• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Confintea 2009 - Alberto Araujo
 

Confintea 2009 - Alberto Araujo

on

  • 1,752 views

Palestra proferida por Alberto Borges de Araujo na VI CONFINTEA, no dia 2 de dezembro de 2009.

Palestra proferida por Alberto Borges de Araujo na VI CONFINTEA, no dia 2 de dezembro de 2009.

Statistics

Views

Total Views
1,752
Views on SlideShare
1,745
Embed Views
7

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

1 Embed 7

http://www.slideshare.net 7

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • La educación, la formación y el aprendizaje permanente contribuyen a promover los intereses de las personas, las empresas, la economía y la sociedad en su conjunto. Insta a los gobiernos, los empleadores y los trabajadores a que renueven su compromiso con el aprendizaje permanente: los gobiernos, invirtiendo y creando las condiciones necesarias para reforzar la educación y la formación en todos los niveles; las empresas, proporcionando formación a sus trabajadores, y las personas, aprovechando las oportunidades de educación, formación y aprendizaje permanente
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.
  • En la última frase se lee que a pesar de que la Población Ocupada creció en un 2% , el PIB solo lo hizo en 1.5%, más trabajadores y menos productividad.

Confintea 2009 - Alberto Araujo Confintea 2009 - Alberto Araujo Presentation Transcript

  • EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, EDUCAÇÃO DE ADULTOS, APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA: ESTRATÉGIA PARA COMBATER A POBREZA E PROMOVERA INCLUSÃO SOCIAL. Apresentador: ALBERTO ARAUJO Moderador: Dr. Luiz Ramalho 02/12/2009 SEXTA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DE ADULTOS
  • II. Good Practices and case studies on country level responses and strategies of the TVET-System
    • - India: National strategies for vocational education and lifelong learning -
    • The case of India
    • Sudha Pillai
    • Secretary Planning Commission - Government of India
    • - Brazil: Vocational Training, adult education and lifelong learning as a
    • strategy to fight poverty and promote social inclusion
    • Alberto Borges Araújo
    • Assessor da Direção Geral do SENAI - Brasil
    • - Denmark: Adult learning and workforce developement in a changing world of
    • work - a Danish perspective
    • Villy Hovard Pedersen
    • Director General of Education
    • Ministry of Education, Copenhagen
    • - Egypt: Lifelong learning in a changing world of Work "Using Web-based
    • learning and knowledge sharing" - Personal Experience
    • Wessam Thabet
    • Project Coordinator
    • Luiz Ramalho - Coordenador
    • Questions and discussion
  • AGENDA
    • AS DEMANDAS POR EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • - O impacto da reestruturação produtiva e da globalização
    • - O cenário atual no Brasil e na América Latina e Caribe
    • - A crise atual
    • - O envelhecimento da população
    • - A aprendizagem ao Longo da Vida
    • O PODER TRANSFORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • PRÁTICAS INOVADORAS PARA PROMOVER A INCLUSÃO
    • - Uma Metodologia Contemporânea de Formação e Reconhecimento
    • de Competências
    • - Ações Inovadoras
    • - Os Arranjos Produtivos Locais
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • AGENDA
    • AS DEMANDAS POR EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • - O impacto da reestruturação produtiva e da globalização
    • - O cenário atual no Brasil e na América Latina e Caribe
    • - A crise atual
    • - O envelhecimento da população
    • - A aprendizagem ao Longo da Vida
    • O PODER TRANSFORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • PRÁTICAS INOVADORAS PARA PROMOVER A INCLUSÃO
    • - Uma Metodologia Contemporânea de Formação e Reconhecimento
    • de Competências
    • - Ações Inovadoras
    • - Os Arranjos Produtivos Locais
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • As discussões relacionadas ao mundo do trabalho assumem, nos tempos atuais, importância central. Este evento comprova a preocupação em equacionar as relações entre o trabalho e a educação, por parte dos países-membros da UNESCO, agências das Nações Unidas, agências multilaterais e bilaterais de cooperação, organizações da sociedade civil, setor privado e aprendizes (...) INTRODUÇÃO
  • (...) de todas as regiões do mundo, todos preocupados em promover a inclusão de milhões de trabalhadores atualmente excluídos do mundo do trabalho. A importância desta reflexão tem lugar a partir das inovações que vêm sendo introduzidas no mundo do trabalho, tanto em sua base produtiva, quanto em suas formas de organização e de gerenciamento. INTRODUÇÃO
  • A situação se tornou ainda mais aguda com a chegada da recente crise econômica mundial. No cerne desse processo de inovações, novos requerimentos de qualificação profissional são impostos aos trabalhadores e, paralelamente, às instituições responsáveis pelo atendimento às demandas de educação profissional. INTRODUÇÃO
  • PAÍSES LATINO-AMERICANOS BRASIL CENÁRIO
    • A metade dos trabalhadores no mundo não consegue ganhar US$2 por dia.
