Economia para executivos - Aula 5

1,836 views

Published on

Quinta aula do professor Hugo da disciplina de Economia para Executivos.

Published in: Education
4 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • @CAMANAWILO Olá, têm mais aulas no Prezi já que migrei do ppt para esse novo sistema http://prezi.com/user/r3b37il7xt1f/
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Muito obrigado ja vi as 6 aulas ou ha mais? Parabens pelo seu conteudo
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Todas as aulas estão no Slideshare :)
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Achei bastante interessante, gostaria de ter acesso a todas as aulas da disciplina de Economia para Executivos, que devo fazer?
    Camanawilo
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
1,836
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
24
Actions
Shares
0
Downloads
71
Comments
4
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Economia para executivos - Aula 5

  1. 1. ECONOMIA PARA EXECUTIVOS (Aula 5) Dr. Hugo Eduardo Meza Pinto [email_address]
  2. 2. <ul><li>Tema 2 – Economia de Empresa </li></ul><ul><li>Teoria dos jogos (dilema do prisioneiro). </li></ul><ul><li>Planejamento Estratégico </li></ul><ul><li>Você é um empreendedor? </li></ul><ul><li>Abertura de Capitais. </li></ul>
  3. 3. Conceito de Estratégia
  4. 5. O conceito... <ul><li>stratègós   </li></ul>stratos , &quot;exército“ &quot;ago&quot;, &quot;liderança&quot; ou &quot;comando&quot;
  5. 6. Estratégia: A fila na Disney
  6. 8. Teoria dos Jogos
  7. 9. Conceito <ul><li>Os primeiros textos foram criados pelo matemático francês Émile Borel. Entretanto, foi o matemático americano John Von Neumann e o austríaco Oskar Morgenstern que conceberam, por volta da década de 20, uma teoria matemática apurada mesclando economia e organização social aos jogos de estratégia. É aplicada em áreas tão diversas como logística, guerra e defesa, corridas presidenciais, negociações salariais, política, relações internacionais etc. </li></ul>
  8. 10. Dilema dos Prisioneiros Dois suspeitos, A e B, são presos pela polícia. A polícia tem provas insuficientes para os condenar, mas, separando os prisioneiros, oferece a ambos o mesmo acordo: se um dos prisioneiros, decidir testemunhar contra o outro e esse outro permanecer em silêncio, o que confessou sai livre enquanto o cúmplice silencioso cumpre 10 anos de sentença. Se ambos ficarem em silêncio, a polícia só pode condená-los a 6 meses de cadeia cada um. Se ambos traírem o comparsa, cada um leva 5 anos de cadeia. Cada prisioneiro faz a sua decisão sem saber que decisão o outro vai tomar, e nenhum tem certeza da decisão do outro. A questão que o dilema propõe é: o que vai acontecer? Como o prisioneiro vai reagir?
  9. 11. Dilema dos Prisioneiros
  10. 12. Planejamento Estratégico <ul><li>As funções administrativas e o planejamento </li></ul><ul><li>Fases do planejamento estratégico </li></ul><ul><li>Análise de ambiente </li></ul><ul><ul><li>Ambiente externo </li></ul></ul><ul><ul><li>Ambiente operacional </li></ul></ul><ul><ul><li>Ambiente interno </li></ul></ul>
  11. 13. As funções administrativas e o planejamento Fases do planejamento estratégico Análise de ambiente Ambiente Externo e Operacional Planejamento Ambiente Interno Organização Direção/ Execução Controle
  12. 14. As funções administrativas e o planejamento Fases do planejamento estratégico Análise de ambiente Fase 1: Análise do Ambiente Fase 2: Estabelecimento da Diretriz Organizacional Fase 5: Controle Estratégico Fase 4: Implementação da Estratégia Fase 3: Formulação da Estratégia
  13. 15. Planejamento Estratégico I As funções administrativas e o planejamento Fases do planejamento estratégico Análise de ambiente Ambiente Geral Compo nente Econô mico Compo nente Social Componente Político Componente Tecnológico Componente Legal
  14. 16. Planejamento Estratégico I As funções administrativas e o planejamento Fases do planejamento estratégico Análise de ambiente Ambiente Geral Compo nente Econô mico Compo nente Social Componente Político Componente Tecnológico Componente Legal Fornecedores Mão-de-obra Clientes Concorrência Substitutos
