agricultura
  • 2. “Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar.” Gênesis 2:15    ”Aos cuidados de Adão e Eva foi confiado o jardim, "para o lavrar e oguardar". Gên. 2:15. Conquanto fossem ricos em tudo que o Possuidor do Universo pudesse proporcionar, não deveriam estar ociosos. Foi-lhesdesignada uma útil ocupação, como uma bênção, para fortalecer-lhes o corpo, expandir a mente e desenvolver o caráter.”  Educação p. 21
  • 3. “Adão e Eva, em sua imaculada pureza, deleitavam-se nas cenas e nossons do Éden. Deus lhes designara o trabalho no jardim - "... o lavrar e oguardar". Gên. 2:15. O trabalho de cada dia lhes trazia saúde econtentamento, e o feliz par saudava com alegria as visitas de seu Criador,quando, na viração do dia, andava e falava com eles. Diariamente lhesensinava Deus Suas lições. ...     
  • 4.   ...  O plano de vida que o Senhor designara a nossos primeiros paisencerra lições para nós. Embora haja o pecado lançado suas sombras sobre a Terra, Deus deseja que Seus filhosencontrem deleite nas obras de Suas mãos. Quanto mais estritamente forseguido Seu plano de vida, tanto mais maravilhosamente operará Ele pararestaurar a sofredora humanidade. O doente necessita ser posto em íntimocontato com a natureza. Uma vida ao ar livre, num ambiente natural,operaria maravilhas em favor de muitos inválidos, quase sem nenhumaesperança.”  A Ciência do Bom Viver 261, 262
  • 5. “O cultivo da cautela, paciência, atenção aos detalhes, obediência às leis, transmite um ensino muitíssimo essencial. O contato constante com omistério da vida e o encanto da Natureza, bem como a ternura suscitada com o servir a estas belas coisas da criação de Deus, propendem a despertar o espírito, purificar e elevar o caráter; e as lições ensinadas preparam o obreiro para tratar com mais êxito com outras mentes.” Educação 111
  • 6. “Como descanso ao estudo, ocupações ao ar livre que proporcionemexercício ao corpo todo, são as mais benéficas. Nenhum ramo do trabalhomanual é mais valioso do que a agricultura. Um esforço maior deve fazer-se a fim de criar e incentivar interesse nos trabalhos da agricultura. Chame o professor a atenção para o que diz a Bíblia sobre a agricultura: que cultivar a terra era o plano de Deus para com o homem; que ao primeiro homem, o governador do mundo inteiro, foi dado um jardim a cultivar; e que muitos dos maiores vultos do mundo, a verdadeira nobreza deste, foram cultivadores do solo. ...
  • 7. ... Mostrai as oportunidades de uma vida tal. Diz o sábio: "Até o rei se serve do campo." Ecl. 5:9. A Bíblia declara acerca daquele que cultiva o solo: "O seu Deus o ensina e o instrui acerca do que há de fazer." Isa. 28:26. Diz mais: "O que guarda a figueira comerá do seu fruto." Prov. 27:18. Aquele que ganha a sua vida pela agricultura escapa de muitastentações e desfruta inúmeros privilégios e bênçãos negados àqueles cujotrabalho é nas grandes cidades. E nestes dias dos colossais monopólios erivalidade comercial, poucos há que desfrutem de uma independência tão real e de tão grande certeza de bons rendimentos de seu labor, como o cultivador do solo.”  Educação p. 219-220
  • 8. “... O cultivo do terreno é bom trabalho para as crianças e os jovens. Leva- os ao contato direto com a Natureza e com o Deus da Natureza. E, para que possam ter essa vantagem, deve haver, tanto quanto possível, emconexão com nossas escolas, grandes jardins e vastas terras para cultura.” Conselhos Professores, Pais e Estudantes 186-187
  • 9. “Ensinem-se os métodos apropriados a todos quantos estejam dispostos a aprender. Se alguns não gostam que lhes faleis de ideias avançadas, dai-lhes silenciosamente as lições. Cultivai do melhor modo vossa própria terra. Dirigi quando vos for possível uma palavra aos vizinhos, e deixai que acolheita fale eloquentemente em favor dos bons métodos. Demonstrai o que se pode fazer com a terra, quando devidamente cultivada.” A Ciência do Bom Viver 193
