ComunicaçãO E ExpressãO 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

ComunicaçãO E ExpressãO 1

on

  • 9,052 views

 

Statistics

Views

Total Views
9,052
Views on SlideShare
9,020
Embed Views
32

Actions

Likes
0
Downloads
116
Comments
0

1 Embed 32

http://www.slideshare.net 32

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

ComunicaçãO E ExpressãO 1 ComunicaçãO E ExpressãO 1 Presentation Transcript

  • Curso de Administração Comunicação e Expressão 12 / 02 /2009 Prof. Dr. Luiz Roberto Wagner
  • Módulo 1.1 Aula 1 Apreensão e Compreensão de Sentido Crase – Origem e Emprego
  • Apresentação
    • Luiz Roberto Wagner
    • Doutor em Letras (Língua Portuguesa e Linguística) – UNESP de Araraquara.
    • Especializações em Literatura Brasileira, Linguística, Língua Portuguesa, Teoria Literária e Educação Especial.
    • Autor dos livros:
    • Hino Nacional Brasileiro : Análise e Compreensão, 5. ed. 2007;
    • Use o português adequado – Aspectos Gramaticais e Análise de Textos, 3.ed. São Paulo: All Print, 2008.
    • Pontuação!? Uma vírgula! – São Paulo: All Print, 2007.
    • Quem ad -ser professor? São Paulo: All Print, 2008.
  • Por que estudar Língua Portuguesa no Curso de Administração?
    • Na universidade :
    • Leitura de textos das várias disciplinas;
    • Estruturação das frases;
    • Realização dos exames.
    • Na profissão :
    • Processo de seleção nas empresas: habilidades orais e escritas;
    • Atuação no dia-a-dia; domínio do discurso competente;
    • Emprego correto da argumentação.
    • Uma pessoa que apresente dificuldades para comunicar-se tende a ter maior dificuldade numa empresa. Quanto mais se evoluir na hierarquia, maior será a cobrança. Na expressão, essa evolução será mediada, entre outros fatores, por um bom vocabulário e pela capacidade de se expressar com precisão e clareza em situações cotidianas.
    • (Edgard Murano, Os dez erros de português numa empresa )
    Revista Língua Portuguesa – jan/2009
    • Apreender o sentido é o mesmo que capturar os significados no texto: é “trazer para a mente” os seus sentidos. Para atingir esse resultado, é necessário dar dois passos, basicamente:
    • reconhecer o sentido das palavras;
    • identificar as relações que existem entre elas, o modo como foram combinadas.
    Apreensão e Compreensão de Sentido
  • Apreensão e Compreensão de Sentido
    • Compreender o sentido, por outro lado, é o mesmo que relacionar o significado do texto lido com informações de um determinado repertório cultural. Para tanto, é preciso:
    • associar o sentido do texto lido com o conhecimento de mundo do leitor;
    • relacionar esse sentido com o conjunto de informações que circulam na sociedade.
  • Apreensão e Compreensão de Sentido
  • Apreensão e Compreensão de Sentido
  • Atividade 1
    • Explique a diferença de apreensão e compreensão de sentido, justificando com palavras do conto de Marina Colasanti:
    • Tinha 30 anos quando decidiu: a partir de hoje, nunca mais lavarei a cabeça. Passou o pente devagar nos cabelos, pela última vez molhados. E começou a construir sua maturidade.
    • Tinha 50, e o marido já não pedia, os filhos haviam deixado de suplicar. Asseada, limpa, perfumada, só a cabeça preservada, intacta com seus humores, seus humanos óleos. Nem jamais se deixou tentar por penteados novos ou anúncios de xampu.
    • Preso na nuca, o cabelo crescia quase intocado, sem que nada além do volume do coque acusasse o constante brotar.
    • Aos 80, a velhice a deixou entregue a uma enfermeira. A qual, a bem da higiene, levou-a um dia para debaixo do chuveiro, abrindo o jato sobre a cabeça branca.
    • E tudo o que ela mais havia temido aconteceu.
  • Crase – Origem e Emprego
    • Gramática Histórica –
    • Metaplasmo de subtração
    • colorem > color > c oo r > cor
    • apócope / síncope / crase
    • pedem > pede > p ee > pé
    • apócope / síncope / crase
  • Crase – Origem e Emprego Crase ≠ Acento Crase é o nome que se dá à fusão, à contração de dois aa. Caminhamos rente à parede. Acento grave (`) é o sinal que indica a fusão de dois aa.
    • O termo regente (subordinante) exige a preposição a e o termo regido (subordinado) admite o artigo definido a:
    • Refiro-me à reunião de ontem .
    • Termo regente Termo regido
    1º Caso de Crase
  • 1º Caso de Crase Vou a Santa Catarina . Observei a paisagem . a  a 
  • 1º Caso de Crase O mesmo ocorre quando o termo regido for o pronome demonstrativo (a + aquele, aquela ou aquilo). Você já assistiu àquele filme? Prefiro esta fruta àquela . Fizeram referência àquilo ?
  • Não Há Necessidade de Decorarmos Todos os Casos em que Não Ocorre Crase! Ele sempre andava a cavalo. (cavalo = substantivo masculino ) Ele jamais foi a festas. (festas = substantivo em sentido genérico ) Passou o dia a trabalhar. (trabalhar = verbo ) Iremos a uma colônia de férias. (uma = artigo indefinido )
