Prolactina e Ocitocina

27,578 views

Published on

apresentação utilizada na aula da liga de fisiologia, bioquimica e anatomia

Published in: Health & Medicine
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
27,578
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
208
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Produzido na Adeno-Hipófise pelos Lactotropos (representam 3% a 5% do total das células, durante o período de gravidez a glândula aumenta pelo menos 50% de tamanho).
  • Produzido na Adeno-Hipófise pelos Lactotropos (representam 3% a 5% do total das células, durante o período de gravidez a glândula aumenta pelo menos 50% de tamanho). Imunofluorescencia.
  • Existem várias formas estruturais de sua molécula, mas a forma biologicamente ativa e responsável pela sua ação é a forma monomérica (small). As formas poliméricas (big e big-big) e a forma glicosilada praticamente não exercem função biológica, não sendo implicadas, também, nos processos de secreção anômala deste hormônio 1-3 .
  • Existem várias formas estruturais de sua molécula, mas a forma biologicamente ativa e responsável pela sua ação é a forma monomérica (small). As formas poliméricas (big e big-big) e a forma glicosilada praticamente não exercem função biológica, não sendo implicadas, também, nos processos de secreção anômala deste hormônio 1-3 .
  • Existem várias formas estruturais de sua molécula, mas a forma biologicamente ativa e responsável pela sua ação é a forma monomérica (small). As formas poliméricas (big e big-big) e a forma glicosilada praticamente não exercem função biológica, não sendo implicadas, também, nos processos de secreção anômala deste hormônio 1-3 .
  • Existem várias formas estruturais de sua molécula, mas a forma biologicamente ativa e responsável pela sua ação é a forma monomérica (small). As formas poliméricas (big e big-big) e a forma glicosilada praticamente não exercem função biológica, não sendo implicadas, também, nos processos de secreção anômala deste hormônio 1-3 .
  • até que seja necessáriosimilar a dopamina, que sai do hipotálamo, via vasos portais hipotalâmico-hipofisários e diminui em 10x a [] de prolactina.stress elevado e convulsões ligeiro aumento da prolactina. É mais liberada a noite
  • Sua secreção aumenta uniformemente a partir da 5ª semana de gravidez até o nascimento, quando sua [] aumentou 10 a 20 vezes do nível normal não gravídico. Até o nascimento secretam-se poucos Ml de leite devido a progesterona e estrogênio, durante os últimos dias e primeiros dias após o parto secreta-se colostro (leite com menos gordura a 1/100 da taxa de secreção de leite).
  • cada vez que a mãe amamenta o bebê sinais neuras dos mamilos para o hipotálamo causam um pico de 10 a 20 vezes na secreção de prolactina, com duração de 1 hora.
  • mesmo com amamentação após 7 meses reduz
  • FSH que na mulher derruba os níveis de estrógeno e progesterona,.aumento do prolactina no homem diminui a produção de testosterona e portanto diminui a libido, podendo até mesmo causar disfunção erétil além de causar ginecomastia)
  • ----- Meeting Notes (24/03/11 18:46) -----
  • Prolactina e Ocitocina