    • Na maior parte do mundo há uma significativa diferença de gênero tanto em quantidade como em qualidade do emprego.
    • As mulheres tem mais possibilidades de trabalhar na economia informal que os homens, com pouca ou nenhuma proteção social.
    DÉFICIT DE TRABALHO DECENTE
    • No mundo há mais de 85 milhões de jovens desempregados (15 a 24 anos), quase metade do desemprego total.
    • A migração laboral cresce. Há mais de 86 milhões de trabalhadores emigrantes no mundo, 34 milhões deles em regiões em desenvolvimento.
    • O crescimento econômico não se tem trasladado para a criação de novos e melhores empregos que conduzam à redução da pobreza.
    DÉFICIT DE TRABALHO DECENTE
    • Pobreza – níveis similares aos anos 80
    • Produtividade do trabalho – equivalente aos anos 80
    • Acumulação dos recursos produtivos
    • Elevada heterogeneidade produtiva: setores, tamanho empresa
    • MIPYME – 90-98%
    • Alta produtividade só em setores exportadores e com baixo % de trabalhadores
    DADOS SÓCIO ECONÔMICOS DA AMÉRICA LATINA
    • Crescimento e melhores
    • Indicadores macroeconômicos!
    • Mas…
    DADOS SÓCIO ECONÔMICOS DA AMÉRICA LATINA
    • Desigualdade
    • Esta é a região mais desigual do mundo.
    DADOS SÓCIO ECONÔMICOS DA AMÉRICA LATINA
  • População: > 450 milhões
    • Variação PIB > 4.6%
    • Taxa de desemprego: 8.1% em março de2009 (um milhão a mais de desempregados em relação a 2008)
    • Persistência do emprego informal urbano: 58.6%
    • 16 milhões de trabalhadores urbanos desempregados
    • 1/3 dos jovens estão desempregados
    EMPREGO NA AMÉRICA LATINA E CARIBE
    • Pobreza
      • 209 milhões de pobres (39.8% da população)
      • 81 milhões de indigentes (15.4% da população total) ‏
      • 221 milhões de pobres (44% em 2002)
      • 19.4% de indigentes em 2002
    DADOS SÓCIO ECONÔMICOS DA AMÉRICA LATINA
    • Desemprego de jovens - 17%; adultos - 6%
    • 10 milhões de jovens desempregados -> 46% do desemprego total
    • 22 milhões não estudam nem trabalham
    • 79% vivem em zonas urbanas
    • 72% são mulheres
    DESEMPREGO JUVENIL
    • 30 milhões trabalham no setor informal
    • 16% das mulheres jovens são trabalhadoras domésticas
    • Se o desemprego dos jovens se reduzisse à metade, a produtividade cresceria entre 4.9 e 7.8 pontos percentuais adicionais.