  15. 17. As funções administrativas e o planejamento Fases do planejamento estratégico Análise de ambiente Organização Marketing Finanças RH Produção Ambiente Operacional Forne ce dores Mão- de-obra Clientes Concorrência Subs titutos Ambiente Geral Compo nente Econô mico Compo nente Social Componente Político Componente Tecnológico Componente Legal Ambiente Interno
  16. 18. “ Preservar e oferecer melhores condições à vida humana.&quot; Merck (Industria Farmacêutica) Missão da empresa
  17. 19. Walt Disney (Parque de diversões) <ul><li>“ Fazer as pessoas felizes” </li></ul>Missão da empresa
  18. 20. Microsoft (Indústria de softwares) “ Um computador em cada mesa de escritório e em cada residência, todos rodando com softwares da Microsoft “ Missão da empresa
  19. 21. “ Dar às pessoas pobres a chance para comprar as mesmas coisas que as pessoas ricas” Wal-Mart (Supermercados) Missão da empresa
  20. 22. Google (Empresa de Busca na Internet) “ Organizar as informações do mundo e faze-las universalmente acessíveis e úteis” Missão da empresa
  21. 23. Cruz Vermelha Internacional (Organização Humanitária Internacional) <ul><li>“ Melhorar a qualidade de vida humana; aumentar a autoconfiança e a preocupação com os outros; e ajudar as pessoas a evitar emergências, preparar-se para elas e enfrentá-las.&quot; </li></ul>Missão da empresa
  22. 24. ABERTURA DE CAPITAIS DAS EMPRESAS
  23. 25. <ul><li>Conceitos </li></ul><ul><li>Vantagens </li></ul><ul><li>Processo de Abertura </li></ul><ul><li>Custos </li></ul><ul><li>Investidores </li></ul>Roteiro
  24. 26. O que é I.P.O.? Do inglês Initial public offering é o evento que marca a primeira venda de ações ordinárias de uma empresa no mercado de ações. Seu principal propósito é levantar capital pela sociedade para utilizar como investimento para expansão da empresa.
  25. 27. Conceitos <ul><li>Abertura de Capital : É o processo conjunto de registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e sua primeira venda de ações ao público </li></ul>
  26. 28. ABERTURA DO CAPITAL DE UMA EMPRESA LANÇAMENTO DE AÇÕES EMISSÃO MERCADO PRIMÁRIO APORTE DE RECURSOS À EMPRESA POR CRIAÇÃO DE NOVOS TÍTULOS DISTRIBUIÇÃO MERCADO SECUNDÁRIO APORTE DE RECURSOS À ACIONISTAS POR MEIO DE TÍTULOS
  27. 29. PORQUE ABRIR O CAPITAL DE UMA COMPANHIA? ABERTURA DE CAPITAL IMAGEM INSTITUCIONAL LIQUIDEZ PATRIMONIAL NOVO RELACIONAMENTO C/ FUNCIONÁRIOS PROFISSIONALIZAÇÃO ARRANJOS SOCIETÁRIOS REESTRUTURAÇÃO DE PASSIVOS CAPTAÇÃO DE RECURSOS
  28. 30. <ul><li>Companhia Aberta é aquela que, através de registro apropriado junto à CVM , está autorizada a ter seus valores mobiliários negociados junto ao público, tanto em bolsas de valores, quanto no mercado de balcão, organizado ou não. </li></ul>Conceitos A Comissão de Valores Mobiliários é uma autarquia federal, cujas atribuições são a normatização, regulamentação, desenvolvimento, o controle e a fiscalização do Mercado de Valores Mobiliários do País
  29. 31. <ul><li>De acordo com a lei nº 6.385, são valores mobiliários : </li></ul><ul><ul><li>as ações, partes beneficiárias e debêntures, os cupões desses títulos e os bônus de subscrição; </li></ul></ul><ul><ul><li>os certificados de depósito de valores mobiliários; e </li></ul></ul><ul><ul><li>outros títulos criados ou emitidos pelas sociedades anônimas, a critério do Conselho Monetário Nacional. </li></ul></ul><ul><li>São também valores mobiliários : </li></ul><ul><ul><li>opções e contratos futuros referenciados em valores mobiliários; </li></ul></ul><ul><ul><li>quotas de fundos de investimento imobiliário; e </li></ul></ul><ul><ul><li>os certificados de investimento em empreendimentos audiovisuais. </li></ul></ul>Conceitos
  30. 32. <ul><li>Distribuição primária: </li></ul><ul><ul><li>A empresa emite e vende novas ações ao mercado </li></ul></ul><ul><ul><li>O vendedor é a própria companhia </li></ul></ul><ul><ul><li>Os recursos obtidos são canalizados para a companhia </li></ul></ul><ul><li>Distribuição secundária: </li></ul><ul><ul><li>O empreendedor ou o(s) sócio(s) vendem ações já existentes </li></ul></ul><ul><ul><li>O vendedor é o próprio empreendedor ou sócio </li></ul></ul><ul><ul><li>Os recursos obtidos vão para o empreendedor ou sócio e não para a empresa </li></ul></ul>Conceitos