  • As Palavras Casa, Terra e Distância Voltei a casa ao amanhecer. Mas: Fui à casa de minha tia . Os marinheiros retornaram a terra à noitinha. Mas: Retornarei à terra de meus pais . No zoológico, os animais ficam a distância . Mas: Os guardas ficaram à distância de vinte metros.
  • 2º Caso de Crase Ocorre a crase em locuções com palavras femininas: Mamãe, nós voltaremos à noite, a não ser que a chuva nos impeça. (locução adverbial) Os policiais estão à procura do ladrão. (locução prepositiva) À proporção que chove, mais preocupados ficamos. (locução conjuntiva)
  • Música – Às Vezes Nunca Humberto Gessinger
    • Tô sempre escrevendo cartas que nunca vou mandar
    • pra amores secretos, revistas semanais e deputados federais
    • Às vezes nunca sei se “AS VEZES” leva crase
    • Às vezes nunca sei em que ponto acaba a frase
    • Você sempre soube, eu não sabia
    • toda frase acaba num riso de auto-ironia
    • você sempre soube, eu não sabia
    • toda tarde acaba com melancolia
    • e, se eu escrevesse “SEM” com “S”, ou escrevesse “CEM” com “C”?
    • por acaso faria alguma diferença?
    • que diferença faria?
    • o que você faria no meu lugar...
    • se tivesse pra onde ir e não tivesse que esperar?
    • O que você faria se estivesse no meu lugar...
    • se tivesse que fugir e não pudesse escapar?
    • Você sempre soube que eu não conseguiria
    • quando a frase acaba tarde, tudo fica pra outro dia
    • Você sempre soube (eu não sabia)
    • Toda tarde acaba em melancolia
    • Às vezes não entendo minha própria letra
    • minha própria caneta me trai
    • às vezes não entendo o que você quer dizer quando fica calada
    • você sempre soube (eu não sabia)
    • quando a frase acaba o mundo silencia
    • às vezes não entendo onde você quer chegar
    • quando fica parada
    • É como ficar esperando cartas que nunca vão chegar
    • não vão xegar com “X”... nem vão chegar com “CH”
    • É como ficar esperando horas que custam a passar
    • enquanto ficamos parados, andando pra lá e pra cá
    • É como ficar desesperado de tanto esperar
    • olhando pela janela até onde a vista alcançar
    • É como ficar esperando cartas que nunca vão chegar
    • É como ficar relendo cartas até a vista cansar
    • você sempre soube... eu não sabia
    • você sempre soube... eu não sabia
  • Casos Facultativos de Crase Desde que o termo regente exija preposição a. Antes de pronome possessivo feminino. Aludiu a / à sua participação. Antes de nome próprio de pessoa (íntima, familiar). Fiz elogios a / à Ângela . Com a locução até a , antes de palavra feminina. Fui até a / até à padaria , mas não os encontrei.
  • Texto – Revista ÉPOCA – 19-05-08
    • A ministra que teve vergonha na cara.
    • O Presidente Lula ficará devendo eternamente à companheira Marina Silva um dos melhores momentos de seu governo: o pedido de demissão da ministra do Meio Ambiente. [...]
    • O país fica devendo à ministra a lembrança de que também se faz política sem cargos – e com uma altivez que pode parecer chilique, e daí? Quando a mágoa passar, Lula terá de agradecer a Marina pela recordação de que presidentes podem muito, mas nem tudo. (Ricardo Amaral)
  • Atividade 2
    • Complete com à , às , a ou as :
      • Minha casa é igual ___ que você comprou.
      • b) Em julho, pretendo ir ___ Belo Horizonte e, se possível, ___ Grande São Paulo.
      • c) Tenho um amigo que só usa cabelo e óculos ___ John Lennon.
      • d) Aqueles presentes foram doados ___ crianças pobres, ___ ninguém mais.
      • e) Fomos visitá-la ___ quinze horas, mas não ___ encontramos.
      • f) Indo ___ casa, cheguei ___ Baía de Guanabara ___ cinco horas.
  • Uso de há (verbo) e a (preposição)
    • Há - usa-se quando é possível sua substituição por faz :
    • Há tempos não vejo Cristina.
    • Cobramos a nota promissória
    • há 30 dias.
    • Há muito não viajo.
    • De há muito venho insistindo nisso.
  • Uso de há (verbo) e a (preposição)
    • A - usa-se em todos os casos restantes:
    • Daqui a pouco serão dez horas.
    • O homem passou a dois metros de mim.
    • O Flamengo marcou seu gol a dois
    • minutos do final do jogo.
    • Cobramos a nota promissória a 30 dias
    • do seu vencimento.
    • O cometa passou a milhares de
    • quilômetros da Terra.
  • Atividade 3
    • Complete com há , à ou a :
    • Gosto de passear ___ pé.
    • b) Ele está ali ___ muitas horas, ___ espera do nascimento da Lua, que deverá ocorrer daqui ___ pouco.
    • c) Recorreu ___ irmã e ___ ela se apegou como ___ uma tábua de salvação.
    • d) ___ sempre pessoas no ponto de ônibus.
    • e) Referia-se com ternura ao menino, com afeto ___ menina e, com respeito, ___ várias pessoas menos íntimas.
    • f) Preciso redigir ___ carta ___ Sua Excelência, o Presidente.
  • Vamos refletir juntos
    • “ Amo as dificuldades, as impossibilidades, amo sobretudo a vida, e acredito que a produção, seja qual for, é sempre preferível ao repouso.”
    • (Émile Zola, escritor francês)
  • Finalizando
    • Na aula de hoje, estudamos:
    • Apreensão e Compreensão de Sentido
    • Crase – Origem e Emprego
    • Uso de há (verbo) e a (preposição)