• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
A HistóRia Da ComputaçãO
 

A HistóRia Da ComputaçãO

on

  • 18,488 views

 

Statistics

Views

Total Views
18,488
Views on SlideShare
18,488
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
333
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A HistóRia Da ComputaçãO A HistóRia Da ComputaçãO Document Transcript

    • FURG – FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE RIO GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS COMPUTACIONAIS ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO A HISTÓRIA DA COMPUTAÇÃO Aluno: Mauricio Canielas Krause Matrícula:48738 Atividade de Integração Curricular I Professor Dr. Nelson Lopes Duarte Filho Professora Dra. Sílvia Silva da Costa Botelho Março 2010
    • I. Introdução: Vive-se Atualmente, em um mundo completamente dominado pela tecnologia, mais especificamente, o computador. Anos atrás, eram poucas as pessoas que tinham o luxo de ter um computador em casa, ao contrário de hoje, raras são as pessoas que não tem ou nunca tiveram acesso ao mesmo. Isto se deve aos benefícios que a tecnologia nos oferece, tanto no lado profissional como doméstico, hoje exercemos desde simples tarefas escolares como até mesmo compras e pagamentos através do mesmo, sem falar que para muitos é utilizado como uma “terapia” através de jogos. Existem registros de que desde os tempos de 5500 a.c. já existia o computador, surpreendendo várias pessoas que acreditavam que o mesmo era uma tecnologia recente. O objetivo deste trabalho é abordar curiosidades e informações da computação, desde os seus primórdios.
    • 2. Desenvolvimento: O ábaco(Fig. 1) foi o começo de tudo, segundo historiadores, acreditam que o mesmo foi descoberto em meados do ano 5500 a.c. pelo povo mesopotâmico. Ele era muito utilizado para fazer cálculos, devido a isso se espalhou por vários países após a sua descoberta. O instrumento consistia em um conjunto de varetas de forma paralela, com pequenas bolas que realizavam contagens. Ainda é utilizado nos dias de hoje facilitando o aprendizado de crianças nas operações de adição e subtração. Figura 1: Exemplo de ábaco russo Mesmo com essa invenção do ábaco, a multiplicação de números muito grandes era trabalhosa, então surgiu John Napier trazendo novidades na área matemática, os chamados logaritmos, que facilitaram bastante as multiplicações. A partir dessa descoberta dos logaritmos, já surgiram em 1550 d.c. as taboas de Napier, que consistiam em tabelas de multiplicação gravadas em um bastão. Logo depois, a partir do mesmo princípio das taboas de Napier, surgiu as réguas de cálculo(Fig. 2), que eram ainda usadas há poucos anos atrás.
    • Figura 2: Régua de cálculo Em poucos anos, acredita-se que em meados de 1552, Wilhelm Schickard criou a primeira máquina de verdade, que fazia operações de soma, subtração, multiplicação e divisão, mas só até 6 dígitos, quando ultrapassava os 6, tocava um sinal de alerta para avisar que a operação tinha sido falha. Essa máquina tinha foi perdida no meio da guerra dos trinta anos, e a pouco tempo encontrou-se documentações sobre a mesma, o que tirou de Blaise Pascal o título de inventor da primeira máquina calculadora. Pascal, em 1623, com a necessidade de ter um instrumento que o ajudasse no trabalho de coleta de impostos, criou uma calculadora que usava engrenagens e funcionava similarmente a um odômetro. Essa calculadora(Fig. 3) foi lançada no comércio, mas não obteve muito sucesso, alguns afirmaram que o motivo do seu insucesso foi que a mesma só realizava funções de soma e subtração, outros porque afirmaram que foi pela sua sofisticação e seu elevado preço. Vendo esta falha na invenção de Pascal, Gottfried Wilhelm Leibniz, aperfeiçoou a sua máquina deixando-a capaz de fazer as quatro operações (soma, subtração, multiplicação e divisão) como também raiz a quadrada.