  • 10. “ Aquele que ensinou Adão e Eva no Éden a cuidar do jardim, gostaria deinstruir os homens hoje. Há sabedoria para aquele que maneja o arado e planta e semeia a semente. A terra tem seus tesouros escondidos, e oSenhor gostaria de ter trabalhando o solo milhares e dezenas de milhares que estão aglomerados nas cidades.” Fundamentos da Educação Cristã, 323-327
  • 11. “Muitos agricultores têm falhado em arrancar do solo adequado lucro porque empreendem o trabalho como se ele fosse ocupação degradante;não vêem que há nele uma bênção para si e suas famílias. Tudo que podem discernir é o estigma de servidão. Seus pomares são negligenciados, as colheitas não são guardadas no tempo certo e é feito apenas um trabalhosuperficial no cultivo do solo. Muitos negligenciam suas plantações a fim deobservar dias de festas e assistir a corridas de cavalos e freqüentar clubes de apostas; seu dinheiro é gasto em espetáculos, loterias e ociosidade; e depois alegam que não podem obter dinheiro para cultivar a terra e melhorar suas lavouras; se tivessem, porém, mais dinheiro, o resultado seria o mesmo. Special Testimonies on Education, fevereiro de 1894.”  Fundamentos da Educação Cristã, 323-327
  • 12. “Devem ser estudadas as necessidades especiais de cada variedade de planta. Variedades diferentes requerem solo e cultura diferentes; e conformidade com as leis que regem cada uma dessas variedades é acondição para o êxito. A atenção exigida na transplantação, para que nem mesmo uma raiz fique comprimida ou mal colocada; o cuidado das plantinhas, a poda e a rega, o abrigo da geada à noite, e do sol ao dia; a remoção das plantas daninhas, das doenças, e pragas de insetos; adisposição geral - todo esse trabalho não somente ensina lições importantesrelativas ao desenvolvimento do caráter, mas é em si mesmo um meio para aquele desenvolvimento.“ Educação 111
  • 13. “Aprendem os estudantes o que significa arar, e que a enxada e a pá, o ancinho e a grade, são todos implementos de indústria honrosa e útil. Freqüentemente cometer-se-ão erros, mas o erro jaz muito perto da verdade. Aprender-se-á sabedoria pelos fracassos, e a energia que darálugar a um começo, dá esperança de êxito no fim. A hesitação atrasará ascoisas, a precipitação igualmente as retardará, mas todas servirão de lição se os agentes humanos assim o quiserem.” Ministros e Obreiros Evangélicos, 243-245
  • 14. Agricultura é o conjunto de técnicas utilizadas para cultivar plantas com oobjetivo de obter alimentos, fibras, energia, matéria-prima para roupas,construções, medicamentos, ferramentas, ou apenas para a contemplaçãoestética.
  • 15. BREVE HISTÓRICO DA AGRICULTURAA partir da década de sessenta, durante o governo do presidente Médici, foidesenvolvido um programa chamado “Revolução Verde”, na agricultura dospaíses de terceiro mundo, com o objetivo de solucionar o problema da fomeno mundo. Este programa, financiado por organismos internacionais comoFundação Rockfeller, Fundação Kellogs e empresas multinacionais como aBayer, Shell, etc, vinha com a proposta de um tipo de agricultura baseadana produção com demanda de grande quantidade de insumos e máquinasem grandes extensões de terra, que provocaram uma revolução nastécnicas agrícolas da época. Pode-se dizer que a Revolução Verde resumia-se em : uso de semente melhorada - agrotóxicos - maquinário agrícola.
  • 16. SISTEMAS DE PRODUÇÃO E PRÁTICAS AGRÍCOLAS• Agricultura Convencional Em geral esse termo denomina o cultivo dos campos utilizandoas técnicas tradicionais de preparo do solo e controle fitossanitário. Écomum dizer que, em princípios, a agricultura convencional se opõe àorgânica ;• Agricultura Alternativa É uma alternativa, uma saída, um outro método decultivo, que foge da agricultura convencional (baseada no tripé :sementes melhoradas - agrotóxicos - maquinário agrícola).
