• Save
Portfólio hellen cortezolli
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Portfólio hellen cortezolli

on

  • 661 views

Alguns textos sobre cultura, política e polícia.

Alguns textos sobre cultura, política e polícia.

Statistics

Views

Total Views
661
Views on SlideShare
658
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 3

http://cortezolli.blogspot.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Portfólio hellen cortezolli Document Transcript

  • 1. Hellen CortezolliSolteira, 31 anosMacapá / Porto AlegreJornalistaFormação Experiência ProfissionalGraduaçãoComunicação Social Secretaria de Estado da Comunicação | AmapáJOR 2010.1 - Faculdade 02/2011 a 12/2011 | Assessora de ComunicaçãoSeama Secretaria de Estado da Comunicação | Amapá 05/2010 a 12/2010 | Gerente de ProjetoVoluntariado Tribunal Regional Eleitoral do AmapáTRE - 2008 / Ascom 09/2009 a 05/2010 | Estagiária da Assessoria deAção Global - 2006 / Fotógrafa ComunicaçãoRádio Anchieta - 2006 /Pauteira Agência Maxmídia Comunicação Ltda | Amapá 11/2008 a 09/2009 | Estagiária no Monitoramento de NotíciasOutras HabilidadesVideomakerDiagramaçãoRoteiroFotografiaInteressesInternet | Cinema | MúsicaViagens | Literatura |Tecnologia (53) 9938-3369 | cortezolli@hotmail.com | @cortezolli
  • 2. Notícias16/09/2011 11h20 - Atualizado em 16/09/2011 15h21 Concerto de piano seduz o público amapaenseDa Redação Fotos: Márcia do Carmo Seguindo o projeto Brasil Sertões 2 o pianista Arthur Moreira Lima chega ao AmapáAconteceu na quinta-feira, 15, ao lado do Teatro das Bacabeiras, a exibição pública do projeto“Um Piano na Estrada” do pianista reconhecido no Brasil e no exterior, Arthur Moreira Lima. Omestre de cerimônias anunciou o evento e as palavras proferidas enalteceram os costumeslocais com ênfase à aculturação.“A primeira vez que assisti a um concerto foi de uma amiga que também estuda piano. Nãoconheço o trabalho do Arthur, mas estou bastante curioso”, disse o estudante de medicina, IgorHanon.Após o pronunciamento do secretário de cultura, Zé Miguel que agradeceu comovido a presençamaciça da população, sob a regência de Elias Tavares Sampaio, a Orquestra Filarmônica dosMeninos do Instituto Macapaense de Ensino Superior (Immes) seguida pelo Coral do Tribunal deJustiça do Amapá (Tjap) deu início ao que seria uma das mais agradáveis noites de espetáculosde música clássica que a capital amapaense assistiu nos últimos anos.Com os primeiros acordes de violinos e violoncelos o público reagia com manifestaçõesespontâneas de emoção, eram embalados pela delicadeza dos arranjos das músicas domarabaixo mescladas aos clássicos nacionais. A jovem Gabriela Costa, de onze anos, estudantede piano falou sobre a expectativa da exibição e não escondeu a ansiedade. “Sempre gostei demúsica clássica, comecei a estudar há pouco tempo e gostaria que a apresentação começasselogo”, confessou.
  • 3. As conversas durante os intervalos variavam desde especulações de quais músicas seriam apresentadas até mesmo a citações de trechos de peças do dramaturgo e poeta inglês, Willian Shakespeare. Entre amigos, os murmurinhos assumiam a simpatia por apresentações a céu aberto e a forma com que foram distribuídos os palcos, espaços e atrações. “Faz muito tempo desde a última vez que vi uma orquestra de grande porte se apresentar aqui em Macapá, espero que haja mais vezes. O público sabe diferenciar e apreciar a boa música e isso não é modismo”, falou o músico Henrique Colares.A melodia poética envolvente criou uma atmosfera propícia às viagens que somente a música écapaz de sugerir a mente humana. As famílias, amigos apreciadores das artes, casais denamorados e até mesmo as mensagens enviadas via sms, aos que não puderam estarpresentes, se encheram de satisfação com o espetáculo e diminuíram a distância entre aspessoas.Quando Arthur Moreira Lima subiu ao palco, a plateia foi agraciada com a Cantata 147 deJohann Sebastian Bach, Jesus Alegria dos Homens. Beethoven, Pixinguinha, Villa Lobos eoutros fizeram parte do repertório.Todos os esforços possíveis com celulares e filmadoras tentavam levar para casa a lembrançade um evento que não será esquecido tão cedo pelos moradores da capital amapaense.Emocionado o pianista interagiu com a plateia. “O povo brasileiro é muito bom, já aturou muitacoisa, essa é nossa maior riqueza e fico muito feliz em poder levar a música até as pessoassimples”, declarou.O evento encerrou ao som do batuque do marabaixo que serviu de trilha sonora para odesmonte do primeiro palco.Hellen Cortezolli/Secom
  • 4. Notícias20/09/2011 18h03 - Atualizado em 20/09/2011 18h03 Peritos do Amapá buscam aprimoramento em Congresso de CriminalísticaDa RedaçãoDefinida a grade de programação do XXI CongressoNacional de Criminalística, evento que acontecerá noperíodo de 30 de outubro a 4 de novembro deste ano,na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, e doqual terão a chance de participar alguns peritos daPolícia Técnico-Científica do Amapá (Politec), como aperita Yumiko Okada, odontóloga atuante noDepartamento de Documentoscopia desde 1994,quando ingressou com a primeira turma de PeritosOficiais do Estado do Amapá.Sobre os conhecimentos adquiridos no campo dadocumentoscopia, Yomiko, conta que a experiênciamais interessante nesses 17 anos de atuação comoperita foi o estudo do caso de duas irmãs, numprocesso de transação de venda de um terreno, emvirtude do grau de dificuldade para identificar qual dasduas havia assinado o documento. "Não foi um casode falsificação, mas a caligrafia era muito