Aula 02 Módulo de GINASTICA
1° Momento: Atividade Cara- metade
2°Momentos: Explicação dos diferentes tipos de Ginastica.
...
 GINÁSTICA LABORAL
Ginástica laboral é uma modalidade de atividade física destinada aos trabalhadores para que seja
prati...
 GINASTICA AEROBICA
A GinásticaAeróbicasurgiucomoumaótima forma de praticarexercíciosfísicospara o públicoemgeral no fina...
despesas relacionadas a problemas de saúde mais graves, além de melhorar o ambiente de trabalho e
aumentar a produtividade...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aula 02 módulo de ginastica

1,055

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,055
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 02 módulo de ginastica

  1. 1. Aula 02 Módulo de GINASTICA 1° Momento: Atividade Cara- metade 2°Momentos: Explicação dos diferentes tipos de Ginastica.  GINASTICA RITMICA A Ginástica Rítmica Desportiva – ou GRD – é um esporte que encanta a quem assiste. Muito conhecida pelas apresentações com fita, poucas pessoas sabem o nome desse esporte ou que ele é praticado com outros instrumentos além da fita. A proposta desse texto é esclarecer as características gerais da GRD para o leitor.A história da Ginástica Rítmica remete a uma mistura entre a ginástica tradicional (artística) e a dança. Essa ginástica muito deve ao coreógrafo moderno Émile Jacques Dalcroze, seu aluno Rudolf Bode e a bailarina Isadora Duncan. Dalcroze desenvolveu uma técnica que unia movimentos ginásticos ao ritmo, trabalho que foi aperfeiçoado posteriormente por Bode. Isadora Duncan carregou essa técnica à ex-URSS e passou a ensiná-la como modalidade independente das artes. Paralelamente ao trabalho de Duncan, Heinrich Medeau, alemão, anexou aos elementos rítmicos corporais alguns aparelhos, como o arco, a bola e a maça. Foi apenas em 1961 que esse tipo de ginástica foi incorporado à FIG – Federação Internacional de Ginástica – e em 1963 foi organizado o primeiro campeonato mundial dessa modalidade. No entanto, foi apenas em 1975 que os movimentos rítmicos com aparelhos foram denominados de Ginástica Rítmica Desportiva. Esse esporte ganhou visibilidade mundial a partir de sua inserção nos jogos Olímpicos: em 1984 foi incluído como modalidade individual, e em 1996, também em categoria coletiva.  GINASTICA ATISTICA A Ginástica Rítmica Desportiva – ou GRD – é um esporte que encanta a quem assiste. Muito conhecida pelas apresentações com fita, poucas pessoas sabem o nome desse esporte ou que ele é praticado com outros instrumentos além da fita. A proposta desse texto é esclarecer as características gerais da GRD para o leitor. A história da Ginástica Rítmica remete a uma mistura entre a ginástica tradicional (artística) e a dança. Essa ginástica muito deve ao coreógrafo moderno Émile Jacques Dalcroze, seu aluno Rudolf Bode e a bailarina Isadora Duncan. Dalcroze desenvolveu uma técnica que unia movimentos ginásticos ao ritmo, trabalho que foi aperfeiçoado posteriormente por Bode. Isadora Duncan carregou essa técnica à ex-URSS e passou a ensiná-la como modalidade independente das artes. Paralelamente ao trabalho de Duncan, Heinrich Medeau, alemão, anexou aos elementos rítmicos corporais alguns aparelhos, como o arco, a bola e a maça. Foi apenas em 1961 que esse tipo de ginástica foi incorporado à FIG – Federação Internacional de Ginástica – e em 1963 foi organizado o primeiro campeonato mundial dessa modalidade. No entanto, foi apenas em 1975 que os movimentos rítmicos com aparelhos foram denominados de Ginástica Rítmica Desportiva. Esse esporte ganhou visibilidade mundial a partir de sua inserção nos jogos Olímpicos: em 1984 foi incluído como modalidade individual, e em 1996, também em categoria coletiva.
