Logística Compras

14,786 views
14,543 views

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,786
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
100
Actions
Shares
0
Downloads
409
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • Logística Compras

    1. 1. A TAREFA DE COMPRAS X GESTÃO DE ARMAZENAGEM Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    2. 2. OBJETIVO: Conhecer a importância da atividade de compras e a sua relação com a atividade de armazenagem. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    3. 3. <ul><li>RELEMBRANDO PRINCIPIOS BÁSICOS: </li></ul><ul><li>PLANEJAMENTO: </li></ul><ul><li>área X característica do produto; </li></ul><ul><li>FLEXIBILIDADE OPERACIONAL: </li></ul><ul><li>integração das atividades; </li></ul><ul><li>SIMPLIFICAÇÃO: </li></ul><ul><li>ocupação da área x equipamentos e fluxos disponíveis; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    4. 4. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>INTEGRAÇÃO: </li></ul><ul><li>maior número de operações possível, sempre de forma coordenada; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO ESPAÇO FÍSICO: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x capacidade e características da área; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO EQPTO E MÃO DE OBRA: </li></ul><ul><li>controle mão-de-obra x equipamentos; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    5. 5. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>VERTICALIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>aproveitar a altura do armazém; </li></ul><ul><li>MECANIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação por equipamentos (custo); </li></ul><ul><li>AUTOMAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação automatizada (custo); </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    6. 6. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>CONTROLE: </li></ul><ul><li>registro das cargas, inventário, organização; </li></ul><ul><li>SEGURANÇA: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x integridade carga </li></ul><ul><li>PREÇO: </li></ul><ul><li>cobrar de acordo com o mercado. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    7. 7. Por que existe estoque ou armazenagem? Não importa o que esta sendo armazenado como estoque, ou onde está posicionado na operação. Essa atividade sempre será necessária porque é comum existir uma diferença de ritmo ou de taxa de fornecimento e demanda. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    8. 8. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ESTOQUE PROCESSO SAÍDA PROCESSO ENTRADA
    9. 9. FUNÇÃO DOS ESTOQUES Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena CICLO SEGURANÇA ESPECULAÇÃO TRÂNSITO COORDENAÇÃO POR QUE SURGEM OS ESTOQUES?
    10. 10. PRINCIPAIS DECISÕES RELACIONADAS À GESTÃO DE ESTOQUES Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Quanto pedir? Quando pedir? Onde localizar na cadeia? Quais os indicadores de desempenho?
    11. 11. MINI EXEMPLO: Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena A empresa MXM Computadores é um varejista no ramo de informática com atuação nas principais capitais do Brasil. Compromisso de entregar a configuração demandada pelo cliente em até 02 dias úteis após o pedido.
    12. 12. DADOS BALANÇO PATRIMONIAL: Ativo total: R$ 5,1 milhões; Ativo circulante; R$ 2,9 milhões; Estoques: R$ 2,4 milhões; Patrimônio Líquido: R$ 3,9 milhões; Receita bruta: R$ 19 milhões; Lucro Líquido: R$ 1,6 milhões. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    13. 13. RETORNO DOS INVESTIMENTOS Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ESTOQUE ATIVO IMOBILIZADO REALIZÁVELA LONGO PRAZO ATIVO CIRCULANTE CUSTOS RECEITAS LUCRO RETORNO INVESTIMENTOS ATIVO TOTAL CONTAS A RECEBER CAIXA E BANCOS ( + ) ( + ) ( + ) ( + ) ( - ) ( / )
