• Like
PrEx FAPE 2005
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

PrEx FAPE 2005

  • 2,369 views
Published

Projeto Experimental do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Pernambucana, 2005

Projeto Experimental do curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Pernambucana, 2005

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,369
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
28
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 Faculdade Pernambucana – FAPE Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda Projeto para desenvolvimento de uma campanha publicitária para o novo canal de vendas da Nagem – Loja Eletrônica B2C. Internet, um novo mercado para geração de negócios. Alessandra Carvalho Aline Costa Ana Emília Lopes André Havro Recife, Maio de 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 2. 2 Alessandra Carvalho Aline Costa Ana Emília Lopes André Havro BANCA EXAMINADORA Professora Karla Patriota - MS Orientadora deste Projeto de Campanha FAPE – Faculdade Pernambucana Professora Cláudia Sansil Coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda FAPE – Faculdade Pernambucana Aprovada em: Conceito final: Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 3. 3 Projeto apresentado para a cadeira PREX II – Projeto Experimental do Curso de Publicidade e Propaganda da Faculdade Pernambucana – FAPE. Orientadoras: Professoras Karla Patriota - MS e Roberta Fernandes Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 4. 4 DEDICATÓRIA Aos nossos pais, a nossa mais profunda gratidão pela educação e pelos valores que nos foram transmitidos. Se conseguimos galgar mais esta etapa de nossas vidas, foi graças a vocês. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 5. 5 AGRADECIMENTOS Gostaríamos de prestar nossos mais sinceros agradecimentos: • As professoras Karla Patriota - MS e Roberta Fernandes, pela oportunidade de trabalharmos juntos, e pelos ensinamentos que foram muito além da orientação deste trabalho. • A todos os demais professores da FAPE – Faculdade Pernambucana que têm contribuído para a nossa formação desde o início da graduação. • Ao software de mensagens instantâneas, MSN Messenger, que viabilizou inúmeras reuniões à distância. • E, sobretudo, agradecemos a Deus, por tudo! Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 6. 6 RESUMO Este projeto consiste na elaboração da campanha de lançamento da loja eletrônica – e-commerce – B2C da Nagem, desenvolvida pela Agência de Comunicação Meio Virtual, composta por Alessandra Carvalho, Aline Costa, Ana Emília Lopes e André Havro. A Nagem atua no mercado de informática, suprimentos, hardware, software e telefonia há 15 anos e é considerada uma das maiores distribuidoras brasileiras no segmento. Percebendo uma necessidade mercadológica e buscando a inserção nesta fatia do mercado, a empresa passa por uma reestruturação com objetivo de entrar com força também nas vendas online. Para trabalharmos neste projeto foi necessário um conhecimento aprofundado deste universo online, onde desenvolvemos um planejamento de comunicação detalhado, servindo-nos como base sólida ao que nos foi proposto pela empresa. Para que este planejamento obtivesse um resultado positivo o fizemos através de subsídios mercadológicos analisados pela a agência Meio Virtual. Pesquisas secundárias – realizadas pela e-bit1, consultas a sites que abordam o assunto com muita propriedade e atualidade, referências teóricas e finalmente reuniões com o departamento de marketing da Nagem. Todo planejamento teórico e de comunicação exposto anteriormente, nos serviu para detectar qual linha criativa deveríamos seguir, de que forma a mensagem deveria ser comunicada ao consumidor, qual diferencial evidenciamos nos serviços da empresa, quais fragilidades e oportunidades a empresa e o mercado poderiam encontrar, enfim todas as ações que envolvem uma campanha publicitária. Com os capítulos que se iniciarão a partir de agora, entraremos em um universo que não é palpável, não é físico, entretanto nos possibilita uma infinidade de novas formas de comunicação e interação, este universo também não possui um formato linear e vem cada dia mais conquistando espaço, não apenas para entreter, mas vem se mostrando como grande ferramenta na geração de negócios inovadores e sustentáveis. A Meio Virtual buscou transformar de alguma 1 E-bit – Empresa de pesquisa, marketing e tecnologia online. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 7. 7 maneira em objeto palpável e real esse mundo que gira na grande rede, através das peças encontradas e defendidas nesta campanha publicitária, materializada e divulgada através de uma mídia eficaz e segmentada ao que o mercado e o target exigem. Focamos uma divulgação com formato diferenciado, porém respeitando uma verba pré-determinada. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 8. 8 SUMÁRIO RESUMO.................................................................................................... 6 1.APRESENTAÇÃO.................................................................................. 12 2.GLOSSÁRIO......................................................................................... 13 3.INTRODUÇÃO...................................................................................... 16 4.TEMA................................................................................................... 18 5.METODOLOGIA.................................................................................... 20 6.A INTERNET........................................................................................ 21 6.1 O Surgimento da Internet................................................................ 21 6.2 Um novo mercado para geração de negócios....................................... 23 6.3 O mercado potencial no Mundo......................................................... 24 6.4 O mercado potencial no Brasil........................................................... 25 6.5 Comércio Eletrônico......................................................................... 26 6.6 e-Consumidor................................................................................. 29 6.7 Análise do Público-Alvo.................................................................... 30 7.AGÊNCIA............................................................................................. 35 7.1 Apresentação da Agência................................................................. 35 7.2 Dados da Agência........................................................................... 35 7.3 Funções dos departamentos da agência............................................. 35 7.4 Organograma da agência................................................................. 36 7.5 Missão da agência........................................................................... 36 7.6 Visão da agência............................................................................. 36 7.7 Slogan da agência........................................................................... 36 7.8 Logomarca da agência..................................................................... 36 7.9 Portifólio........................................................................................ 37 8.BRIEFING............................................................................................ 38 8.1 Análise da situação.......................................................................... 38 8.2 Histórico........................................................................................ 38 8.3 Missão e Filosofia............................................................................ 39 8.4 Serviço.......................................................................................... 39 8.5 Mercado: Análise da conjuntura e o setor de atividade......................... 43 8.6 Razões de compra........................................................................... 44 8.7 Preços........................................................................................... 46 8.8 Concorrência.................................................................................. 46 9.PESQUISA........................................................................................... 48 9.1 Definição do problema a ser pesquisado............................................. 48 9.2 Objetivos de pesquisa...................................................................... 48 9.3 Objetivo primário............................................................................ 48 9.4 Objetivos secundários...................................................................... 48 9.5 Método e técnica de pesquisa........................................................... 49 9.6 Objetivos de pesquisa...................................................................... 55 10.PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO.................................................. 56 10.1 Problema de comunicação.............................................................. 56 10.2 Objetivos de comunicação.............................................................. 56 10.3 Objetivos e metas estabelecidas para a campanha............................. 56 10.4 Veículos utilizados na comunicação.................................................. 57 10.5 Parcerias...................................................................................... 58 10.6 Cronograma do projeto.................................................................. 60 11.PLANO DE MÍDIA.............................................................................. 61 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 9. 9 11.1 Atuação....................................................................................... 61 11.2 Desenvolvimento do plano de mídia................................................. 62 11.3 Período da campanha..................................................................... 63 11.4 Definição da estratégia................................................................... 63 11.5 Veículos utilizados......................................................................... 64 11.6 Definição da tática dos veículos offline.............................................. 68 11.7 Definição da tática dos veículos online.............................................. 97 11.8 Quadro resumo freqüência............................................................ 109 11.9 Quadro resumo percentual............................................................ 110 11.10 Planilha com estimativa de custos................................................ 111 11.11 Investimento total na campanha.................................................. 112 12.REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA......................................................... 113 13.BIBLIOGRAFIA................................................................................ 113 14.SITES CONSULTADOS......................................................................114 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 10. 10 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Ilustração 1 - Logomarca da agência Meio Virtual....................................... 36 Ilustração 2 - Mapa com os locais de atuação da campanha........................ 61 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 11. 11 LISTA DE GRÁFICOS Gráficos - E-Commerce no mundo - Usuários residenciais ativos.................. 28 Gráficos - Quantidade de e-consumidores: Crescimento.............................. 29 Gráficos - Público alvo - Classe econômica................................................ 32 Gráficos - Público alvo - Perfil por sexo..................................................... 33 Gráficos - Público alvo - Faixa etária........................................................ 34 Gráficos - Faturamento do e-commerce no Brasil....................................... 49 Gráficos - Quantidade de pedidos de 2001 a 2004...................................... 50 Gráficos - Perfil do público jovem - Demografia......................................... 50 Gráficos - Perfil do público com mais de 50 anos - Demografia.....................51 Gráficos - Tipo de conexão - Jovens......................................................... 52 Gráficos - Tipo de conexão - Mais de 50 anos............................................ 52 Gráficos - Média anual do tíquete médio................................................... 54 Gráficos - Perfil de usuários UOL - Compras pela internet............................ 58 Gráficos - Circulação por regiões - Revista Exame...................................... 87 Gráficos - Circulação por regiões - Revista VOCÊ S/A.................................. 89 Gráficos - Terra - Líder em banda larga.................................................. 106 Gráficos - MSN - Coparativo de audiência................................................ 107 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 12. 12 1.APRESENTAÇÃO Trata-se de um projeto para a conclusão do curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, sendo orientado e co-orientado por Karla Patriota - MS e Roberta Fernandes, respectivamente. A intenção deste projeto é desenvolver uma campanha de lançamento, com publicidade online e offline, tendo como foco o e-commerce da Nagem, salientando que neste trabalho, foi desenvolvido pela Meio Virtual apenas a campanha de comunicação para o B2C, business-to-consumer, ou seja, negócios direcionados para o consumidor final, o varejo online da empresa. Foram realizados estudos baseados em teorias e conteúdos bibliográficos já existentes sobre esse novo mercado em que a Nagem busca atuar. Através de pesquisas secundárias e entrevistas com o departamento de marketing da Nagem, identificamos o público cuja empresa aspira comunicar, utilizando ferramentas de comunicação para a execução desta campanha. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 13. 13 2.GLOSSÁRIO Do inglês Business-to-Business. Expressão utilizada para indicar operações de comércio B2B eletrônico entre empresas. Do inglês Business-to-consumer. Expressão utilizada para indicar operações de comércio B2C eletrônico entre empresa – consumidor. Programa para abrir e exibir as páginas da web. Os mais populares são o Explorer da Microsoft e o Navigator da Netscape. A palavra vem do antigo francês broster, fazer a Browser colheita, que é exatamente o que tentamos fazer na web: encontrar os sites que julgamos mais apetitosos. Percentual de clicks que um banner ou outro elemento publicitário produziu. É calculado Click-Through dividindo-se o número de clicks pelo número de exibição do banner ou outro elemento publicitário. Comércio Este é o nome genérico que se dá à compra e venda de bens e serviços via internet. A todo o Eletrônico tipo de comércio que ocorra na internet dá-se este nome. O e-mail, também conhecido por correio eletrônico, é o envio e recepção de mensagens eletrônicas através de um programa apropriado. Para enviar uma mensagem para um amigo Correio que possui um endereço de correio eletrônico, basta utilizar um programa de e-mail (por exemplo o Outlook Express que pertence ao pacote de programas incluídos no internet Explorer) Eletrônico e digitar o endereço do destinatário, o assunto e o texto da mensagem. Quando se efetua o (E-mail) envio da mensagem, ela demora, normalmente, poucos segundos para chegar à "caixa" de e- mail do destinatário. Da próxima vez que o destinatário se conectar à internet e verificar a caixa de e-mail, recebe a mensagem. CPC Custo por clique. CPM Custo por mil impressões de um banner ou outro elemento publicitário cobrado por um site. O território não físico por onde os dados são transportados de um sistema para outro. É um Cyberspace espaço virtual pelo qual circulam coisas concretas, como os e-mails, mas que não pode ser percebido pelos cinco sentidos humanos. Também chamado sub-domínio, é o nome dado ao computador no qual está alojado o servidor das suas páginas. Este domínio pode ser real, se o computador apenas tiver um nome, ou pode Domínio ser virtual, se o computador for conhecido por diversos nomes. Em linguagem corrente, Domínio é utilizado muitas vezes como o nome que identifica uma entidade (organização, marca, produto) na internet. O domínio é composto por um nome e por um sufixo (ex. com.br). Do inglês electronic commerce, é a designação genérica para as operações de comércio E-commerce eletrônico que utilizam a internet como ferramenta ou meio de transações. Correio Eletrônico - Troca de mensagens de texto e arquivos através da rede. Com um programa E-Mail específico. É ainda o recurso mais usado da Internet. Feedback Do inglês, mesmo que retorno. Flash Programa desenvolvido pela Macromedia para criar páginas multimídia. Host É qualquer computador na internet com um nome de domínio. Serviço pioneiro que oferece a qualquer internauta uma conta de e-mail gratuita acessável Hotmail através da Wed. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 14. 14 Sigla de Hypertext Markup Language, linguagem de marcação usada em geral para documentos HTML da WWW (World Wide Web). Hyper Text Transfer Protocol - Protocolo usado para transferir arquivos HTML na World Wide Http Web. A internet é a rede das redes, que é formada por um vasto conjunto de redes independentes Internet ligadas entre si. A internet liga computadores de diferentes tipos e dimensões e permite a comunicação entre pessoas de diferentes países, raças e culturas. Imagens, palavras ou expressões que servem de ligação direta para outra página,ou parte da Links própria página. Computador muito grande e caro capaz de suportar centenas, ou até mesmo milhares, de usuários simultaneamente. Em uma hierarquia que começa com microprocessadores (como os existentes em relógios, por exemplo) e vai até os chamados supercomputadores, os MainFrames MainFrame estão logo abaixo desses últimos. Em alguns casos, os MainFrames são mais potentes que os supercomputadores, porque eles têm a capacidade de suportar mais programas executando simultaneamente. Marketing online é um conjunto de atividades, inseridas no contexto geral do marketing Marketing convencional, através das quais uma organização divulga, promove, anuncia e/ou dá suporte a online seus produtos ou serviços, utilizando para isto os recursos de comunicação eletrônica mediados pela internet. Em linha ou conectado, ou ainda idéia de atendimento imediato, ágil, automático, sem tempo de Online espera. Solicitação de uma página de internet requisitada por um usuário através de um clique em um Page View link ou através do endereçamento direto no browser. Um novo page view ocorre sempre que um internauta visualiza uma nova página. É também conhecido por page requested. Um computador que cabe na palma da mão. O nome palm serve para diferenciá-lo de laptop (que cabe no colo) e de desktop (em cima da mesa). Também conhecido por handheld, para Palmtop levar na mão, o palmtop tem menor capacidade de memória, porque foi desenvolvido para trabalhos específicos, equipes de vendas, por exemplo, o utilizam para emitir pedidos e acessar os dados do cliente. O palmtop não tem teclado nem mouse, uma caneta especial os substitui. Password Senha. É a unidade de medida lógica utilizada para determinar a resolução de um monitor. A medida pixel varia de acordo com a resolução física utilizada. Se for utilizada a resolução máxima do Pixel monitor, um pixel corresponderá a exatamente um ponto no monitor. Caso a resolução adotada seja menor que aquela permitida pelo monitor, o pixel terá um tamanho maior de pontos, ou seja, um pixel será representado por mais de um ponto no monitor. Site na internet que agrega serviços, notícias e grande volume de conteúdo informativo e/ou de Portal entretenimento. Prospects Possível cliente. Termo que designa a interconexão entre diversos computadores e outros dispositivos, por meio Rede de cabos, rádio ou satélite. A rede pode ser definida como um grupo de pontos, estações e nós interligados e o conjunto de equipamentos que os conecta. O computador de uma rede responsável por administrar e fornecer programas e informações Servidor para os outros computadores conectados, chamados clientes. Palavra em inglês que significa local, lugar. Na internet, designa um conjunto de páginas que Site representa uma pessoa, uma instituição ou uma empresa na rede. O termo home page é usado para a página principal de um site. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 15. 15 Uniform Resource Locator - Endereço na Internet. As URLs são usadas por navegadores da Web para localizar recursos na Internet. Uma URL especifica o protocolo a ser usado para acessar o URL recurso (como http: para uma página da Wold Wide Web, ou ftp: para um site de FTP), e o nome do servidor no qual o recurso reside. Pessoa que utiliza determinado serviço na web, normalmente registrado através de login (nome) Usuário e password (senha). Um conjunto de documentos totalmente interligado de documentos em hipertexto que residem Web em servidores HTTP do mundo todo. World Wide World Wide Web, ou apenas Web, é o termo utilizado quando nos referimos à imensidão de páginas existentes em toda a internet; Página web é o termo utilizado para nos referirmos a Web (www) uma determinada página; E website é o conjunto de páginas web em um determinado endereço. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 16. 16 3.INTRODUÇÃO As novas tecnologias provocam periodicamente mutações na maneira como conduzimos os negócios. No início dos anos 50, quando a televisão foi inserida no mercado brasileiro, época esta que houve grandes contestações, pois era visto como um aparelho sem grandes utilidades, muitos duvidavam de que um dia se tornasse popular. Não se imaginava seu poder de geração de negócios, principalmente, como ferramenta de mídia publicitária. Com o advento da Internet, acontece o mesmo processo, muitos ainda duvidam da sua popularidade, certamente essas pessoas acompanham sua evolução, que se comparada a TV percebe-se que é mais rápida, como podemos verificar através de dados2, que indicam que em 1964, 14 anos após sua invenção, o Brasil tinha 34 estações de TV e 1,8 milhões de aparelhos receptores, chegando em 2004 com cerca de 90 milhões3 de aparelhos receptivos. Já a internet em 1975, possuía aproximadamente 100 sites e em 2005, consegue uma audiência aproximada de 20 milhões de internautas4. Em pouco tempo a internet fará parte do nosso cotidiano de uma forma tão natural que se tornará imperceptível em nossa rotina diária. A esse respeito Lynch (1996) destaca: “(...) a Internet pode ser utilizada por qualquer pessoa, trata-se de uma fronteira eletrônica anárquica, que cresce a uma velocidade exponencial. Ela, que era praticamente invisível, tornou-se quase onipresente em pouco mais de um ano.” Lynch (1996:06) Um exemplo disso são os eletrodomésticos com acesso à web, como a geladeira Internet Digital DIOS Refrigerador, fabricada pela empresa coreana LG Eletronics, trata-se de um eletrodoméstico que permite que seus usuários naveguem pela Web, avisa quando os produtos armazenados em seu interior estão para perder a validade, pode realizar chamadas telefônicas. O refrigerador da LG Eletronics vem com dois visores de cristal líquido de 15 polegadas na porta. O aparelho é fruto de uma pesquisa que durou três anos, demandou US$ 49,2 milhões e envolveu 2 Site consultado no dia 12 de maio de 2005, http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos 3 Dado coletado no dia 30 de maio de 2005, através do site www.mct.gov.b 4 Dado coleta através do Instituto de Pesquisa e-Bit. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 17. 17 55 profissionais de tecnologia. Ainda referente a este assunto, Limeira (2003) enfatiza: “Essa nova economia é também chamada de economia do conhecimento, porque a inteligência é aplicada a tudo o que é produzido e na maneira como é produzido. Isto é, os produtos cada vez mais têm como conteúdo o conhecimento e se tornam cada vez mais inteligentes, com microprocessadores embutidos”. Limeira (2003:32) Segundo Cid Torquato5, diretor da Camara-e.net, “Em 2005, a Internet está aparentando ser a última tecnologia que alterará a maneira como os negócios são conduzidos, sendo notadamente simples no seu funcionamento e extremamente estimulante quanto a sua utilidade”. A cada dia que passa, as pessoas estão encontrando novas maneiras de utilizar a Internet, em 2005 o número de usuários no mundo já chega aos 817 milhões6. Percebemos que o crescimento da Internet é um fator real, por este motivo, há grandes investimentos das empresas neste universo virtual, logo, uma empresa com o porte da Nagem, sendo esta uma das maiores distribuidoras do Brasil de artigos e suprimentos para informática, eletrônicos, telefonias, papelaria e acessórios para escritórios, não poderia ficar de fora desta tendência mercadológica. E podemos destacar essa necessidade do nosso cliente como um fator primordial para o desenvolvimento deste projeto, onde traçaremos quais os meios de comunicação serão mais adequados, e o que a Nagem deseja para a campanha de lançamento do seu novo canal de vendas. 5 Entrevista realizada no dia 12 de Março de 2005, com o diretor da Camara-e.net – Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, pela Meio Virtual. 6 Dados coletados no dia 20 de março de 2005, através do site http://www.e-commerce.org.br Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 18. 18 4.TEMA Optamos por desenvolver uma campanha de lançamento do novo canal de vendas da Nagem por um motivo empolgante que é perceber que a empresa não trata o seu e-commerce apenas como uma extensão das suas lojas físicas, e sim como um novo segmento de negócios. Os avanços tecnológicos estão ligados diretamente às novas necessidades do mercado e para a empresa estar inserida neste contexto, precisa agregar cada vez mais valores aos seus serviços, sempre inovando e mostrando ao consumidor seus diferenciais. No nosso caso, a opção por um comércio eletrônico está diretamente ligada ao que o mercado no segmento pesquisado exige. Praticidade e rapidez para o consumidor, diminuição nos custos e aumento nos lucros para a empresa. Quando escolhemos o lançamento do e-commerce como tema para nosso projeto levamos em consideração pontos fundamentais para que esta oportunidade de negócios, tanto para a Meio Virtual, quanto para a empresa Nagem, não seja desperdiçada. Houve uma junção nos esforços da agência para organizarmos um trabalho prévio de pesquisa, levantamento de dados de mercado, conhecimento do serviço a ser oferecido e elaboração de um planejamento de comunicação. Através dos preceitos citados anteriormente embasamos a nossa justificativa pela escolha do comércio eletrônico da Nagem da seguinte forma: ▪ A necessidade do cliente A Nagem busca atuar no mercado online, para torna-se cada vez mais competitivo; ▪ Atingir um público específico Os internautas; ▪ O mercado exige diferencial Agregar cada vez mais valores a sua marca; ▪ O aumento da competitividade da Nagem Abertura de um novo canal de vendas; Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 19. 19 ▪ Aumento nos lucros Diminuição nos custos, atingindo maior número de consumidores através do e-commerce; ▪ Rapidez e praticidade para o consumidor Possibilidades oferecidas por uma loja virtual, efetuar operações comerciais através da internet. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 20. 20 5.METODOLOGIA No desenvolvimento deste projeto passamos por algumas etapas nas quais iremos apontá-las buscando fornecer subsídios para melhor compreensão da metodologia utilizada na sua elaboração. Tivemos como base teórica alguns autores, LIMEIRA (2003); BLUMENSCHEIN (2000) & TEIXEIRA DE FREITAS (2000); VENETIANER (2000); CANTON (2001); NAJIB MATTA (1996); STERN (2000); TEIXEIRA FILHO (2001); FRANCO JR. (2005) entre outros. Tais autores serviram como sustentação para o entendimento do assunto abordado que está inserido dentro do universo virtual, o e-commerce. Ainda neste tópico podemos destacar uma limitação no assunto, já que estamos tratando de uma tecnologia virtual que sofre constantes mutações e atualizações no que se refere aos dados coletados, para sustentação desta afirmação, citamos como exemplo as referencias bibliográficas utilizadas no corpo deste projeto, onde os livros datam desde 1996 até 2003, não nos possibilitando assim uma base teórica mais atualizada, porém não foram descartadas, considerando que teorias se bem fundamentadas, se adequam em qualquer época. Outras ferramentas utilizadas ao longo deste projeto foram as consultas a sites referentes ao assunto abordado e as pesquisas, que serviram como princípios norteadores do que o mercado virtual exige. Para este estudo contamos com os resultados coletados pela empresa de pesquisa de marketing e tecnologia online, e–bit, que é apoiada pela Camara-e.net – Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico. Estas pesquisas são coletadas junto a consumidores após realizarem compras em aproximadamente 400 lojas virtuais. Dividem-se em três etapas, sendo elas: Pesquisa de bitConsumidor, comportamento, expectativa de consumo. Ainda na metodologia, buscamos o entendimento maior do assunto fazendo entrevistas com nomes relacionados ao meio como Michel Lent Schwartzman da 10`Minutos – empresa especializada em internet , Cid Torquato da Camara-e.net – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, além de reuniões com o departamento de marketing da Nagem: Luiz Fernando Videres e Iara Espíndola. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 21. 21 6.A INTERNET A internet tem revolucionado o mundo dos computadores e das comunicações como nenhuma invenção foi capaz de fazer antes. Eleita pelo MIT como a maior inovação dos últimos 25 anos7, a internet é um mecanismo de disseminação da informação e divulgação mundial e um meio para colaboração e interação entre indivíduos e seus computadores, independentemente de suas localizações geográficas. “O espaço na internet não tem barreiras geográficas, apropriando-se realmente da visão global. O que caracteriza o espaço na internet é somente o endereço dos sites, os quais não tem hierarquia entre si”. Franco Jr. (2000: 25) “A internet é, portanto, um mundo sem fronteiras. E nele, pouco importa a localização física de determinada empresa”. Teixeira Filho (2001:31) A história da internet é complexa e envolve muitos aspectos - tecnológicos, organizacionais e comunitários. E sua influência atinge não somente os campos técnicos das comunicações via computadores mas toda a sociedade, na medida em que usamos cada vez mais ferramentas online para fazer comércio eletrônico, adquirir informação e viver em comunidade. 6.1 O SURGIMENTO DA INTERNET Em 1969 com o advento da gerra fria, o Departamento de Defesa Norte Americano (Defense Advanced Research Projects Agency - DARPA) lança uma rede privada para troca de informações militares, inicialmente com o nome de ARPANET. A ARPANET visava o desenvolvimento de uma rede de computadores para comunicação entre os principais centros militares de comando e controle que pudesse sobreviver a um possível ataque nuclear, além de permitir que engenheiros e cientistas que trabalhavam em projetos militares em toda América, 7 Segundo levantamento realizado pelo Massachusetts Institute of Technology – www.mit.edu – em conjunto com a CNN – www.cnn.com, em Janeiro de 2005, para comemorar os 25 anos da rede de notícias, o "Top 25 Innovations" destaca inovações fora da área medica, que têm sido amplamente utilizadas desde 1980, com impacto direto no dia-a-dia das pessoas. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 22. 22 pudessem compartilhar computadores caros e outros recursos. O passo seguinte foi o desenvolvimento do e-mail, que possibilitaria o intercâmbio de informações, rapidamente transformando a rede em um novo canal de comunicação. E assim iniciou-se o que na atualidade se conhece como INTERNET. A rede inicial interligava 4 supercomputadores de laboratórios de pesquisa. Em 1971 já eram 15 supercomputadores. Em 1972 já eram 37 supercomputadores. No final da década de 80, enquanto a Internet estava crescendo no meio acadêmico, um outro tipo de revolução estava acontecendo. As empresas iniciavam a troca de seus mainframes por redes locais de computadores, que fizeram mais do que apenas economizar dinheiro. Elas modificaram a maneira das pessoas trabalharem, multiplicando as possibilidades de lidar com a informação. Em 1983 a ARPANET já tinha crescido tanto que foi resolvido que as pesquisas militares deveriam ser transferidas para uma rede separada que se chamou MILNET. Em 1984 foi a vez da National Science Foundation, outro órgão do governo americano, estabelecer a sua rede, a NSFNET. Essa foi à solução encontrada para ligar cinco centros de supercomputadores e fazer com que a informação fosse acessível com facilidade por quem dela necessitasse. Logo o sistema foi aberto para instituições educacionais, empregados do governo e órgãos de pesquisa. Em 2005 todas as redes estão se interligando através da Internet, fazendo com que você utilize o computador para navegar nas informações existente dentro do cyberspace, compartilhando sinais inteligentes com o resto do mundo. Segundo James Canton8 (2001) “A internet não segue regras ou leis, nem é controlada por ninguém. É a forma mais pura de democracia digital já inventada pela humanidade. A rede pode ter sido a primeira instância na qual conseguimos fundir tecnologia com alguns dos valores humanos mais preciosos que estão na base de nossa civilização moderna e da democracia”. Canton (2001: 83- 84) 8 James CANTON, Tecnofutures. Como a tecnologia de ponta transformará a vida no século 21, p. 83 e 84. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 23. 23 6.2 UM NOVO MERCADO PARA GERAÇÃO DE NEGÓCIOS Estar na internet e poder realizar negócios é um desafio atraente, as formas de fazê-los estão sendo avaliados por muitos ângulos diferentes. Na verdade todos estão procurando o formato ideal para realizar este processo. Na internet existem dezenas ou centenas de novos caminhos e estes devem estar de acordo com os interesses dos consumidores. Com a tecnologia em ascensão muitas empresas precisam reorganizar suas estruturas para fazerem parte de um processo onde quem não estiver inserido ficará para trás. A web hoje não pode ser vista apenas como entretenimento ou diversão, mas sim como uma ferramenta imprescindível e revolucionária na geração de negócios e que deve ser utilizada a favor das empresas, muitas delas estão sofrendo mudanças radicais, para fazerem parte deste mercado onde muitas vezes os meios de comunicação como: telefones, faxes são substituídos por um único canal, muito mais rápido e eficiente: a internet. A esse respeito Venetianer (2000) diz: “A Internet constitui-se na primeira mídia na qual é possível conseguir feedback imediato dos clientes ou prospects. Sob esse ponto de vista, a Internet é absolutamente revolucionária. Vou mais longe: através da Internet é possível também fazer com que o internauta influencie e modifique o conteúdo das nossas mensagens mercadológicas e da nossa oferta”. Venetianer (2000:58) Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 24. 24 6.3 O MERCADO POTENCIAL NO MUNDO De acordo com o site InternetWorldStats.com (www.internetworldstats.com) o universo de usuários no mundo em Janeiro de 2005 foi de pouco mais de 817 milhões de internautas, isso representa cerca de 12,7% da população do mundo, e uma taxa de crescimento de 126,4% entre 2000 e 2005, conforme apresentado na tabela a seguir: ESTATÍSTICAS DO USO E DA POPULAÇÃO DA INTERNET DO MUNDO Crescimento Usuários População População Uso da internet, Penetração REGIÕES DO MUNDO do uso no mundo (2005 Est.) % no mundo Dados recentes (% População) 2000-2005 % Africa 900.465.411 14,0% 12.937.100 186,6% 1,4% 1,6% Asia 3.612.363.165 56,3% 266.742.420 133,4% 7,4% 32,6% Europa 730.991.138 11,4% 230.923.361 124,0% 31,6% 28,3% Médio Leste 259.499.772 4,0% 17.325.900 227,8% 6,7% 2,1% America do Norte 328.387.059 5,1% 218.400.380 102,0% 66,5% 26,7% America Latina e Caribe 546.917.192 8,5% 55.279.770 205,9% 10,1% 6,8% Oceania a Australia 33.443.448 0,5% 15.838.216 107,9% 47,4% 1,9% TOTAL NO MUNDO 6.412.067.185 100,0% 817.447.147 126,4% 12,7% 100,0% Fonte: Site InternetWorldStats.com - 03 de Janeiro de 2005. As informações foram retiradas dos relatórios publicados pela Nielsen//NetRatings, International Telecommunications Union, NICs e outros relatórios. Ainda relatando o potencial deste mercado, através de uma pesquisa realizada pela Forrester Resarch9, demonstra que o comportamento de consumidores e lojistas online deverá mudar, de maneira positiva, durante os próximos seis anos. Segundo este estudo, o setor de e-commerce deverá movimentar US$ 316 bilhões no ano de 2010, mas que o dobro encontrado no ano de 200410. 9 Companhia independente de pesquisa tecnológica, que analisa o impacto das tecnologias nos negócios. 10 Matéria retirada do site www.idgnow.com.br no dia 01 de setembro de 2004. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 25. 25 6.4 O MERCADO POTENCIAL NO BRASIL O Brasil, segundo o relatório publicado pela Nielsen/NetRatings, International Telecommunications Union e NICs, possui pouco mais de 18 milhões de internautas, isso representa cerca de 10,3% da população do país, e uma taxa de crescimento de 273,2% entre 2000 e 2005, conforme apresentado na tabela a seguir. O tempo médio de navegação é de 13 horas e 45 minutos, segundo o relatório do Ibope NetRatings, publicado em 18 de Janeiro de 2005. Na comparação com outros países, o Brasil aparece atrás do Japão (14 horas e 36 minutos) e da França (13 horas e 52 minutos). ESTATÍSTICAS DO USO E DA POPULAÇÃO DA INTERNET DA AMÉRICA DO SUL Crescimento do População Uso da internet, Penetração Usuários AMERICA DO SUL uso (2005 Est.) Dados recentes (% População) na AL % 2000-2005 Argentina 37.584.554 5.600.000 124,0% 14,9% 14,6% Bolivia 9.073.856 270.000 125,0% 3,0% 0,7% Brazil 181.823.645 18.660.650 273,2% 10,3% 48,5% Chile 15.514.014 4.000.000 127,6% 25,8% 10,4% Colombia 45.926.625 2.732.200 211,2% 5,9% 7,1% Ecuador 12.090.804 569.700 216,5% 4,7% 1,5% Falkland Islands 2.661 - - - n/a Guiana Francesa (FR) 194.277 3.200 60,0% 1,6% 0,0% Guyana 877.721 125.000 4066,7% 14,2% 0,3% Paraguay 5.516.399 120.000 500,0% 2,2% 0,3% Peru 28.032.047 2.850.000 14,0% 10,2% 7,4% Suriname 460.742 20.000 70,9% 4,3% 0,1% Uruguay 3.444.952 1.190.120 221,7% 34,5% 3,1% Venezuela 24.847.273 2.310.000 143,2% 9,3% 6,0% TOTAL 365.389.570 38.450.870 169,0% 10,5% 100,0% Fonte: Site InternetWorldStats.com - 03 de Janeiro de 2005. As informações foram retiradas dos relatórios publicados pela Nielsen//NetRatings, International Telecommunications Union e outros relatórios. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 26. 26 6.5 COMÉRCIO ELETRÔNICO A palavra comércio eletrônico começou a ser ouvida popularmente nos anos 90, juntamente com o surgimento da internet comercial no Brasil, mas na verdade o conceito de comércio eletrônico já está presente em nossas vidas a muito tempo. “O e-commerce envolve a utilização da internet para penetrar em novos mercados, descobrir ou criar novos canais de comunicação e aproximar-se dos clientes e parceiros de negócios através dos canais de comunicação”. Trepper (2000: XVII) Umas das mais antigas atividades humanas é o comércio, que nada mais é do que a troca de mercadorias ou serviços por moeda ou outras mercadorias e serviços. Já fazemos comércio eletrônico sempre que compramos com cartões de crédito, cheque eletrônico, ou até mesmo uma compra por telefone, porém não percebemos porque já faz parte do nosso cotidiano. Na verdade o e-commerce, longe de estar inventando uma nova forma de comércio, apenas se aproveita de novos recursos de comunicação e informática para realizar operações tradicionais de compra e venda de uma forma mais rápida, barata e segura do que sem a utilização destes recursos (Blumenschein e Freitas, 2000). A revolução trazida pela internet ocorreu não somente na forma como as pessoas interagem, mas também na maneira como realizam transações comerciais. Hoje não há necessidade da presença física nem do comprador, nem do vendedor em um local pré-determinado; não há necessidade do manuseio de papel moeda, não há necessidade da mercadoria no momento da transação. A relação é entre o comprador e o computador localizado em qualquer lugar do planeta e que é programado para realizar processos que culminem em uma compra. Esses processos ocorrem em um local chamado: loja eletrônica. “Eu gosto de comprar pela internet porque é rápido, não preciso sair de casa, não preciso estar pesquisando em lojas físicas, e em apenas alguns cliques compro o que desejo, na loja da minha preferência. Para mim, as Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 27. 27 principais vantagens são as promoções oferecidas exclusivamente para compras pela internet, principalmente quando oferecem frete grátis. Quanto ao prazo de entrega não vejo muitos problemas, pois geralmente são de dois a três dias. Os produtos que mais compro são: Livros, CDs e DVDs. As lojas que mais utilizo são Americanas.com e Submarino. Outra funcionalidade de se comprar pela internet é quando temos que presentear algum amigo que mora fora, pois a entrega é feita diretamente na casa dele. Com relação a segurança, não vejo problema, uma vez que compro em lojas famosas que sempre estão investindo em segurança e nunca tive problemas”. Marcelo Negromonte, Publicitário, 28 anos, compra pela internet a 3 anos. O e-commerce desempenha um papel estratégico para qualquer negócio na internet. É na loja eletrônica que o visitante será apresentado aos produtos onde a decisão de compra vai depender basicamente da qualidade do site em transmitir informações precisas, confiabilidade, segurança na transação eletrônica – cartão de crédito, boleto bancário e débito em conta, segurança pública, interface amigável11 e facilidade de navegação. “Se observarmos, no mundo real, a função comercial está fortemente restrita ao tempo e ao espaço. Por motivos diversos, mas principalmente por custos e segurança, nem todas as lojas ficam abertas 24 hras/dia e nem mesmo todos os dias do ano.” Franco Jr. (2005:44) O Brasil ocupa hoje o sexto lugar no ranking por alcance no mundo em usuários residenciais ativos, conforme pesquisa Nielsen/NetRatings. 11 Termo utilizado tecnicamente para definir que o layout de um website ou sistema é simples de usar por qualquer usuário final. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 28. 28 e-Commerce no mundo em dezembro de 2004 - Alcance % Usuários residenciais ativos 65,00% 64,70% 62,50% 62,10% 60,60% 60,10% 60,00% 57,50% 55,00% 54,30% 52,50% 51,40% 50,00% 49,30% 47,50% 45,00% 43,00% 42,00% 42,50% 41,20% 40,10% 40,00% 38,20% 37,50% 35,00% 32,50% 30,00% 27,50% 25,00% 22,50% 20,00% 17,50% 15,00% 12,50% 10,00% 7,50% 5,00% 2,50% 0,00% Alemanha Reino França Japão EUA Brasil Suíça Austrália Suécia Espanha Hong Itália Unido Kong Fonte: Nielsen/NetRatings Além de demonstrar o sucesso do varejo eletrônico no Brasil, esses dados acima mostram a tendência de crescimento que podemos esperar para os próximos anos. O varejo eletrônico no Brasil poderá, num futuro breve, se igualar aos países onde a internet já é considerada mídia de massa, alcançando mais de 60% das pessoas que acessam a grande rede. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 29. 29 6.6 E-CONSUMIDOR Segundo a 11º edição da pesquisa Web Shoppers12, realizada pela e-bit, empresa de pesquisa e marketing online, em dezembro de 2004 já existiam mais de 3,25 milhões de pessoas que fizeram pelo menos uma compra online. Apesar de parecer volumoso, ainda é muito pouco para o potencial do canal. Ainda mais se levarmos em conta que já existem quase 20 milhões de internautas no Brasil. Quantidade de e-consumidores: Crescimento 3.250.000 3.000.000 2.750.000 2.500.000 2.250.000 2.000.000 1.750.000 1.500.000 1.250.000 1.000.000 750.000 500.000 250.000 0 Nov/03 Dez/03 Jan/04 Fev/04 Mar/04 Mai/04 Jun/04 Jul/04 Ago/04 Set/04 Out/04 Nov/04 Dez/04 Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Novembro de 2003 a Dezembro de 2004. Analisando a tabela a seguir podemos constatar que a maioria dos e- consumidores estão na faixa etária entre 25 e 49 anos, cerca de 45%. Categoria Visitantes Alcance Sexo Idade Únicos (000) (%) HH MM 2-11 12-17 18-24 25-34 35-49 50+ Total Mídia Digital 12.270 54 46 9 15 18 17 27 14 Portais e Buscadores 10.499 86,00 55 45 6 17 20 18 27 12 Telecom e Serviços de Internet 9.566 77,96 55 45 6 17 21 18 25 13 Entretenimento 7.684 62,63 57 43 7 18 21 18 25 11 e-Commerce 5.754 46,89 58 42 4 19 22 19 26 10 Finanças, Seguros e Investimento 5.006 40,80 61 39 4 12 20 21 31 12 Automóveis 1.476 12,00 73 27 3 14 19 22 31 11 Viagens 1.094 9,00 61 39 1 13 20 23 30 13 Fonte: Retirado do Mídia Dados 2004 – Grupo de Mídia São Paulo. Pesquisa Ibope/Netratings – Março 2004. 12 O Web Shoppers traz informações regulares e atualizadas sobre a evolução da Web no Brasil e o perfil dos compradores online. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 30. 