Your SlideShare is downloading. ×
0
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Canto IV, despedida em Belém
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Canto IV, despedida em Belém

11,926

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,926
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Os Lusíadas, Canto IV
  • 2.  Vasco da Gama continua o seu relato ao rei de Melinde. Conta a preparação da partida da armada e o ambiente vivido durante as despedidas em Belém.
  • 3.  O Rei D. Manuel pagou aos marinheiros e, com palavras de louvor, encorajou-os a esforçarem-se o mais possível e a resistir a todas as dificuldades com que se vão deparar. “Foram de Emanuel remunerados, /Por que com mais amor se apercebessem, /E com palavras altas animados /Pera quantos trabalhos sucedessem.” (83)
  • 4.  No porto de Lisboa, soldados e marinheiros estão prontos para acompanhar Vasco da Gama. “E já no porto da ínclita Ulisseia, /C’um alvoroço nobre e c’um desejo/(…) as naus prestes estão (…)/ Porque a gente marítima e a de Marte/Estão pera seguir-me a toda a parte.” (84)
  • 5.  A brisa faz ondear as bandeiras das naus e os heróis que as conduzirão estão destinados a subir aos céus, isto é, a tornarem-se imortais. “Nas fortes naus os ventos sossegados /Ondeiam os aéreos estandartes. /Elas prometem, vendo os mares largos, /De ser no Olimpo estrelas, como a de Argos.” (85)
  • 6.  Depois de as naus estarem prontas, os marinheiros ouvem missa, comungam e pedem protecção a Deus. “Despois de aparelhados, desta sorte, /(…) Aparelhámos a alma pêra a morte, / (…) implorámos favor que nos guiasse /e que nossos começos aspirasse.” (86)
  • 7.  Quando se lembra da partida da praia do Restelo, o narrador emociona-se. “Certifico-te, ó Rei, que, se contemplo /Como fui destas praias apartado, /Cheio dentro de dúvida e receio, / Que apenas nos meus olhos ponho o freio.” (87) “Aparelhámos a alma pêra a morte,” – A utilização da 1ª pessoa mostra que o narrador é participante, presente na acção narrada. O narrador deste episódio é Vasco da Gama.
  • 8.  Emoções dos marinheiros e das gentes que testemunham a partida das naus portuguesas. Marinheiros – ânimo e determinação: “C’um alvoroço nobre e c’um desejo”; Arrojo e audácia: “(…) e não refreia/Temor nenhum o juvenil despejo”; Apreensão e temor: “Aparelhámos a alma pera a morte,/ (…) Implorámos favor(…)”; Dúvida e tristeza: “Cheio dentro de dúvida e receio, /Que apenas nos meus olhos ponho o freio”;87 Devoção: “a Deus orando”;88 Mágoa e determinação: “Por não nos magoarmos, ou mudarmos /Determinei de assi nos embarcarmos/ Sem o despedimento costumado”.93
  • 9.  As gentes – (os homens, as esposas, as mães, os velhos e as crianças): Amargurados e tristes: “Saudosos na vista e descontentes”;88 Dor e aflição: “As mulheres c’um choro piedoso,/ Os homens com suspiros (…)”;89 Desespero e medo: “A desesperação e frio medo”;89 Amor e ansiedade: “(…) ó filho caro (…) / (…) ó doce e amado esposo”.
  • 10.  “Os montes de mais perto respondiam,/ Quase movidos de alta piedade; A branca area as lágrimas banhavam; Que em multidão com elas se igualavam.” – (est.92) – Personificação – através do eco, e “movidos de alta piedade”, “os montes” respondem aos lamentos da multidão. - Hipérbole: devido à imensidão de “lágrimas” que banhava a areia. Estas figuras de estilo servem para acentuar o sofrimento e a dor por todos sentida.
  • 11.  O comportamento dos marinheiros (est.93) contribui para o enaltecimento do herói do poema, pois apesar da imensa dor sentida, os corajosos marinheiros ultrapassam-na; eles não hesitam e embarcam com o intuito de cumprir a sua missão.
  • 12. A palavra “Argonauta”,vinda do grego, significatripulante da nau Argo,que, segundo a lenda grega,demandava o velo de ouro.Também é utilizada para referirum “navegador arrojado”. Para o narrador da “Despedida em Belém”, os novos “Argonautas”são os portugueses. Como classicista, Camões recorre à mitologia clássica e, neste caso, à mitologia grega.

×