Seminário de farmacotécnicaa

3,326 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,326
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
491
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Seminário de farmacotécnicaa

  1. 1. Faculdade ASCES Farmácia 5° período Jéssica de Souza Taysa Renata Thiago Souza Viviane Monique Yasmim GomesADJUVANTES FARMACÊUTICOSAPLICADOS EM FORMULAÇÕESODONTOLÓGICAS. Caruaru,2011
  2. 2. Objetivos: Agentes corretivos da cor:- Propriedades- Classificações Agentes corretivos do sabor:- Edulcorantes- Flavorizantes e aromatizantes Agentes conservantes:- Requisitos para escolha do conservante- Utilização em preparações farmacêuticas- Vantagens e desvantagens- Concentração- Modos de ação
  3. 3. Objetivos: Dissociação e pH- pH e solubilidade de fármacos- pH e manutenção da estabilidade química e farmacodinâmica Agentes anti-hidrolíticos Agentes solubilizantes Fatores que influenciam na solubilidade
  4. 4. O que são adjuvantes farmacêuticos? São substâncias que têm por finalidade, solubilizar, suspender, espessar, diluir, emulsionar, estabilizar, preservar, colorir e melhorar o sabor da mistura final.
  5. 5. Agentes suspensores Manutenção da suspensãoAgentes emulsificantes Equilíbrio entre o óleo e a águaAgentes conservantes Evitam o surgimento de fungos e bactériasAgentes espessantes Dão maior viscosidade ao meioAgentes corretivos Utilizados pra corrigir o produto finalEdulcorantes Correção do saborAromatizantes Correção do odorCorantes Correção da corFlavorizantes Correção de odor e sabor
  6. 6. Exemplos:
  7. 7. Agentes corretivo da cor Propriedades:- Serem absolutamente inócuos e desprovidos de atividade fisiológica- Terem composição química definida- Serem hidrossolúveis- Terem grande capacidade de coloração em concentrações mínimas- Serem estáveis a luz , calor, pH- Serem compatíveis com todas as substâncias- Não possuir odor e gosto desagradável
  8. 8. Agentes corretivo da cor Classificação:- Hidrossolúveis (tintas)- Insolúveis (pigmentos)- Orgânicos- Inorgânicos- Naturais
  9. 9. Agentes corretivo do sabor A estrutura de um fármaco pode dar o indício de seu provável sabor .Ex.:Sais inorgânicos (aq) Cátion(+) Ânions (-) (sabor salgado)Compostos orgânicos de alto peso molecular (sabor amargo)Insaturações ou ligações duplas c=c (sabor picante)
  10. 10. Agentes corretivo do sabor Edulcorantes :- Xilitol- Adoçantes não-calóricosSacarinaSacarina sódicaCiclamato de sódioAspartameEsteveosídeo- Sorbitol
  11. 11. Xilitol Doçura semelhante a da sacarose, possui efeito preventivo contra cáries. Sorbitol Metade da doçura da sacarose, causa menos cáries e em altas doses pode causar distúrbios gástricos e agir como laxante. Adoçantes não Forte doçura, não contém nenhum componente energético, calóricos apresentam-se como soluções para o controle da obesidade e cárie. Sacarina Mais consumido em todo o mundo. Doçura 200 a 700x Sacarina sódica Menos potente, é utilizada em comprimidos, sabor metálico.Ciclamato de sódio Doçura 30x e um sabor desagradável, menor sabor metálico. Aspartame Doçura 180 a 200x, não apresenta sabor residual Esteveosídeo Doçura 300x , no Brasil é comercializado como adoçante.
  12. 12. Flavorizantes e aromatizantes Origem sintética ou natural Simples ou compostos Função: mascarar ou melhorar as características organolépticas de sabor ou odor. Pó ou soluções líquidas
  13. 13. Flavorizantes com cacau • Mascaram o gosto amargo . Sabores frutas • Mascaram o gosto azedo e ou cítricos amargo. Sabores de • Fármacos salgados mais canela, laranja e framboesa palatáveis.Doce: baunilha, frutas, uva, tutti-frutti e frutas silvestresÁcido: limão, laranja, cereja, lima, framboesaSalgado: manteiga, amêndoasAmargo: café, chocolate, menta, cereja, pêssego, limão, framboesa, laranja.
  14. 14. Agentes conservantes Função: evitar a proliferação microbiana, com o intuito de garantir a integridade do produto final. Deve combater os microorganismos sem comprometer a segurança do consumidor.
  15. 15. Agentes conservantes Modo de ação- Inibição de enzimas- Inibição da síntese de ácido fólico dos organismos- Oxidação- Inibição do transporte ativo- Lise da membrana citoplasmática....