30 6.7 ANÁLISE DO PÚBLICO-ALVO Para o sucesso de uma campanha é fundamental conhecermos o perfil do nosso público alvo, assim como um estudo do mercado e de quem é de fato o target, quais são os seus hábitos de consumo e qual o seu comportamento na web. Porém, pesquisas sobre o perfil de quem acessa a internet são, ainda, muito imprecisas e superficiais. Como podemos verificar através da citação de Venetianer (2000:55) diz: “O cibernauta consumidor é um agente econômico emergente e muito recente. Seu perfil comportamental ainda está em formação. Existem poucos estudos confiáveis que nos forneçam pistas sobre sua maneira de ser e de se comportar no ciberespaço.” Porém há sempre a busca, tanto dos institutos de pesquisas quanto das próprias empresas, em dispor de um mapeamento detalhado do perfil deste consumidor. Percebemos a existência de um mercado cada vez mais segmentado, principalmente quando tratamos do universo online. Segundo Limeira, (2003:107): “(...) um dos usos para os dados sobre o perfil dos internautas é a segmentação dos clientes. Para eficácia do processo de transmissão e recepção de informações, bem, como das estratégias de marketing, a segmentação dos clientes torna-se um fator crítico de sucesso”. Ainda na busca dessa segmentação de mercado, identificou-se seis diferentes tipos de segmentos de consumidores online, como destaca Limeira (2004:108): OS SIMPLIFICADORES: Trata-se de um segmento responsável Representado por pessoas que gostam de informações sobre os produtos facilmente disponíveis, serviços confiáveis e de entrega rápida, e que respondem positivamente a qualquer sinal que indique que é mais fácil fazer negócios online do que offline. Não gostam de receber e-mails que não tenham solicitado, e nem de salas de bate-papo ou propagandas intrusivas. Por outro lado, esse segmento é formado por pessoas exigentes, difíceis de satisfazer e reter. Trata-se de um segmento Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 31. 31 responsável por mais de 50% de todas as transações online. OS SURFADORES: São apenas 8% de toda população na Internet, porém , respondem por 32% de todo tempo consumido online. Usam a Internet para diversos fins, como exploração, compras e entretenimento, mas movem-se muito rapidamente entre vários sites, continuamente procurando novas experiências através da web. OS NEGOCIADORES: São aqueles que valorizam um bom negócio. Gostam de procurar bons preços, de ter controle sobre as transações efetuadas e de ter a sensação de participar de uma comunidade. Como por exemplo, visitantes de sites de leilão. OS CONECTADORES: Utilizam a Internet basicamente para se relacionar com outras pessoas, por meio de serviços de e-mail e sites que permitem o envio grátis de cartões eletrônicos. São normalmente novos na Internet, e poucos já efetuaram algum tipo de compra. OS ROTINEIROS: Usam a Internet principalmente pelo conteúdo, normalmente notícias e informações financeiras, e gastam mais que 80% do seu tempo online nos seus dez sites favoritos. OS ESPORTISTAS: Possuem o mesmo comportamento dos rotineiros, mais freqüentam sites de esportes e entretenimento, de maneira que os sites devem ser coloridos, atraentes e interativos. Para conhecer melhor o nosso público alvo utilizaremos dados de pesquisas de fontes secundárias, extraídos dos dados fornecidos pelo Mídia Dados 2004 do Grupo de Mídia São Paulo apresentaremos o perfil do interator13 no Brasil. O universo dos pesquisados corresponde a 40.700.704 pessoas com mais de 10 anos. A pesquisa determina a penetração, o perfil demográfico a quantidade de pessoas pesquisadas. A investigação teve como base nove mercados, analisados pelo Nielsen: São 13 Interator é o termo utilizado para designar a pessoa que acessa a internet. Muitos nomes já foram atribuídos, porém acreditamos que a denominação interator seja a mais coerente, uma vez que na internet estamos sempre interagindo com alguém ou alguma coisa. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 32. 32 Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza, Salvador e Recife. Essas regiões metropolitanas representam cerca de 37% da população brasileira, seu peso econômico é significativamente maior que as áreas que não são essencialmente metropolitanas. 6.7.1 Perfil Demográfico Podemos afirmar que o consumidor da Nagem está distribuído em sua grande maioria no território nacional, uma vez que a loja eletrônica poderá vender e entregar neste território através de frota própria, parcerias com transportadoras e os Correios. 6.7.2 Penetração por Classe Econômica Podemos observar que a maioria das pessoas que acessam a internet no Brasil é pertencente a uma classe social de alto poder aquisitivo. A classe econômica que predomina é a “AB”, com 61% das pessoas que acessam a internet, seguido da classe “C” com 31% e a “DE” com apenas 8%, como podemos ver no gráfico a seguir: Classe Econômica AB 61,00% DE 8,00% C 31,00% Fonte: Retirado do Mídia Dados 2004 – Grupo de Mídia São Paulo. Pesquisa Internet Pop (9º – 2000 a 16º – 2004), Universo: 40.700.704 pessoas com mais de 10 anos. Mercados pesquisados: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador e Distrito Federal. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 33. 33 Segundo o Anuário de Mídia 2005 publicado pela Meio & Mensagem, podemos dividir as classes econômicas da seguinte forma: Classe A1 Acima de 45 salários mínimos/mês Classe A2 Entre 25 e 45 salários mínimos/mês Classe B1 Entre 15 e 25 salários mínimos/mês Classe B2 Entre 10 e 15 salários mínimos/mês Classe C Entre 4 e 10 salários mínimos/mês Classe D Entre 2 e 4 salários mínimos/mês Classe E Até 2 salários mínimos/mês Fonte: Anuário de Mídia 2005 – Meio & Mensagem 6.7.3 Perfil por Sexo Podemos observar uma pequena superioridade dos homens em relação as mulheres com relação ao gênero, porém este número vem se igualando ao longo dos anos tendendo a igualdade ainda em 2005. Homens 52% Mulheres 48% Fonte: Retirado do Mídia Dados 2004 – Grupo de Mídia São Paulo. Pesquisa Internet Pop (9º – 2000 a 16º – 2004), Universo: 40.700.704 pessoas com mais de 10 anos. Mercados pesquisados: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador e Distrito Federal. Perfil por Sexo 55,00% 54,00% 55% 53,00% 52,00% 52,00% 50% 48,00% 48,00% 47,00% 46,00% 45,00% 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 2000 2001 2002 2003 2004 Fonte: Retirado do Mídia Dados 2004 – Grupo de Mídia São Paulo. Pesquisa Internet Pop (9º – 2000 a 16º – 2004), Universo: 40.700.704 pessoas com mais de 10 anos. Mercados pesquisados: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador e Distrito Federal. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 34. 34 6.7.4 Faixa Etária A faixa etária é bastante distribuída, apesar de termos uma grande parcela de pessoas na faixa dos 15 aos 19 anos, cerca de 18%, é na faixa dos 25 aos 49 anos que está concentrado principalmente o público de nossa campanha, os e- consumidores, com cerca de 44% do público analisado, como podemos ver no gráfico a seguir: Faixa Etária 15/19 anos 18% 20/24 anos 17% 10/14 anos 12% 25/29 anos 12% 50 e + anos 9% 40/49 anos 13% 30/39 anos 19% Fonte: Retirado do Mídia Dados 2004 – Grupo de Mídia São Paulo. Pesquisa Internet Pop (9º – 2000 a 16º – 2004), Universo: 40.700.704 pessoas com mais de 10 anos. Mercados pesquisados: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador e Distrito Federal. Segundo matéria publicada na revista VEJA, edição 1896 de 16 de Março de 2005, os adultos são bem mais hábeis que os jovens ao explorar a internet. Os adultos são mais preparados para obter informações na rede, e possuem mais paciência do que os jovens. Essa diferença se dá pela própria natureza dos adolescentes, conforme explicado pelo neuropsicólogo Daniel Fuentes, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo: "Nessa fase, a pessoa ainda não desenvolveu plenamente sua capacidade cognitiva. Ela tem limitações na hora de hierarquizar informações, por exemplo" Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 35. 35 7.AGÊNCIA 7.1 APRESENTAÇÃO DA AGÊNCIA Idéias criativas, iniciativas inovadoras e ações estratégicas. Desde o início de suas atividades, em 2002, quando quatro amigos de faculdade se reuniram para realizar trabalhos acadêmicos, fundando assim a Meio Virtual, a agência tinha como meta principal ser inovadora na sua forma de comunicação, através da implantação de soluções criativas e com o foco no sucesso de seus clientes. Procuramos apresentar as melhores soluções de comunicação, aliando mídias inovadoras e o uso de novas tecnologias, procurando sempre se adequar a verba dos seus clientes. 7.2 DADOS DA AGÊNCIA Ano de fundação: 2002 Número de funcionários: 4 Endereço: Rua Agenor Lopes, 24 – 1002 Boa Viagem • Recife • PE 7.3 FUNÇÕES DOS DEPARTAMENTOS DA AGÊNCIA Criação: André Havro Atendimento: Ana Emília Lopes Mídia e Produção: Aline Costa Planejamento: Alessandra Carvalho Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 36. 36 7.4 ORGANOGRAMA DA AGÊNCIA Atendimento Planejamento Criação Mídia e Ana Emília Alessandra André Havro Produção Lopes Carvalho Aline Costa 7.5 MISSÃO DA AGÊNCIA Contribuir com o desenvolvimento das empresas, oferecendo as melhores soluções de comunicação, atendendo assim as expectativas dos nossos clientes e obtendo uma maior lucratividade e o desenvolvimento da agência, contribuindo para a qualidade de vida e o progresso profissional de nossos colaboradores. 7.6 VISÃO DA AGÊNCIA A visão da Meio Virtual é ser, nos próximos cinco anos, uma agência criativa, dinâmica e com o espírito jovem, apresentando sempre soluções criativas e inovadoras, utilizando para isso as mais novas tecnologias. 7.7 SLOGAN DA AGÊNCIA Apresentamos como slogan da agência a seguinte frase: “Meio Virtual. Idéias criativas com iniciativas inovadoras.” 7.8 LOGOMARCA DA AGÊNCIA Ilustração 1 - Logomarca da agência Meio Virtual Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 37. 37 7.9 PORTIFÓLIO Apresentamos em anexo, um CD com nosso portifólio em formato digital. Neste estão inseridas todas as peças desta campanha, assim como este Projeto Experimental em formato PDF. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 38. 38 8.BRIEFING Cliente: Nagem – CIL Comércio de Informática LTD Brasila. Produto: e-commerce da Nagem – B2C 8.1 ANÁLISE DA SITUAÇÃO 8.1.1 Estrutura física A Nagem é uma empresa com experiência no mercado desde 1990, que comercializa produtos das mais diversas marcas de equipamentos e suprimentos de informática, softwares, eletrônicos, material de escritório, papelaria e telefonia, com linhas para os segmentos corporativos e revendedor de todas as regiões do país. A Nagem possui variedade no que se refere aos produtos comercializados, trabalhando com diversas marcas no segmento. A empresa conta com estoques e escritórios nas unidades de negócios em Recife, São Paulo, Salvador e Fortaleza, além de um escritório comercial no Rio de Janeiro e representantes em Aracaju e Brasília. 8.2 HISTÓRICO No ano de 1990, em Recife – PE surge uma nova empresa de informática, a Nagem. Nesta época tratava-se de uma pequena empresa familiar fundada pelo Halin Nagem e seus irmãos. A Nagem nesses 15 anos de atuação no mercado de informática e suprimentos vem buscando um posicionamento favorável, para isso investe na qualidade e variedade dos produtos, agilidade da entrega, infra-estrutura e equipe profissionalizada. Hoje, a empresa conta com mais de 24 mil clientes ativos em todo território nacional. A partir de 2005, a Nagem passará a trabalhar com o E-commerce, um novo segmento que juntamente aos três já existentes: Distribuição, Venda Corporativa e Varejo, a tornará um dos maiores nomes no mercado de informática nacional, almejando uma possível inserção no competitivo mercado internacional. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 39. 39 8.3 MISSÃO E FILOSOFIA A missão da Nagem é atender as necessidades de seus clientes no fornecimento de produtos e serviços de informática, com qualidade e atualização de estoque. Podemos destacar como filosofia da Nagem a tentativa constante de ser um referencial na prestação dos serviços, através da valorização de seus fornecedores, consumidores e colaboradores, gerando um bom relacionamento entre a Nagem e seus clientes. Com uma estrutura operacional especializada, a empresa oferece ao seu público o que existe de mais moderno, em toda linha de suprimentos, equipamentos, acessórios, telefonia e escritório. 8.4 SERVIÇO A Nagem foi à primeira empresa brasileira a adquirir e instalar o moderno servidor iSeries IBM, aumentando a agilidade, a eficiência e a segurança das informações e os serviços para os seus clientes. O sistema WMS14 de gerenciamento de estoque garante a segurança dos produtos e a rapidez na separação e entrega dos pedidos. Em 2005, são mais de 100 marcas, dentre as melhores do mercado, atendendo assim todas as necessidades de seus clientes e parceiros, além de ser distribuidor oficial de todas as marcas que comercializa. Elencamos algumas destas marcas que constituem o diferencial da empresa: • Samsung • 3M • HP • Tilibra • Epson • Canon • Lexmark • Piloto • Verbatim • Philips • Report • Kodak • Clone • Faber Castell • LG • Microsoft • AMD • Semp Toshiba Informática • SONY • Siemens • Bic • Compactor 14 WMS - Warehouse Management System - Sistema de gestão por software que controla e gerencia as operações do armazém através de informações e conclusão das tarefas. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 40. 40 8.4.1.1 Formas de pagamento As formas de pagamento disponíveis na loja eletrônica são: Cartões de Crédito, Débito Automático e Boleto Bancário. 8.4.1.2 Comparação de produtos Na loja eletrônica da Nagem será possível comparar produtos para auxiliar na decisão de compra. Cada produto terá uma ficha técnica com toda a sua descrição, com isso será possível selecionar dois ou mais produtos e compará-los item por item. 8.4.1.3 Acompanhamento de pedidos Através do site da loja será possível acompanhar o status do pedido. Após realizar a compra o consumidor recebe no seu e-mail um código de acesso para acompanhar passo-a-passo a entrega do seu pedido. 8.4.1.4 Atendimento ao consumidor A Nagem possui um Call Center já estruturado para atender seus clientes através de um 0800 ou pelo chat no site da loja eletrônica. 8.4.2 Quantidade e qualidade Mais de 6.000 itens compõe, em 2005, o estoque. Nele o cliente pode encontrar tudo em equipamentos e suprimentos de informática, software, papelaria, telefonia, eletrônica e material para escritório, adquirindo todas as novidades que compõe o mercado. Todos os produtos com garantia dada pelo fabricante. Além disso, há aproximadamente 600 funcionários, que estão sempre trabalhando para atender e desenvolver os negócios com seus clientes de todo Brasil. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 41. 41 8.4.3 Distribuição Por possuir veículos próprios, contratos com transportadoras de todo país e com empresas de logística como os Correios, a Nagem garante agilidade na separação dos pedidos e na entrega dos produtos dentro do prazo informado ao cliente no ato da compra. Todos os produtos adquiridos na loja eletrônica Nagem serão distribuídos a partir de seu depósito central, localizado no bairro do Curado em Recife, Pernambuco. Os fretes serão pagos, como em todo comércio feito através da internet, pelo cliente que será calculado a partir da cidade de origem (Recife) até o destino escolhido pelo comprador. 8.4.4 Atendimento ao consumidor Há uma preocupação da empresa em monitorar o seu consumidor. Para tirar dúvidas, fazer reclamações ou dar sugestões, a Nagem dispõe de Serviço de Atendimento ao Consumidor através do Call Center ou por e-mail através do seu site. 8.4.5 Pontos positivos Podemos classificar como um dos maiores pontos positivos na entrada da Nagem no mercado virtual, o diferencial quanto ao seu mix de produtos que estão divididos em três grandes grupos: informática, escritório e telefonia. Segundo Luiz Fernando Videres15, da Nagem, este diferencial se dá por conta de não haver outra empresa no Brasil com este mix de produtos. Outra característica positiva da loja é a maneira de catalogação dos produtos que seguem as regras internacionais da DCMI - Dublin Core Metadata Initiative16, com isso fica muito mais fácil a comparação entre produtos, além de conter mais informações facilitando na hora da compra. 15 Luiz Fernando Videres é Gerente de internet da Nagem. 16 O Dublin Core Metadata Initiative é uma organização internacional voltada à promoção, em larga escala, dos padrões de interoperabilidade de metadados. Mais informações em http://dublincore.org Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 42. 42 8.4.6 Pontos negativos Um dos pontos negativos que podemos apontar é o fato da loja eletrônica da Nagem estar sendo implantada em 2005 e muitos consumidores ainda não conhecem a empresa, isso pode gerar uma desconfiança inicial que com um tempo será eliminada. Outra dificuldade é a cultura de compra pela internet que, no Brasil, apesar de estar crescendo a cada dia, ainda não está disseminada, causando uma desconfiança por parte dos e-consumidores que não se sentem seguros para realizar uma compra pela internet. Podemos citar como exemplo os EUA onde é possível comprar energia elétrica pela internet desde 2000, conforme matéria do boletim Engecomp17: “Apesar da consolidação da indústria de energia, o conceito de e- commerce já atingiu o setor elétrico nos Estados Unidos, e inúmeras empresas estão criando suas plataformas para compra e venda de energia online pela internet. Neste momento, o número de sites dedicados à comercialização de energia, ou que ofereçam novos serviços comerciais para as empresas de energia está proliferando rapidamente. Este assunto foi matéria de capa da Revista ENERGY MARKETS, na edição de abril/2000. (...) A Enron já faz mais de 1000 vendas por dia (que correspondem a US$ 2,5 bilhões por mês) com clientes via EnronOnline. Outras empresas estão entrando neste mercado com inúmeros serviços. A Amdax e a i2i Energy, que inauguraram seus novos sites recentemente, permitem que seus clientes comprem energia, e também busquem soluções para outros problemas.” (Segundo o boletim Engecomp em matéria publicada em 03 de julho de 2000) 17 Boletim Engecomp - www.engecomp.com.br/bol_0032.htm. Matéria retirada do site em 17 de Março de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 43. 43 8.5 MERCADO: ANÁLISE DA CONJUNTURA E O SETOR DE ATIVIDADE O maior segmento da Nagem hoje é a distribuição, onde há uma geração de negócios entre empresas, detendo 50% do faturamento da corporação. Grandes empreendedores no segmento do varejo compram seus produtos através deste setor de distribuição da Nagem. Podemos destacar dentre outras, a Infobox18 que faz parte da sua lista de clientes. Distribuição de receitas - Nagem 50% 40% 10% DISTRIBUIÇÃO CORPORATIVO VAREJO A área corporativa, responsável por 40% do faturamento, oferece uma tabela de preços maiores que as da distribuição, atingindo um público final, sendo elas empresas que compram produtos em grande quantidade sem a finalidade da revenda, mas para uso próprio. Exemplificamos algumas das grandes empresas parceiras da Nagem neste segmento como o Bompreço, Kibon, Alpargatas, Detran, entre outros. Com 10% do faturamento, o segmento de varejo, que é composto pela negociação efetuada entre a Nagem e o consumidor final, através das suas lojas físicas, com uma tabela de preços mais elevados que as dos outros dois segmentos mencionados anteriormente, havendo uma grande diferença com as negociações comerciais entre a distribuição e o varejo, para que não haja um conflito entre os segmentos que a empresa atua e conduz de maneira distinta. 18 A Infobox é uma empresa com lojas em Recife, Olinda e João Pessoa que comercializa produtos de informática e escritório. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 44. 44 8.6 RAZÕES DE COMPRA O universo virtual dispõe de várias possibilidades para a efetuação de uma compra online, pela web conseguimos encontrar uma gama de serviços e produtos com grande facilidade e comodidade, além de outras informações de pesquisa. Podemos destacar como característica deste e-consumidor uma mistura de sensações onde as principais são: controle do que se compra, possibilidade de comparação, busca por produtos exclusivos, conveniência, rapidez na efetivação das compras e anonimato. Segundo Michel Lent Schwartzman19, CEO20 da 10'Minutos21, o maior benefício do e-commerce para as pessoas que utilizam a internet é a disponibilidade para a compra 24 horas durante os sete dias da semana, em qualquer parte do mundo e a facilidade de se encontrar produtos e comparar preços. Considerando a loja eletrônica da Nagem, podemos classificar mais algumas razões de compra: variedade, qualidade no mix de produtos oferecidos e a confiabilidade que a marca da empresa agrega em algumas capitais do país. 8.6.1 Principais diferenciais do e-commerce Apesar do e-commerce assemelhar-se com outros tipos de vendas, como catálogos eletrônicos e telemarketing, por exemplo, ele possui algumas vantagens que não são encontradas em nenhum outro modelo de negócio, segundo Venetianer (2000:212) podemos elencar os seguintes diferenciais do e- commerce: • Acesso a qualquer tempo, de qualquer lugar A Internet possibilita aos consumidores a oportunidade de fazerem compras de acordo com sua conveniência e no ritmo que desejarem. Eles podem acessar as lojas virtuais de casa, do trabalho, em viagem, de qualquer lugar do mundo, sete dias por semana, 24 horas por dia. A situação é vantajosa também do ponto de vista do vendedor – ele pode manter uma loja virtual aberta o ano inteiro, sem grande interferência humana, podendo alcançar os compradores potenciais onde quer que 19 Entrevista feita com Michel Lent Schwartzman, CEO da 10`Minutos, pela agencia Maio Virtual, no dia 14 de março de 2005. 20 Chief Executive Officer 21 10’ Minutos é uma agência de internet sediada em São Paulo que atende clientes como: Kaiser, UCI, Honda, TAM, Itaú, EPSON, entre outros. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 45. 45 eles estejam. • Globalização da oferta (...) a Internet possibilita economizar na passagem, nas estadas, e no dinheiro gasto na Disneyworld. Basta visitar os inúmeros sites dos mesmos lojistas de Miami para poder encomendar via Rede, com entrega garantida em casa. • Atualização rápida Ao contrário do que acontece em lojas reais ou na venda por catálogos, os veículos de divulgação de ofertas virtuais podem ser atualizados rapidamente. Você não precisa remanejar fisicamente a vitrine nem imprimir um novo catálogo. Dá para incluir e excluir artigos, mudar seus preços, fazer e trocar promoções quase instantaneamente. Do ponto de vista do fornecedor isso é incrivelmente vantajoso, pois permite manter a oferta sempre renovada. O freguês agradece já que ele também gosta de encontrar sempre novidades. • Personalização da oferta Acompanhando os hábitos de cada cibernauta, em certos casos é possível personalizar a oferta virtual para atender às suas exigências. (...) • Custo menor Na maioria dos casos, vender através da Internet resulta em grandes economias no processo de distribuição e mesmo de marketing. Esses custos podem representar uma parcela ponderável do seu custo total. • Segurança no pagamento (...) Comparado a qualquer outro esquema de pagamento, o da Internet é de fato tão seguro quanto quaisquer outros. (...) • Compras por impulso É provável que as lojas virtuais sejam as maiores propulsionadoras das vendas por impulso. Afinal é tão mais fácil e rápido encontrar o que a gente quer comprar e, por que não, aquilo que não quer também. (...) Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 46. 46 8.7 PREÇOS Os preços praticados na loja eletrônica B2C serão os mesmos das lojas físicas, mas existirão algumas promoções exclusivas oferecidas para os produtos comercializados via web. Inicialmente teremos promoções com frete grátis, atraindo ainda mais os e-consumidores, uma vez que a Nagem ainda não possui uma marca estabelecida no país, criando com isso mais um diferencial. “A empresa deve ter flexibilidade em seus processos, criando diferentes alternativas para satisfazer ao cliente nas condições prometidas”. Franco Jr. (2000:83) Os preços praticados pela loja eletrônica da Nagem terão uma variação de acordo com o produto solicitado, que pode ser de uma simples régua plástica (20cm Cristal) no valor de R$ 0,29 até os mais sofisticados equipamentos de informática, como por exemplo uma impressora matricial (DFX8500 136C C204001L Epson) custando R$ 23.634,0022. 8.8 CONCORRÊNCIA Levamos em consideração na concorrência da loja eletrônica da Nagem empresas que se aproximam tanto no seu funcionamento operacional quanto na variedade dos produtos comercializados. Ressaltando apenas que no mix de produtos oferecidos não há uma concorrência direta, pois a Nagem é a única empresa no segmento que dispõe de uma variedade de aproximadamente 6 mil itens no mix que compõe comercialmente sua loja virtual. Classificamos como concorrentes diretos empresas que trabalham com um mix semelhante aos produtos oferecidos pela loja eletrônica e que sejam apenas comercializados através da internet. Já a concorrência indireta foi analisada através das empresas que atuam no segmento de informática, papelaria, telefonia, hardware, software e eletrônicos que poderão ser encontrados não apenas através da web, mas também em lojas físicas. 22 Preços obtidos em 17 de Março de 2005 no website da Nagem. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 47. 47 8.8.1 Concorrentes diretos Elencamos as seguintes lojas virtuais como principais concorrentes diretos do e- commerce da Nagem: ▪ Kalunga ▪ Plug Use www.kalunga.com.br www.pluguse.com.br ▪ Extra ▪ Livraria Modelo www.extra.com.br www.livrariamodelo.com.br ▪ Ponto Frio ▪ On Officenet www.pontofrio.com.br www.officenet.com.br ▪ Americanas ▪ MSD Multimídia www.americanas.com www.msdmultimidia.com.br ▪ Submarino ▪ Direct Shop www.submarino.com.br www.dshop.com ▪ Infobox ▪ Brasoftware www.infobox.com.br www.brasoftware.com.br ▪ Shoptime ▪ Magazine Luiza www.shoptime.com.br www.magazineluiza.com 8.8.2 Concorrentes indiretos A concorrência indireta foi definida da seguinte forma: ▪ Infobox ▪ Data 3 Informática ▪ Hiper Bompreço ▪ Mr. Micro ▪ Livraria Modelo ▪ Hipernet Informática ▪ Compex ▪ Info House ▪ Atacadão de Papelaria ▪ Nagem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 48. 48 9.PESQUISA 9.1 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA A SER PESQUISADO Nosso problema é conhecer o mercado que a Nagem busca atuar, mapeando um perfil detalhado do target, traçando assim os seus desejos, o cotidiano, os principais hábitos, perfil demográfico, faixa etária, estado civil, sexo, escolaridade, perfil econômico desse consumidor e quais os produtos são mais procurados. Com essas análises embasaremos o nosso projeto, servindo como guia para conduzirmos de maneira eficaz a inserção do nosso cliente ao novo segmento de mercado que a Nagem busca atuar. 9.2 OBJETIVOS DE PESQUISA Temos como objetivo acompanhar através de pesquisas secundarias, coletadas e analisadas, pela e-bit23, instituto apoiado pela Câmera-e.net, pelos dados publicados no Mídia Dados 2004, Grupo de Mídia de São Paulo, pelos dados publicados no Anuário de Mídia 2005 da Meio & Mensagem, além de dados coletados na própria internet. Com isso pretendemos entender o comportamento dos internautas e sua relação com o e-commerce, para acompanharmos as mudanças e preferências desses consumidores. Adequando todo o planejamento de comunicação às necessidades tanto dos consumidores quanto do nosso cliente. 9.3 OBJETIVO PRIMÁRIO A Nagem estará lançando no mercado uma nova loja eletrônica para concorrer com as já existentes na internet. Temos como objetivo primordial o planejamento e desenvolvimento de uma campanha de lançamento para o novo canal de vendas da Nagem, a loja eletrônica. 9.4 OBJETIVOS SECUNDÁRIOS Após o lançamento da loja eletrônica a Meio Virtual terá como objetivo secundário ampliar a audiência do site, tendo como conseqüência o aumento das vendas, além de consolidar a marca da Nagem na internet. 23 E-bit – Empresa de pesquisa, marketing e tecnologia online. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 49. 49 9.5 MÉTODO E TÉCNICA DE PESQUISA Todo o levantamento de informações assim como o desenvolvimento do plano de comunicação para a campanha de lançamento da loja eletrônica da Nagem será baseado em pesquisas secundárias, realizadas por empresas associadas à Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico – Camara-e.net24 ou pela própria instituição e-bit. Utilizaremos como base a 11º pesquisa Web Shoppers – Raio X Ano de 2004, publicada em Fevereiro de 2005 composta por aproximadamente 400 lojas virtuais e seu painel de e-consumidor. 9.5.1 E-commerce no Brasil O e-commerce B2C brasileiro faturou, em 2004, cerca de 1,75 bilhões de reais, o que representou um crescimento de 47% em relação a 2003. A previsão para 2005 é de um crescimento de cerca de 30% em relação a 2004 com faturamento de R$ 2,3 bilhões, isso devido ao crescente aumento do volume de pedidos que acompanha o varejo tradicional com picos de vendas nas datas comemorativas e principalmente no final do ano. Evolução do Faturamento 2.500.000 2.250.000 2.000.000 1.750.000 1.500.000 1.250.000 1.000.000 750.000 500.000 250.000 0 2001 2002 2003 2004 2005 (previsão) Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Novembro de 2003 a Dezembro de 2004. 24 Camara-e.net – Câmera Brasileira de Comercio Eletrônico – foi fundada em Maio de 2001 pelas 100 principais empresas de e-commerce do país. Sua missão é discutir, promover, posicionar, representar e defender os interesses comuns entre os empresas, entidades e usuários associados, envolvidos e atividades de comércio, relações e negócios por meio eletrônico. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 50. 50 Quantidade de Pedidos 6.000.000 5.600.350 5.500.000 5.000.000 4.500.000 4.332.238 4.000.000 3.646.263 3.500.000 3.000.000 2.589.838 2.500.000 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 0 2001 2002 2003 2004 Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Novembro de 2003 a Dezembro de 2004. 9.5.2 Perfil dos participantes da pesquisa Participaram da pesquisa realizada pela e-bit uma amostra de 6.000 pessoas, homens e mulheres de 15 a 30 anos e acima de 50 anos em São Paulo capital e interior e na cidade do Rio de Janeiro. De acordo com a e-bit apresentamos os seguintes perfis: 9.5.2.1 Perfil do público jovem Como podemos observar a pesquisa revela que a grande maioria do público jovem que respondeu às questões está localizado na Gande São Paulo, cerca de 47%. Demografia Grande São Paulo 47,00% Interior de São Paulo 16,00% Outros 24,00% Rio de Janeiro 13,00% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 4.596. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. Retirado do webste da e-bit – www.e-bit.com.br – em 01 de Março de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 51. 51 Sexo Homens 54% Mulheres 46% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 4.708. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. 9.5.2.2 Perfil do público com mais de 50 anos Demografia Grande São Paulo 48,00% Interior de São Paulo 11,00% Outros 20,00% Rio de Janeiro 21,00% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 1.534. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. Sexo Homens 60% Mulheres 40% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 1.542. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. Outra informação apurada na pesquisa foi em relação ao estado civil. Neste quesito os dois públicos apresentam grande diferença. Cerca de 75% dos jovens são solteiros e cerca de 68% dos com mais de 50 anos são casados. 9.5.2.3 Tipo de conexão Com relação ao tempo de conexão a pesquisa revela que 30% dos mais jovens utiliza a internet durante 30 ou mais horas por semana e cerca de 22% dos mais velhos utiliza a internet pelo mesmo período de tempo. Embora os mais velhos acessem durante menos tempo a maioria desfruta da comodidade de ter acesso do tipo banda larga, cerca de 83%, contra 75% de jovens com este mesmo tipo de acesso à internet. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 52. 52 Jovens Discado 25,00% Banda Larga 75,00% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 4.629. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. Mais de 50 anos Discado 17,00% Banda Larga 83,00% Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 1.538. Coleta feita entre 05 de Janeiro de 2005 e 12 de Janeiro de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 53. 53 9.5.3 Método e coleta de dados 9.5.3.1 Pesquisa bitConsumidor Apresentamos a seguir dados obtidos pela pesquisa e-bit: ▪ Desde abril de 2000 a e-bit já coletou mais de 1,9 milhões de questionários respondidos após o processo de compras online pelo sistema bitConsumidor. ▪ Mensalmente agrega a este volume mais de 45.000 novos questionários. ▪ Os dados da e-bit são coletados junto aos compradores online, imediatamente após a sua experiência de compra. Essas informações, compiladas, geram mensalmente relatórios de inteligência de mercado. 9.5.3.2 Pesquisa de comportamento Jovens x Acima de 50 anos ▪ A e-bit enviou por e-mail convites para seus associados, de 15 a 30 anos e maiores de 50 anos, responderem uma pesquisa sobre seus hábitos de utilização da internet. ▪ Incentivados pela moeda virtual da e-bit, os bits (programa de fidelidade que oferece oportunidades de prêmios a partir de apostas no site da e-bit25), cerca de 6.272 pessoas, em um período de uma semana (entre 05/01/2005 e 12/01/2005) responderam ao questionário. ▪ Essas respostas serviram como base para conhecer alguns hábitos de utilização da internet dos e-consumidores de diferentes faixas etárias. 9.5.3.3 Pesquisa expectativa de consumo ▪ Desde Julho de 2002 a e-bit identifica a expectativa de consumo dos e- consumidores para cada trimestre do ano juntamente com a PROVAR (Programa de Administração do Varejo) da Fundação Instituto de Administração – FIA da USP. 25 Mais informações em www.ebit.com.br Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 54. 54 ▪ Esta pesquisa foi realizada no último trimestre de 2004 com e- consumidores residentes na cidade de São Paulo e mostra a intenção de compras para o primeiro trimestre de 2005 em relação a 11 categorias de produtos, entre elas CDs, DVDs, linha branca, eletrônicos etc. 9.5.4 Resultados Através das pesquisas apresentadas é destacado que o comércio eletrônico brasileiro deve faturar em 2005 cerca de R$ 2,3 bilhões, volume 30% superior ao registrado em 2004. O ticket médio, que é o valor médio gasto pelo e-consumidor em cada compra, fechou o ano de 2004 com uma média de R$ 308,00, quanto no ano anterior havia fechado com uma média de R$ 284,00, como podemos observar no gráfico a seguir: Média anual do tíquete médio R$ 325,00 R$ 308,00 R$ 300,00 R$ 284,00 R$ 275,00 R$ 250,00 R$ 230,00 R$ 225,00 R$ 200,00 R$ 175,00 R$ 150,00 R$ 125,00 R$ 100,00 R$ 75,00 R$ 50,00 R$ 25,00 R$ 0,00 2002 2003 2004 Fonte: Grupo de pesquisas e-bit. Base amostral: 439.408. Janeiro de 2004 a Dezembro de 2004. Com relação a satisfação o estudo mostra que houve uma pequena variação durante o ano de 2004, durante todo este ano, entre 86% e 87% dos e- consumidores declararam estar satisfeitos com suas compras online. Na divisão por produtos, o estudo comprovou que os produtos mais vendidos ainda são os títulos em CDs, DVDs e Livros. Em 2004 esta linha de produtos representou cerca de 27% das vendas do ano. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 55. 55 Segundo a pesquisa da e-bit, o perfil dos consumidores do varejo virtual pouco se alterou nos últimos quatro anos: a grande maioria deles tem renda familiar de aproximadamente R$ 4 mil; 80% dos usuários pagam suas compras com cartão de crédito e a participação feminina alcança 43% do total, contra 40% verificados em 2001. Vale destacar também a maior presença de homens com idade superior a 50 anos. Quatro anos atrás, eles representavam 9% do mercado, e agora já são 15% dos consumidores online. Segundo a pesquisa a variação mais significativa nos últimos anos ocorreu na motivação da compra, que em 2001 era majoritariamente pessoal, uma vez que 50% das pessoas acessavam o site de compra digitando diretamente o nome da loja no navegador. Esta parcela agora é de 24%. Outros motivadores são promoções divulgadas por e-mail, que passaram de 2% para 14% em 2005, e sites de buscas, que aumentaram de 7% para 13%. 9.6 OBJETIVOS DE PESQUISA O relatório Web Shoppers tem como objetivo difundir informações essenciais para o entendimento do comportamento dos internautas e sua relação com o e- commerce. O Web Shoppers analisa as evoluções do comércio eletrônico, as mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores e também procura encontrar pontos a serem melhorados no desenvolvimento do e-commerce brasileiro. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 56. 56 10.PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO Para o sucesso de um e-commerce é fundamental ter uma divulgação eficiente, essa foi a opinião de Gastão Mattos, presidente da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara-e.net) em uma matéria publicada em 18 de Março de 2005 no site da IDG Now. Para o executivo uma das principais vantagens do e-commerce é não ter que arcar com custos de PDV, por isso deve-se investir cada vez mais em mídia, conforme publicado na matéria: "No varejo tradicional é importante, por exemplo, o ponto em que a loja é aberta, a fim de atrair consumidores. Como isso não é possível no comércio eletrônico, o criador desse site precisa trabalhar em divulgação. É relativamente fácil abrir uma loja virtual, o desafio é continuar atraindo consumidores”. 10.1 PROBLEMA DE COMUNICAÇÃO Classificamos como nosso problema de comunicação a divulgação do novo canal de vendas da Nagem, o e-commerce, pois trata-se de um site que ainda não é conhecido. 10.2 OBJETIVOS DE COMUNICAÇÃO Temos como objetivos de comunicação tornar o e-commerce conhecido nacionalmente, tendo como conseqüência a captação de novos clientes. Abordando de maneira eficaz o público alvo, que são os internautas, através das ferramentas de divulgação que melhor se enquadram ao que o segmento exige. 10.3 OBJETIVOS E METAS ESTABELECIDAS PARA A CAMPANHA Em janeiro de 2005 a Nagem possuía um site que oferecia apenas a consulta de preços dos seus produtos e mesmo sem grandes serviços, há um numero de visitas diárias que chegam a 1.300. Partindo desta informação, com o lançamento do e-commerce, objetivamos juntamente com a empresa, o aumento no número Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 57. 57 de acessos a página, com pretensões de chegar a casa dos 6 mil visitantes por dia. Tendo como conseqüência a geração de vendas, aumentado do cadastro de cliente e a massificação da marca. 10.4 VEÍCULOS UTILIZADOS NA COMUNICAÇÃO De acordo com a necessidade do cliente, juntamente com os objetivos de comunicação traçado, elencamos os seguintes veículos pra a divulgação do e- commerce da Nagem: 10.4.1 Online Utilizaremos a internet como um dos veículos da nossa campanha pois trata-se do lançamento do novo canal de vendas da Nagem, um negócio 100% online. Além disso, a publicidade na internet é barata e proporciona um diferencial que nenhuma outra oferece, a medição do feedback imediato. Mas a internet não se restringe apenas ao computador, além de anúncios em portais tradicionais, utilizaremos também mídia em palmtops e celulares. 10.4.2 Offline As mídias offline utilizadas para o lançamento da nova loja virtual da Nagem serão os veículos de comunicação de massa que se adequam ao perfil de nosso público para essa campanha. Utilizaremos os seguintes veículos jornal, revista, cinema, além de ações de merchandising em aeroportos. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 58. 58 10.5 PARCERIAS Como forma de divulgação da nova loja eletrônica da Nagem, sugerimos a parceria com portais nacionais, conforme descrito a seguir: 10.5.1 UOL Shopping Há nove anos no mercado, o UOL Shopping é hoje a melhor e mais completa área para compras virtuais do Brasil, reunindo cerca de cem lojas de variados segmentos. 10.5.1.1 Perfil do usuário UOL Em média, 89% dos usuários dos maiores sites de comércio eletrônico no Brasil também acessam o UOL durante o mês26. 84% dos usuários do UOL possuem cartão de crédito 57% dos usuários do UOL compram, ou decidem a compra, online Fonte: TGI/Ibope – Setembro 2004 Compras pela Internet 35% 33% 33% 30% 28% 25% 23% 20% 18% 15% 14% 13% 10% 8% 5% 5% 5% 3% 0% Decisão influenciada Alguma vez Última semana Últimos 30 dias Fonte: TGI/Ibope – Setembro 2004 26 Fonte: Ibope NetRatings - Relatório: Brand, novembro de 2004 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 59. 59 10.5.1.2 Pacote Será fechado com o UOL Shopping o Pacote tipo “A” que dá direito aos seguintes anúncios: Pacote Tipo A Periodicidade Formato Três linhas, sendo uma 1 slot na home UOL (25% da audiência durante 25% da audiência, Texto para título e duas para 24h) por mês durante 24h chamada Pacote de Shopping Standard 3 Peso de 2,5Kb. Quatro Durante todo o Imagem 120 x 65 px linhas, sendo três para • 5 produtos na home do Shopping período e rândomico (estático) + texto chamada e uma para nome da loja Durante todo o Imagem 90 x 90 px Peso de 3Kb. Até 100 • 25 produtos em vitrine período e rândomico (estático) + texto caracteres o título • 600 produtos em prateleira e Durante todo o Imagem 60 x 60 px Peso de 2Kb. Até 100 resultado de busca período (estático) + texto caracteres o título Quatro linhas, sendo 1 oferta de Boletim dos Shoppings UOL e BOL Imagem 100 x 100 px Semanal três para chamada e por mês (estático) + texto uma para preço 1 full banner fixo em um departamento por sete 1/3 da audiência, 468 x 60 px Peso de 12Kb dias a cada mês durante 7 dias 100.000 impressões de banner retangular na Durante todo o 120 x 60 px Peso de 3kb estação Bate-papo período e rândomico 10.5.1.3 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Full Banner27 2 8 R$ 960,00 Banner Retangular28 2 8 R$ 960,00 10.5.1.4 Investimento em veiculação Pacote Duração – Meses Preço total Pacote Tipo A Contratação para os meses de 2 R$ 6.000,00 Setembro e Outubro de 2005 27 Dimensões em pixels: 468 x 60. 28 Dimensões em pixels: 120 x 60. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 60. 60 10.6 CRONOGRAMA DO PROJETO Apresentamos a seguir o cronograma do projeto: 2004 2005 AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ARB MAI JUN JUL Captação do cliente e início do pré-projeto Realização do briefing Apresentação do pré-projeto Pesquisa e Objetivos Planejamento de Comunicação Reuniões com o cliente Entrevistas Planejamento de Mídia Criação das peças Custo de produção Apresentação da campanha Tabela 1 - Cronograma do Projeto Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 61. 61 11.PLANO DE MÍDIA Apresentaremos a seguir todo o planejamento de mídia para o lançamento do novo canal de vendas da Nagem, a loja eletrônica B2C. Usaremos como forma de divulgação uma campanha veiculada nos meios tradicionais (offline) e na internet (online) com cobertura nacional. 11.1 ATUAÇÃO Definimos como pontos principais para a veiculação de nossa campanha os Estados que possuem o maior número de pessoas conectadas à internet, segundo dados fornecidos pelo Mídia Dados 2004 do Grupo de Mídia São Paulo, são eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Ceará, Brasília e Paraná. Locais de atuação da campanha Ilustração 2 - Mapa com os locais de atuação da campanha Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 62. 62 11.2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO DE MÍDIA Comprar está muito ligado ao prazer onde facilidade, diversidade, conforto, praticidade e segurança têm grande importância no ato da compra. Direcionaremos as mensagens as classes AB por serem eles os que mais acessam a Internet, homens e mulheres, com idades entre 15 e 49 anos . Estes índices demonstram a importância do uso combinado dos meios, considerando-se a cobertura do mercado e de suas audiências, bem como a função de cada um e a respectiva mensagem, justificando-se sua participação na mídia. Utilizaremos meios de comunicação online e offline, pois para o lançamento do e- commerce é necessário medir o grau de satisfação dos usuários de forma rápida e imediata. Com a mídia online teremos uma facilidade maior em medir esse grau de satisfação e a mídia offline vem para complementar a comunicação atingindo o público que não está na frente do computador no momento em que a mídia online está “trabalhando”. Serão dois meses de veiculação, não necessitando de publicidade o ano todo, podendo assim voltar à mídia em outras épocas. Como a cobertura será nacional optaremos por uma maior freqüência entre os meios nacionais. Toda linha criativa da campanha será adaptada e criada aos meios para uma identificação entre o produto e o seu consumidor. Realizaremos o planejamento e a execução de toda a estratégia prevista de comunicação dentro de uma verba de R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais) podendo assim ter uma flexibilidade de valor em seus custos. Faremos ações nas aeronaves e cinemas com folhetos de programação. A campanha não utilizará campanhas promocionais no lançamento, porque sua linha criativa e suas estratégias não optaram pelo mesmo. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 63. 63 11.3 PERÍODO DA CAMPANHA Estaremos focando a campanha de lançamento da loja eletrônica da Nagem nos meses de Setembro e Outubro de 2005 pois a loja será lançada em meados de Agosto deste mesmo ano. 11.4 DEFINIÇÃO DA ESTRATÉGIA A estratégia de mídia planejada prevê a utilização de mídias online e offline durante os dois meses da campanha, Setembro e Outubro de 2005. Para esse esforço utilizaremos a internet, handhelds – computadores de mão – , jornais, revistas, revistas de bordo, veiculação em aeronaves, em cinemas e ações em aeroportos permitindo assim que as mensagens cheguem de forma correta ao público envolvido. Utilizaremos a internet por se tratar de um produto desenvolvido em ambiente web, para pessoas que acessam a internet, por isso o plano de mídia online foi montado de uma forma onde estaremos presentes nos maiores portais nacionais com ações voltadas ao público alvo da loja eletrônica da Nagem. Utilizaremos também anúncios em jornais de forma diferente e impactante assim como as revistas e os cinemas. Uma linha criativa específica ao público que viaja através das revistas de bordo e encosto de poltronas pois trata-se de um público exigente, acostumado com várias viagens e a forma de abordar os assuntos devem ser levados em consideração para despertar seu interesse. Uma ação também nos principais aeroportos do Brasil com backlights nos pontos principais dos aeroportos (saguão de embarque e desembarque) e expositores e divulgadores apresentando o produto aos que aguardam vôos que possam estar conhecendo a loja eletrônica da Nagem. