Curso Manejo Água e Tratamento Águas Servidas - Humanaterra - Nov/2012

2,688 views

Published on

Material oferecido durante o Curso de Manejo Integrado de Água, realizado em Embu das Artes, em Nov/2012, com produção da Humanaterra, e facilitado por Guilherme Castagna

Published in: Self Improvement
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
  • Fiquei tao ~*~feliz~*~ ao ter acesso ao material desse curso que nao pude participar. Obrigada!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
2,688
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
250
Actions
Shares
0
Downloads
112
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Curso Manejo Água e Tratamento Águas Servidas - Humanaterra - Nov/2012

  1. 1. Água em São PauloÁgua Fria, Água Rasa, Água Funda, quanta água em São Paulo.Uma na zona norte, outra na zona leste e por fim na zona sul. Isso vem do tempo queas águas não ficavam tão expostas como hoje, porque as várzeas chupavam-nas, masdava para ver a qualidade de cada uma.Por causa da Serra da Cantareira ela estava fria,a outra no planalto da zona leste, ficava no raso,e por fim naquele terrão preto e charcoso da zona Sul, o caboclo afundava tanto quenão se conteve, e disse: - Nossa que Água Funda!
  2. 2. Água em São Paulo
  3. 3. Urbanização x Disponibilidade HídricaIMPERMEABILIZAÇÃO POLUIÇÃO ASSOREAMENTO REDUÇÃO DA CONTAMINAÇÃO REDUÇÃO DA CAPAC. DOS RECARGA DO AQÜÍFERO MANANCIAIS SUPERFICIAIS AUMENTO DA EXPLORAÇÃO DO AQÜÍFERO REDUÇÃO DA DISPONIBILIDADE DE ÁGUA PARA ABASTECIMENTO COLAPSO DO ABASTECIMENTO! Prof. Orsini, FCTH/USP
  4. 4. Escassez Abundancia
  5. 5. Design para abundância
  6. 6. «Manual de instruções»
  7. 7. No caminho da abundânciaAbastecimento de água. Reconhecer, utilizar e manter integridade dasfontes locais. Uso contextualizado à qualidade e cultura localTratamento de esgoto vs. reciclagem denutrientes. Tratamento localizado apropriado ao contexto. Água melhora de qualidade ao longo doprocesso – a casa como “produtora” de águapura. Reciclagem de nutrientes e produção debiomassaManejo de águas pluviais. Reter onde possível. Aproveitar como possível. Infiltrar o que possível. Escoar/descartar somente o impossível
  8. 8. Plano de ação 1. Parar contaminação2. Reduzir o consumo de fontes distantes 3. Valorizar fontes locais, em qualidade apropriada ao contexto4. Integrar a água no ambiente construído
  9. 9. Parar contaminação
  10. 10. Parar contaminaçãohttps://www.youtube.com/watch?v=y66vnkOf0wQ&feature=relatedhttp://conectarcomunicacao.com.br/blog/111-tempestade-qumica-em-copo-dgua/http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=X5sKGi2M-MU
  11. 11. Redução do consumo
  12. 12. Redução do consumo Peter Morgan - SuSanA
  13. 13. Aproveitamento e reuso de fontes locais Águas servidas
  14. 14. O que deixamos na água? Prof. Ricardo Franci Gonçalves
  15. 15. Aguas servidas Fezes humanas Preta 65% proteína 25% 22,5% carboidrato 12,5% gorduraCinzas O que é esgoto? 75% 99% água 1% matéria orgânica & microorganismos
  16. 16. Equipo de trabajo Bacterias Algas Protozoários Micro fauna Unicelulares Unicelulares Multi celulares Rotíferos, Daphnia 2 m 50 100 m 200 m 200 m – 1mm10.000 espécies 10.000 espécies Filtram organismos Organismos de vida Catalizam a com tamanho até livre, fixos maioria das Carregados 25 m reações no eletricamente (bacterias e algas) Filtram algas etratamento de Acumulam Bacterias águas. C, N, P e metais Servem de comida Michael Shaw para peixes The Ecovillage Institute
  17. 17. Ciclo do nitrogênio
