• Like
Apres.ppoint.meiose
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Apres.ppoint.meiose

  • 5,940 views
Uploaded on

Resumo sobre as fases da meiose.

Resumo sobre as fases da meiose.

More in: Education , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,940
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
115
Comments
0
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. MEIOSE
  • 2. Ensino Médio Componente curricular: Biologia. Docente: Albano Novaes.
  • 3. A meiose é a divisão celular que ocorre na formação dos gametas, reduzindo o número de cromossomos à metade. Desta maneira, a célula-mãe diplóide (2n) origina células-filhas haplóides (n).
  • 4. Célula-mãe diplóide (2n) Célula-filha (n) Célula-filha (n)
  • 5. A meiose ocorre por duas divisões celulares sucessivas, dando origem a quatro células. Essas divisões são reunidas em duas etapas, denominadas primeira divisão meiótica (meiose I) e segunda divisão meiótica (meiose II) .
  • 6. A meiose I é reducional (reduz ao meio o número de cromossomos) e a meiose II é equacional (o número de cromossomos das células que se dividem mantém-se o mesmo nas células que se formam) .
  • 7. 2n n n n n n n Reducional Equacional
  • 8. As fases das duas etapas da meiose são: Meiose I : prófase I, prometáfase I, metáfase I, anáfase I e telófase I; Meiose II : prófase II, prometáfase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.
  • 9. A prófase I da meiose I é dividida em cinco subfases consecutivas: leptóteno, zigóteno, paquíteno, diplóteno e diacinese.
  • 10. Fases da Meiose I
  • 11. Na intérfase, os cromossomos estão desespiralizados, são finos, compridos e não são visíveis individualmente. É, no entanto, na intérfase que ocorre duplicação do DNA e, consequentemente, dos cromossomos, formando, assim, as cromátides. Após a duplicação dos cromossomos, inicia-se a divisão celular.
  • 12. Intérfase
  • 13. PRÓFASE I Como a duplicação dos cromossomos ocorre na intérfase, cada cromossomo, no leptóteno, é formado por duas cromátides. LEPTÓTENO
  • 14. No leptóteno, os cromossomos duplicados iniciam a sua condensação, podendo-se notar a presença de regiões mais condensadas, chamadas cromômeros. Os cromômeros têm a mesma distribuição ao longo de cromossomos homólogos e são encontrados em números idênticos. LEPTÓTENO
  • 15. LEPTÓTENO
  • 16. PRÓFASE I A condensação dos cromossomos progride, e os homólogos pareiam-se, num processo denominado sinapse. O início do pareamento ocorre no zigóteno e se completa no paquíteno. Na mitose não há pareamento de homólogos. ZIGÓTENO
  • 17. ZIGÓTENO
  • 18. PRÓFASE I Os cromossomos homólogos já estão perfeitamente emparelhados, sendo possível visualizar que cada par de cromossomos homólogos apresenta quatro cromátides, constituindo uma tétrade, ou bivalente, formada por: PAQUÍTENO
  • 19.
    • cromátides-irmãs: as que se originam de um mesmo cromossomo;
    • cromátides homólogas: as que se originam de cromossomos homólogos.
  • 20. Duas cromátides homólogas podem sofrer uma ruptura na mesma altura, e os dois pedaços podem trocar de lugar, realizando, assim, uma permutação ou crossing over .
  • 21. Meiose com crossing over
  • 22. Como os cromossomos são portadores de genes, ocorre, em virtude do crossing over , recombinação gênica, processo importante no aumento da variabilidade gênica de uma espécie.
  • 23. PRÓFASE I Os cromossomos homólogos começam a se afastar, mas permanecem ligados pelas regiões onde ocorreu o crossing over . Essas regiões formam os quiasmas (disposição em forma de “X”) . O número de quiasmas fornece, então, o número de permutações ocorridas. DIPLÓTENO
  • 24. Apesar de as permutações ocorrerem no paquíteno, os quiasmas são visíveis somente a partir do diplóteno.
  • 25.  
  • 26. PRÓFASE I Continua a ocorrer condensação dos cromossomos e separação dos homólogos. Com isso, os quiasmas vão “escorregando” para as pontas das cromátides, processo denominado terminalização dos quiasmas . DIACINESE
