Consolidação deCargas e Conteinerização
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Consolidação deCargas e Conteinerização

  • 8,627 views
Uploaded on

 

More in: Travel , Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
8,627
On Slideshare
8,601
From Embeds
26
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
173
Comments
0
Likes
1

Embeds 26

http://www.slideshare.net 25
http://www.lmodules.com 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PREPARAÇÃO DA CARGA
  • 2. OBJETIVO: Conhecer as principais formas de consolidação da carga, suas vantagens e desvantagens.
  • 3. CONTAINER
    • PRIMEIRA EXPERIÊNCIA COM TRANSPORTE CONTAINERIZADO
    • FINAL DÉCADA DE 50;
    • MALCOM MACLEAN – PROPRIETÁRIO DE EMPRESA CAMINHÕES;
    • CONTRATO REGULAR ENTRE USA E PORTO RICO NAVIO TANQUE;
    • CARGAS SOBRE OS NAVIOS NOS CAMINHÕES BAÚ;
    • VEÍCULO FICAVA “PRESO”;
    • SEPARAR O BAÚ DO VEÍCULO.
    • DEPOIS FORAM PADRONIZADOS PELA ISO - INTERNATIONAL
    • STANDARD ORGANIZATION PARA FACILITAR MANUSEIO E
    • TRANSPORTE.
  • 4. O CONTAINER TROUXE VANTAGENS AO TRANSPORTE, COMO SEGURANÇA, FACILIDADE NO MANUSEIO E RAPIDEZ NAS OPERAÇÕES.
  • 5. CARGA CONSOLIDADA
  • 6. Origem das exportações 266
    • 430 Cidades
        • Sudeste - 61,9%
        • Sul - 30,2%
        • Nordeste - 5,6%
        • Centro-Oeste - 1,4%
        • Norte - 0,9%
    6 24 130 4
  • 7. Principais Destinos da carga exportada 60 32 8 400 70 130 50 47 91 42 43 5 VCP 130 900 40 50 37 5 4 8
  • 8. LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO Produto acabado Linha de produção Brasil Fábrica Distribuição (Miami) 1 2 3 4 5 Fornecedores América do N. (Miami)
  • 9. CARGA CONSOLIDADA
  • 10.  
  • 11.  
  • 12. FACILITA MOVIMENTAÇÃO
  • 13.  
  • 14.  
  • 15. AGILIDADE E SEGURANÇA = MENOR TEMPO DO AVIÃO NO SOLO
  • 16.  
  • 17. POSSIBILITA MOVIMENTAÇÃO RÁPIDA
  • 18.  
  • 19.  
  • 20. FACILITA A ORGANIZAÇÃO
  • 21.  
  • 22.  
  • 23.  
  • 24.  
  • 25.  
  • 26.  
  • 27.  
  • 28.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31. CONFERÊNCIA
  • 32.  
  • 33.  
  • 34. SERPRO TRANSPORTADOR ( VIA ON LINE ) TRANSPORTADOR (VIA EDI) 1 - INFORMAR CARGA (antes da chegada do veículo)
  • 35. MASTER 6 KG 3 VOL TRANSPORTADOR (VIA ON LINE OU EDI) AGENTE DESCONSOLIDADOR 1 - INFORMAR CARGA HOUSE (HAWB) HOUSE 2 KG 1 VOL HOUSE 2 KG 1 VOL HOUSE 2 KG 1 VOL
  • 36. SERPRO TRANSPORTADOR 2 - INFORMAR CHEGADA DO VEÍCULO (TRANSP)
  • 37.  
  • 38. Chegada da Aeronave Entregar documentos MAWB E HAWB Lavratura do Termo de Entrada Armazenar Avalizar Visar CIA AÉREA Cia Aérea Automática INFRAERO CIA AÉREA Receita Federal Informação da Carga no Mantra CIA AÉREA Descarregar e Desconsolidar Carga CIA AÉREA
  • 39.  