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 64. 64 11.5 VEÍCULOS UTILIZADOS 11.5.1 Mídia offline 11.5.1.1 Jornal Permite uma adequação da mensagem com conteúdos institucionais ou promocionais com penetração nas classes A/B, formadores de opinião, investidores, políticos e governantes entre outros. Depois da tv é a mídia que tem maior investimento. Os jornais escolhidos se adequam ao perfil do público visado por serem expressivos e formadores de opinião fazendo com que os anúncios inseridos nele agreguem parte da credibilidade já adquirida pelo próprio meio. 11.5.1.2 Cinema A mídia em cinema tem alto poder de recall pelo poder de impacto que o próprio meio oferece. A opção da utilização de cinema como forma de mídia é de que a mensagem estará atingindo um público qualificado (jovens AB). A utilização dos folhetos de programação como forma de mídia se dá por ser uma certa fonte de consulta atingindo tanto o público que opta por assistir um filme quanto aos que não e que acabam levando o folheto consigo. 11.5.1.3 Revista Veículo de comunicação que proporciona um upgrade na marca e com forte penetração nas classes A e B, onde encontramos o público formador de opinião, investidores, políticos, governantes entre outros, permitindo que o conteúdo de nossas informações sejam lidas e entendidas pelos leitores. Uma ótima oportunidade de veicular o produto por ser um meio envolvente fazendo com que os seus anúncios tenham um maior impacto com o seu leitor, alem de ser um veículo de grande credibilidade e que pode ser consultado diversas vezes. 11.5.1.3.1 Revista de bordo A mídia em avião tornou-se uma forma eficiente de comunicação onde o passageiro está relaxado e conseqüentemente mais receptivo para as mensagens. É um tempo inativo onde ele procura se ocupar com alguma coisa. Um importante veículo de comunicação para a Nagem já que estará atingindo o Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 65. 65 seu público num momento de lazer e entretenimento além de que alguns passageiros ainda levam as revistas para uma releitura. 11.5.1.4 Aeroportos A evolução do embarque de passageiros nos aeroportos brasileiros vem tendo um acréscimo de 11% ao longo dos últimos 08 anos (1997/2004). 75 milhões de pessoas embarcaram e desembarcaram nos 66 aeroportos brasileiros. Outro dado importante também que em 2004, 1/3 da população brasileira consumiu transportes aéreos no Brasil. A Região Sudeste tem uma participação de 48,2% do número de passageiros da linha doméstica seguindo da Região Centro-Oeste com 17%, a Região Nordeste com uma participação de 16,4%, a Região Sul com 12% e a Região Norte com 6,3% da participação do número de passageiros em linhas domésticas brasileiras. Ótima oportunidade para veicular em aeroportos já que está lidando com um público altamente qualificado. Toda a ação será feita nos meses de Setembro e Outubro de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 66. 66 11.5.2 Mídia online 11.5.2.1 Hands A Hands é um portal de Internet Móvel quer permite acesso ao conteúdo de grupos como Abril, Globo, Folha de São Paulo, Climatempo e Blockbuster por dezenas de milhares de usuários de palmtops, smartphones e celulares. O público da Hands é composto na maioria por executivos, empresários e profissionais liberais, naturalmente qualificados pelo preço alto e penetração destes aparelhos. São entusiastas por tecnologia, inovação, sofisticação e mobilidade, que influenciam ou decidem compras corporativas e pessoais de alto valor. 11.5.2.2 Google O Google, desenvolvedor de um dos maiores mecanismos de busca do mundo, oferece o caminho mais rápido e fácil para encontrar informações na web. O Google foi fundado por Larry Page e Sergey Brin, dois estudantes Ph.D de Stanford em 1998. Seus sócios incluem Kleiner Perkins Caufield & Byers e Sequoia Capital. A companhia também oferece soluções para busca na rede, em associação com provedores de conteúdo. O Google presta serviços através de seu próprio site público, www.google.com. 11.5.2.3 MSN O MSN é o portal da Microsoft, líder de audiência desde outubro de 2003. No Brasil, 1 em cada 3 internautas usa o MSN Hotmail, líder no Brasil em webmails, e 1 em cada 2 usa o MSN Messenger, líder no Brasil em Comunicador Instantâneo. O MSN presta serviços através de seu próprio site público, www.msn.com.br. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 67. 67 11.5.2.4 Globo.com Com o compromisso de exibir um conteúdo com o mais alto padrão de qualidade e credibilidade, a Globo.com leva o melhor do conteúdo Globo à milhares de pessoas todos os dias, proporcionando momentos de informação, conhecimento, pesquisa, diversão e lazer. A Globo.com presta serviços através de seu próprio site público, www.globo.com. 11.5.2.5 UOL – Universo Online Fazem parte os portais UOL, BOL e ZipMail, no Brasil, e UOL-Sinectis na Argentina. Seus principais acionistas são o Grupo Folha e Portugal Telecom. Juntos, eles formam o maior serviço online da America Latina. O UOL possui 1,2 milhão de assinantes pagantes, e oferece acesso local em mais de 1.000 cidades. Lançado em abril de 1996, o UOL Brasil é o site em língua portuguesa mais visitado no mundo. No final de setembro de 1999, foi lançado o UOL Argentina e que se transformou em UOL-Sinectis a partir da aquisição do provedor de maior qualidade entre os congêneres argentinos. O UOL presta serviços através de seu próprio site público, www.uol.com.br 11.5.2.6 Terra Terra Lycos é um dos principais provedores de serviços de acesso à internet (ISP) para o mercado residencial e corporativo, e conta com 1,2 milhão de assinantes. Líder no mercado de banda larga, com mais de 50% do mercado nacional, o Terra é também um portal com conteúdo aberto e interativo, e conta com mais de 370 canais voltados para relacionamento, informação, diversão, serviços e comércio eletrônico. O Terra é o provedor com maior presença nacional, atualmente em 881 cidades brasileiras. O Terra presta serviços através de seu próprio site público, www.terra.com.br Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 68. 68 11.6 DEFINIÇÃO DA TÁTICA DOS VEÍCULOS OFFLINE Jornais 11.6.1 Fortaleza - Diario do Nordeste Com relação a segmentos de grande porte como veículos, imóveis, informática, o Diário do Nordeste é o mais importante jornal de Fortaleza. Essa credibilidade é reforçada em relação aos formadores de opinião com 105 mil leitores das 123 mil pessoas que têm nível superior completo em Fortaleza. 11.6.1.1 Caderno Informática O caderno de informática circula toda segunda feira sendo um importante veículo de comunicação aos interessados em informática pois das 53 mil pessoas que compraram programas ou peças de computadores nos últimos 30 dias, 62% lêem o Diário do Nordeste. 11.6.1.1.1 Perfil dos leitores Diario do Nordeste 56% São homens 53% Estão na classe AB 76% Têm entre 20 e 49 anos 27% Superior 52% Ganham de 10 a 30 salários mínimos Fonte: Marplan: Setembro / 2004 11.6.1.1.2 Circulação Circulação Segunda-feira 33.367 MIL Caderno Informática Fonte: Marplan Dezembro 2004 11.6.1.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas 1/2 páginal29 1 16 R$ 1.440,00 29 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 26cm – 156 cm/col. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 69. 69 11.6.1.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática 1/2 página Dia 05 de Setembro 1 90 R$ 6.552,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 19 de Setembro 1 90 R$ 6.552,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 03 de Outubro 1 90 R$ 6.552,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 17 de Outubro 1 90 R$ 6.552,00 Indeterminado Desconto 40% R$ 10.483,20 Total em Veiculação 4 R$ 15.724,80 11.6.2 Recife - Jornal do Commercio O Jornal do Commercio de Pernambuco está perfeitamente sintonizado com o seu tempo e aberto à modernidade. É um dos jornais mais importantes do País, e integra o Sistema JC de Comunicação, pertencente ao Grupo JCPM, dirigido pelo empresário João Carlos Paes Mendonça. Compõem ainda o sistema, a TV Jornal (afiliada ao SBT), Rádio Jornal, Rádio JC/CBN Recife, cadeia de rádios do interior e o portal JC OnLine. Na Grande Recife (Recife, Olinda, Jaboatão e Paulista), 360 mil pessoas maiores de 10 anos possuem computador em casa e 67% desse total lêem jornal. Dos que lêem jornal (242 mil), 62% são leitores do Jornal do Commercio. Dos leitores do Jornal do Commercio, 74 mil acessam a Internet em casa; 19 mil compraram programas ou peças para computador nos últimos 30 dias anteriores a data da entrevista.30 11.6.2.1 Caderno Informática O caderno Informática, veiculado às quartas-feiras, acompanha a evolução tecnológica sem esquecer que, por trás da máquina, existe o ser humano. Os lançamentos, sites e CD-ROMs são avaliados, sem esquecer do usuário, a grande 30 Fonte: XLV Marplan - Ambos os sexos - 13 e + anos - Consolidado 2003. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 70. 70 personagem de toda essa história. As tendências do setor cobram uma constante atualização, sempre presente em suas páginas semanais. Nas matérias especiais, uma abordagem moderna e atualizada como o tema exige. Tudo com uma linguagem simples, direta, acessível a todos. 11.6.2.1.1 Perfil dos leitores JC por suplemento O caderno Informática possui 46% de participação no total de leitores do JC na quarta-feira. 57% São homens 60% Estão na classe AB 73% Têm entre 20 e 49 anos Fonte: Marplan - Consolidado 2003 - Filtro: A/S 10 e + anos 11.6.2.1.2 Target Dia Classes Idade Nº Leitores Target Nº Leitores Período Qua. AB 20/49 62.000 177.000 Circulação Quarta-feira 29.492 MIL Caderno Informática Fonte: IVC – Março 2005 11.6.2.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas 1/2 páginal31 0 16 R$ 0,00 31 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 26cm – 156 cm/col. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 71. 71 11.6.2.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática 1/2 página Dia 07 de Setembro 1 156 R$ 4.664,40 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 21 de Setembro 1 156 R$ 4.664,40 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 05 de Outubro 1 156 R$ 4.664,40 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 19 de Outubro 1 156 R$ 4.664,40 Indeterminado Desconto de 60% R$ 11.194,56 Total em Veiculação 4 R$ 7.463,04 11.6.3 Salvador – Jornal A Tarde Na Grande Salvador 9 em cada 10 leitores de jornais lêem A TARDE tornando-o Líder absoluto, com 835 mil leitores. O jornal possibilita aos anunciantes de tornar suas marcas conhecidas por meio dos anúncios no veículo que através de um plano de comunicação oferece a possibilidade de impactar potencias consumidores de produtos e serviços. A Tarde visa atender as necessidades e objetivos dos consumidores disponibilizando muita informação dobre política, economia, lazer, mercado de trabalho e o melhor caderno de classificados da Bahia. 11.6.3.1 Caderno Informática Tudo sobre informática, incluindo eventos, dicas, últimos lançamentos de hardwares e softwares, além das novidades da Internet podemos encontrar no caderno de informática que circula toda quarta-feira. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 72. 72 11.6.3.1.1 Perfil dos leitores Jornal A Tarde por suplemento O caderno Informática possui 31% de participação no total de leitores do A Tarde na quarta-feira. 57% São homens 46% Estão na classe AB 68% Têm entre 20 e 49 anos Fonte: Marplan 2004. 11.6.3.1.2 Circulação Circulação Quarta-feira 30.210 MIL Caderno Informática Fonte: IVC 2004. 11.6.3.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas 04col x 30cm 1 16 R$ 1.440,00 11.6.3.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática 04col x 30cm Dia 07 de Setembro 1 120 R$ 8.400,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 21 de Setembro 1 120 R$ 8.400,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 05 de Outubro 1 120 R$ 8.400,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 19 de Outubro 1 120 R$ 8.400,00 Indeterminado Desconto de 0% R$ 0,00 Total em Veiculação 4 R$ 33.600,00 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 73. 73 11.6.4 Brasília - Correio Braziliense O Correio Braziliense é o jornal mais lido do Distrito Federal. Econômica, política, cultura e sociedade são alguns dos temas abordados pelo jornal com muita competência e dinamismo. A liderança é absoluta em circulação e leitura sendo esses leitores formadores de opinião e com alto poder aquisitivo. 11.6.4.1 Caderno Informática Um suplemento que trata de assuntos da informática e tecnologia com matérias que abordam novidades no mundo da computação, comunicação, eletroeletrônicos, robótica, videogames e muito mais. Com perfil masculino entre 15 e 29 anos, Classe social A/B e que acessam a Internet em média 12 horas por dia. 11.6.4.1.1 Perfil dos leitores Correio Braziliense 53% São homens 62% Estão na classe AB 68% Têm entre 20 e 49 anos 26% Superior 40% Ganham de 10 a 30 salários mínimos 51% Tem microcomputador 36% Acham que o jornal é o meio que mais influencia para a decisão de compra. Fonte: Marplan: 4º Trimestre / 2004 11.6.4.1.2 Circulação Circulação Terça-feira 43.391 MIL Caderno Informática Fonte: IVC Março 2005. 11.6.4.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas 1/2 páginal32 0 16 R$ 0,00 32 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 26cm – 156 cm/col. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 74. 74 11.6.4.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática 1/2 página Dia 06 de Setembro 1 156 R$ 9.126,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 20 de Setembro 1 156 R$ 9.126,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 04 de Outubro 1 156 R$ 9.126,00 Indeterminado Caderno Informática 1/2 página Dia 18 de Outubro 1 156 R$ 9.126,00 Indeterminado Desconto 40% R$ 14.601,60 Total em Veiculação 4 R$ 21.902,40 11.6.5 Belo Horizonte - Estado de Minas Aos 75 anos e líder absoluto de leitura e venda, o jornal circula, em média, 120 mil exemplares aos domingos e 75 mil em dias úteis, dando uma média de 432 mil leitores de segunda a sábado e 524 mil leitores aos domingos além de 62 mil assinantes.1 Ótima oportunidade de anunciar num veículo que é referência no Estado além do compromisso de proporcionar aos leitores um conteúdo de qualidade e credibilidade. 11.6.5.1 Caderno Informática Toda quinta-feira o Estado de Minas circula o caderno de informática abordando todos os acontecimentos no mundo da informática, novos programas, sites de busca entre outros. Trazendo sempre muita novidade para o leitor. 11.6.5.1.1 Perfil dos leitores Estado de Minas 54% São homens 59% Estão na classe AB 70% Têm entre 20 e 49 anos 25% Superior Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 75. 75 51% Tem microcomputador 36% Acham que o jornal é o meio que mais influencia para a decisão de compra. Fonte: Marplan: 4º Trimestre / 2004 11.6.5.1.2 Circulação Circulação Quinta-feira 120 MIL Caderno Informática Fonte: Março 2005. 11.6.5.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas 04col x 30cm 0 16 R$ 0,00 11.6.5.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática 04col x 30cm Dia 06 de Setembro 1 120 R$ 7.200,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 20 de Setembro 1 120 R$ 7.200,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 04 de Outubro 1 120 R$ 7.200,00 Indeterminado Caderno Informática 04col x 30cm Dia 18 de Outubro 1 120 R$ 7.200,00 Indeterminado Desconto 0% R$ 0,00 Total em Veiculação 4 R$ 28.800,00 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 76. 76 11.6.6 Rio de Janeiro - Jornal O Globo Jornal diário de notícias que junto com a TV Globo, Rádio Globo e Editora Globo formam as Organizações globo. Por esse motivo o já é agregado ao jornal toda a qualidade e credibilidade das Organizações Globo aliado a informações sérias éticas e construtivas com grandes destaques em suas matérias. Em 2005, ano de completar 80 anos O Globo se estabelece como um dos mais modernos jornais de todo o hemisfério Sul. 11.6.6.1 Caderno Informática O caderno de informática circula toda segunda-feira destacando as novidades do mundo cibernético aliando muita informação a reportagens de interesse do leitor. 11.6.6.1.1 Perfil dos leitores O Globo 52% São homens 82% Estão na classe AB 52% Têm entre 20 e 49 anos 40% Superior 18% Ganham de 10 a 30 salários mínimos Fonte: Marplan: 4º Trimestre / 2004 11.6.6.1.2 Circulação Circulação Segunda-feira 224.686 MIL Caderno Informática Fonte: IVC – Fevereiro 2005 11.6.6.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Rodapél33 1 16 R$ 1.440,00 33 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 10cm – Policromia Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 77. 77 11.6.6.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática Rodapé Dia 05 de Setembro 1 60 R$ 16.110,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 19 de Setembro 1 60 R$ 16.110,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 03 de Outubro 1 60 R$ 16.110,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 17 de Outubro 1 60 R$ 16.110,00 Indeterminado Desconto de 50% R$ 32.220,00 Total em Veiculação 4 R$ 32.220,00 11.6.7 São Paulo - Jornal Folha de S.Paulo A Folha de S.Paulo é o mais influente jornal do Brasil. Para conquistar esta posição, o jornal mais inquieto da imprensa nacional fez da inovação sua bandeira e da multiplicidade de opiniões sua marca editorial. Tudo o que os seus leitores precisam para se manter atualizados pode ser encontrado em seus diversos cadernos que abordam temas como economia, política, cultura e esporte além de cadernos semanais para anunciantes e públicos específicos. Informação de qualidade, tratada de forma didática, sem nunca perder a profundidade, apresentada num layout organizado e limpo, que convida à leitura, e acompanhada de fotos e gráficos, que complementam a notícia. 11.6.7.1 Folha Informática Circulando as quartas – feiras, o suplemento de informática da Folha de São Paulo, auxilia o leitor a um melhor manuseio de seus computadores e Internet. Orienta o leitor a comprar o melhor, ganhando tempo e gastando pouco além de apresentar e testar novos produtos e equipamentos oferecendo uma visão das tendências tecnológicas do mercado mundial. O caderno também traz seções especiais como os 110 Sites Selecionados com Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 78. 78 endereços de sites que tenham conteúdo interessante e útil sobre determinado assunto e a coluna Canal Aberto onde um consultor responde as dúvidas dos leitores. 11.6.7.1.1 Perfil dos leitores Folha de S.Paulo 53% São homens 71% Estão na classe AB 67% Têm entre 20 e 49 anos 30% Ganham de 10 a 30 salários mínimos Fonte: Marplan - Consolidado 2002 - Filtro: A/S 10 e + anos 11.6.7.1.2 Circulação Circulação Quarta-feira 289.132 MIL Caderno Informática Fonte: IVC – Fevereiro 2005. 11.6.7.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Rodapél34 0 16 R$ 0,00 11.6.7.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática Rodapé Dia 07 de Setembro 1 60 R$ 39.429,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 21de Setembro 1 60 R$ 39.429,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 05 de Outubro 1 60 R$ 39.429,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 19 de Outubro 1 60 R$ 39.429,00 Indeterminado Desconto de 60% R$ 94.629,60 Total em Veiculação 4 R$ 63.086,40 34 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 10cm – Policromia Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 79. 79 11.6.8 Curitiba - Gazeta do Povo A Gazeta do Povo está no mercado há mais de 80 anos sempre na preocupação em fazer um jornal que defenda os valores de seu estado. Informações de qualidade, serviços, perspectivas, preocupação com o leitor são alguns das ferramentas que fazem o sucesso do jornal no Estado. 11.6.8.1 Caderno Informática Circulando na segunda feira o caderno traz reportagens sobre as tendências do mercado da informática como também novidades nacionais e mundiais. 11.6.8.1.1 Perfil dos leitores Gazeta do Povo 53% São homens 71% Estão na classe AB 67% Têm entre 20 e 49 anos 74% Superior 56% Ganham de 10 a 30 salários mínimos Fonte: Marplan: 4º Trimestre / 2004 11.6.8.1.2 Circulação Circulação Segunda-feira 42.728 MIL Caderno Informática Fonte: Marplan 2004. 11.6.8.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Rodapél35 0 16 R$ 0,00 35 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 10cm – Policromia Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 80. 80 11.6.8.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno Informática Rodapé Dia 05 de Setembro 1 60 R$ 5.220,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 19 de Setembro 1 60 R$ 5.220,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 03 de Outubro 1 60 R$ 5.220,00 Indeterminado Caderno Informática Rodapé Dia 17 de Outubro 1 60 R$ 5.220,00 Indeterminado Desconto 40% R$ 8.352,00 Total em Veiculação 4 R$ 12.528,00 11.6.9 Porto Alegre - Zero Hora O jornal circula em todo o Estado do Rio Grande do Sul. O mercado gaúcho possui 1.369.000 leitores sendo o jornal mais lido do Estado segundo o IBOP em 2004. O jornal tem o privilégio em circular num estado que é que um dos maiores exportadores e consumidores de produtos tendo um potencial de consumo per capita em média de 43,52%, maior do que a média do Brasil. 11.6.9.1 Caderno ZH Digital O Caderno ZH digital circula toda quarta feira no jornal mais lido do Estado trazendo uma gama de informações sobre informática de uma forma prática, linguagem simples e diferente. 11.6.9.1.1 Perfil dos leitores Zero Hora 52% São mulheres 66% Estão na classe AB 62% Têm entre 20 e 49 anos 29% Superior completo Fonte: Marplan - Consolidado 2004 - Filtro: A/S 10 e + anos Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 81. 81 11.6.9.1.2 Circulação Circulação Quarta-feira 170.106 MIL Caderno Informática Fonte: IVC – Março 2005. 11.6.9.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Rodapél36 0 16 R$ 0,00 11.6.9.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Área Formato Localização Preço total veiculação de Dias cm/col Caderno ZH Digital Rodapé Dia 07 de Setembro 1 60 R$ 8.100,00 Indeterminado Caderno ZH Digital Rodapé Dia 21de Setembro 1 60 R$ 8.100,00 Indeterminado Caderno ZH Digital Rodapé Dia 05 de Outubro 1 60 R$ 8.100,00 Indeterminado Caderno ZH Digital Rodapé Dia 19 de Outubro 1 60 R$ 8.100,00 Indeterminado Descont 50% R$ 16.200,00 Total em Veiculação 4 R$ 16.200,00 36 Tamanho: 6 colunas (29,7cm) x 10cm – Policromia Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 82. 