    1. 1. Prolactina e Ocitocina<br />Carolina, Lucas e Natália<br />
    2. 2. Prolactina<br />
    3. 3. Anatomia e histologia<br />
    4. 4. Onde está a prolactina ?<br />Adenohipófise<br />
    5. 5. Quem produz a prolactina ?<br />Os lactotropos<br />
    6. 6. BIOQUíMICA<br />
    7. 7. Como é a estrutura ?<br />Formas não ativas<br />
    8. 8. Formas Poliméricas<br />Big<br />Big-Big<br />
    9. 9. Forma glicosilada<br />
    10. 10. Forma Ativa<br />Forma monomérica (small)<br />
    11. 11. Que tipo de hormônio é a prolactina ?<br />Hormônio Peptídico com 198 aminoácidos. Cadeia única e hidrossolúvel<br />
    12. 12. Fisiologia<br />
    13. 13. A prolactina<br />Promove o desenvolvimento das mamas e a produção de leite<br />
    14. 14. A prolactina<br />
    15. 15. A prolactina<br />Armazenada em vesículas secretoras<br />Receptores de membrana desconhecidos<br />Controlada por hormônio inibidor da prolactina (PIH) – similar a DOPAMINA<br />
    16. 16. A prolactina<br />Aumento da secreção a partir da 5ª semana de gravidez com concentrações 10 a 20 vezes do nível normal<br />Progesterona e Estrogêniocomoantagonistasnaprodução do leite<br />
    17. 17. A prolactina<br />O nível basal retorna a níveis não gravídicos em semanas, mas existem picos a cada amamentação<br />
    18. 18. A prolactina<br />Sem estímulo as mamas perdem a capacidade de produção de leite em 1 semana<br />
    19. 19. A prolactina<br />Influencia as funções reprodutoras por diminuir a secreção de FSH e LH<br />É o “anticoncepcional” natural por não permitir a ovulação nos primeiros meses<br />
    20. 20. Clínica e curiosidades<br />Um plus.<br />
    21. 21. Conte-me mais sobre prolactina<br />Tumores de adenohipofise podem aumentar a secreção de prolactina<br />Influencia as funções reprodutoras por diminuir a secreção de FSH e LH.<br />O estrógeno estimula a produção de prolactina<br />
    22. 22. Hiperprolactinemia<br />Definição:<br />é o excesso de produção de prolactina<br />é a disfunção hipotálamo-hipofisária mais freqüente na endocrinológia<br />Pode ser classificado em microprolactina e macroprolactina<br />Exame: Sugere-se que a sua coleta seja feita após 8/12 horas de jejum e com a realização de um "pool" de 3 a 4 amostras em um período de 1 hora para uma mensuração mais fidedigna. Caso os níveis séricos basais de PRL sejam superiores a 100 ng/ml, 50% dos casos terão adenoma, tornando-se obrigatório exame de imagem. <br />Consequências:<br />Mulher: distúrbios menstruais(amenorréia/oligomenorréia), infertilidade, galactorréia na mulher<br />Homem:perda de libido e potência no homem, oligospermia e redução do volume ejaculado, galactorréia e/ou ginecomastia<br />
    23. 23. Possíveis causas da Hiperprolactinemia<br />Fisiológicas<br />Sono, stress,gravidez*,amamentação*,orgasmo *Mais frequentes<br />Patológicas<br />Lesões do hipotálamo ou da haste hipofisária<br /> Tumores hipotalâmicos *<br /> Doenças inflamatórias ou granulomatosas<br /> Outras lesões expansivas<br />Lesões hipofisárias<br />Prolactinomas<br /> Adenomas plurihormonais<br /> Lesões compressivas da haste hipofisária*<br /> Doenças infiltrativas<br /> Sela vazia<br />Hipotiroidismo primário<br />Síndrome dos ovários policísticos<br />Neurogênico<br /> Estimulação mamilar<br /> Lesões torácicas<br /> Lesões medula espinal<br />Insuficiência renal crônica<br />Cirrose hepática<br />Idiopática<br />
    24. 24. Ocitocina<br />
    25. 25. Anatomia e histologia<br />
    26. 26. Onde está a ocitocina ?<br />Neurohipófise<br />
    27. 27. Histologia da Neurohipófise<br />
    28. 28. Hipotálamo X Hipófise<br />
    29. 29. Núcleos do Hipotálamo<br />
    30. 30. Transporte da Ocitocina<br />
    31. 31. BIOQUÍMICA<br />
    32. 32. A estrutura da Ocitocina<br />
    33. 33. FISIOLOGIA<br />
    34. 34. A ação da Ocitocina<br />
    35. 35. Ocitocina e o trabalho de parto<br />
    36. 36. Ocitocina e a ejeção do leite<br />
    37. 37. Ocitocina e a ejeção do leite<br />
    38. 38. “Hormônio do Amor”<br />
    39. 39. Clínica e curiosidades<br />Um plus.<br />
    40. 40. Conte-me mais sobre Ocitocina<br />Há receptores de ocitocina nos testículos, epidídimo e próstata.<br />No momento do orgasmo há aumento na secreção de ocitocina.<br />Mulher: auxiliao espermatozóidea chegaraoóvulo<br />A ocitocina maternal ao atingir a placenta, penetra no corpo do bebê e gera estímulos para a liberação de GABA<br />
    41. 41. Conte-me mais sobre Ocitocina<br />Estudos indicam que autistas quando tratados com ela apresentam melhora em fala e relacionamento<br />Altasdosagens de ocitocinapodemcausarhiponatremia<br />
    42. 42. Dúvidas ?<br />

    ×