  31. 33. <ul><li>Ações ordinárias: </li></ul><ul><ul><li>Direito a voto </li></ul></ul><ul><ul><li>Participar dos resultados </li></ul></ul><ul><ul><li>Influir nas decisões </li></ul></ul><ul><li>Ações preferenciais: </li></ul><ul><ul><li>Não dão direito a voto </li></ul></ul><ul><ul><li>Preferência na distribuição dos resultados </li></ul></ul><ul><ul><li>Dividendos superior ao das ações ordinárias </li></ul></ul><ul><ul><li>A soma de ações preferenciais não pode ultrapassar 50% do total de ações emitidas </li></ul></ul>Conceitos A companhia pode emitir ações ordinárias ou preferenciais
  32. 34. Vantagens <ul><li>Os benefícios da abertura de capital são diversos e mesmo em uma mesma empresa, ao longo de sua vida, colocações de ações podem ter objetivos diferentes </li></ul><ul><ul><li>Maior acesso a capital </li></ul></ul><ul><ul><li>Liquidez Patrimonial </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilização de ações como forma de pagamento de aquisições </li></ul></ul><ul><ul><li>Referencial de avaliação do negócio </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhoria da imagem institucional </li></ul></ul><ul><ul><li>Reestruturação de passivos </li></ul></ul>
  33. 35. DESVANTAGENS ABERTURA CAPITAL <ul><li>Divulgar informações sobre a empresa; </li></ul><ul><li>Distribuir Dividendos à Acionistas; </li></ul><ul><li>Novos Acionistas influenciam nas Decisões Estratégicas; </li></ul><ul><li>- Acréscimo nos custos Administrativos, Auditores, Demonstrações Financeiras; </li></ul>
  34. 36. Processo de Abertura <ul><li>Conjunto de etapas, não completamente delimitadas que podem em muitos momentos acontecer paralelamente </li></ul>Conveniência Escolha do Intermediário Financeiro Documentação e Reforma Estatutária
  35. 37. Analisar a Conveniência <ul><li>Conduzida por profissionais internos ou consultoria externa, </li></ul><ul><li>Avaliar benefícios e custos </li></ul><ul><ul><ul><li>Benefícios imediatos, resultante do primeiro lançamento de ações, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prospecção dos benefícios a longo prazo , </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Custos da operação inicial de abertura, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Custos de manutenção como companhia aberta, </li></ul></ul></ul>
  36. 38. Analisar a Conveniência <ul><li>Avaliar a adequação do perfil </li></ul><ul><ul><li>Capacidade e qualidade da prestação de informações </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Existe uma estrutura organizacional e mecanismos de controle que permitam aos sócios acompanhar e fiscalizar o desempenho e a gestão da empresa? </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Avaliar se a empresa teve uma evolução consistente </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qual o histórico de rentabilidade da empresa? </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Avaliar se os seus projetos estão bem fundamentados e se serão atrativos para os investidores: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>O que se pretende fazer com os recurso captados? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quais são suas perspectivas de retorno? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O preço estimado das ações está adequado? </li></ul></ul></ul>
  37. 39. Escolha do Intermediário Financeiro <ul><li>Qualquer distribuição pública de ações tem que ser realizada por meio de uma instituição financeira: </li></ul><ul><ul><li>corretora de valores </li></ul></ul><ul><ul><li>banco de investimento </li></ul></ul><ul><ul><li>distribuidora </li></ul></ul>
  38. 40. Escolha do Intermediário Financeiro <ul><li>Crucial para o bom resultado da operação </li></ul><ul><ul><li>Know How e conhecimento de mercado </li></ul></ul><ul><li>Coordenador da operação e do Marketin g da Oferta: </li></ul><ul><ul><li>Quais investidores visitar </li></ul></ul><ul><ul><li>Elaboração do material de apresentação </li></ul></ul><ul><ul><li>Prospecto de venda (detalhando a empresa e a operação) </li></ul></ul><ul><ul><li>Ajuda na definição do tamanho da oferta </li></ul></ul><ul><ul><li>Ajuda na definição do preço estimado das ações </li></ul></ul>