    DESEMPREGO JUVENIL
  • O quadro inicial foi asustador... A CRISE ATUAL
  • Ao instalar-se no mundo, a crise trouxe o prenúncio de novos contornos para a economia mundial e para a sociedade. Logo, dois elementos pareceram cruciais: - possível aumento do desemprego e - maior competitividade pelos postos de trabalho, - além de alterações no mundo laboral. A CHEGADA DA CRISE
  • O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO É UM DESAFIO NOVO... ...causado pelo declínio tanto das taxas de fecundidade como das de mortalidade. O PROBLEMA DEMOGRÁFICO
    • As constatações são da:
    • Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios),
    • IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
    A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO
  • A pesquisa, que faz levantamentos socioeconômicos anuais da população brasileira, coletou dados de 391.868 pessoas em 150.591 domicílios de 851 municípios do Brasil. A amostra representa a população de 189,9 milhões de brasileiros. A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO. A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO
  • Já o índice de crianças de até 9 anos, que representavam 22,1% dos brasileiros há 17 anos, chegou a 15,5% em 2008. A POPULAÇAO ESTÁ ENVELHECENDO
  • A população brasileira está cada vez mais velha, seguindo uma tendência que se observa desde 1992. Pessoas com 60 anos ou mais, que eram 7,9% da população brasileira em 1992,passaram a ser 11,1% no ano passado. A POPULAÇAO ESTÁ ENVELHECENDO
  • Enquanto o número de pessoas com 40 anos ou mais cresceu 4,5% em relação a 2007, o de crianças e adolescentes com até 4 anos caiu 0,8% no mesmo período,revela a pesquisa. A POPULAÇAO ESTÁ ENVELHECENDO
  • Em números absolutos, as crianças e adolescentes de até 14 anos,segundo a Pnad, eram 46,9 milhões no ano passado. Já a população de 60 anos ou mais somava 21 milhões em 2008. A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO.
  • Total de idosos será próximo ao de jovens em 2030, diz pesquisa, 01/12/09 - 11h03 - Atualizado em 01/12/09 - 11h30 Pessoas com 65 anos ou mais eram 4,01% dos brasileiros em 1980. Em 2050, eles devem ser 22,71% do total. A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO
  • . A participação dos idosos na população brasileira será quase igual à dos jovens em 2030, segundo mostra a pesquisa Tábuas de Mortalidade, divulgada nesta terça-feira (1º) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 1980, as crianças de 0 a 14 anos correspondiam a 38,24% da população e, em 2009, elas já diminuíram sua representação para 26,04%. Já o contingente com 65 anos ou mais de idade pulou de 4,01% para 6,67% no mesmo período. A POPULAÇAO ESTÁ ENVELHECENDO A POPULAÇÃO ESTÁ ENVELHECENDO
  • Temos que transformar o sonho do empreendedorismo em realidade. A ATIVIDADE EMPREENDEDORA
    • As grandes empresas já não são as grandes geradoras
    • de novos empregos.
    • A Pequena Empresa tornou-se a grande geradora de empregos.
    • As grandes empresas estão diminuindo de tamanho.
    • A grande maioria dos novos negócios, novos trabalhos, novas maneiras de facer as coisas virá dos pequenos.
    GRANDES X PEQUENAS EMPRESAS
  • 650 mil micro e pequenas empresas no setor industrial 7 milhões de micro e pequenas empresas As micro e pequenas empresas industriais são primordiais para a competitividade da indústria brasileira e para a elevação do número de empregos. AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL
  • TRABALHO DECENTE E PRODUTIVO – paradigma OIT
    • Alguns instrumentos OIT:
    • Desenvolvimento dos RRHH (Recomendação 195/2004)
    • Agenda global de emprego (CIT 2006) Agenda Hemisférica TD (2006-2015) ‏
    • Promoção de empresas sustentáveis (CIT 2007) ‏
    • Qualificações para o aumento da produtividade, crescimento do emprego e o desenvolvimento (CIT 2008) ‏
    • Justiça social para uma globalização equitativa (CIT 2008)
    • Ante à crise: Um pacto mundial para o emprego (CIT 2009) ‏