  • 17. PORCENTAGEM DE DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO NA CADEIA PRODUTIVA DO MILHO VERDE
  • 18. AGRICULTURA ALTERNATIVA• Agricultura Ecológica;• Agricultura Biodinâmica;• Agricultura Racional;• Biológica;• Permacultura;• Agricultura Natural
  • 19. APLICAÇÕES PRÁTICAS DE TECNOLOGIAS ALTERNATIVA• COBERTURA MORTA
  • 20. • • Adubação verde ADUBAÇÃO VERDE CROTALÁRIA FEIJÃO GUANDU
  • 21. • CONSORCIAÇÃO DE CULTURAS
  • 22. • ROTAÇÃO DE CULTURAS
  • 23. • USO DE MACERADOS, SOLUÇÕES, CHÁS E PASTAS PARA CONTROLAR PRAGAS E DOENÇAS
  • 24. PRÁTICAS ALTERNATIVAS PARA A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA AGROECOLOGIA01) ARMADILHA LUMINOSA:(Capturar insetos de hábito noturno – Mariposa) ................ 1002) ARMADILHA PARA MOSCA DAS FRUTAS: ..................... 1103) ARMAZENAMENTO DE FEIJÃO: ................................... 1204) ARMAZENAMENTO DE MILHO: ................................... 1405) CALDA BORDALESA:(Fungicida) .................................................................... 16
  • 25. PRÁTICAS ALTERNATIVAS PARA A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA AGROECOLOGIA06) CALDA SULFOCÁLCICA:(Fungicida/Inseticida/Acaricida) ....................................... 2007) CALDA VIÇOSA:(Fungicida/Adubação Foliar) ............................................ 2308) CHÁ DE ARRUDA:(Controle de Pulgões/Cochonilhas/Ácaros) ........................ 2609) CHÁ DE COENTRO:(Controle de Ácaros/Pulgões) .......................................... 27
  • 26. 10) CHÁ DE PAU D’ALHO + PONTEIROS DE TOMATE:(Repelente/Controle de Pulgões/Broca do Ponteiro em Tomate).. 2711) CONTROLE DE BARATAS E MOSCAS DOMÉSTICAS: ............. 2812) ISCA PARA CONTROLAR AS MOSCAS: ............................... 2813) CONTROLE DE FORMIGAS CASEIRAS: ............................... 2914) CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS: ......................... 3015) EXTRATO DE CONFREI:(Inseticida/Controle de Pulgões/Adubo Foliar) .......................... 3316) EXTRATO DE URTIGA:(Controle de Pulgões/Lagartas/Outros Insetos/Fungicida) .......... 34
  • 27. 17) EXTRATO DE ANGICO:(Controle de Pulgões/Lagartas/Outros Insetos) ......................... 3718) PASTA BORDALESA:(Fungicida – Troncos e Galhos) ............................................... 3719) PLANTAS REPELENTES DE INSETOS: ................................. 3820) CALDA BRANCA:(Fungicida – Requeima/Pinta preta/Outras) .............................. 39
  • 28. 21) BIOFERTILIZANTE – AGROBIO: ........................................ 4022) CONTROLE DE CUPINS: .................................................. 4123) PREVENÇÃO DA FERRUGEM NO. ALHO E NA CEBOLINHA: .... 4224) CONTROLE DE LESMAS: .................................................. 4225) MOLEQUE DA BANANEIRA OU BROCA DO RIZOMA: ............ 4326) MOSCA BRANCA DO FEIJOEIRO: ...................................... 4427) PERCEVEJO VERDE OU FEDE-FEDE DA SOJA: .................... 4528) TOMATEIRO E SUAS DOENÇAS: ....................................... 4629) VAQUINHA OU “PATRIOTA”: ............................................ 46
  • 29. 30) ÁCAROS: ...................................................................... 4731) BROCAS: ...................................................................... 4832) CARUNCHO: .................................................................. 4833) GAFANHOTOS: .............................................................. 4934) GORGULHOS: ............................................................... 5035) GRILOTALPA: ................................................................ 5036) ALHO COMO DEFENSIVO ALTERNATIVO:(Repelente/Inseticida/Fungicida/Bactericida/Nematicida) ......... 5137) ARGILA:(Inseticida – Sugadores/Prevenção doenças fúngicas) .............. 54