  39. 41. Documentação e Reforma Estatutária <ul><li>Documentação para solicitação de registro na CVM , distribuição pública , listagem na bolsa de valores ou mercado de balcão: </li></ul><ul><ul><li>Contratação de uma auditoria externa independente </li></ul></ul><ul><ul><li>Demonstrações financeiras nos padrões CVM auditadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Prospecto de venda das ações </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Detalhando a empresa e a operação </li></ul></ul></ul>
  40. 42. Custos <ul><li>Duas etapas de custos: </li></ul><ul><ul><li>Custos da IPO </li></ul></ul><ul><ul><li>Custos da Manutenção </li></ul></ul><ul><li>Variam de acordo com a complexidade da operação </li></ul><ul><li>Empresas já bem organizadas podem poupar os custos adicional com a organização das informações a serem prestadas </li></ul>
  41. 43. Custos da operação <ul><li>Custos legais e institucionais - referentes a pagamentos de taxas, anuidades, serviços e outras exigências legais; </li></ul><ul><li>Custos de publicação e marketing - referentes à divulgação da operação de abertura junto aos futuros e aos atuais acionistas, custo este que inclui também a confecção do prospecto; </li></ul><ul><li>Custos de intermediação financeira - referentes a gastos com os serviços prestados pelos intermediários financeiros, com garantias e distribuição; </li></ul><ul><li>Custos internos da empresa - referentes à estruturação interna de pessoal para montagem e acompanhamento do processo de abertura. </li></ul>
  42. 44. Custos da Manutenção <ul><li>Custos para a manutenção de uma empresa com capital aberto </li></ul><ul><ul><li>Auditoria independente, </li></ul></ul><ul><ul><li>Publicação de atos societários e de demonstrações financeiras, </li></ul></ul><ul><ul><li>Anuidades relativas à Bolsa de Valores, </li></ul></ul><ul><ul><li>Taxas de fiscalização da CVM, </li></ul></ul><ul><ul><li>Serviço de escrituração de ações </li></ul></ul><ul><ul><li>Área de relações com investidores </li></ul></ul>
  43. 45. Prazos da operação <ul><li>Não existe prazo determinado </li></ul><ul><li>CVM analisa a documentação em 30 dias </li></ul><ul><ul><li>Podendo interromper o prazo para solicitar esclarecimentos ou documentos complementares </li></ul></ul><ul><li>A bolsa de valores pode analisar a mesma documentação antes ou em paralelo </li></ul><ul><ul><li>A BOVESPA analisa em 40 dias </li></ul></ul><ul><li>O prazo total dependerá adequação da empresa </li></ul><ul><ul><li>Análise de conveniência </li></ul></ul><ul><ul><li>Reestruturação e organização </li></ul></ul>
  44. 46. Os Investidores – quem são? <ul><li>Classificação BOVESPA: </li></ul><ul><ul><li>Investidores de varejo (pessoas físicas e clubes de inves timento), </li></ul></ul><ul><ul><li>Investidores institucionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Instituições financeiras </li></ul></ul><ul><ul><li>Investidores estrangeiros </li></ul></ul><ul><ul><li>Pessoas jurídicas </li></ul></ul><ul><li>Crescente número de pessoas físicas </li></ul><ul><ul><li>Incentivo da bolsa para este segmento </li></ul></ul><ul><li>Obs: A contratação do intermediário financeiro deve discutir a estratégia adotada para alcançar qual tipo de investidor </li></ul>
  45. 47. Indicadores de Mercado <ul><li>Determinar o valor da empresa comparando seu desempenho com o de outras empresas que apresentam características semelhantes cotadas em bolsa de valores, que seria uma indicação de quanto o mercado estaria disposto a pagar pela empresa em avaliação </li></ul>
  46. 48. Indicadores de Mercado <ul><li>A comparação pura e simples dos preços das ações individuais de diferentes empresas não tem lógica, pois o que interessa é o valor de mercado/bolsa da empresa, que depende da quantidade de ações negociáveis X o preço das ações </li></ul>VALOR DE MERCADO DE UMA EMPRESA Valor de mercado = (cotação das ações ordinárias x quantidade de ações ordinárias emitidas) + (cotação das ações preferenciais x quantidade de ações preferenciais emitidas)
