• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Palestra Proeletronic - Congresso Ceitel
 

Palestra Proeletronic - Congresso Ceitel

on

  • 3,180 views

Projeto de rádio enlaces, determinação de características de antenas para seus projetos.

Projeto de rádio enlaces, determinação de características de antenas para seus projetos.

Statistics

Views

Total Views
3,180
Views on SlideShare
2,634
Embed Views
546

Actions

Likes
0
Downloads
24
Comments
0

2 Embeds 546

http://www.proeletronic.com.br 530
http://www.slideshare.net 16

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • O Institute of Electrical and Electronics Engineers, Inc – IEEE, criou grupos de estudo para desenvolverem padrões, com o objetivo de orientar a indústria de equipamentos para aplicações sem fio, buscando interoperabilidade entre eles. As especificações criadas propõem: Wireless Personal Area Network (WPAN) Usa a tecnologia Bluetooth (802.15) com a vantagem de requerer baixa potência para permitir conectividade dentro de uma pequena área. Wireless LANs (WLAN): Usada dentro de edifícios para prover conectividade entre usuários móveis. Também pode ser usada para conexão entre edifícios em um campus. Wireless Metropolitan Area Network (WMAN) O 802.16 foi estabelecido em 1988 para criar um padrão para uma conexão fixa wireless ponto-para-multiponto que suportasse uma ampla área de cobertura. É um sistema wireless que alcança toda uma cidade usando links de alta potência para criar uma rede. Seu objetivo é proporcionar acesso wireless em banda larga para Internet e telefonia via Internet, usando VoIP. Unir muitos links wireless ponto-a- ponto para formar um rede através de uma grande área geográfica é considerado uma WMAN, porém, a tecnologia empregada é a mesma da WLAN. A diferença entre WMAN e WLAN será, em muitos casos, apenas o fato de que WMANs usam freqüências licenciadas, enquanto freqüências não licenciadas são usadas pela WLANs. A razão para isto está no fato de que a organização implementadora da rede terá o controle sobra a faixa de freqüência onde a WMAN está implementada e não precisará se preocupar com a chance de alguém implementar uma rede que provoque interferências. O mesmo fator se aplica a Wireless World Area Network - WWAN Wireless World Area Networks (WWAN) Este padrão , ainda em proposta, pretende criar a possibilidade de comunicação wireless entre cidades.
  • Para avaliar qual padrão wireless escolher, deve-se avaliar suas necesidades e instalações. Alguns critérios para a escolha são: Requerimentos de capacidade total : para instalações em que se requer alta densidade de usuários de alta velocidade, usar 802.11a pode ser a melhor escolha. Se for necessário adicionar um número pequeno de usuários de alta velocidade a uma rede 802.11b existente, o 802.11g será a melhor escolha. Problemas com interferência : Se você está observando interferências na banda de freqüência de 2,4GHz, proveniente de produtos bluetooth ou telefones sem fio, uma boa solução pode ser migrar para uma banda de frequência menos poluída, como a de 5GHz em dispositivos 802.11a. O padrão 802.11g provê desempenho similar ao padrão 802.11a, com 54Mbps, além de ser compatível com o padrão 802.11b. Porém, no instante em que um dispositivo 802.11b aparece na vizinhança, o modo de proteção para a coexistência dos padrões 802.11g/802.11b provocará significante redução do throughput potencial da célula. Além disso, 802.11g é susceptível às mesmas fontes de interferência da banda 2,4GHz as quais o 802.11b estão sujeitos, como o forno de microondas e o telefone sem fio. O padrão 802.11a tem a grande vantagem de operar na banda de 5GHz, a qual é menos poluída que a de 2,4GHz e, consequqntemente, menos susceptível a interferências. O padrão 802.11a provê um throughput máximo de 54Mbps, maior que o s 11Mbps do 802.11b. Porém, a grande vantagem do 802.11a é a diversidade de canais. Este padrão oferece até 8 canais não sobrepostos. Esta característica permite o emprego de mais rádios próximos uns dos outros, sem interferência e degradação do desempenho. Concluindo, cada instalação é única e requer análise pra se escolher o melhor dispositivo. Em alguns casos, pode ser interessante misturar dois padrões num mesmo sistema.
  • Para avaliar qual padrão wireless escolher, deve-se avaliar suas necesidades e instalações. Alguns critérios para a escolha são: Requerimentos de capacidade total : para instalações em que se requer alta densidade de usuários de alta velocidade, usar 802.11a pode ser a melhor escolha. Se for necessário adicionar um número pequeno de usuários de alta velocidade a uma rede 802.11b existente, o 802.11g será a melhor escolha. Problemas com interferência : Se você está observando interferências na banda de freqüência de 2,4GHz, proveniente de produtos bluetooth ou telefones sem fio, uma boa solução pode ser migrar para uma banda de frequência menos poluída, como a de 5GHz em dispositivos 802.11a. O padrão 802.11g provê desempenho similar ao padrão 802.11a, com 54Mbps, além de ser compatível com o padrão 802.11b. Porém, no instante em