  • 30. 38) CAMOMILA:(Fungicida) ....................................................................... 5539) CEBOLA:(Controle de Ferrugens/”Melas”ou Podridões) ........................ 5640) CEBOLINHA VERDE:(Contra Mofo em geral/Repelente) ....................................... 5641) CINTAS PROTETORAS: ................................................. 5642) COBERTURA MORTA: .................................................... 5743) DENTE DE LEÃO:(Repelente) ....................................................................... 58
  • 31. 44) ENXOFRE:(Controle de Ferrugens/Podridões) ....................................... 5845) ERVAS AROMÁTICAS:(Repelente) ....................................................................... 5846) LEITE:(Fungicida/Acaricida/Inseticida/Vírus) ................................... 5947) LOSNA:(Controle de Lagartas e Lesmas) .......................................... 6148) MOSTARDA:(Controle de Cochonilhas) ................................................... 61
  • 32. 49) CAL VIRGEN:(Recomendações) ................................................................ 6250) CALDA BIOFERTILIZANTE: .............................................. 6451) CINZAS DE MADEIRA:(Controle de Pulgões/Cochonilhas/Ácaros/Cascudos/Prevenção dede Doenças e Brocas) ......................................................... 6552) FARINHA DE TRIGO:(Controle de ácaros/Pulgões/Lagartas) .................................. 6653) ÓLEO:(Inseticida/ácaros/Cochonilhas/Trips/Mosca branca/Viroses/Ovos e Larvas deinsetos) ............................................................... 67
  • 33. 54) PASTA DE ENXOFRE:(Prevenção de Brocas e Cochonilhas) .......................................... 6955) PÓ SULFOCÁLCICO:(Fornecimento de cálcio e enxofre/Fungicida/Acaricida/Inseticida) .. 6956) PREPARADO DE SAL:(Repelente: Pulgões/Lagarta do Repolho/Lesmas/Caracóis eMosca Branca) ......................................................................... 7057) BUGANVÍLIA/PRIMAVERA OU MARAVILHA:(Prevenção do Vírus do vira Cabeça do Tomateiro) ....................... 71
  • 34. 58) CHÁ DE CAVALINHA:(Inseticida) ......................................................................... 7259) SUPERMAGRO:(Calda Biofertilizante) ........................................................... 7260) ADUBO ORGÂNICO (IBD): ............................................... 7461) PLANTAS COMPANHEIRAS: .............................................. 7562) BIOFERTILIZANTE “TINOCÃO”: ........................................ 7863) LANTERNA DE QUEROSENE:(Atrativo/Controle de Mariposas) ............................................ 7864) INSETICIDA DE CEBOLA E ALHO: ...................................... 79
  • 35. 65) CEBOLA OU CEBOLINHA VERDE:(Repelente/Controle de Pulgões/Lagartas e Vaquinhas) ........ 7966) CRAVO DE DEFUNTO:(Repelente/Nematicida/Inseticida/Acaricida) ....................... 8067) PREPARADO DE NIM – 01:(Repelente/Inseticida/Fungicida/Nematicida) ...................... 8268) PREPARADO DE NIM – 02:(Controle de Lagartas do Cartucho e de Hortaliças/Gafanhotos/Bicho Mineiro dos Citrus) ................................................ 82