  • 27. Os cromossomos homólogos somente se separam completamente quando os quiasmas desaparecem, o que ocorre na anáfase I. DIACINESE
  • 28. As modificações descritas até o momento referem-se aos cromossomos. Todavia, é possível também observar que, à medida que as fases evoluem, o nucléolo e a carioteca desaparecem. No citoplasma ocorre duplicação do centro celular e do centríolo e início da formação das fibras polares. Os centríolos atingem os pólos da célula na diacinese.
  • 29. PROMETÁFASE I Com o rompimento da carioteca, inicia-se a prometáfase I. As fibras polares passam a ocupar a região correspondente ao núcleo. Surgem os cinetócoros e as fibras cinetocóricas associadas a eles. Os cromossomos unem-se às fibras polares através das fibras cinetocóricas e se dirigem para a região equatorial da célula.
  • 30. PROMETÁFASE I
  • 31. METÁFASE I Os cromossomos duplicados e pareados permanecem dispostos no equador da célula. Os cromossomos atingem o máximo de condensação, e os quiasmas mantêm os cromossomos homólogos unidos.
  • 32. METÁFASE I
  • 33. Duas diferenças importantes devem se mencionadas quando se compara a metáfase da mitose com a metáfase da meiose I:
  • 34. [1º] na mitose, os cromossomos homólogos não se encontram pareados na placa metafásica, enquanto na meiose I eles estão pareados e unidos pelo quiasma.
  • 35. [2º] na mitose, as fibras cinetocóricas de cada cromátide-irmã irradiam-se em sentidos opostos, enquanto na meiose I irradiam-se para o mesmo sentido.
  • 36. ANÁFASE I A anáfase I caracteriza-se pelo deslocamento dos cromossomos para os pólos. O par de cromossomos homólogos separa-se, indo um cromossomo duplicado de cada par para um pólo da célula.
  • 37. ANÁFASE I
  • 38. É importante lembrar que não ocorre divisão do centrômero, como acontece na anáfase da mitose. Essa é uma importante diferença entre a anáfase da mitose e a anáfase I da meiose. Além disso, na mitose, ao final da anáfase, encontram-se “2n” cromossomos não duplicados em cada pólo da célula, e na meiose I encontram-se “n” cromossomos duplicados.
  • 39. TELÓFASE I Com a chegada das díades (cromossomos duplos da meiose I, isto é, às duas cromátides ligadas pelo centrômero) aos pólos, termina a anáfase I e tem início a telófase I.
  • 40. O que ocorre na telófase I da meiose é bastante semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam-se, a carioteca e o núcleo reorganizam-se e ocorre a citocinese.
  • 41. TELÓFASE I
  • 42. Fases da Meiose II
  • 43. A meiose II é extremamente semelhante à mitose. A formação de células haplóides a partir de outras haplóides só é possível porque ocorre, durante a meiose II, a separação das cromátides que formam as díades. Cada cromátide de uma díade dirigi-se para um pólo diferente e já pode ser chamada cromossomo-irmão.
  • 44.
    • Prófase II
    • É mais rápida que a prófase I. Os cromossomos tornam-se mais condensados (caso tenham descondensado na telófase I), desaparece a membrana nuclear e forma-se o fuso acromático.
  • 45. Prófase II
  • 46.
    • Metáfase II
    • Os cromossomos ficam dispostos com os centrômeros no plano equatorial e com as cromátides voltadas cada uma para seu pólo, ligadas às fibrilas do fuso.
  • 47. Metáfase II
  • 48.
    • Anáfase II
    • Quebram-se os centrômeros, separando-se as duas cromátides, que passam a formar dois cromossomos independentes e ascendem para os pólos opostos.
  • 49.
    • Telófase II
    • Ao atingir os pólos, os cromossomos descondensam-se e forma-se de novo um núcleo em torno de cada conjunto, formando quatro células haplóides.
  • 50. Anáfase II & Telófase II
  • 51.
    • Citocinese
    • Por fim, formam-se quatro células-filhas haplóides denominadas de tétrades (três células no caso da ovogênese), contendo cada uma apenas um cromossomo de cada par de homólogos(ou dos hemihomólogos).