parecida.Elas tiveram a mesma professora, a mãe, que tambémajudava nas lições e isso fez com que a semelhançana escrita não pudesse ser identificada facilmente",declara Yomiko. Estudo de verificação quanto à procedência do documento porQuanto às expectativas de participar do congresso no meio do microscópio com luzpróximo mês, a profissional objetiva e um pouco tímida rasante, inclinada a 45º capaz dediz que a oportunidade de ter acesso às palestras e analisar a força utilizadaoficinas ofertadas na ocasião servirão para facilitar otrabalho que já é desempenhado. "Como teremosacesso a vários palestrantes estrangeiros, aexpectativa maior é para os trabalhos que já temosconhecimento e a exposição de novas tecnologiasutilizadas na criminalística", justifica Yomiko Okada,japonesa naturalizada brasileira, residente no Amapádesde os 3 anos de idade.Na área da documentoscopia serão abordados examescientíficos de documentos, "En la escena del crimen" –apresentado pelo ex-chefe da Divisão Forense americana As análises de documentose do Serviço Secreto dos Estados Unidos, Antonio Cantú atualmente são desenvolvidas na(EUA), Determinação de Autoria Gráfica dos Escritos sede da PolitecMicrografados – Ana Mussoi e Lúcia Almeida (Instituto deCriminalística Carlos Eboli), Oficina de Documentoscopia:
  • 5. Proposta Experimental para a Validação de Novos Especialistas em Grafoscopia – AntônioCarlo Santos (Departamento de Polícia Federal) e Jesus Velho (USP), ConferênciaInternacional – Estudio del soporte y de las características del trazo em el papel mineral sinfibras – Magdalena Ezcurra (Espanha).Documentos com maior frequência na tentativa de falsificação no Amapá somam em suamaioria os de natureza de veículos e os de certificação de cartório. Perante a análise do olharacostumado do perito pode se determinar sua possível tentativa de estelionato. O exame servepara constatar se de fato houve falsificação.Yomiko Okada fala ainda de um caso do qual participou e descreve ter sido uns dos maisdifíceis de sua carreira, por causa da complexidade dos indícios. "Se tratava de um homicídiocom simulação de suicídio, onde uma carta surgiu após o início das investigações. Na verdadefoi um laudo que não era meu, apenas participei da análise e não me deixou à vontade. A cartafoi escrita com lápis de cor azul claro e deu muito trabalho até a conclusão", compartilha.Estas análises de documentos atualmente são desenvolvidas na sede da Politec, commicroscópio de luz rasante próprio, coisa que até pouco tempo não era possível em virtude dafalta de equipamentos, era preciso recorrer à Polícia Federal para executar um simples estudode verificação de procedência.DocumentoscopiaA documentoscopia faz parte da criminalística e se tratado estudo de documentos para a determinação de suaautoria ou verificação de autenticidade, quando aassinatura é questionável. A escrita é individual, resultadode estímulos produzidos pelo cérebro que criam formas emovimentos gráficos, inclusive a pressão sobre o lápis oucaneta no momento da escrita é única, como o DNA.Criminalística XXI Congresso Nacional deDisciplina do Direito Penal que tem como propósito Criminalísticadesvendar crimes e identificar criminosos.EstelionatoArtigo 171 do Código Penal Brasileiro, que caracteriza a tentativa ilícita de obter vantagem, emprejuízo alheio, induzindo alguém ao erro ou mediante artifício ardil. Falsificação de documentose/ou assinaturas, são crimes mais comuns do que se imagina.Hellen Cortezolli/Secom
  • 6. Notícias22/09/2011 17h51 - Atualizado em 22/09/2011 17h51 Governo e sociedade civil discutem a mobilidade urbana sustentávelDa Redação Fotos: Chico Terra O público presente teve a oportunidade de fazer perguntas aosNo Dia Mundial Sem Carro e Semana de Trânsito, órgãos ligados ao trânsito local, estudantes esociedade civil estiveram reunidos na manhã desta quinta-feira, 22, no Centro de ConvençõesJoão Batista de Azevedo Picanço, para tratar da mobilidade urbana sustentável, impulsionadospelo Movimento "Eu Quero Uma Ciclovia", que teve o apoio do Governo do Estado do Amapá.Na ocasião, os representantes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AP), EmpresaMunicipal de Transportes Urbanos (EMTU), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema),Secretaria de Estado da Juventude (Sejuv), Secretaria de Estado do Transporte (Setrap), PolíciaTécnico-Científica do Amapá (Politec) e Comando Geral da Polícia Militar (PMAP) participaramda mesa de debate mediada pelo publicitário Sérgio Cunha, engajado no movimento que éapartidário e sem fins lucrativos. Foram disponibilizados 15 minutos por participante para quefossem expostas suas considerações, e ao final algumas pessoas puderam fazer seusquestionamentos.Com o propósito de discutir melhorias viáveis ao sistema de trânsito amapaense, o coordenadordo Movimento "Eu Quero Uma Ciclovia", Henrique Gomes, que encabeça a iniciativa desde2008, destacou a importância de fomentar a discussão e fazer com que seja promovida areflexão quanto à qualidade de vida. "Esse debate tende a obter esclarecimentos sobre projetosfuturos acerca da mobilidade", declarou.As estudantes do ensino médio da Escola Estadual Gabriel de Almeida Café, Francineire Corrêae Safira Gomes, que assistiram ao debate, disseram que surgiu o interessou em participar parasaber o que muda no trânsito em benefício dos ciclistas. "Deveria mesmo ter um local exclusivopara ciclistas, se fosse assim até daria para ir à escola com segurança", observou Francineire,que costuma usar a bicicleta apenas como lazer.