  • 36. 69) PREPARADO DE NIM – 03:(Inseticida Geral/Informações sobre o Nim) ............................. 8370) MANIPUEIRA:(Controle de Formigas/Pragas de Solo/Ácaros/Pulgões/Lagartas).. 86
  • 37. CONTROLE BIOLÓGICO UTILIZANDO INSETOS PREDADORES E FUNGOS, BACTÉRIAS E VÍRUS (INIMIGOS NATURAIS)A tesourinha (Dermáptera) é um predador geral encontrado no milho; Larvade joaninha Azya luteipes, preda chochonilhas;
  • 38. • UTILIZAÇÃO DE ADUBOS ORGÂNICOS DE ORIGEM VEGETAL,ROCHAS MOÍDAS E ESTERCOS ANIMAIS
  • 39. CERTIFICAÇÃO Para alcance de maior credibilidade e aceitação pelosconsumidores, o produto orgânico necessita receber uma diferenciação nomercado, por meio de uma marca ou selo que a teste a sua real qualidade. INSTRUÇÃO NORMATIVA No Brasil, com vistas a apoiar a crescente demanda por produtosorgânicos, o Ministério da Agricultura e Abastecimento (www.agricultura.gov.br) publicou a instrução normativa Nº 7, de 17/05/99;A portaria Nº6, 00/00/02; E a Lei Nacional Nº 10.831, de 23/12/03 quedefinem as normas disciplinadoras para a produção, tipificação,processamento, envase, distribuição, identificação e certificação daqualidade de produtos orgânicos, seja de origem animal ou vegetal,instrumentos que fornecem base as diversas certificadoras já existentesem vários estados brasileiros.
  • 40. ORGANIZAÇÕES CERTIFICADORASAAO- Associação de agricultura orgânica. www.aao.org.brIBD- Instituto Biodinâmico. www.ibd.com.brIFOAM- Federação Internacional de Movimentos da Agricultura Orgânica. www.ifoam.orgRAE- Rede de Agro ecologia Eco Vida. www.ecovida.org.br
  • 41. • OUTRAS PRÁTICAS CULTURAIS - ESCOLHA DAS SEMENTES - Escolha correta da variedade,semeadura em época apropriada e uso de sementes de alta qualidade sãoos três principais fatores determinantes da produtividade de uma lavoura.A semente se caracteriza pela sua alta ou baixa qualidade.Em uma semente que garanta ótimosresultados estão envolvidos atributos comovariedade, germinação, vigor, sanidade,pureza e padronização de tamanho.
  • 42. •PRODUÇÃO DE MUDAS As mudas têm papel fundamental na qualidade fitossanitária dacultura, uma vez que pragas e doenças podem ser disseminadas pelo usode mudas contaminadas. Além do aspecto fitossanitário, a produção demudas pode ser feita em bandejas de isopor e tem a vantagem de facilitara semeadura e o manuseio das mesmas; permitindo também controlenutricional; facilitar o transporte, irrigação e transplante para o localdefinitivo.
  • 43. •TIPOS DE PLANTIO - Plantio convencional (dotado demétodos como a aração e gradagem entre umcultivo e outro); - Plantio direto (feito diretamente napalhada dos cultivos anteriores, que fica nasuperfície do solo. Isso possibilita protegê-locontra a erosão e perda d’água); - Cultivo mínimo (está entre osistema de plantio direto e o sistema de plantioconvencional).
  • 44. PRINCIPAIS MÉTODOS DE CONTROLE DE PLANTAS INVASORAS•CONTROLE COM FOGO (queimada)
  • 45. •CONTROLE MANUAL
  • 46. •CONTROLE MECÂNICO
  • 47. •CONTROLE QUÍMICO
  • 48. COLHEITA, PÓS COLHEITA E ARMAZENAMENTO•DEVE-SE TER O CUIDADO para a correta identificação do ponto decolheita para cada cultura, pois, se for colhida antes de completar oamadurecimento na planta, não haverá o desenvolvimento do saborcaracterístico do fruto maduro.•PÓS COLHEITA - O risco de perdas pós-colheita é alto e estas podem serprovocadas por danos físicos, utilização de embalagem inadequada,transporte e comercialização demorados, más condições das estradas, anão utilização da refrigeração, toque excessivo por partes dos consumidorese exposição inadequada do produto.