que um dispositivo 802.11b aparece na vizinhança, o modo de proteção para a coexistência dos padrões 802.11g/802.11b provocará significante redução do throughput potencial da célula. Além disso, 802.11g é susceptível às mesmas fontes de interferência da banda 2,4GHz as quais o 802.11b estão sujeitos, como o forno de microondas e o telefone sem fio. O padrão 802.11a tem a grande vantagem de operar na banda de 5GHz, a qual é menos poluída que a de 2,4GHz e, consequqntemente, menos susceptível a interferências. O padrão 802.11a provê um throughput máximo de 54Mbps, maior que o s 11Mbps do 802.11b. Porém, a grande vantagem do 802.11a é a diversidade de canais. Este padrão oferece até 8 canais não sobrepostos. Esta característica permite o emprego de mais rádios próximos uns dos outros, sem interferência e degradação do desempenho. Concluindo, cada instalação é única e requer análise pra se escolher o melhor dispositivo. Em alguns casos, pode ser interessante misturar dois padrões num mesmo sistema.
  • Para avaliar qual padrão wireless escolher, deve-se avaliar suas necesidades e instalações. Alguns critérios para a escolha são: Requerimentos de capacidade total : para instalações em que se requer alta densidade de usuários de alta velocidade, usar 802.11a pode ser a melhor escolha. Se for necessário adicionar um número pequeno de usuários de alta velocidade a uma rede 802.11b existente, o 802.11g será a melhor escolha. Problemas com interferência : Se você está observando interferências na banda de freqüência de 2,4GHz, proveniente de produtos bluetooth ou telefones sem fio, uma boa solução pode ser migrar para uma banda de frequência menos poluída, como a de 5GHz em dispositivos 802.11a. O padrão 802.11g provê desempenho similar ao padrão 802.11a, com 54Mbps, além de ser compatível com o padrão 802.11b. Porém, no instante em que um dispositivo 802.11b aparece na vizinhança, o modo de proteção para a coexistência dos padrões 802.11g/802.11b provocará significante redução do throughput potencial da célula. Além disso, 802.11g é susceptível às mesmas fontes de interferência da banda 2,4GHz as quais o 802.11b estão sujeitos, como o forno de microondas e o telefone sem fio. O padrão 802.11a tem a grande vantagem de operar na banda de 5GHz, a qual é menos poluída que a de 2,4GHz e, consequqntemente, menos susceptível a interferências. O padrão 802.11a provê um throughput máximo de 54Mbps, maior que o s 11Mbps do 802.11b. Porém, a grande vantagem do 802.11a é a diversidade de canais. Este padrão oferece até 8 canais não sobrepostos. Esta característica permite o emprego de mais rádios próximos uns dos outros, sem interferência e degradação do desempenho. Concluindo, cada instalação é única e requer análise pra se escolher o melhor dispositivo. Em alguns casos, pode ser interessante misturar dois padrões num mesmo sistema.
  • Para avaliar qual padrão wireless escolher, deve-se avaliar suas necesidades e instalações. Alguns critérios para a escolha são: Requerimentos de capacidade total : para instalações em que se requer alta densidade de usuários de alta velocidade, usar 802.11a pode ser a melhor escolha. Se for necessário adicionar um número pequeno de usuários de alta velocidade a uma rede 802.11b existente, o 802.11g será a melhor escolha. Problemas com interferência : Se você está observando interferências na banda de freqüência de 2,4GHz, proveniente de produtos bluetooth ou telefones sem fio, uma boa solução pode ser migrar para uma banda de frequência menos poluída, como a de 5GHz em dispositivos 802.11a. O padrão 802.11g provê desempenho similar ao padrão 802.11a, com 54Mbps, além de ser compatível com o padrão 802.11b. Porém, no instante em que um dispositivo 802.11b aparece na vizinhança, o modo de proteção para a coexistência dos padrões 802.11g/802.11b provocará significante redução do throughput potencial da célula. Além disso, 802.11g é susceptível às mesmas fontes de interferência da banda 2,4GHz as quais o 802.11b estão sujeitos, como o forno de microondas e o telefone sem fio. O padrão 802.11a tem a grande vantagem de operar na banda de 5GHz, a qual é menos poluída que a de 2,4GHz e, consequqntemente, menos susceptível a interferências. O padrão 802.11a provê um throughput máximo de 54Mbps, maior que o s 11Mbps do 802.11b. Porém, a grande vantagem do 802.11a é a diversidade de canais. Este padrão oferece até 8 canais não sobrepostos. Esta característica permite o emprego de mais rádios próximos uns dos outros, sem interferência e degradação do desempenho. Concluindo, cada instalação é única e requer análise pra se escolher o melhor dispositivo. Em alguns casos, pode ser interessante misturar dois padrões num mesmo sistema.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.
  • No modo IBSS, também conhecido como modo ad-hoc , as estações se comunicam diretamente umas com as outras. As limitações da camada física determinam as distâncias que as estações podem suportar.Esta rede atende a maioria das necessidades de usuários ocupando uma pequena área, tal como uma sala de escritório ou uma residência.