  • 7. Já Safira Gomes alega que a insegurança com relação às vias e o atual comportamento dosveículos impedem que a bicicleta seja utilizada por ela como veículo de locomoção. "Eu moro noJardim Marco Zero, é muito perigoso vir de lá pedalando. Não tem espaço para o ciclista. Deveriater a mesma preocupação que existe com os deficientes físicos", salientou. O diretor presidente da Polícia Técnico- Científica (Politec), Odair Monteiro, fez sua contribuição ao debate com a descrição de um caso de atropelamento de uma ciclista, quando foi identificado o desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB). "A perícia constatou que a causa da morte de uma jovem de 15 anos, que trafegava em via pública com sua bicicleta, foi a transgressão do limite permitido entre um veículo e outro.É preciso lembrar a importância do trabalho da prefeitura e do governo do Estado emdesenvolver ações preventivas de mortes como esta, ao invés de apenas apontar culpados. Ogovernador Camilo Capiberibe tem esse posicionamento", argumentou o diretor Odair Monteiro,que destacou ainda o comprometimento como cidadão e conhecedor das dificuldades dosciclistas.O secretário de Estado da Juventude (Sejuv), Alex Nazaré, anunciou a divulgação via twitter doconvênio assinado pelo governador Camilo Capiberibe entre o Governo do Estado do Amapá e aPrefeitura Municipal de Macapá, no valor de R$ 650 mil, destinados à sinalização da cidade deMacapá. A notícia foi bastante aplaudida pelo público presente.O membro do Grupo de Ciclistas Avante, Hélio Araújo, reivindicou a construção de terminais paraestacionar as bicicletas, necessários para assegurar os bens de quem as utiliza para trabalhar eestudar. Como exemplo, citou cidades de países europeus adeptas da iniciativa e preocupadascom práticas econômicas para o deslocamento em centros urbanos.Um dado compartilhado durante o debate foi de que a frota de veículos que circula em Macapá jáultrapassa 100 mil unidades.No momento aberto aos participantes para fazer perguntas aos membros que compunham amesa, o educador socioambiental Gilmar Souza, carioca, residente no Amapá há 28 anos,destacou que plano diretor que contemple ciclovias sempre existiu em propostasgovernamentais. No entanto, segundo ele, o que falta é tirar os projetos do papel. Sua perguntafoi acerca do controle que aponte atualmente o número de ciclistas no Amapá. O coordenadortécnico do Detran/AP, Carlos Absalão, disse ser viável o cadastro para ciclistas.Público questiona a viabilidade do controle de ciclistasDia Mundial Sem CarroManifesto que visa à reflexão sobre os problemas causados pelo uso de automóveis como formade deslocamento nos grandes centros urbanos e seus danos à saúde e meio ambiente.Implantada nos primórdios do século 20 em algumas cidades da Europa, a iniciativa ganhouadeptos no mundo inteiro.Hellen Cortezolli/Secom
  • 8. Notícias29/09/2011 18h38 - Atualizado em 29/09/2011 18h38 Palco eclético, hotmoney e badminton são novidades na 48ª ExpofeiraDa RedaçãoAs obras no Parque de ExposiçõesEngenheiro Agrônomo Antônio Roberto Fotos: Antônio SenaFerreira da Silva, localizado na Rodovia JK,no Distrito de Fazendinha, foram aceleradasem razão da proximidade do início da 48ªExpofeira do Amapá, prevista paraacontecer no período de 21 a 30 de outubrode 2011.Na última segunda-feira, 26, estandes dafeira de oportunidades e shopping ruralforam finalizados. Os microempreendedoressorteados dos setores alimentício evestuário participaram de palestras eorientações quanto à formalizaçãoempresarial, pagamento de taxas, regras e Obras adiantadasobtenção de empréstimo (o Hotmoney).Novidades foram pensadas para atrair a sociedade amapaense à 48ª edição. O leilão deveráocorrer em pelo menos dois dias da programação, e foi articulado pela Agência deDesenvolvimento do Amapá (Adap) junto aos pecuaristas locais, que no ano anterior foi um ramode negócios desprestigiado.Contará ainda com espaços novos para shows, uma arena autônoma foi desenvolvida paraatrações de todos os gêneros musicais. "Serão palcos independentes criados pela Adap, comatrações ecléticas que vão desde sertanejo, músicas do passado, Música Popular Amapaensee Música Popular Brasileira, entre outras", relatou o coordenador de Projetos da Adap emembro da Comissão Organizadora da 48ª Expofeira, Sávio Barbosa. Uma solicitação do governador Camilo Capiberibe foi a presença da dupla sertaneja César Menotti & Fabiano pela ligação que tem com o município de Laranjal do Jari. Também confirmaram presença a banda de forró Saia Rodada e Michel Teló. Definida a contratação do parque de diversões nesta quinta-feira, 29, a montagem dos brinquedos acontecerá na próxima semana. Outra curiosidade é voltada à área do esporte. Haverá oficina de badminton, destinada ao público em geral,Sávio Barbosa - membro da Adap na ministrada por instrutor cedido pela Secretaria deComissão Organizadora da 48ª Expofeira Estado do Desporto e Lazer (Sedel).