  2. 2.  GINÁSTICA LABORAL Ginástica laboral é uma modalidade de atividade física destinada aos trabalhadores para que seja praticada no próprio local de trabalho. A ginástica laboral é uma ferramenta bastante eficaz na prevenção de doenças ocupacionais que se incluem nos grupos LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). As empresas que promovem a prática dessa modalidade também são beneficiadas, na medida em que os funcionários não faltam tantas vezes ao trabalho por motivos de doença. A ginástica laboral também fortalece as relações para o desenvolvimento de trabalhos em equipe e aumenta a produtividade. Dentre os inúmeros benefícios físicos e mentais, as técnicas específicas utilizadas na ginástica laboral podem ainda contribuir para: Aliviar o estresse e as tensões acumuladas, provocadas pelo excesso de trabalho; Reeducar a postura corporal, principalmente para trabalhos que exijam movimentos repetitivos; Diminuir o sedentarismo e a fadiga; Aumentar o ânimo, melhorar o desempenho no trabalho e a integração no grupo de trabalho; Prevenir lesões nas mãos, ombros, coluna, punhos e as doenças como LER (Lesões por Esforços Repetitivos).  GINASTICA NATURAL A Ginástica Natural é fundamentada no movimento dos animais, do homemprimitivo, a parte de alongamento e flexibilidade e respiraçãovem do Hata-Yoga e osmovimentos de solo do Jiu-Jitsu. É umaginásticaquepodemosfazerempraças, praia e/ousalas de ginástica. Devidoaoritmo de vidanosgrandescentros, o homemfoi se afastando da natureza e aatividadefísicafoisofrendoestainfluência. As formas de umavidasaudável, através de movimentosnaturais e espontâneos do serhumano, foipreteridaporaparelhoscomputadorizados e exercíciosrepetido e, com isso, o prazerproporcionadoporestasatividadesforamsubstituídosporumabuscafrenética de um corpoemque a hipertrofia muscular é o queimporta, trazendo, muitasvezes, problemasfísicos e emocionais. A Ginástica Natural tem comoobjetivorestabelecer a harmonia entre as sensações, ossentimentos e a intuição, tornando o homemsaudável, através do bemestarfísico, mental e espiritual, e queessasaúdenãosignifiquesomenteausência de doença, mas querespeite e fundamente-se nas leis da natureza. Nasaulas de ginástica natural, procuramos a conscientização da respiração, através de exercíciosespecíficos, despertando no aluno o desteatocompulsivo.Lembre-se que antes de iniciar-se qualquerprograma de atividadefísica, consulteseumédico e o seu professor de educaçãofísica, poisessamedida é fundamental parasuasegurança.
  3. 3.  GINASTICA AEROBICA A GinásticaAeróbicasurgiucomoumaótima forma de praticarexercíciosfísicospara o públicoemgeral no final da década de 80. Mas logo se transformoutambémem um esportecompetitivo de alto-nível. Em 1994, a FIG (FederaçãoInternacional de Ginástica) decidiuorganizaroscampeonatosmundiais de GinásticaAeróbicaEsportiva e estruturar o esporte de acordo com as outrasmodalidades da ginástica. O primeiroCampeonato Mundial oficialfoirealizadoem 1995 em Paris e contou com a participação de 34 países. O Brasil é, segundo a FIG, o país com o maiornúmero de participantes – háaquimais de 500 mil pessoasenvolvidas com a ginásticaaeróbica. Outros países de alto nível no esportesão: Argentina, Austrália, Nova Zelândia, EstadosUnidos, Japão, Alemanha, Itália, Espanha e Romênia.  GINASTICA GERAL Ginástica Geral é uma modalidade bastante abrangente, envolvendo diversos movimentos corporais, tais como danças e jogos, com o objetivo maior de proporcionar bem estar físico, psíquico e social para os seus praticantes. Ela respeita as individualidades e a capacidade física de cada um, incentivando o condicionamento físico e a auto-superação. A prática se destina a qualquer indivíduo Utiliza ou não materiais e aparelhos esportivos, músicas, coreografias e se fundamenta no princípio não competitivo. A Ginástica Geral integra, socializa, desenvolve o bem estar, valoriza o grupo e ou a