    Instrumentos OIT Promoção do Trabalho Decente Círculo vicioso: Baixa produtividade Baixos salários Más condições de trabalho PASSAR
  • Recomendação 195 (2004) sobre o desenvolvimento dos recursos humanos Educação, formação e aprendizagem permanente promover os interesses das pessoas, as empresas, a economía e a sociedade em seu conjunto. Governos Empregadores Trabalhadores investindo e criando as condições necessárias para reforçar a educação e a formação em todos os níveis; proporcionando formação a seus trabalhadores; Aproveitando as oportunidades de educação, formação e aprendizagem permanentes. Renovar compromisso com a aprendizagem :
  • AGENDA
    • AS DEMANDAS POR EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • - O impacto da restruturação produtiva e da globalização
    • - O cenário atual no Brasil e na América Latina e Caribe
    • - A crise atual
    • - O envelhecimento da população
    • - A aprendizagem ao Longo da Vida
    • O PODER TRANSFORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • PRÁTICAS INOVADORAS PARA PROMOVER A INCLUSÃO
    • - Uma Metodologia Contemporânea de Formação e Reconhecimento
    • de Competências
    • - Ações Inovadoras
    • - Os Arranjos Produtivos Locais
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • "Entre todos os poderes da Educação Profissional, o mais importante é, sem dúvida, O SEU PODER TRANSFORMADOR .” Paulo Freire OS PODERES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
  • Voz do Presidente da Republica Luiz Inácio Lula da Silva
    • Universidades
    • Centros
    • Faculdades
    SISTEMA PRODUTIVO Ensino Fundamental ( 9 anos) Educação Infantil Ensino Médio ( 3 anos) Tecnológica (Superior) Técnica (1 a 2 anos) Inicial e Continuada ( Livre, Não Regulamentada) EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA EDUCAÇÃO BÁSICA E SUPERIOR Seqüencial Educação Superior Pós Graduação Educação Básica A EDUCAÇÃO NO BRASIL
  • Educação Profissional no Brasil Juliano Assunção Gustavo Gonzaga PUC - Rio Departamento de Economia Setembro de 2009 A IMPORTÂNCIA DA EPT SOBRE OS SALÁRIOS
  • Suplemento especial da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio. População com 18 anos ou mais (131 milhões de pessoas): ‣ 21,1% já participou de cursos de educação profissional; ‣ 3,28% participa atualmente . A IMPORTÂNCIA DA EPT SOBRE OS SALÁRIOS
  • Entre os que participaram: ‣ 79,9% - qualificação profissional; ‣ 19,5% - técnico de nível médio; ‣ 0,6% - superior de graduação tecnológica. Entre os que participaram em qualificação profissional: ‣ 25,9% - Sistema S (SENAI, SENAC, SEBRAE etc); ‣ 52,4% - setor privado; ‣ 16,8% - setor público. População entre 18 e 64 anos
  • População entre 18 e 64 anos PARTICIPOU EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ? SIM NÃO DIFERENÇA SALÁRIO POR HORA (R$) 6.5 5.0 29%
  • A FORMAÇÃO MELHORA A PRODUTIVIDADE (UE) ‏ 5% Capacitação 4% Produtividade 1% #dias cap. 3% Produtividade > Cursos externos Produtividade Capacitação 16% Produtividade CEDEFOP. 2006 OIT/CINTERFOR
  • TAMBÉM O USO DAS TICs TRAZEM IMPACTO SOBRE O EMPREGO E SOBRE A REMUNERAÇÃO. Além de serem um valioso instrumento a serviço da educação profissional. PESQUISA OSILAC/CEPAL,outubro/09 O USO DAS TICs
  • Janeiro de 2003 46 milhões de acessos à telefonia móvel 2004 Aproxima-se dos 60 milhões Em outubro de 2005 80 milhões Janeiro de 2006 87 milhões Fevereiro de 2007 Supera 100 milhões Janeiro de 2007 120 milhões Abril de 2008 125 milhões Fevereiro de 2009 152 milhões Abril de 2009 Brasil tem oito celulares para cada dez habitantes DF, RJ, MS e SP superam a barreira de 1 celular por habitante
  • Em outubro de 2009, o Brasil ultrapassou os 166 milhões de acessos móveis.
  • VIVEMOS A ERA MOBILE
  • COMUNICAÇÃO CONSUMO COMERCIAIS CONTA BANCÁRIA E CRÉDITO CONTROLE COOL COMUNIDADE CRIAÇÃO
  • A INTERNET MUDARÁ A NATUREZA DA CONCORRÊNCIA, DA INOVAÇÃO E DAS OPERAÇÕES. Eric Schmidt, o CEO do Google, no último número da Revista HSM MANAGEMENT .