  • 9. Arena independente para palcos com atrações ecléticasSerão montadas quatro quadras designadas para a prática do esporte semelhante ao tênis,praticado com raquete e peteca, cujo número de adeptos tem se sobressaído na capitalamapaense.Para a realização dos rodeios e de alguns shows, o Governo do Amapá firmou convênio com aFederação Nacional de Rodeio para baratear os custos.HotmoneyFinanciamento da Agência de Fomento do Amapá (Afap), no valor mínimo de R$ 100 a R$ 6 mil,que servirá como capital de giro para os microempreendedores (ambulantes) que irão atuar noevento, inclusive para custear o espaço no Parque de Exposições.BadmintonEssa modalidade desportiva existe há mais de dois mil anos e é considerado o mais rápidoesporte de raquetes com peteca, cujo alcance da velocidade pode chegar a até 70 km/h.Hellen Cortezolli/Secom
  • 10. Notícias07/10/2011 11h07 - Atualizado em 07/10/2011 11h07 Amapá está fora do quadro crítico que atinge a perícia nacionalDa Redação Quantitativo de peritos no BrasilRecentemente uma emissora de TV de repercussão nacional fez levantamento sobre a crise naárea da medicina forense no Brasil e os dados apresentados comprovam o déficit nos estadosdo Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. Vale ressaltar que a PolíciaTécnico-Científica do Amapá (Politec) não se enquadra nesses arquétipos de carência.No fim do mês de abril de 2011 foi assinado um Termo de Cooperação Técnica entre Amapá eMaranhão para que os peritos maranhenses pudessem fazer exames de DNA, já que seu estadode origem não dispõe de laboratórios próprios para a execução das análises necessárias. Emagosto deste ano, autoridades do Estado do Acre também solicitaram aos especialistas daPolitec auxílio na investigação de um caso de homicídio.Isso comprova que o Amapá, além deter uma equipe composta por 187peritos, dentre os quais estão 03Peritos Criminais, 06 Auxiliares dePerito Criminal, 20 Datiloscopistas, 03Médicos Legistas, todos do quadroFederal do Ex-Território e Estaduais(70 Peritos Criminais, 06 PeritosOdontolegistas, 31 Técnicos Periciais,30 Papiloscopistas, 18 MédicosLegistas), tem à disposiçãolaboratórios que contribuem para aceleridade na emissão de laudospericiais. Perito de balística, Armando AlvesO presidente da Associação Brasileira de Criminalística, Iremar Paulino, sustenta que o Brasildeveria ter um profissional abalizado para cada 5 mil moradores. O atual quantitativo deprofissionais é de 6,5 mil ou 1 para cada 30 mil habitantes
  • 11. Diante da equipe atuante no país, é possível avaliar como positivo o percentual de 2,9% deperitos forenses em exercício no Amapá, que é um dos estados menos populosos do país, com684,3 mil habitantes, que equivalem a 0,4%, segundo dados divulgados em 31 de agosto de2011 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "A nossa estrutura de trabalhoestá muito longe da escassez em que os colegas do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio deJaneiro e Paraná têm de lidar todos os dias", aponta o técnico pericial e chefe da Divisão deApoio Administrativo da Politec, Roberto Serrão.Os equipamentos aos quais os profissionais da área atuantes no Amapá têm acesso vão desdeaparelho microscópio de alta capacidade, kits forenses (que contêm GPS, netbook, trena comlaser digital, máquina fotográfica, material de coleta, lupas e jogo de lanternas) amicrocomparador balístico, custeados por verba da bancada federal no valor de R$ 11,5 milhõesdestinados à aquisição de mecanismos utilizados pela Medicina Legal. Os recursos disponíveisno Governo do Amapá não seriam suficientes para aprovisionar a Politec.Armando Alves integra a equipepericial desde 1994, com a primeiraturma de Peritos Oficiais do Estado doAmapá e compartilha suasexperiências como quem vivenciou defato os percalços no exercício dafunção e hoje descreve de maneiraapaixonada sua relação com otrabalho."Antes da aquisição domicrocomparador balístico, para obteros resultados dos exames de balísticaera preciso ir até Belém (PA). Quandofinalmente, após 15 anos de espera, Microcomparador balísticoo microcomparador é uma realidade da qual dispomos e para manuseá-lo fui a Brasília (DF)receber treinamento. Isso facilitou muito nosso trabalho, atualmente os exames são feitos emMacapá", descreve o perito em balística, que ainda explica com detalhes como os exames sãoefetuados até o arquivamento dos diagnósticos.Ainda é necessário um laboratório para o estudo de crimes cibernéticos, uma vez que háprofissionais capacitados e espaço para a implantação. Quanto ao maquinário, um projeto noqual ele é contemplado já foi elaborado e se espera para o próximo ano que seja adquirido.Hellen Cortezolli/Secom
  • 12. Notícias14/10/2011 20h06 - Atualizado em 14/10/2011 20h06 Concluído o Curso de Qualificação Profissional para monitores do Museu SacacaDa RedaçãoO Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), por intermédiodo Centro de Pesquisas Museológicas - Museu Sacaca, em parceria com o Comando do Corpode Bombeiros do Amapá (CBM/AP), concluiu a segunda etapa do Curso de QualificaçãoProfissional para os monitores e demais servidores da instituição.A capacitação, ministrada pelo subtenente Willians Arel e o sargento Lúcio Silveira, do Corpo deBombeiros, teve início no último dia 10 e encerrou nesta sexta-feira, 14, com aula prática debrigada de atendimento pré-hospitalar e combate a incêndio."Os conhecimentos adquiridos por essa equipe, que fez mais do que receber informações, masse mostrou muito participativa desde o início das atividades, vão além da segurança do nossoambiente de trabalho. É um aprendizado de vida para salvaguardar nossos familiares e aspessoas que convivem conosco", garante a monitora do Museu Sacaca, Elaina Araújo, aindaofegante depois de fazer parte da simulação de resgate.De acordo com a diretora do Museu Sacaca, Mônica Dias, o investimento em mão de obraqualificada para melhor atender a população amapaense que buscar conhecimentos, atende apolítica de governo que investe, sobretudo, no fomento da identidade do povo da Amazônia.Hellen Cortezolli/Secom
