Your SlideShare is downloading. ×
Instituto Espírita de Educação - Allan Kardec
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Instituto Espírita de Educação - Allan Kardec

2,598
views

Published on

Palestra proferida por Sandra Dourando, no Institituto Espírita de Educação.

Palestra proferida por Sandra Dourando, no Institituto Espírita de Educação.

Published in: Spiritual, Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,598
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
132
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Palestra: VIDA E OBRA: ALLAN KARDEC Sandra Maria Mello Dourado www.institutoespirita.org.br www.institutoespirita.blogspot.com
  • 2. VIDA E OBRA: ALLAN KARDEC Hippolyte Leon Denizard Rivail (03/10/1804 – 31/03/1869)
    • - Rivail nasceu em Lyon, França, às 19hs do dia 03 de outubro de 1804, era filho de antiga família lionesa, católica, nobre e de tradição.
    • - Foram seus pais Jean-Baptiste Antoine Rivail, respeitável advogado e juíz do tribunal de Lyon e Jeanne Louise Duhamel.
  • 3.
    • Aos 12 anos, em 1816. Rivail vai estudar em Yverdon, na Suíça, com o mestre Pestalozzi.
    • Johann Heinrich Pestalozzi ( 1746 - 1827 ) foi um pedagogo suíço e educador pioneiro da reforma educacional.
    • Tão amado que era por seus alunos que o chamavam de “pai” Pestalozzi.
    • Acreditava na educação como um desenvolvimento total do indivíduo, num conjunto moral, intelectual e físico, cuja potencialidade se encontra na criança, que deve ser estimulada, principalmente no lar em que vive: "A escola deve ser a continuação do lar. É no lar que se encontra o fundamento de toda cultura verdadeiramente humana e social“.
    • Dois anos após chegar na escola, aos 14 anos, Rivail já lecionava para alguns dos seus colegas, em classe a ele confiada por Pestalozzi.
  • 4.
    • Ainda em Yverdon, aos 19 anos, interessou-se pelo estudo do magnetismo.
    • Todas as vezes que Pestalozzi se ausentava ele assumia a direção do Instituto.
    • Aos 20 anos, quando Pestalozzi fecha o Instituto, e a pós ser dispensado do serviço militar, fundou, em Paris, uma escola nos moldes da de Yverdon, que foi chamada de Liceu Polimático. Ele estava empenhado no aperfeiçoamento pedagógico da educação francesa, e, por isso, escreveu vários livros no assunto: Aritmética do 1º grau, Curso Técnico e prático de aritmética, além de livros sobre Língua Francesa, física, fisiologia e astronomia;
    • Muitas das suas obras foram adotadas pela Universidade da França, atestando seu alto valor.
  • 5.
    • Recebeu aos 27anos, o reconhecimento do mundo da cultura francesa com a publicação de “Gramática francesa clássica”;
    • No mesmo ano apresenta à Academia Real um importante trabalho: “Qual o sistema de estudos mais em harmonia com as necessidades da época? Alcançou o primeiro prêmio da Academia.
    • Tornou-se conhecido na Alemanha por traduzir para o alemão diversas obras de educação e moral, principalmente de Fénelon , que em espírito lhe transmitiria vários conhecimentos na obra da codificação.
    • François Fénelon ( 1651 - 1715 ) foi um teólogo católico, poeta e escritor francês, cujas idéias liberais sobre política e educação, esbarravam contra o pensamento da Igreja e do Estado dessa época.
  • 6.
    • Aos 27 anos, casa-se com Amelie Boudet, professora, jovem culta, poetisa e pintora que conhecera no Liceu.
    • Quando tudo parecia ir bem, o sócio de Rivail, que era seu tio, leva o Liceu à ruína, por dissipar, no jogo, vastas somas. Nada restava a Rivail que pedir a liquidação do Instituto a que se dedicara com tanto amor. Com o dinheiro resultante da partilha, Rivail sofre outro revés da sorte. Após ter aplicado o dinheiro na casa comercial de um de seus amigos, este logo abre falência, por realizar maus negócios.
    • Junto com a esposa prosseguem no ideal de educação, Rivail escrever livros didáticos e trabalha como contador de três firmas comerciais, o que lhe possibilitou, recuperar parte de seu antigo padrão de vida. Ainda assim arrumou tempo para dar aula a estudantes pobres da França.
  • 7.
    • Em 1854, com 50 anos, é um mestre, um pedagogo respeitado e escritor reconhecido;
    • Europa  mesas girantes
    • “ Eu crerei quando puder ver, e quando conseguirem provar-me que uma mesa dispõe de cérebro e nervos, e que pode se tornar sonâmbula; até que isso se dê, dêem-me a permissão de não enxergar nisso mais que um conto para provocar o sono".
    • Pessoas de vários níveis culturais e religiões participavam de reuniões com fenômenos de efeitos físicos. Realizadas por diversão, mas demonstravam uma base inteligente.
    • Os amigos Fortier, e Carlotti, magnetizadores, chamaram sua atenção para estes acontecimentos.
  • 8.  
  • 9.
    • Maio de 1855, assiste uma reunião na casa da Sra. Plainemaison: "Compreendi, logo à primeira vista a importância da pesquisa que iria fazer. Vislumbrei naqueles fenômenos a chave do problema do passado e do futuro da Humanidade, tão confuso e tão controvertido, a solução daquilo que eu havia buscado toda a minha vida”.
    • Profundamente interessado e com sólida base científica e filosófica, mudaria o rumo do experimento, raciocinou: “ Um efeito inteligente deve ter como causa uma força inteligente”.
