Sua historia familiar a liahona ago2003

455 views
411 views

Published on

Aliahona Agosto de 2003 - Elder Boyd K. Packer

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
455
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sua historia familiar a liahona ago2003

  1. 1. Sua História Familiar Como Começar P R E S I D E N T E B OY D K . PA C K E R no que estávamos fazendo. As coisas come- Presidente em Exercício do Quórum çaram a se encaixar. dos Doze Apóstolos Quando dei uma atenção especial a esse H á vários anos, a irmã Packer e eu assunto durante minhas viagens pela Igreja, decidimos colocar nossos registros ouvi muitos testemunhos. Outras pessoas em ordem. No entanto, com a pres- que estavam organizando seus registros são das responsabilidades da Igreja, minhas estavam tendo experiências semelhantes. viagens pelo mundo, e as obrigações envol- Era como se o Senhor estivesse esperando vendo nossa grande família, além da casa que começássemos. para cuidar tanto dentro quanto fora, sim- Encontramos coisas que queríamos saber plesmente não havia tempo suficiente para há muito tempo. As informações que procu- dar conta de tudo. Mas estávamos descon- rávamos chegaram a nós facilmente. Mais do Se você não sabe por tentes por não estar cumprindo nossa res- que isso, coisas que jamais havíamos sonhado onde começar, comece ponsabilidade para com a história da família existir começaram a aparecer. Começamos a por você mesmo. Se e finalmente decidimos que arranjaríamos aprender por experiência própria que essa não sabe que registros um jeito de cuidar desse assunto durante pesquisa em nossa família é um trabalho ins- juntar e onde encontrá- o dia. pirado. Vimos que as pessoas que trabalham los, comece com os que Começamos no feriado do Natal, quando nesse assunto recebem inspiração. É questão você tem. tivemos um pouquinho mais de tempo livre. de começar. Depois, ao voltarmos para a rotina após o Uma vez iniciado o trabalho, arranjamos feriado, criamos o hábito de levantar todos tempo. De modo inexplicável, conseguimos os dias uma ou duas horas mais cedo. dar conta de todas as outras responsabilida- Juntamos tudo o que tínhamos, e no des. Parecia haver uma inspiração cada vez decorrer de algumas semanas, ficamos maior em nossa vida por causa desse trabalho. assombrados com o que conseguimos reali- ILUSTRAÇÕES DE JOSEPH ALLEMAN zar. A coisa mais impressionante, contudo, O Caminho se Abre Quando Começamos foi o fato de que começamos a ter expe- Mas a decisão, a ação, deve partir do indi- riências que nos mostraram que de alguma víduo. O Senhor não vai interferir no nosso forma estávamos sendo guiados, que havia arbítrio. Se queremos um testemunho do pessoas além do véu que estavam interessadas trabalho no templo e da história da família,12
  2. 2. precisamos fazer algo a respeito disso. Aqui antes que ela morresse. Por alguma razão, S e começarmosestá um exemplo do que acontece quando todos na família decidiram que esse irmão (o de onde estamosvocê toma essa decisão. único que era membro da Igreja) deveria ser — cada um com Certa vez, fui a uma conferência na a pessoa que a acompanharia nessa viagem à seus registros, comoEstaca Hartford Connecticut. Todos os Itália. nós fìzemos — e semembros receberam, três meses antes, a Imediatamente, então, ele se viu vol- começarmos a colocá-designação de falar a respeito do trabalho tando ao lar de seus antepassados. Uma los em ordem, asde história da família. Um deles era conse- porta fora aberta! Enquanto esteve na coisas irão se encai-lheiro da presidência, mas foi chamado Itália, visitou a paróquia onde sua mãe foi xar como devem.como patriarca naquela conferência. Ele batizada e também a paróquia onde seurelatou um incidente interessante. Contou que enquanto nãofora “convertido” ao trabalho dehistória da família, não conse-guira começar. Quando recebeua designação de preparar a histó-ria