Your SlideShare is downloading. ×
Fisiologia do sistema muscular
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Fisiologia do sistema muscular

30,727
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
30,727
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
467
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. FISIOLOGIA DO SISTEMA MUSCULAR Componentes: Elioneto Antonio Dilma James
  • 2. Como funcionam os músculos
    • Os músculos são órgãos que a maioria de nós nem percebe que existe, mas que são muito importantes por duas razões específicas:
    • os músculos são o "motor" que o seu corpo usa para se movimentar.
    • seria impossível fazer qualquer coisa sem os músculos. Tudo o que você consegue pensar com o seu cérebro é expressado com um movimento muscular.
  • 3.
    • há três tipos de músculos no corpo:
    • músculo esquelético é o tipo de músculo que podemos ver e sentir. Quando um fisiculturista se exercita para aumentar a massa muscular, é o músculo esquelético que está sendo trabalhado .
    • músculo liso tem a habilidade de estirar e manter a tensão por períodos longos. Ele se contrai involuntariamente, ou seja, você não precisa pensar em contraí-lo, já que seu sistema nervoso faz isso de maneira automática.
  • 4.
    • o músculo cardíaco é encontrado somente no seu coração e suas características são resistência e consistência. Ele pode estirar de modo limitado, como um músculo liso e contrair com a força de um músculo esquelético.
    Corte transversal de um músculo esquelético (200x) exibindo as fibras musculares (vermelhas) e as células de gordura (brancas)
  • 5.
    • Um músculo é um conjunto de células chamadas fibras. Imagine as fibras musculares como cilindros longos e, comparadas com as outras células no seu corpo, as fibras musculares são bem grandes. Elas têm de 1 a 40 mícron de comprimento e de 10 a 100 mícron de diâmetro.
  • 6.  
  • 7. Os filamentos é que fazem o trabalho real de um músculo. Os filamentos grossos são feitos de uma proteína chamada miosina. No nível molecular, um filamento grosso é uma haste de moléculas de miosina dispostas em um cilindro. Os filamentos finos são feitos de uma proteína chamada actina e se parecem com dois colares de pérolas enrolados um no outro. Contraindo um músculo
  • 8. Durante a contração, os filamentos finos deslizam pelos filamentos grossos, encolhendo o sarcômero
  • 9.  
  • 10. Para entender como os músculos criam força, vamos usar o exemplo da corda.
    • durante a contração, a molécula de miosina forma uma ligação química com uma molécula de actina no filamento fino (segurando a corda). Essa ligação química é a ponte cruzada.
    • inicialmente, a ponte cruzada está estendida (seu braço estendido) com adenosina difosfato (ADP) e fosfato inorgânico (Pi) ligados à miosina;
  • 11.
    • assim que a ponte cruzada é formada, a cabeça de miosina se curva (seu braço encurtando), criando força e deslizando o filamento de actina pela miosina (puxando a corda). Esse processo é chamado de tempo de expansão. Durante o tempo de expansão, a miosina libera ADP e Pi ;
    • assim que o ADP e o Pi  são liberados, uma molécula de adenosina trifosfato (ATP) liga-se à miosina. Quando o ATP é ligado, a miosina libera a molécula de actina (soltar a corda);
  • 12.
    • quando a actina é liberada, a molécula de ATP é dividida em ADP e Pi pela miosina. A energia do ATP leva a cabeça da miosina de volta à sua posição original (estender o braço novamente);
    • o processo se repete. As ações das moléculas de miosina não são sincronizadas. A qualquer momento, algumas miosinas estão se ligando a filamentos de actina (agarrando a corda), outras estão criando força (puxando a corda) e outras estão soltando o filamento de actina (soltando a corda).
  • 13.
    • As contrações de todos os músculos são disparadas por impulsos elétricos, quer sejam transmitidos por células nervosas, criados internamente (como em um marcapasso ) ou aplicados externamente (com um estímulo elétrico). O sinal elétrico inicia uma série de eventos que levam ao ciclo de pontes cruzadas entre a miosina e actina, que, por sua vez, gera força.
    O processo de acoplamento levando do sinal elétrico (excitação) à contração no músculo esquelético Como você pode ver, a contração muscular é regulada pelo nível de íons de cálcio no citoplasma.
  • 14. Os músculos usam energia na forma de ATP. A energia do ATP é usada para retornar a cabeça da ponte cruzada de miosina e liberar o filamento de actina. Para fazer ATP, o músculo faz o seguinte: Energia para a contração muscular
    • quebra fosfato de creatina, adicionando o fosfato ao ADP para criar ATP;
    • realiza respiração anaeróbica, na qual a glicose é quebrada em ácido láctico e o ATP é formado;
    • realiza respiração aeróbica, na qual glicose, glicogênio, gorduras e aminoácidos são quebrados na presença de oxigênio para produzir ATP.
  • 15. Rigor mortis Após a morte, os níveis de cálcio dentro da célula muscular aumentam e o nível de ATP cai. Dentro dos músculos, a miosina liga-se à actina e os músculos se contraem. No entanto, sem ATP para fazer as pontes cruzadas retornarem e liberar a miosina, todos os músculos continuam contraídos e rígidos, formando o estado que chamamos de rigor mortis .

×