Your SlideShare is downloading. ×
0
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
CiberEscola - TecnoFaceca 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

CiberEscola - TecnoFaceca 2011

1,308

Published on

Apresentação do livro "CiberEscola: Educação em Banda Larga", feita pelo autor, Hélio Lemes Costa Jr., durante o 9º TecnoFaceca - Seminário de TIC da Faculdade Cenecista de Varginha - MG, em 20 de …

Apresentação do livro "CiberEscola: Educação em Banda Larga", feita pelo autor, Hélio Lemes Costa Jr., durante o 9º TecnoFaceca - Seminário de TIC da Faculdade Cenecista de Varginha - MG, em 20 de maio de 2011.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,308
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Hélio Lemes Costa Jr.<br />www.ciberescola.com.br<br />
  • 2. O que há no livro<br />Destinado tanto aos profissionais como estudantes nas áreas de educação, de tecnologia da informação e no entroncamento dessas duas áreas: a tecnologia educacional. É principalmente voltada para quem, como eu, preocupa-se com as restrições que a tecnologia impõe aos projetos de educação, seja ela a distância ou presencial.<br />
  • 3. Capa<br />
  • 4. Autor<br />O Prof. Hélio Lemes Costa Jr. é um geek que começou a se interessar por tecnologia ainda na infância e comprou seu primeiro computador em 1985. Graduou-se em TI e fez duas pós-graduações na mesma área. <br />
  • 5. Autor<br />Desde 1991 envolveu-se com educação em vários níveis e, em 1999, começou a trabalhar com Tecnologia para Educação a Distância no SABE, Sistema Aberto de Educação do Unis-MG em Varginha. <br />
  • 6. Autor<br />Unindo então os interesses por tecnologia e educação, fez sua pesquisa de mestrado sobre o uso das redes de alta velocidade como apoio à educação, pela UFSC. Fez nova graduação, agora em Administração e atualmente faz doutorado em Engenharia de Produção na UFSCar.<br />
  • 7. Autor<br />Coordena o curso de Sistemas de Informação da Faceca – Faculdade Cenecista de Varginha e leciona em cursos de graduação e pós em instituições de todo o país.<br />Tem vários artigos publicados em diversos países, mas este é seu primeiro livro.<br />
  • 8. Educação a Distância<br />“Educação a Distância é uma forma de ensino que possibilita a autoaprendizagem, com a mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em diferentes suportes de informação, utilizados isoladamente ou combinados, e veiculados pelos diversos meios de comunicação.” Ministério da Educação<br />
  • 9. Educação e Internet<br />Pesquisas realizadas no primeiro semestre de 2011, mostram que já existem 74 milhões de pessoas com acesso à Internet no Brasil, e o País ocupa a 5ª posição entre os mais conectados do mundo. IBOPE, 2011 <br />
  • 10. A Internet<br />A Internet traz para a Educação a Distância, a possibilidade da interatividade, a custos muito mais baixos que os do fax ou do telefone, mais ágil que o correio convencional e possibilita uma maior integração de mídias, do que os meios de comunicação utilizados anteriormente.<br />
  • 11. Multimídia<br />A Multimídia não representa apenas uma evolução cosmética. O enriquecimento das interfaces age diretamente sobre a qualidade da comunicação. Assim sendo, a partir do momento que o computador está sendo considerado como ferramenta de aprendizado, a qualidade deste aprendizado também será afetada diretamente.<br />
  • 12. Videoconferência<br />“A Videoconferência é um sistema interativo de comunicação em áudio e vídeo. A transmissão pode ser feita através de vários meios: ondas de rádio, satélite, cabos de rede, linha telefônica ou fibra ótica” <br />
  • 13. Realidade Virtual<br />Realidade Virtual consiste de um conjunto de técnicas para simular um mundo real ou imaginário e dar ao usuário a sensação de estar "presente" no mundo simulado. <br />
  • 14. Banda Larga<br />As tecnologias de acesso em alta velocidade chegaram ao Brasil através das Redes Metropolitanas de Alta Velocidade (ReMAVs) e muito estarão interligando os principais centros.<br />Há uma plano nacional para levar banda larga a todo o território brasileiro.<br />É preciso preparar-se para as novas oportunidades que surgirão no campo da Educação. <br />