    • Figura 3: Máquina de Pascal Então em 1801 apareceu uma máquina que realmente chamou atenção de todos, pelo motivo de ser programável, ao contrário das demais que só realizavam as operações previamente estabelecidas. O inventor dessa máquina foi Joseph Marie Jacquard, cujo motivo de sua invenção era a necessidade que o mesmo tinha em criar de ter um sistema cujo objetivo era diminuir o trabalho manual na sua indústria têxtil. Era um sistema simples, comandado por cartões perfuráveis, ou seja, Jacquard perfurava o cartão de acordo com o desenho desejado, e o cartão passava os comandos para máquina reproduzi-lo no tecido. Também a primeira calculadora comercializada com sucesso foi inventada em 1820, por Charles Xavier Thomas, ela era capaz de efetuar as quatro operações aritméticas básicas. Em 1822, um matemático inglês chamado Charles Babbage(Fig. 4), começou um projeto financiado pelo governo, que objetivava inventar uma máquina capaz de calcular diversas funções (trigonométricas, logaritmos, etc), a chamada “máquina diferencial”, mas isso foi só o começo do que estava por vir, ou seja, de toda a evolução na computação. No meio deste projeto, Babbage teve uma idéia partindo dos princípios dos cartões de Jacquard, a de criar uma máquina muito mais completa que todas
    • que já haviam sido inventadas, e posteriormente passaria a ser chamada de “máquina analítica”(Fig. 5). A grande diferença dessa máquina para as outras é que, segundos os historiadores, ela teria uma memória (moinho), um engenho central, engrenagens e alavancas -que transferiam dados da memória para o engenho central- e dispositivos de entrada (leitor de cartões, pois usaria cartões perfurados) e saída (um tipógrafo). Ada Lovelace foi a primeira programadora da época, a pedido de Babbage, projetou e explicou programas para a máquina ainda inexistente. Dentre seus conceitos inventados, se destacaram o da subrotina, loop e o do salto condicional (que apenas foi iniciado). Figura 4: Charles Babbage Figura 5: Máquina analítica
    • Babbage e Ada embora tivessem gastado toda a fortuna de suas famílias, não conseguiram concluir a máquina analítica, pois a tecnologia da época era insuficiente para o que eles precisavam. Babbage morreu em 1871, mas até hoje ele é considerado o “avô da computação”, pois as suas teorias serviram de base para a criação de várias máquinas que possuímos atualmente. Até o ano de 1940 nada semelhante com o projeto da máquina de Babbage e Ada foi inventado, provando mais uma vez que ele estava avançando para o seu tempo. Em 1838, nos estados unidos, foi criado o código Morse, por Samuel F. Morse, que também foi o criador do telégrafo elétrico, cujo teve sua primeira apresentação pública em 1844. No século XIX as máquinas utilizavam o sistema por base decimal, ou seja, de 0 a 9, mas eram encontrados problemas nesse sistema, pois afirmavam que qualquer variação provocada por um ruído causaria erros consideráveis nos cálculos, Isso foi mudado quando George Boole, propôs a álgebra binário booleana, que ao invés de utilizar 10 números, utilizava só dois, o 0 e 1, melhor dizendo, o verdadeiro e o falso. Esse novo tipo sistema lógico revolucionou a computação, e até hoje é utilizado em nossos computadores. Após vieram algumas invenções importantes, como em 1867 as invenções da máquina de escrever por Sholes e Glidden, o telefone por Graham Bell, que com isso fundou a empresa “Bell Telephone Company”. Em 1877, inventaram uma ancestral das caixas registradoras, por Dorr E. Felt, ela era comandada por chaves. Já em 1878 houve um caso interessante, Romon Verea inventou uma calculadora que tinha multiplicação interna, mas
