Your SlideShare is downloading. ×
HISTÓRIA DO BRASIL - Expansao e Ocupação Territorial
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

HISTÓRIA DO BRASIL - Expansao e Ocupação Territorial

11,172
views

Published on

RESUMO DE HISTÓRIA DO BRASIL

RESUMO DE HISTÓRIA DO BRASIL

Published in: Business, Economy & Finance

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
11,172
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
100
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. EXPANSÃO E OCUPAÇÃO TERRITORIAL Fatores da expansão e ocupação territorial: • Pecuária: utilização do gado para alimentação e força matriz nos engenhos. A expansão da lavoura canavieira pressionou para que em 1701, o governo português estabelecesse uma distância do litoral para a criação do gado. A pecuária constituiu uma atividade voltada para o mercado interno. As duas principais zonas de irradiação eram Olinda (Pernambuco) e Salvador (Bahia). • Missões jesuíticas: avanço da ocupação territorial em direção ao sul. • Drogas do sertão: Portugal e a perda do monopólio das especiarias das Índias contribuiu para a exploração de produtos da região da Amazônia, como canela, cacau e plantas medicinais. • Buscas de indígenas / metais preciosos: feita pelos bandeirantes. Entradas e Bandeiras (bandeirantes) Tanto as entradas, como as bandeiras eram expedições que ajudaram na expansão para o interior, porém, havia algumas diferenças: as entradas eram organizadas pelo governo e saíam da Bahia, já as bandeiras, eram organizadas pelos particulares e saíam de São Paulo. As bandeiras se dividiam em ciclos de acordo com as atividades do momento: • Ciclo do ouro de lavagem: o ouro do aluvião era encontrado no leito dos rios do Sudeste, assim, não se afastavam muito do litoral. • Ciclo da preação: no Sudeste necessitava de mão-de-obra, já que, os escravos se limitavam ao Nordeste e o preço subia. Assim, iniciou a caça aos índios (centralizava-se nas missões jesuíticas que chegavam a ser destruídas). • Ciclo do sertanismo de contrato: com o “fim” do ouro e sem encontrar a prata, os bandeirantes começaram a ser contratados por particulares pra reprimir a resistência de quilombos. • Ciclo do ouro e dos diamantes: após a crise açucareira, os portugueses investiram nas bandeiras que buscavam metais preciosos. O avanço ao sul Portugal desejava controlar o mercado de couro e sebo (foz do rio da Prata). Os ingleses apoiavam os portugueses porque queriam controlar o contrabando do ouro espanhol, assim, conseguiram a fundação da Colônia do Sacramento (1680). Em Buenos Aires, a noticia causou péssima repercussão, ocorreram conflitos e o mais importante resultou no tratado de Madri (1750). Porém, Portugal entregou a Colônia da Sacramento à Espanha e os Sete Povos das Missões passaram a pertencer à Portugal. Ocorrendo assim, uma luta, chamada guerra Guranítica. Assim, os contornos do Brasil tornaram-se mais definidos. Sete povos das missões • Os sete povos das missões eram formados por 7 aldeamentos no Rio Grande do Sul; • Os aldeamentos sofreram ataques dos bandeirantes, mas os jesuítas recuperaram o controle da região; • Os aldeamentos possuíam uma praça no centro e em volta dela, havia igreja, cemitério, colégio, oficinas e hortas; • Com a anulação do Tratado de Tordesilhas, os missionários, os indígenas e todos os seus pertences deveriam sair da região e ir para terras que pertenciam à Espanha. As casas, igrejas e demais construções deveriam ser entregues às autoridades portuguesas juntamente com as terras. A guerra foi inevitável. Os padres e a população indígena se recusaram a sair, preferindo enfrentar o exército de Portugal. Mesmo derrotados, os habitantes dos sete povos conquistaram i direito de permanecer em suas terras.

×