<ul><ul><li>Música </li></ul></ul><ul><ul><li>Clássica  e   Rock </li></ul></ul>
Indice Introdução O que é o Rock? Jimi   Hendrix Guns   N’Roses O que é a Musica Clássica? Mozart Beethoven Conclusão
Introdução Escolhemos este tema porque gostaríamos de saber mais acerca da música Clássica, e sobre um dos nossos estilos ...
O que é o Rock? O  Rock and Roll  (ou  Rock'n'Roll ) é um género de música que emergiu como estilo musical no sul dos Esta...
Grande intérprete: Jimi Hendrix James Marshall &quot;Jimi&quot; Hendrix, (1942 –1970) foi guitarrista, cantor, compositor ...
O  Jimmy também mudou a tradição da guitarra no rock: apesar de guitarristas anteriores, como Pete Townshend (dos The Who)...
Grande banda de Rock: Guns N’ Roses Os Guns N' Roses são um grupo norte-americano, que teve o seu início na segunda metade...
Um dos melhores guitarristas de sempre esteve na banda: Saul Hudson, mais conheçido por ‘Slash’. Slash saiu do Guns N' Ros...
O que é a Musica Classica   A música erudita (do latim, “eruditu”, que significa conhecimento, saber) é também mencionada ...
A música não pretende ser dançável. É claro que se podem referir, por exemplo, as valsas dos Strauss e a música de bailado...
O Classicismo (primeiro período no séc. XVIII; segundo período no séc. XIX) é caracterizado pela claridade, simetria e equ...
Mozart Mozart nasceu em 27 de Janeiro de 1756, em Salzburgo, Áustria. Foi uma criança prodígio de uma família musical burg...
A partir de 1786 sua popularidade começou a diminuir junto do público de Viena, o que agravaria a sua condição financeira....
Beethoven   Ludwig van Beethoven foi baptizado a 17 de Dezembro de 1770, e julga-se que nasceu no dia anterior na Renânia ...
Aos 24 anos, Beethoven sentiu os primeiros indícios de surdez. Consultou vários médicos, inclusive o médico da corte de Vi...
Conclusão   Estes dois estilos de música são muito diferentes não só musicalmente mas também no modo de vida dos seus inté...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Apresentação

4,103

Published on

Our presentation about Rock and classical music

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,103
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
173
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação

  1. 1. <ul><ul><li>Música </li></ul></ul><ul><ul><li>Clássica e Rock </li></ul></ul>
  2. 2. Indice Introdução O que é o Rock? Jimi Hendrix Guns N’Roses O que é a Musica Clássica? Mozart Beethoven Conclusão
  3. 3. Introdução Escolhemos este tema porque gostaríamos de saber mais acerca da música Clássica, e sobre um dos nossos estilos de música preferidos: o Rock. Este trabalho pretende dar a conhecer aos alunos ambos os estilos (a sua história, os intérpretes marcantes, etc.) e para tal, obtivemos alguma informação na Internet, e usamos também alguns conhecimentos adquiridos anteriormente . Esperemos que todos a quem este trabalho for divulgado aprendam algo sobre Rock e música Clássica.
  4. 4. O que é o Rock? O Rock and Roll (ou Rock'n'Roll ) é um género de música que emergiu como estilo musical no sul dos Estados Unidos durante a década de 50, espalhando-se rapidamente pelo mundo. Mais tarde, evoluíu para diversos subgéneros no que hoje é definido simplesmente como &quot;rock&quot;. Desde finais da década de 50 até meados dos anos 90 o rock foi provavelmente o estilo musical mais popular no mundo ocidental. Os instrumentos mais comuns no rock'n'roll são a guitarra eléctrica, o baixo, a bateria, e muitas vezes um piano ou teclado, embora no início, o principal instrumento tenha sido o saxofone, posteriormente substituído pela guitarra no final dos anos 50. Rock and Roll Instrumentos musicais utilizados na criação de música rock. À esquerda a bateria e à direita, a guitarra eléctrica. Origens estilísticas: Blues, Country, Jazz Contexto cultural: Estados Unidos da América Instrumentos típicos: Guitarra, baixo, contrabaixo, bateria, teclado Popularidade: Muito popular em todo o planeta Subgéneros punk-rock, metal, pop-rock
  5. 5. Grande intérprete: Jimi Hendrix James Marshall &quot;Jimi&quot; Hendrix, (1942 –1970) foi guitarrista, cantor, compositor e produtor e é por muitos considerado o mais importante guitarrista da história do rock. Como guitarrista, ele inspirou-se nas inovações de músicos do blues tais como B. B. King, e T-Bone Walker, assim como nos guitarristas de R&B (rhythm and blues) tais como Curtis Mayfield.