Palestra Proeletronic - Congresso Ceitel Palestra Proeletronic - Congresso Ceitel Presentation Transcript

  • www.proeletronic.com.br
  • Arthur R. Santos Jr. [email_address]
  • Histórico da PROQUALIT
    • Fundada em dezembro de 1991, em São José dos Campos, iniciou suas atividades atendendo indústrias da região do Vale do Paraíba em serviços de industrialização e desenvolvimento de produtos eletrônicos.
  • Histórico da PROQUALIT
    • A partir de janeiro de 1994, a empresa passou a desenvolver e fabricar produtos para recepção e distribuição de sinais de TV (aberta e paga), segurança, áudio e vídeo, telefonia e internet, com a marca registrada PROELETRONIC.
  • Histórico da PROQUALIT
    • Em 2001 entra em nova fase de sua história, e, com maturidade e experiência, muda-se para Guararema / São Paulo, em uma área de 30.000m² e 2.500m² de área construída.
  • Histórico da PROQUALIT
    • Em 2007 inaugura mais uma ampliação de 2.500 m², totalizando 5.000 m² de área industrial.
  • FILIAL EM MINAS GERAIS Em 2008 segunda planta industrial na cidade de Sapucaí Mirim
  • Setores de atuação
    • Produtos para TV Paga, TV Aberta, CATV, MMDS
    • Internet, Wireless, Wimax
    • Produtos para Telefonia Celular
  •  
  • www.instonline.com.br www.proeletronic.com.br
    • IOL Professional Services :
      • Serviços de redes LAN/WAN
      • Implantação de infra-estrutura cabeada e wireless
      • Análise de redes LAN/WAN/Wireless
    • IOL Educacional :
      • Laboratórios completos
      • Profissionais capacitados
      • Métodos de ensino dinâmico e interativo
      • Material didático exclusivo
    Apresentação – Instituto Online
  • Nossos cursos
    • Especialização em Wireless LAN
      • 30/11 a 02/12
      • Cabeameno Estruturado
      • 19 e 20/11
    • Telefonia IP com Asterisk (VoIP)
      • 23 a 27/11
    • Administração e suporte de redes:
      • Administração e suporte de redes Windows
      • Administração de redes Linux
    • Análise e projeto de redes
      • Ativos de rede
      • TCP/IP
      • Análise de Rede
    • Preparação para exame Cisco CCNA
    • Gestão de redes:
      • ITIL Foundation – Gestão de serviços de TI/TCOM
      • Governança de Tecnologia da Informação – COBIT 4.1
    • Segurança de redes:
      • Segurança de redes locais e Internet
      • Segurança de redes com SNORT
      • Firewall
      • Implantação de norma de segurança ISO 17799
    • Desenvolvimento de websites
    • com PHP e banco de dados
  • Projeto de radioenlaces para Wi-Fi
    • Agenda:
    • Redes Cabeadas x Redes wireless
    • Sistema de comunicação sem fio
    • Definição Radiofreqüência
    • Banda ISM
    • Padrões IEEE 802.11
    • Anatomia da forma de onda
    • Matemática da forma de onda
    • Potência irradiada efetiva (eirp)
    • Dipolo de meio onda
    • Linha de visada
    • Ganho de antena
    • Polarização de antenas
    • Largura de feixes
    • Diagrama de irradiação
    • Tipos de antenas:
      • Antena Omnidirecional
      • Antena Painel
      • Antena grade
    • Conectores
    • Cálculo de enlaces
  • Estrutura de uma rede cabeada
    • Placa de Rede
    • Hub/Switch
    • Cabos de rede
    • Print Server
    • Modem
    • Roteador
  • Estrutura wireless LAN
    • Placa de Rede Wireless
    • Access Point
    • Print Server Wireless
    • Modem
    • Roteador