  • 40. Chegada da Aeronave Descarregamento da Aeronave Desconsolidação da carga no MANTRA Armazenamento da carga no MANTRA Avalização do Armazenamento CIA AÉREA CIA AÉREA CIA AÉREA INFRAERO CIA AÉREA Receita Federal Entrega da carga Parametrização Desembaraço Apresentação da documentação à INFRAERO Análise documental Receita Federal Receita Federal Importador Receita Federal INFRAERO Importador (Transportador) (Despachante) Registro do Documento Liberatório IMPORTADOR (Despachante) Visamento do Armazenamento Lavratura do Termo Informação da Carga no MANTRA CIA AÉREA Automática
  • 41. CONFERÊNCIA
  • 42. CONFERÊNCIA
  • 43. SEPARAÇÃO
  • 44. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 45. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 46. Etiqueta de Conhecimento Aéreo CONFERÊNCIA
  • 47. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 48. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 49. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 50. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 51. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 52. CONFERÊNCIA Etiqueta de Conhecimento Aéreo
  • 53.  
  • 54.  
  • 55.  
  • 56.  
  • 57.  
  • 58. CONSIGNATÁRIO IDENTIFICADO NO SISTEMA MANTRA
  • 59.  
  • 60. MOTIVOS PARA INDISPONIBILIDADE
  • 61. Chegada da Aeronave Entregar documentos MAWB E HAWB Lavratura do Termo de Entrada Armazenar Avalizar Visar CIA AÉREA Cia Aérea Automática INFRAERO CIA AÉREA Receita Federal Informação da Carga no Mantra CIA AÉREA Descarregar e Desconsolidar Carga CIA AÉREA
  • 62. Chegada da Aeronave Descarregamento da Aeronave Desconsolidação da carga no MANTRA Armazenamento da carga no MANTRA Avalização do Armazenamento CIA AÉREA CIA AÉREA CIA AÉREA INFRAERO CIA AÉREA Receita Federal Entrega da carga Parametrização Desembaraço Apresentação da documentação à INFRAERO Análise documental Receita Federal Receita Federal Importador Receita Federal INFRAERO Importador (Transportador) (Despachante) Registro do Documento Liberatório IMPORTADOR (Despachante) Visamento do Armazenamento Lavratura do Termo Informação da Carga no MANTRA CIA AÉREA Automática
  • 63. PROJETO LINHA AZUL
  • 64.
    • PROJETOS ESPECIAIS, PORQUE PRECISAMOS DELES???
    • AGILIDADE NOS PROCESSOS
    • OTIMIZAÇÃO ÁREA CONSTRUÍDA
    • REDUÇÃO MÃO DE OBRA
    • TERMINAL = CORREDOR DE PASAGEM
    • FIDELIZAÇÃO DOS CLIENTES
  • 65. Aéreo Rodoviário Marítimo Aéreo Expresso Ferroviário Custo x Tempo no Transporte Tempo Custo
  • 66. IMPORTADOR DELPHI
  • 67. O QUE OS CLIENTES DESEJAM?
  • 68. CIRCULAÇÃO DAS RIQUEZAS NO MUNDO BR Hemisfério Norte Hemisfério Sul Posição Geográfica Desfavorável do Brasil > 93%
  • 69. REDUZIR TEMPO COM CONFERÊNCIAS INDIVIDUAIS
  • 70. ...COM VOLUMES SEPARADOS
  • 71. COM CARGAS EM VÁRIOS ULD’S UNIT LOAD DEVICE
  • 72. ..ATRASOS COM SOBRE CARGA
  • 73. ATÉ ENTÃO, VIMOS ALGUMAS VANTAGENS DA CONSOLIDAÇÃO......
  • 74. COMO DESVANTAGENS... PODEMOS CITAR A PERDA DE TEMPO PARA COMPOR 01 UNIDADE NA ORIGEM
  • 75. OUTRAS DESVANTAGENS...
  • 76. OTIMIZAÇÃO DO ESPAÇO
  • 77. OTIMIZAÇÃO DO ESPAÇO
  • 78. CARGAS EMPILHADAS
  • 79. PROJETO LINHA AZUL
  • 80. EM UM PROCESSO DE IMPORTAÇÃO DE CARGAS, TEMOS VÁRIOS INTERVENIENTES NO PROCESSO.....
  • 81.  