    • dispensava o uso de engrenagens, e ele não estava interessado em produzir, e sim provar que não só os americanos, e sim também os espanhóis tinham habilidades de criar. Depois de um tempo, algumas pessoas se apossaram desse invento, e o aperfeiçoaram colocando-o a venda no comércio. Em 1890, mais um homem marcante na história dos computadores, o Dr. Herman Hollerith, que acelerou o tempo de processamento dos dados censos. O censo de 1880 tinha sido processado em sete anos, com todos caçulos sendo feitos a mão, já o de 1890 foi processado em dois anos e meio, com a ajuda de uma máquina de perfurar cartões, criada por Hollerith. Ela tinha um funcionamento baseado na idéia de Babbage, dos cartões perfurados para fazer a memória, o funcionamento era descrito por ele assim: “As informações sobre os indivíduos eram armazenadas por meio de perfurações em locais específicos do cartão. Nas máquinas de tabular, um pino passava pelo furo e chegava a uma jarra de mercúrio, fechando um circuito elétrico e causando um incremento de 1 em um contador mecânico.” Após alguns anos Hollerith fundou a sua própria empresa, que depois de algumas fusões veio a se tornar a mundialmente famosa IBM. Em 1928 foi fundada a Galvin Manufacturing Corporation, por Paul V. Galvin e Joseph E. Galvin, anos mais tarde veio a se chamar Motorola, conhecida mundialmente. Oito anos depois, nascia o primeiro computador eletromecânico, o Z1, criado por um engenheiro alemão chamado Konrad Zuse. O mesmo usava relês que realizava os cálculos lidos em fitas perfuradas. Outro dado interessante a ser mencionado é que ele utilizava o sistema binário booleano.
    • Outro homem importante na história do computador foi Allan Turing(Fig. 6), responsável por várias pesquisas focadas no objetivo de saber os tipos de problemas que um computador poderia resolver, nascendo aí a idéia de que o computador poderia resolver tudo. Além disso criou o Colossus, que era um computador responsável por fazer criptoanálises no tempo da segunda guerra mundial, criou também a “máquina de turing”, que a partir dela é possível modelar qualquer computador digital, ela foi envolvida na construção da “Colossus”. Turing foi chamado “o pai da ciência da computação”, devido as suas várias contribuições para o meio. Figura 6: Allan Turing Em 1983 foi fundada a Hewlett-Packard Co., que hoje é muito conhecida na área da computação. Descrevendo então os computadores de primeira geração: Os mesmos eram basicamente compostos de válvulas eletrônicas, grandes comprimentos de fios, lentos, grandes, e esquentavam muito, necessitando de refrigeradores ao seu redor. Foi somente na segunda guerra mundial que os computadores começaram a ter a mesma forma visual com os de hoje. Vários projetos e grandes invenções marcaram essa época, a marinha americana em conjunto com a universidade de Harvard
    • construiu o computador chamado “Harvard Mark 1”, ele tinha aproximadamente 120m³, era cheio de relês, tinha um alto nível de ruídos e era capaz de multiplicar números de 10 dígitos em apenas 3 segundos, uma maravilha. Na época, ele era interpretado como uma realização do projeto de Babbage. Outro projeto era desenvolvido em silêncio, o Eletronic Numeric Integrator And Calculator(ou popularmente conhecido, o ENIAC), ele era capaz de fazer 500 multiplicações por segundo, e era construído para calcular as trajetórias balísticas. O ENIAC(Fig. 7) foi mantido em segredo até o fim da guerra, até que em 1946 foi levado a público. Seus custos foram imensos, pois várias válvulas queimavam a cada hora, além dos custos por energia elétrica oriundos do sistema de refrigeração utilizado para controlar o calor da máquina. Figura 7: ENIAC É importante citar que alguns aspectos deixavam o ENIAC meio distante dos computadores atuais, são eles: • Não era usada a lógica binária, mas sim o sistema decimal; • Não tinha a capacidade de armazenar os programas na memória, tendo a necessidade de o operador conectar vários fios, relés e seqüências de chaves para que o computador executasse uma nova tarefa; • Não suportava instruções de desvio condicional, uma das bases da programação atual;