  • 15. Tem o objetivo de levar o acesso rápido à Internet a diversos recantos do país onde as empresas privadas não têm interesse em oferecer este serviço, pois a demanda não justificaria os investimentos.<br />
  • 16. Situação dos backbones da RNP no segundo semestre de 2010<br />RNP<br />
  • 17.
  • 18. Pesquisa de Opinião<br />Pesquisa realizada com 44 alunos do ensino médio de uma escola particular de Varginha – MG.<br />
  • 19. Pesquisa de Opinião<br />Pesquisa realizada com 44 alunos do ensino médio de uma escola particular de Varginha – MG.<br />
  • 20. Visitas – Poitiers, França<br />O CNED, na França, possuía cerca de 400 mil alunos estudando a distância atualmente.<br />Há um enorme aumento de demanda por cursos via Internet.<br />Há várias experiências sendo feitas com redes de alta velocidade, inclusive usando a TV interativa na EaD.<br />
  • 21. Visitas – Londres, UK<br />Na Universityof North London desde 2000 já não havia mais aulas de informática básica, partindo do pressuposto que todos sabem utilizar o computador e as redes.<br />Os laboratórios de informática ficavam dentro da biblioteca pois o objetivo do uso era o mesmo: acesso à informação.<br />
  • 22. Entrevistas<br />“Partindo do pressuposto que aumentar a banda de passagem, não aumenta necessariamente a qualidade da Educação a Distância. O que deve ser feito para que o processo como um todo acompanhe a evolução tecnológica?”<br />
  • 23. Entrevistas<br />Prof. Dr. Eduardo Chaves - Unicamp<br />“Não vejo muita razão porque a educação a distancia deva acompanhar pari passu a evolução tecnológica em si. Para mim educação é basicamente comunicação interativa (algo parecido com o correio e o telefone) - e a Internet1 deu grande impulso na área de comunicação, permitindo a criação de programas de EaD baseados na Internet. Tenho receio de que, aumentando-se a banda, como se fará na Internet2, a Internet possa ficar cada vez mais parecida com a televisão e incentivar, portanto, o desenvolvimento de tecnologia de broadcasting, widecasting, push, etc.<br />
  • 24. Entrevistas<br />Prof. Dr. Arnaldo Niskier - UERJ<br />“A história da tele-educação brasileira nasceu há muitos anos, numa época em que nem a mais fértil imaginação poderia prever os recursos hoje existentes. Quando se fala em Educação a Distância interativa, por exemplo, com base no emprego de satélites domésticos de telecomunicações, quem poderia supor que houvesse tamanha oferta mundial de teleconferências, reunindo universidades dos mais distantes rincões? A interatividade significa debate em tempo real, o que antes seria impossível estimar.”<br />
  • 25. Entrevistas<br />Profª. Drª. Lenise Garcia – UnB<br />“A qualidade da Educação depende fundamentalmente do elemento humano. Por isso o necessário é capacitar, capacitar... Tanto no uso dessas tecnologias como no que se refere ao processo educativo em geral. O professor deve aprender a usar a tecnologia de modo adequado, lançando mão dos recursos que ela oferece no momento e do modo oportuno. E, como tudo é novo para todos, não há sequer quem lhe possa ensinar isso. São, portanto, necessários profundos estudos nos quais se vá desenvolvendo o saber neste aspecto. É uma pesquisa que irá se realizando no processo e é preciso apoiá-la.”<br />
  • 26. Entrevistas<br />Prof. Dr. Francisco Fialho – UFSC<br />“A tecnologia é e sempre será uma ferramenta. São as pessoas, os usuários dessas ferramentas que extraem delas toda a potencialidade de que são capazes. É como um instrumento musical. O melhor violão, nas mãos de um instrumentista pouco experiente funciona tão bem quanto um instrumento apenas razoável. Para se fazer quentão não se usa vinhos especiais. Sangue de Boi serve. Melhores ferramentas, para serem bem utilizadas, demandam educação dos que a utilizarão.”<br />
  • 27. Entrevistas<br />Prof. Dr. Valdemar Setzer – USP<br />“Imagine! Qualidade não depende de quantidade! Desconfio que a velocidade maior vai permitir a transmissão de mais cosmético, e não de mais e melhor conteúdo.... Os problemas educacionais brasileiros estão principalmente no ensino fundamental e no médio. Sou ABSOLUTAMENTE contra o uso de EaD nestes níveis. Parece-me que quem é a favor disso não tem a mínima ideia do que seja educação.”<br />