    • Elevar, com qualidade, o nível de escolaridade da população.
    • Ampliar a oferta de cursos destinados à formação profissional e continuada de trabalhadores, com o ensino fundamental e médio, sempre alinhada à demanda do setor produtivo.
    • Otimizar o uso dos recursos, evitando e eliminando as superposições de ações pelos diferentes ofertantes da educação profissional no país.
    RESPONSABILIDADE DE TODOS
    • Promover ou ampliar as parcerias entre os setores público e privado, para a expansão da educação profissional.
    • Utilizar, sempre que adequadas, as soluções flexíveis oferecidas pelas TICs.
    • Estabelecer metas e controles sobre o desempenho das instiuicções públicas e privadas, inclusive promovendo o acompanhamento dos egressos.
    RESPONSABILIDADE DE TODOS
  • AGENDA
    • AS DEMANDAS POR EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • - O impacto da restruturação produtiva e da globalização
    • - O cenário atual no Brasil e na América Latina e Caribe
    • - A crise atual
    • - O envelhecimento da população
    • - A aprendizagem ao Longo da Vida
    • O PODER TRANSFORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • PRÁTICAS INOVADORAS PARA PROMOVER A INCLUSÃO
    • - Uma Metodologia Contemporânea de Formação e Reconhecimento
    • de Competências
    • - Ações Inovadoras
    • - Os Arranjos Produtivos Locais
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL
  • Art. 3º “O SENAI será organizado e dirigido pela Confederação Nacional da Indústria.” Decreto-lei nº 4.481 – 16/07/1942 Art. 2º “...entidade jurídica de direito privado....” Decreto-lei nº 4.048 – 22/01/1942 Ato Constitutivo
  • “ Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias, contribuindo para elevar a competitividade das empresas brasileiras. ” MISSÃO
  • Conselho Nacional Conselhos Regionais Departamento Nacional Departamentos Regionais ÓRGÃOS NACIONAIS ÓRGÃOS REGIONAIS Órgãos Deliberativos / Normativos Órgãos Executivos Unidade normativa e descentralização executiva Ao Conselho Nacional cabe estabelecer as normas e as diretrizes gerais para todo o país, além da função fiscalizadora. Aos Conselhos Regionais cabe no âmbito estadual disciplinar os seus serviços específicos. Ao Departamento Nacional cabe coordenar a execução das políticas emanadas pelo Conselho Nacional. Aos Departamentos Regionais cabe, com autonomia administrativa, a execução direta dos serviços. Estrutura de Gestão
  • “ Consolidar-se como o líder nacional em educação profissional e tecnológica e ser reconhecido como indutor da inovação e da transferência de tecnologias para as empresas brasileiras, atuando com padrão internacional de excelência”. Visão
  • SENAI EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA TECNOLOGIA INOVAÇÃO GESTÃO E GOVERNANÇA SETOR PRODUTIVO
  • Metrologia Mineração Minerais não Metálicos Petróleo e Gás Polímeros Química Refrigeração e Climatização Segurança do Trabalho Sucroalcoleiro Tecnologia da Informação Telecomunicações Têxtil e Vestuário Transporte Ferroviário Alimentos e Bebidas Automação Automotiva Celulose e Papel Construção Civil e Pesada Couro e Calçado Eletroeletrônica Energia Gemologia e joalheria Gestão Gráfica e Editorial Logística Madeira e Mobiliário Meio Ambiente Metalmecânica Setores e Áreas de Atuação
  • Infra-estrutura e Recursos Humanos 19.291 Profissionais 2008
  • 454 Unidades Fixas CIMATEC Salvador/BA CTAB – Vassouras /RJ Vila Canaã - Goiânia/GO Roberto Simonsem– São Paulo/ SP Infra-estrutura e Recursos Humanos 2008 CTAB - Vassouras / RJ CIMATEC - Salvador/BA
  • 284 Unidades Móveis MANUTENÇÃO DE MOTOS – SENAI/SC SENAI / PR AUTOMAÇÃO INDÚSTRIAL – SENAI/RS SAMAUMA – SENAI / AM Infra-estrutura e Recursos Humanos 2008 SAMAÚMA - SENAI/AM
  •  
  • 320 Kits didáticos CONTROLADORES AR CONDICIONADO PANIFICAÇÃO INJEÇÃO ELETRÔNICA Infra-estrutura e Recursos Humanos 2008 INJEÇÃO ELETRÔNICA CONTROLADORES LÓGICOS
  • De 1942 a 2008 foram capacitadas 47.883.006 pessoas
  • Fonte: UNINF PESQUISA COM EGRESSOS 88,2% das empresas preferem contratar egressos do SENAI Tecnólogos 93% dos tecnólogos ocupados no mercado de trabalho Técnicos 79,6% de ocupação no mercado de trabalho
    • Opinião pública e sociedade
    • 83% dos entrevistados tem imagem positiva do SENAI.