    • Mas em 1946, o matemático John Von Neumann surgia para mudar essa história, com a sua teoria que era chamada de "Arquitetura de Von Neumann”, ele procurava armazenar programas no computador como se fossem dados, semelhante ao que acontece nos computadores atuais. Esse processo envolvia três características, são elas: • Que a houvesse uma codificação das instruções de uma forma que fosse possível armazenar dados no computador. Propôs a lógica binária • Armazenar as instruções e toda e qualquer informação necessária para execução das tarefas na memória • Seriam trocados os chamados cartões perfurados que continham a instrução do que deveria acontecer, e isso passaria a ficar na memória do computador. Essas mudanças transformariam os computadores daquela época nos nossos computadores programáveis de hoje, trazendo assim mais rapidez no processamento das tarefas, versatilidade e automodificação. Isso tudo, graças a Von Neumann, portanto essa nova arquitetura do computador foi nomeada de “arquitetura de Von Neumann”. Após isso, ele divulgou sozinho, um artigo, fato que deixou Eckert e Mauchy insatisfeitos, pois alegavam terem discutido várias vezes o assunto com ele. Alguns anos após, os três ainda trabalharam juntos em uma aprimoração do ENIAC, chamada de EDVAC, onde suas memórias eram baseadas em linhas de retardo de mercúrio, pois possuíam maior capacidade de armazenamento. Depois também veio o EDSAC, que poderia exercer 714 operações por segundo, e utilizava a linguagem Assembly. Entre 1945 e 1951 foi lançado o primeiro computador capaz de processar informações em tempo real, com entrada de dados a
    • partir de fitas perfuradas e saída em CRT (monitor de vídeo), ou na flexowriter(uma espécie de máquina de escrever). Também 1951 surgiu o primeiro computador comercial, o UNIVAC(UNIVersal Automatic Computer), que pesava aproximadamente 7,2 toneladas e ocupava 32,5m² de espaço, sua programação era ajustada por aproximadamente 6000 chaves conectadas a um painel, consumia muita energia, especialmente por um equipamento que o acompanhava, o UNIPRINTER. O UNIVAC era capaz de realizar 1905 operações por segundo, seu preço inicial era de U$$ 1 milhão. O IBM 701 lançando em 1952 trouxe o avanço de utilizar fita plástica, deixando-o mais rápido que a metálica do UNIVAC, após veio o IBM 704, que ficou conhecido porque era capaz de armazenar 8192 palavras de 36 bits. E na Inglaterra surgiram outros vários tipos de computadores: MADAM, Manchester Automatic Digital Machine, o SEC, Simple Electronic Computer, e o APEC, All- Purpose Electronic Computer. A segunda geração está entre o período de 1959 até 1964, e tem como novidades a substituição das válvulas eletrônicas por transistores (fato marcante nessa geração), e aqueles fios de comprimentos absurdos, foram trocados por circuitos impressos. Esses avanços deixaram os computadores mais velozes, menores , e mais baratos. Os transistores começaram a ser produzidos em 1947 por William Bradford Shockley, Walter Houser Brattain e John Bardeen. Eles testaram o "point-contact transistor", iniciando-se assim a grande mudança da segunda geração da computação. Após um tempo modelos aperfeiçoados desses transistores foram produzidos pela "Bell Laboratories". O transistor trouxe uma melhora na velocidade de processamento das máquinas e uma redução no tamanho das memas.