    • Adotou o método-intuitivo de Pestalozzi, partiu do conhecimento dos fatos através da observação, experiência e analogia. Desestimulou a atitude mecânica de repetição, fazendo uso da razão, desenvolveu o processo do simples para o complexo.
  • 10.
    • Vários amigos que acompanhavam há cinco anos o estudo dos fenômenos, colocam à sua disposição mais de cinqüenta cadernos, contendo as comunicações feitas pelos Espíritos.
    • Analisou, selecionou, coordenou e classificou rejeitando o que não estava de acordo com a lógica e a razão.
    • Baseou-se na racionalidade, seriedade e coerência. Enfatizou que é preferível rejeitar nove verdades a aceitar uma mentira.
    • Para isso contou com a valiosa ajuda de 3 meninas médiuns, Caroline e Julie Boudin e Ruth Japhet. Recorreu também a muitos outros médiuns estranhos ao 1º grupo.
    • Com 51 anos, dedicou-se de corpo e alma à observação e estudo dos fenômenos, portanto, com maturidade e sem afetação.
  • 11.
    • Através de Zéfiro, espírito guia da família Boudin, tomou conhecimento da encarnação passada como um chefe Druida com o nome de Allan Kardec; a partir de então Rivail adota este pseudônimo.
    • Os druidas eram os sacerdotes do povo celta, uma etnia que habitava várias extensões da antiga Europa.
    • Júlio César invadiu a Gália (atual França) no ano 58 a.C. e denominou os celtas locais de gauleses. Segundo Zéfiro, ele e Rivail estavam reencarnados nessa época e local.
    • Os Druidas acreditavam numa Divindade única, na imortalidade da alma, na reencarnação, no livre-arbítrio, na lei de causa e efeito, na evolução espiritual, na inexistência de penas eternas, nas esferas espirituais, e na proteção dos espíritos superiores, um celta não morria, pois a morte era apenas um ponto no meio da estrada.
  • 12. 1861 1857 1864 1865 1868
    • 1- É o principal livro da Doutrina Espírita, sua “espinha dorsal, pois sustenta todas as outras obras doutrinárias.
      • Divide-se em quatro partes:
        • 2- “ Mundo Espírita ou dos Espíritos”
        • 3- “ As Leis Morais”
        • 4- “ Esperanças e Consolações”
        • 5- “ As causas Primeiras”
    1 2 3 4 5 Mostra os mecanismos da mediunidade, sua base científica, sua utilização, benefícios e cuidados. Principais passagens de Jesus, linguagem acessível, remete-nos a reflexão sobre a nossa conduta diária. Trata das Penas e Gozos futuros Explica a Gênesis da Bíblia, a formação do Universo.
  • 13.
    • 1858  Edita o livro “O que é o Espiritismo”, funda a Revue Spirite e 3 meses depois a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas.
    • Canalizou o movimento espírita, divulgou junto a escritores, pensadores, políticos, sábios, homens de todas as condições e de todos os países.
    • Retornou a pátria espiritual no dia 31 de março de 1869 (65 anos).
    • Deixou a Doutrina Espírita erguida em alicerces sólidos.
    • “ Ciência e Fé”
  • 14. PRINCIPAIS PONTOS ABORDADOS POR ALLAN KARDEC NA CODIFICAÇÃO
    • Espiritismo - Espírita
    • Espiritismo: Doutrina filosófica, científica e religiosa;
    • Deus inteligência suprema e causa primeira de todas as coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente bom e justo;
    • Deus criou o universo e tudo que o abrange;
    • Além do mundo corporal, existe o mundo espiritual;
    • Há outros mundos habitados;
    • O homem é um espírito temporariamente ligado a um corpo, tendo o perispírito que é semimaterial como intermediário entre a alma e o corpo;
    • Alma é o espírito enquanto se encontra ligado ao corpo;
    • O espírito, compreendido como individualidade inteligente da Criação, é imortal;
  • 15.
    • Espíritos são criados simples e ignorantes;
    • Reencarnam quantas vezes sejam necessárias; a reencarnação é o processo natural de aperfeiçoamento dos espíritos;
    • Evoluem sempre, nunca regridem, podem estacionar;
    • Há uma ordem espiritual conforme o grau de perfeição: puros, bons e imperfeitos;
    • As relações dos espíritos com os encarnados sempre existiram;
    • O homem tem livre arbítrio; lei de causa e efeito;
    • Prece torna o homem melhor, pois ele se faz mais forte contra as más inclinações e Deus lhe envia bons espíritos para assistí-lo;
    • Jesus é o modelo para toda humanidade, roteiro para evolução.
  • 16. OUTRAS CARACTERÍSTICAS DO ESPIRITISMO
    • Ausência total de hierarquia sacerdotal.
    • Abnegação na prática do bem, ou seja, não se cobra nada por esta ou aquela atividade espírita.
    • Terminologia própria, como por exemplo, Perispírito, Lei de Causa e Efeito, Médium, Centro Espírita.
    • Total ausência de culto a imagens, altares.
    • Ausência de quaisquer rituais de batismo, culto ou cerimônia para oficializar casamento.
    • A doutrina espírita incentiva aos praticantes do espiritismo o respeito para com todas as religiões e opiniões.
  • 17.
    • “ Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade."
    • “ Nascer, Morrer, Renascer ainda e Progredir sem cessar, tal é a Lei."
    • “ Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que faz para domar as suas más inclinações " ....
    • ALLAN KARDEC

×