individualidade dos praticantes. Na realização de eventos de Ginástica Geral, sua prática proporciona aos espectadores a apreciação da beleza e da estética, identificando também as novas tendências de um mercado que possui um faturamento fantástico. GINASTICA LABORAL Ginástica Laboral é uma atividade física orientada, praticada durante o horário do expediente, visando benefícios pessoais no trabalho. Tem como objetivo minimizar os impactos negativos provenientes da rotina do trabalhador e traz grandes benefícios aos empregadores, motivo pelo qual é estimulada por diversas empresas no mundo inteiro. Portanto, a Ginástica Laboral é um ramo criado especificamente para resolver através da atividade física os problemas de saúde relacionados aos mais diferentes tipos de trabalho (cada tipo com exercício específico). É justamente isso que torna esta atividade uma ferramenta extremamente eficaz tanto para os trabalhadores quanto para as empresas, que economizam com
  4. 4. despesas relacionadas a problemas de saúde mais graves, além de melhorar o ambiente de trabalho e aumentar a produtividade.  GINASTICA CIRCENSE Ao entrarmos no mundo mágico do circo, precisamos entender um pouco melhor suas origens e desenvolvimento. Não podemos datar com exatidão quando a atividade corporal circense foi originada, no entanto, Torres, ao citar Ruiz, coloca que “... o remoto ancestral do artista de circo deve ter sido aquele troglodita que, num dia de caça surpreendentemente farta, entrou na caverna dando pulos de alegria e despertando com suas caretas, o riso de seus companheiros de dificuldades” (RUIZ, R. apud TORRES, A. O Circo no Brasil. Rio de Janeiro: Funarte, Editora Atrações, 1998, p.13). De acordo com Castro (1997), os primeiros registros sobre artes circenses foram encontrados na China, em pinturas de quase 5.000 anos onde aparecem acrobatas, contorcionistas e equilibristas. A acrobacia, por exemplo, era uma forma de treinamento para os guerreiros, cuja função social exigia agilidade, flexibilidade e força. No entanto, as raízes da arte circense se fazem presentes em toda antiguidade clássica, desde os hipódromos da Grécia antiga até o grande Império Egípcio. Nas pirâmides do Egito, os primeiros sinais dessa arte estão gravados em desenhos de domadores, equilibristas, malabaristas e contorcionistas. O circo como componente da ginástica Contudo, foi na Europa que o circo ganhou força e se desenvolveu. Os espetáculos tomaram impulso no Império Romano, em anfiteatros cujas apresentações mais tarde seriam classificadas como atividades circenses. A importância e a grandiosidade desses espetáculos podem ser demonstradas pelo Circo Máximo de Roma (40 a.C). No lugar em que esse Circo se instalava, foi criado, mais tarde, o Coliseu, que comportava mais de 87 mil espectadores e apresentava excentricidades como gladiadores, animais exóticos, engolidores de fogo, entre outros. Porém, os espetáculos realizados no Coliseu tornaram-se sangrentos, com cristãos jogados às feras e isso teve como consequência uma redução no interesse pelas artes circenses. No final do Império Romano, os artistas circenses passaram a se apresentar, então, em locais públicos, como praças e feiras (CASTRO,1997). De acordo com Soares (1998), o circo no Renascimento deslocava os habitantes das vilas e cidades de suas rotinas simples que envolviam apenas trabalho e descanso. O circo rompia com a ordem estabelecida ao proporcionar, sobretudo, diversão e encantamento ao público. Era uma arte do entretenimento. O circo se apresentava como uma atividade de grande fascínio na sociedade européia do século XIX. O corpo era o centro do espetáculo das “variedades” apresentadas pela múltipla atuação de seus artistas. Pode-se dizer que o circo surgia como a encarnação do espetáculo moderno e seu sucesso era inegável nas diferentes classes sociais que assistiam ao mesmo espetáculo, embora em dias e horários diferentes.

×