  • 13. Notícias17/10/2011 11h31 - Atualizado em 17/10/2011 11h31 Polícia Militar promove a II edição das Olimpíadas da Melhor IdadeDa Redação Aconteceu na manhã desta segunda-feira, 17, a abertura da segunda edição das Olimpíadas da Melhor Idade, iniciativa da Polícia Militar do Amapá (PM/AP), por intermédio do 4º Batalhão (STN), com o apoio da Vice-Governadoria, Prefeitura de Santana e empresariado local. Durante a cerimônia o comandante da corporação do município de Santana, tenente-coronel Aclemildo dos Santos, recepcionou os atletas e representantes das entidades e destacou a importância daProjeto Vida Feliz do 4º Batalhão da PM qualidade de vida aos idosos e valorizaçãode Santana conta com a participação de necessária por parte da sociedade às pessoasmais de 500 idosos acima de 60 anos.Após o pronunciamento das autoridades presentes, foi feito a juramento do atleta e acionado osino para o início das atividades esportivas.Após a solenidade de abertura os atletas fizeram o juramento e iniciaram as atividadesesportivasToda a estrutura utilizada é do 4º Batalhão e participam da ação mais de 500 idosos cadastrados,150 são do projeto Vida Feliz, os demais fazem parte da Casa da Amizade de Santana,Associação Agita Santana e Associação Sol Nascente.Dentre as atividades destinadas aos atletas estão: caminha terrestre, bolichebol, natação, acerteo alvo, voleibol adaptado, troca de coluna, baralho, dominó, dama, chute a gol e bola ao cesto."Esperamos para o ano de 2012 a construção do novo prédiopara o 4º Batalhão, que atualmente atende ao contingente de250 policiais, conforme projeto apresentado ao governadorCamilo Capiberibe, onde será possível atender o maiornúmero de participantes e da melhor maneira possível",destacou o comandante do 4º Batalhão, Aclemido dos Santos.A solenidade de encerramento das Olimpíadas será nopróximo sábado, 22, às 20h, com reunião dançante.Olimpíadas melhoram qualidade de vida e valorizam as Fotos: Antônio Senapessoas acima de 60 anosContrapartidaPara a construção do novo prédio para o 4º Batalhão, o Governo do Amapá dará a contrapartidade R$ 450 mil. O projeto, cujo complexo vai abrigar o setor administrativo, Corpo da Guarda,área para treinamento com academia e ponto de abastecimento de combustível, contará aindacom mais espaços para os projetos sociais, com piscina, quadra esportiva e auditório.Hellen Cortezolli/Secom
  • 14. Notícias20/10/2011 16h43 - Atualizado em 20/10/2011 16h43 Servidores da Politec recebem habilitação em Gestão de Perícia CriminalDa Redação Fotos: Chico TerraOcorreu na manhã desta quinta-feira, 20, no auditório da Polícia Técnico-Científica do Amapá(Politec), o início do Curso de Gestão em Perícia Criminal destinado a todos os funcionários dainstituição e ministrado pelo perito criminalístico engenheiro, Áureo Luiz Figueiredo Martins, doRio Grande do Sul.A habilitação consiste em expor técnicas de planejamento em gerência final designadas a serempraticadas pelos funcionários da instituição. O término da capacitação está previsto paraacontecer no próximo sábado, 22.Na ocasião, foram abordadas as dificuldades detectadas pelos peritos em todo o Brasil. E,portanto, apontada a necessidade de planejamento e execução do orçamento herdado dagestão anterior. Deste modo é possível evitar que equipamentos e outras aquisições sejamdesperdiçados e assim evitar que os servidores sejam penalizados com a escassez de recursos,conforme pode ser identificado nos estados do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio deJaneiro e Paraná, em recente veiculação na mídia.Informações de como planejar em longo prazo foram compartilhadas pelo palestrante com opúblico presente. "Somente a partir do terceiro ano é que os funcionários começam a perceberas melhorias quanto aos investimentos da instituição, depois da metade do quarto ano não épossível adquirir mais nada, em razão do fechamento do exercício de governo. Por isso é tãoimportante saber como delinear com eficácia as ações para um período de 8 a 12 anos",enfatizou Áureo Martins.
  • 15. As discussões sobre a administração dos recursos públicos para a classe da perícia legal sefizeram pertinentes depois da amplitude do debate sobre as condições de trabalho dos peritosem todo o país, e também em razão da proximidade do XXI Congresso Nacional deCriminalística, II Congresso Nacional de Peritos Criminais Federais, IV Congresso Internacionalde Perícia Criminal, XXI Exposição de Tecnologias Aplicadas à Criminalística que acontecerá noperíodo de 30 de outubro a 4 de novembro de 2011, na cidade de Gramado, no Estado do RioGrande do Sul. Evento este de grande importância do qual os peritos da Politec terão aoportunidade de participar neste semestre.CurrículoÁureo Luiz Figueiredo Martins é peritocriminalístico engenheiro. Foi diretoradministrativo do Instituto Geral de Perícias daSecretaria de Segurança Pública do Rio Grandedo Sul no período de 1998 a 1999 e diretor-geraldo Instituto Geral de Perícias de 2003 a 2010.Hellen Cortezolli/Secom Palestrante Áureo Luíz Figueiredo Martins