82 Cinemas 11.6.10 Veiculação em Cinemas Número Capacidade Praça Cinema Rede de salas por sessão Fortaleza Shopping Iguatemi UCI 12 2.704 Recife Shopping Recife UCI 10 2.280 Salvador Shopping Iguatemi Salvador UCI 2 2.552 Brasília Píer 21 CINEMARK 13 3.143 Belo Horizonte Pátio Savassi CINEMARK 8 1.823 Rio de Janeiro New York City UCI 18 4.517 São Paulo Jardim Sul UCI 11 2.481 Curitiba Shopping Estação UCI 10 2.280 Porto Alegre Bourbon Ipiranga CINEMARK 8 1.933 Total 9 92 23.713 11.6.10.1 Investimento em produção Formato Quant. Preço total Folhetos - 15cm (L) x 21cm (A) 1 R$ 0,00 11.6.10.2 Investimento em veiculação Duração Número Formato Preço total Semanas de Cinemas Folheto de Programação – 5mil em cada cinema 4 9 R$ 36.000,00 4 semanas em Setembro – de 04 a 30 /9 Folheto de programação 1 9 R$ 9.000,00 1 semana em Outubro – de 02 a 07 /10 Total 5 R$ 45.000,00 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 83. 83 Revistas 11.6.11 Revista Veja É leitura obrigatória para quem deseja qualidade de informação. VEJA traz, semanalmente, os principais fatos e notícias do Brasil e do mundo, elaborados por jornalistas altamente qualificados, para leitores que gostam de estar bem informados. 11.6.11.1.1 Perfil do Público da Revista Veja Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 49% São homens 63% Têm entre 20 e 49 anos 67% Estão na classe AB 52% São solteiros 36% Possuem formação Superior Completa 25% Dos leitores têm a presença de jovens, entre 15 e 18 anos, no lar Fonte: XLVI Estudos Marplan – 2004 – Consolidado 2004 – 9 mercados 11.6.11.1.2 Potencial de Consumo Os leitores de Veja respondem por: 41% Das vendas de carro 0 Km 30% Da posse pessoal de aparelhos celulares 42% Das aplicações financeiras do mercado Fonte: MidiaKit Veja – PubliAbril – 26 de Abril de 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 84. 84 11.6.11.1.3 Revista Veja São Paulo A revista tem o compromisso de apresentar reportagens e roteiros para finais de semana além de matérias de entretenimento, programas, lazer, serviços e dicas de compras. 11.6.11.1.3.1 Circulação Circulação Líquida Periodicidade 339.703 exemplares Semanal Fonte: IVC – Janeiro/05 11.6.11.1.4 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples37 1 30 R$ 2.700,00 11.6.11.1.5 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Setembro (Ed. 1922) Página Simples 7 Indeterminado R$ 67.200,00 Nas bancas em 14/09/2005 Setembro (Ed. 1923) Página Simples 7 Indeterminado R$ 67.200,00 Nas bancas em 21/09/2005 Desconto 17% R$ 22.848,00 Total em Veiculação 14 R$ 111.552,00 37 Tamanho: 18,2 cm x 25,6 cm – com margem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 85. 85 11.6.11.1.6 Revista Veja Rio A revista representa um compromisso constante em dar ao leitor as melhores matérias de lazer, entretenimento, serviços, compras, roteiros e reportagens. 11.6.11.1.6.1 Circulação Circulação Líquida Periodicidade 110.556 exemplares Semanal Fonte: IVC – Janeiro/05 11.6.11.1.7 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples38 0 30 R$ 0,00 11.6.11.1.8 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Setembro (Ed. 1922) Página Simples 7 Indeterminado R$ 21.400,00 Nas bancas em 14/09/2005 Setembro (Ed. 1923) Página Simples 7 Indeterminado R$ 21.400,00 Nas bancas em 21/09/2005 Desconto 17% R$ 7.276,00 Total em Veiculação 14 R$ 35.524,00 38 Tamanho: 18,2 cm x 25,6 cm – com margem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 86. 86 11.6.12 Revista Exame Uma revista lida por quem faz ou gosta de negócios; sejam executivos, proprietários de suas empresas, profissionais liberais, advogados etc. Possuem grande poder de decisão, são altamente qualificados e estão dispostos a consumir produtos e serviços de diferentes segmentos que os auxiliem a manter uma qualidade de vida elevada. Como nosso produto é consumido pelas classes AB optamos por anunciar nesta revista. 11.6.12.1.1 Perfil do Público da Revista Exame Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 71% São homens 64% Têm entre 18 e 39 anos 87% Estão na classe AB 72% Tem nível superior, pós graduação ou mestrado/doutorado 74% Ocupam cargos de decisão 42% São influenciados pela propaganda na decisão de compra de um produto ou serviço 59% Prestam atenção e costumam ler anúncios Fonte: DBM Editora Abril – janeiro 2005 11.6.12.1.2 Principais Vantagens • Tiragem de 195.000 exemplares; • Circulação líquida de 156.000 exemplares; • 130.000 assinaturas. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 87. 87 Circulação por regiões Região Sul 19% Região Sudeste 59% Região Norte 3% Região Nordeste 12% Região Centro-Oeste 7% Fonte IVC – Janeiro /2005. 11.6.12.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples39 0 30 R$ 0,00 11.6.12.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Setembro (Ed. 856) Página Simples 15 Indeterminado R$ 85.600,00 Nas bancas dia 29/09 Desconto 5% R$ 4.280,00 Total em Veiculação 15 R$ 81.320,00 39 Tamanho: 18,2 cm x 25,6 cm – com margem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 88. 88 11.6.13 Revista VOCÊ S/A VOCÊ S/A é a única revista brasileira que trata dos interesses pessoais e profissionais de executivos e empreendedores no processo de desenvolvimentos. Devido ao seu conteúdo conquistou um público jovem, diferenciado e que não dispensa os melhores produtos e serviços. É um público que está em ascensão profissional, com sede de aprendizado e busca constantemente entender o que acontece no mercado de trabalho, aproveitando o que a vida tem de melhor e batalhando para fazê-lo agora mesmo. 11.6.13.1.1 Perfil do Público da Revista VOCÊ S/A Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 51% São homens 78% Têm entre 18 e 39 anos 83% Estão na classe AB 73% Tem nível superior, pós graduação ou MBA 48% São influenciados pela propaganda na decisão de compra de um produto ou serviço 71% Prestam atenção e costumam ler os anúncios Fonte: Marplan - 2004 - Consolidado 2004 - 9 mercados 11.6.13.1.2 Principais Vantagens • Tiragem de 203.000 exemplares; • Circulação líquida de 167.000 exemplares; • 122.000 assinaturas. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 89. 89 Circulação por regiões Região Sul 18% Região Sudeste 54% Região Norte 4% Região Nordeste 15% Região Centro-Oeste 8% Fonte IVC – Janeiro /2005. 11.6.13.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples40 0 30 R$ 0,00 11.6.13.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Setembro (Ed. 87) Página Simples 30 Indeterminado R$ 44.100,00 Na primeira quinzena do mês Outubro (Ed. 88) Página Simples 30 Indeterminado R$ 44.100,00 Na primeira quinzena do mês Desconto 5% R$ 4.410,00 Total em Veiculação 60 R$ 83.790,00 40 Tamanho: 18,2 cm x 25,6 cm – com margem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 90. 90 11.6.14 Revistas de Bordo 11.6.14.1 Revista Ícaro Brasil A Ícaro Brasil é a revista de bordo da Varig há 22 anos e é a líder no segmento de revista a bordo por ser da Varig que é a maior empresa aérea do Brasil que detêm de 90% dos vôos internacionais, com destino a 25 países. A revista é mensal, bilíngüe – português e inglês – e aborda temas nacionais e internacionais. As suas matérias são desenvolvidas de forma que sejam diferentes e atraentes além de publicar, no mínimo, 4 reportagens inéditas com locais e pessoas diferentes destacando-se pelo seus “furos” de reportagem. 11.6.14.1.1 Perfil do Público da Revista Ícaro Brasil Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 75% São da classe A 69% São executivos que viajam a negócios e possuem poder de decisão nas respectivas empresas 11.6.14.1.2 Principais Vantagens • Circulação de 130.000 exemplares; • Periodicidade mensal; • É distribuída a bordo das aeronaves da Varig em vôos nacionais e internacionais; • São 790.039 Leitores por mês; • São 9.480.468 Leitores por ano. 11.6.14.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples41 0 30 R$ 0,00 41 Tamanho: 18,2cm x 25,6cm – com margem Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 91. 91 11.6.14.1.4 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Página Simples Setembro (Ed. 253) 30 Indeterminado R$ 45.500,00 Página Simples Outubro (Ed. 254) 30 Indeterminado R$ 45.500,00 Desconto 50% R$ 45.500,00 Total em Veiculação 60 R$ 45.500,00 11.6.14.2 Revista Gol A revista Gol é distribuída abordo das aeronaves. Além de ser um eficiente meio de entretenimento, a revista é uma ferramenta de relacionamento adequando uma leitura agradável com matérias de linguagem simples e atraente. Além das edições normais, a revista traz reportagens especiais sobre os principais Estados brasileiros destacando sua cultura, gastronomia e pontos turísticos. O meio nos proporciona uma abordagem de temas de interesse pessoal como comportamento, saúde, turismo, compras entre outros proporcionando momentos de lazer e divertimento. 11.6.14.2.1 Perfil do Público da Revista Gol Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 64% São homens 54% têm renda acima de 4mil 56% têm entre 30 e 50 anos 63% Viajam a trabalho 32% São profissionais liberais Fonte: Revista Gol 11.6.14.2.2 Principais Vantagens • Tiragem de 100.000 exemplares; • Periodicidade: mensal; • Pratica os menores preços; • Inovadora, moderna e inteligente. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 92. 92 11.6.14.2.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples42 0 30 R$ 0,00 11.6.14.2.4 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Página Simples Setembro (Ed. 42) 30 Indeterminado R$ 27.772,00 Página Simples Outubro (Ed. 43) 30 Indeterminado R$ 27.772,00 Desconto de 75% R$ 41.658,00 Total em Veiculação 60 R$ 13.886,00 42 Tamanho: 20,8cm x 27,5cm. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 93. 93 11.6.14.3 Revista TAM Magazine Com matérias curtas, mas com conteúdo, a TAM Magazine é ideal para a leitura a bordo abordando temas como personalidades, comportamento, música, consumo e moda. 11.6.14.3.1 Perfil do Público da Revista TAM Magazine Diante dos dados apresentados pela revista podemos destacar que: 70% São homens 65% São da classe A 35% São da classe B 65% Têm entre 30 e 45 anos 80% Viajam a trabalho 45% São profissionais liberais Fonte: www.springcom.com.br 11.6.14.3.2 Principais Vantagens • Tiragem de 100.000 exemplares; • Periodicidade: mensal. 11.6.14.3.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Página Simples43 0 30 R$ 0,00 11.6.14.3.4 Investimento em veiculação Período de Número Formato Localização Preço total veiculação de Dias Página Simples Setembro (Ed. 19) 30 Indeterminado R$ 38.800,00 Página Simples Outubro (Ed. 20) 30 Indeterminado R$ 38.800,00 Desconto de 50% R$ 38.800,00 Total em Veiculação 60 R$ 38.800,00 43 Tamanho: 20,8cm x 27,5cm. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 94. 94 Aeronaves 11.6.15 Veiculação em Aeronaves Comerciais Trabalharemos como forma de divulgação nas aeronaves o apoio para cabeça, colocado em todos os assentos das aeronaves na classe econômica. 11.6.15.1 Varig Tempo médio de exposição: 1 hora Vôo doméstico: 530.000 pormês 11.6.15.1.1 Investimento em produção Formato Quant. Preço total Produzido pela Encosto para cabeça - 15cm (L) x 5cm (A) – apenas 2 cores disponíveis 1 R$ 0,00 companhia 11.6.15.1.2 Investimento em veiculação Pacote Duração – Meses Preço total Encosto para cabeça Contratação para o mês de 1 R$ 48.000,00 Setembro de 2005 11.6.15.2 GOL Tempo médio de exposição: 1 hora Vôo doméstico: 600.000 pormês 11.6.15.2.1 Investimento em produção Formato Quant. Preço total Produzido pela Encosto para cabeça - 15cm (L) x 5cm (A) – apenas 2 cores disponíveis 1 R$ 0,00 companhia 11.6.15.2.2 Investimento em veiculação Pacote Duração – Meses Preço total Encosto para cabeça Contratação para os meses de 2 R$ 42.000,00 Setembro e Outubro de 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 95. 95 Aeroportos 11.6.16 Veiculação em Aeroportos Apresentamos a seguir o quadro de distribuição de mídia em aeroportos para o mês de Setembro de 2005. Foram utilizados painéis luminosos de parede (backlights), placas fixas ao chão (totem) e expositores nos principais aeroportos de acordo com a disponibilidade de cada local. Os painéis, placas fixas, expositores e promotores serão disponibilizados pelo Grupo Kallas de São Paulo que tem atuação nacional. Praça Aeroporto Mídia Localização Produção Veiculação Internacional Pinto Totem Fortaleza Saguão Embarque R$ 1.200,00 R$ 1.800,00 Martins 100 x 150cm Internacional Pinto Backlight Fortaleza Próximo ao Check-in R$ 1.200,00 R$ 1.700,00 Martins 280 x 90cm Internacional dos Backlight Recife Saguão Desembarque R$ 1.500,00 R$ 2.000,00 Guararapes 300 x 100cm Internacional dos Recife Expositor 6m2 Próximo ao Check-in44 R$ 5.500,00 R$ 4.000,00 Guararapes Internacional Luis Backlight Salvador Saguão Embarque R$ 2.000,00 R$ 4.200,00 Eduardo Magalhães 300 x 122cm Internacional Luis Backlight Carrinhos Salvador R$ 3.000,00 R$ 5.250,00 Eduardo Magalhães 300 x 120cm Desembarque Internacional Luis Salvador Expositor 5m2 Próximo ao Check-in45 R$ 10.000,00 R$ 4.000,00 Eduardo Magalhães Internacional Totem Brasília Saguão Embarque R$ 2.000,00 R$ 5.500,00 Juscelino Kubitschek 100 x 150cm Front light Belo Horizonte Confins Saguão Embarque R$ 2.500,00 R$ 2.500,00 400 x 100cm Backlight Rio de Janeiro Santos Dumont Saguão Desembarque R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 245 x 45cm Rio de Janeiro Santos Dumont Expositor 5m2 Check-in46 R$ 12.000,00 R$ 4.500,00 Backlight Rio de Janeiro Galeão Saguão Desembarque R$ 1.000,00 R$ 2.000,00 90 x 100cm Backlight São Paulo Congonhas Saguão Desembarque R$ 4.000,00 R$ 5.000,00 332 x 191cm São Paulo Congonhas Expositor 25m2 Check-in47 R$ 8.000,00 R$ 10.000,00 44 Valor da produção referente a estrutura do expositor, internet e 2 divulgadores em 1 mês sendo: R$ 1.000,00 o cachê dos 2 divulgadores e R$ 3.000,00 a estrutura com conexão à internet. 45 Valor da produção referente a estrutura do expositor, internet e 2 divulgadores em 1 mês sendo: R$ 1.500,00 o cachê dos 2 divulgadores e R$ 3.500,00 a estrutura com conexão à internet. 46 Valor da produção referente a estrutura do expositor, internet e 2 divulgadores em 1 mês sendo: R$ 1.500,00 o cachê dos 2 divulgadores e R$ 4.000,00 a estrutura com conexão à internet. 47 Valor da produção referente a estrutura do expositor, internet e 2 divulgadores em 1 mês sendo: R$ 2.000,00 o cachê Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 96. 96 Praça Aeroporto Mídia Localização Produção Veiculação Internacional Testeira Curitiba Saguão Embarque R$ 2.000,00 R$ 3.500,00 Afonso Pena 300 x 100cm Internacional Backlight Curitiba Carrinhos48 R$ 2.000,00 R$ 4.200,00 Afonso Pena 300 x 100cm Backlight Porto Alegre Porto Alegre Saguão Desembarque R$ 800,00 R$ 4.250,00 300 x 200cm Totem Porto Alegre Porto Alegre Check-in da Varig R$ 500,00 R$ 3.500,00 100 x 150cm Total R$ 60.700,00 R$ 69.400,00 dos 2 divulgadores. A estrutura e conexão estão inclusos no valor da veiculação. 48 Veiculação em 8 estacionamentos para os carrinhos sendo 04 estacionamentos no saguão de embarque e 04 estacionamentos no saguão de desembarque. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 97. 97 11.7 DEFINIÇÃO DA TÁTICA DOS VEÍCULOS ONLINE 11.7.1 Hands O mercado mundial de handhels atingiu, no terceiro trimestre de 2004 a marca de 2,1 milhões de unidades vendidas, revelou uma pesquisa da International Data Corporation (IDC)49. O público alvo destes produtos já deixou de ser somente executivos da área de tecnologia, sendo atualmente usados também por advogados, médicos, professores etc. Optamos por utilizar os serviços da Hands pois trata-se de uma mídia com alto poder de envolvimento por parte do público alvo, principalmente gerentes e diretores ligados a tecnologia, como podemos ver na análise a seguir: 11.7.1.1 Perfil do Público Hands Diante dos dados apresentados pelo próprio portal podemos destacar que: 28% Atuam na área de TI e Sistemas 39% Estão atualmente no cargo de Diretor ou Gerente 5% Estão atualmente no cargo de Presidente 73% Possuem formação Superior Completa ou Pós-Graduação 80% Estão na região Sudeste 85% Possuem idade entre 26 e 50 anos 91% São do sexo masculino 11.7.1.2 Principais Vantagens • Público 100% qualificado: +115.000 decisores e formadores de opinião; • Alto Envolvimento: Anúncios exibidos em suas “agendas pessoais”; • Alto retorno: Até 46% de click-throughs em ações quinzenais; • Alto recall: Banners visualizados 1 vez a cada 2 dias por usuário (~1.000.000 impressões/quinzena); 49 Segundo matéria publicada no portal IDG Now! em 29 outubro de 2004. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 98. 98 • Foco: Acesso em momentos de espera, deslocamento ou descontração; • Grande abrangência: Anúncio veiculado junto aos portais móveis dos melhores provedores brasileiros (Folha Online, Abril, Globo Online, Climatempo, Guia da Semana, Carta Capital, entre muitos outros); • Disponibilidade: Mídia acompanha o usuário 100% do tempo. 11.7.1.3 Investimento em produção Total Formato Quant. Preço total em horas Splash + Optin50 2 12 R$ 1.440,00 11.7.1.4 Investimento em veiculação Local de Palmtops dos clientes Hands veiculação: Período de Número Formato Localização Impressões CPM Preço total veiculação de Dias Pré-Home Splash + Optin De 01/08 a 15/08 15 (2 visualizações 1.000.000 R$ 15,00 R$ 15.000,00 por usuário) Pré-Home Splash + Optin De 05/09 a 20/09 15 (2 visualizações 1.000.000 R$ 15,00 R$ 15.000,00 por usuário) Total em Veiculação 30 2.000.000 R$ 30.000,00 50 Apresentada logo após o usuário ativar o Hands Browser ou selecionar uma publicação para visitação. O usuário precisa clicar para prosseguir a navegação, sendo obrigado a visualizar o anúncio. O usuário poderá solicitar a visita ao site do anunciante no próximo sincronismo. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 99. 99 11.7.2 Google De acordo com matéria publicada no portal IDG Now em 15 de fevereiro de 2005, antes de fazer uma compra online, em média, metade dos consumidores começa por um site de buscas na rede. É o que revelou uma pesquisa das empresas DoubleClick e comScore sobre o hábito de compras online de 1,5 milhão de internautas nos Estados Unidos. “A pesquisa, que avaliou as compras dos internautas em 30 categorias, durante 12 semanas, mostra que a maioria das buscas começa por termos genéricos, sendo que os consumidores que procuravam produtos pela marca variavam de 18,1% a 28,5% dos pesquisados, dependendo do segmento. (...) Entre os interessados em equipamentos de informática, a busca foi a primeira opção para 56,4%. (...) Avaliando as palavras mais procuradas, no setor de hardware, por exemplo, 92,1% dos compradores online fizeram buscas por nomes genéricos dos produtos que desejavam e 27,2% incluíram a marca na busca - o que mostra que alguns compradores fizeram mais de um estilo de busca. O resultado da pesquisa mostra que as regras da publicidade nem sempre se aplicam à internet. Com base no estudo, as empresas aconselham que os anunciantes online invistam mais nos termos genéricos para atrair internautas em resultados de links patrocinados, do que na própria marca.” (IDG Now, 15 de fevereiro de 2005) O Google, site de buscas mais utilizado pelos norte-americanos51, com cerca de 47% das buscas virtuais, seguido do Yahoo! (21%) e do MSN Search (13%) foi o portal de buscas escolhido pela Meio Virtual para divulgar a campanha de lançamento da loja eletrônica da Nagem. Além de sua enorme audiência, cerca de 100 milhões de consultas por dia52 no mundo, o Google oferece um sistema inovador de veiculação de anúncios chamado AdWords. Com o Google AdWords53, criaremos os anúncios, escolheremos as palavras-chave mais indicadas para atingir o nosso público-alvo e a Nagem pagará somente pelos cliques recebidos. 51 Segundo relatório da Nielsen//NetRatings de Janeiro de 2005. 52 Segundo informações do próprio Google – www.google.com – em 04 de Março de 2005. 53 O Google AdWords é um modo rápido e simples de adquirir publicidade altamente direcionada com base no sistema de custo por clique (CPC), independentemente do orçamento. Os anúncios do AdWords são exibidos juntamente com os resultados de pesquisa do Google e em sites de pesquisa e de conteúdo da crescente Rede do Google, que inclui AOL, EarthLink, HowStuffWorks & Blogger. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 100. 100 11.7.2.1 Características da campanha AdWords País: Brasil Regiões: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo Local de Rede de pesquisa Google veiculação: Idioma: Português 11.7.2.2 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Google AdWords – Anúncio texto54 5 2 R$ 600,00 11.7.2.3 Investimento em veiculação Local de Os anúncios serão exibidos ao lado ou acima dos resultados de veiculação: pesquisa do Google, nos Grupos do Google e no Diretório do Google. Período de Número Orçamento Anúncio CPC máx. Preço total veiculação de Dias diário Anúncio 1 De 05/09 a 30/09 25 R$ 10,00 R$ 80,00 R$ 2.000,00 Anúncio 2 De 05/09 a 30/09 25 R$ 10,00 R$ 80,00 R$ 2.000,00 Anúncio 3 De 05/09 a 30/09 25 R$ 10,00 R$ 80,00 R$ 2.000,00 Anúncio 4 De 03/10 a 21/10 18 R$ 10,00 R$ 80,00 R$ 1.440,00 Anúncio 5 De 03/10 a 21/10 18 R$ 10,00 R$ 80,00 R$ 1.440,00 Total em Veiculação 111 R$ 8.880,00 54 Os anúncios podem conter 25 caracteres no título, 70 caracteres no texto e 35 caracteres para o URL visível (incluindo espaços). No Google, o anúncio é exibido em quatro linhas: um título, duas linhas de texto e uma linha de URL. Entretanto, o formato pode ser diferente em alguns dos nossos sites parceiros. A America Online, por exemplo, mostra o título e o texto do anúncio em uma única linha. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 101. 101 11.7.3 Globo.com – Portal Nacional Com o objetivo de garantir os melhores resultados aos nossos anunciantes, os sites da Globo.com são desenvolvidos de forma que a presença de cada anúncio seja privilegiada sempre, mantendo a posição nobre e quase que única, evitando assim a superexposição de marcas, formatos e ofertas de anunciantes simultaneamente. Desta forma, cada campanha veiculada em nossos sites é inserida em um ambiente limpo, resultando em mais impacto e gerando mais retorno. Além da veiculação nacional, a Globo.com oferece alternativas de programação regional de mídia através das afiliadas da Rede Globo, levando sua mensagem à todos os estados do Brasil. 11.7.3.1 Home da Globo.com 11.7.3.1.1 Audiência – Home Globo.com Confira a audiência da Home do portal Globo.com: 49 milhões de páginas vistas/mês 25 milhões de visitas/mês 459,5 mil usuários únicos/dia 0:18:05 de média de tempo médio de navegação/ dia 11.7.3.1.2 Perfil do Público – Home Globo.com Confira o perfil de quem acessa a Home do portal Globo.com: 51% Homens 43% Possuem idade entre 25 e 49 anos 34% Possuem graduação ou pós-graduação 11.7.3.2 Canal – Jornal Nacional O conteúdo dos sites de jornalismo da Globo.com vai além da notícia, onde as reportagens e entrevistas podem ser assistidas em vídeo na telinha do computador, conferindo maior atenção, interesse e credibilidade à informação. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 102. 102 Uma audiência qualificada, composta essencialmente por pessoas acima de 25 anos com grande poder aquisitivo e alto nível educacional, diariamente em busca das notícias com qualidade e rapidez que só a Globo.com tem. 11.7.3.2.1 Perfil do Público Globo Jornalismo Confira o perfil de quem acessa os sites de jornalismo: 51% Mais homens com 25 a 34 anos que a média da internet 19% Possuem pós-graduação, 37% a mais que a média da Internet 50% Mais especialistas que a média da internet 11.7.3.3 Canal – Esporte na Globo Esse conteúdo esportivo atrai mais de 396 mil pessoas por mês, colocando o Esporte na Globo entre os líderes na categoria esportes da internet brasileira. 11.7.3.3.1 Perfil do Público Esporte na Globo Para falar com o público masculino o conteúdo esportivo da Globo.com apresenta- se como a melhor opção, confira: 80% Dos usuários são homens 46% Têm entre 18 e 34 anos 9% Dos usuários são executivos ou gerentes Se considerarmos os homens de 25 a 34 anos, Esporte na Globo atrai 58% mais do target que a média da internet 11.7.3.4 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Full Banner Expansivo 55 3 18 R$ 3.240,00 Serão produzidas apenas quatro peças pois usaremos as mesmas de outros veículos no decorrer da campanha. 55 Dimensões em pixels: 468 x 60 (expandido: 468 x 240). Peso: 12KB (expandido 40KB) Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 103. 103 11.7.3.5 Investimento em veiculação Local de Topo das páginas dos canais e da Home do portal. veiculação: Período de Número Local e Formato Localização Impressões CPM Preço total veiculação de Dias Home Globo.com De 06/09 a 27/10 Topo da 16 500.000 R$ 25,00 R$ 12.500,00 Full Banner Expansivo Apenas nas terças e quintas página Jornal Nacional De 06/09 a 27/10 Topo da 16 500.000 R$ 22,50 R$ 11.250,00 Full Banner Expansivo Apenas nas terças e quintas página Esporte na Globo De 06/09 a 27/10 Topo da 16 200.000 R$ 22,50 R$ 4.500,00 Full Banner Expansivo Apenas nas terças e quintas página Total em Veiculação 48 1.200.000 R$ 28.250,00 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 104. 104 11.7.4 UOL – Universo Online O UOL é o maior portal de conteúdo em língua portuguesa do mundo. Organizado em 42 estações temáticas, possui mais de mil canais de notícias, informação, entretenimento e serviços, que ao todo somam mais de 7 milhões de páginas. Lançado em abril de 1996, o UOL provê acesso para mais de1.350 cidades brasileiras e oferece também números locais de conexão em outras 14 mil no exterior. Com cerca de 1,3 milhão de assinantes pagantes, desde setembro de 1999, o UOL atua também como portal e provedor de acesso na Argentina. 11.7.4.1 Audiência UOL Confira a audiência do portal UOL: UOL possui mais de 7,1 milhões de unique users Mais de 1.221.978.000 page views no mês de outubro de 2004 O alcance do UOL chega a 61,35% dos internautas ativos. Mais de 93 minutos de time spent, o maior entre os portais brasileiros 11.7.4.1.1 Perfil do Público Confira o perfil de quem acessa o portal UOL: 55% Homens 41% Possuem idade entre 25 e 49 anos 49% Possuem graduação ou pós-graduação 11.7.4.2 Canal Economia O mundo da economia e finanças disponível 24 horas por dia. Cotações de moedas, bolsas, serviços e notícias especializadas propiciam a maior cobertura sobre o assunto. 11.7.4.3 Canal Últimas Notícias A estação traz a cada segundo as informações mais recentes do Brasil e do Mundo. Uma verdadeira central de notícias, que reúne todo o conteúdo jornalístico do maior provedor latino-americano. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 105. 105 11.7.4.4 Canal Esportes O mais completa estação de esportes da internet brasileira está no UOL Esporte. Cobertura de diversas modalidades esportivas, com destaque para futebol, tênis, basquete, fórmula 1, aquáticos e velocidade. Jornalistas especializados, trazendo as melhores notícias do mundo esportivo. 11.7.4.5 Canal Música Estação dedicada à música brasileira e mundial. Os principais artistas em matérias incríveis. Eventos, fotos, shows, cifras, tudo do mundo da música está neste canal. 11.7.4.6 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Super Banner56 4 18 R$ 4.320,00 Serão produzidas apenas quatro peças pois usaremos as mesmas de outros veículos no decorrer da campanha. 11.7.4.7 Investimento em veiculação Local de Topo das páginas dos canais veiculação: Período de Número Local e Formato Localização Impressões CPM Preço total veiculação de Dias De 05/09 a 28/10 Economia Topo da Apenas nas segundas, 24 200.000 R$ 38,00 R$ 7.600,00 Super Banner página quartas e sextas De 01/08 a 28/10 Últimas notícias Topo da Apenas nas segundas, 24 200.000 R$ 38,00 R$ 7.600,00 Super Banner página quartas e sextas De 01/08 a 28/10 Esporte Topo da Apenas nas segundas, 24 200.000 R$ 38,00 R$ 7.600,00 Super Banner página quartas e sextas De 01/08 a 28/10 Música Topo da Apenas nas segundas, 24 100.000 R$ 38,00 R$ 3.800,00 Super Banner página quartas e sextas Total em Veiculação 96 700.000 R$ 26.600,00 56 Dimensões em pixels: 728 x 90. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 106. 106 11.7.5 Terra O Terra é a maior empresa de internet do Brasil com 1.700.000 assinantes, mais de 850 mil assinantes de acesso banda larga e 150 mil empresas clientes de Serviços Corporativos. 53,1% das pessoas que acessaram a internet através de conexão em Banda Larga nos últimos 30 dias navegaram no Terra57. O Terra é líder em acesso Banda Larga 55,0% 53,1% 50,0% 45,0% 43,9% 40,0% 35,8% 35,3% 35,0% 29,9% 30,0% 28,0% 25,0% 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% Terra UOL MSN Yahoo! IG Globo.com Fonte: TGI - Ibope 11.7.5.1 Perfil do Público Confira o perfil de quem acessa o portal Terra: 53% Homens 63% Possuem idade entre 25 e 49 anos 82% São da classe AB 66% Estão nas Regiões Sul e Sudeste 11.7.5.2 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Arroba Banner58 3 18 R$ 3.240,00 57 Fonte: Portal do Terra – www.terra.com.br - em 10 de Maio de 2005. 58 Dimensões em pixels: 300x250. Peso máximo de 20Kb. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 107. 107 11.7.5.3 Investimento em veiculação Local de Home do canal Informática veiculação: Período de Número Local e Formato Localização Impressões CPM Preço total veiculação de Dias De 05/09 a 28/10 Informática Topo da Apenas nas segundas, 24 400.000 R$ 30,52 R$ 12.208,00 Arroba Banner página quartas e sextas Total em Veiculação 24 400.000 R$ 12.208,00 11.7.6 MSN O MSN, portal da Microsoft, possui uma audiência de 380 Milhões de usuários únicos oferecendo, entre outros, os canais MSN Hotmail com 190 milhões de contas ativas, snedo o número um em serviços de webmail no mundo e o MSN Messenger com 155 milhões de usuários, sendo também o número um em serviços de mensagens instantâneas - Instant Message Service. 11.7.6.1 Audiência MSN Confira a audiência do portal MSN: Usuários Únicos (000) – Janeiro de 2005 8,0 7,6 7,5 7,0 6,5 6,5 6,0 5,7 5,5 5,5 5,2 5,1 5,0 4,7 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 MSN UOL Terra IG Yahoo! Google Globo.com Fonte: NNR – Janeiro 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 108. 108 11.7.6.1.1 Perfil do Público Confira o perfil de quem acessa o portal MSN: 54% Homens 50% Possuem idade entre 25 e 64 anos 29% Do tempo online - Maior nível de atenção do usuário entre os portais nacionais 11.7.6.2 Investimento em produção Total em Formato Quant. Preço total horas Half Banner59 2 18 R$ 2.160,00 Super Banner 60 2 18 R$ 2.160,00 11.7.6.3 Investimento em veiculação Local de Topo da página do Hotmail e rodapé do programa MSN Messenger veiculação: Período de Número Local e Formato Localização Impressões CPM Preço total veiculação de Dias MSN Messenger Programa De 01/09 a 30/09 30 MSN 1.000.000 R$ 8,80 R$ 8.800,00 Half Banner Diário Messenger MSN Hotmail De 01/09 a 28/10 Topo da 58 6.000.000 R$ 1,80 R$ 10.800,00 Super Banner Diário página Total em Veiculação 88 7.000.000 R$ 19.600,00 11.7.6.4 Usuários impactados nesta campanha Estado De 25 a 34 anos De 35 a 44 anos De 45 a 49 anos Total Bahia 126.937 49.548 14.200 190.685 Ceará 61.926 23.418 6.395 91.739 Minas Gerais 193.691 74.876 21.489 290.056 Paraná 196.333 84.244 22.718 303.295 Pernambuco 81.048 32.340 9.655 123.043 Rio de Janeiro 274.715 124.189 40.660 439.564 Rio Grande do Sul 144.621 57.904 18.168 220.693 São Paulo 942.518 396.019 116.869 1.455.406 2.021.789 842.538 250.154 3.114.481 Fonte: MSN 59 Dimensões em pixels: 234 x 60. Peso: 12KB. 60 Dimensões em pixels: 728 x 90. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 109. 109 11.8 QUADRO RESUMO FREQÜÊNCIA 11.8.1 Offline Mídias Offline Setembro Outubro Freqüência total Mídia/Semanas 1 2 3 4 5 1 2 3 4 5 6 Jornal 9 9 9 9 36 Anúncios Cinema 9 9 9 9 9 45 Cartazes Revista 4 4 6 6 5 5 5 5 4 4 4 52 Anúncios Aeronaves 2 2 2 2 2 1 1 1 1 1 1 16 Encostos Aeroporto 9 9 9 9 9 9 9 9 9 9 9 99 Anúncios Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 110. 110 11.9 QUADRO RESUMO PERCENTUAL 11.9.1 Offline Veiculação Veiculação Veiculação Percentual Setembro Outubro Total Jornais 27,36% Jornal Diário do Nordeste R$ 7.862,40 R$ 7.862,40 R$ 15.724,80 1,86% Jornal do Commercio R$ 3.731,52 R$ 3.731,52 R$ 7.463,04 0,88% Jornal A Tarde R$ 16.800,00 R$ 16.800,00 R$ 33.600,00 3,97% Jornal Correio Braziliense R$ 10.951,20 R$ 10.951,20 R$ 21.902,40 2,59% Jornal Estado de Minas R$ 14.400,00 R$ 14.400,00 R$ 28.800,00 3,40% Jornal O Globo R$ 16.110,00 R$ 16.110,00 R$ 32.220,00 3,81% Jornal Folha de São Paulo R$ 31.543,20 R$ 31.543,20 R$ 63.086,40 7,45% Jornal Gazeta do Povo R$ 6.264,00 R$ 6.264,00 R$ 12.528,00 1,48% Jornal Zero Hora R$ 8.100,00 R$ 8.100,00 R$ 16.200,00 1,91% Cinemas 5,32% Salas de cinema R$ 36.000,00 R$ 9.000,00 R$ 45.000,00 5,32% Revistas 48,49% Veja São Paulo R$ 111.552,00 R$ 0,00 R$ 111.552,00 13,18% Veja Rio R$ 35.524,00 R$ 0,00 R$ 35.524,00 4,20% Exame R$ 81.320,00 R$ 0,00 R$ 81.320,00 9,61% Você S/A R$ 41.895,00 R$ 41.895,00 R$ 83.790,00 9,90% Revista Ícaro R$ 22.750,00 R$ 22.750,00 R$ 45.500,00 5,38% Revista GOL R$ 6.943,00 R$ 6.943,00 R$ 13.886,00 1,64% TAM Magazine R$ 19.400,00 R$ 19.400,00 R$ 38.800,00 4,58% Aeronaves 10,63% Varig R$ 48.000,00 R$ 0,00 R$ 48.000,00 5,67% GOL R$ 21.000,00 R$ 21.000,00 R$ 42.000,00 4,96% Aeroportos 8,20% 9 aeroportos no Brasil R$ 69.400,00 R$ 0,00 R$ 69.400,00 8,20% Total em veiculação offline R$ 846.296,64 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 111. 111 11.10 PLANILHA COM ESTIMATIVA DE CUSTOS 11.10.1 Offline Apresentamos a seguir a planilha com o resumo do investimento necessário para veiculação e produção da campanha offline, dividida por veículos: Investimento Investimento em Investimento Veículos Formatos – Peças em Produção veiculação total Jornais Jornal Diário do Nordeste ½ Página R$ 1.440,00 R$ 15.724,80 R$ 17.164,80 Jornal do Commercio ½ Página R$ 0,00 R$ 7.463,04 R$ 7.463,04 Jornal A Tarde 04col x 30cm R$ 1.440,00 R$ 33.600,00 R$ 35.040,00 Jornal Correio Braziliense ½ Página R$ 0,00 R$ 21.902,40 R$ 21.902,40 Jornal Estado de Minas 04col x 30cm R$ 0,00 R$ 28.800,00 R$ 28.800,00 Jornal O Globo Rodapé R$ 1.440,00 R$ 32.220,00 R$ 33.660,00 Jornal Folha de São Paulo Rodapé R$ 0,00 R$ 63.086,40 R$ 63.086,40 Jornal Gazeta do Povo Rodapé R$ 0,00 R$ 12.528,00 R$ 12.528,00 Jornal Zero Hora Rodapé R$ 0,00 R$ 16.200,00 R$ 16.200,00 Cinemas Folheto de Principais capitais R$ 0,00 R$ 45.000,00 R$ 45.000,00 programação Revistas Veja São Paulo Página Simples R$ 2.700,00 R$ 111.552,00 R$ 114.252,00 Veja Rio Página Simples R$ 0,00 R$ 35.524,00 R$ 35.524,00 Exame Página Simples R$ 0,00 R$ 81.320,00 R$ 81.320,00 Você S/A Página Simples R$ 0,00 R$ 83.790,00 R$ 83.790,00 Revista Ícaro Página Simples R$ 0,00 R$ 45.500,00 R$ 45.500,00 Revista GOL Página Simples R$ 0,00 R$ 13.886,00 R$ 13.886,00 TAM Magazine Página Simples R$ 0,00 R$ 38.800,00 R$ 38.800,00 Aeronaves Varig Encosto de Cabeça R$ 0,00 R$ 48.000,00 R$ 48.000,00 GOL Encosto de Cabeça R$ 0,00 R$ 42.000,00 R$ 42.000,00 Aeroportos Diversos Diversos R$ 60.700,00 R$ 69.400,00 R$ 130.100,00 Total R$ 67.720,00 R$ 846.296,64 R$ 914.016,64 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 112. 112 11.10.2 Online Apresentamos a seguir a planilha com o resumo do investimento necessário para veiculação e produção da campanha online, dividida por veículos: Investimento Investimento em Investimento Veículos em Produção veiculação total Parceria UOL Shopping R$ 1.920,00 R$ 6.000,00 R$ 7.920,00 Hands R$ 1.440,00 R$ 30.000,00 R$ 31.440,00 Google R$ 600,00 R$ 8.880,00 R$ 9.480,00 Globo.com – Portal Nacional R$ 3.240,00 R$ 28.250,00 R$ 31.490,00 UOL – Universo Online R$ 4.320,00 R$ 26.600,00 R$ 30.920,00 Terra R$ 3.240,00 R$ 12.208,00 R$ 15.448,00 MSN R$ 4.320,00 R$ 19.600,00 R$ 23.920,00 Total R$ 19.080,00 R$ 131.538,00 R$ 150.618,00 11.11 INVESTIMENTO TOTAL NA CAMPANHA Um milhão, sessenta e quatro mil, seiscentos e R$ 1.064.634,64 trinta e quatro reais e sessenta e quatro centavos. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 113. 113 12.REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA LIMEIRA, Tania Maria Vidigal.E-marketing: o marketing na internet com casos brasileiros São Paulo – SP: Editora Saraiva, 2003. BLUMENSCHEIN, Alberto – TEIXEIRA DE FREITAS, Luiz Carlos. Manual Simplificado de Comércio Eletrônico São Paulo – SP: Editora Aquariana, 2000. VENETIANER, Tom. Como Vender Seu Peixe na Internet 4º Edição, São Paulo – SP: Editora Campus, 2000. FRANCO JR., Carlos F. - e-Business. Internet, Tecnologia e Sistema de Informações na Administração de Empresas 3º edição, São Paulo – SP: Editora Atlas, 2005. TREPPER, Charle H. - Estratégia de E-commerce Tradução Ana Beatriz Rio de Janeiro - RJ: Editora Campus, 2000. 13.BIBLIOGRAFIA STERN, Jim. Marketing na Web – Integrando a web à sua estratégia de marketing. 2º edição, Rio de Janeiro – RJ: Campus, 2000. TEIXEIRA FILHO, Jaime. Comércio Eletrônico 1º edição, Rio de Janeiro – RJ: Coleção Senac Rio Oportunidades Profissionais, 2001. CANTON, James. Technofutures: Como a tecnologia de ponta transformará a vida no século XXI São Paulo - SP: Editora Best Seller, 2001. NAJIB MATTA, Fauze. Pesquisa de Marketing. São Paulo - SP: Edição Compacta. Editora Atlas, 1996. SANTOS SAMARA, Beatriz - DE BARROS CARLOS, José - Pesquisa de Marketing – Conceitos e Metodologias. 2º edição ampliada e revisada, São Paulo - SP: Editora Makron Books. LYNCH, Daniel C. - LUNDQUIST, Leslie - Dinheiro Digital - O Comércio na Internet Rio de janeiro – RJ: Editora Campus, 1996. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 114. 114 14.SITES CONSULTADOS Site da DCC/UFMG – Departamento de Ciência da Computação – Universidade Federal de Minas Gerais. Disponível em <www.dcc.ufmg.br>. Consultado em: 26 set. 2004. Site da Câmara Brasileira de Comercio Eletrônico Disponível em <www.camara-e.net>. Consultado em: 27 set. 2004. Site E-CommerceOrg Disponível em <www.e-commerce.org.br>. Consultado em: 26 set.. 2004. Site IDG Now Disponível em <idgnow.uol.com.br>. Consultado em: 20 ago. 2004, 15 fev. 2005, 8 mar. 2005 Site InternetWorldStats.com Disponível em <www.internetworldstats.com>. Consultado em: 04 mar 2005. Site Google Disponível em <www.google.com>. Consultado em: 04 mar 2005. Site Bondfaro Disponível em <www.bondfaro.com>. Consultado em: 06 mar 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 115. ANEXO A Entrevista realizada com Luiz Fernando Videres, Coordenador de Negócios - Internet da Nagem. Data: 24 de fevereiro de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 116. Luiz Fernando Videres - I Entrevista realizada com Luiz Fernando Videres, Coordenador de Negócios - Internet da Nagem. Data: 24 de fevereiro de 2005. Meio Virtual - Gostaríamos que você falasse um pouco sobre a trajetória da empresa. Luiz Fernando - Nosso foco é o segmento de distribuição. Então a parte de varejo é o menor foco da Nagem. O canal que a gente utiliza para atingir os clientes é basicamente são catálogos. A Nagem tem 13 anos no mercado, ela começou com uma casinha na Rua 48, atualmente possui apenas um dono, no início foi criada através de uma sociedade entre irmãos, então estamos tratando de uma empresa familiar. Meio Virtual - Como você poderia nos descrever a atuação da Nagem no mercado? Luiz Fernando - Temos três segmentos basicamente: Revenda, Corporativa e varejo. A revenda é a Nagem vendendo para outras lojas, que é o maior foco da empresa. Por exemplo: A Infobox, vocês já devem ter ouvido falar, é uma empresa conhecida, tem muita gente que conhece mais a Infobox do que a própria Nagem aqui no Recife. No entanto, quase todos os produtos que a Infobox vendem, eles compram da Nagem. Claro que com uma condição “A” de venda, com uma equipe especial, com condições especiais, com promoções especiais. Ou seja, é uma empresa Nagem revenda. Nós temos outra empresa, a Nagem Corporativa, que é uma tabela “B”, com preços maiores, porque você ta atingindo um consumidor específico que são as empresas. Então essa parte corporativa atinge empresas como: Kibon, Bompreço, Detran, Alpargatas, Icorp, ou seja, são empresas que a finalidade não seja venda e sim uso próprio dos produtos, a gente atinge através desse canal que é o corporativo. E tem o canal Varejo, que é o menor negócio da Nagem, que é uma tabela “C”, com preços mais elevados que a Nagem trabalha que é pro consumidor final. Tem que haver uma grande diferença entre a Revenda e o Varejo e as condições comerciais. Primeiro para o revendedor comprar muito, segundo porque se colocarmos o preço de revenda próximo ao de varejo, os revendedores compraram em outra distribuidora. Não faz sentido ele ta comprando na Nagem pra ta alimentando um concorrente, normalmente na Nagem (loja física) você vai conseguir melhores preços apenas em linhas de produtos que outros revendedores não trabalham, salientando que são muitas essas marcas exclusivas, mas o consumidor vai ter outros valores agregados, não só o preço, o consumidor que compra apenas pelo preço normalmente ele não vai comprar na Nagem. Se ele for comprar uma memória aqui, normalmente vai ser mais cara do que essas lojas pequenas. Porque essas pequenas lojas compram em quantidade. Hoje trabalhamos com mais 6 mil itens, é muita coisa. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 117. Trabalhamos com todo material de informática e material de escritório e estamos separando agora a área de telefonia, na verdade a gente ta trabalhando hardware, software, hoje ta tudo dentro da área de informática que dividimos e chamamos de grupos. A telefonia, hardware, software e suprimentos, que são um dos principais filões da Nagem, no caso: o Papel, Cartuchos etc., pra vocês terem uma idéia um cartucho custa em média uns 100 reais, bom imaginem e temos também um outro grupo que são as Redes, sensibilidade, alguma coisa assim, porque na verdade esse grupo está sendo desenvolvido agora, estamos separando-os agora, atualmente eles estão dentro de informática. Esses são os grupos que chamamos de grupo mãe. Tem outros grupos e subgrupos. Se contarmos em hardware, teremos hardware de impressoras, hardwares de computadores, hardware de notebook, existem classes. Então fazendo um pequeno resumo a Nagem pode ser definida da seguinte forma: São mais de 6 mil itens que trabalhamos, contamos com aproximadamente 30 mil clientes ativos. Clientes ativos são aqueles que compram pelo menos duas vezes ao mês. Isso se levarmos apenas em consideração esses dois segmentos revenda e corporativa. O mercado é mais ou menos dividido assim: 50% da Revenda; 40% da Corporativa; 10% do Varejo. Meio Virtual – Como a Nagem consegue separar tão bem as empresas, sem que uma cause prejuízo para outra? Luiz Fernando - Muita gente fala que é uma coisa no mínimo estranha, a Nagem ser revenda, ou seja, distribuidor e ao mesmo tempo ter loja, como é que conseguimos isso? Como é que os revendedores não ficam com raiva? Mas às vezes eles até ficam com um pouquinho de raiva. Mas é porque realmente temos uma política comercial totalmente diferenciada. E outra, é que a loja física da Nagem é um dos maiores cliente da Distribuidora Nagem, então como a minha loja compra muito da distribuição, assim, fazemos transferência do que estaria deixando de vender em um setor com preço mais baixo, vendemos no outro com preço mais elevado. Falamos que quando o mercado tiver uma sustentabilidade de lojas tão grandes quanto às nossas lojas, o varejo da Nagem vai deixar de existir, a idéia é essa. Na verdade não têm no mercado lojas tão grandes quanto à da Nagem. E tem também a questão da marca que hoje também está pesando. Falávamos há 5 anos atrás o nome Nagem, ninguém sabia, hoje as pessoas já começam a saber, mas ainda tem aquela visão que a Nagem é uma loja, entendeu? Que na verdade imagine colocar um prédio com 17.000 m2 desse em Boa Viagem ou na Madalena? Impossível, não é? O fluxo de caminhão é enorme, tráfego de carretas, para fazer dentro da cidade é inviável. Meio Virtual – A Nagem é uma empresa nordestina, mais especificamente do Recife–PE. Atualmente, quais as regiões de atuação da empresa? Luiz Fernando - A princípio era só o nordeste, hoje atuamos em todo Brasil. Agora temos quatro grandes CD (Centro de distribuição) que é Recife, Salvador, São Paulo e Fortaleza, tem um também no Rio de Janeiro que é menorzinho, aí Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 118. temos vários pequenininhos que servem mais como aqueles pontos de estoques, as mercadorias que está chegando, está saindo já certo, já vai quando o cliente quer. Então, é aquele estoque mínimo que você fica só para diminuir o delay, entendeu? Pedido e entrega. Meio Virtual – Em 2005, a Nagem conta com quantos funcionários? Luiz Fernando – Atualmente contamos com aproximadamente 600 funcionários. Meio Virtual – Como você poderia nos detalhar as suas expectativas com a loja eletrônica? Fale-nos um pouco do novo canal de vendas da Nagem, o e-commerce. Luiz Fernando – Como a questão do varejo é complicada, por quê? O cliente que compra no varejo, tende a crescer bastante, esse mercado, como eu já falei que é muito valioso você consegue trabalhar com uma margem de lucro mais alta. O cliente tem que ver o produto. Então lojas eu tenho hoje: duas em recife (Boa Viagem e Madalena), duas em salvador e duas em Fortaleza (está sendo inaugurada a segunda agora), então consideramos muito pouco! É pouca loja, você não tem como o cliente está se aproximando, aquele consumidor final está se chegando, ta indo ver o produto, escolhendo o produto. Então o site vai resolver esse problema. Meio Virtual – E qual o motivo da Nagem só entrar agora em 2005 no mercado online? Luiz Fernando - Por uma decisão estratégica da empresa. A gente achou que a Internet no começo