    • Nessa geração surgiram dois tipos de computadores distintos: os supercomputadores e os mini-computadores. O IBM 7030(Fig. 8) foi um exemplo marcante de supercomputador, ele era “pequeno”, se comparado ao ENIAC, mas executava cálculos na casa dos microssegundos, podendo assim fazer mais de milhão de operações por segundo, assumindo assim um novo patamar de velocidade. Eram caros, quem pretendia ter essa “luxúria” em casa, deveria desembolsar até 13 milhões de dólares. Além disso, várias linguagens surgiram nessa época, como Fortran, Cobol e Algol, permitindo assim mais facilidade na criação de softwares. Figura 8: O primeiro super computador, IBM 7030 E como exemplo de mini-computador temos o PDP-1, que perdia para os supercomputadores da época em questões de capacidade de processamento, mas tinha dois pontos a favor, o tamanho, e conseqüentemente, o preço. Esses fatores levaram o PDP-1 a ser bem comercializado, e ficou conhecido como o primeiro mini-computador.
    • O PDP-1(Fig. 9) ficou amplamente conhecido, pois em uma feira do MIT, colocaram ele na exposição juntamente com o primeiro jogo interativo lançado para computadores o “SpaceWar!”, desenvolvido por Martin Graetz, Stephen Russell e Wayne Wiitanen. O jogo virou febre mundial na época, foi inspirado nos livros de ficção científica do autor E. E. "Doc" Smith, já falecido. O “SpaceWar!” foi uma tentativa bem sucedida de levar os visitantes a ingressarem no mundo dos computadores. Figura 9: PDP-1, exemplo de mini-computador Nesse período Jack Kilby trouxe ao mundo mais uma nova invenção que mudaria o rumo da computação, o primeiro circuito integrado. Esses circuitos são constituídos de transistores, capacitores e resistores, tudo sobre uma base de silício, chamada Chip. Essa invenção de Kilby que deu início a terceira geração da computação, onde os transistores eram substituídos por circuitos integrados. Esse fato trouxe vários avanços aos computadores da terceira geração, como exemplo: maior velocidade, menor consumo de energia, possuindo maior capacidade de processamento, reduzindo o tamanho dos mesmos, com isso houve também uma redução nos preços. Nessa fase o computador começou a deixar de ser privilégio de poucos, pois aqueles computadores gigantescos, que ocupavam todo um escritório, deram lugar para computadores
    • menores e mais baratos, que poderiam ser adquiridos por diversas pessoas. Esta geração foi estendida desde 1964 até 1970. Um dos exemplos desta época foi o IBM 360/91, foi um sucesso de vendas em 1967, ano do seu lançamento. Tinha novidades como imprimir resultados em papel, possuia dispositivos avançados de saída e entrada, além de ser considerado um dos primeiros computadores a permitir a programação da CPU por microcódigos. Após isso, a IBM lançou tecnologias mais modernas, como os IBM’s 370, 3080, 3090, etc. Nessa geração começou a surgir também os primeiros microprocessadores, sendo o primeiro criado pela Intel no ano de 1970, chamado de 4004, após isso vieram versões superiores como o 8008, 8080, 8085, etc. Outro ponto interessante que aconteceu em 1971, foi o anúncio feito pela IBM do lançamento de um disco flexível de 8 polegadas, coberto por óxido de ferro. Em 1972 a Hewllet- Packard anunciou a HP-35, e afirmavam que era a “mais rápida e precisa calculadora eletrônica”. Quatro anos depois, no mercado era apresentada uma empresada que mudaria o rumo da computação, A apple. Nesse mesmo ano foi criado o Aplle I, que era composto de um teclado, um microprocessador de 1 MHz, 1 Kb de memória vídeo e 4 Kb RAM. Uma das preocupações que chamou a atenção no final desse período os softwares mal produzidos, era afirmado que as empresas estavam mais preocupadas com os hardwares e estavam deixando os softwares de lado. No entanto hoje a quarta geração, na qual a controvérsias se é a ultima ou existem outras mais por vir. Portanto, neste trabalho toma-se como base as fontes que afirmam que a quarta geração é estendida desde 1970 até os dias atuais. A quarta geração focou-se