  18. 18. Águas cinzas – Reuso direto
  19. 19. Projeto Cuidágua (Ubatuba/SP) • Escola municipal de educação infantil; • Pia externa posicionada ao lado do mictório; • Grande consumo de água na pia; • Torneira constantemente aberta no mictório
  20. 20. Zona de raizes Michael Shaw
  21. 21. Zona de raizes Rotaria do Peru
  22. 22. Integração da água no ambiente construído Águas servidas
  23. 23. Reuso direto para irrigação bananeiras frutíferas Fonte: Oasis Design
  24. 24. Fossa + Filtro anaeróbico + …
  25. 25. Bacias de Evapotranspiração http://www.youtube.com/watch?v=HQMgotBb7FQ
  26. 26. Bacias de Evapotranspiração
  27. 27. Sistema misto
  28. 28. Integração da água no ambiente construído Águas de chuva
  29. 29. Novas relações com a água Fonte: Permacultura Passo-a-passo, Rosemary Morrow
  30. 30. Retornando a agua ao seu lugar• Estratégia REI: – Reduzir a velocidade de escoamento – Espalhar sobre a superfície – Infiltrar• Triplo S Caipira: – Sigura – Spaia – Somi
  31. 31. Processo Atual – Vamos a Luta
  32. 32. R – Reduzir a velocidade 15,000 l enterrada 25,000 l enterrada25,000 lsuperfície 10,000 l superfície 15,000 l enterrada
  33. 33. E – Espalhar sobre a superfície 1 canal a cada 6 – 7 m (0,70m larg vs. 0,40m prof. máx) 2 canais com 5m dist. (0,70m larg vs. 0,40m prof. máx)
  34. 34. I – Infiltrar no solo
  35. 35. I – Infiltrar no solo
  36. 36. Video Geoff
  37. 37. Canais de Infiltração
  38. 38. Canais de Infiltração
  39. 39. Estratégias Urbanas
  40. 40. Aproveitamento de Água de Chuva Para 1 mm de chuva em 1 m² de telhado, 1 litro de água coletada Casa com 100 m² de telhado, 1400mm = 140.000 litros/ano Galpão com 1000 m² de telhado, 1400mm = 1.400.000 litros/ano
  41. 41. Água de chuva – Uso ancestral Rei de Moab (Israel, 850 A.C.)Fortaleza de Massada - Israel “...para que cada um de vós faça uma cisterna para si mesmo, na sua casa”
  42. 42. India – “aqueduto celestial”Multiplas funções:• Recarga do lençol freático;• Armazenamento de água para consumo na seca;• Umidificação do ar;• Prevenção de enchentes;• Recreação;• Culto religioso
  43. 43. RomaFortaleza dos Templários, 359.000 litros
  44. 44. Simplicidade Vs. complexidade ?
  45. 45. Suécia
  46. 46. Caruaru
  47. 47. Aproveitamento de água de chuva• NBR 15527/07: Aproveitamento de água de chuva de áreas urbanas para fins não-potáveis
  48. 48. Urbano vs. Rural• NBR 15527/07: Aproveitamento de água de chuva de áreas urbanas para fins não-potáveis • PH ácido • Metais pesados
  49. 49. Urbano vs. Rural• NBR 15527/07: Aproveitamento de água de chuva de áreas urbanas para fins não-potáveis • PH ácido • limpeza externa • Metais pesados • irrigação • vasos sanitários
  50. 50. Qualidade da água de chuva
  51. 51. Água de chuva - Vantagens• Redução no impacto sobre os mananciais ou independência de fontes de abastecimento (segurança);• Redução de custos com abastecimento de água potável;• Redução na ocorrência de enchentes;• Proteção de rios e corregos
  52. 52. Elementos do sistema
  53. 53. Água de chuva: cuidados na coleta• Proteção com tela sobre calhas e/ou descarte de folhas• Descarte da primeira água (1MC)
  54. 54. Sistemas simples
  55. 55. Sistemas simples 1.250 litros
  56. 56. Cisterna de ferrocimento
  57. 57. Cisterna de ferrocimento
  58. 58. Cisterna em ferrocimento 10.000 litros: Convencional: R$2200 Ferrocimento: R$900+R$600 20.000 litros: Convencional: R$4000 Ferrocimento: R$1200+R$600
  59. 59. Agua de chuva na Morada
  60. 60. CES Burle Marx • Grande área de telhado; • Baixo consumo não-potável; • Baixa capacidade de infiltração.