    • - 86% dos entrevistados acreditam que o SENAI seja uma entidade muito importante para o País;
    • Empregados e Prestadores de serviços para a indústria
    • 92% dos empregados da indústria acreditam que o SENAI traz benefícios para a indústria brasileira;
    • - 84% dos entrevistados afirmam que o SENAI oferece serviços de boa qualidade.
    PESQUISA CNI-SENAI-IBOPE – 2007/2008
  • 48% Realizado até agosto/2009 Metas Gratuidade – Metas SENAI
  • Formação por Competência Certificação de Competência Sociedade EDUCAÇÃO PROFISSIONAL N S O CANDIDATO POSSUI AS COMPETÊNCIAS REQUERIDAS ? SISTEMA DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Setor Produtivo MERCADO ITINERÁRIOS FORMATIVOS NORMAS DE CERTIFICAÇÃO PERFIS PROFiSSIONAIS DESENHOS CURRICULARES
  • FORMAÇÃO PROFISSIONAL Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO APERFEIÇOAMENTO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL QUALIFICAÇÃO 1 QUALIFICAÇÃO 2 QUALIFICAÇÃO 3 Educação Profissional Tecnológica de Graduação e Pós-Graduação MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO ESPECIALIAZAÇÃO PROFISSIONAL (Lato Sensu) MESTRADO e DOUTORADO (Stricto Sensu) MÓDULO MÓDULO Com ensino médio Educação Profissional Técnica de Nível Médio MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO APERFEIÇOAMENTO HABILITAÇÃO PROFISSIONAL QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1 QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 2 QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 3 MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO MÓDULO GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICA QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICA QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICA CURSOS: APERFEIÇOAMENTO / SEQUENCIAL / EXTENSÃO / OUTROS
  • Cursos Técnicos de Nível Médio Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores MÓDULO MÓDULO MÓDULO Aperfeiçoamento: Embreagem, caixa de câmbio e eixos traseiros Aperfeiçoamento: Injeção eletrônica dos veículos bi-combustível Mecânico em Manutenção Automotiva (Qualificação Profissional) Mecânico em Manutenção de Motores a Gasolina e Álcool Mecânico em Manutenção de Sistemas de Freio de Veículos Automotores Leves Mecânico em Manutenção de Sistemas de Transmissão de Veículos Automotores Leves Graduação Tecnológica FORMAÇÃO PROFISSIONAL
  • Educação Profissional Técnica de Nível Médio Graduação Tecnológica Aperfeiçoamento 1: Sistemas Eletroeletrônicos Novo Pálio – RedeCan / Vênice Aperfeiçoamento 2: Sistema de Injeção Bicombustível / FLEX FUEL Técnico em Sistemas Automotivos (Habilitação Profissional) MÓDULO 2 MÓDULO 3 MÓDULO 4 ESTÁGIO MÓDULO 1 Auxiliar de Manutenção Automotiva Mantenedor de Sistemas Automotivos Básico Mantenedor de Sistemas Automotivos Avançado FORMAÇÃO PROFISSIONAL
  • FORMAÇÃO PROFISSIONAL Educação Profissional Tecnológica de Graduação e Pós-Graduação Especialização Profissional Lato-Sensu MÓDULO 2 Núcleo Comum MÓDULO 3 Núcleo Comum MÓDULO 4 Específico: Powertrain / Carroceria / Eletroeletrônica / Dinâmica / Chassi / Projetos / Simulação Computacional MÓDULO 1 Núcleo Comum Monogragia / Defesa Mestrado Profissional Stricto-Sensu 1º CICLO: - INOVAÇÃO INDUSTRIAL: CONCEITOS E FERRAMENTAS - PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS 2º CICLO: GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO 3º CICLO: METODOLOGIA PESQUISA MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE SISTEMAS MECATRÔNICOS COMPORTAMENTO MECÂNICO DOS MATERIAIS GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Exame / Dissertação / Defesa Tecnólogo em Sistemas Automotivos MÓDULO 1 CURSOS: APERFEIÇOAMENTO / SEQUENCIAL / EXTENSÃO / OUTROS MÓDULO 2 MÓDULO 3 MÓDULO 4 MÓDULO 5 MÓDULO 6 MÓDULO 7 MÓDULO 8