    • principalmente na miniaturização dos componentes de um computador, tornando-o assim mais compacto e preparado para o uso em casa. Sendo essa miniaturização um favorecimento para transporte do mesmo de casa para o trabalho e para onde quer que se desejar(notebooks). Fora isso, eles atingiram uma velocidade impressionante, na casa dos nano segundos, e os softwares passaram a ser tão importantes como os hardwares, boa parte da indústria se focalizou nisso. Portanto no decorrer dos anos, tornou- se mais acessível a aquisição de um computador. A partir de 1975, surgiram novos tipos de escalas de CI’s(circuitos elétricos), como exemplo tempos: • SSI: era uma integração em pequena escala, que possuía menos de 10 elementos por chip. • MSI: uma integração em média escala, que possuía de 10 a 100 elementos por chip • LSI: uma integração em larga escala, possuía de 100 a 5000 elementos por chip • VLSI: uma integração em alta larga escala, possuía de 5000 até 50000 elementos por chip • SCSI: integração em super escala, possuía de 50000 a 100000 • ULSI: integração em ultra larga escala, mais de 100000 elementos por chip. Em 1975 surgiu o Altair 8800(Figura 10), ícone do começo da quarta geração, utilizava o processador da Intel 8080, que o deixava mais rápido e menor, ocupando perfeitamente o espaço de uma mesa, foi um dos revolucionadores daquela época, sem comparações. A partir dessa revolução do Altair, Bill Gates, ainda novo, criou uma linguagem de programação chamada Altair Basic.
    • Figura 10: Altair 8800 Em 1977 foi lançado o Apple II, que produzia gráficos e cores, também tinha 4KB de memória, um fato interessante é que ele precisava ser conectado à uma TV e não possuia mouse, mas tinha circuito impresso em sua placa-mãe, fonte de alimentação, teclado e cartuchos para jogos. Poucos anos depois, os computadores Lisa e Macintosh(Fig. 11), ambos da Apple, criaram uma nova tendência ao aderirem ao uso de mouse, e ao terem a interface gráfica muita parecida com as de atualmente, ou seja, com pastas, menus, área de trabalho, etc. Porém o Lisa foi menos vendido devido ao seu preço, que era de aproximadamente US$ 10.000, 00, preço elevadíssimo, se comparado aos outros computadores da época. Já o Macintosh teve um entusiasmante numero de vendas. Figura 11: Macintosh
    • Nessa época também surgiu a Microsoft, criada por Bill Gates, que desenvolvia computadores principais também, mas no começo ela só usava as idéias existentes e fabricava os seus modelos, assim os computadores eram muito inferiores aos da Apple, vendo isso, Bill Gates(fig. 12) decidiu criar uma parceria com o Steve Jobs, onde então conseguiu a tecnologia gráfica do Apple Macintosh e aplicou no Windows, seu novo sistema operacional. A partir disso, o Macintosh e o Windows se tornaram grandes concorrentes, e após a demissão de Steve Jobs da Apple, a Microsoft assumiu a liderança no ramo dos computadores. Após, vários modelos de processadores da Intel(fig. 13) foram lançados, mas todos acompanhados de versões do Windows, dentre eles estão: 8086, 286, 386, 486, Pentium, Pentium 2, Pentium 3, Pentium 4, Core 2 Duo, i7. Outra que está no ramo de processadores e é muito conhecida atualmente é a AMD, ela começou em 1993. Até o ano de 1998, o AMD K6-2 e o Pentium 2 lideravam as vendas de processadores. Figura 12: Bill Gates, o grande “chefão” da Microsoft