  • 16. Notícias20/10/2011 17h52 - Atualizado em 20/10/2011 17h52 Polícia Técnico-Científica do Amapá fará simulações na 48ª ExpofeiraDa RedaçãoCom o propósito de melhor informar a sociedade amapaense quanto ao trabalho desempenhadopelos peritos forenses, que vai além da emissão de carteiras de identidade e análises dos locaisde acidentes de trânsito, como é comumente associado pela maioria das pessoas, a PolíciaTécnico-Científica do Amapá (Politec) terá um estande na 48ª Expofeira Agropecuária doAmapá, onde irá simular cenas comuns ao cotidiano dos peritos.No espaço, reservado próximo ao estande da Polícia Militar do Amapá (PM/AP), os profissionaisfarão a demonstração de isolamento de locais de crimes, com a apresentação dos elementos desegurança e uso de alguns equipamentos utilizados pelos peritos em situações requerentes,como o luminol, para identificação de sangue latente. E também a apresentação dos kitsforenses (que contêm GPS, netbook, trena com laser digital, máquina fotográfica, material decoleta, lupas e jogo de lanternas), que foram adquiridos com recursos federais."Queremos oportunizar à sociedade amapaense conhecimentos sobre o trabalho da perícia deuma forma mais dinâmica, a partir da demonstração de uma cena de crime, por exemplo, e levarexplicações de como é o trabalho dos peritos nas mais diversas áreas onde eles atuam",ressalta o diretor presidente da Politec, Odair Monteiro.As informações das quais a população terá acesso irão contribuir com o trabalho dos peritos, jáque, muitas vezes, as cenas de crimes ou acidentes são maculadas porque as pessoas nãosabem como agir.Kits forensesOs kits forenses custaram ao governo federal R$ 15.500,00 cada, sem ônus para o Governo doAmapá.Hellen Cortezolli/Secom
  • 17. Notícias20/10/2011 19h08 - Atualizado em 20/10/2011 19h08 Público amapaense também poderá acompanhar a 48ª Expofeira através do site e redes sociaisDa RedaçãoNa véspera do início da 48ª Expofeira Agropecuária do Amapá, confirmada para acontecer nestasexta-feira, 21, no Parque de Exposições da Fazendinha, localizado na Rodovia JK, o site criadopela Agência de Desenvolvimento do Amapá (Adap) está em pleno funcionamento.Com mais de 7 mil acessos, o endereço eletrônico www.amapaexpofeira2011.com disponibilizarátodas as informações sobre o maior evento multissetorial da Região do Platô das Guianas.Oportunidade responsável por projetar as potencialidades locais e, com isso, atrair novosinvestidores para o Estado.A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) ficou encarregada de alimentar o ambientevirtual com notícias que serão linkadas à Agência Amapá de Notícias, como tem sido feito desdeo início do mês de outubro, sobre os trabalhos executados por todas as instituições envolvidas.No site estão arquivos disponíveis para download, bem como a apresentação da 48ª edição,notícias, planta do ambiente físico, metas, agenda, galeria de imagem, regulamento eprogramação.Os internautas poderão acompanhar a 48ª Expofeira Agropecuária do Amapá também pelasredes sociais: twitter (@amapaexpofeira) e fanpage no facebook Amapá Expofeira 2011.Hellen Cortezolli/Secom
  • 18. Notícias21/11/2011 10h11 - Atualizado em 21/11/2011 10h11 Abertas as inscrições para a III Semana Amapaense de Ciências ForensesDa RedaçãoCom o propósito de gerar discussões pertinentes à rotina de operadores em segurança pública,membros do Judiciário, estudantes e cientistas forenses estaduais e federais, o Governo doAmapá, por intermédio da Polícia Técnico-Científica do Amapá (Politec) e em conjunto com aAssociação Amapaense de Peritos Oficiais (AAPO) e a Associação Nacional dos PeritosCriminais Federais (APCF), promovem a III Semana Amapaense de Ciências Forenses, queiniciará na próxima quarta-feira, 23, a partir das 8h30, no Espaço Político Social, localizado naavenida Desidério Antônio Coelho, 1867, bairro Buritizal.Além dos fóruns de discussões, a proposta é alusiva ao Dia do Perito, comemorado em 4 dedezembro. Os cientistas forenses, pesquisadores e médicos-legistas responsáveis por ministrarpalestras, conferências e mediar os debates apresentarão trabalhos desenvolvidos no Brasil queabordem as mais diversas áreas onde atuam os profissionais da medicina legal.Haverá também estudo dos casos criminais de repercussão local e nacional e as principaistecnologias utilizadas na elucidação de investigações forenses.A Entomologia Forense, Balística Forense, DNA, Toxicologia Forense, Perícia Ambiental,Fonética Forense, Crimes Contra a Vida, Identificação Veicular, Perícias Contábeis, OdontologiaLegal e esclarecimentos sobre as verdades e mentiras das investigações do CSI serão temasdesenvolvidos ao longo do período que se encerrará no dia 25 de novembro de 2011.AdicionaisCarga horária: 24hEstudantes e outros profissionais: R$ 50,00Funcionários da Politec-AP e da Polícia Federal são isentos da taxa.Inscrição aqui.Hellen Cortezolli/Secom
  • 19. Notícias23/11/2011 18h55 - Atualizado em 23/11/2011 18h55 III Semana Amapaense de Ciências Forenses inicia com debates e público significativoDa Redação Fotos: Chico TerraAs melhorias da área da perícia legal estão sintetizadas em dois pontos, que juntos resultam nobom funcionamento do trabalho técnico: estrutura e qualificação. As provocações para que sediscuta amplamente sobre o tema de interesse de profissionais, acadêmicos e demaisinteressados na ciência forense, foram retomadas na manhã desta quarta-feira, 23, na aberturada III Semana Amapaense de Ciências Forenses, que reuniu representantes do Brasil e daGuiana Francesa no Espaço Político Social.O perito criminal e diretor presidente da PolíciaTécnico-Científica do Amapá (Politec/AP), OdairMonteiro, deu início às considerações com oscumprimentos aos acadêmicos presentes ecompartilhou as motivações que o levaram a optarem seguir carreira como perito criminal, a qualexerce há nove anos.O capitão e coordenador do Centro Francês deCooperação Policial Brasil/França, DuarteFernandes, salientou a importância doestreitamento dos laços de parceria e amizadeentre os dois países em razão da ponte binacional Diretor presidente da Polícia Técnicoe, por conseguinte, o clima de segurança que deve Científica do Amapá, Odair Monteirohaver, apesar das diferenças das leis das naçõesenvolvidas.