  61. 61. Harmonia 57
  62. 62. Harmonia 57
  63. 63. Cenário . Área suscetível a alagamentos . Presença de lençol freático elevado com alto teor de ferro . Previsão de alto consumo de água para fins não potáveisPremissas iniciais. Referência e inspiração. Impacto positivo no ecossistema local. Não-contribuição aos problemas de enchente. Incorporação da água de drenagem (garagem subsolo). Redução do consumo de água potável
  64. 64. Telhado Verde(topo do morro) Benefícios diretos . redução dos picos de escoamento . redução de escoamento total . aumento de tempo de vida útil de lajes; . redução de transmissão de calor; . redução na transmissão de ruídos; . melhoria do microclima com redução de temperatura e aumento da umidade (inversão de ilhas de calor); . criação de habitat; . melhoria da qualidade do ar pela retenção de poeira atmosférica; . produção de oxigênio e captura de CO2.
  65. 65. Resultados• Mínima contribuição às enchentes (retenção de água de chuva)
  66. 66. Resultados• Melhoria da qualidade da água de chuva (filtragem no telhado verde e detenção nos tanques)
  67. 67. Resultados• Redução do consumo de água potável (aproveitamento de água de chuva + água de drenagem = 200.000l/ano)
  68. 68. Resultados• Melhoria do conforto térmico e qualidade do ar (telhado verde, paredes térmicas e fachada verde + irrigação)
  69. 69. Resultados• Melhoria da qualidade do ar (retenção de poeira atmosférica e umidificação do ar)
  70. 70. Resultados• Recriação do ciclo hidrológico (retenção de água de chuva, aumento de umidade por evapotranspiração e infiltração) retenção evapotranspiração Infiltração
  71. 71. Harmonia 57 Arch Daily: Harmonia 57 - Triptyque http://www.archdaily.com/6700/harmonia-57-triptyque/ Zumtobel Group Award Goes to Brazil http://www.zumtobelgroup.com/en/2988.asp Piniweb: Harmonia 57 vence prêmio austríaco de sustentabilidade http://www.piniweb.com.br/construcao/sustentabilidade/tr iptyque-vence-o-premio-de-arquitetura-austriaco-zumtobel- 164096-1.asp Triptyque, Harmonia 57 http://www.triptyque.com/harmonia/ Google Maps http://g.co/maps/xth5jHarmonia 57 Triptyque
  72. 72. Estádio Nacional de Brasília Crédito 6.1: Stormwater Design – Quantity Control Crédito 6.2: Stormwater Design – Quality Control (remoção de 80% de SST Áreas de captação: Cobertura: 65.000m² Área externa: 475.000m² Outros Resultados: . Recriação do ciclo hidrológico local; . Melhoria do microclima / conforto térmico; . Entre 80 a 100% do atendimento anual dos usos não-potáveis
  73. 73. Elementos de projeto - ENBFonte: www.cwp.org
  74. 74. Elementos de projeto - ENB Brock Dolman - CWP
  75. 75. Elementos de projeto - ENBPlan NYC 2030:http://www.nyc.gov/html/planyc2030/
  76. 76. Elementos de projeto - ENB
  77. 77. Elementos de projeto - ENB
  78. 78. Integração de água no ambiente construído Biossistemas Integrados
  79. 79. Ano: 2005Público atendido: ~550 pessoasÁrea total: 5.000 m2Área útil 2.500 m2Custo total: R$110,000Custo individual: R$200/pessoa www.oia.org.br
  80. 80. Vídeo Caxixehttp://www.youtube.com/watch?v=0ZonwU_7Bc8
  81. 81. Integração do Biossistema Frutos, alimentos e biogás Comunidade lenha Biodigestor … Fertirrigação $ Recuperacao lodo Mudas de areas degradadas Viveiro CompostoBiofiltro Peixes, Plantas Tq macrófitas patos e ovos Composteira Talos e Animais folhas mortos Plantas Zona de raízes Tq peixes Plantas Tq. aguapés
  82. 82. Guilherme Castagnafluxus@designecologico.netLivraria Tapioca.Nethttp://www.livrariatapioca.netOIAhttp://www.oia.org.br

×