  • 49. • ARMAZENAMENTO - Durante o armazenamento, as principais mudançasque levam à redução da vida útil das frutas são a perda de massa fresca, odecréscimo do teor de sólidos solúveis e da acidez titulável, além dealterações na textura da polpa. As frutas armazenadas a temperaturaambiente — aproximadamente 24-27ºC e 55% UR — a vida útil pós-colheitaatinge maior longevidade.
  • 50. PLASTICULTURA- As estufas mantêm a temperatura e umidade elevada em seu interior eprotegem das chuvas e intempéries, sendo muito usadas para abrigarsementeiras e cultivos mais exigentes/delicados, como pimentão, tomate,rosas etc. - As pesquisas comparativas apontam para um rendimento superior dasculturas em todos os casos em que a plasticultura é empregada, em relaçãoàs que ela não é empregada, mantendo-se as demais condições iguais.
  • 51. INSTRUÇÕES AGRÍCOLAS PARA MILHO E FEIJÃO
  • 52. FEIJÃO (Phaseolus vulgaris L.)Espécie de ciclo curto (70 a 100 dias conforme o cultivar). Seu melhordesenvolvimento é observado em regiões ou períodos de clima ameno,porém livres de geadas.
  • 53. • PRINCIPAIS CULTIVARES - Grupo preto - Macanudo, Minuano, Macotaço, Ouro Negro, Diamante Negro, Xamego e Guapo Brilhante; - Grupo carioca - Aporé, Pérola, Rudá e Princesa; - Grupo roxo - Safira; -Grupo mulatinho - Corrrente e Bambuí.
  • 54. • CLIMA - Tropical, com temperatura média em 25ºC (18º a 30ºC) comchuvas de 100 mm mensais bem distribuídas.SOLOS - Férteis, areno-argilosos, com bom teor de matéria orgânica,bem arejados, pH em torno de 6,0 (5,0 a 6,5).• CALAGEM - De acordo com o resultado da análise de solo, efetuar acalagem 60 a 90 dias antes do plantio - chuva.
  • 55. ADUBAÇÃO - De acordo com a análise de solo, efetuar a adubação noplantio e adubação de cobertura aos 25 dias após o plantio.• TRATOS CULTURAIS - Manter o feijoeiro livre de plantas invasoras, pelo menos até oflorescimento das plantas.
  • 56. • ÉPOCA DE SEMEADURA - épocas das "águas“ - setembro a novembro,; - da "seca" ou safrinha - de janeiro a março; - de outono-inverno ou terceira época - maio a julho (irrigado).• PROFUNDIDADE DE SEMEADURA - 3-4 cm para solos argilosos ou úmidos; - 5-6 cm para solos arenosos. 
  • 57. • ESPAÇAMENTO 7 - 10 cm 40 a 60 cm
  • 58. • QUANTIDADE DE SEMENTES - 45 a 120 kg por hectare• PRODUTIVIDADE - 1.000 a 2.000 Kg/ha ; - Irrigado: 1.000 a 3.000 Kg/ha.• COLHEITA - Ciclo de 70 a 100 dias, conforme o cultivar; - Quando as plantas secarem e perderem a maioria das folhas; - Arrancamento manual, seguido de uma breve seca.
  • 59. • PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇASMosca branca (cigarrinha) Vaquinha (Diabrotica speciosa)Bemisia tabaci
  • 60. Caruncho (CallosobruchusCigarrinha verde (Empoasca maculatus )kraemeri)
  • 61. Ácaro-branco Larva Minadoura (Liriomyza(Polyphagotarsonemus latus) huidobrensis Blanchard) Outras: - lagarta das folhas, tripes, lagarta-elasmo, lagarta rosca, lesmas, lagartas-das-vagens e os percevejos.
  • 62. PRINCIPAIS DOENÇAS Antracnose (Colletotrichum dematium)
  • 63. Mancha angular Ferrugem (Uromyces(Phaeoisariopsis griseola ) appendiculatus)
  • 64. Oídio (Oidium sp)
  • 65. MILHO (Zea mays L.) Espécie anual, da família gramineae, originária do México,com 1,5 a 3,0 m de altura no florescimento.
