EDEN - Analiseinfraestruturas

  • 216 views
Uploaded on

Projecto EDEN

Projecto EDEN

More in: Travel , Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
216
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Análise de Infra-estruturas para o Desenvolvimento do Hidrogénio Apresentação Resultados Preliminares Sílvia Esteves - INEGI PPS6 Projecto EDEN, Lisboa 15 de Outubro de 2007 Agenda • Objectivos da Análise de Infra-estruturas • Inputs e Outputs • Evolução Procura de H2 em Portugal • Evolução das Infra-estruturas • Próximas Etapas 2 Análise de Infra-estruturas
  • 2. Objectivos da Análise de Infra-estruturas • Identificação dos Centros de Consumo de H2 • Identificação dos Centros de Distribuição de H2 • Análise dos Recursos de H2 • Análise da Infra-estrutura de Produção de H2 • Análise da Infra-estrutura de Distribuição de H2 • Análise de Sensibilidade 3 Análise de Infra-estruturas Inputs e Outputs Outputs Inputs Estimativas da Centros de Consumo e Procura de H2 Distribuição de H2 (Modelo TIMES) Cenários da Estrutura Taxas de de Produção de H2 Penetração do H2 (Mix de Produção) (Cenários) Análise das Infra-estruturas Cadeias de H2 Cenários da Estrutura para o Seleccionadas de Distribuição de H2 (E3 database) Desenvolvimento do H2 Tipo de Transporte Preços da Energia (Gasodutos de H2, Transporte Rodoviário) Distâncias de Análise de Custos Transporte 4 Análise de Infra-estruturas
  • 3. Evolução Procura de H2 em Portugal Evolução da Procura Total de H2 em Portugal Cenário Elevada Penetração de H2 Aplicações Estacionárias 10,0% 8000 Transportes 7000 6000 Milhões m3 de H2 74,5% Tx de Penetração do H2 8,0% 5000 4000 54,4% 3000 4,0% 2000 23,7% 1000 1,0% 3,3% 0 2020 2030 2040 2050 Fonte – Modelo Times 5 Análise de Infra-estruturas Evolução Procura de H2 em Portugal Evolução da Procura Total de H2 em Portugal Cenário Penetração Moderada de H2 Aplicações Estacionárias 8000 Transportes 7000 6000 Milhões m3 de H2 Tx de Penetração do H2 5000 5,0% 4000 40,0% 3000 2,0% 2000 0,5% 22,6% 1000 0,1% 7,6% 0,7% 0 2020 2030 2040 2050 Fonte – Modelo Times 6 Análise de Infra-estruturas
  • 4. Evolução das Infra-estruturas • Fase I – Fase de Arranque – Até 2020 • Fase II – Fase de Transição – Entre 2020 a 2030 • Fase III – Fase de Maturação – Entre 2030 a 2050 7 Análise de Infra-estruturas Evolução das Infra-estruturas Fase I – Fase de Arranque (Até 2020) • Baixa Penetração de H2, valores estimados: – Max. 3,3% - Transportes – Max. 0,7% - Aplicações Estacionárias (Habitação) • Baixa Procura de H2, valores estimados [58, 315] Milhões de m3 de H2; • Produção H2: – Reformação de vapor (SMR), usando gás natural; – Electrólise, usando energia eléctrica da rede, ou energia eléctrica dos parques eólicos; – Gaseificação da Biomassa. 8 Análise de Infra-estruturas
  • 5. Evolução das Infra-estruturas Fase I – Fase de Arranque (Até 2020) cont. • Transporte: – Baseado nas infra-estruturas de transporte existentes, via transporte rodoviário, em veículos especializados para o transporte de H2 Líquido ou Gasoso. • Distribuição – Distribuído para projectos de demonstração, em especial, transportes públicos e frotas. 9 Análise de Infra-estruturas Evolução das Infra-estruturas Fase II – Fase de Transição (Entre 2020 a 2030) • Crescimento da Taxa de Penetração de H2, valores estimados: – Max. 23,7% - Transportes; – Max. 4% - Aplicações Estacionárias (Habitação); • Crescimento da Procura de H2, valores estimados [685, 2254] Milhões de m3 de H2; • Produção de H2: – Produção Local; – Produção Centralizada; – Aumento de Escala, Maior Eficiência na Produção de H2. 10 Análise de Infra-estruturas
  • 6. Evolução das Infra-estruturas Fase II – Fase de Transição (Entre 2020 a 2030) cont. • Produção de H2: – Expansão e crescimento das soluções de Produção Centralizada de H2 com base na Electrólise e na Gaseificação da Biomassa; – Aparecimento de novas opções de Produção Centralizada: • Electrólise, fonte energia das ondas. – Captura e Armazenamento de CO2 nas Centrais de Produção de H2 a partir da Reformulação de Vapor (SMR). 11 Análise de Infra-estruturas Evolução das Infra-estruturas Fase II – Fase de Transição (Entre 2020 a 2030) cont. • Transporte de H2: – Baseado nas infra-estruturas de transporte existentes, via transporte rodoviário, em veículos especializados para o transporte de H2 Líquido ou Gasoso; – Aparecimento de infra-estruturas dedicadas (Gasodutos de H2), utilizando os gasodutos existentes para transporte de Gás Natural. • Distribuição – Pequenos Centros de Distribuição, localizados junto das zonas de maior procura, centros urbanos. 12 Análise de Infra-estruturas
  • 7. Evolução das Infra-estruturas Fase III – Fase de Maturação (Entre 2030 a 2050) • Taxa de Penetração de H2, valores estimados: – Max. 74,5% - Transportes; – Max. 10% - Aplicações Estacionárias (Habitação); • Crescimento da Procura de H2, valores estimados [4277, 7994] Milhões de m3 de H2; • Produção de H2: – Produção Massiva de H2; – Importação de H2. 13 Análise de Infra-estruturas Evolução das Infra-estruturas Fase III – Fase de Maturação (Entre 2030 a 2050) cont. • Transporte: – Grandes quantidades, utilização de Gasodutos Dedicados; – Pequenas quantidades e grandes distâncias, utilização de Transporte Rodoviário; – Transporte marítimo, no caso de importação de H2. • Distribuição: – Transportes: Estações de Abastecimento nos Centros Urbanos e ao longo das Principais Infra-estruturas Rodoviárias; – Aplicações Estacionárias: Gasodutos. 14 Análise de Infra-estruturas
  • 8. Próximas Etapas • Criação de Base de Dados dos principais indicadores (oferta / procura); • Análise tecnológica e estrutural de possíveis Cenários de Produção e Distribuição de H2; • Desenvolvimento de uma Matriz de Recursos Energéticos; • Criação de um Plano Geográfico e Estratégico da evolução das infra-estruturas e respectiva Matriz de Custos; • Análise de Sensibilidade. 15 Análise de Infra-estruturas Obrigada pela Vossa Atenção. Para mais informações contactar: silvia.esteves@inegi.up.pt 16 Análise de Infra-estruturas