  • Sistema de comunicação sem fio Transmissor/ Receptor Atmosfera Distância Antena Antena Linhas de transmissão Transmissor/ Receptor
  • Radiofrequência - Definição
    • RF são correntes alternadas de alta freqüência que passam através de condutores de cobre e, então, são radiadas pelo ar através de antenas.
    • As antenas transferem a energia do sinal do cabo para o espaço na forma de ondas e vice-versa.
    • As ondas de rádio se propagam em todas as direções.
  • Banda ISM - Industrial, Scientific and Medical
      • Banda dedicada disponível para redes LAN
    902 a 928 MHz 26 MHz 2,4 GHz a 2,4835 GHz 83,5 MHz (IEEE 802.11b/g/n) 5,15 - 5,35 GHz 5,470 - 5,725 GHz 5,725 - 5,850 GHz 480MHz (IEEE 802.11a/n)
  • Padrões Wireless LAN   802.11b 802.11g 802.11a 802.11n Velocidade Até 11 Mbps Até 54 Mbps Até 54 Mbps Até 600 Mbps Frequência 2,4 GHz 5 GHz 2,4 GHZ e 5 GHz Tecnologia DSSS DSSS/OFDM OFDM MIMO/OFDM Compatibilidade 802.11.g/n 802.11b/n 802.11a/n 802.11a/b/g
  • Anatomia da forma de onda X y f = freqüência = número de ciclos por segundo (Hertz) λ = Comprimento de onda (metros) f = c / λ 90 o 180 o 270 o 360 o 0 o
  • λ a λ b f = c / λ λ a > λ b => f a < f b Anatomia da forma de onda
  • Comprimento de onda
      • λ = 300.000 Km/s = 12,24 cm 2.450.000.000 Hz
      • λ = 300.000 Km/s = 5,19 cm 5.775.000.000 Hz
      • λ = velocidade da luz no vácuo freqüência
    802.11a -> Melhor penetração em obstáculos com estruturas metálicas de espaçamento pequeno 2,45 GHz 5,75 GHz λ = 12,24 cm λ = 5,19 cm
  • Matemática da Radiofreqüência Potência a serem determinadas Transmissor/ Receptor L atm = Perdas na Atmosfera Perdas nas Linhas de transmissão Transmissor/ Receptor P TXA P TXB P eA P eB G B = Ganho antena B G A = Ganho antena A Potência de transmissão do rádio S RXA S RXB Sensibilidade de recepção do rádio S RXA = P TXB – P eB + G B - L atm + G A - P eA Sensibilidade de recepção do rádio S RXB = P TXA – P eA + G A - L atm + G B - P eB
    • Logarítmo: a c = b  log a b = c
      • Exemplo: log 1000 = 3 porque 10 3 = 1000 Representa-se como log 10 1000 = 3
    Logarítmo log 100 = 2 porque 10 2 = 100 log 10 = 1 porque 10 1 = 10 log 1 = 0 porque 10 0 = 1 log 2 = 0,3 porque 10 0,3 = 2
  • Relação de potências – Decibel (dB) P Ref = 50 mW P Saída = X2 Relação ent/saída= R E/S = P Saída P Ref = 100 mW 50 mW = 2 dBm = 10 log R E/S = 10 log 2 = 3 dBm 100 mW Ex.: Antena
  • Decibel dBm = 10 log R E/S = 10 log 2 = 3 dBm -40 -30 -20 -10 0 +10 +20 +30 +40 ÷10000 ÷1000 ÷100 ÷10 1 x10 x100 x1000 x10000 dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm -12 -9 -6 -3 0 +3 +6 +9 +12 ÷16 ÷8 ÷4 ÷2 1 x2 x4 x8 x16 dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm dBm
  • Irradiador Isotrópico
    • Transmissor teórico que irradia com igual intensidade em todas as direções.
    • dBi: Representa o ganho de uma antena em relação a um irradiador “isotrópico” (i).
  • Potência isotrópica irradiada específica (eirp) Potência do transmissor (dBm) Rádio Psaída Conector Antena Cabo Feixe de RF Cabo eirp (potência de saída) + ganho da antena (dBi) – perdas de conexão (dB) – perdas nos cabos (dB) = eirp (dBm)
  • Dipolo de meia onda
  • Linha de visada (zona de Fresnel)
    • Linha direta de visão entre transmissor e receptor;
    • Obstáculos prejudiciais: montanhas, árvores, raio de curvatura da terra, prédios, etc...