  • 66. CLIMA - temperatura ideal para o desenvolvimento do milho, daemergência à floração, está compreendida entre 24 e 30ºC.SOLOS - bem drenadosCALAGEM - De acordo com o resultado da análise de solo, efetuar acalagem 60 a 90 dias antes do plantio - chuva.
  • 67. ADUBAÇÃO - De acordo com o resultado da análise de solo, aplicar o adubode plantio a 5 cm abaixo e ao lado das sementes. Adubação decobertura aos 30 dias após a germinação, ao lado da linha de plantio,por ocasião das chuvas.TRATOS CULTURAIS - Fazer capina aos 20 e aos 30 dias após emergência e outroantes ou após a adubação de cobertura.
  • 68. ÉPOCA DE SEMEADURA - sem irrigação: setembro a novembro; - com irrigação: o ano todo (desde que a temperatura mínimanão seja inferior a 10 º C;PROFUNDIDADE DE SEMEADURA - solos mais pesados, com drenagem deficiente -3 e 5 cm deprofundidade. - solos mais leves ou arenosos - 5 e 7 cm
  • 69. ESPAÇAMENTO 20 cm Entre plantas 80 – 100 cm Entre linhas
  • 70. QUANTIDADE DE SEMENTES - 13 a 19 Kg/haPRODUTIVIDADE - grão - safra de verão – 6 a 8 t/ha - grão - safrinha – 2 a 3 t/ha - silagem – 20 a 30 t/ha de massa verde - milho verde – 8 a 10 t/ha de espigaCOLHEITA - grão – 120 a 150 dias - silagem – 80 dias - milho verde – 90 dias
  • 71. PRINCIPAIS PRAGAS
  • 72. PRINCIPAIS DOENÇAS
  • 73. A PULVERIZAÇÃO DE ÁRVORES FRUTÍFERAS  “Há os que dizem que não se deve matar nada, nem mesmo os insetos.Deus não confiou tal mensagem a Seu povo. É possível estender a ordem"Não matarás" a qualquer ponto; mas fazer isto não está de acordo com o são raciocínio. Os que o fazem não aprenderam na escola de Cristo. ...
  • 74. ... A Terra foi amaldiçoada devido ao pecado, e nestes últimos dias multiplicar-se-ão insetos de toda espécie. Essas pragas precisam ser mortas, senão elas irão incomodar-nos e afligir-nos, e até matar-nos, edestruir a obra de nossas mãos e o fruto de nossa terra. Nalguns lugares hácupins que destroem inteiramente o madeiramento das casas. Não devem ser destruídos? As árvores frutíferas precisam ser pulverizadas, para quesejam mortos os insetos que estragariam as frutas. Deus nos deu uma parte para desempenhar, e devemos desempenhá-la com fidelidade. Então podemos deixar o resto com o Senhor. ...
  • 75. ... Deus não deu a algum homem a mensagem: Não matem formigas,pulgas ou traças. Precisamos tomar precauções contra insetos e répteis molestos e nocivos, e destruí-los, a fim de proteger a nós mesmos e anossas posses de algum dano. E mesmo que façamos tudo que estiver aonosso alcance para exterminar essas pragas, elas ainda se multiplicarão. Manuscrito 70, 1901. (Review and Herald, 31 de agosto de 1961.)”  Mensagens Escolhidas - Volume 3, 328-329
  • 76. “  O Deus da Natureza está perpetuamente em trabalho. Seu infinito poder opera de modo invisível, mas as manifestaçõesaparecem nos efeitos que a obra produz. O mesmo Deus que guia os planetas opera no plantio do fruto e na horta de vegetais. “ “O Senhor não age por meio de Suas leis para ultrapassar as leisda Natureza. Ele realiza a Sua obra por meio das leis e atributos de Seus instrumentos, e a Natureza obedece a um “Assim diz o Senhor” ”.  Conselhos Sobre Educação 171-173
  • 77. “Compreendam os pais que o preparo dos filhos é uma obra importante na salvação de almas. Em lugares campestres encontrar-se-á exercício abundante e útil ao fazerem-se as coisas que precisam ser feitas, e que darão saúde física por desenvolverem os nervos e os músculos. "Saí das cidades", é minha mensagem para a educação de nossos filhos.  Mensagens Escolhidas - Volume 2, 355-356
  • 78. “A volta a métodos mais simples, será apreciada pelas crianças e os jovens. O trabalho no jardim e no campo, será aprazível mudança da fatigante rotina das lições abstratas a que nunca se deveria limitar sua mente juvenil. Para a criança nervosa, que acha as lições dos livros exaustivas e difíceis de lembrar, será isso de especial valor. Há saúde esatisfação para ela no estudo da Natureza; e as impressões causadas não se lhe apagarão da memória, pois se acharão associadas a objetos que estão continuamente diante de seus olhos.” Conselhos Sobre Educação 164, 165,166