  6. 6. O Jimmy também mudou a tradição da guitarra no rock: apesar de guitarristas anteriores, como Pete Townshend (dos The Who) terem empregado recursos como o &quot;feedback“, a distorção e outros efeitos, Hendrix, graças aos seus conhecimentos doutros estilos, foi capaz de usar estes recursos de uma forma que ultrapassou os seus antecessores. Como produtor musical, foi um dos primeiros a usar o estúdio de gravação como extensão das suas ideias musicais.
  7. 7. Grande banda de Rock: Guns N’ Roses Os Guns N' Roses são um grupo norte-americano, que teve o seu início na segunda metade da década de 1980 é uma das mais famosas bandas do mundo e tornou-se célebre, “liderada” por Axl Rose. O Guns são uma das bandas que mais venderam de todos os tempos, vendendo 40 milhões de albuns só nos Estados Unidos, totalizando quase 100 milhões de albuns em todo o mundo. O álbum mais conhecido da banda e o que teve maior sucesso foi Appetite for Destruction (1987) que vendeu mais de 35 milhões de cópias em todo o mundo. Em 1991 lançaram em simultâneo os álbuns Use Your Illusion 1 e Use Your Illusion 2.
  8. 8. Um dos melhores guitarristas de sempre esteve na banda: Saul Hudson, mais conheçido por ‘Slash’. Slash saiu do Guns N' Roses em 1996, alegando discussões com Axl Rose sobre novo álbum da banda. O álbum mais conhecido da banda e o que teve maior sucesso foi Appetite for Destruction (1987) que vendeu mais de 35 milhões de cópias em todo o mundo. Em 1991 lançaram em simultâneo os álbuns Use Your Illusion 1 e Use Your Illusion 2. Guns N' Roses Origem Los Angeles, Califórnia País U.S.A. Inicio da banda 1985 Gênero(s) Hard rock Gravadora(s) Geffen Records UZI Suicide Membros da Banda Axl Rose; Robin Finck; Ron Thal; Richard Fortus; Tommy Stinson; Brian Mantia; Dizzy Reed; Chris Pittman Ex-membros Slash; Duff McKagan; Izzy Stradlin‘; Steven Adler; Matt Sorum; Tracii Guns; Robbie Gardner; Gilby Clarke; Paul Tobias; Josh Freese; Buckethead Site oficial www.gunsnroses.com
  9. 9. O que é a Musica Classica A música erudita (do latim, “eruditu”, que significa conhecimento, saber) é também mencionada como Música Clássica. Há várias controversas sobre a terminologia mais correcta, mas até hoje não se chegou a um consenso. A música clássica começou por se afirmar em relação à música popular por ter a característica de ser escrita, utilizando Notações musicais, enquanto que a música popular era transmitida oralmente, podendo ser mais tarde transcrita para notação musical. Uma das características da música erudita é o peso que a tradição tem no repertório. O seu público procura, essencialmente, obras que aspiram à intemporalidade, havendo mesmo um sentimento comum de aversão a modas, como é comum na música popular, no qual as melodias mais valorizadas podem, em muitos casos, ter fama efémera. Essa característica da música erudita - a exigência de um treino especial académico dos seus participantes activos (intérpretes) - estende-se, numa opinião muito divulgada, ao próprio público. Em princípio, o público que ouve música erudita regularmente seria mais informado. Muitos dos que acorrem aos concertos de música erudita ou compram discos desse género musical não sabem ler música nem tocar instrumentos. Na verdade, esse espectador procura, geralmente, emoção, fruição estética e surpresa, ou algum estímulo intelectual, reflexivo e filosófico, na linha de muitos compositores contemporâneos. A música erudita não é um estilo musical, pois abarca várias épocas da história da música, incluindo a música clássica propriamente dita.