  16. 16. Conservantes Compatibilidade com os ingredientes, ou seja não alterar as propriedades físicas dos produtosAtividade ampla e estabilidade Atóxico Estabilidade de pH e alta solubilidade em água
  17. 17. Conservantes utilizados empreparações farmacêuticas: Álcoois e derivados Ácidos e sais orgânicos alifáticos Ácidos aromáticos e derivados Fenóis e derivados Sais organometálicos Compostos de amônio quaternário
  18. 18. Como saber se meu produtofarmacêutico está contaminado? Mudança de coloração Produção de gases, bolhas Produção de odores Mudança de viscosidade Desestabilização de emulsões Formação de biofilme
  19. 19. Conservantes mais utilizados nas soluções de uso oral: Álcool etílico Benzoato de sódio Glicerina Ésteres do ácido p-hidroxibenzóicoa(agentes antimicrobianos)
  20. 20. Conservantes Vantagens DesvantagensAlcoois Amplo espectro. Volátil, requer elevadas(etanol) concentrações.Compostos quartenários Melhores como agentes ativos. Elevadas concentrações(desodorantes) irritantes e ineficiente as pseudomonas.Ácidos Ativos contra fungos. Dependem do pH para(benzóico) dissociarem.Formaldeído Amplo espectro, barato, solúvel Irritante, volátil, odor em água, conserva atividade na desagradável, reativo, presença de tensoativos. incompatível com proteínas.Parabenos Baixa toxicidade, relativamente Mais ativo contra fungos e(p-hidroxibenzoatos) não irritantes, em amplo bactérias GRAM+ do que contra espectro de pH. GRAM - , baixa solubilidade em água ...Mercúrios orgânicos Amplo espectro, estável. Elevada toxicidade e irritabilidade, inativados por proteínas aniônicos e menos por não iônicos.Fenólicos Úteis conservantes e como Baixa solubilidade em água, agentes ativos. volátil, irritantes...
  21. 21. Solubilidade Introdução de radicais hidrofílicos na molécula Ajuste do Ph Formação de complexos moleculares hidrossolúveis Utilização de agentes tensoativos Emprego de misturas aquosas de um ou mais solventes.
  22. 22. Fatores que influenciam na solubilidade Temperatura Estrutura química Estado físico Estado de divisão Agitação
  23. 23. pH Microorganismo crescem em pH 2 e 11, ou seja o conservante tem que ser efetivo nesse intervalo. É necessário a correlação de pH e atividade. Dissolução, manutenção da estabilidade, prevenção de irritações e obtenção de um efeito terapêutico adequado.
  24. 24. pH A solubilidade de um ácido ou uma base fraca depende, com frequência do pH. Recomenda-se o uso de soluções tampões. A hidrólise depende essencialmente do pH do meio. Estabilidade de várias substâncias dependem do pH. Ex.: anestésicos locais.
  25. 25. Principais agentes anti-hidrolíticos Propilenoglicol Glicerina Solução de sorbitol
  26. 26. Conclusão Contudo, foi observado que é necessário que o farmacêutico opte pelas substâncias mais adequadas baseadas nas exigências farmacotécnicas , devido a grande diversidade de adjuvantes farmacêuticos.
  27. 27. FORMULAÇÕES PARAHIGIENIZAÇÃOORAL, CONTROLE QUÍMICO DAPLACA BACTERIANA EHALITOSE.
  28. 28. Objetivo: Higiene oral; O que são dentifrícios ? Classificação; Função e componentes; Formulações; Controle químico da placa bacteriana; Halitose;
  29. 29. A preocupação do homem com a suasaúde e higiene o acompanha hámuitas civilizações.a.C O segundo livro de Hipócrates jádescrevia uma formulação deenxaguatório bucal.Posteriormente d.C. os dentifrícios ouenxaguatórios começaram a serutilizados.
  30. 30. O que são dentifrícios? Associações de substâncias que, usadas na escovação diária, limpam depósitos exógenos aderidos aos dentes, tornando-os resistentes ao ataque de bactérias. Além de eliminar manchas dos dentes e odores bucais.
  31. 31. São classificados em: Pasta Géis Pós Líquido
  32. 32. Funções? Limpar e polir as superfícies dos dentes; Preservar a saúde da gengiva; Inibir a formação de odores desagradáveis; Fornecer flúor para o meio bucal;
  33. 33. Requisitos Básicos: Ser atóxico, Ter boa aparência, Ter estabilidade físicoquímica Ter consistência ideal para ser retirado facilmente da bisnaga . Ser facilmente aderente as cerdas sem expandir-se. Não apresentar grumos e ser facilmente dispersável na água. Não ter bolhas de ar no interior da massa.