    r 0 Até 40% de bloqueio da Zona de Fresnel é um valor aceitável para a boa transmissão/recepção de sinal
  • Ganho da antena É a capacidade de uma antena em concentrar, na direção de interesse, a potência que seria irradiada em outras direções, caso utilizasse uma antena isotrópica. 63% de luz passa pelo círculo de mesma área 10% de luz passando pelo círculo de mesma área 30% de luz passando pelo círculo 100% de luz passando pelo círculo Ganho ocorre tanto na transmissão quanto na recepção
  • Polarização das antenas
    • Polarização : orientação das linhas de força do campo elétrico da onda.
    Campo Elétrico Campo Elétrico
  • Perda de isolação por polarização cruzada Nível de recepção (dBm) Freqüência Vertical - Vertical Isolação por polarização cruzada Vertical - Horizontal
  • Largura de feixe (ângulo de meia potência) Tipo de antena Largura de feixe vertical (Elevação) (em graus) Largura do feixe horizontal (Azimute) (em graus) Omnidirecional 7 a 80 360 Patch/Painel 6 a 90 30 a 180 Parabólica 4 a 21 4 a 25 Setorial 7 a 26 60 a 180
  • Diagrama de irradiação Vista de corte vertical ou de elevação (Plano-H). Vista superior Diagrama horizontal ou de Azimute (Plano-E).
  • Tipos de antenas
    • Ominidirecionais : todas as direções;
    • Semi-Direcionais : focadas em um ângulo específico;
    • Direcionais : muito focadas em uma direção.
  • Antenas Omnidirecionais Múltiplos dipolos em fase ½ λ Malha externa Linha de transmissão do transmissor Isolante Condutor interno Núm. de dipolos Ganho médio (dBi) 1 2,15 2 5,15 4 8,15 8 11,15 16 14,15
  • Antenas Omni Proeletronic
  • Antenas omnidirecionais – Aplicação
  • Antena painel
  • Antena painel Proeletronic Painel setorial de 60° Painel setorial de 90°
  • Painel setorial - Aplicação Vantagem: . Maior número de assinantes . Maior alcance Pilhagem: . 6 paineis de 60° = ominidirecional . 4 paineis de 90° = Ominidirecional
  • Antenas direcionais grade Ganho (dBm) é proporcional a área
  • Antenas grade - Aplicação
  • Antenas grade - Aplicação
  • Antenas grade - Proeletronic
  • Conectores
  • Exemplo de cálculo de link Access Point 20 dBm Access Point 20 dBm PigTail = 0,50 dB Protetor de raio = 0,05 dB Cabo LMR 400 = 0,22 dB Conector = 0,25 dB Antena A = 17 dBi Antena B = 17 dBi 10 Km
  • Exemplo de cálculo de link 1) Atenuação sofrida pelo sinal no trajeto entre as antenas: L = 20 log(10) + 20 log(2,437) + 92,44 + 20  L = 130 dB 2) Sinal recebido no rádio A: S A = 20 – 1,02 + 17 – 130 + 17 – 1,02  S A = - 78 dBm 3) Sinal recebido no rádio B: S B = 20 – 1,02 + 17 – 130 + 17 – 1,02  S B = - 78 dBm L = 20 log( d ) + 20 log( f) + 92,44 + 10 S A = Pot. Rádio B – Perdas linha B + Ganho antena B – Perdas espaço livre + Ganho antena A – Perdas linha A S B = Pot. Rádio A – Perdas linha A + Ganho antena A – Perdas espaço livre + Ganho antena B – Perdas linha B
  • Exemplo de cálculo de link 4) Verifique dos dados do fabricante se o valor de sinal que chega a cada rádio é suficiente para sensibilizar o rádio: Como os rádios estão recebendo apenas -78 dBm, faltam 7 dBm para o sistema funcionar na máxima velocidade. Logo, resolvo o problema trocando as antenas de 17dBi por antenas de 25 dBi Proeletronic. Sensibilidade de recepção do rádio 11 Mbps 54 Mbps -84 dBm - 71 dBm
  • Obrigado Arthur R. Santos Jr. [email_address]
  •