  • 82. Breve Histórico: Projeto desenvolvido no Aeroporto de Viracopos em 1998, o qual se destacou pela celeridade no Desembaraço Aduaneiro pela Receita Federal, integrada a um processo logístico diferenciado e sistematizado, pela INFRAERO, permitindo a liberação de cargas de importação no prazo máximo de seis horas úteis, contadas a partir da chegada da aeronave, além de outras vantagens, como a redução dos custos de armazenagem e a disponibilização de relatórios gerenciais, oferecendo ao importador transparência absoluta dos processos envolvidos, desde a chegada do vôo até a entrega da carga desembaraçada. LINHA AZUL - Despacho Aduaneiro Expresso
  • 83. AGILIDADE NO RECEBIMENTO INFORMAÇÃO PRÉVIA CARGA IDENTIFICADA EXTERNAMENTE CONSIGNATÁRIO IDENTIFICADO NO SISTEMA MANTRA
  • 84. INFORMAÇÃO PRÉVIA
  • 85. 1ª FASE DO PROJETO – 01 PALETE AERONÁUTICO = 01 VOLUME
  • 86.  
  • 87.  
  • 88. CARGAS EM “SKID” = AMARRADO = 01 VOLUME 2ª FASE DO PROJETO – 01 SKID = 01 VOLUME
  • 89. CARGA IDENTIFICADA EXTERNAMENTE
  • 90. RESULTADO:
  • 91. CASE LINHA AZUL IMPORTADOR: EMBRAER
  • 92. EMPRESAS HABILITADAS - PROJETO LINHA AZUL (1º FASE )
  • 93.  
  • 94. Desembaraço Alfandegário 3M - Em Horas Uruguai México Peru Venezuela Chile Argentina Japão USA Brasil L.A. VCP GMBH França U.K. Colômbia
  • 95. Customs cooperates with importers at Viracopos Brazil's airport success story BY THIERRY OGIER I AIR COMMERCE JoC WEEK, September 18-24, 2000 t is rare to find shippers who are happy with Brazilian airports or customs, let alone both. That's why Viracopos, an airport 70 miles from the industrial heartland of Sao Paulo and next to the bustling city of Campinas, is so remarkable. Not only do aircraft arrive on time, but cargo is also released promptly by customs. "We speak the importers' language. We are investing in speed," said Carlos Alberto Alcantara, who has been special cargo manager at Viracopos for the past three years. duced a series of special procedures that made importers' lives easier. Cassio Lopes, logistics supervisor at Hewlett Packard in Campinas, said the initiatives cut red tape and allowed swifter customs clearance. Some shippers may now have their goods cleared through customs even before the flight lands. Another plan, called "the virtual warehouse," has allowed companies to cut their storage costs."This is how you're getting global cities," said John E. Mein, president of the American Chamber of Commerce in Sao Paulo. almost half the duties levied on Brazil's air cargo imports. Shippers say public authorities and private business get along better in Viracopos than elsewhere in Brazil. "Customs is the best thing that exists here. They have a mentality that is geared towards modernization," said Ricardo Morimoto, Brazil gateway manager for DHL Worldwide Express at Viracopos. Morimoto left Brazil in 1997 to work at DHL's Latin American and Caribbean headquarters in
  • 96. IMPORTADOR DELPHI
  • 97.  
  • 98. CONSIGNATÁRIO IDENTIFICADO NO SISTEMA MANTRA
  • 99. ...OUTRO EXEMPLO DE CONSOLIDAÇÃO E DE AJUSTES NOS PROCESSOS...
  • 100.  
  • 101.  
  • 102.  
  • 103.  
  • 104.  
  • 105. GANHO DE 9% DE APROVEITAMENTO DO ESPAÇO DOS PALETES
  • 106. GANHO DE 20,56% NO LASTRO DA CX MASTER E 40,52% NO VOLUME (média de todas as caixas considerando a demanda por caixa)
  • 107. RECOF E VCP EXPRESS
  • 108.
    • RECOF 
    • Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado.
    • permite importações, com suspensão do pagamento do Imposto de Importação - II e do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI.
    • mercadorias a serem submetidas a operações de industrialização de produtos destinados a exportação ou a venda no mercado interno.
  • 109. Segmentos habilitados para o RECOF • Informática e Telecomunicações • Automotivo • Aeronáutico • Semicondutores e de componentes de alta tecnologia para informática e telecomunicações;
  • 110.