  10. 10. A música não pretende ser dançável. É claro que se podem referir, por exemplo, as valsas dos Strauss e a música de bailado que são também tocadas em concerto. Nos concertos de Música Clássica há um grande formalismo. Esse lado mais contemplativo da música erudita é, talvez, o mais óbvio desse género musical. Os concertos de música erudita são, muitas vezes, conotados com uma atmosfera solene, quase sagrada. Pretende-se que o público se mantenha silencioso e imóvel durante o espectáculo, de modo a que todos possam ouvir a obra musical na sua integridade e sem interferências. Alguns ouvintes chegam mesmo a sentir-se incomodados com ovações, salvas de palmas e &quot;Bravos!&quot; mais ruidosos, ainda que as opiniões dividem-se. Há quem não se acanhe e pretenda, com essas ovações, na altura certa, demonstrar a admiração que sente pelos intérpretes ou pelo compositor. Enquanto que num concerto de rock é frequente e mesmo desejável para o sucesso do concerto que o público se manifeste, nos concertos de música clássica espera-se precisamente o contrário. Isso causa frequentemente alguns equívocos e embaraços. Para melhor compreender e usufruir de uma peça musical é conveniente saber situá-la no tempo. Mesmo quem não tem formação musical, com algumas audições, rapidamente saberá distinguir algumas fases, épocas ou eras da história da música, entre elas o período em que surgiu a música Clássica: o Classicismo.
  11. 11. O Classicismo (primeiro período no séc. XVIII; segundo período no séc. XIX) é caracterizado pela claridade, simetria e equilíbrio. Os cravos e outros instrumentos do Barroco (período anterior) são substituídos pelo piano. Como já foi dito, a &quot;música clássica&quot;, propriamente dita, corresponde a um período da história da música, também referido como Classicismo vienense. Alguns autores preferem escrever, para evitar confusões, música Clássica (com o C maiúsculo) para referir-se a música Erudita composta no período do Classicismo. Ao longo da história da civilização ocidental, as famílias mais abastadas tinham frequentemente a preocupação de que os seus filhos fossem instruídos na música erudita desde cedo. Uma aprendizagem precoce de interpretação musical abre caminho a estudos mais sérios em idades mais avançadas. É quase impossível aprender a tocar, a um nível profissional, alguns instrumentos, como o violino, se não for desde tenra idade. Outros pais querem que os filhos aprendam música por razões de estatuto social ou para incutir autodisciplina. Existem estudos que parecem comprovar uma melhoria no rendimento académico das crianças que aprendem música. Outros consideram que conhecer as grandes obras da música erudita é uma obrigação cultural, fazendo parte da &quot;cultura geral&quot; mais ou menos elevada, mas geralmente valorizada em termos sociais.
  12. 12. Mozart Mozart nasceu em 27 de Janeiro de 1756, em Salzburgo, Áustria. Foi uma criança prodígio de uma família musical burguesa, começando a compor minuetos para cravo com a idade de cinco anos. O seu pai Leopold Mozart foi também compositor. Algumas das primeiras obras que Mozart escreveu enquanto criança foram duetos e pequenas composições para dois pianos, destinadas a serem interpretadas conjuntamente com sua irmã. Entre 1770 e 1773 visitou a Itália por três vezes, onde compôs a ópera Mitridate que obteve um grande êxito. Em 1772, a Sociedade da Corte vienense implicava com a origem burguesa e os modos de Mozart, e não admitia que um mero empregado (os músicos eram considerados empregados na época) passasse tanto tempo em viagens ao estrangeiro. Em 1781, a Sociedade da Corte vienense ordena que Mozart se junte a eles. Insatisfeito por ser colocado entre os criados, pediu a demissão. A partir daí passa a viver do lucro dos concertos, da publicação das suas obras e de aulas particulares, sendo o primeiro a tentar comercializar a sua obra. Em 1782 casa, contra a vontade do pai, com Constanze Weber, irmã mais jovem da cantora lírica Aloisia Weber Lange.