  • 20. A presidente da Associação Amapaense de Peritos Oficiais (AAPO), Márcia Simone AmaralLobato, falou sobre a necessidade da aquisição de tecnologias que garantam a excelência doatendimento humanizado à sociedade. O delegado da Polícia Federal e oficial de ligação doBrasil na Guiana Francesa, Miguel Senna, enfatizou o comportamento de pessoas que cometemdelitos na fronteira."A fronteira para o crime não existe. As leis e os sistemas são diferentes. Há a necessidade deacelerar a integração entre os dois países, e esse processo já começou com a ponte binacionale a pavimentação da BR-156", descreveu Senna.O diretor presidente do Departamento daPolícia Técnico-Científica do Acre (DPTC/AC),Haley Márcio Vilas Boas, explanou sobre ascondições precárias do setor em seu Estado deorigem e, em seguida, apresentou as melhorias,dentre elas a despapelização, que elimina opapel e transforma tudo em arquivo digital.O delegado e presidente da Associação dosDelegados de Polícia Civil do Amapá, FábioAraújo, expôs a importância da perícia para o Perito Criminal e diretor do DPTC/AC, Haleyinquérito policial e concluiu o primeiro módulo Márcio Vilas Boas ministrou a palestra sobrede palestras. Modernização da Parícia Científica do AcreVale lembrar que os fóruns de debates têm o propósito de orientar a sociedade de comocontribuir com a execução satisfatória da perícia técnica, iniciativa esta do Governo do Amapá,por intermédio da Polícia Técnico-Científica, que, em conjunto com a Associação Amapaense dePeritos Oficiais (AAPO) e Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), darãocontinuidade ao evento, que encerrará nesta sexta-feira, 25, com a mesa-redonda que abordaráo tema "Casuística das Mortes violentas no Amapá".Hellen Cortezolli/Secom
  • 21. Notícias25/11/2011 7h48 - Atualizado em 25/11/2011 7h48 Polícia Militar do AP comemora 36 anos com o concerto "O Som de todas as ForçasDa RedaçãoA Fortaleza de São José de Macapá foi o local escolhido para neste sábado, 26, a partir das 18h,abrigar as bandas de música da Polícia Militar, do 34º Batalhão de Infantaria de Selva, do Corpode Bombeiros, da Guarda Municipal e contar ainda com a participação especial do cantor esecretário de Cultura, Zé Miguel, que reunidos festejarão os 36 anos da instituição.Após intensa programação até finalmente o dia 26, quando é comemorado o aniversário daPolícia Militar do Amapá (PM/AP) o concerto intitulado "O Som de Todas as Forças" agregará oscomandantes e membros das corporações participantes do concerto, o presidente da Federaçãodo Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amapá (Fecomércio/AP), Manoel Mandi,empresários locais, o juiz Marconi Pimenta, familiares dos militares e demais membros dacomunidade amapaense.Além de celebrar com a força auxiliar, os convidados terão a oportunidade de doar às famílias emsituação de risco social uma lata de leite, arrecadadas pela instituição que serão entregues àsdestinatárias posteriormente.HistóricoA Polícia Milita do Amapá foi criada em 26 de novembro de 1975, inicialmente com o nome dePolícia Militar do Território Federal do Amapá, de acordo com a Lei n° 6.270, após a extinçãogradual da Guarda Territorial do Amapá.Sua principal atribuição é o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública no Estadodo Amapá. Ela é Força Auxiliar e Reserva do Exército Brasileiro e integra o Sistema deSegurança Pública e Defesa Social do Brasil.Hellen Cortezolli/Secom
  • 22. 25/11/2011 8h00 - Atualizado em 25/11/2011 8h00 VII Reunião Transfronteiriça discute estratégias para segurança públicaDa Redação Pauta do primeiro dia do encontro versou sobre ação onde questões sociais e econômicas possam ser agregadas, a partir da atuação do Governo do Amapá.Um dos desafios da VII Reunião da Comissão Mista de Cooperação Transfronteiriça (CMT) queteve início nesta quinta-feira, 24, no que concerne à segurança pública, foi discutir estratégias deação onde as questões sociais e econômicas possam ser agregadas, a partir da atuação doGoverno do Amapá, representado pelos órgãos fiscalizadores no combate à extração ilegal devegetais, animais e minerais.O quarto e último item debatido no dia, dos sete tópicos versados na reunião, atinge diretamenteos povos das nações brasileira e francesa. Os membros da comissão brasileira apresentaram oposicionamento frente à ação coibidora do garimpo e pesca ilegais, defesa civil, tráfico deentorpecentes e de pessoas.O representante da segurança pública do Estado do Amapá, Amauri Suzarte, citou a estratégianacional de fortalecimento da segurança na fronteira do Brasil que recentemente estabeleceu umacordo de adesão para todos os 11 estados brasileiros que têm área fronteiriça.Segundo ele, no próximo dia 8 de dezembro, em Brasília (DF), será assinado o Acordo deAdesão à Estratégia Nacional de Fronteiras, onde está previsto para os próximos três anos uminvestimento de cerca de R$ 10 milhões voltados ao fortalecimento da segurança pública nafronteira de Oiapoque."Foi aprovado junto à Secretaria Nacional de Segurança Pública projeto na ordem de R$ 1,750milhão para ser investido no fortalecimento da segurança pública na área de fronteira, parte para