  • 79. Texto antes da apresentação doJovelino “Muitos dos que lavram o solo deixam de colher a devida retribuição porcausa de sua negligência. Seus pomares não são devidamente cuidados, assementes não são semeadas no tempo conveniente, e a obra de revolver a terra é feita de modo superficial. Seu mau êxito lançam eles à conta daesterilidade do solo. Dá-se muitas vezes um falso testemunho ao condenar uma terra que, devidamente cultivada, havia de produzir fartos lucros. Aestreiteza dos planos, o pequeno esforço desenvolvido, o pouco estudo feito quanto aos melhores processos, clamam em alta voz por uma reforma. ” A Ciência do Bom Viver 193
  • 80. “Deus seria glorificado se viessem para este país homens de outras partes, que tenham ... noção da agricultura e que, por preceito e exemplo, ensinem as pessoas a cultivar a terra para que produza abundantesriquezas. Há necessidade de homens que ensinem outros a arar e a fazer uso dos implementos da agricultura. Quem serão os missionários pararealizar essa obra e para ensinar métodos adequados aos jovens e a todosos que se sentem dispostos e bastante humildes para aprender? Se alguns não querem que se lhes dêem idéias melhores, sejam as lições dadas silenciosamente, mostrando o que se pode fazer formando pomares eplantando cereais; que a colheita fale com eloqüência em favor de corretos métodos de trabalho.” Fundamentos da Educação Cristã 324
  • 81. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 82. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 83. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 84. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 85. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 86. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 87. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 88. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 89. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 90. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 91. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 92. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 93. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 94. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 95. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 96. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 97. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 98. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 99. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 100. “A MÃO DE DEUS AO LEME”
  • 101. EXEMPLO DE TRABALHO
  • 102. “Caso a terra seja cultivada, há de, com a bênção de Deus, suprir nossas necessidades. Não nos devemos desanimar por causa de coisas temporais, por causa de aparentes fracassos, nem ficar desalentados pela demora. Cumpre-nos cultivar insistentemente o solo, com esperança e gratidão, crendo que a terra contém em seu seio fartos depósitos para o trabalhador fiel armazenar - depósitosmais preciosos do que a prata e o ouro. A escassez que lhe é atribuídaé um falso testemunho. Com o cultivo apropriado, inteligente, a terra dará seus tesouros para benefício do homem. As montanhas e osmontes estão mudando; a terra está envelhecendo como um vestido; mas a bênção de Deus, que estende uma mesa para Seu povo no deserto, nunca faltará.”  Conselhos Sobre Educação 164, 165,166
  • 103. ”O natural e o espiritual devem ser associados nos estudos de nossasescolas. As atividades da agricultura ilustram as lições bíblicas. As leis obedecidas pela Terra revelam o fato de que ela está sob o excelso poder de um Deus infinito. Os mesmos princípios regem o mundo espiritual e o mundo natural. Separai a Deus e Sua sabedoria daaquisição de conhecimento, e tereis uma educação frágil e unilateral,morta para todas as qualidades salvadoras que dão poder ao homem, de modo que seja incapaz de obter imortalidade por meio da fé em Cristo.O Autor da Natureza é o Autor da Bíblia. A criação e o cristianismo têm um só Deus.”  Mente, Caráter e Personalidade vol. 1, 193