era um modismo e não iria funcionar. E na verdade muitas empresas entraram e botaram a cara na Internet e perderam uma fortuna em dinheiro. Segundo a Nagem queria entrar muito bem estruturada, então uma coisa é você ter uma loja, por exemplo: existem empresas que tem uma loja, você compra virtualmente, só que ele tem uma loja, ele não tem um e-commerce. São duas coisas completamente diferentes. Por que uma loja o consumidor vai entrar, vai comprar, vai ficar lá, a empresa terá uma tela de back office que verá, por exemplo, que “ João fez um pedido de uma caixa de disquete, para entregar em tal endereço.” Ele vai checar no sistema dele, RP, e vai fazer um lançamento. É como se o consumidor estivesse ligado para a uma determinada loja, ter falado com um funcionário, e este vai lançar o pedido até finalizando com a entrega. Meio Virtual – É como se fosse um site de pedidos? Luiz Fernando – É! É uma lojinha, lojinha virtual, como costumamos chamar. Meio Virtual – Nos defina então, como seria os processos que envolvem um e-commerce. Luiz Fernando - O site de e-commerce o consumidor vai se conectar a Internet, Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 119. vai colocar o pedido, sem que ninguém saiba, o pedido vai ser verificado, se existe disponibilidade de entrega, vai ver quanto custa o frete, vai passar essa informação para ele, vai aprovar o crédito, vai verificar o pagamento, vai mandar lá para atrás, vai ser separado o pedido e vai ser despachado sem que ninguém tome conhecimento que aquela transação foi efetuada. A gente vai ver só porque o estoque foi diminuindo e o caixa vai aumentando. Aí é ótimo! Então demite todo mundo e deixa as máquinas trabalhando! (risos) Voltando a pergunta anterior, é mais ou menos isso, a demora da Nagem entrar nesse universo online. As pessoas sempre questionavam: “A Nagem não tem um site ainda...” a demora nossa foi realmente essa, a empresa quis sentir o mercado, esperar o mercado da uma tranqüilizada. Entendem? E realmente entrar com uma coisa estruturada. Os investimentos feitos com os servidores são absurdos, são números bem altos que realmente impressionam se falados. Meio Virtual – Vocês têm alguma meta em relação no número de acessos ao e-commerce da Nagem? Luiz Fernando – Bem, metas ainda não podemos mencionar concretamente, mas temos uma pretensão, sei lá, uns 6 mil visitantes por dia. Hoje o nosso site não tem praticamente nada. É um site de consulta de preços, o pouco serviço que a gente oferece no site é consulta de preços, e temos de 1.000 a 1.300 visitas por dia, mais ou menos nessa faixa. Ou seja, só com consulta de preços, imagina quando esse consumidor tiver... porque no nosso site não tem foto, não tem nada, na época o nosso banco de dados nem disponibilizava isso, não tinha nem como capitalizar isso. Meio Virtual – A empresa sofreu, ou está sofrendo, alguma reestruturação para receber o e-commerce? Luiz Fernando – Muito! Foram criados 1 milhão de novas tabelas, não só a parte de software, mas a parte de people, ou seja, o pessoal que vai estar trabalhando nessas bases e nessas informações. Por exemplo: Temos um analista só para fazer, isso sem o site estar no ar, fazem 6 meses que ele já vem trabalhando nisso, o contrato dele venceu agora, e já decidimos contrata-lo, porque sabemos que o trabalho dele não vai acabar nunca, ele é um analista de informações, ou seja, um profissional que vai até os sites de fabricantes pegar informações para colocar no nosso e-commerce sobre aquele produto. Então você chega querendo comprar uma câmera digital, você vai querer saber todas as informações da câmera digital. Diferente da revenda que só quer saber o preço, se a marca e presta e pronto. O revendedor não esta interessado em quantos megapixel tem a câmera, quais as possibilidades do produto, quanto tempo dura a pilha ou bateria. Esse consumidor de varejo quer, entendem? Essa é a preocupação do nosso e-commerce B2C. Vocês podem até abordar isso, que o site da Nagem está levando o máximo de informações possíveis para o Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 120. consumidor. Meio Virtual – Foram encontrados sites com o formato parecido ao que vocês desejam implantar? Luiz Fernando - A gente se baseou nos melhores sites mundiais de comércio eletrônico, a gente viu vários modelos pra poder chegar à decisão que a Nagem tomou, de como será esse site. Não foi uma coisa assim de “sopetão”, com toda experiência dela de confiança que temos com os parceiros, com toda experiência que temos na equipe, mas mesmo assim a gente tem que ver esse pessoal que estão nos Estados Unidos, vendendo pela Internet a uns 5 anos, 6 anos e vendendo bem. Pegamos muita informação com esse pessoal. Então voltando aqui para a reestruturação que a empresa teve que passar, hoje encontramos muitos analistas de redes que tem que se especializar nessa parte de integração, tem o pessoal de informação, para estar colocando informações no site. Você tem uma equipe de marketing que vai ter que ser especializada porque vai ter que ter tela de back-office, vai tá mexendo ali tudo na aplicação. Então, dizemos o seguinte: que aqui temos três unidades de negócios, modelo de negócios. O comércio eletrônico vai ser um novo modelo de negócio, ou seja, vai ser um novo negócio, não uma nova loja e sim um novo negócio. Imagina você poder comprar aqui vendendo dessa forma, e por exemplo, você não tem comissão de vendedor, frete de comércio eletrônico quem paga é o comprador, ou seja, todas as possibilidades para você fazer uma coisa bem estruturada e ter uma margem de lucro que é a função de uma empresa comercial é o lucro. Ela visa o lucro, apesar de toda questão social que elas tentam ter ou passar, mais a função da empresa comercial é o lucro. Então você vai poder maximizar de uma forma que nenhum desses três seguimentos podem oferecer, com uma abrangência de nível nacional e até internacional, quem sabe! (risos) Meio Virtual - E com a relação da expectativa de retorno você nos falou em uma audiência em torno de 6 mil visitas diárias. É o que realmente vocês estão esperando? Luiz Fernando - Eu espero isso, claro que não em curto prazo. Mas com uma ação de marketing bem feita, deveremos chegar perto disso, estamos falando de 6 vezes o número de visitas que o site tem hoje sem oferecer praticamente nada ao consumidor. É muito pouco. Meio Virtual – A questão dos fatores positivos e negativos, como você nos colocaria com a abertura deste novo canal de vendas da Nagem? Luiz Fernando – O grande ponto negativo, como já mencionei, são os revendedores que compram da Nagem (distribuidora), porque eles são os nossos maiores compradores, nossos maiores clientes. Hoje nós temos lojas nessas três cidades (Recife, Fortaleza, Salvador). Nessas três cidades temos dificuldades de venda em vários clientes desses, que é meu Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 121. foco hoje por eu ter varejo. Porque esses meus maiores clientes também são varejistas. Então a partir do momento que tiver varejo em toda a cidade que tem um computador, esses varejistas vão começar a ver a Nagem (distribuidora) com outros olhos. Porém a Nagem precisa entrar nesse mercado, isso não tem jeito. Meio Virtual – O ponto negativo é que com o e-commerce vocês irão ampliar suas vendas como varejo Nagem e isso poderá afetar diretamente ao segmento de maior atuação da empresa que a distribuição? Seria isso? Luiz Fernando – Exatamente, por isso que mais uma vez eu falo, essa divisão terá que ser muito bem feita para o negócio na Internet. Vai ter que ser muito bem estruturado, porque não podemos dividir, teremos que somar. Não podemos tirar o cliente de um dos segmentos da empresa pra outro, entendeu? Teremos que criar novos clientes, não podemos estar ganhando aqui e perdendo e mais adiante. Meio Virtual - Na verdade vocês não estão lançando apenas o B2C, mas também o B2B. Com essa distribuição oferecida através de um e- commerce, também haverá uma maior facilidade para esse cliente potencial da Nagem? Luiz Fernando – Isso é verdade. Esse projeto se divide em dois, o primeiro B2B, o segundo o B2C. B2C consumer, B2B business pra business, estamos finalizando o projeto. De acordo com o nosso cronograma, esperamos estar concluindo 25 de março o B2B, ainda deve ter após essa data mais um mês de testes, que serão feitos com alguns clientes especiais, selecionados a dedo e ai começa a divulgar a senha e tudo. Faremos também uma campanha para essa divulgação. Mas é isso. Vai ajudar, vai alavancar a venda desses dois segmentos, tanto a distribuição quanto o varejo. Nós já temos toda a malha logística, um grande negócio, o maior motivo, o maior fato de motivação de falência das empresas de comércio eletrônico nesses últimos anos é exatamente a questão logística. Estamos entrando no negócio com toda a malha de logística pronta, que construímos ao longo desses 12, 13 anos no mercado. Temos clientes de lugares mais remotos, então sabemos como fazer nossos produtos chegarem até lá, sabemos quanto vai custar o frete, qual a transportadora que vai ser mais barata, temos o negócio pronto. Meio Virtual – Fala um pouco dos concorrentes diretos que vocês já identificaram. Luiz Fernando – Concorrência temos alguns dos grandes fabricantes, eles trabalham já com o portal B2B mas esses fabricantes setorizam muito o que vendem. Tem uns mais especializados em hardware, outros são mais especializados na parte de suprimentos, alguns na parte de software, ou seja, não tem, eu diria sem medo de errar, que quando o B2B da Nagem entrar vai preocupar muita gente. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 122. Eles têm muito mais medo dessa nossa nova proposta do que nós deles. Até porque nos estruturamos, estamos fazendo uma coisa com ‘pé no chão’, sabemos para onde estamos indo. A preocupação deve vir deles e não da Nagem. Nós conhecemos esses clientes. Nós sabemos onde os clientes deles estão. E eles atuam vendendo. Talvez o grande segredo do sucesso da Nagem é ela conseguir atingir tudo, ou seja, o vendedor, o consumidor e o varejo. Meio Virtual – Para o B2C vocês já conseguem definir uma concorrência? Porque diferentemente do B2B, no caso do B2C, os fabricantes não vendem direto, eles vendem para as lojas virtuais. Luiz Fernando – Exatamente. Porque o fabricante ele tem que atuar através de um distribuidor e como somos distribuidor de varejo, não teremos problemas quanto a isso. Apenas grandes empresas como, por exemplo, Magazine Luiza, Submarino, Americanas, essas lojas sim, compram direto do fabricante, porém não possuem um mix de produtos de informática e suprimentos que temos. Essas empresas podem até vender produtos iguais aos que a Nagem B2C vende, mas com o mesmo mix que vamos entrar não, com todos os produtos, eu acho também que não tem. Não conheço! Meio Virtual – Então as lojas físicas, no caso do varejo, vocês não consideram, por exemplo, uma “Infobox” como concorrente? Luiz Fernando – A Infobox não deixa de ser nossa concorrente, mas nada que nos preocupe, não atrapalha. Se perdermos para ela no varejo ganhamos na distribuição. Meio Virtual – Quando pensamos na Nagem, vem à mente uma loja física, o varejo. Até porque quando apresentamos o pré-projeto, nós mencionamos a questão da força que a Nagem distribuidora possui e as pessoas se mostraram surpresas com essa força neste segmento. Você sabe por que isso ainda acontece? Luiz Fernando – Realmente pouquíssima gente em Recife sabe. É especificamente Recife. É uma visão bem regionalista. Por termos surgido aqui, por termos loja aqui. Se em Salvador você perguntar a mesma coisa ele tem a mesma visão, mas se for a São Paulo, a visão será completamente diferente. A visão de lá é justamente ao contrário. Ai você encara a Nagem como: uma Ingram, uma TD Brasil, que são grandes distribuidoras no segmento que atuamos. Meio Virtual – No Brasil, quais são as concorrentes diretas da Nagem na distribuição? Luiz Fernando – Na distribuição temos a Ingram, TD Brasil, entre outras são umas 5 ou 6 grandes que trabalham assim, com um mix aproximado. Com o mesmo mix não tem. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 123. Meio Virtual – Dessas empresas citadas, quais têm o B2B funcionando? Luiz Fernando – A Ingram tem um B2B funcionando bem. Meio Virtual – Você já visitou? Luiz Fernando – Sim! É o benchmarking (risos). Eles entraram há mais ou menos 1 ano e meio atrás. Meio Virtual – Mas eles trabalham apenas com distribuição ou também atuam no varejo online? Luiz Fernando – Não existe! Só a Nagem que inventou isso aqui e deu certo. Talvez porque os grandes distribuidores estão no sudeste e nós somos os únicos que atua no Nordeste. Da Bahia para cima, tem que comprar com a Nagem. Se não vai cair na briga, terão problemas com ICMS, barreira fiscal, frete. Meio Virtual – Quais as principais marcas que a Nagem comercializa? Luiz Fernando - Nós somos distribuidores exclusivos de muitas marcas: HP, Epson, Samsung, Verbatine, entre outras. Somos os maiores distribuidores da Verbatine da América do Sul. A primeira empresa do mundo a vender 1 milhão de monitores. Ninguém sabe disso! Tem uma sala aqui na empresa repleta de troféus só com premiações desse tipo. O nosso marketing ainda não explorou isso. Na verdade, hoje é bem voltado ao varejão mesmo. Você pega as peças e vê o máximo de produtos e preços. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 124. ANEXO B Entrevista realizada com Cid Torquato, diretor da Câmara e-Net – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico Data: 12 de março de 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 125. Cid Torquato Entrevista realizada com Cid Torquato, diretor da Câmara e-Net – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico Data: 12 de março de 2005 Meio Virtual - Em sua opinião, qual o maior benefício que o e-commerce trás para as pessoas que utilizam à internet? Cid - Muita informação, comparação de preços e produtos, rapidez, produtividade e comodidade, on-line e em tempo real. A Internet é mais importante no processo de formação da decisão, do que na efetivação da compra. Antes de ser um canal de negócios é uma fonte inesgotável de informação. Meio Virtual – Por que grandes empresas do varejo offline no Brasil ainda não optaram pelo e-commerce? Cid - O varejo online de bens de consumo representa não mais do que 3% do total do varejo no país. Vai crescer muito nos próximos anos, mas deve atingir um teto de não mais do que 10% no Brasil, 15% nos Estados Unidos. O grosso dos negócios continuará no "mundo real". Por outro lado, o varejo online vem crescendo a taxas de quase 50% nos últimos 10 anos, enquanto o tradicional cresceu cerca de 10% em 2004. Nas grandes redes, que também possuem operações na Internet, as lojas eletrônicas são, sem exceção, as mais rentáveis e lideram o ranking de vendas se comparadas às operações off-line. Meio Virtual – Descreva resumidamente qual o perfil do e-consumidor de hoje? Cid - Se incluirmos também o e-banking, as transações eletrônicas, no Brasil, são praticadas pelas classes A e B, nível universitário, 56% homens, 90% de satisfação, ticket médio duas vezes maior do que nos Estados Unidos, que não passa dos US$ 60. Falamos de um universo potencial de 10 a 12 milhões de brasileiros nos próximos três anos. Meio Virtual - Qual a maior dificuldade que você vê hoje para o e- commerce? Cid - Informação e custo. Custa caro saber o que fazer e implementar a solução. Por outro lado, há poucos investimentos públicos de relevo ultimamente. Em um país como o Brasil, os investimentos públicos, nos três níveis, são fundamentais para o desenvolvimento das tecnologias da informação. Meio Virtual - Porque algumas pessoas ainda não confiam em comprar pela Internet? Cid - Pura falta de informação. Transacionar pela Internet é seguro, basta que sigamos algumas regras e processos de segurança. Sou da opinião que os setores que mais se beneficiam da Internet têm empenhado pouca energia no sentido de conscientizar os usuários também sobre os riscos, a co-responsabilidade e as Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 126. medidas de segurança necessárias para garantir a preservação de todo o ecossistema digital como um todo. Meio Virtual – E como o senhor vê a internet? Cid - Em 2005, a Internet está aparentando ser a última tecnologia que alterará a maneira como os negócios são conduzidos, sendo notadamente simples no seu funcionamento e extremamente estimulante quanto a sua utilidade. Meio Virtual - Qual o futuro da internet no Brasil? Cid - É na Economia Digital que veremos, no Brasil, o verdadeiro espetáculo do crescimento desta década, a Era Lula. Meio Virtual - E o futuro do e-commerce? Como será daqui a 10 anos? Cid - O futuro, não muito distante, será pautado por superpopulação, poluição do ar e da água, crescente miséria e exclusão, violência urbana e o caos. Será o ambiente propício para o florescimento dos negócios eletrônicos em geral. Alguém tem alguma dúvida disso? Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 127. ANEXO C Entrevista realizada com Michel Lent Schwartzman, diretor executivo da agência 10'Minutos Data: 14 de Março de 2005 Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 128. Michel Lent Schwartzman Entrevista realizada com Michel Lent Schwartzman, diretor executivo da agência 10'Minutos Data: 14 de Março de 2005 Meio Virtual - De que forma você acha que a internet pode ser um gerador de negócios? Michel - De inúmeras maneiras, que variam de acordo com o negócio de cada empresa ou indivíduo. Pode ser uma vitrine para trabalhos de profissionais liberais, compra e venda de mercadorias de e entre empresas, agilizar a comunicação, etc. Meio Virtual - Em sua opinião, qual o maior benefício que o e- commerce trás para as pessoas que utilizam à internet? Michel - A disponibilidade para a compra 24/7, em qualquer parte do mundo e a facilidade de se encontrar produtos e comparar preços. Meio Virtual - Qual a maior dificuldade que você vê hoje para o e- commerce? Michel - A venda de produtos que necessitam do toque, visualização, teste, antes de decidirmos comprar. Meio Virtual - Porque algumas pessoas ainda não confiam em comprar pela Internet? Michel - Força do hábito. É uma possibilidade muito nova e ainda repleta de imperfeições. Se em 20 anos as pessoas ainda não confiarem em comércio eletrônico, ai sim deve ser um motivo de preocupação. Meio Virtual - Qual o futuro da internet no Brasil? Michel - A popularização. Mais formas de acesso, mais baratas, estarão disponíveis nos próximos anos. O acesso chegará a parcelas menos favorecidas da população, o que fará o mercado ganhar suas devidas proporções. Acredito que a internet terá um caminho semelhante ao do celular, que hoje é usado por todas as classes da população. Meio Virtual - E o futuro do e-commerce? Como será daqui a 10 anos? Michel - Mais fácil de usar, mais interessante, mais popular, mais rico. (risos) Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 129. ANEXO D Entrevista realizada com Luiz Fernando Videres, Coordenador de Negócios - Internet da Nagem. Data: 15 de Março de 2005. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 130. Luiz Fernando Videres - II Entrevista realizada com Luiz Fernando Videres, Coordenador de Negócios - Internet da Nagem. Data: 15 de Março de 2005. Meio Virtual - Quais as mídias utilizadas hoje pela Nagem e por quê? Luiz Fernando - TV (assinatura em telejornais), Jornais impressos em diversos estados, Painéis, Encartes, E-mail MKT. Além disto, eventualmente, estamos entrando em outras formas de divulgação da Marca Nagem. Exemplo: Patrocino do Classic Hall, Patrocínio do Kartódromo do Recife, entre outros. Meio Virtual - Em nossa conversa, você comentou alguns concorrentes, gostaríamos de saber exatamente quais as empresas que concorrem com cada um dos segmentos da Nagem. Luiz Fernando - B2B: Officer, Ingramm, SND, All NAtions, Flytech, TD Brasil entre outras. B2C: Extra, Kalunga, PontoFrio, entre outras. É importante lembrar que estas são as mais próximas, pois ninguém oferece um mix como a Nagem Meio Virtual - Qual a verba para a campanha de lançamento do e- commerce B2C? Essa informação é fundamental para montarmos nosso planejamento. Luiz Fernando - Estamos definindo esta informação. Meio Virtual - Os preços praticados na loja eletrônica B2C serão os mesmos das lojas físicas? Luiz Fernando - Sim. Mas existirão algumas promoções exclusivas para a Web. Meio Virtual - Qual o investimento total da Nagem com este novo canal? Levando-se em consideração a infra-estrutura, hardware, software, investimento em mídia etc.? Luiz Fernando – (Essa informação foi passada para a Meio Virtual, porém foi solicitado pela Nagem sigilo nas informações). Meio Virtual - Como será exatamente a logística da Nagem para o e- commerce B2C? Luiz Fernando - O processo será semelhante ao utilizado hoje no Delivery. O pedido vem pela Web, vai para o Conagem, e de lá, estando tudo OK, segue para logística. Lá será embalado e identificado para entrega, e ficará à espera para recolhimento. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 131. Meio Virtual - Quais os parceiros vocês pensam em contratar? Tipo Correios, DHL etc. Luiz Fernando - Correios. Meio Virtual - Fala um pouco do software WMS de gerenciamento de estoque que a Nagem possui e de que forma ele será utilizado no e- commerce? Luiz Fernando - O WMS (WIS) será de extrema importância para agilizar a separação dos pedidos. Além disso, diminuirá o erro humano na separação destes produtos que serão enviados. Nosso WMS ainda não está totalmente implementado, mas estará na época que o B2C for lançado. Meio Virtual – Haverão outros softwares utilizados pela Nagem neste novo canal? Luiz Fernando - Basicamente serão as Aplicações da Icorp + Conagem + WIS Meio Virtual - Fala um pouco sobre o seu Atendimento ao consumidor e o que mudará com a implantação do B2C? Luiz Fernando - O B2C será uma nova unidade de negócios para Nagem. Tentaremos focar o máximo no atendimento Virtual, mas também teremos um número para resolver problemas e dúvidas. Meio Virtual - Em sua opinião quais as principais razões de compra do cliente B2C da Nagem? Luiz Fernando - Confiabilidade da Marca Nagem, qualidade dos produtos oferecidos, e variedade no mix de produtos. Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 132. ANEXO E Autorizações para veiculação de publicidade Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 133. ANEXO F Orçamentos de Mídia Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 134. ANEXO G Anúncio tipo 01 para revistas. Formato: Página Simples Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 135. ANEXO H Anúncio tipo 02 para revistas. Formato: Página Simples Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 136. ANEXO I Anúncio tipo 03 para revistas. Formato: Página Simples Faculdade Pernambucana – FAPE
  • 137. ANEXO J Anúncio tipo 01 para aeronaves. Formato: Encosto de Cabeça Faculdade Pernambucana – FAPE