  • 23. as pesquisas da área criminal da Polícia Técnico-Científica, Polícia Civil e Polícia Militar. Aindaneste recurso, foram alocados investimentos para o Centro Integrado de Inteligência dos órgãosoperativos de segurança pública", pontuou Suzarte.O diretor-presidente do Instituto Estadual de Ordenamento Territorial de Meio Ambiente do Amapá(Imap), Maurício Souza, relembra que em julho deste ano o Governo do Amapá reativou umabase do Imap no município de Oiapoque, quando iniciou ações em conjunto com a PolíciaFederal, a Força Nacional e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos NaturaisRenováveis (Ibama), com atividades de combate À exploração ilegal. Uma parcela da populaçãose encontra em desconformidade com as leis por não ter buscado a regularização, assimpermanece na clandestinidade.O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, reiterou a essência da necessidade dos debatesfomentados entre o Brasil e a França."Essa comissão existe para resolvermos as nossas pendências, nossos problemas eencontrarmos soluções que possam nos aproximar", destacou, encerrando os trabalhos.AlinhamentosFicou acordado com o capitão e coordenador do Centro Francês de Cooperação PolicialBrasil/França, Duarte Fernandes, juntamente com o agente da Polícia Federal e oficial de ligaçãodo Brasil na Guiana Francesa, Miguel Senna, um estudo de como irá avançar a criação do Centrode Cooperação Policial (CCP). Foi proposto também que houvesse audiências públicas para quea sociedade amapaense possa conhecer os termos do acordo.A ação do Estado se limita à fiscalização que é sensível aos órgãos federais. Todavia, umcontingente de 100 homens que irão concluir o curso de formação na Academia de Polícia, nomês de janeiro de 2012, será enviado ao Batalhão de Polícia Militar de Oiapoque para fortalecera fronteira.Tópicos contemplados no debateCriação do Centro de Cooperação Policial (CCP);Cooperação Judiciária;Cooperação para o combate ao garimpo legal;Proteção dos recursos pesqueiros e combate à pesca ilegalPrevenção e repressão de drogas ilícitasHellen Cortezolli/Secom
  • 24. Notícias25/11/2011 21h46 - Atualizado em 25/11/2011 21h46 VII Reunião Transfronteiriça encerra com otimismo no desenvolvimento da relação francoamapaenseDa RedaçãoA VII Reunião da Comissão Mista de Cooperação Transfronteiriça Brasil/França (CMT) encerrouno fim da tarde desta sexta-feira, 25, no Ceta Ecotel, onde durante dois dias membros dascomitivas do Brasil e da França não mediram esforços do ponto de vista físico e intelectual, dadaa necessidade requerida pelos temas que interferem diretamente na vida dos povos do Amapá eGuiana Francesa.Foram apresentados os problemas e possíveis soluções para a infraestrutura, integração,segurança, cultura, educação, saúde, tecnologia, meio ambiente, turismo e agricultura.Outra reunião está confirmada para acontecer no dia 8 de dezembro, na Guiana Francesa, e irátratar de como os dois países vão operar nas ações jurídicas e práticas da migração.Algumas definições e assinaturas de acordos puderam ser agendadas para ocorrer ainda noprimeiro semestre de 2012. Como justificou a representante do Ministério da Saúde, SôniaDamasceno, sobre a aprovação do projeto que contempla HIV/Aids, tuberculose, dengue,malária, urgência e emergência, que será assinado na segunda semana de fevereiro, pelosubgrupo que se reunirá no mesmo período.Sônia explicou ainda que não foi possível fazê-lo na VII CMT, em razão da ausência de tempohábil para os trâmites necessários na execução. Todavia, enfatizou a aprovação da declaraçãode entendimentos para a integração de fronteira dos serviços de saúde.O embaixador da França no Brasil, Yves Saint-Geours, após se pronunciar em francês e fazerum retrospecto sobre tudo que foi abordado pelas autoridades no tempo em que estiveramreunidos, agradeceu em português a recepção e deu ênfase a impressão que leva deste novomomento da relação froncoamapaense. Segundo ele, todos desempenharam a tarefaimportante, útil e que podem considerar um futuro otimista.Outros resultados positivos puderam ser constatados a partir do diálogo entre os dois países.Sobretudo, a franqueza e disposição com que pontos delicados puderam ser debatidos. Ogovernador do Amapá, Camilo Capiberibe, no discurso de encerramento, ressaltou anecessidade da conversação entre partes com interesses comuns."Tivemos de fato, dois dias de intenso trabalho e profunda reflexão sobre a nossa convivência nafronteira do Brasil com a Guiana Francesa. Não entendíamos a Guiana, e hoje em dia, com aestrada, ponte, e tudo que foi construído, começamos a dialogar para nos compreendermos.Isso faz parte do processo de construção", concluiu.A VII CMT foi organizada pelo Governo do Amapá, representado pela Agência deDesenvolvimento do Amapá (Adap).Hellen Cortezolli/Secom
  • 25. Notícias07/12/2011 21h48 - Atualizado em 07/12/2011 21h48 Laudo de DNA é emitido em apenas cinco dias após tragédia no trânsitoDa RedaçãoA Polícia Técnico Científica do Amapá (Politec) divulgou nesta quarta-feira, 7, o laudo com aidentificação de sete, das oito pessoas vitimadas pela colisão frontal entre dois veículos, ocorridana tarde da última sexta-feira, 2, no km 397 da BR- 156, próximo ao município de Amapá.O choque entre os carros de pequeno porte que trafegavam em sentidos opostos resultou noincêndio, responsável por carbonizar os corpos e dificultar a identificação das vítimas.Com base em pequenas quantidades de DNA, obtidas por amostras de tecido, análises dasarcadas dentárias e estudos de outras características particulares, foi possível obter a identidadedas pessoas.Nesta segunda-feira, 5, foram extraídas pequenas amostras de material genético dos familiarespara a comparação. "Os exames terão continuidade até que seja possível a comprovação daoitava vítima, um bebê de aproximadamente 1 ano, do qual poucos padrões de genes puderamser extraídos em razão da intensidade das queimaduras", explicou o perito da Politec, PabloAbdon.O Governo do Amapá lamentou a tragédia e, por intermédio da Secretaria de Estado da Inclusãoe Mobilização Social (SIMS), garantiu o traslado dos corpos, a estrutura para os funerais e aliberação dos atestados de óbitos.Hellen Cortezolli/Secom