  • AÇÕES INOVADORAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
  • Inovar é romper com o uso tradicional do tempo e do espaço no processo permanente de aprendizado por meio da educação a distância 24 horas por dia e 7 dias da semana . Meta 2007-2014: 350.000 matrículas www.senai.br/ead Meio digital e eletrônico – Material Impresso – Simulador – Celular SENAI 24 HORAS
  •  
  • Cursos, currículos e carga horária usualmente adotadas flexibilizadas na forma de oferta e funcionamento, com redução de carga horária diária ou semanal e ampliação da duração, preservando a carga horária total estabelecida no plano de curso. Meta 2007-2014: 200 Unidades Operacionais ESTRATÉGIAS FLEXÍVEIS
  • Flexibilizar tanto a tecnologia educacional como o suporte físico e pedagógico , por meio de ações móveis, compreendendo unidades móveis e kits didáticos Meta 2007-2014: 240.000 matrículas AÇÕES ITINERANTES
  • Ações Inovadoras Serviços e produtos sistematizados de acordo com o modelo SENAI de educação profissional, desenvolvido, total ou parcialmente, por parceiros. Meta 2007-2014: 2000 parcerias Exemplos: PARCERIAS
  • Ações Inovadoras Temas presentes em diversas ações de educação profissional modelados e ofertados como programas ou cursos. Meta 2007-2014: 10 programas transversais 2 milhões de matrículas COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS
  •  
  • CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Ações Inovadoras Certificação profissional de pessoas segundo competências e normas estabelecidas, independentes da forma pela qual foram adquiridas Meta 2007-2014: Centro de exames certificadores em todos os Departamentos Regionais
  • Fonte permanente e atualizada de recursos didáticos e técnicos , utilizada pelos docentes e técnicos na formação profissional RECURSOS DIDÁTICOS INOVADORES
  • Ações Inovadoras Facilitar o acesso a informática por meio de cursos, softwares e aplicativos para os educadores e alunos. Metas 2007-2014: - 13.000 computadores para educadores do SENAI - 1 milhão de matrículas em cursos de TI - Espaços digitais para docentes em todos os DRs INCLUSÃO DIGITAL PARA TODOS
  • Centro de Recursos PLMCC PLMCC Rede Mundial Trabalho colaborativo Site WEB Site PLMCC Base de Dados
  • Utilizando- se o software Smarteam, as instituições: SENAI ( Brasil), Liceu Diderot e Ecole Centrale (França) além do Instituto Noida ( India), estão desenvolvendo um protótipo do aeroplano “Bleriot”. Essa implementação é feita por meio do uso colaborativo de um mesmo banco de dados, onde todos os parceiros executam modificações no mesmo arquivo ao mesmo tempo. Constitui-se portanto em um case interessante para demonstrar a importância de conexões banda larga de alta confiabilidade. Essa é uma realidade no mundo industrial contemporâneo TRABALHO COLABORATIVO
  • Competição Internacional de Educação Profissional 51 Países Canadá – Calgary - 2009
  • SENAI é o 3º do mundo em Educação Profissional representando o Brasil Competição Internacional de Educação Profissional
  • CLASSIFICAÇÃO DO BRASIL/SENAI Torneio País-Sede Colocação 2003 Suíça 12º 2005 Finlândia 7º 2007 Japão 2º 2009 Canadá 3º
  • AGENDA
    • CONSIDERAÇÕES INICIAIS
    • - O impacto da restruturação produtiva e da globalização
    • - O cenário atual no Brasil e na América Latina e Caribe
    • - A crise atual
    • - O envelhecimento da população
