Your SlideShare is downloading. ×
  • Like

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Em defesa da Propaganda de Cerveja

  • 1,538 views
Published

Apresentação realizada na matéria Ética e Legislação Publictária no ano 2008. Grupo deveria defender a propaganda de cerveja para debater com o grupo contrário.

Apresentação realizada na matéria Ética e Legislação Publictária no ano 2008. Grupo deveria defender a propaganda de cerveja para debater com o grupo contrário.

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,538
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
27
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.  
  • 2. Males causados pelo álcool :
    • Alcoolismo
    • Hipertensão
    • Problemas hepáticos
    • Problemas cardíacos
    • Além de: desatenção, altera ções compornamentais, lentidão nos reflexos, alterações no sistema nervoso central
  • 3. Movimento Propaganda Sem Bebida:
    • O que é
    • Quais suas metas
    • Sua estratégia
  • 4. Movimento Propaganda Sem Bebida:
    • As entidades do movimento apoiam o governo, o Ministério da Saúde e a ANVISA na definição de leis mais rigorosas
    • Defende que não basta apenas as alterações nos conteúdos e a mudança de horários
    • Apoia as propostas de que a cerveja deve ser tratada da mesma forma que o cigarro
    • Tem como objetivo a proibição total de qualquer tipo de propaganda de bebidas alcoólicas.
  • 5.
    • Parágrafo único - Em se tratando de produto industrial, ao fabricante cabe prestar as informações a que se refere este artigo, através de impressos apropriados que devam acompanhar o produto.
      • Art. 8° - Os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à saúde ou segurança dos consumidores, exceto os considerados normais e previsíveis em decorrência de sua natureza e fruição, obrigando-se os fornecedores, em qualquer hipótese, a dar as informações necessárias e adequadas a seu respeito.
    Código de Defesa do Consumidor: Seção I – Da Proteção à Saúde e Segurança
  • 6. Código de Defesa do Consumidor: Seção I – Da Proteção à Saúde e Segurança Art. 31 - A oferta e apresentação de produtos ou serviços devem assegurar informações corretas, claras , precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores
  • 7. Código de Defesa do Consumidor: Seção I – Da Proteção à Saúde e Segurança
    • Art. 37 - É proibida toda publicidade enganosa ou abusiva.
    • § 2° É abusiva , dentre outras a publicidade discriminatória de qualquer natureza, a que incite à violência, explore o medo ou a superstição, se aproveite da deficiência de julgamento e experiência da criança, desrespeita valores ambientais, ou que seja capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma prejudicial ou perigosa à sua saúde ou segurança.
  • 8.
    • CONAR:
    • Anexo “P” - Cervejas e Vinhos
    • Não deverá ter apelo, direto ou indireto, a crianças e adolescentes
    • Qualquer pessoa presente no comercial deverá ser e parecer maior de 25 anos.
    • Não deverá induzir o consumo exagerado ou irresponsável:
      • Apelo à sensualidade
      • Áudio ou vídeo que sugira o consumo
      • Beber cerveja como um desafio
      • Não associar o consumo do produto a qualquer atividade profissional
  • 9.
    • CONAR:
    • Anexo “P” - Cervejas e Vinhos
    • Cláusula de advertência:
      • "BEBA COM MODERAÇÃO“
      • “ CERVEJA É BEBIDA ALCOÓLICA. VENDA E CONSUMO PROIBIDOS PARA MENORES”
      • “ ESTE PRODUTO É DESTINADO A ADULTOS”
      • "EVITE O CONSUMO EXCESSIVO DE ÁLCOOL“
      • “ NÃO EXAGERE NO CONSUMO”
      • “ QUEM BEBE MENOS, SE DIVERTE MAIS”
      • "SE FOR DIRIGIR NÃO BEBA”
      • “ SERVIR CERVEJA A MENOR DE 18 É CRIME”
  • 10.
    • CONAR:
    • Anexo “P” - Cervejas e Vinhos:
    • Cláusula de advertência:
      • Rádio: encerramento da mensagem publicitária
      • TV e Cinema: encerramento da mensagem publicitária com audío e vídeo
      • Jornal, revista e mídia exterior: advertência inserida em retângulo branco escrito em cor preta.
      • Embalagens e rótulos: indicar que a venda é restrita a maiores de 18 anos.
      • Internet e mídias móveis: mesmos preceitos da televisão.
      • Cartazes, pôsteres e painéis: deverá conter a frase
      • "VENDA E CONSUMO PROIBIDOS PARA MENORES DE 18 ANOS “
      • Cerveja sem álcool fica dispensada da cláusula de advertência.
  • 11.
    • Projeto de lei 2.733/2008:
    • Propõe a classificação de bebidas alcoólicas a todas aquelas com mais de 0,5 grau de teor alcoólico,e não mais de 13 graus como é vigente.
    • Investimento em publicidade das indústrias de cerveja subiu de R$ 180 milhões para R$ 962 milhões entre 2000 e 2008
    • Proibição da veiculação de propagandas de cerveja entre às 6 h e 21 h, incluindo cotas de patrocínio.
    • Das 16 regras do Conar sobre a propaganda de cerveja, 12 são desrespeitadas .
  • 12.
    • A influência da indústria de cerveja na política :