  34. 34.  Não apresentar separações de fases; Ter sabor agradável; Ter corantes bem dosados; Ter pH próximo da neutralidade; Ter quantidade de espuma bem dosada; Ser de fácil remoção da boca, escova e pia; Apresentar compatibilidade com o s agentes terapêuticos incluídos na formulação; Ter custo acessível;
  35. 35. Componentes básicos Espessantes São essencialmente colóides hidrofílicos que dispersam e absorvem água para formar uma fase líquida viscosa. Hidroximetilcelulose e Hidroxietilcelulose
  36. 36.  Abrasivos: São sais inorgânicos, praticamente insolúveis em água. Auxiliam na limpeza dos dentes, removendo resíduos, evitando a formação de manchas ou películas pigmentada e dando polimento à superfície do dente. Ex.: Carbonato de cálcio precipitado, o fosfato de cálcio diidratado. Umectantes: Evitam o ressecamento do dentifrício quando exposto ao ar.Ex.: Sorbitol, propilenoglicol e a glicerina.Constituem de 20 a 30% de peso da formulação.
  37. 37.  Tensoativos: Os agentes espumantes, pela redução da tensão superficial, penetram e soltam os depósitos das superfícies ou suspendem os restos de alimentos que são removidos na escovação. Apresentam caráter aniônico (Lauril sulfato de sódio), catiônico ou não-iônico (Lauril Polyglucose).
  38. 38.  Flavorizantes: Propiciam sabor à pasta dental. Edulcorantes: Propiciam sabor adocicado ao dentifrício. Preservantes: Evitam a contaminação do dentifrício e garantem a estabilidade do produto por determinado tempo. Menilparabeno.
  39. 39. Dentifrício fluoretados Flúor: Em concentração adequada(1000 ppm) Apresenta a ação anticariogênica; Mantém o equilíbrio mineral dos dentes;
  40. 40. Formulações de dentifrício As formulações devem ser testadas e adaptadas de acordo com as matérias- primas utilizadas na farmácia. O farmacêutico precisa estar atento às possíveis incompatibilidades. Para pacientes alérgicos ou sensíveis a componentes da formulação é necessário adaptação da composição.
  41. 41. Placa dental e tártaro: Massa Bacteriana mole e aderente que se deposita continuamente sobre as superfícies do dentes não sendo eliminada por meio de bochechos com água, nem mastigação de alimentos duros ou fibrosos.
  42. 42. Reveladores de placa bacteriana Utilização de evidenciadores de placa é uma forma de orientar o paciente sobre as condições de sua higiene oral. São substâncias que coram a placa bacteriana que deve ser totalmente eliminada pela escovação. Formas farmacêuticas: géis, soluções, pastas, tabletes e pastilhas.
  43. 43.  Mecanismo de ação: Aderi a placa bacteriana, evidenciando-a.
  44. 44. Antitártaro São dentifrícios fluoretados Inibem o crescimento microscópio dos núcleos de cristais de cálcio, encontrados na placa dental;Ex.: Pirofosfato de sódio; Triclosan(possuem atividade antiinflamatória)
  45. 45. Controle químico da placabacteriana Agente antimicrobianos: Formulações compostas por etanol e agentes tensoativos; Geralmente apresentam-se como enxaguatórios bucais; Usados para fins terapêutico e cosméticos
  46. 46. Controle químico da placabacteriana Agentes quimioprofiláticos: Clorexidina um agente catiônico; Possui sabor amargo; Mecanismo de ação: produz alteração na película adquirida e nos mecanismos de crescimento, resultando na redução das colônias.
  47. 47. Controle químico da placabacteriana Agentes quimioprofiláticos : Triclosan é um derivado fenol; Largo espectro contra bactérias Gram positivas e Gram negativas; Mecanismo de ação: promove a desorganização da membrana celular e inibição de enzimas da membrana, levando a lise bacteriana;
  48. 48. Controle químico da placabacteriana Agentes quimioprofiláticos; Cloreto de cetilpiridineo um tensoativo quaternário; Mecanismo de ação: promove o rompimento da parede celular, desnaturando a bactéria.
  49. 49. Halitose O mal hálito é um fenômeno que tem complicações na saúde e na vida social; É provocadas por bactérias que geram compostos voláteis; Tratamento, substâncias anti-sépticas na forma de enxaguatórios bucais.
  50. 50. Conclusão Contudo, foi visto que os dentifrícios atuam auxiliando na prevenção e tratamento das patologias da cavidade bucal, como por exemplo: tártaro, placa bacteriana e halitose.
  51. 51. Referência:APPEL, G. REUS, M. Formulações Aplicadas àOdontologia. 2. ed. RCN: SãoPaulo, 2005. 2. HIRVONI, N.;NASHI, M.V.O.Capítulos 5 e 8 .

×