    • Figura 12: Processadores da Intel Com o passar do tempo veio a modernização, novos computadores, novas tendências, placas mais modernas (de vídeo, áudio, etc.), melhores memórias, enfim, o computador foi se moldando e ficando cada vez mais semelhante com o que é hoje. Mas ainda buscava-se no mercado um computador móvel, que logo em 1983 apareceu o primeiro “laptop”, criado por Adam Osborne, seu nome era Osborne I(Fig. 13), pesava aproximadamente uns dez quilos a mais que os laptops de hoje. Tinha 64KB de memória, sendo que hoje em dia é preciso ter 256mb só para instalar o Windows XP, tinha 10 mil transistores e o seu monitor era de apenas cinco polegadas. Enfim, hoje já existem até os net books, que são utilizados somente para funções básicas do computador e internet, pois são menores que os laptops normais. Figura 13: Osborne I
    • Não podemos falar em computação sem citar a internet, se o computador é a máquina que veio para solucionar qualquer tipo de problema, a internet é a “ferramenta” que facilita tudo isso. Atualmente tudo está movido pela internet, principalmente a comunicação. A definição de internet é: “Uma rede mundial de computadores.” Os historiadores afirmam que a internet surgiu na guerra fria, nos anos 60. Os Estados Unidos a criaram, pois estavam com medo de que todas as informações sigilosas contidas no pentágono poderiam ser perdidas se acontecesse algum ataque. Então eles criaram uma rede, a ARPANET, e por meio dela transmitiram os dados que continham as informações, divididas em pequenos pacotes, prevenindo que algo de pior acontecesse. Nada aconteceu, mas mal sabiam eles que estavam criando o maior fenômeno do século XX em questões de comunicação. Após isso, a internet foi sofrendo várias mudanças, até se modelar a internet que temos atualmente. Mais recentemente foram lançados os “multi-cores”, que nada mais é do que vários processadores trabalhando ao mesmo tempo, deixando assim a execução das tarefas muito mais rápidas e eficientes. Foi criado devido a necessidade de dividir o processador em mais núcleos, pois os transistores usados em um único processador estavam muito pequenos, causando um aquecimento maior do que o normal. Como exemplos têm o Intel core2duo, AMD Athlon 64 X2, entre outros. Outra evolução foram os “computadores de bolso”, que são computadores portáteis, conseqüentemente, pequenos . Entre os exemplos temos os celulares -que a cada dia podem executar
    • novas funções, mesmo ainda não sendo explorados ao máximo-, palmtops, mp3(e todos os outros similares ou versões mais recentes), pendrives, câmeras fotográficas, e etc. Freqüentemente dispositivos parecidos com esses são lançados, e sempre adicionando mais funcionalidades aos mesmos. O IPhone(fig. 14), da Apple, é um desses dispositivos mais conhecidos, e um dos mais avançados em questões de tecnologia. Figura 14: IPhone
    • 3. Conclusão: Não podemos falar em computação sem citar a internet, se o computador é a máquina que veio para solucionar qualquer tipo de problema, a internet é a “ferramenta” que nos permite isso. Atualmente tudo está movido pela internet, principalmente a comunicação. E o que seria a internet? A sua definição é uma rede mundial de computadores. Os historiadores afirmam que a internet foi surgiu na guerra fria, nos anos 60.
    • 4. Referências bibliográficas: • GUGIK, GABRIEL. A história dos computadores e da computação: http://www.baixaki.com.br/info/1697-a-historia-dos- computadores-e-da-computacao.htm Acessado em: Março 2010 • WIKIPÉDIA, A enciclopédia livre. A história da computação: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_computa%C3%A7% C3%A3o Acessado em: Março 2010 • Algosobre. História do computador e da internet: http://www.algosobre.com.br/informatica/historia-do-computador-e- da-internet.html Acessado em: Março 2010 • Projeto MAC multimídia: http://www.ime.usp.br/~macmulti/historico/index.html Acessado em: Março 2010 • CORTELAZZO, Iolanda. As diversas gerações de computadores I: http://www.boaaula.com.br/iolanda/hic/hicger.html Acessado em: Março 2010 • Um pouco da história dos computadores: <http://www.mansano.com/beaba/hist_comp.aspx> Acessado em: Março 2010