    • Interpretação da lei e das normas
    • Influência na elaboração das leis
    • Cerca de 17% dos deputados tem ligações com empresas contrárias à proibição
  • 13.
    • A influência da indústria de cerveja na política :
    • 20 % dos deputados têm concessões de rádio e televisão e/ou receberam doações da indústria da bebida e da comunicação
    • Em 7 anos, o valor investido em publicidade pela indústria da cerveja aumentou cinco vezes
    • Em 2007, 81% das verbas publicitárias da indústria da cerveja foram destinadas às redes de Televisão
  • 14. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Contra argumento : o que está sendo discutido não é o teor das peças, mas sim o que elas podem contribuir para a sociedade. O fato de não se utilizar de estereótipos não muda a influência que a publicidade pode ter no consumo (uma vez que, independente de fazer uso da “mulher gostosa” ou não, o intuito é sempre a venda). A cerveja tornou-se quase que uma tradição na cultura brasileira, o que é motivo de preocupação visto os efeitos gerados pelo álcool – é comprovado que mesmo uma só “latinha” já altera o reflexo de um motorista – e seu consumo não deve ser incentivado.
    • Não é o produto (cerveja) que se apresenta como ofensivo à sociedade, mas sim a maneira como é trabalhado. A publicidade faz uso dos estereótipos vigentes, no caso o ideal de beleza feminina, para promover marcas e/ou produtos. Caso seja abordado de uma maneira respeitosa, a veiculação torna-se válida e necessária.
  • 15. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Contra argumento : se isso fosse verdade não existiria a publicidade. Tomemos como exemplo o caso do cigarro – com o fim das veiculações midiáticas de massa, o consumo diminui quase 15%, como mostra o Professor Elisaldo Carline da UNIFESP. É fato que a publicidade incita o consumo.
    • Não é porque existe a propaganda que as pessoas vão deixar de consumir o produto
  • 16. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Contra argumento : pelo contrário, o fim da publicidade fará com que as empresas procurem novas formas de se sustentar no mercado, assim como já fazem depois da Lei Cidade Limpa em São Paulo. A inovação é inerente ao desenvolvimento e sustentação de qualquer marca, além de ser válida para estimular uma concorrência sadia.
    • O fim da propaganda pode ir contra a uma disputa sadia pelo share of market , uma vez que limita a expressão das marcas.
  • 17. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Contra argumento : sim, mas isso só reforça a idéia de que o problema se encontra justamente nessa segmentação. Tal lei foi regulamentada em 1996, no governo FHC, e após 14 anos podemos ver claramente seu erro e inadequação. Não importa se a cerveja é “mais forte ou mais fraca” que a tequila, por exemplo, mas sim que causa danos não somente à pessoa, mas também à sociedade, quando consumida em excesso. Se há uma proibição para bebidas alcoólicas, é um absurdo que haja uma exceção para a cerveja. O “jeitinho brasileiro” não pode imperar na legislação..
    • Só é considerada alcoólica bebidas com teor maior de 13%, assim como prevê a lei.
  • 18. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Contra argumento : não há democracia quando a atitude de um implica no envolvimento de todos. Uma pessoa que consuma a cerveja, impulsionada pela idéia de que isso é “legal” – vendida pela publicidade, pode acabar tirando a vida de outras em um acidente de carro, por exemplo. É o mesmo com uma arma de fogo: não podem me impedir de atirar, isso é antidemocrático! Isso mostra a invalidade do argumento.
    • A proibição vai contra a democracia.
  • 19. O que alegam os defensores da propaganda de cerveja:
    • Conclusão : não se trata exatamente de uma proibição, mas de uma regulamentação. Igualando a cerveja às demais bebidas alcoólicas, a mesma se vê inserida em uma legislação já existente. A publicidade é estimuladora por excelência é apresentada sem qualquer critério de segmentação de público. A lei vem justamente de encontro a essa falha. É um direito de todo cidadão não querer que seu filho, por exemplo, seja instigado por tais veiculações.
  • 20. Comparação de como todas as marcas abusam da sensualidade da mulher :
  • 21.  
  • 22.  
  • 23.  
  • 24.  
  • 25.  
  • 26. Kaiser – Apelo Sexual http://br.youtube.com/watch?v=V4BgVE-Y5is&feature=related Kaiser – Musa do Verão http://br.youtube.com/watch?v=9mT9--JfW7c Comparação de como todas as marcas abusam da sensualidade da mulher :
  • 27.  
  • 28. http://br.youtube.com/watch?v=TJ-3cp-AX2c&feature=related (ícone animado)
  • 29. http://br.youtube.com/watch?v=Vtcmy3pAI4M ( kaiser capoeira)
  • 30. Aline Turin Décio Marques Policarpo Eric Anacleto Ribeiro Jean Michel Gallo Soldatelli Juliana Arantes Braga Karina Lee Hsu Maria Eugênia y Duca Rafael Ramos Guaranha Sílvia Rabello Morales Viviane Cristina Rodrigues Carnizelo