de sua vida baseando-se emseus próprios registros, não con-seguiu encontrar nada sobre suainfância e juventude, exceto suacertidão de nascimento. Ele eraum dos 11 filhos de um casalde imigrantes italianos. Era oúnico membro da Igreja emsua família. Para cumprir a designação,tentou reunir tudo o que tinhasobre sua vida. Pelo menos, estavacomeçando, mas simplesmentenão sabia que rumo tomar. O quefez foi lembrar-se de fatos quetinha na memória e juntar algunspoucos registros. Então ocorreu algo muito inte-ressante. Sua mãe, já bem idosaque morava num asilo, tinha umgrande desejo de voltar à suaterra natal na Itália. Finalmente,por ela estar obcecada pela idéia,os médicos acharam que nãoganhariam nada se a impedissemde realizar essa viagem, e a famíliaresolver conceder-lhe esse desejo A LIAHONA AGOSTO DE 2003 13
  3. 3. pai fora batizado. Encontrou muitos paren- Mas isso não é tudo. Quando veio a Salt U m homem via- jou para a tes. Viu que os registros da paróquia che- Lake City para a conferência geral, ele voltou terra natal gavam há 500 anos. Foi também até à pelo Colorado, onde moravam muitos de de seus antepassa- prefeitura para olhar os registros e encon- seus parentes. Sem muita dificuldade, foi dos e encontrou trou pessoas muito cooperativas lá. O fun- feito o planejamento de uma reunião de muitos parentes. cionário disse-lhe que, no verão anterior, família que ocorreu pouco tempo depois. Encontrou também um seminarista e uma freira tinham estado E depois, como sempre acontece, alguns a paróquia onde lá a procura de registros da família desse de seus parentes — tios e tias, irmãos e sua mãe foi bati- irmão e disseram que estavam coletando irmãs — começaram a fornecer-lhe fotogra- zada e a paróquia dados para a história da família. Esse irmão fias e informações sobre sua vida que ele onde seu pai tam- ficou sabendo o nome da cidade onde eles nunca soube que existissem. E como sem- bém foi batizado. moravam e seguiu essa direção. Descobriu pre acontece, ele viu que este é um traba- Os registros chega- também que havia uma cidade na Itália lho inspirado. vam há 500 anos. cujo nome era igual ao seu sobrenome. O Senhor o abençoará uma vez que come- çar a realizar essa obra. Isso tem sido muito evidente em minha família. Desde a época em que decidimos que começaríamos de onde estávamos, com o que tínhamos, muitas portas se abriram. Certa ocasião, levei à Sociedade Genealógica oito livros grossos de história da família com 6.000 registros de grupos familiares. Um trabalho bastante profissio- nal, tudo sobre a família Packer. A obra foi compilada por Warren Packer, nascido em Ohio, luterano e professor de escola. Ele passou 30 anos fazendo esse trabalho, sem saber realmente porquê. Hoje, mais dois volumes foram acrescentados à coleção. Hoje ele sabe porque se envolveu nesse tra- balho durante todos esses anos. Ele tinha realmente o espírito dessa obra. Nós também tivemos essa oportunidade de encontrar e conhecer a terra natal da família Packer na Inglaterra. Muitas das gran- des prefeituras da Inglaterra foram abertas ao público nos últimos anos. Essa, no entanto, não foi. Fica cerca de 15 minutos de carro do Templo de Londres Inglaterra, e foi feita no local de um antigo castelo, cer- cado por um fosso. Está do mesmo jeito que era em 1600. Os retratos de nossos antepas- sados estão pendurados no local onde foram14