  • 28. Novas Ferramentas<br />Há um crescimento rápido da demanda por ferramentas de apoio ao acesso interativo, manipulação, distribuição e visualização de informações Multimídia. Este é um grande desafio que envolve os projetistas de Multimídia, engenheiros de hardware, software e redes, pedagogos, designers gráficos, webmasters, comunicólogos e, desta demanda surgem novos requisitos de habilidades e novas profissões, que ainda não foram batizadas, mas que já fazem falta às organizações que estão empenhadas no projeto de educação em banda larga.<br />
  • 29. Novos Currículos<br />Não há atualmente no mercado uma formação que prepare o profissional com todos os conceitos necessários para atuar com desenvoltura nesta área. Há inúmeras vagas de empregos disponíveis nas várias universidades virtuais existentes no Brasil e no Mundo. Portanto, uma das recomendações deste trabalho é o desenvolvimento de um novo currículo de especialização, que prepare o profissional de Educação para lidar com naturalidade com as novas ferramentas: vídeo, áudio, animação, simulação em Realidade Virtual, Videoconferência, técnicas de condução de trabalhos on-line, administração de ambientes de aprendizagem colaborativos, etc.<br />
  • 30. Atualizar Currículos<br />Atualização dos currículos das licenciaturas, que atualmente não consideram o uso destas novas tecnologias de redes de computadores na Educação presencial e também não preparam o professor para as peculiaridades da modalidade à distância.<br />
  • 31. Dispositivos Wireless<br />Os dispositivos móveis que acessam a Internet já deixaram de ser promessa e estão se popularizando. O número de linhas de telefones celulares já ultrapassa o número de habitantes no país. A nova geração de telefones celulares (chamada de 4G) vai incorporar a banda larga e estará disponível em 2 anos.<br />
  • 32. Dispositivos WebTV<br />Por cerca de R$300,00 (trezentos reais) é possível adquirir um dispositivo que, ligado à TV convencional e a uma linha telefônica, permite acesso a páginas Web, e-mail, bate-papo, etc. Este é mais um passo na direção à redução da segregação digital, pois virtualmente, todos os que possuem uma TV e uma linha telefônica convencional são candidatos a usuários da rede. Só com esse recurso a TV Escola (programa de Educação a Distância do MEC/MCT), já receberia um enorme impulso em direção à tão desejada interatividade.<br />
  • 33. Considerações Finais<br />A simples inclusão de uma nova ferramenta não melhora necessariamente a qualidade do processo, por mais extraordinária que esta seja. É preciso investigar seu potencial em experimentos práticos mensuráveis, para que se possa pisar em “chão firme” no momento da elaboração de um projeto de Educação. <br />
  • 34. Considerações Finais<br />Há um mundo de possibilidades se abrindo na área da Educação, cujos limites ainda não são plenamente conhecidos, mas que podem modificar radicalmente a forma como o conhecimento é transmitido. As pesquisas com novas tecnologias prometem o surgimento de ambientes de aprendizado mais colaborativos, uma verdadeira comunidade de aprendizado, baseada nas melhores terias pedagógicas. <br />
  • 35. Considerações Finais<br /><ul><li>É preciso estar atento às novas tecnologias de hardware, software e telecomunicações, para se investir nas soluções de infra-estrutura corretas para cada demanda;
  • 36. É preciso estabelecer modelos sistêmicos bem planejados e projetos teoricamente bem formulados; ou seja, ousar na criação de novos modelos, mas que sejam fundamentados em teorias comprovadamente eficazes;</li></li></ul><li>Considerações Finais<br /><ul><li>Investimentos significativos deverão ser feitos na formação de recursos humanos, tanto na área de tecnologia da informação e comunicação como na pedagogia;
  • 37. Acima de tudo, é preciso vontade política para transformar os planos do Projeto Sociedade da Informação em resultados concretos.</li></li></ul><li>
  • 38.
  • 39. Bob Stein<br />"Eis o subtexto do que está acontecendo: estamos mudando a forma na qual os seres humanos se comunicam. Essa transição levará muito mais tempo do que as pessoas dizem; talvez cem ou duzentos anos." (Bob Stein, 1997).<br />
  • 40. Hélio Lemes Costa Jr.<br />@HelioNet<br />www.ciberescola.com.br<br />

×