    • - A aprendizagem ao Longo da Vida
    • O PODER TRANSFORMADOR DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • PRÁTICAS INOVADORAS PARA SUPERAÇÃO DAS DESIGUALDADES POR MEIO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • - Uma Metodologia Contemporânea de Formação e Reconhecimento
    • de Competências
    • - Ações Inovadoras
    • - Os Arranjos Produtivos Locais
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • Sociedade do Conhecimento onde os indivíduos são os atores principais Ensino básico de qualidade para todos complementado pela Educação Profissional inicial e ao longo da vida, dotando jovens e adultos das novas competências exigidas: Ações Efetivas “ aprender a aprender” “ aprender a ser”
  • Propostas adequadas em oportunidade, ritmo, localização e custo; e conteúdos e métodos que considerem as perspectivas culturais, sociais, econômicas , além das experiências de vida. Ações Efetivas
  • devem contemplar as AS AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
    • Fundamentos técnicos e científicos
    Capacidades Técnicas
    • Capacidades
    • Sociais
    • Organizativas
    • Metodológicas
    Competências Específicas Competências de Gestão Competências Básicas
  • a força das mudanças; as oportunidades de trabalho no setor e as oportunidades para capacitação técnica. Ações Efetivas
  • É o princípio orientador da oferta e da participação num contínuo de aprendizagem, independentemente do contexto em que ocorra. Prática comum na qual devem ser reunidos todos os tipos e modalidades de ensino e aprendizagem. A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL AO LONGO DA VIDA
    • Empregabilidade
    • Adaptabilidade
    • Inserção social
    • Igualdade de oportunidades
    • Desenvolvimento do espírito empreendedor
    • Participação ativa e consciente no trabalho e na sociedade.
    Assegurando ao cidadão:
  • CABE AO CIDADÃO O DIREITO DE TORNAR-SE CAPAZ DE GERIR, COM SUCESSO, UM PERCURSO PESSOAL E PROFISSIONAL AO LONGO E NOS VÁRIOS DOMÍNIOS DA VIDA. IMPORTANTE
  • A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, QUE SE REALIZA AO LONGO DA VIDA, DEVERÁ CONSULTAR SEMPRE: Para isso...
    • TRABALHADORES,
    • EMPRESÁRIOS,
    • EDUCADORES.
  • Emprego para a juventude : promover uma maior formação e uma melhor inserção laboral da juventude. Agenda Hemisférica de Tralho Decente e Juventude Meta: reduzir à mitade, em um prazo de 10 anos, o percentual de jovens maiores de 15 anos que não estudam nem trabalham. Meta: incrementar, em um prazo de 10 anos, o percentual de investimento dos países em capacitação em pelo menos meio ponto percentual (como percentagem do PIB), e duplicar os atuais retornos dos investimentos em capacitação. Formação profissional: m elhorar a competitividade dos recursos humanos e ampliar a cobertura da formação profissional entre os grupos vulneráveis.
  • . Qualidade na educação. Elevação do acesso e prestígio da educação profissional e tecnológica. Articulação da educação formal com a educação profissional. Uso dos marcos de qualificações. ALGUNS DESAFIOS PERSISTENTES
  • DESENVOLVER MAIS EDUCAÇÃO PROFISSIONAL; AS CONTRIBUIÇÕES MAIS EXPRESSIVAS E DESAFIADORAS QUE AS INSTITUIÇÕES FORMADORAS PODEM OFERECER À SOCIEDADE E AO PAÍS SÃO: DESENVOLVER DE FORMA MAIS EFICIENTE A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E DESENVOLVER DE FORMA MAIS EFICAZ A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. E por último...
    • OBRIGADO !
    • SENAI - Departamento Nacional
    • Alberto Araujo
    • [email_address]