  4. 4. colocados há 300 anos. Nesse lugar há uma de começar. Aqui está o que você pode C oisas muitopequena capela. Dentro dela há um vitral fazer: interessantescom o brasão da família Packer que foi colo- Pegue uma caixa de papelão. Qualquer vão começarcado lá em 1625. caixa serve. Coloque em algum local visível, a acontecer quando As coisas vão surgindo quando começa- talvez em cima do sofá ou na cozinha — você mostrar inte-mos a trabalhar. Ainda não somos, de forma qualquer lugar que não passe despercebida. resse no trabalho dealguma, especialistas em pesquisa de história Durante algumas semanas, reúna e coloque história da família. Éda família, contudo, temos nos dedicado à na caixa todos os registros de sua vida, tais um princípio infalível.nossa família. É meu testemunho que, se como sua certidão de nascimento, certifi-começarmos de onde estamos — cada um cado de bênção, de batismo, ordenação ecom seus registros, como nós fizemos — e se certificados de conclusão de cursos escola-começarmos a colocá-los em ordem, as coisas res. Junte todos os diplomas, fotografias,irão se encaixar como devem. homenagens ou prêmios, seu diário, se tiver um, tudo o que for pertinente à sua vida;Como Começar qualquer coisa escrita, registrada ou que É questão de começar. Você entenderá o testifique que você está vivo ou que já reali-princípio da mesma forma que Néfi quando zou algo.ele disse: “E fui conduzido pelo Espírito, Não tente fazer isso num dia. Vai levarnão sabendo de antemão o que deveria algum tempo. A maioria de nós tem essas coi-fazer”. (1 Néfi 4:6) sas espalhadas aqui e ali. Algumas estão numa Se você não sabe por onde começar, caixa na garagem, debaixo de uma pilha decomece por você mesmo. Se não sabe que jornais; outras estão em gavetas, ou no sótão,registros juntar e onde encontrá-los, comece ou num outro lugar. Algumas foram escritascom os que você tem. em páginas da Bíblia ou outros livros. Há duas instruções bem simples para Junte todos esses papéis e coloque-os naaqueles que estão esperando uma chance caixa. Deixe-os lá até que ache que já reuniu A LIAHONA AGOSTO DE 2003 15
  5. 5. todos os registros em seu poder. Em seguida, e Emma Jensen Packer. Sou o décimo filho e E ntão, pegue uma caixa de abra espaço numa mesa, ou no chão, e o quinto menino da família”. papelão, deixe- separe tudo o que coletou. Divida sua vida Não vai realmente tomar muito do seu a num local visível em três períodos. A Igreja faz desse modo. tempo escrever sua história ou gravá-la em e comece a colocar Todos os nossos programas da Igreja são divi- fita, e será um registro acurado, pois foi você seus registros dentro didos em três categorias gerais: crianças, quem coletou as informações. dela, e quando as jovens e adultos. E depois? Depois de ter feito um esboço coisas forem aconte- Comece com o período da sua infância, da história da sua vida por datas, o que fazer cendo, você sentirá o com sua certidão de nascimento. Coloque com todo o material que você juntou? Espírito e não ficará todos os registros em ordem cronológica: Isso o leva, é claro, a um livro de recorda- tão surpreso. fotografias, certificado de batismo e assim ções. Simplesmente cole delicadamente esse por diante até a idade de 12 anos. material nas páginas de maneira que possa ser Em seguida, junte tudo o que diz res- removido de tempos em tempos se necessá- peito à sua adolescência, de 12 a 18 anos, rio, e você terá seu livro de recordações. ou até a época em que se casou. Coloque Uma vez que tenha começado esse pro- tudo isso em ordem cronológica. Organize jeto, coisas muito interessantes e inspiradoras os registros — certificados, fotografias, etc acontecerão. Não é possível fazer esse traba- — e coloque-os numa caixa ou envelope. lho sem que você acabe sentindo o Espírito e Faça o mesmo com os registros do restante converse a respeito do assunto, pelo menos de sua vida. no círculo familiar. Coisas muito interessantes Feito isso, você já tem o necessário para vão começar a acontecer quando você mos- fazer a história da sua vida. Pegue simples- trar interesse no trabalho de história da famí- mente a sua certidão de nascimento e escreva: lia. É um princípio infalível. Há muitos, “Eu nasci no dia 10 de setembro de 1924 em inúmeros testemunhos sobre isso. Brigham City, Utah. Sou filho de Ira W Packer . Acontecerá com você.16