    • Requisitos Básicos:
    • Possuir software de controle que atenda as exigências da SRF;
    • Ter idoneidade fiscal;
    • Ter patrimônio Líquido igual ou superior a R$ 25 milhões (Industrial), R$ 5 milhões (Prestadora de Serviços);
    • Possuir autorização para exercício da atividade, expedida pela autoridade aeronáutica competente quando for o caso;
    • Assumir compromisso de limite mínimo de exportações, de acordo com a modalidade de seus       negócios;
    • Industrializar pelo menos 80% das mercadorias estrangeiras admitidas no regime;
  • 111. EMPRESAS HABILITADAS ou EM PROCESSO
  • 112. VCP EXPRESS
  • 113. “ Garantir a liberação de cargas RECOF no prazo máximo de 04 horas a partir da chegada do avião” Objetivo Principal
  • 114. Requisitos para adesão ao Projeto VCP – Express
    • Responsabilidades do Agente de Cargas
    • Responsabilidades da Cia Aérea
    • Responsabilidades da INFRAERO
    • Responsabilidades do Despachante Aduaneiro
  • 115. Agente de cargas na origem aplicar na carga etiqueta de fácil visualização RECOF
  • 116.  
  • 117. Agente de cargas na origem Consolidar as cargas de acordo com os modelos a seguir: Opção A Opção B Palete Aeronáutico (1 ULD = 1 Volume) – Exclusivo RECOF Palete de Madeira/Europallet/Skid (1 palete = 1 Volume)
  • 118. Volumes fragmentados conforme exemplo abaixo serão descaracterizados e não serão considerados para o projeto VCP Express. Alerta!
  • 119. Benefícios Diretos
    • Redução de tempo
    • Redução de inventário (custos)
    • Redução de risco de avarias
    • Maior agilidade e competitividade na exportação
  • 120. IMPORTADOR: SOLECTRON
  • 121.  
  • 122.  
  • 123.  
  • 124.  
  • 125. VCP FLEX
  • 126. CONCEITO O programa foi idealizado para estimular a eficiência e recompensar a eficácia logística das empresas que operam no Aeroporto de Viracopos, proporcionando aos importadores oportunidades para a redução dos custos logísticos, mediante reduções tarifárias de até 80%. O VCP-FLEX oferece um atendimento profissional especializado aos importadores, para facilitar a identificação e a solução de eventuais gargalos que comprometam a agilidade no processo logístico. Programa VCP-Flex
  • 127. REQUISITOS NECESSÁRIOS
    • Adesão ao Programa VCP-FLEX:
    • Preparação da carga na origem:
    • Identificação da carga na origem:
    • Identificação do Documento Liberatório para o cálculo da tarifa :
    • Identificação do Documento Liberatório para o Puxe de Carga:
    • Requisitos obrigatórios em relação à carga:
    • Requisito obrigatório quanto ao prazo de retirada da carga:
    Programa VCP-Flex
  • 128. Modelo do DAI
    • Atentar-se ao prazo constante no DAI
  • 129. ESTRUTURA DE APOIO Programa VCP-Flex A Infraero, por meio da Gerência de Logística de Carga, oferecerá ampla estrutura de apoio às empresas que manifestarem interesse na liberação de cargas pelo VCP-FLEX. Uma equipe de profissionais qualificados estará à disposição dos clientes para prestar assessoria técnica, visando otimizar os processos, identificar e eliminar eventuais gargalos logísticos que possam comprometer a agilidade e o uso dos benefícios da flexibilização tarifária. Tal equipe prestará atendimentos no próprio Aeroporto ou nas dependências das empresas solicitantes, mediante prévio agendamento, e atuará em conjunto com a cadeia logística indicada pelo próprio importador, buscando aprimorar os processos logísticos de importação.
  • 130. ®
  • 131. DAC E AEROPORTO INDUSTRIA
  • 132. LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO Produto acabado Linha de produção Brasil Fábrica Distribuição (Miami) 1 2 3 4 5 Fornecedores América do N. (Miami)
  • 133. AI DAC + AI PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO Produto acabado Linha de produção Brasil 4 5 INFRAERO DAC Linha de produção Fábrica (Brasil) 2 1 Produto acabado 3 Fornecedores (Miami) 6 INFRAERO EXPORTAÇÃO
  • 134. CONCLUSÃO: A CONSOLIDAÇÃO, ASSIM COMO O USO DE CONTAINERS OU EQUIPAMENTOS AERONÁUTICOS, FACILITA A MOVIMENTAÇÃO E AS OPERAÇÕES COM A CARGA, TORNANDO-AS MAIS RÁPIDAS E SEGURAS. O RESULTADO PODE SER APRIMORADO SE FOR ALIADO A FLUXOS E PROCESO CUSTOMIZADOS.