  13. 13. A partir de 1786 sua popularidade começou a diminuir junto do público de Viena, o que agravaria a sua condição financeira. Isso não o impediu de continuar compondo outras obras como quintetos de cordas, sinfonias e um divertimento para trio de cordas, mas nos seus últimos anos a sua produção declinou devido a problemas financeiros, a problemas da sua saúde e da sua esposa Constanze; aliados a problemas amorosos. Em 1791 compõe as duas últimas óperas: A clemência de Tito e A flauta mágica , o seu último concerto de piano e um concerto de clarinete. Na primavera desse ano, recebe a encomenda de um Requiem. Contudo, trabalhando em outros projetos e com a saúde cada vez mais enfraquecida, morre a 5 de Dezembro, deixando a obra inacabada (há uma lenda que diz que o requiem estaria a ser composto para tocar na sua própria missa de sétimo dia). Será completada por Franz Süssmayr, seu discípulo. É enterrado numa vala comum de Viena.
  14. 14. Beethoven Ludwig van Beethoven foi baptizado a 17 de Dezembro de 1770, e julga-se que nasceu no dia anterior na Renânia do Norte, Alemanha. O seu pai era tenor na corte de Colónia e também ensinava. Foi dele que Beethoven recebeu as suas primeiras lições de música. Beethoven nunca teve estudos muito aprofundados mas sempre revelou um talento excepcional para a música. Com apenas nove anos de idade foi confiado a Christian Gottlob Neefe (1748-1798) que lhe deu a conhecer os grandes mestres alemães da música. Compôs as suas primeiras peças aos onze anos. Os seus progressos são de tal forma notáveis que em 1784 já era segundo organista da capela do Eleitor. Em 1787 é enviado para Viena para estudar com Joseph Haydn onde este reconheceu imediatamente o talento prodigioso de Tinha como hábito despejar água gelada sobre a cabeça sob o pretexto de que isso estimulava o cérebro. Durante os anos 1790, firma uma sólida reputação como pianista e compõe as suas primeiras obras-primas . A 2 de Abril de 1800 a sua Sinfonia estreia em Viena, mas no ano seguinte ele confessa aos amigos que não estava satisfeito com o que tinha composto e que tinha decidido seguir “um novo caminho”.
  15. 15. Aos 24 anos, Beethoven sentiu os primeiros indícios de surdez. Consultou vários médicos, inclusive o médico da corte de Viena, fez curativos, realizou terapias, usou cornetas acústicas, mudou de ares, mas os seus ouvidos permaneciam em mau estado.A doença continuou a progredir e, aos 46 anos (1816), estava praticamente surdo. Porém, Beethoven não perdeu toda a audição, muito embora não tivesse, nos seus últimos anos, condições de acompanhar uma apresentação musical. Mesmo assim, de 1816 até 1827, ano da sua morte, ainda conseguiu compor cerca de 44 obras musicais. A partir de 1818 Beethoven, aparentemente recuperado, passou a compor mais lentamente, mas com um vigor renovado. Surgem então algumas de suas maiores obras como Hammerklavier. A culminância desses anos foi a Sinfonia nº 9 em Ré menor Op.125 (1824), para muitos a sua obra-prima e pela primeira vez é inserido um coral num movimento de uma sinfonia. Ele estava practicamente surdo quando compôs essa sinfonia. Os anos finais de Beethoven foram dedicados quase exclusivamente à composição de quartetos de cordas. Foi nesse meio que ele produziu algumas de suas mais profundas e visionárias obras. A sua influência na história da música foi imensa. Ao morrer em 26 de Março de 1827 estava supostamente a trabalhar numa Sinfonia. Conta-se que cerca de dez mil pessoas compareceram no seu funeral.
  16. 16. Conclusão Estes dois estilos de música são muito diferentes não só musicalmente mas também no modo de vida dos seus intérpretes devido ás diferenças sociais entre cada época. Estes tipos de música já são muito antigos, principalmente a música clássica, e para muita gente são eternos. Gostámos de realizar este trabalho, e esperamos que tenham aprendido tanto quanto nós.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×