  47. 49. Indicadores de Mercado <ul><li>Lucro por Ação (LPA): representa a divisão do lucro líquido pelo número total de ações da empresa. </li></ul><ul><ul><li>LPA =   Lucro Líquido            Número Total de Ações </li></ul></ul><ul><li>Valor Patrimonial por Ação (VPA): representa a divisão do Patrimônio Líquido da empresa pelo seu número total de ações. </li></ul><ul><ul><li>VPA =   Patrimônio Líquido            Número Total de Ações </li></ul></ul>
  48. 50. Indicadores de Mercado <ul><li>Preço/Lucro (P/L): Indica o tempo de retorno do investimento, partindo-se da premissa que o lucro apurado se repetirá nos próximos anos. Assume ainda um caráter de preço relativo, na medida em que seja disponível uma série de projeções para várias empresas para determinado ano. </li></ul><ul><ul><li>P/L =  Cotação da Ação = Valor de Mercado            Lucro por Ação        Lucro Líquido </li></ul></ul><ul><li>Preço/Valor Patrimonial Ajustado (P/VPA): compara o valor de mercado da empresa com seu valor contábil. Em tese, quanto mais baixo este índice, mais barata é a empresa. </li></ul><ul><ul><li>P/VPA =    Cotação da Ação                 =    Valor de Mercado             Patrimônio Líquido por Ação      Patrimônio Líquido </li></ul></ul>
  49. 51. CASO GERDAU A IMPORTÂNCIA DO MERCADO DE CAPITAIS NA VISÃO DAS EMPRESAS
  50. 52. VISÃO GERAL DO GRUPO 2 BRASIL * 7,2 milhões de toneladas de aço bruto * 4,3 milhões ** toneladas de laminados EXTERIOR * 3,8 milhões de toneladas de aço bruto * 3,6 milhões de toneladas de laminados
  51. 53. DESTAQUES 2001 Metalúrgica Gerdau Consolidado Faturamento: R$ 7,1 bilhões EBITDA: R$ 1,3 bilhão Lucro Líquido: R$ 551 milhões Patrimônio Líquido: R$ 3,9 bilhões Ativos: R$ 9,8 bilhões Capacidade Instalada: 11 milhões de ton (aço bruto) 3
  52. 54. ESTRATÉGIAS Foco na produção e venda de aço Integração vertical e horizontal Market mills Crescer via aquisições / privatizações Novos projetos X risco empresarial Diversificação geográfica Profissionalização Empowerment 4
  53. 55. PROCESSOS DE CAPITALIZAÇÃO Abertura de capital Incentivos Fiscais FINOR e FISET Mercado Financeiro (Brasil e exterior) Covenants X Garantias reais Processo de privatização Reestruturação societária Internacionalização 5
  54. 56. CAPITALIZAÇÃO Acesso ao mercado de equity 1947 – Registro em bolsa de valores 1962 – Participação de investidores institucionais (Fundo Crescinco subscreve 14% do capital social da Siderúrgica Riograndense) 1970 – Lançamento de ações na BVRJ 1970 – Subscrição de ações da Açonorte com recursos de Incentivos Fiscais da SUDENE 1980 – Abertura do capital da Cosigua (Gerdau S.A) 1984 – Aumento de capital na Cosigua (Gerdau S.A) * Venda de ações via agências bancárias * Maior lançamento realizada até então * US$ 45 milhões - 68,6 mil novos acionistas 1995 – Início da reestruturação societária 1999 – ADR Nível II na Bolsa de NY 2001 – Nível I de Governança Corporativa - Bovespa 6
  55. 57. 7 <ul><li>Emissões de ações (1980 a 2001) </li></ul><ul><li>Públicas: US$ 319 milhões </li></ul><ul><li>Particulares: US$ 234 milhões </li></ul><ul><li>Total: US$ 553 milhões </li></ul><ul><li>Emissões de debêntures (1980 a 2001) </li></ul><ul><li>Públicas: US$ 163 milhões </li></ul><ul><li>Particulares: US$ 143 milhões </li></ul><ul><li>Total: US$ 306 milhões </li></ul><ul><li>Dividendos pagos (1980 a 2001) </li></ul><ul><li>Total: US$ 726 milhões </li></ul>CAPITALIZAÇÃO Emissões X Dividendos pagos
  56. 58. CAPITALIZAÇÃO Acesso ao mercado de dívida 1961 – Primeiro financiamento tomado no exterior 1971 – Empréstimo IFC (construção da Cosigua) 1980 – Primeiro lançamento de debêntures 1993 – Primeira emissão de eurobônus 1999 – Primeira emissão de commercial paper Outras fontes de recursos... – BNDES – Operação 63 – Resolução 4131 – Empréstimos bancários – Sindicato de bancos 8
  57. 59. EVOLUÇÃO DA GESTÃO FINANCEIRA Subscrição de Ações X Debêntures Empréstimos Nacionais X Empréstimos Externos Garantias Firmes X Indicadores de Desempenho 9
  58. 60. DISCLOSURE - Informações trimestrais (empresa e consolidado) - Conference calls bilíngües - Reuniões com investidores (Brasil e exterior) - Road shows - Visitas - Atendimento permanente - Congressos e seminários - Site de Relações com Investidores 10

×