  6. 6. A tia Clara lhe dirá que tem uma fotografia sua com Então, pegue uma caixa de papelão, deixe-a num localseu bisavô. Você sabe que não pode ser verdade porque visível e comece a colocar seus registros dentro dela, eele morreu um ano antes de você nascer. Mas a tia Clara quando as coisas forem acontecendo, você sentirá omostra-lhe a tal fotografia. Lá está seu bisavô segurando- Espírito e não ficará tão surpreso.o nos braços, ainda bebê. Quando você verifica seusregistros, descobre que ele morreu um ano depois de Nosso Coração Volta-se para Nossos Antepassadosvocê ter nascido; um detalhe importante em sua história O trabalho de história da família tem o poder de fazerda família. algo em favor dos mortos, e o mesmo poder de agir em Essa data precisa é significativa. O nome do benefício dos vivos. Os membros da Igreja que se dedi-meio escrito no verso da foto- cam ao trabalho de história dagrafia também significa alguma família sentem uma influência ins-coisa. Talvez você não descubra COMPONENTES BÁSICOS piradora e edificante. Eles com-no momento, mas é uma chave, PARA A HISTÓRIA DA preendem que estão unindo suao começo da realização de orde- FAMÍLIA família, aqueles que estão vivosnanças no templo por alguns de P R E S I D E N T E B OY D K . PA C K E R aqui com aqueles que já se foram.seus antepassados. Presidente em Exercício do Quórum dos O trabalho de história da Você acredita na Ressurreição. Doze Apóstolos. família por si só já vale a penaSabe que o batismo por alguém mesmo que a pessoa não tenha H á vários componentes básicos queque já morreu é tão essencial fazem parte da história da família e do conseguido autorização para oquanto o batismo de uma pessoa trabalho no templo. Com o passar dos trabalho no templo. O processoviva. Ambos são igualmente impor- anos, eles podem ser mais ou menos enfatiza- de pesquisa, os meios de procu-tantes. Um a um, esses batismos dos, ou a abordagem da Igreja sobre o assunto rar esses nomes, compensaráprecisam ser feitos. Devem ser fei- pode variar, mas as responsabilidades permane- todos os esforços que foram cem as mesmas.tos aqui, enquanto a pessoa está investidos. Por que? Porque não 1. Cada um de nós deve compilar a históriaviva, ou devem ser feitos aqui, se pode encontrar nomes sem da própria vida.depois que a pessoa já morreu. 2. Cada pessoa deve ter um livro de saber que eles representam pes- Todo o Novo Testamento está recordações. soas. Começamos a descobrircentralizado na Ressurreição do 3. Como indivíduos e famílias, devemos coisas sobre esses indivíduos.Senhor. A mensagem é de que procurar informações sobre nossos parentes Quando pesquisamos nossatodos irão ressuscitar. Toda escri- falecidos, começando com as quatro gerações própria linhagem, passamos atura e toda motivação que se mais recentes, depois pesquisando o mais nos interessar mais do que poraplica ao trabalho missionário tem longe possível. simples nomes pela quantidadesua implicação no trabalho de rea- 4. Todos nós devemos participar em outros de informações que enviamoslização das ordenanças para os programas como extração de nomes quando ao templo. Nosso interesse fazmortos. formos solicitados. com que nosso coração se volte 5. Devemos planejar e organizar reuniões Agora a história de sua família para nossos antepassados — de família.está escrita e você fez um livro de procuramos encontrá-los, 6. Se temos acesso a um templo, devemosrecordações. Parece bem fácil. E freqüentá-lo quantas vezes for possível para conhecê-los e servi-los.é, quase sempre. Mas ainda assim, fazer o trabalho de ordenanças, primeiro para Assim ajuntamos tesourosvocê tem que começar. Como nós mesmos, depois para nossos progenitores; no céu. INéfi, você “[será] conduzido pelo em seguida para todos os nomes que foramEspírito, não sabendo de antemão compilados por outros meios. Este artigo consiste de trechos tirados do livro do Presidente Packer: Oo que [deverá] fazer”. (1 Néfi 4:6) Templo Sagrado. A LIAHONA AGOSTO DE 2003 17

×