    14. 14. EXEMPLO DE RDI – ROI (milhões) Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ESTOQUE R$ 2,4 ATIVO IMOBILIZADO R$ 1,5 REALIZÁVELA LONGO PRAZO R$ 0,7 ATIVO CIRCULANTE R$ 2,9 CUSTOS R$ 17,4 RECEITAS R$ 19,0 LUCRO R$ 1,6 RETORNO INVESTIMENTOS 31% ATIVO TOTAL R$ 5,1 CONTAS A RECEBER R$ 0,3 CAIXA E BANCOS R$ 0,2 ( + ) ( + ) ( + ) ( + ) ( - ) ( / )
    15. 15. COM A REDUÇÃO DO ESTOQUE EM 33% Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ESTOQUE R$ 1,6 ATIVO IMOBILIZADO R$ 1,5 REALIZÁVELA LONGO PRAZO R$ 0,7 ATIVO CIRCULANTE R$ 2,1 CUSTOS R$ 17,4 RECEITAS R$ 19,0 LUCRO R$ 1,6 RETORNO INVESTIMENTOS 37% ATIVO TOTAL R$ 4,3 CONTAS A RECEBER R$ 0,3 CAIXA E BANCOS R$ 0,2 ( + ) ( + ) ( + ) ( + ) ( - ) ( / )
    16. 16. CUSTOS ASSOCIADOS AO ESTOQUE Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Custo de manutenção de estoques Custo de pedidos Custo da falta Custo de oportunidade do capital Utilização espaço e manuseio Seguro Obsolescência e perecibilidade. Frete Emissão de pedidos Recebimento e inspeção Preparação de máquinas Perda de vendas Deterioração de imagem Multas contratuais Reprogramação de atividades Planos de contingência
    17. 17. QUANTO PEDIR - COMPRAR? Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Custo total Custo de Estoque Custo do Pedido Função da demanda prevista e da relação entre os custos de estoque e pedido Lote econômico $ Q’ Q Q = Quantidade
    18. 18. OTIMIZAÇÃO ESTOQUE - COMPRA Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Valor Agregado e Grau de obsolescência e perecibilidade. <ul><li>ALTERNATIVAS </li></ul><ul><li>Consignar em cada cliente </li></ul><ul><li>Descentralizar em + de um local </li></ul><ul><li>Centralizar em um único local </li></ul><ul><li>Não manter Estoque </li></ul>CARACTERÍSTICAS DA DEMANDA Giro Grau de Previsibilidade NÍVEL DE EXIGÊNCIA DO MERCADO Prazos Disponibilidade Presença local CARACTERÍSTICAS DO SUPRIMENTO Tempo de Ressuprimento Economias de escala no Transporte
    19. 19. CASO PRÁTICO INDÚSTRIA COM MAIS DE 20 ANOS NO BRASIL FABRICANTE DE COMPONENTES AUTOMOTIVOS. POSSUI PLANTAS EM DIVERSAS CIDADES DO BRASIL NESTE CASO, VAMOS ANALISAR A PRODUÇÃO DA: 1 - PLANTA NA REGIÃO DE CAMPINAS 1 - NOVA PLANTA NA REGIÃO SULDO BRASIL Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    20. 20. INFORMAÇÕES ADICIONAIS E HISTÓRICO RECENTE: O SETOR COMPRAS NEGOCIOU O FORNECIMENTO DO ÓLEO LUBRIFICANTE E O FORNECEDOR, APLICAVA AS ROTINAS DE MANUTENÇÃO QUE PREVIA ADICIONAMENTOS ESPECÍFICOS DE ADITIVOS (PAGOS A PARTE). FORNECEDOR PASSOU A FORNECER SOMENTE LUBRIFICANTE. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    21. 21. INFORMAÇÕES ADICIONAIS E HISTÓRICO RECENTE: A MANUTENÇÃO DA FÁBRICA DE CAMPINAS, ASSUMIU AS ROTINAS DE LUBRIFICAÇÃO – (HAVIA EXPERIÊNCIA); ALGUMAS MÁQUINAS DA LINHA DE CAMPINAS, FORAM TRANFERIDAS PARA A FÁBRICA EM CAXIAS DO SUL; NA NOVA PLANTA A MANUTENÇÃO DA FÁBRICA, TAMBÉM ASSUMIU AS ROTINAS DE LUBRIFICAÇÃO. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    22. 22. INFORMAÇÕES ADICIONAIS E HISTÓRICO RECENTE: AS MÁQUINAS PASSARAM A CONSUMIR MAIS ÓLEO LUBRIFICANTE E ADITIVOS DEVIDO A RECOMPLETAMENTOS FORA DO RECOMENDADO; ESSA CONDIÇÃO PASSOU A GERAR VAZAMENTOS E MAIOR NECESSIDADE DE ESTOQUES DE LUBRIFICANTES; Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    23. 23. PROBLEMA: HOUVE UM AUMENTO CONSIDERÁVEL NO ESTOQUE DE ÓLEOS LUBRIFICANTES UTILIZADAS NAS MÁQUINAS DAS LINHAS DE PRODUÇÃO DA FÁBRICA DE CAXIAS DO SUL, SEM QUE TENHA HAVIDO AUMENTO DE PRODUÇÃO. NESSA CONDIÇÃO, A FÁBRICA TEVE QUE AUMENTAR A ÁREA DE ESTOQUE-ARMAZENAGEM DESCUMPRINDO O PLANEJAMENTO INCIAL. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    24. 24. <ul><li>CONSEQUENCIAS E CENÁRIO ATUAL: </li></ul><ul><li>AUMENTO DAS DESPESAS COM ESTOQUE; </li></ul><ul><li>NECESSIDADE DE MAIOR ÁREA DE ARMAZENAGEM; </li></ul><ul><li>MAIOR DESENBOLSO DE CAPITAL PARA AQUISIÇÃO DE MAIOR QUANTIDADE DE LUBRIFICANTES; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    25. 25. <ul><li>CONSEQUENCIAS E CENÁRIO ATUAL: </li></ul><ul><li>PERDA DE PRODUTIVIDADE DEVIDO A MÁQUINAS DESREGULADAS POR FALTA DE MNT ESPECÍFICA; </li></ul><ul><li>CONSTANTES RECLAMAÇÕES DE VAZAMENTO DE ÓLEO COM FORTE ODOR. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    26. 26. <ul><li>PRINCIPIOS BÁSICOS: </li></ul><ul><li>PLANEJAMENTO: </li></ul><ul><li>área X característica do produto; </li></ul><ul><li>FLEXIBILIDADE OPERACIONAL: </li></ul><ul><li>integração das atividades; </li></ul><ul><li>SIMPLIFICAÇÃO: </li></ul><ul><li>ocupação da área x equipamentos e fluxos disponíveis; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    27. 27. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>INTEGRAÇÃO: </li></ul><ul><li>maior número de operações possível, sempre de forma coordenada; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO ESPAÇO FÍSICO: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x capacidade e características da área; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO EQPTO E MÃO DE OBRA: </li></ul><ul><li>controle mão-de-obra x equipamentos; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    28. 28. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>VERTICALIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>aproveitar a altura do armazém; </li></ul><ul><li>MECANIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação por equipamentos (custo); </li></ul><ul><li>AUTOMAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação automatizada (custo); </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    29. 29. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>CONTROLE: </li></ul><ul><li>registro das cargas, inventário, organização; </li></ul><ul><li>SEGURANÇA: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x integridade carga </li></ul><ul><li>PREÇO: </li></ul><ul><li>cobrar de acordo com o mercado. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    30. 30. <ul><li>POSÍVEIS SOLUÇÕES: </li></ul><ul><li>TENTATIVA DO FORNECEDOR DE LUBRIFICANTE RETOMAR AS ROTINAS DE LUBRIFICAÇÃO; </li></ul><ul><li>NEGOCIAÇÃO DE NOVOS VALORES = AUMENTO DESPESAS; </li></ul><ul><li>AMPLIAR CAPACIDADE DO ESTOQUE = CUSTOS ADICIONAIS; </li></ul><ul><li>O QUE FAZER? </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    31. 31. <ul><li>SOLUÇÃO ADOTADA </li></ul><ul><li>A ÁREA DE COMPRAS CONSEGUIU UM OUTRO ÓLEO – NOVO FORNECEDOR. </li></ul><ul><li>PONTO NEGATIVO: </li></ul><ul><li>ÓLEO ERA MAIS CARO </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    32. 32. <ul><li>PONTOS POSITIVOS: </li></ul><ul><li>NOVO ÓLEO NÃO NECESSITAVA DE ADITIVOS; </li></ul><ul><li>NÃO NECESSITAVA DE ROTINAS DE MANUTENÇÃO ESPECÍFICAS; </li></ul><ul><li>HOUVE A ELIMINAÇÃO DE GRANDES ESTOQUES. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    33. 33. RESULTADO: EMBORA O PRODUTO SEJA MAIS CARO, A SOMATÓRIA DOS FATORES POSITIVOS RESULTOU EM NA PRODUÇÃO COM RESULTADOS MAIS SATISFATÓRIOS. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    34. 34. <ul><li>TRABALHO: </li></ul><ul><li>CASO DA INDÚSTRIA COM MAIS DE 20 ANOS NO BRASIL FABRICANTE DE COMPONENTES AUTOMOTIVOS. </li></ul><ul><li>PERGUNTA: RELACIONE OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ARMAZENAGEM QUE FORAM APLICADOS NA PLANTA DE CAXIAS DO SUL. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena

    ×